“Você tem a impressão de que a Suprema Corte não gosta de mim?”, ironiza Trump, após programa de proteção a filhos de imigrantes em situação irregular ser mantido

Foto: NICHOLAS KAMM / AFP

Em uma das mais duras derrotas sofridas pelo presidente Donald Trump na Suprema Corte, a Justiça derrubou seus planos de acabar com um programa que protege da deportação jovens filhos de imigrantes em situação irregular nos Estados Unidos.

Numa decisão apertada, por cinco votos a quatro, os juízes deram razão às decisões judiciais em instâncias inferiores, considerando “arbitrária” a posição defendida pelo Departamento de Segurança Interna, que em 2017 defendeu o fim do programa conhecido como Ação Diferida para Chegadas na Infância (Daca, na sigla em inglês).

Ao comentar a decisão, Trump disse no Twitter que “essas decisões horríveis e politicamente carregadas vindas da Suprema Corte são tiros de escopeta na cara de todas as pessoas que se orgulham de serem chamadas republicanas ou conservadoras. Precisamos de mais juízes ou perderemos nossa segunda emenda e tudo mais”, e pediu que as pessoas votem nele em novembro.

Depois ironizou:

“Você tem a impressão de que a Suprema Corte não gosta de mim?”

Foi a segunda derrota do presidente na Suprema Corte em menos de uma semana: na segunda-feira, o tribunal decidiu ser ilegal demitir uma pessoa porque ela é homossexual ou transgênero.

Proteção legal

Criado em 2012 pelo então presidente Barack Obama, a Daca era uma espécie de proteção a pessoas que entraram irregularmente nos EUA quando ainda eram crianças, muitas vezes acompanhadas pelos pais. O plano prevê a concessão de um visto que permite estudar e trabalhar por dois anos, com possibilidade de renovação, muito embora não sirva de garantia para a regularização migratória ou mesmo a residência permanente.

Para ter acesso ao benefício, a pessoa tem que ter chegado aos EUA com menos de 16 anos, vivido no país de forma ininterrupta por um determinado período, não ter antecedentes criminais e ter pelo menos o Ensino Médio ou ter servido nas Forças Armadas. O programa foi uma forma do governo Obama colocar em prática um projeto de lei apresentado em 2001, o Ato de Desenvolvimento, Apoio e Educação para Menores Imigrantes, que jamais foi aprovado no Congresso.

Por conta da sigla em inglês desse projeto, “DREAM”, as pessoas que foram aceitas na Daca passaram a ser chamadas de “Dreamers”, “sonhadores” em inglês. Estima-se que 700 mil pessoas tenham sido beneficiadas.

Ataque contra Daca

Contudo, ao assumir a Presidência em 2017, o presidente Donald Trump disse que iria suspender a Daca, como parte de sua ampla proposta de revisão do sistema migratório dos EUA.

Em setembro daquele ano, em um memorando de apenas uma página, o então secretário de Justiça, Jeff Sessions, afirmou que a Daca era inconstitucional, e que deveria encerrá-la para evitar ser alvo de processos — um deles, liderado pelo Texas, defendia que o programa deveria ser imediatamente fechado. Por outro lado, 15 estados e o Distrito de Columbia, onde fica a capital, Washington, entraram com uma ação contra o presidente.

Mas a visão da Casa Branca não encontrou respaldo na Justiça: tribunais consideraram que o governo, ao derrubar a Daca, violava as leis federais que regem a elaboração de políticas públicas, dando razão a grupos de defesa dos imigrantes.

Enquanto uma decisão definitiva não era tomada, milhares de pessoas foram colocadas em uma espécie de limbo, sem saber se poderiam ficar nos EUA ou se seriam deportadas. Muitos dos “dreamers” chegaram ao país ainda bebês, e não guardam qualquer laço com seus países de origem, sem contar o fato de já terem uma vida estabelecida na sociedade americana. Muitos chegaram a lutar em conflitos como no Afeganistão e no Iraque.

O caso chegou à Suprema Corte no ano passado, tendo como base duas questões: se as decisões das instâncias inferiores têm o poder de revisar uma decisão de Trump e se o governo deu razões suficientes para pôr fim ao programa. Como se viu hoje, a decisão foi contrária às intenções de Trump.

Depois da Justiça, a questão retorna ao Congresso, que há quase duas décadas debate a medida, algo que pode se tornar mais um tema delicado para os republicanos. A Daca é um programa que tem grande aprovação entre os americanos, mas, ao mesmo tempo, se insere em um dos pilares da candidatura de Trump, a imigração.

Isso põe ainda mais pressão sobre os governistas que também buscam permanecer em seus cargos na Câmara e no Senado, e que enfrentam problemas relacionados à visão do público sobre Donald Trump, hoje com taxas de aprovação em queda livre.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raimundo disse:

    O esquerdismo incentivado a invasão em massa de imigrantes ilegais.
    Sempre arranjam desculpas.

  2. Jailson disse:

    Maurício Macri já foi…
    Trump está indo…
    Bolsonaro tá bem ali…

Falhas de segurança: Auxílio emergencial empresário Luciano Hang coloca programa em xeque

FRAUDADO — Hang, dono da rede de Lojas Havan: CPF do empresário foi usado por estelionatários no programa do auxílio emergencial Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Menos de 20 dias depois da polêmica do filho do apresentador William Bonner constar na base de dados do auxílio emergencial, o programa de transferência de renda do governo para trabalhadores informais — principal medida de combate aos danos econômicos causados pela pandemia de coronavírus —, está no centro de um novo escândalo: o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, é um dos 55 milhões de beneficiários do chamado ‘coronavoucher’. Hang não é nem informal e muito menos de baixa renda, já que é listado como um dos bilionários do país na lista da revista Forbes. Logo, o pagamento do auxílio emergencial no nome e no CPF do empresário, mostra, mais uma vez, as gritantes falhas de segurança do sistema de concessão do benefício. As seguidas fraudes colocam em xeque a funcionalidade do programa mais celebrado da pandemia pelo executivo e acendem um alerta sobre a fragilidade dos bancos de dados do governo.

Luciano Hang, aliado de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro, tomou conhecimento que seu nome estava na base de dados do auxílio emergencial, inclusive com parcelas já pagas, nesta terça-feira, 2, após o vazamento de dados pessoais do empresário e de autoridades pelo grupo de hackers Anonymous, que tornou pública informações sigilosas na segunda-feira. Em uma publicação no Twitter atribuída ao grupo, hackers tentaram usar o nome, CPF, data de nascimento e o nome da mãe do empresário para cadastrá-lo no auxílio emergencial. Porém, ao preencher os dados, o sistema da Caixa informa que Hang já estava cadastrado e recebeu a primeira parcela de 600 reais do programa. Em nota, o empresário condena o vazamento de dados pelo Anonymous e pede investigações a Polícia Federal tanto pela divulgação de suas informações pessoais como no cadastro indevido ao auxílio.

O auxílio emergencial é, pela lei, concedido a trabalhadores informais (ou seja, sem registro em carteira), microempreendedores individuais, autônomos que contribuem para o INSS e também beneficiários do Bolsa Família. O principal requisito do programa é ter renda de até meio salário mínimo (522,50 reais) ou até três salários mínimos na família (3.135 reais). Além de não ter contrato, o pleiteante não pode ser aposentado ou pensionista, receber seguro-desemprego ou ser funcionário público. Quem não é cadastrado no CadÚnico ou recebe Bolsa Família precisa se inscrever em um aplicativo da Caixa Econômica. Os dados do cadastro são passados para a Dataprev, que é quem deve verificar se aquele CPF têm direito ao auxílio. A empresa de tecnologia do governo cruza os dados informados na porta de acesso ao auxílio emergencial com 17 bancos de dados, entre eles o Cadastro Nacional de Informações Sociais (Cnis), onde há dados de contribuições previdenciárias e benefícios recebidos. Também são checados bancos de dados de vínculos empregatícios e da Receita Federal. A função desses cruzamentos é identificar se o candidato ao benefício faz realmente jus ao benefício. Depois do cruzamento, os dados são enviados ao Ministério da Cidadania, que é quem dá o aval definitivo para o pagamento e, só depois o CPF é liberado para a Caixa. Se tiver renda maior, por exemplo, há o bloqueio. Porém, a prática não funciona como a teoria. É gravíssimo que um sistema cheio de fases — inclusive com a homologação feita pelo Ministério, permita esse tipo de fraude.

O governo afirma que os dados informados são de responsabilidade do pleiteante e que, tentativas de burlar a legislação do auxílio estão sujeitas a devolução do auxílio. No entanto, indícios de crime são comunicados a Polícia Federal. “A CGU e a Advocacia-Geral da União (AGU) também estão atuando na fiscalização e no ajuizamento de ações, respectivamente, em todo o processo de pagamento do auxílio emergencial. É determinação do governo do presidente Jair Bolsonaro não tolerar a ação de criminosos que queiram burlar as regras do auxílio emergencial”. Ao ser questionado pelo caso do filho de Bonner, o Ministério da Cidadania afirmou que trabalhava para disponibilizar o nome de todos os beneficiários do programa no Portal da Transparência. Nesta terça-feira, a promessa foi novamente feita, mas novamente com o prazo para “os próximos dias”. A pasta também ressalta um site para que pessoas que receberam o auxílio indevidamente possam devolver os recursos aos cofres públicos, porém não informa o quanto já foi devolvido.

A ineficiência do pagamento do auxílio emergencial levanta questionamentos sobre a ampliação do ‘coronavoucher’ em um momento que o governo decide se abre mais os cofres públicos para pagamento de parcelas emergenciais do auxílio. O Ministério da Economia já admite cálculos para saber quantas parcelas e qual o valor pode ser pago. Até o momento, o governo já disponibilizou 154 milhões para o pagamento das três parcelas do auxílio emergencial e, ampliar, aumenta ainda mais o rombo nas contas públicas. Pelo grande impacto econômico, é fundamental que a transferência de renda seja segura, isto é, chegue nas mãos de quem precisa, e não fonte de golpes entre espertalhões. Quem perde com tudo isso é o país, que desampara os vulneráveis e tem sua capacidade de políticas públicas eficientes cada vez mais questionadas.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zé Ninguém disse:

    Pelo que vejo, trocaram os corruptos de Lula pelos de Bolsonaro. Fazem uso do dinheiro público para fortalecimento político.

  2. Santos disse:

    Não sou defensor do governo, pelo contrário acho que a pior escolha que o país fez na história, colocar esse presidente, no entanto, o erro não é do sistema, mas da falta de caráter de muitas pessoas. No Fantástico do último domingo, mostrou que cerca de 150 mil brasileiros que moram em Portugal deram entrada no auxílio emergencial.
    Será possível?
    O Brasileiro só quer ser Pelé, ninguém quer ser Ronaldinho.

  3. Marcelo disse:

    Rindo até 2022 …kkkkkkkkkkkkkkkk

  4. Roberto Cesar disse:

    Por favor, onde encontro a lista dos beneficiados? Favor postar o endereço. Desde já agradeço.

  5. Observando disse:

    Quem reclamava que o bolso familia tinha e tem fraudes………olha aí a esculhambação. Demita esse Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, digo Ministro Cidadania. Sei la qual cadeira esse comunista ta.

Secretaria de Relações Internacionais da UFRN avisa que estão abertas as inscrições para programa de bolsas de estudo na Irlanda

A Secretaria de Relações Internacionais (SRI/UFRN) avisa que estão abertas as inscrições para o programa de bolsas de estudo do governo irlandês. O Government of Ireland International Education Scholarships Programme (GOI-IES) aceita inscrições de quaisquer estudantes de países não pertencentes à União Europeia em todos os campos de estudo. As inscrições ocorrem até 27 de março.

Estão sendo ofertadas 60 bolsas, com início em setembro e outubro de 2020, para um ano de estudos na Irlanda, contemplando o último ano de um curso de graduação, um ano de um programa de mestrado ou um ano de um programa de pesquisa (mestrado ou doutorado).

Para a candidatura, o aluno interessado deve ser aprovado em uma instituição de ensino superior irlandesa qualificada, ter criatividade e habilidades de comunicação, além de engajamento em atividades extracurriculares, como trabalho humanitário, política local/ nacional/internacional, artes e esportes, por exemplo.

Os estudantes selecionados terão isenção total de todas as mensalidades e outros custos na instituição de ensino superior e receberão 10 mil euros para despesas de moradia e alimentação.

As inscrições devem ser feitas pelo portal. Para mais informações, basta acessar o site do programa. As dúvidas podem ser encaminhadas para o e-mail [email protected].

Além disso, é necessário lembrar que, para a candidatura do estudante para o processo de mobilidade, o aluno interessado deve se inscrever no edital de mobilidade da Secretaria de Relações Internacionais da UFRN, a ser disponibilizado nas próximas semanas na página de editais da SRI.

Com informações da UFRN

Com orçamento de R$ 220 milhões, MEC lança programa para aprimorar alfabetização

Foto: © Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) lançou nessa terça-feira (18) o programa Tempo de Aprender, voltado para o aperfeiçoamento, o apoio e a valorização a professores e gestores escolares do último ano da pré-escola e do 1º e 2º ano do ensino fundamental. O programa tem um orçamento de mais de R$ 220 milhões e foi construído com base em um diagnóstico realizado pelo MEC no qual foram detectadas as áreas da alfabetização que necessitam de mais investimentos.

Segundo esse diagnóstico, as áreas que estão mais carentes, e consequentemente, receberão mais investimento do Tempo de Aprender são a formação pedagógica e gerencial de docentes e gestores; materiais e recursos para alunos e professores; e acompanhamento da evolução dos alunos.

O programa será implementado por meio da adesão de estados, municípios e do Distrito Federal, que podem manifestar interesse pelo site alfabetizacao.mec.gov.br.

Ações

Entre as ações previstas pelo projeto Tempo de Aprender estão um curso, com versões on-line e presencial, para proporcionar aos docentes a aquisição de conhecimentos, habilidades e estratégias que os auxiliem a lidar com os desafios postos pelo ciclo de alfabetização feito em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG) e um curso para auxiliar gestores educacionais, como diretores e coordenadores pedagógicos, também com previsão presencial e on-line, oferecida pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap).

Também está prevista o lançamento do Sistema On-line de Recursos para Alfabetização (Sora) para dar suporte a professores da rede pública em todo o país. A ferramento foi desenvolvida pelo Laboratório de Tecnologia da Informação e Mídias Educacionais (Labtime), da UFG, e permitirá o acesso a recursos pedagógicos, como estratégias de ensino, atividades e avaliações formativas, com respaldo em práticas exitosas de alfabetização.

Outra ação do eixo é o fornecimento de apoio financeiro para despesas de custeio de escolas para atuação de assistentes de alfabetização, profissionais que auxiliam os professores no manejo da sala. O MEC vai destinar R$ 183 milhões para a iniciativa. Os repasses ocorrerão de acordo com o calendário oficial e deverão atender prioritariamente escolas em situação de vulnerabilidade.

O programa prevê também a reformulação do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) para a educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental.

Também será implementado o Estudo Nacional de Fluência, que irá fornecer às redes de ensino uma ferramenta de diagnóstico de fluência em leitura oral para alunos do 2º ano do ensino fundamental. O estudo será aplicado no fim de 2020 para todas as redes que aderirem ao programa Tempo de Aprender.

O MEC também ainda, por meio do novo programa, realizar a reformulação das provas do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) voltadas à alfabetização. O intuito é adequar as avaliações do Saeb aos componentes essenciais para a alfabetização e avaliar adequadamente o desempenho dos alunos em parceria com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O ministério ainda pretende valorizar os professores que conquistarem bons resultados, premiando o desempenho de professores, diretores e coordenadores pedagógicos do 1º e 2º ano do ensino fundamental com boas práticas e atividades na área. A medida será realizada, de forma experimental, em 2020, e será expandida em 2021.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lindacy Débora de Moura Dias disse:

    Gostaria de saber o que o MEC tem ou se ainda terá alguma proposta ou programa de valorização para os alunos e tbm professores que atuam na EJA (Ensino Fundamental ou Medio), por que até agora não vi nada nesse sentido.

  2. Andreilson disse:

    Deveria começar pelo próprio ministro, pois este não sabe nem escrever

Agricultura – (FOTOS): Prefeitura de São Gonçalo inicia atividades do programa corte de terra

Fotos: Divulgação

A Prefeitura de São Gonçalo, por meio da Secretaria Municipal de Agropecuária e Desenvolvimento Agrário (Semada) iniciou, nesta terça-feira (4), as atividades do programa corte de terra nas pequenas propriedades do município. As comunidades que tiveram o corte iniciado hoje foram Ladeira Grande, Rio da Prata, Poço de Pedra, Bela Vista, Genipapo e Guanduba. As comunidades de Uruaçu, Canaã e Serrinha, recebem o programa a partir de amanhã.

A expectativa é que o corte de terras atenda cerca de 900 agricultores do município, em 40 comunidade e povoados rurais. O investimento nas pequenas propriedades é de mais de R$ 165mil. Cada agricultor terá, em média, 2h de trabalho das máquinas em suas terras, totalizando mais de 1.800h do programa.

“O trator chegou em um momento ideal, antes do período das chuvas mais fortes, quando conseguimos adubar a terra de maneira mais eficiente. Para nossa comunidade, o benefício do corte de terra é essencial. A agricultura representa nossa sobrevivência”, afirma Francisco Cosme, mais conhecido como Chiquinho, morador de Ladeira Grande.

Corpo de Bombeiros Militar lança edital para o programa Bombeiro Mirim

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Norte (CBMRN) informa que no mês de fevereiro estarão abertas as matrículas para o ‘Programa Bombeiro Mirim 2020’. De 13 a 14 de fevereiro, das 08h às 17h, as inscrições serão presenciais apenas para os alunos veteranos. Para os novatos, as inscrições iniciais serão realizadas a partir do dia 17 de fevereiro, através de um questionário disponibilizado pelo site oficial do CBMRN.

As aulas estão previstas para o mês de março no Grupamento de Busca e Salvamento (GBS), e acontecerão nos seguintes dias: segundas, quartas e sextas-feiras e, eventualmente aos sábados quando necessário. Neste ano, serão disponibilizadas 54 vagas divididas entre o sexo masculino e feminino.

O Programa Bombeiro Mirim é uma iniciativa de sucesso, e tem como objetivo orientar e instruir corretamente as crianças de como agir em emergências, além de proporcionar uma maior integração entre a corporação, escola, família e a sociedade.

Requisitos

As vagas serão apenas para os candidatos que nasceram nos anos de 2007 e 2008;

Estudar em Escola Pública (se escola particular, preferencialmente na condição de bolsista);

Documentos necessários para inscrição

Cópia do RG e C.P.F do aluno e do responsável; cópia do comprovante de residência com CEP; declaração escolar; 01 (uma) foto 3×4; atestado de Aptidão Física; comprovação do tipo sanguíneo e fator RH; cópia do cartão do SUS; cópia do comprovante de residência dos pais ou responsáveis.

Local de matrícula para os alunos veteranos

Grupamento de Busca e Salvamento (GBS) – Av. Antônio Basílio, 1881 – Lagoa Nova, Natal – RN;

Importante: Não serão realizadas inscrições extemporâneas, nem com documentação incompleta;

Confira todas as informações no Edital do programa, clique aqui.

Auditoria constata indícios de sonegação de impostos em programa Restaurante Popular

Fotos: Divulgação

A Controladoria Geral do Estado e a Secretaria de Estado da Tributação renovaram, na manhã desta segunda-feira (13), os temos de cooperação técnica firmada em janeiro de 2019, responsável, entre outros feitos, pela minuta de criação do Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial do RN (Proedi). Uma série de auditorias também foi implementada ao longo do ano.

A mais recente constatou indícios de sonegação no programa Restaurante Popular a partir de notas fiscais pagas pelo Governo do Estado, mas que foram canceladas ou devolvidas pelos fornecedores, reduzindo os tributos federais e estaduais a serem recolhidos. A soma até o momento chega a R$ 15,9 milhões. “Essa soma deve aumentar uma vez que as investigações continuam”, ressalta o controlador-geral do Estado, Pedro Lopes.

Desse montante, R$ 1,58 milhão já foi reconhecido como valor sonegado de ICMS e será devolvido ao cofre estadual. O restante está em análise. Apenas uma empresa é responsável por R$ 10,6 milhões em notas fiscais canceladas ou devolvidas.

“Essa parceria com a SET foi extremamente proveitosa. Conseguiremos recuperar milhões de reais ao cofre do Executivo Estadual apenas com esta auditoria e pretendemos ainda dialogar com o Tribunal de Contas para também investigar as operações de pagamento realizadas pelos municípios potiguares”, adianta o controlador-geral.

Pedro Lopes lembra ainda que, a partir da parceria Control-SET também foi elaborado projeto de Lei Anticorrupção de Pessoas Jurídicas, entre outras ações contra a prática de corrupção, que se encontra atualmente na Assembleia Legislativa. E destaca também a elaboração do escopo do principal programa de incentivo industrial do Estado, o Proedi, que já atrai mais empresas, gerando renda ao Estado por meio de mais empregos.

“Seguiremos este ano com uma cooperação mais aprimorada e o mesmo objetivo de melhorar a arrecadação pela via indireta, primando pelo rigor na fiscalização das práticas tributárias ilícitas, seja por parte do poder público ou da iniciativa privada”, conclui.

ABC lança o Programa Sócio Mais Querido – Campeão das Multidões

O Departamento de Marketing definiu, junto à diretoria do Clube do Povo, os planos do Programa Sócio Mais Querido para a temporada 2020.

O Programa Sócio Mais Querido – Campeão das Multidões é o novo programa de sócio-torcedor do Alvinegro. Um plano que já nasceu campeão e homenageia a maior conquista do ABC e do futebol potiguar, o título de campeão brasileiro da Série C, que completa dez anos em 2020. O novo programa foi ajustado para melhor atender aos sócios abecedistas e traz descontos, promoções e benefícios especiais. Nos próximos dias, novos benefícios serão divulgados pelo Alvinegro

E tem novidade! Agora, o sócio torcedor que efetuar o pagamento da anuidade através do cartão de crédito poderá parcelar em até 12x.

Para adesão, acesse https://socio-abcfc.futebolcard.com/

Fique por dentro dos novos planos:

PLANO SÓCIO MAIS QUERIDO – CAMPEÃO DAS MULTIDÕES

Este plano já nasceu campeão! Uma linda e justa homenagem ao clube campeão do título mais importante do estado.

– Acesso à arquibancada em jogos do ABC como mandante
– Direito a voto nas eleições do clube
– Carteirinha personalizada
– Compra exclusiva pela internet
– Descontos na rede de parceiros do clube
– Desconto de 10% para compras na nova loja
– Sorteio para acompanhar o time em jogos fora de casa
– Sorteios de brindes como camisas, bonés
– Sorteios exclusivos para os aniversariantes do mês
– Participação em ações dos patrocinadores
– Entrada exclusiva no Frasqueirão em dias de jogos
– Descontos nos bares em dias de jogos no Frasqueirão
– Desconto de até 30% nas mensalidades da Escolinha Pequenos Alvinegros

Valor do plano: R$39,90/mês

PLANO SÓCIO MAIS QUERIDO – CAMPEÃO DAS MULTIDÕES PREMIUM

Um plano campeão e com mais comodidade para você!

– Acesso às cadeiras em jogos do ABC como mandante
– Direito a voto nas eleições do clube
– Carteirinha personalizada
– Compra exclusiva pela internet
– Descontos na rede de parceiros do clube
– Desconto de 15% para compras na nova loja
– Sorteio para acompanhar o time em jogos fora de casa
– Sorteios de brindes como camisas, bonés
– Sorteio do Match Day, sócio terá um dia imerso na atmosfera do jogo, participando da preparação dos atletas no dia de uma partida, até a entrada em campo
– Sorteios exclusivos para os aniversariantes do mês
– Participação em ações dos patrocinadores
– Entrada exclusiva no Frasqueirão em dias de jogos
– Descontos nos bares em dias de jogos no Frasqueirão
– Desconto de até 30% nas mensalidades da Escolinha Pequenos Alvinegros

Valor do plano: R$89,90/mês

PLANO SÓCIO MAIS QUERIDO – CAMPEÃO DAS MULTIDÕES FAMÍLIA

O plano campão da sua família!

– Acesso à arquibancada em jogos do ABC como mandante
– Direito a voto nas eleições do clube
– Carteirinha personalizada
– Compra exclusiva pela internet
– Descontos na rede de parceiros do clube
– Desconto de 15% para compras na nova loja
– Sorteio para acompanhar o time em jogos fora de casa
– Sorteios de brindes como camisas, bonés
– Sorteios exclusivos para os aniversariantes do mês
– Participação em ações dos patrocinadores
– Entrada exclusiva no Frasqueirão em dias de jogos
– Descontos nos bares em dias de jogos no Frasqueirão
– Desconto de até 30% nas mensalidades da Escolinha Pequenos Alvinegros
– Cônjuge e filhos até 18 anos pagam metade de valor cada.

Valor do plano: R$39,90/mês titular e R$29,90 para cada dependente

PLANO SÓCIO MAIS QUERIDO – CAMPEÃO DAS MULTIDÕES FANTINHO

Um plano exclusivo para nossos torcedores mirins*.

– Acesso à arquibancada em jogos do ABC como mandante
– Direito a entrar com os jogadores em campo, desde que devidamente uniformizado e chegando com antecedência mínima de 1h30 antes do início do jogo
– Carteirinha personalizada
– Descontos na rede de parceiros do clube
– Sorteios de brindes
– Sorteios exclusivos para os aniversariantes do mês
– Participação em ações dos patrocinadores
– Entrada exclusiva no Frasqueirão em dias de jogos

* Até 12 anos

Valor do plano: R$120,00/ano

Com informações do site do ABC

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. aof disse:

    Apoiadíssimo, Bento!

  2. Bento disse:

    Excelente
    Valorizando o torcedor
    Clubes do meu Rio Grande do Norte vamos todos rumo ao "TOPO"
    Devemos retribuir com total apoio
    Esqueçam Flamengo e Vasco que sao dos cariocas.
    Hora de previlegiar clubes do nosso estado.
    Esses cariocas ainda tiram pnda com nossa cara nos chamando de cabeça chata e olha que nem é verdade

Usar bem (e muito) o programa de milhagem é melhor forma de não perder pontos; veja dicas

Foto: Pedro Teixeira / Agência O Globo

Perder pontos acumulados no cartão de crédito ou de programas de milhagem é como rasgar dinheiro. O consumidor simplesmente deixa escapar a oportunidade de trocá-los por passagens áereas e outros serviços ou produtos. A quantidade de pontos/milhas expirados caiu 2,3 pontos percentuais no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2018, mas continuou expressiva em 17,3%, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF).

Uma forma de combater o desperdício é acumular o máximo de milhas possível em um período curto sem ficar no vermelho e, assim, trocar pelo que deseja. E uma estratégia simples e fácil de multiplicar pontos é tentar concentrar as compras em empresas parceiras do programa de milhagem.

O usuário deve ficar atento ao preço e aos pontos oferecidos. Dependendo da loja e da promoção, a relação pode variar desde R$ 1 para 1 ponto até R$ 1 para 10 ou mais pontos. A compra nas empresas parceiras pode render mais se a transação for finalizada no cartão de crédito que converte valores em pontos. O cliente ganha duas vezes.

— Tenho dois cartões de crédito, e ambos me possibilitam acumular pontos. Depois, eu transfiro esses pontos para a empresa aérea que está oferecendo as melhores condições — conta o analista de sistemas Gilberto Carneiro, de 51 anos, um dos “caçadores de ofertas” do ” Qual oferta “, plataforma dos jornais O GLOBO, EXTRA e Expresso que reúne no impresso e no digital as melhores promoções de supermercados, drogarias e lojas de departamento de Rio e Grande Rio: — Já tive cartão de crédito vinculado a empresa aérea, mas troquei porque havia cobrança de anuidade. É mais vantajoso ter cartão do banco, que normalmente não cobra anuidade, e trocar os pontos.

Cartões e programas de fidelidade costumam oferecer promoções para transferências de pontos . O consumidor deve ficar atento. Nesses períodos, o cliente pode acumular 30%, 50%, 100% ou até 120% de bônus. Assim, 10 mil pontos, nesse exemplo, se transformam em até 22 mil pontos. Não é raro também sites de redes de varejo oferecerem promoções do tipo: ganhe 5, 15 ou até 20 pontos por cada real gasto. Se coincidir com uma compra planejada, será uma oportunidade de ampliar a poupança de pontos.

Pesquisa para evitar prejuízo

Nem sempre vale simplesmente trocar as milhas por uma passagem área, sem antes verificar se a quantidade de pontos compensa o preço do tíquete. Se não compensar, é melhor comprar a passagem e ganhar milhas com a transação. Vale fazer a pesquisa de preço na companhia do programa de fidelidade ou em outra da mesma aliança. Os programas de fidelidade de Latam, Gol e Azul permitem transferência de pontos entre as companhias associadas.

— Como a quantidade de pontos para trocar por uma passagem aérea internacional é muito alta e ainda temos que pagar o despacho da bagagem, geralmente eu pego uma passagem nacional. Ou algum produto, quando as milhas já estão perto de expirar, só para não perder os pontos — diz o caçador de oferta Gilberto Carneiro.

Os programas de empresas de aviação também possuem clubes que aceleram a pontuação . Os sócios pagam mensalidade e recebem milhas para juntar às conquistadas na compra de passagens aéreas, no cartão de crédito e nas demais parcerias. Outra vantagem é ter acesso a promoções exclusivas, que podem envolver upgrade de categoria no programa de fidelidade, bônus maiores para transferência de pontos do cartão de crédito e até resgate de passagens com desconto. Especialistas afirmam que clubes, como o Livelo, o Multiplus, o Smiles e o TudoAzul, são um bom negócio quando o usuário acumula e resgata uma boa quantidade de milhas por ano.

A validade dos pontos, na maioria dos programas, costuma ser de 12 a 24 meses. Portanto, avalie se conseguirá atingir o saldo mínimo para realizar trocas dentro do tempo delimitado. Uma opção é escolher serviço ou produtos com valores menores que viagens , como diárias de hotéis, ingressos para shows, espetáculos e cinema, roupas, celulares e móveis e outros.

O Globo

 

Programa do governo federal de estímulo a emprego entrará em vigor em janeiro de 2020

Foto: Arquivo

O lançamento do pacote para estimular a geração de empregos no país foi adiado para a próxima semana. Havia expectativa de que as medidas fossem anunciadas pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quinta-feira, mas o Palácio do Planalto decidiu adiar com o objetivo de criar uma agenda positiva.

Chamado de “Trabalho Verde Amarelo” , o programa vai beneficiar contratos de trabalho com duração de dois anos, a serem assinados a partir de janeiro de 2020, sendo permitidas contratações ao fim de 2021. Ou seja, na prática, o programa poderá quatro anos.

Segundo técnicos envolvidos nas discussões, o programa será restrito a jovens (entre 18 anos e 29 anos) no primeiro emprego e pessoas acima de 55 anos da baixa renda (remuneração de até um salário mínimo e meio).

Para os empregadores a vantagem é a redução dos encargos trabalhistas, com a isenção da contribuição previdenciária e diversos penduricalhos da folha, como salário-educação. A contribuição para o FGTS de 8% será de 2% e multa nas demissões sem justa causa, cairá dos atuais 40% para 20%.

O programa poderá custar aos cofres públicos cerca de R$ 10 bilhões, considerando quatro anos. A expectativa é beneficiar um universo de mais de três milhões de trabalhadores. Poderão ser incluídos menores aprendizes, jovens que tenham sido contratados na modalidade de trabalho intermitente e avulso. Para pessoas mais velhas, a única restrição é não ser aposentado.

O programa será criado por medida provisória, mas será preciso dar um prazo para adaptação de sistema, segundo técnicos do governo.

O Globo

Prefeito de São Gonçalo apresenta programa de atração de investimentos e geração de empregos a vereadores

Foto: Ariel Dantas

Na última quinta-feira (31), o prefeito de São Gonçalo do Amarante/RN, Paulo Emídio, o Paulinho, reuniu vereadores para apresentar um plano de estratégia de atração de investimento para geração de empregos com planejamento e sustentabilidade no município. O encontro aconteceu na sala de reuniões do Gabinete Civil.

Incentivos fiscais, concessão de áreas, diálogos com grupos empresariais e divulgação do município são algumas das ações que compõem o Prosiga – Programa São-gonçalense de Incentivo ao investimento para geração e atração de empregos, apresentado pelo gestor.

“O prosiga visa facilitar a vinda de empreendimento para nossa São Gonçalo. Vamos diminuir a burocracia, com alvará eletrônico, por exemplo; oferecer segurança jurídica, capacitação e qualificação profissional, além de infraestrutura. Estamos fortalecendo nossas ações”, observa Paulinho.

São Gonçalo: Programa Prefeitura em Movimento inicia atividades do polo X

Fotos: Divulgação

Mais uma edição do programa Prefeitura em Movimentos teve início nessa segunda-feira (16). Em seu décimo polo, as benfeitorias promovidas pela Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, por meio de suas secretarias, chegam a Uruaçu, Coqueiros e Pajuçara para atender os moradores com diversos serviços.

Nos dias 16 e 17, a estrutura permanecerá instalada próximo a Unidade Básica de Saúde de Uruaçu. Atendimentos médicos e odontológicos, assistência jurídica e atividades educacionais estão entre os serviços ofertados pelo programa. Nas vias públicas, acontecem os serviços de limpeza, troca de lâmpadas, tapa-buracos e manutenção da iluminação pública.

Na quarta-feira (18), os serviços serão alocados na praça da comunidade de Coqueiros. Já na quinta e sexta-feira, o Prefeitura em movimento concentra os serviços em frente à Escola Municipal Joaquim Inês do Nascimento, em Pajuçara.

As atividades do Prefeitura em Movimento no Polo X serão encerradas na Praça dos Mártires, em Uruaçu, no sábado (21).

 

Governo Federal lança programa para escolas cívico-militares

Fotos: Antonio Cruz/ Agência Brasil

O governo federal lançou nesta quinta-feira (5) o Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim), em cerimônia no Palácio do Planalto. Com o objetivo de promover a melhoria na qualidade do ensino na educação básica, a meta é implementar 216 escolas em todos as unidades da federação até 2023.

As escolas cívico-militares são instituições não militarizadas, mas com uma equipe de militares da reserva no papel de tutores. Em julho, o Ministério da Educação (MEC) já havia anunciado a implementação de 108 escolas nesse modelo, no âmbito do Compromisso Nacional pela Educação Básica. Agora, a meta foi dobrada.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, destacou que as escolas cívico-militares têm um desempenho muito acima da média e são instrumento para a melhoria da educação no país. Segundo ele, a meta é criar 216 escolas, mas o desafio é ter 10% de todas as escolas brasileiras no modelo cívico-militar até o final do governo do presidente Jair Bolsonaro.

“As famílias sentem muito mais segurança em deixar seus filhos nas escolas, o ambiente é muito mais seguro, a camaradagem entre os colegas é melhor, eu realmente tenho virado fã desse modelo”, disse.

Para o presidente Bolsonaro, o bom desempenho das escolas cívico-militares está ligado à disciplina dos alunos.

“Tem que botar na cabeça dessa garotada a importância dos valores cívicos-militares, como tínhamos há pouco no governo militar, sobre educação moral e cívica, sobre respeito à bandeira”, disse.

Durante seu discurso, Bolsonaro disse ainda que o que tira um país da miséria e da pobreza é conhecimento, e que o Brasil tem um potencial enorme para explorar, incluindo as riquezas da Amazônia.

“Tenho oferecido a líderes mundiais, em parceria, explorar a nossa Amazônia, nossa biodiversidade, a descoberta de novos seres vivos para a cura de doenças, darmos um salto naquilo que o mundo está buscando. Temos um potencial enorme para isso, mas precisamos de cérebros, temos que trabalhar esses cérebros”, ressaltou.

Modelo

De acordo com o MEC, os militares atuarão na disciplina dos alunos, no fortalecimento de valores éticos e morais, e na área administrativa, no aprimoramento da infraestrutura e organização da escola e dos estudantes. As questões didático-pedagógicas continuarão atribuições exclusivas dos docentes, sem sobreposição com os militares, e serão respeitadas as funções próprias dos profissionais da educação, que constam na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

A implantação das escolas cívico-militares vai ocorrer preferencialmente em regiões que apresentam situação de vulnerabilidade social e baixos índices no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Entre as premissas do programa estão a contribuição para a melhoria do ambiente escolar, redução da violência, da evasão e da repetência escolar.

A adesão dos estados e municípios ao programa é voluntária e, de acordo com o MEC, os gestores deverão realizar uma consulta pública e a comunidade escolar deve aceitar a mudança.

Para o presidente Bolsonaro, entretanto, a depender do desempenho dos alunos, a implantação da escola cívico-militar pode ser imposta. Ele citou o caso do Distrito Federal, onde o modelo foi adotado em quatro escolas, em parceria com a Polícia Militar. “Vi que alguns bairros tiveram votação e não aceitaram. Me desculpa, não tem que aceitar não, tem que impor”, disse. “Não queremos que essa garotada cresça e vai ser, no futuro, um dependente até morrer de programas sociais do governo”, completou.

Neste ano, 54 escolas serão contempladas com o programa, em formato piloto, duas em cada unidade da Federação. A indicação das instituições deverá ser feita pelos estados até 27 de setembro. Os colégios devem ter de 500 a mil alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e/ou médio.

O Ministério da Defesa vai destacar militares da reserva das Forças Armadas para o trabalho de tutores. Eles serão contratados por até dez anos e vão ganhar 30% da remuneração que recebiam antes de se aposentar. Os estados poderão ainda destinar policiais e bombeiros para ajudar na administração das escolas.

O MEC investirá R$ 1 milhão por escola, para o pagamento dos militares, melhoria da infraestrutura das unidades e materiais escolares.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fernanda disse:

    Como pode falar em valorização da educação se corta verbas da educação básica ao ensino superior em toda oportunidade que encontra?!
    Não sou contra esse modelo, contudo um programa sem investimento não funcionará. Nada imposto a força é bem vindo pela comunidade. E se o aluno tirar notas baixas? Reprova ou não? Se reprova, abandona a escola. Como combater a evasão? Eu digo o que acontece, no final de tudo a culpa sempre é do professor…

  2. Jair disse:

    Militares Bolsonaro está enchendo as burras de vcs. O cara ganha sem trabalhar desde dos 50 anos e agora vai tomar vaga de um jovem q precisa de emprego.

    • Valter disse:

      Alguém entendeu alguma coisa? Jair está ruim? A Venezuela está de braços abertos para recebê-lo. Os corruptos fazem questão de manter as escolas públicas sem qualidade para ter seus seguidores amestrados que não querem escola com qualidade no ensino e sim, passar de ano sem saber as contas básicas da matemática.

Papiloscopistas do ITEP-RN integram equipe do programa “Em Frente, Brasil” no combate a crimes violentos

Fotos: Divulgação

As papiloscopistas do Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP-RN), Luciana Lima de Freitas e Maria Suely Alves da Silva Lino estão representando o Rio Grande do Norte no programa nacional “Em Frente, Brasil”, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, com foco no combate aos crimes violentos no país. Elas integram equipe da Força Nacional de segurança que desenvolve o projeto piloto na cidade de Cariacica, no Espírito Santo.

“Me sinto muito lisonjeada de representar a perícia do meu estado e o ITEP-RN, onde já estou há 30 anos. É um grande desafio atuar neste plano nacional de enfrentamento e combate à violência, mas iremos trabalhar com muita dedicação e empenho nesta nova missão”, destacou Luciana Freitas que já foi sub-coordenadora de Identificação do ITEP-RN e atuou na identificação biométrica de detentos.

Luciana que já tinha experiências em operações nacionais, como a “Operação Acolhida” desenvolvida em Boa Vista-RR, por 11 meses, em que chefiava o setor de Perícia Criminal foi novamente convidada para coordenar a área pericial no novo programa de segurança lançado na última semana em cinco cidades brasileiras com alto índices de violência, entre elas Cariacica-ES.

Suely Alves atuava no setor de Necropapiloscopia do ITEP-RN e tem longa experiência no trabalho de identificação, o que a levou a atuar também na equipe da Força Nacional em Boa Vista-RR e agora em Cariacica-ES auxiliando nas atividades de perícia criminal.

“Em Frente, Brasil”

O “Em Frente,Brasil” propõe uma nova estrutura para as políticas públicas de estado, direcionadas ao combate da criminalidade violenta com foco nos territórios, a partir da implementação de soluções customizadas às realidades regionais.

A proposta alia medidas de segurança pública a ações sociais e econômicas, para promover a transformação das realidades socioeconômicas das regiões, por meio da cooperação e da integração, obtidas pelas parcerias firmadas com estados e municípios, além da participação de outros ministérios, que auxiliarão para o alcance dos resultados previstos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joaozinho disse:

    ??? pra coletar com tinta uma digital precisa desse camuflado de guerra e pistolas?

Pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Demografia da UFRN mostra que seca não é o principal fator de emigração do Nordeste

Foto: Cícero Oliveira

Uma pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Demografia da UFRN traça um novo olhar sobre a dinâmica demográfica no semiárido nordestino. Uma das conclusões do estudo é que a seca, que é comumente citada como a principal causa para emigração, não é de fato o principal motivo que leva a população a deixar a região, mas sim uma junção de fatores econômicos e a falta de políticas sociais.

Os estudos desenvolvidos pelo professor e pesquisador Ricardo Ojima nos últimos anos, com ênfase na região do semiárido norte, afirma que as políticas sociais, sobretudo as de transferência de renda, como o Bolsa Família e a aposentadoria, são os fatores mais relevantes para fixar a população em determinada região ou ainda para o retorno desta para as cidades de origem.

A pesquisa indica também que, com o advento do benefício de aposentadoria ou pensão, há também um maior envolvimento de aposentados e pensionistas na chamada migração de retorno, pois este grupo conquistaria uma independência financeira aliada à desobrigação laboral e poderia enfim decidir por retornar ou não a sua cidade de origem.

O Rio Grande do Norte, por exemplo, tem cerca de 30% de seus imigrantes como retornados, de acordo com uma análise dos dados sobre migração do Censo Demográfico 2010, que utilizou um modelo de regressão logística para avaliar, entre outros dados, o impacto da seguridade social no retorno migratório.

A análise dos resultados das pesquisas desenvolvidas no Departamento também desmistifica outra afirmação, insistentemente repetida, de que os programas de transferência de renda poderiam impactar no aumento do número de nascimentos na região. Na realidade, o semiárido norte foi o que apresentou maiores quedas no número médio de filhos por mulher nos últimos anos.

A quebra de paradigma é importante por derrubar alguns mitos sobre a região. “Um dos pontos do nosso projeto é tentar desconstruir e entender com mais detalhes a dinâmica da população nordestina, particularmente, sobre a migração e a mobilidade, pois a problemática ambiental urbana costuma dar atenção aos centros metropolitanos, deixando às regiões de emigração tradicionais no Brasil o estigma de áreas rurais estagnadas”, afirma Ojima.

O pesquisador também explica que a transição urbana no país já é generalizada e que tais regiões se consolidando como urbanas exercem um papel decisivo na retenção da população. Do ponto de vista da sustentabilidade, o crescimento urbano não deve ser visto como uma questão negativa em si mesma, pois as transições urbanas refletem resultados distintos em contextos e momentos distintos.

Em setembro, Ricardo Ojima vai apresentar os resultados da pesquisa no II Congresso da Associação de Brasilianistas na Europa (ABRE), que acontece em Paris entre os dias 18 e 21. Além disso, o docente ainda participa de reuniões de projetos que vêm sendo desenvolvidos com o Instituto de Pesquisa para o Desenvolvimento (IRD/França) para estudos sobre a dinâmica demográfica na região do semiárido nordestino.

Com informações da UFRN

 

Programa Médicos pelo Brasil vai substituir Mais Médicos

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, lançam nesta quinta-feira (1º) o programa Médicos pelo Brasil, que vai substituir o Mais Médicos, criado em 2013, no governo de Dilma Rousseff. O lançamento ocorrerá em cerimônia no Palácio do Planalto, marcada para as 11h.

O principal objetivo do novo programa continua sendo a interiorização de médicos pelo país, especialmente nas regiões mais remotas e desassistidas. “O programa prevê a priorização da prestação de serviços médicos na atenção primária de saúde no Sistema Único de Saúde (SUS), principalmente em municípios pequenos e remotos do Brasil, locais de difícil provimento ou alta vulnerabilidade, além de aprimorar o modelo de atendimento médico federal. O programa objetiva também desenvolver e intensificar a formação de profissionais médicos, especialistas em medicina de família e comunidade”, afirmou o porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros, na entrevista diária concedida ontem (30) a jornalistas.

Uma das principais novidades do Médicos pelo Brasil é a contratação dos profissionais pelo regime de Conslidação das Leis do Trabalho (CLT). Até então, os contratos eram temporários de até três anos. O valor do salário, atualmente em R$ 11,8 mil, também deve aumentar. Estão previstas gratificações de acordo com o local de lotação do médico. A seleção para o programa será feita, segundo o governo, por meio de prova objetiva. O programa também pretende intensificar a formação de profissionais médicos como especialistas em medicina de família e comunidade.

A substituição do Mais Médicos pelo Médicos pelo Brasil deverá ser gradual, respeitando os atuais contratos em vigor. A expectativa é manter as cerca de 18 mil vagas em mais de 4 mil municípios de todo o país.

O governo espera que o novo programa seja mais atrativo na alocação de profissionais médicos em áreas de baixa cobertura de saúde pública. “Eles [Ministério da Saúde] estudaram alguns aspectos que vão favorecer a chamada, a seleção desses novos médicos. Nós estamos bastante esperançosos que isso possa suplantar as dificuldades que nós tínhamos no passado”, acrescentou Rêgo Barros.

Cubanos

A incorporação dos cerca de 1,8 mil médicos cubanos que permaneceram no país, após o fim do acordo com o governo de Cuba, não está prevista no novo programa. “A situação dos médicos cubanos está sendo analisada pelo ministério, buscando alternativas para o seu exercício profissional”, disse o porta-voz do governo.

Portaria publicada essa semana pelos ministérios da Justiça e das Relações Exteriores regulamentou a residência de cubanos que participaram do programa Mais Médicos no Brasil. A apresentação do requerimento de autorização de residência em território brasileiro deverá ser feita junto à Polícia Federal.

De acordo com a portaria, o imigrante poderá requerer a autorização de residência – que poderá ter prazo indeterminado – no período de 90 dias anteriores à expiração do prazo de 2 anos, previsto para que as autoridades brasileiras concluam o processo de autorização de residência. A autorização de residência implicará na “desistência expressa e voluntária de solicitação de reconhecimento da condição de refugiado”.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luismar Gonçalves Gaspar disse:

    Na minha opinião, essas 18 mil vagas que serão disponibilizadas pelo programa não serão totalmente preenchidas por médicos com CRM, visto que, em editais anteriores não houve adesão desses médicos para exercer função em áreas de difícil acesso, pois existem mais opções para trabalho deste profissional em áreas mais centralizadas. Contudo acredito que essas vagas em aberto poderiam ser preenchidas por profissionais formados no exterior, como temos muitos desses casos de formandos na Argentina, Paraguai, Bolívia, Uruguai e outros

  2. Toni disse:

    GENTE O PROBLEMA NÃO E PREJUDICAR MEDICOS CUBANOS OU BOLIVIANOS OU VENEZUELANOS TEM QUE DAR EMPREGO A MEDICOS BRASILEIROS MAIS OS QUE SÃO VERDADEIROS PROFISSIONAIS CAPACITADOS A EXERCER A FUNÇÃO DE MEDICOS NÃO AQUELES FEITOS NA COXAAAAAA!!!!! QUE NÃO SABE RECEITAR UM REMEDIO SEQUER SACOOOO!!!!! OU OLHA PRA TUA CARA E NÃO DIZ NADA E JA PASSA O REMEDIO NEM TE EXAMINA AQUI NO INTERIOR E DESSE JEITO PUTA QUE O PARIU!!!!!E FODAAAAA!!!!

  3. Amo os Minions disse:

    Bom nome para um novo programa com viés ideológico, agora que ver os médicos pelo Brasil nos rincões do país para dizer que fazem melhor que os cubanos hehehe

  4. Carlos Bastos disse:

    Vai ficar a mesma M.

  5. M.D.R. disse:

    Pelo amor de DEUS , cada vez mais dificultando a situação dos médicos CUBANOS, que são profissionais responsáveis e competente, provou através das suas atitudes ñ concordarem com esquema político da ilha.