Agente do FBI mata suspeito durante investigação sobre atentado de Boston

Um agente do FBI matou nesta quarta-feira em Orlando (Flórida) um homem que estava sendo interrogado por sua suposta relação com Tarmelan Tsarnaev, suspeito do ataque terrorista de Boston no mês passado, e com grupos extremistas. “O sujeito estava sendo interrogado por um agente especial, acompanhado por dois membros da Polícia Estadual de Massachusetts e outros policiais, em relação às explosões da maratona de Boston, quando um confronto violento foi iniciado pelo indivíduo”, disse o FBI. Em comunicado, o órgão acrescentou que “durante o confronto, o indivíduo morreu”, mas o policial, que disparou para reagir a “uma ameaça iminente”, sofreu lesões leves e foi levado a um hospital. Antes, Khusn Taramiv identificou o morto como seu amigo Ibragim Todashev, de 27 anos e desempregado, e disse à imprensa local que, havia várias semanas, ambos estavam sendo vigiados por agentes do FBI, até que nesta madrugada foram interrogados durante cerca de três horas.

“Buscavam uma relação com os ataques a bombas em Boston, mas não há”, disse Taramiv aos repórteres que estavam em frente ao local do incidente, ocorrido de madrugada no complexo Windhover, situado nos arredores dos parques temáticos ao oeste de Orlando, e onde vivia o homem que morreu.

“O FBI nos interrogou a mim e meu amigo, o suspeito que foi morto. Eles (os agentes do FBI) estavam falando conosco e disseram que precisavam dele (Todashev) um pouco mais, duas horas, e eu fui embora”, declarou Taramiv. “Me disseram que o chamariam outra vez, mas não fizeram isso”, acrescentou.

Segundo o relato, Todashev conhecia Tsarnaev, que é considerado, com seu irmão Dzhokhar Tsarnaev, de 19 anos, suspeito de ter colocado duas bombas que explodiram em 15 de abril na reta final da maratona de Boston, causando a morte de três pessoas e deixando cerca de 280 feridas. Taramiv contou que Todashev e Tsarnaev se conheceram em competições de artes marciais e boxe misto, das quais ambos participavam.

“A última vez que nós dois nos falamos por telefone foi meses antes das bombas de Boston e lembro que quando meu amigo soube comentou que não conseguia acreditar que eles (os irmãos Tamerlan) haviam feito isso”, explicou. Acrescentou que seu amigo “pressentia que isso poderia acontecer” e que “até me deu ontem (terça-feira) os telefones de seus pais na Chechênia para contatá-los caso algo acontecesse a ele”. De fato, o jovem já tinha sua passagem de ida comprada para retornar à Chechênia. “Queria ir por tudo isso, mas o FBI o pressionava, dizendo que era melhor que não viajasse”, disse em frente ao local, que ainda está isolado.

Registros policiais obtidos pela Agência Efe mostram que Todashev foi detido no dia 4 de maio após participar de uma briga no estacionamento do popular centro comercial Premium Outlets em Orlando. Durante a briga, Lester García Báez e seu filho, Lester García López, foram agredidos por Todashev. O pai, que não sabe inglês, decidiu não apresentar queixa por agressão física contra ele, mas seu filho sim, porque perdeu vários dentes na briga e sofreu ferimentos na cabeça e nas mãos. Assim, Todashev foi detido e, mais tarde, liberado após pagar uma fiança de US$ 3.500. EFE wt/tr