Jornalismo

Cajueiro de Pirangi. Os engarrafamentos vão se repetir, a novela continua!!!

Os veranistas e turistas que seguem para Pirangi e outras praias ao sul de Natal ainda deverão, no período da alta estação entre os meses de dezembro deste ano e fevereiro de 2012, conviver com os engarrafamentos de veículos por causa da invasão das avenidas Márcio Marinho e São Sebastião pelos galhos do maior cajueiro do mundo. A discussão sobre a conservação daquele ponto turístico ganhou um novo rumo em 6 de setembro, depois de decorrido o prazo de 90 dias para que entrasse em vigor a Lei Complementar nº 049 sancionada em 6 de junho pelo prefeito de Parnamirim, Maurício Marques, que desafeta a área do cajueiro e passa para a responsabilidade do Estado a conservação do cajueiro de Pirangi.

Júnior SantosSem um projeto definitivo de conservação, o Cajueiro de Pirangi invade as principais vias da praia e não há qualquer anúncio de projeto que possa solucionar transtornos durante o verão

Em virtude disso, informou a subcoordenadora de Meio Ambiente da Secretaria Estadual de Turismo (Setur), Anna Danyelle Silva de Souza, formou-se uma comissão multidisciplinar para elaborar um projeto o uso sustentável do ponto turístico. Como  já havia saído da Setur, ontem à tarde, Ana Daniele de Souza disse que não tinha repassar informações mais precisas, porém, ela confirmou que o governo se antecipou ao Prodetur II e já garantiu recursos financeiros para a elaboração de um projeto executivo, visando melhorias na área do cajueiro, inclusive remanejamento das lojas de artesanato, que ficarão acima do solo.

Por intermédio de sua assessoria de imprensa, o Idema-RN confirmou que lidera a equipe multidisciplinar criada para encontrar uma solução para o cajueiro de Pirangi. Os outros órgãos envolvidos são a Emater, Emparn, UFRN e a própria Setur. Mas, a diretoria do Idema não quis se pronunciar a respeito disso, enquanto não houver uma conclusão dos trabalhos.  A direção do Idema apenas confirmou, que ainda em novembro, deverá anunciar o resultado dos estudos que estão sendo elaborados com relação ao problema do cajueiro do Pirangi.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Vossa Excelência poderia autorizar pelo menos a poda da parte que já está passando do gelo baiano colocado no meio da pista. Isto representa que, em cada faixa seria podado uma fatia de aproximadamente 60m x 1,5m, o que daria menos de 2% da área hj ocupada. Enquanto isso o Estado iria buscar os recursos necessários para fazer um verdadeiro equipamento turístico, tirando a feira que hj existe, deixando o cajueiro crescer no seu próprio terreno e entregando aos pequenos empresários que ali trabalham um novo projeto condizente com os que existe em outros estados, ainda consertando a situação irregular em que se encontra o convênio com os atuais administradores.
    Eita Estado difícil!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *