Varejo potiguar registra alta de 2,7% na última semana, aponta Secretaria Estadual de Tributação

A média diária de movimentação no varejo do Rio Grande do Norte apresentou um crescimento de 2,7% na semana de 18 a 24 deste mês em comparação com a anterior. As transações do setor passaram de R$ 61,8 milhões por dia para R$ 63,6 milhões de uma semana para outra. Com exceção da indústria extrativa, que cresceu 1,9%, as demais atividades – indústria de transformação, atacado e combustível – tiveram redução no ritmo de operações.

Os dados constam na sexta edição do Boletim Semanal de Atividade Econômica, divulgado na tarde desta sexta-feira (29) pela Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN). O estudo se baseia nos documentos fiscais emitidos pelos contribuintes do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) no período, comparando semana a semana. O material completo está disponível para download no site da SET-RN (www.set.rn.gov.br).

Apesar da alta no varejo, o valor global de todas as operações comerciais do Rio Grande do Norte teve um recuo de 13% em comparação com a semana anterior (11 a 17 de maio). O total negociado foi de R$ 223,3 milhões, enquanto na semana anterior o montante foi de R$ 256,6 milhões. A quantidade de documentos fiscais emitidos chegou a aproximadamente 755 mil emissões a cada dia.

A indústria de transformação teve a maior redução no ritmo de negociação de uma semana para outra: 5,2%. A movimentação saiu de R$ 26,5 milhões e caiu para R$ 25,1 milhões. Já o comércio atacadista teve uma queda de 3,8%, enquanto o setor de combustível apresentou uma baixa de 2% no volume movimentado semanalmente.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Romero disse:

    Não acredito em nada que saia da boca de petistas ! Sem credibilidade, a fama deles é mentir, enganar , ludibriar o povo.

Bolsa de valores abre em alta nos primeiros negócios da semana; dólar volta a cair

Foto: Paulo Whitaker/ Reuters

A bolsa de valores brasileira abriu em alta nos primeiros negócios desta segunda-feira (25). O principal indicador do mercado acionário, o Ibovespa, subia 0,02% às 10h06, a 82.193,33 pontos.

Já o dólar voltava a cair e batia mínimas desde o fim de abril ante o real, com o mercado estendendo a reação ao conteúdo do vídeo ministerial com divulgação autorizada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) e cujo material, na visão de analistas de mercado, não trouxe elementos novos com potencial para fortalecer chance de impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

Na sexta (22), o ministro Celso de Mello, do STF, decidiu permitir a divulgação do vídeo, com exclusão de apenas dois trechos, da reunião ministerial ocorrida no dia 22 de abril, na qual, segundo o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, o presidente teria tentado interferir no comando da Polícia Federal.

Às 10h00, o dólar recuava 1,44%, a R$ 5,4934 na venda. Na B3, o dólar futuro cedia 0,70%, a R$ 5,5015.

A expectativa pela decisão do ministro havia dominado o mercado naquele dia, e o veredicto de Celso de Mello foi conhecido por volta de 17h, quando as operações no mercado de dólar à vista estavam encerrando. O mercado futuro — que fecha às 18h —, porém, capturou as reações, e os contratos de dólar da B3 chegaram a ceder 0,81%, enquanto o dólar à vista havia fechado em queda de apenas 0,15%.

Portanto, a queda do mercado à vista nesta segunda refletia um ajuste ao movimento do segmento futuro na sessão anterior. Mas mesmo o dólar no mercado futuro ainda perdia fôlego nesta sessão, sinal de que o mercado via menos ruído político daqui para a frente.

“Por não ter nada de novo, tendo a acreditar que não deveria haver um aumento de probabilidade de qualquer cenário de impeachment ou complicação política”, disse Dan Kawa, sócio da TAG Investimentos.

Mas o ruído político deve permanecer. “Não obstante, a crise política deve continuar, dessa vez com o foco nas acusações de Paulo Marinho sobre vazamentos da Operação Furna da Onça por um delegado da PF para Flávio Bolsonaro”, avaliou a Guide Investimentos.

De toda forma, a avaliação sobre o vídeo reduz o risco de curto prazo que vinha impondo ao real o pior desempenho frente a seus pares. Nesta sessão, a moeda brasileira, de longe, lidera os ganhos entre os principais rivais, num dia de performance mista para o dólar no mundo e sem a referência de Wall Street, cujas operações permaneciam fechadas pelo feriado do Memorial Day.

O Banco Central faz nesta sessão leilão de rolagem de até 2 bilhões de dólares em linhas e também de até 12 mil contratos de swap cambial tradicional, também para rolagem.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo disse:

    O Presidente forte!! 99% da Mídia que adora um preá contra ele, a esquerda, os canalhas do PSDB liderados pelo Doria EMbratur , e ele consegue segurar , por isso que o PDT quer calar a internet através de um projeto de lei e aqui ficar igual a China ! rede social controlada ! e ainda falam que defendem a democracia , São uns vermes

  2. Thiago lira disse:

    O vídeo da reeleição do presidente ainda rende. Queria um vídeo desse toda semana.

    • Fernando disse:

      Deixa vir a eleição, essa claque minoritária de Bolsonaro não ganha eleição. Vide os petralhas, eram ruidosos também. As vozes das urnas os silenciaram. Hehehe

Antiviral Remdesivir desenvolvido nos EUA trata mais de 100 pacientes graves com coronavírus e resulta em alta em menos de uma semana

Foto: Tony Webster via Flicker

O antiviral remdesivir, desenvolvido pela biofarmacêutica norte-americana Gilead Science, tem apresentado bons resultados no tratamento da covid-19. Um grupo de 125 pacientes recebeu a medicação. Desses, 113 tinham a forma grave da doença causada pelo novo coronavírus.

Em menos de uma semana, quase todos receberam alta do hospital onde estavam internados, em Chicago. Duas pessoas do grupo morreram. A informação foi divulgada pelo Stat News nesta 5ª feira (16.abr.2020). O jornal especializado em saúde obteve 1 vídeo com comentários preliminares do estudo.

O relatório inicial indica a melhora em sintomas respiratórios e redução da febre. O remdesivir já é usado para tratar ebola e MERs (síndrome respiratória do coronavírus do Oriente Médio).

Kathleen Mullane, a infectologista da Universidade de Chicago que revisou o estudo para o hospital, ressalta que a pesquisa com os 125 pacientes “não inclui 1 grupo de placebo para comparação”. Contudo, ela afirmou que pacientes deixaram o respirador “1 dia depois de começar a terapia [com remdesivir]” e acrescentou: “Nossos pacientes estão indo muito bem”.

MAIS ESTUDOS

A Gilead analisa o uso da medicação em casos graves de covid-19 com 2.400 pacientes em 152 grupos de testes ao redor do mundo. A biofarmacêutica também testa o tratamento com 1.600 pacientes que têm a forma moderada da doença em 169 centros diferentes.

A empresa têm 2 estudos principais: 1 com tratamento de 5 dias e outro de 10 dias. O objetivo principal é comparar estatísticas da recuperação de pacientes entre os 2 grupos.

A melhora é avaliada a partir de uma escala numérica de 7 pontos, em que a morte é o pior resultado, e a alta do hospital, o melhor. Entre os 2 extremos, são elencados diferentes níveis de oxigenação suplementar e entubação.

A Stat News alerta que “a ausência de 1 braço de controle no estudo pode tornar a interpretação dos resultados mais desafiadora”.

Poder 360

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Justus disse:

    Notícia de ontem no Times of India: Índia retira restrições e exporta hidroxicloroquina para 55 países. Quem não quiser ou puder pesquisar, coloque o email que eu envio.

  2. Pedro disse:

    Nesse meio de incertezas, verdades, inverdades, torcidas do bem, torcidas do mal, teorias conspiratórias fantásticas, mesmice, enfim, desse jogo político reboco, onde muitos vão nos deixar, tenho um certeza absoluta, no PT e nos seus seguidores acefalos, nunca mais darei um voto.

  3. tonhão disse:

    Só acredito quando Dr. Bozo der o aval.

  4. Lobinho disse:

    Lobinha você disse tudo!

  5. Marcos disse:

    Se alguém no Brasil tiver a petulância de ministrar esse remédio,vão dizer que a CIÊNCIA não permite.
    E o profissional vai ser execrado por esse aproveitadores de plantão,doidos que morram ima quantidade grande de brasileiros.

  6. Lobinha disse:

    Se fosse no Brasil, com certeza a omc, Rodrigo maia, mandeta, alguns governadores, e uns comentaristas de plantão iriam protestar, que era uma armação do gabinete do ódio. Uma canalhice.

    • Manoel disse:

      Parece que os médicos e cientistas resolveram acordar pra vida e dizer que todos os remédios tem efeitos colaterais! Eh sério? Então tem que colocar todos remédios pra venda sob controle e prescrição médica pq TODOS os remédios de farmácia tem muita contra indicações e efeitos colaterais… Acorda povo!

    • Jose disse:

      Vamos aguardar se Bolsonaro nos deixa usar ou o negócio dele e ao com a cloroquina cujo laboratório ele tem interesses comerciais .

Após internação e quadro grave do coronavírus, vereador Raniere Barbosa recebe alta

Após diagnóstico de Covid-19 e internação desde a última semana, o vereador de Natal, Raniere Barbosa, recebeu alta na manhã desta quinta-feira(2).

Segundo a assessoria do vereador, os sintomas mais relevantes não mais se apresentam. O parlamentar foi internado com febre e falta de ar, e teve diagnosticado mais de 70% do comprometimento da atividade de seus pulmões, necessitando de ventilação mecânica. O problema grave foi superado pelas medidas terapêuticas.

Após o aval médico, Raniere Barbosa permanecerá em casa, sob regime de isolamento.

Com coronavírus, produtora pornô Brasileiras registra alta no número de assinantes

Foto: Ilustrativa

O Globo chama a atenção para um efeito menos comentado do isolamento provocado pela pandemia do novo coronavírus.

Segundo o jornal carioca, a produtora de vídeos pornô Brasileirinhas já registrou a segunda alta consecutiva no número de novas assinaturas.

“O boom foi na terça-feira, quando a alta foi de 70% em relação à semana passada. Normalmente, a gente recebe cerca de 300 novas assinaturas por dia. Na terça, foram mais de 600 e, na quarta, cerca de 500”, diz o CEO da empresa, Clayton Nunes.

Outros empreendedores do gênero tomaram decisões para colaborar com a quarentena. Na última quinta, por exemplo, o Pornhub anunciou a liberação de assinaturas premium para as pessoas que vivem na Itália.

Com isso, escreve O Globo, “os moradores que estão de quarentena terão acesso gratuito ao serviço durante este mês, para que tenham uma distração a mais enquanto estão presos em casa”.

Com O Globo e O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bruna disse:

    É a bronha institucionalizada…

  2. Zuza disse:

    Eita nós… Os caras vão alisar a madeira.

Dólar opera em alta e chega a R$ 5,20

O dólar opera em alta nesta quarta-feira (18), com o foco dos investidores no anúncio sobre a nova taxa básica de juros no Brasil, que será divulgada às 18h, e na decisão do governo de pedir ao Congresso Nacional para reconhecer estado de calamidade pública em razão da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Às 10h49, a moeda norte-americana subia 2,47%, negociada a R$ 5,1293. Na máxima do dia até o momento, chegou a R$ 5,2058. Veja mais cotações.

O Banco Central volta a atuar nos mercados nesta quarta-feira, ofertando aos mercados leilões de linha com compromisso de recompra no valor de até US$ 2 bilhões. A autarquia já havia realizado intervenção semelhante na terça-feira e na sexta da semana passada.

Na terça-feira, o dólar fechou em queda de 1,10%, a R$ 5,0056. Na máxima, bateu R$ 5,0845 – maior cotação nominal (sem considerar a inflação) já registrada no país.

Cenário externo e doméstico

No mundo, os mercados vivem mais um dia de nervosismo nesta quarta, em meio aos elevados temores de uma recessão global, apesar da série de medidas anunciadas por diferentes governos para combater os efeitos da pandemia.

No Brasil, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência informou a véspera que o governo pedirá ao Congresso Nacional para reconhecer estado de calamidade pública em razão da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a Presidência, se for reconhecido o estado de calamidade, a União não precisará cumprir a meta fiscal prevista para 2020. O orçamento deste ano, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, admite déficit fiscal de até R$ 124,1 bilhões nas contas públicas.

Expectativa de corte de juros no Brasil

As atenções do dia estão voltadas para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que anuncia nesta quarta-feira (18) a nova taxa básica de juros. Com o novo corte surpresa nos juros anunciado pelo Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA), aumentam as apostas do mercado de um corte mais expressivo na taxa Selic, atualmente em 4,25%.

Recentemente, os patamares cada vez menores da Selic foram apontados como um fator responsável pela disparada do dólar. A redução do diferencial de juros entre o Brasil e outros países torna rendimentos locais baseados na taxa básica de juros menos atraentes para o investidor estrangeiro, o que reduz a entrada de fluxos nos mercados brasileiros.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mário Oliveira disse:

    Aimmm culpa de Bolsonaro que não fez nada contra o coronavírus…
    Em 2015 quando o H1N1 matou muita gente o que foi feito?
    Sem considerar o resto do mundo onde o coronavírus se alastrou por todos os continentes e vem afetando o mercado mundial.
    O partido comunista chinês não tem nada haver com isso, a crise com vírus aviário, com peste negra, a sars, aiiimmm a culpa é de Bolsonaro

    • Curiosa disse:

      É muita alienação…Nós já não estávamos dando sinais de recuperação e para piorar estamos atravessando uma pandemia e o presidente mostra todo o seu despreparo e desdem com a população, a somatória dessas duas coisas = Fuga de investidores. Não se preocupa não, se vc ainda não sentiu os sinais disso tudo, já já vc sentirá

    • Sabido disse:

      Ei curiosa os investidores estão fugindo para onde??? As bolsas do mundo todo em queda, só na China sobe, será que estão indo colocar dinheiro nas mãos do partido comunista da China?
      A crise é mundial, diga aí para onde os investidores estão indo que vou também, só não irei se eles estiverem rumo a Venezuela, Irã, Cuba, Coréia do Norte e outras democracias assim.

Bolsas europeias operam em alta após forte perdas do dia anterior

Foto: Torsten Silz/AFP

As principais bolsas europeias operam em alta ao redor de 4% nesta terça-feira (10), esboçando uma recuperação, após uma segunda-feira de perdas globais, contaminadas pelos efeitos do novo coronavírus na economia mundial e pelo forte tombo no preço do petróleo.

Por volta das 8h, o índice FTSE 100 de Londres, na Inglaterra, subia 4%. O DAX 30 de Frankfurt, na Alemanha, ganhava 3,50%. O CAC 40 de Paris, na França, apresentava alta de 4,22%. O Ibex 35, de Madrid, na Espanha, subia 3,34%. O FTSE de Milão, na Itália, avançava 2,65%.

Às 8h03 (horário de Brasília), o índice FTSEEurofirst 300 subia 4,16%, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhava 3,99%, mas estava longe de compensar a queda de 7% registrada na segunda-feira, que levou as bolsas europeias a recuarem para mínimas de oito meses.

Já os preços do petróleo eram negociados em alta perto de 10%, após tombo de quase 25% na véspera, depois de uma guerra de preços dos maiores produtores, Arábia Saudita e Rússia, que provocou a maior queda diária desde a Guerra do Golfo de 1991.

Por volta das 7h50, os contratos futuros do barril de Brent tinham alta de 9,72%, US$ 37,70 na venda, em Londres, enquanto o barril WTI, nos EUA, tinha alta de 10,47%, a US$ 34,39, segundo dados da Bloomberg.

A recuperação ganhava força também conforme os investidores depositavam suas esperanças em ações coordenadas de governos e bancos centrais de todo o mundo para aliviar o impacto do coronavírus.

O Japão divulgou nesta terça-feira um segundo pacote de medidas no valor de US$ 4 bilhões em gastos para lidar com as consequências do surto, com foco no apoio a pequenas e médias empresas,.

Já o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, prometeu um passo “importante” na segunda-feira e disse que discutirá um corte nos impostos sobre os salários com os republicanos do Congresso.

Já a Bolsa de Moscou em queda de mais de 10%, depois de um fim de semana de três dias, afetada pela guerra de preços dos produtores de petróleo e pela desvalorização do rublo frente ao dólar.

Bolsas asiáticas fecham em alta

Na Ásia, as bolsas fecharam em leve alta. A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão de terça-feira com avanço de de 0,85%. O índice Nikkei ganhou 168,36 pontos, a 19.867,12 unidades. As bolsas de Hong Kong encerram em alta de 1,41%.

Na China, o índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 2,14%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 1,82%.

Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,42%; em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 3,11%.

G1

R$ 4,80: Pânico por coronavírus leva dólar a bater a maior cotação nominal da história

David Dee Delgado/Getty Images

Em meio ao pânico que tomou os mercados financeiros globais, o dólar abriu o dia em forte alta de 3,7% e chegou a encostar no patamar de 4,80 reais. É a maior cotação nominal da história e reflete a forte desvalorização do real em relação à principal moeda global. Desde o início do ano, a moeda brasileira é a que mais cai no mundo. A comparação é feita com o papel de outros 40 países que possuem influência sobre o comércio global. Desde a virada do ano, o real perdeu 19,4% de valor frente ao dólar.

O choque acontece devido à histeria global perante o avanço do coronavírus (Covid-19) e às decisões erráticas de governos. No domingo, a Arábia Saudita, em retaliação à Rússia, decidiu depreciar em 10% o preço do petróleo. Isso derrubou as cotações da commodity, que chegaram a cair 30% durante o domingo, 8. Às 9h30, o óleo tipo Brent, comercializado em Londres (Reino Unido), cai 22,3%, cotado a 35,2 dólares. Por isso, no exterior, os papeis da Petrobras já afundam quase 20%.

A disparada do câmbio forçou o Banco Central a intervir cedo. Às 9h10 anunciou um leilão de 3 bilhões de dólares, à vista. Ou seja, está injetando diretamente no mercado moeda estrangeira. O leilão à vista tem dois objetivos: disponibilizar dólares aos bancos, para que não aconteça um estresse maior devido à falta de liquidez, e suavizar a volatilidade no mercado cambial. Após o leilão, a alta refluiu. Às 9h50, o dólar era comercializado a 4,73 reais — um avanço de 2,1% em relação ao fechamento de sexta-feira, 6.

A alta do dólar prenuncia um dia agitado na bolsa brasileira. O índice futuro do Ibovespa afunda 10%. Caso isso se reflita no pregão do índice corrente, a B3 precisa deflagrar o chamado Circuit Breaker — quando todos os negócios são interrompidos por meia hora. Após o retorno, caso caia mais 5%, um novo Circuit Breaker é acionado por uma hora. Se no total a bolsa cair 20%, os negócios são interrompidos por todo o dia. A Petrobras, que derrete no exterior, é o papel com maior peso no Ibovespa: 10,8%.

Veja

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ceará-Mundão disse:

    A crise é mundial. Bolsas caindo e dólar subindo em TODO canto. Mas tem problemas que só existem no RN. Por exemplo, hospitais fechando, salários de servidores atrasados, reforma da previdência (aquela que Fatão dizia não ser necessária), economia do estado em queda livre, aumento do piso dos professores (que Bolsonaro concedeu e Fatão não quer pagar)… E cadê os sindicalistas PELEGOS, não vão fazer nada a respeito?

    • Cristian disse:

      Seus malabarismos mentais o fazem ser cotado para o cirque du soleil.

    • Diógenes disse:

      Vc que é do Ceará explique aí por que a economia de seu estado é tão solida? Seria devido às gestões anteriores dos Ferreira Gomes?

  2. Fábio disse:

    O dólar já vinha batendo recordes seguidos antes mesmo do coronavírus.
    Aqui temos o bolsonavírus…

    • Ojuara disse:

      E durante 16 anos, o vírus mais poderoso que já surgiu foi, vírus Luladrao- 9, contaminou todo um partido PT e seus apoiadores. Mas esse virus é muito antigo e ele é disseminado em toda classe política.

    • Chico da burra disse:

      Que é uma mutação do Lulaladrãovirus

Coronavírus e desaceleração mundial afetam cotação do dólar, diz Guedes

Foto: Adriano Machado/Reuters

A despeito da alta do dólar nesta quinta-feira, que atingiu novo recorde de R$ 4,662 no início da tarde mesmo após intervenções do Banco Central, o ministro da Economia, Paulo Guedes, classificou o patamar da moeda americana como “normal”, afirmou que o câmbio é “flutuante” e que sua flutuação agora será num nível mais alto. Para o ministro, a crise do coronavírus e a possível desaceleração da economia mundial explicam parte desse movimento.

– Lembra o câmbio flutuante? Que flutuava entre R$1,80 ou R$ 2,20 ? A flutuação dele agora é num nível mais alto: R$ 3,60, R$ 4,60. Não sabemos. É o câmbio flutuante. Só que ele flutua num patamar mais alto. É simplesmente Isso – afirmou o ministro, que participou de uma reunião com empresários na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na capital paulista, junto com o presidente Jair Bolsonaro.

Questionado se a moeda americana poderia chegar a R$ 5, Guedes afirmou que isso só seria possível se fosse feita “muita besteira”.

– Isso aí era perfeitamente previsível. Pô. Mas tá indo para R$ 4,30 ou R$ 4,40, tem o coronavírus, a desaceleração da economia mundial (…). Se fizer muita besteira ele pode ir pra esse nível. Se fizer muita coisa certa, ele pode descer.

O ministro frisou que a agenda de reformas precisa ser implementada para acalmar a moeda americana. No entanto, em ano eleitoral, como em 2020, a tramitação dessas propostas no Congresso costuma ser mais lenta.

– Claro que quanto mais rápido você apresentar as reformas, mais rápido você recupera a confiança e o dólar acalma. Preocupa o nível? Quando sobe rápido preocupa. Por isso que o Banco Central vende um pouco. Mas é natural – disse.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Andreilson disse:

    Falou o Paulo Jegues

    • manezinho disse:

      Mais um dilmista que entende de economia…. saia de blogs ideologicos. va estudar economia de verdade.

  2. Leo disse:

    E tem gente q acredita nesse embuste, capacho de banqueiro e especulador?
    Primeiro era tirar Dilma q o dólar voltava pra 2 reais. Mentira. Depois era só aprovar a reforma trabalhista q tdo ficaria as mil maravilhas. Mentira de novo. Depous era só aprovar a reforma da previdência q virariamos a Suécia. Nada e o povo pobre e trabalhador perdendo os seus direitos.
    O bom é q a classe média paneleira se achava rica reclamando com dólar a 2,5 reais agora nem na Agentina pode mais….
    Agora esse senhor q enganar mais quem?
    Mas dizem q se fizer arminha e pensar bem forte o dólar baixa.

    • Higino disse:

      Deixa de ser babaca, atordoado e abobalhado. A economia do mundo está desacelerada por causa do coronavírus, isso, além da roubalheira de mais um trilhão de reais pela quadrilha esquerdalha são os maiores entraves da alavancagem da economia brasileira. Mais nada. As engrenagem da economia estão até bem azeitadas, restando ainda, segurança jurídica e umas reformas. Só após essas mudanças, iremos ter condições perfeitas e ideais para os investidores. O resto é tolice de de babaca petralha liso e desinformado, que serve de massa de manobra pra ladrões de dinheiro público.

    • IBMENDONCA disse:

      Pipipipipipi
      Minion detectado!!!!

Cid Gomes tem alta de UTI e é transferido para enfermaria

Foto: Wellington Macedo/Estadão Conteúdo

O senador licenciado Cid Gomes, baleado nesta quarta-feira, 19, na cidade de Sobral (CE) durante protesto de policiais, teve na manhã desta quinta-feira alta hospitalar da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Coração daquela cidade. Gomes foi transferido para a enfermaria.

De acordo com boletim médico, Cid Gomes deu entrada naquela unidade hospitalar, “vítima de ferimento por arma de fogo no hemitórax esquerdo” e após o atendimento inicial seu quadro clínico evoluiu sem intercorrências, mantendo-se “hemodinamicamente estável e com padrão respiratório normal, não mais necessitando de cuidados de terapia intensiva”.

Estado de Minas

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Alguém sabe explicar por que motivo Cid Gomes tirou licença do mandato de senador pelo Ceará? Pelo visto ele estava muito saudável e atuante, inclusive comprando briga com a polícia.

    • João Maria disse:

      Cigano Lulu, no mínimo o porra loca do senador Cid Gomes deve estar cumprindo o acordo com o 1° suplente Prisco Bezerra do PDT, para ele pedir afastamento só pode ter sido uma contribuição muito grande a campanha de Cid, e tem mais nós estamos pagando o salário de mais um senador parasita, pois aparentemente o senador Cid não tem problema nenhum para pedir afastamento do seu mandato, isso aí é um CABARÉ CHAMADO CONGRESSO NACIONAL E NOIS COMO SEMPRE TOMANDO NO FIOFÓ. Um abraço.

    • Ceará-Mundão disse:

      A análise é essa mesmo. Acordo político com o suplente que, normalmente, entra com dinheiro na campanha.

    • Ojuara disse:

      Vcs todos estão certo, só esqueceram um detalhe, esse pequeno período que o senador Prisco vai ocupar o cargo, irá lhe garantir uma gorda aposentadoria. Isso é uma zona.

  2. Bezerra disse:

    Pega o doido!!!

Atividade do comércio tem alta de 2% em 2019, diz Serasa

Foto: Agência Brasil/EBC

A atividade no comércio registrou alta de 2% em 2019, segundo levantamento divulgado hoje (22) pela Serasa Experian a partir das consultas ao seu banco de dados. Na comparação entre dezembro do ano passado e o mesmo mês de 2018, foi registrada alta de 3,9%.

O aumento da atividade no ano foi puxada pelo setor de veículos e autopeças, que teve alta de 8,4% no ano e pelo ramo de material de construção, com elevação de 4,6% em 2019. O setor de supermercados teve alta de 0,6% . Enquanto acumularam ao longo do ano pequenas quedas os setores de vestuário e acessórios (0,6%) e moveis, eletrodomésticos e eletreletrônicos (0,4%).

Também foi verificada uma alta na atividade do comércio no último Natal de 4,1% em relação ao período de 18 a 24 de dezembro de 2018.

Segundo o economista da Serasa Luiz Rabi, a queda na taxa de juros melhorou o acesso ao crédito. Ao longo de 2019, a taxa básica de juros (Selic) caiu de 6,% para 4,5% “Além disso, com o 13° salário e os saques do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, há um aumento pontual da renda da população, que acabou gerando um bom desempenho”, explicou.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. E. costa disse:

    Terraplanistas na área!!🙊👉💩👈

  2. Jair disse:

    Kkkkkkkkkkk não cobre nem a inflação oficial do período q foi de 4,6%

    • Neco disse:

      Onde vc leu que é só crescimento nominal..? kkkk… hi-ho…hi-ho…. hi-ho….

    • Bil berg disse:

      E no período do PT??
      13 milhões de desempregados.
      Kkkkkkkkkk
      Kkkkkkkkk

    • Neco disse:

      Isso é calculado além da inflação…. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

    • Antônio disse:

      Só para para refrescar a memória curta dos esquerdistas, em 2015, a Dilma ainda governou o ano inteiro, e a inflação anual foi de 10,67% e o PIB teve uma retracão de 4, 35%. Imagina se essa quadrilha ainda estivesse no poder. Seríamos a Venezuela 2. Deus nos livre!

  3. Neto disse:

    Todos os dias a PeTralhada sofre! São muitas notícias positivas na economia brasileira, panorama bem diferente da gestão da estocadora de ventos que eles tanto veneram. A máxima "aceite que dói menos" continua valendo! Caso contrário, vale lembrar que suco de maracujá está em promoção em algumas casas do ramo.

Governo aumenta para 2,40% previsão de alta do PIB em 2020

 Foto: Adriano Machado / Reuters

O Ministério da Economia elevou nesta terça-feira (14) a sua previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,32% para 2,40% em 2020. A projeção esta no Boletim Macrofiscal, divulgado pela Secretaria de Política Econômica.

Para o ano de 2019, cujo resultado ainda não foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a previsão da área econômica de crescimento passou de 0,90% para 1,12%.

O mercado financeiro, por sua vez, estima uma alta de 1,17% para o PIB de 2019, de 2,3% para 2020 e de 2,5% para 2021. As previsões foram colhidas pelo Banco Central na semana passada, em pesquisa com mais de 100 instituições financeiras.

“No segundo semestre de 2019, a economia brasileira apresentou sinais mais fortes de recuperação do ritmo de crescimento da atividade. Houve aumento do emprego e da renda, com consequente redução da taxa de desocupação”, informou o Ministério da Economia.

De acordo com a área econômica, as reduções da taxa básica de juros, atualmente na mínima histórica de 4,5% ao ano, devem começar a produzir efeitos na atividade econômica no primeiro semestre deste ano, “especialmente a partir do segundo trimestre”.

Inflação

Segundo o estudo da Secretaria de Política Econômica, a previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial, a expectativa para este ano passou de 3,53% para 3,62%.

Na semana passada, o mercado financeiro estimou um IPCA de 3,58% para 2020.

A expectativa de inflação do mercado para este ano segue abaixo da meta central, de 4%. O intervalo de tolerância do sistema de metas varia de 2,5% a 5,5%.

A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic).

No ano passado, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do Brasil, fechou em 4,31%, acima do centro da meta para o ano, que era de 4,25%. Foi a maior inflação anual desde 2016.

Dívida pública

O secretário-especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, informou que a área econômica passou a projetar uma dívida pública menor, na proporção com o Produto Interno Bruto (PIB), nos próximos anos.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gilvan disse:

    Em 2017 os economistas alardeavam que o Brasil melhoraria em 2018,a melhora não veio,depois falavam que a grande melhora viria em 2019,também não veio,agora projeta que 2020 será ótimo vamos ver.Combustivel aumentou mensalmente,planos de saúde subiram,carne aumentou,a reforma trabalhista não gerou empregos,a reforma da previdência é um fiasco,temos um governo mandado por um ministro,que está perdido,não temos muito o que esperar para 2020.

    • Raimundo disse:

      Não sei porque Maduro não convida Lula, Haddad ou Ciro para melhorar a economia da Venezuela, já que os três são "ótimos" administradores…

  2. Piano disse:

    CHUPA LULA!

Bolsonaro recebe alta após passar a noite em hospital de Brasília em decorrência de queda no banheiro

Foto: Reprodução/Globo News

O presidente Jair Bolsonaro recebeu alta hospitalar na manhã desta terça-feira (24), informou por meio de nota a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

De acordo com a nota, o presidente passou por uma reavaliação médica e teve alta com orientação de repouso na residência oficial do Palácio da Alvorada.

Bolsonaro foi levado para o Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, na noite desta segunda-feira (23), depois de bater a cabeça ao sofrer uma queda no banheiro, segundo informou o ministro da Cidadania, Osmar Terra.

De acordo com o Palácio do Planalto, o presidente foi submetido a um exame de tomografia computadorizada do crânio, que não detectou alterações. Ele passou a noite em observação.

Durante o dia, na segunda-feira, Bolsonaro recebeu no Palácio da Alvorada o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Ele também assinou o indulto de Natal, pelo qual concedeu perdão da pena para policiais e militares condenados por crimes culposos (praticados no exercício da função, sem intenção de matar) e para detentos com problemas graves de saúde, como câncer, doenças raras ou Aids, ou que se tornaram deficientes físicos após os crimes.

Nota

Leia abaixo a íntegra de nota divulgada na manhã desta terça-feira pela Secretaria de Comunicação da Presidência:

NOTA

O presidente Jair Bolsonaro passou a noite no Hospital das Forças Armadas, sem intercorrências no período.

Foi reavaliado pela equipe médica , tendo recebido alta hospitalar com orientação de repouso no Palácio da Alvorada.

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Naldinho disse:

    Depois dos exames foi constatado que ele não tem nada na cabeça.

  2. Pedro disse:

    Diabao, poderia até ser minion……kkkkk essa pecha não me diminuiria, mais não sou para o seu deleite, certeza disso. E que também não sou é noiado e burro, vcs petistas comem estético na estreará de nove dedos, deviam ter vergonha por tanta burrice. Teu caciqu tesudo está suspirando em estertores, não continue pagando esse mico.

  3. Marco58 disse:

    provérbio antigo dos meus bisavós, vaso ruim não quebra. .

  4. JUNIN disse:

    MAGOTE DE BABA OVO DA PORRA ….!!! BOLSONARO TÁ MANDANDO RACHADINHA PRO RN É ???? HOMI VAO TRABALHAR….

  5. Pedro disse:

    Caro senhor Luiz António, qual foi a Universidade da área de saúde que o senhor cursou? Não quero nem saber o curso, se vc é da área, quero passar longe de vc é dos seus colegas, se bem que algum pode ter aprendido algo.
    1. Nem toda agressão por arma branca gera sangue visível, isso depende de diversos fatores.
    2. Assim como, nem todo traumatismo encefálica gera hematoma, o que, da mesma forma depende de diversos fatores.
    Vc para fazer comentários bobos devia saber que para ser ladrão, não precisa assinar nada, mais o roubo existiu…..kkkkk , vc é um analfabeto petista, daqueles que acredita no que não sabe.
    .

  6. Aluizio disse:

    Luiz antonio, não gostar da ideologia do cara tudo bem, agora ignorar os acontecimentos , e ainda zombar, em pleno natal, vc não tem família, que coração e esse, meu Deus, a q ponto chegou o ser humano

  7. Luiz Antonio disse:

    Facada sem sangue e queda sem hematoma… o objetivo é estar na mídia.

  8. Bento disse:

    Olho gordo dos comunistas.
    Mas tem livramentos do dono do universo

Alta no preço da carne pressionará inflação só até fim do ano, prevê Banco Central

Foto: Holger Langmaier/Pixabay

A ata do Copom (Comitê de Política Monetária) divulgada na terça-feira (17) pelo BC (Banco Central) trouxe uma informação que pode representar um alívio para o brasileiro que não dispensa um pedaço de carne nas refeições do dia a dia.

A alta no preço da carne, impulsionada pelas exportações para a China, ficará concentrada apenas em novembro e dezembro de 2019, não impactando nas projeções para a inflação em 2020, afirma o documento, que explica quais foram as variáveis analisadas na última reunião do ano e traz pistas para o mercado fazer suas próprias projeções.

“Os economistas do Banco Central estão apostando que o reajuste no preço da carne é algo passageiro. E, de fato, é uma tendência natural de mercado que exista uma demanda muito grande em um determinado período e depois ocorra o desaquecimento”, diz Ricardo Teixeira, coordenador do MBA de Gestão de Financeira da FGV (Fundação Getulio Vargas).

Para o economista, o Brasil tem condições de atender tanto o mercado interno quanto o externo. “O preço pode até subir um pouco nos próximos meses, mas depois vai estabilizar e ficará num nível administrável”, comenta.

No final de dezembro, o quilo da carne bovina era cotado a R$ 15,79, segundo levantamento feito pelo Cepea/Esalq/USP (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

Esse valor refere-se ao quilo da carcaça casada dianteiro (carne de segunda), traseiro (carne de primeira) e a ponta de agulha (costela).

Thiago Bernardino Carvalho, pesquisador de pecuária do Cepea, diz que 80% da carne produzida no Brasil é consumida pelo mercado interno.

“Em cada cinco bifes produzidos, quatro ficam por aqui. O aquecimento do mercado interno dependerá do fortalecimento da nossa economia”, afirma Carvalho.

O pesquisador conta que a oferta de carne bovina estava mais restrita no Brasil, principalmente no segundo semestre.

“Somada uma oferta restrita com uma demanda forte da China, consequentemente houve aumento nas exportações e gerou um reflexo por aqui.”

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Flávio Laranjeiras disse:

    E depois morreu e foi para o céu, é assim?…..conversa sem pé nem cabeça

Vendas de veículos têm alta de 8,3% de janeiro a novembro

Foto: Agência Brasil/EBC

As vendas de veículos chegaram a 2,53 milhões de unidades de janeiro a novembro, o que representa uma alta de 8,3% na comparação com o mesmo período do ano passado. Em novembro, o número de licenciamentos chegou a 242,3 mil, correspondendo a uma queda de 4,4% ante outubro e elevação de 4,9% ante novembro do ano passado.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (5) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

A produção aumentou 2,7% no acumulado do ano, com 2,77 milhões de unidades saindo das fábricas. Já na comparação de novembro com outubro houve queda de 21,2%, e em novembro foram fabricadas 227,5 mil unidades ante as 288,5 mil de outubro. Quando comparado com novembro do ano passado a queda foi de 7,1%.

As exportações registram queda de 33,2% no acumulado de janeiro a novembro, com a comercialização de 399,2 mil unidades no mercado externo. No mesmo período do ano passado, as vendas para o exterior totalizaram 597,5 mil veículos. Em novembro, a retração ficou em 7,9% em comparação com o mesmo mês do ano passado, com a exportação de 34,4 mil veículos.

De acordo com o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, os números confirmam a tendência prevista para o ano de 2019. “Estamos com crescimento de quase 9% no acumulado do ano e a nossa expctativa é a de que essa tendência se confirme com o mês de dezembro indicando que o mercado interno de veículos pode atingir 2,8 milhões de veículos neste ano, com crescimento de 9,1%.”

Com relação a 2020 Moraes avalia que pode haver crescimento, considerando a expectativa do crescimento de Produto Interno Bruto (PIB) entre 2% a 2,5%, inflação sob controle e redução da taxa de juros, propenção dos bancos a financiar, indice de inadimplência sob controle.

“Para as exportações não vemos um grande crescimento em 2020. Argentina é o nosso maior mercado e ainda está em uma situação complexa com inflação alta, juros alto, um novo governo tomando posse. Vemos provavelmente uma establididade nas exportações para 2020.”

Emprego

O nível de emprego teve retração de 3,7% em novembro deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado, com 131,3 mil pessoas trabalhando no setor. No acumulado do ano houve queda de 1% no número de postos de trabalho.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. aof disse:

    Poucos comentários. Contra números não há argumentos. Mas noticia boa não dá Ibope.

  2. Boi disse:

    Chupa Lula
    Kkkķ

Pesquisa indica alta de 4,6% do mercado de trabalho no Brasil, aponta levantamento do IBGE

Foto: Marcelo Camargo

O mercado de trabalho brasileiro registrou 90,1 milhões de pessoas ocupadas com idade igual ou superior a 14 anos. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é uma recuperação da queda anotada há três anos.

Entre 2012 e 2015, o crescimento médio anual foi de 1,2%. A trajetória foi interrompida em 2016, quando houve queda de 1,0%. Em 2017, se manteve estável para, em 2018, subir um pouco: 1,5%. Entre 2012 e 2018, a alta ficou em 4,6%.

Embora as mulheres representem mais da metade da população em idade para trabalhar (52,3%), cabem aos homens a maior parcela de trabalhadores: 56,7%. A participação masculina supera a feminina em todas as regiões do país.

Em 2018, o Sudeste anotou a maior participação feminina na ocupação atingindo 44,6%. Entretanto, se for observado o período de seis anos, em relação a 2012, o Nordeste teve o maior avanço no percentual de mulheres ocupadas, passando de 39,8% em 2012, para 42,1% em 2018.

Os dados fazem parte da avaliação dos rendimentos de todos os tipos de trabalho e de outras fontes de pessoas residentes no Brasil, incluída na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNAD Contínua) Rendimento de Todas as Fontes 2018, divulgada, hoje (16), no Rio de Janeiro, pelo IBGE.

Rendimentos

A diferença entre homens e mulheres fica clara também quando se analisam os rendimentos de cada grupo. Em 2018, o rendimento médio mensal real de todos os trabalhos ficou em R$ 2.234,00. Enquanto os homens alcançavam R$ 2.460,00, as mulheres não passavam de R$ 1.938,00.

Segundo o IBGE, isso indica que a proporção do rendimento das mulheres em relação ao dos homens chegou a 78,8%.

Para a gerente da PNAD, Maria Lúcia Vieira, já é histórica a questão de diferença de rendimento entre homens e mulheres. “Se manteve em 2018 na comparação com 2017. A gente está pegando todos os rendimentos de mulheres e homens ocupados e está vendo a média que ainda é uns 20% abaixo”, disse.

Cor e raça

A pesquisa indica ainda que, em 2018, a população branca somou 45,2% da população ocupada. A parda era de 43,5%, mas a preta era bem menor (10,1%). Na comparação com 2012, a banca diminuiu 3,7 pontos percentuais, ao contrário da preta que cresceu 2,0 pontos percentuais, e da parda com alta de 1,3 ponto percentual.

Com rendimento médio mensal real de todos os trabalhos de R$ 2.897,00, em 2018, as pessoas brancas apresentaram rendimentos 29,7% superiores à média nacional: R$ 2234,00.

As pessoas pardas com R$ 1.659,00 eram 25,7%, e as pretas com rendimento de R$ 1.636,00 representavam 26,8%. Na visão de Maria Lúcia, esta é mais uma questão histórica que se verifica com a diferença de vencimentos.

“A mesma coisa em relação à cor. A gente percebe que a população branca tem rendimentos superiores na ordem de dois mil e poucos reais, enquanto a população preta e parda está na ordem de R$ 1,6 mil. Então essa população preta e parda percebe, ainda, salários inferiores ao da população branca”, afirmou.

Escolaridade

Em relação a 2012, o maior crescimento no nível de instrução deu-se no ensino superior completo. Passou de 14,8% da população ocupada para 20,3% em 2018.

Neste ano, as pessoas com ensino médio completo eram 59,3%, o que representou um crescimento, uma vez que, no ano anterior, tinha-se 57,4%. Ainda no total de ocupados, 25,8% se referiam aos sem instrução ou com ensino fundamental incompleto. Em 2017 eram 27,1%. “É um reflexo da distribuição de escolaridade da população como um todo”, disse.

A pesquisa mostra ainda que, em relação à escolaridade, o nível de instrução foi determinante para o rendimento médio mensal real de todos os trabalhos, indicando que, quanto maior o nível de instrução, maior é o rendimento.

Conforme a PNAD Contínua Rendimento de Todas as Fontes 2018, as pessoas que não possuíam instrução recebiam R$ 856, o menor rendimento médio registrado.

Quem tinha ensino fundamental completo ou o equivalente, houve um valor 67,8% maior, e alcançou R$ 1.436,00. Mas, para o ensino superior completo, o rendimento médio (R$ 4.997) era, aproximadamente, três vezes maior dos com ensino médio e cerca de seis vezes para os sem instrução. “A relação entre rendimento do trabalho e escolaridade é relação positiva”, completou a pesquisadora.

Agência Brasil