MAIS DETALHES: Polícia Legislativa teria ajudado Sarney, Collor, Gleisi e Lobão

Os senadores Fernando Collor (PTC-AL), Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Edison Lobão (PMDB-MA), além do ex-presidente do Senado e da República José Sarney, são os supostos beneficiários das ações da Polícia Legislativa para atrapalhar as investigações da Operação Lava-Jato, apurou o Valor PRO, serviço de informações em tempo real do Valor. Segundo fontes

Segundo fontes ligadas às investigações, policiais legislativos teriam feito varreduras na Casa da Dinda, residência particular de Collor em Brasília, além de imóveis particulares ligados a Sarney. Lobão e Gleisi também teriam se beneficiado de ações semelhantes.

A Procuradoria da República no Distrito Federal (PRDF) informou que a estrutura da Polícia Legislativa do Senado teria sido usada para dificultar diligências realizadas no âmbito da Lava-Jato e também para satisfazer interesses particulares.

Em delação premiada fechada junto à Procuradoria-Geral da República, um policial legislativo afirmou que, em quatro ocasiões, servidores públicos usaram equipamentos do Senado para fazer varreduras em imóveis particulares e funcionais ligados aos quatro senadores e a Sarney.

O objetivo, segundo as declarações do colaborador, era fazer a chamada contrainteligência: localizar e destruir eventuais sistemas utilizados para escutas telefônicas e ambientes. Em pelo menos duas ocasiões, os agentes públicos se deslocaram até a cidade de São Luiz (MA) e Curitiba (PR) para executar as tarefas.

As varreduras foram feitas com equipamentos do Senado Federal e os agentes viajaram usando recursos públicos e passagens aéreas custeadas pelo Estado. Além disso, essas varreduras feitas por policiais legislativos deveriam se restringir ao Senado; no entanto, eles foram a seis endereços diferentes.

“Foram obtidas provas de que o grupo, liderado pelo Diretor da Polícia do Senado, tinha a finalidade de criar embaraços às ações investigativas da Polícia Federal em face de Senadores e ex-Senadores, utilizando-se de equipamentos de inteligência”, diz a nota da PF. “Em um dos eventos, o Diretor da Polícia do Senado ordenou a prática de atos de inti

Valor Econômico

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Maria da Silva disse:

    Nessa onda os Policiais Legislativos irão perder seus empregos porque nenhum Senador desses os protegerão.

  2. Potyguar disse:

    Rapaz, é muita QUADRILHA perigosa espalhada nos escaninhos do Poder, e a gente sustentando essa corja.
    Só meninos e meninas bestas……..ACORDA ELEITOR/CONTRIBUINTE/CIDADÃO.

  3. Claudiomiro disse:

    Velhas e novas raposas da política brasileira. Não se salva um, todos senhores de práticas condenáveis.
    O que faz um Collor com mais de 300 denúncias solto? e com cadeira de senador?
    Sarney de tantas e tantas suspeitas, velho guerreiro da prática política do rabo preso.
    Gleisi, famosa narizinho, sentiu o cheiro das facilidades e se agarrou a elas com força demais, na certeza da impunidade.
    O Brasil precisa aproveitar a lava jato e passar a limpo todos aqueles que não trilharam o bem e não deram o devido valor aos votos que receberam.

  4. Eduardo Cosme. disse:

    Este comgresso nacional é um antro da prostituição Brasileira.
    Vergonha nacional, cadeia neles do PT, PMDB, PSDB, DEM e companhia ltda.