WhatsApp GB: versão pirata do mensageiro é atraente, mas muito perigosa

Qual é o app de celular que você mais usa? É bem provável que seja o WhatsApp. Por aqui, ele virou até expressão: “mandar um zap”. Mas nem o mensageiro mais popular do Brasil agrada a todos. Já circula uma versão “alternativa” que promete recursos extras, chamada GBWhatsApp ou WhatsApp GB.

À primeira vista, o mensageiro pirata parece muito atrativo. Ele tem a mesma cara do WhatsApp e, inclusive, acessa seus contatos. Mas permite coisas como:

Se animou? Então, muita calma nessa hora. Para começar, não se trata de um aplicativo oficial, portanto não pode ser baixado na Google Play.

O GBWhatsApp está hospedado em um site árabe de origem duvidosa, usa o código-fonte do WhatsApp sem autorização e consegue acessar sua lista de amigos sem dar qualquer garantia de privacidade ou segurança, como a criptografia, por exemplo.

Site escrito em árabe acessa seus contatos

Não custa lembrar: qualquer aplicativo baixado fora da loja formal de apps para celulares Android é potencialmente perigoso. Você pode acabar instalando apps maliciosos que assumem o controle do seu celular e, com isso, roubam dados e causam até prejuízos financeiros.

“Não é seguro. O ideal é que o usuário baixe apenas aplicativos disponíveis nas lojas oficiais, já que cada empresa tem um processo de aprovação rigoroso para que apenas apps confiáveis estejam disponíveis”, afirma Emilio Simoni, diretor do Dfndr Lab da PSafe. “É possível também que o aplicativo utilize, sem que o usuário perceba claramente, a capacidade de processamento do smartphone para mineração de criptomoedas, algo que está se tornando comum.”

Existem dezenas de versões falsas do WhatsApp e, segundo os testes da PSafe, nenhuma se mostrou totalmente segura.

“Algumas chegaram a apresentar comportamento malicioso ou excesso de propagandas. Nossa recomendação é que os usuários utilizem apenas a versão oficial disponível na Google Play e AppStore”.

Procurado pelo UOL Tecnologia, o WhatsApp respondeu apenas que só tem dois aplicativos disponíveis na Play Store: o WhatsApp e o WhatsApp Business (direcionado para pequenas e médias empresas). “A empresa não reconhece qualquer outra iniciativa que use o seu nome e não recomenda o uso de nenhum app não-autorizado”.

UOL