Vera Fischer relembra pornochanchadas e filme vetado por Xuxa

Vera Fischer (Foto: Reprodução/Instagram – Patrícia Lino)

No ar na reprise de “Laços de família”, no Vale a Pena Ver de Novo, Vera Fischer falou sobre o início da sua carreira, quando fez filmes de pornochanchada, e relembrou do período com carinho:

– Eu comecei nos anos 1970. Fiz algumas pornochanchadas deliciosas de fazer, com um lado cômico de brincar com os temas da sexualidade. Era muito mais chanchada do que pornô. Eu fiz uns cinco filmes desse tipo – comentou a atriz.

A declaração foi dada em entrevista para Simone Zuccolotto no programa “Cinejornal”, do Canal Brasil, que irá ao ar nesta quinta-feira (26), às 18h55m. No papo, a atriz falou também sobre o seu novo projeto – a websérie “Reflexos” -, além de questões como a pandemia e a situação política do Brasil. Ela ainda lembrou alguns filmes dos quais participou, como, por exemplo, “Navalha na carne”, em que viveu uma prostituta:

– Quando eu fiz “Navalha na carne”, aí foi sério. Ela era uma prostituta, mas o texto era seríssimo. Essa queixa dessa mulher sendo usada e sendo chamada de puta, de velha… um papel que eu adorei. Adorei fazer esse filme – disse Vera.

A atriz comentou sobre como se sentiu com a retirada de circulação do filme “Amor estranho amor” (1982), que estrelou ao lado de Tarcísio Meira e Xuxa. O longa ficou fora do mercado por anos por causa de disputas judiciais entre a produtora e a apresentadora:

– Não era só eu (que senti). Tinha um elenco enorme… Pena que o público só viu por um tempo. Ele entrou em cartaz nos cinemas, fez ótimo público, mas saiu de circulação. Eu senti muito até porque era coprodutora do filme. O produtor principal era o Anibal Massaíni e nós sentimos no bolso. Eu acho que vão querer lançar novamente nos cinemas ou nas plataformas. E vai ser um ganho… a própria Xuxa disse outro dia que o filme é bom e tem que ser visto. Vai ser bom para a gente.

Questionada pela entrevistadora se ela acha que havia motivos para o filme sair de circulação, Vera comentou:

– Eu acho que ela (Xuxa) tinha uma equipe muito poderosa. E acho que eles a obrigaram a tirar o filme de circulação. Seminua com um garoto de 12 anos… Eu acho que a situação foi essa.

Patrícia Kogut – O Globo