Banco do Brasil anuncia plano de reorganização que inclui programa de demissão voluntária

Foto: Arquivo

O Banco do Brasil anunciou nesta segunda-feira uma reorganização institucional que prevê um programa de demissão voluntária (PDV) e a transformação de 333 agências em postos de atendimento avançado. O plano foi aprovado pelo Conselho de Administração do banco, e as medidas serão implementadas ao longo do segundo semestres de 2019.

Não foram divulgados detalhes do PDV nem e meta de corte de vagas. Segundo comunicado distribuído ao mercado, os funcionários “que reúnam as condições estabelecidas no regulamento poderão aderir a um plano de desligamento incentivado”, que foi batizado de Programa Adequação de Quadros (PAQ).

Segundo o BB, o programa visa a equacionar “as situações de vagas e de excessos nas unidades” da instituição. O impacto financeiro do programa será divulgado até o final de agosto, diz o comunicado.

O banco também anunciou a criação da Unidade Inteligência Analítica, que acompanhará o desenvolvimento de técnicas, ferramentas e inovações que utilizam soluções com inteligência analítica e inteligência artificial, com objetivo de acelerar o desenvolvimento digital do BB.

O comunicado do banco também diz que, para aumentar a eficiência operacional, serão criadas 42 novas Agências Empresas, até outubro, transformadas 333 agências em Postos de Atendimento Avançado (PAA) e outros 49 PAAs em agências.

“O Banco do Brasil reitera que estas e outras iniciativas se alinham ao propósito de ampliar a competitividade, por meio da transformação digital e do dinamismo do modelo de atendimento e relacionamento”, diz a nota.

O Globo

 

Banco do Brasil anuncia novos vice-presidentes; Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo substitui João Maia

banco-do-brasil-originalO Banco do Brasil anunciou nesta sexta-feira (4) a nomeação de dois novos vice-presidentes para as áreas de Serviços, Infraestrutura e Operações e também Agronegócios e Micro e Pequenas Empresas. As duas vice-presidências estavam sem comando desde a metade do ano.

Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo, que foi diretor do Banco Central e era até então secretário de política econômica do ministério da Fazenda, passará a comandar a área de Serviços, Infraestrutura e Operações do banco. O novo vice-presidente também já foi executivo do grupo J&F, controlador da JBS.

Ele substitui João Maia, presidente do PR no Rio Grande do Norte, que deixou o cargo em junho, quando venceu seu mandato. Maia não poderia continuar na diretoria devido à nova lei das estatais, que proíbe a nomeação de dirigentes políticos para cargos em empresas públicas.

A diretoria é recente e tradicionalmente ocupada por executivos de perfil político. Antes de Maia, César Borges estava no cargo.

Já a vice-presidência de Agronegócios e Micro e Pequenas Empresas será comandada por Tarcísio Hübner. Ele é funcionário de carreira do banco há 35 anos e exercia o cargo de Diretor de Distribuição desde abril. Substitui Osmar Terra, que deixou o cargo em julho.

Folha Press