TSE quer pedir comprovantes de gastos do PSL com Whatsapp pró-Bolsonaro

O corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Jorge Mussi, afirmou hoje que avalia pedir cópia da prestação de contas do PSL e anexá-la à investigação sobre o disparo em massa de mensagens de Whtasapp.

Reportagem publicada pela revista Vortex Media hoje afirmou que gastos da campanha de Jair Bolsonaro (PSL), entre eles com disparos de mensagens pelo WhatsApp, não foram incluídas na prestação de contas do então candidato a presidente.

Em vez disso, os gastos foram contabilizados nas despesas do partido, que só costumam ser analisada cinco anos depois. Esses novos documentos constam de um outro processo, que está no TSE desde abril deste ano.

Mussi disse ao UOL que, como os documentos estão no próprio tribunal, poderia anexá-los às ações de investigação judicial eleitoral (Aije) abertas pelo PT e pelo PDT para avaliar os gastos de Bolsonaro.

“Se eu tiver essa informação, eu posso de ofício, sem ser provocado, até pedir isso aí”, afirmou o corregedor.

“Se está na prestação de contas do partido, nós teremos fácil acesso a isso”, avaliou Mussi. “Vou ver quem é o relator da prestação de contas do partido porque aí é mais fácil.” O relator é o ministro Tarcísio Vieira.

O TSE veda o uso de ferramentas de automatização, como programas de disparo de mensagens em massa.

UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rocha Neto disse:

    Como é que uma corte de "justiça " Vai ela própria se desmoralizar ?
    As contas da campanha já foram aprovadas e agora é que o tribunal viu que fez coisa errada.
    Isto é seboso nojento,, parece coisa de comadre que não tem ocupação.
    Isto pode realmente ser chamado de tribunal, no minúsculo mesmo!!!

    Acreditar em que ou quem??

    Isto é uma vergonha!!!!

    • Edson disse:

      Calma Maria do bairro, vai ter bolo, tá com medo é ? seu combate à corrupção e seletivo, aproveite que já já entra um governo de centro e essa cambada do PSL vão levar cana como os do PT levaram

COMENTE AQUI