Suspeito de participar da morte de coronel da PM é preso em blitz na Avenida Felizardo Moura

Foto: Ilustrativa

A Polícia Militar prendeu na tarde desse domingo(12), em uma blitz de trânsito realizada na Avenida Felizardo Moura, no bairro Nordeste, zona Oeste de Natal, um homem apontado como o segundo suspeito de participar da morte do coronel Nunes, aposentado da PM, no dia 28 de dezembro, na Avenida Princesa Isabel, no bairro de Cidade Alta.

Vale lembrar que o principal suspeito do crime, apontado pelo disparo fatal no coronel, foi morto em um confronto com policiais no no mesmo dia da ocorrência, em diligências que chegaram ao município de Macaíba. Na ocasião, o homem usava tornozeleira eletrônica e foi rastreado pelo monitoramento do equipamento.

Quanto ao suspeito preso nesse domingo, a Polícia Militar ainda informou que foi flagrado em uma motocicleta roubada, e que ele ainda estava armado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Judeu disse:

    Segundo a nova Leie, bandido não pode ser destratado nem ter seu rosto mostrado. Já o policial que efetuar a prisão, tem a obrigação de se identificar para o meliante…. Será que vão fazer isso e ainda dizer "Ei, se quiser vir me matar depois, meu nome é Fulano e trabalho na delegacia tal…." ? Melhor levar um docinho e cafézinho pra agradar o bandido… Mas falando sério: não pode mostrar foto do bandido!!! COMO VAI SER ENTÃO QUANDO ENTRAR EM CENA A PROPAGANDA ELEITORAL????

  2. paulo pederira disse:

    Não podemos mais ver a cara do Feladagaita por causa da lei de Rodrigo Maia para proteger criminosos. país de bananas!!

  3. Paul disse:

    Falta cadeia nesse país.
    Urgente uma renovação nas leis desse país.

  4. Jose de Arimatea Lopes Fernandes disse:

    Prende, mais á justiça vai solta-lo na primeira audiência de custódia…
    Ninguém sabe quantos assaltos ou crimes este bandido praticou. nesse período.

Suspeito de ataque ao Porta dos Fundos é filiado ao PSL desde 2001; armas e mais de R$116 mil em dinheiro apreendidos

Eduardo Fauzi, identificado nesta terça (31) pela Polícia Civil do Rio como suspeito pelo ataque ao Porta dos Fundos, é filiado ao PSL desde 2001.

A informação consta dos registros do TSE.

Armas e dinheiro na casa de suspeito de autoria do atentado ao Porta dos Fundos

Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Rio divulgou fotos do material apreendido na casa de Eduardo Fauzi, suspeito de ser o autor do atentado à produtora do Porta dos Fundos.

Foram apreendidos R$ 116 mil em notas, além de computadores, um HD externo, armas de airsoft e duas adagas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. LUIZ MARCOS disse:

    Interessante que sempre que encontram um malfeitor, um bandido vinculam a um partido político. Isso só reforça o verdadeiro objetivo dos partidos/dovididos/. Assim foi com Adélio, com o Lula e outros. Ora, bandido, ladrão ou qualquer outro crime devem ser julgado e se errados condenados. Aliás tem que se preocupar. Tem o STF pra soltar. O chato é a fama. Mas, afinal tem que ter o preço. Literalmente.

  2. Maria disse:

    Por que será que os seguidores do novo Cristão Bolsonaro e sua família envolvida com Milicianos do RJ, estão constantemente envolvidos em notícias de agressões, violência e ataques furiosos contra aqueles que odeiam e alimentam sua fúria incontida pela banalização do mal de um Governo que sinaliza com seu apoio e não faz uma declaração contrária, que contenha uma mensagem de paz, conciliação e convivência pacífica na diversidade, com respeito as diferenças?

    • Bia disse:

      E voce acha que nos governos Sarney, Itamar, Lula, Dilma ou Temer nao teve atos de intolerancia?
      Se vc acredita qie nao, eh porque nao viveu nesses governos.

  3. Ujuara disse:

    Tudo patrocinado pelos esquerdopatas com o intuito de jogar a culpa na direita. O erro: esse esqueceu de cobrir o rosto. É a velha máxima: "NÃO EXISTE CRIME PERFEITO"!

  4. Delano disse:

    Será se conseguirão encontrar os responsáveis pelo ataque a loja havan em sp hoje?

    • Bicha bixerrima potiguar disse:

      Foi alguém da propria direita para criar clima de vitimazação…. bem como Hitler fazia na alemanha nazista, esse filme o mundo ja viu.

Suspeito é baleado e outros dois são presos após perseguição na BR-101 na Grande Natal; dois quilos de maconha e 130 gramas de cocaína apreendidos

Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

O portal G1-RN destaca nesta terça-feira(24) que um suspeito foi baleado e outros dois acabaram presos após uma perseguição policial na noite desta segunda-feira (23) na região metropolitana de Natal. As informações são da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Um deles afirmou aos policiais que era motorista de aplicativo de transporte de passageiros.

Junto com os suspeitos, foram apreendidos dois quilos de maconha,130 gramas de cocaína, balança de precisão e um revólver calibre 38. Tudo estava escondido em uma mochila. Confira todos os detalhes em reportagem aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Andrade Vaz disse:

    Parabéns a PRF pelo grande trabalho. apesar do efetivo ser muito pequeno apresenta sempre grandes resultados pra sociedade. Acredito que em todo estado do RN são menos de 200 policiais trabalhando na atividade fim e sempre temos esse tipo de ocorrência.

Polícia Civil prende vereador suspeito de tentativa de homicídio em Macau

Policiais civis da Delegacia Regional de Macau prenderam, nessa sexta-feira (20), Eney Moura Pereira, vereador da Câmara Municipal de Serra do Mel. A prisão se deu na cidade de Macau, em cumprimento a um mandado de prisão temporária. Apesar das diligências realizadas pela polícia, ele não tinha sido localizado, tendo se apresentado na delegacia.

Segundo as investigações, Eney Moura e Bergson Moura são suspeitos de envolvimento na tentativa de homicídio praticada contra Caius Gracus Veríssimo de Oliveira. O crime ocorreu no dia 26 de outubro deste ano, no povoado Alcanorte, no município de Macau.

No dia do crime, foi encontrado nas proximidades do local da tentativa de homicídio um veículo abandonado que seria pertencente a Bergson Moura. A partir dessa informação, chegou-se ao segundo suspeito, Eney Moura, que é primo de Bergson Moura e vereador no município de Serra do Mel.

A motivação do crime estaria a uma possível vingança contra Caius Gracus, diante da suspeita de envolvimento dele no homicídio praticado contra Élio Pereira de Moura, que é irmão de Eney Moura Pereira. Élio Pereira foi morto no dia 16 de junho deste ano, na cidade de Pendências.

Na última quarta-feira (18), Bergson Moura já havia se apresentado na delegacia, tendo sido dado cumprimento ao mandado de prisão temporária em seu desfavor. Ambos foram encaminhados ao sistema prisional e ficarão à disposição da Justiça.

A Polícia Civil solicita que a população, através do Disque Denúncia 181, continue enviando informações de forma anônima.

As informações são da Polícia Civil do RN

http://www.policiacivil.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=221449&ACT=&PAGE=&PARM=&LBL=NOT%CDCIA

Ibama rejeitou relatório contra navio grego suspeito de derramar óleo antes da operação da PF

Relatório da empresa Hex Tecnologias Geoespaciais que baseia investigação da Polícia Federal sobre origem de manchas de óleo — Foto: Reprodução

O relatório que embasou a Operação Mácula, da Polícia Federal, deflagrada em novembro contra navios suspeitos de derramar petróleo no litoral, já havia sido rejeitado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama). O documento se baseava na localização de uma mancha, com aparência de óleo, e no rastreamento de navios que passaram por aquele ponto. Entretanto, para o Ibama, as provas eram frágeis.

O aspecto da mancha, a falta de dados como a localização, o satélite usado e a composição colorida para montar a imagem – elementos que trazem credibilidade a documentos técnicos como este – foram cruciais para que o estudo fosse rejeitado, disse em entrevista ao G1 Pedro Bignelli, coordenador-geral do Centro Nacional de Monitoramento e Informações Ambientais (Cenima), ligado ao Ibama.

A mesma declaração foi dada a deputados nesta terça-feira (17), durante um depoimento a deputados na CPI do Óleo, que investiga o desastre ambiental na Câmara.

Estudo da HEX

Segundo Bignelli, a empresa HEX Tecnologia, responsável pelo relatório, havia feito um estudo em que apontava uma mancha com aparência de óleo ao lado da trajetória de navios.

Em outubro, os responsáveis pela HEX foram até o Ibama apresentar a descoberta. Como a empresa tem contrato de prestação de serviço com o Ibama, eles pediram que fosse emitida uma ordem de serviço para pagar o trabalho.

“Há uma cláusula no contrato que permite a eles fazerem isso, não é ilegal. Mas como envolvia uma quantia expressiva de dinheiro, e eu ao bater o olho vi ali problemas, remeti ao meu diretor a minha avaliação”, conta Bignelli.

“Expliquei para o meu diretor que eu não tinha sido convencido, pelo aspecto da mancha e pela falta de informação no relatório. Eu trato essas imagens [de satélite] há 25 anos, tenho dois doutores no assunto aqui que ajudaram a avaliar. Disse [ao diretor] que não arriscaria meu currículo naquele relatório, que não acreditava naquele documento” – Pedro Bignelli, coordenador-geral do Cenima

No dia seguinte, segundo Bignelli, a HEX Tecnologia foi à Polícia Federal apresentar o relatório, que foi aceito pela corporação e submetido à Superintendência do Rio Grande do Norte. Em 1º de novembro, a operação foi deflagrada.

“Após a operação eu tive acesso ao relatório completo e fiz o caminho inverso: fui buscar as imagens que eles haviam usado e comprovei que meu veredito estava certo. Não era óleo, era clorofila” – Bignelli

Novos estudos sobre a origem do óleo

Bignelli afirma que o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) está desenvolvendo um novo estudo para localizar a origem das manchas de óleo.

Já que as análises de pontos mais próximos à costa brasileira ainda não apontaram uma hipótese que explicasse o que causou o maior desastre do litoral do país, os pesquisadores do Inpe passaram a vasculhar regiões a Oeste, mais próximas à África, para ver se encontram possíveis derramamentos de óleo.

“O Inpe conseguiu colecionar uma série de gráficos de navios e imagens mais a Oeste, mais à África, e também dados meteorológicos”, diz Bignelli. “O problema é que em nenhum momento este óleo foi detectável [na superfície], então não sabemos o que houve no meio do caminho [entre o derramamento e o aparecimento no litoral]”, afirma.

Mais de 100 dias de registro de manchas

Mais de 100 dias após a primeira mancha surgir em agosto, na Paraíba, 966 pontos do litoral do Nordeste e estados do Sudeste já foram atingidos pelo óleo, segundo o mais recente balanço do Ibama.

Em algumas semanas, as manchas de óleo se espalharam pelos 9 estados do Nordeste – Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe – e, em novembro, chegaram ao Espírito Santo e ao Rio de Janeiro.

Para Pedro Bignelli, será difícil encontrar uma explicação para o desastre. “Perdemos o timing”, afirmou ao G1.

“Perdemos o ‘timing’. Quanto mais passa o tempo, mais difícil encontrar a origem das manchas de óleo. Você perde as conexões, precisa mapear as correntes e, como espalhou demais, puxar o fio da meada é complicado” – Pedro Bignelli, coordenador-geral do Cenima.

Investigações

Mais de um mês após as manchas surgirem na Paraíba, o presidente Jair Bolsonaro determinou em 5 de outubro que fosse feita uma investigação para encontrar de onde vinha o petróleo. Ele deu o prazo de 48 horas para que fossem apresentados “os dados coletados e as providências adotadas”. Entretanto, as ações se concentravam em limpar as praias, já que a mancha não era visível na superfície do oceano.

Em 25 de outubro, a Petrobras informou que o óleo recolhido nas praias tinha características semelhantes àquele produzido na Venezuela.

Em 1º de novembro, a Polícia Federal deflagrou a Operação Mácula e apontou um navio grego como suspeito pelo derramamento: o petroleiro Bouboulina. Ele se tornou alvo da operação porque carregou 1 milhão de barris do petróleo tipo Merey 16 cru no Porto de José, na Venezuela, no dia 15 de julho, e zarpou no dia 18 com destino à Malásia, passando pelo Brasil em 28 de julho. Foi nesta data que a empresa HEX Tecnologias Espaciais disse ter encontrado manchas de óleo no oceano próximo à costa por onde passou o Bouboulina. O relatório foi base da operação da PF.

A empresa responsável pela embarcação no Brasil, a Delta Tankers, negou a suspeita e afirmou que “não há provas” de que o navio Bouboulina vazou petróleo na costa do Brasil. Dias depois a empresa foi notificada e, desde então, a Marinha não divulga novidades sobre a investigação.

No início de dezembro, o comandante de Operações Navais da Marinha, Leonardo Puntel, afirmou em audiência no Senado que não há provas que identifiquem o responsável pelo vazamento.

G1

 

Suspeito de matar enteado de 5 anos envenenado na Zona Sul de Natal é solto em audiência de custódia, destaca reportagem

O portal Agora RN destaca nesta terça-feira(17) que o homem suspeito de ter matado o próprio enteado de 05 anos envenenado – na zona Sul de Natal no final de semana – foi solto após audiência de custódia realizada nessa segunda(16).  O padrasto havia sido preso no sábado, 14, dia em que o caso foi registrado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil.

O homem foi preso sob a acusação de homicídio qualificado. O crime aconteceu em Candelária, bairro da zona sul de Natal. Para o juiz responsável pela audiência de custódia, não houve elementos de flagrante que sustentassem a prisão do suspeito. No entanto, o padrasto da criança será processado judicialmente e terá que cumprir uma série de medidas cautelares. Leia mais detalhes e entenda caso aqui em texto na íntegra.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Moro disse:

    Divulga o nome do Juiz?

  2. Sincero disse:

    Se fosse com o filho do juiz o que ele faria?

Homem é preso suspeito de matar enteado de 5 anos envenenado na Zona Sul de Natal, destaca reportagem

Foto: Ilustrativa

O portal G1-RN destaca a prisão de um homem suspeito de matar envenenado o enteado, uma criança de cinco anos de idade, no sábado (14), no bairro de Nova Descoberta, na Zona Sul de Natal. De acordo com a reportagem, através do delegado Júlio Costa, diretor da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o suspeito nega que tenha matado o garoto.

Segundo a reportagem, o delegado disse que o Instituto TécnicoCientífico de Perícia (Itep) confirmou o óbito por intoxicação com veneno de rato. “Só estavam ele e o menino em casa”, reforça Júlio Costa. O homem segue detido sob a acusação de homicídio qualificado.

O garoto foi enterrado na manhã desta segunda-feira (16) em jardim de Piranhas, na região Seridó potiguar.

Matéria na íntegra aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Kellington Alves disse:

    Isso foi um absurdo o rapaiz foi preso e julgado pela midia aem direito a defesa acredito em sua inocência pois trabalhei com ele e conheço a sua índole a verdadeira culpada e a mãe do garoto que está foragida

  2. João Maria disse:

    BG, eu conheço esse rapaz que está detido para os devidos esclarecimentos, mas até que se prove que ele é culpado eu acredito na sua inocência, digo isso pois eu o conheço e como diz o ditado eu só não vi ele menino nascer, ele é amigo do meu filho, dos meus sobrinhos e nos estamos estarrecidos e perplexos, mas tenho fé em Deus que a verdade vai aparecer e ele vai provar sua inocência, pois ele é muito querido por todos nós de nova descoberta.

Polícia Civil prende em Goiaininha Ailton Berto da Silva após matar jipeiro em confraternização a tiros

Foto: Reprodução

Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam Ailton Berto da Silva, 50 anos, na tarde desta sexta-feira (06), na cidade de Goianinha. Ele matou Fantone Henry Filgueira Maia, no último sábado (30), durante uma confraternização de um clube de trilhas de veículos 4×4. O crime aconteceu na praia de Santa Rita, localizada no município de Extremoz.

Ailton Berto da Silva foi detido mediante o cumprimento de um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça. De acordo com as investigações, o crime ocorreu durante um desentendimento que houve entre os participantes da festa. Ailton Berto sacou uma pistola e efetuou diversos disparos, atingindo Fantone Henry e mais duas pessoas que estavam no local.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. seturo disse:

    Deixe-me ver se entendi: A polícia, depois de matar jipeiro em confraternização, prendeu Aílton em Goianinha…

  2. Ivaneide disse:

    Parabéns a nossa polícia.

Jovem de 25 anos é preso suspeito de planejar ataque a Bolsonaro

Foto: Ana Gomes / R7

Um jovem de 25 anos foi preso em Três Corações, cidade do Sul de Minas Gerais que fica a 287 km de Belo Horizonte, suspeito de planejar um ataque ao presidente Jair Bolsonaro. A prisão aconteceu na sexta-feira (29 de novembro), na mesma data em que o chefe de Governo participou da formatura de militares em uma unidade do Exército na cidade.

De acordo com a PM (Polícia Militar), o suspeito foi preso após publicar fotos e vídeos em uma rede social que “comprometiam a segurança nacional e ameaçava, ainda, com efeito, frustrar a solenidade”.

Em uma das fotos, o jovem aparece dentro do quartel do Exército e coloca a seguinte frase: “inicia-se aqui a sequência de histórias onde estou infiltrado na toca do lobo, melhor dizendo, Exército brasileiro”. Em outra gravação, o homem aparece lixando uma escova de dentes e coloca os dizeres: “preparando minha faca para o Bolsonaro e aqui era a regra da rua'”.

Após ser preso, P. V. S. R. F. D. disse à polícia que estava na unidade do Exército porque trabalha eventualmente na empresa que presta serviços de limpeza para o quartel. Segundo o boletim de ocorrência, o jovem confirmou as postagens, mas alegou que seriam “ironias”, já que não tem o mesmo posicionamento político do presidente Bolsonaro. O detido ainda destacou que não faz parte de nenhuma entidade de classe ou grupo político.

O suspeito foi levado para a Superintendência da Polícia Federal na cidade vizinha, Varginha. Segundo a corporação, também foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão e uma medida cautelar substitutiva de prisão sobre o assunto. A investigação, que analisa crime contra segurança nacional, segue em segredo de Justiça.

Procurada, a assessoria do Exército Brasileiro disse que não vai comentar o caso e afirmou que o pronunciamento oficial deverá partir da Presidência da República. O R7 fez contato com a GSI (Gerência de Segurança Institucional) da Presidência, mas aguarda retorno.

R7

 

FOTOS: Homem suspeito de esfaquear pessoas perto da London Bridge é morto pela polícia; duas vítimas morreram e outras ficaram feridas

Policial na cena de um incidente em Londres, em 29 de novembro de 2019 — Foto: Dominic Lipinski/AP

Um homem é suspeito de esfaquear várias pessoas perto da London Bridge, em Londres, nesta sexta-feira (29), em um incidente que a polícia trata como ataque terrorista. O suposto autor do ataque foi morto por disparos da polícia.

A polícia confirmou que duas pessoas morreram no ataque; outras três estão sendo tratadas de ferimentos no hospital.

Imagens postadas em redes sociais mostraram policiais armados no local que aparentemente retiram pessoas de cima de uma outra, deitada no chão da ponte, antes de atirar nela a pouca proximidade, de acordo com o jornal “The Guardian”.

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, informou que o ataque está sendo tratado como um incidente isolado e que a polícia não busca outros suspeitos. Inicialmente, havia suspeita de que o homem usava um colete explosivo no momento do ataque, mas a polícia concluiu que o colete que ele vestia não continha explosivos.

A London Bridge foi fechada e esvaziada e a estação de metrô da ponte foi temporariamente fechada.

A London Bridge, um dos principais pontos turísticos de Londres, é uma ponte sobre o rio Tâmisa, localizada no centro da capital britânica. Ela fica perto do Borough Market, um antigo mercado de comidas também muito frequentado por turistas.

No momento do incidente, uma mulher, Karen Bosch, estava num ônibus na ponte, e contou à rede BBC o que aconteceu: “O ônibus parou repentinamente porque havia pessoas correndo pela ponte na rua, meio que olhando por cima dos ombros e filmando atrás deles. Parecia que havia uma briga acontecendo… pessoas brigando entre si. E então percebi que eram policiais lutando com um homem alto e barbudo. Estava com minha bebê, então a movi para trás da escada [do ônibus] para deixá-la segura. Depois, houve dois tiros ou dois estouros altos, acho que foram tiros”, contou.

“Então o cara estava deitado no chão. Ele puxou o casaco para trás, o que mostrou que ele tinha algum tipo de colete por baixo [não sei] se era um colete de proteção ou algum tipo de colete explosivo. A polícia então se afastou rapidamente. No ônibus, estávamos em pânico porque, neste momento, estávamos quase tão perto quanto a polícia. E ele estava meio que deitado, puxando o casaco para trás e a polícia estava gritando e se afastando dele”, completou. A polícia mais tarde disse acreditar se tratar de um falso colete explosivo.

‘Terrorismo é covarde e vil’, diz prefeito

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, pediu aos londrinos que “permaneçam vigilantes” e denunciem “qualquer coisa suspeita” à polícia.

“O terrorismo é covarde e vil. Nós devemos – e ficaremos – unidos e resolutos frente ao terror. Aqueles que buscam nos atacar e nos dividir nunca terão êxito”, declarou Khan.

Em comunicado, o premiê britânico, Boris Johnson, agradeceu à polícia e aos serviços de emergência pela “resposta imediata” ao ataque, que foi considerado “contido” por ele. Johnson afirmou que o incidente está sendo investigado, e que “qualquer pessoa envolvida nesse crime e nesses ataques será caçada e levada à justiça”.

“Este país nunca será acovardado, dividido ou intimidado por esse tipo de ataque – e nossos valores, nossos valores britânicos, prevalecerão”, declarou Johnson.

A Casa Branca também condenou o ataque e prometeu “total apoio” ao Reino Unido.

“Os Estados Unidos condenam fortemente todos os atos terríveis de violência contra pessoas inocentes, e prometemos nosso total apoio ao nosso aliado, o Reino Unido”, declarou a presidência americana em comunicado.

Este não é o primeiro ataque na London Bridge. Em junho de 2017, uma van atropelou pedestres ali e, em seguida, os terroristas esfaquearam várias pessoas no Borough Market. O atentado deixou 10 mortos, entre eles 7 vítimas e 3 suspeitos, e 48 feridos.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Menezes disse:

    Será que não foi um colega de João da Facada Fake em Bozonaro?

  2. aof disse:

    Pelo visto, a Inglaterra adora terroristas. Lá ninguem fica preocupado com o bandidinho que morreu, mas com as pessoas de bem que perderam suas vidas.

  3. Cristian disse:

    Pessoal, crime é errado e deve ser punido com cadeia. Talvez uma coça por causa do calor do momento, mas EXECUTAR nunca será algo correto, e muito menos cristão. Deus é a vida, o contrário da morte.
    Vão ler a palavra.

  4. GUEDES disse:

    Temos que nos espelhar nesses países que não dar valor a bandidos, matou resolveu na hora , não vai dar despesas p governo nem vai ter o mimimi que tem aqui

  5. CURITIBA JA disse:

    SE FOSSE AQUI O DIRETO DOS MANOS JA ESTAVA SE MANIFESTANDO A FAVOR DO BANDIDO, O POLICIAL IA SER PRESO POR MATAR UM EXCLUIDO DA SOCIEDADE COITADINHO QUE TINHA DIREITO A RESPONDER EM LIBERDADE ATÉ 3º INSTANCIA , POIS SERIA SOLTO NO OUTRO DIA NAS FAMOSAS AUDIENCIAS DE CUSTODIA

O suspeito contrato emergencial de R$ 7 milhões para quentinhas na saúde de Natal

Foto: Ilustrativa

A Secretaria Municipal de Saúde contratou emergencialmente R$ 7 milhões em quentinhas e lanches à empresa PJ Refeições Coletivas, que há nove anos detém o serviço de alimentação do sistema prisional, em processo que foi justificado pela falta de licitação para cobrir o término do contrato em vigor.

A publicação do extrato com a empresa vencedora foi realizada na edição desta sexta-feira (29) do Diário Oficial do Município.

Na justificativa técnica da Secretaria Municipal de Saúde, ao abrir o procedimento de compra emergencial, não é explicado por que a gestão tinha conhecimento de que o contrato iria ser encerrado e preferiu, ao invés de planejar uma licitação, lançar uma compra emergencial.

Sob a rubrica de George Antunes, secretário municipal de saúde, a compra emergencial fica autorizada para um período de 180 dias.

Uma correspondência em 6 de novembro passado entre a administração e uma das empresas que estava com o contrato em vigor informa sobre o fim da prestação do serviço. No dia seguinte, a SMS deflagrou o processo de compra emergencial, juntando ainda como justificativa recomendação do TCU.

O processo mencionado pela SMS sobre o TCU pode ser consultado sob o número 009.798/2019-6. Não há decisões nos autos. A secretaria ainda argumentava que só poderia manter o contrato que estava em vigor, caso a empresa Refine Refeições, prestadora do serviço, admitisse reduzir os preços praticados para o pregão eletrônico 20.040-2016, curiosamente mais caros do que os fixados originalmente, de 2014.

Para o chamado de consulta de preços, cinco empresas juntaram propostas, mas a PJ foi a única que conseguiu se habilitar para continuar na disputa.

Caberá a ela, agora, fornecer alimentação para as diversas unidades de saúde do município, caso o suspeito contrato emergencial se mantenha.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Susi disse:

    Eu disse aqui no blog do BG, acabou, mais acabou mesmo o medo dos prefeitos de irem presos, com a decisão do STF, pra beneficiar o chefe da quadrilha petista,,,
    em quanto tiver papel e tinta de lápis e bons adivogados, nenhum politico, e nenhum poderoso vai mais preso no Brasil.
    A lava jato enfraquecida, pra não dizer que acabou Ta ??.
    Então tá do jeito que o diabo gosta, viu?
    Por tanto a farra tá só comessando, no país inteiro.
    Duvido que Rodrigo Maia e Alcolumbre, bote em discussão a prisão em segunda instância pra frente.
    Eles vão prender eles mesmo? To pagando pra vê.

  2. Assis porto disse:

    Eita Prefeito

PF aponta que navio grego acusado de vazamento saiu da Venezuela; embarcação ficou atracada no país vizinho por três dias

FOTO: CARLOS EZEQUIEL VANNONI/AGÊNCIA PIXEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O navio de bandeira grega suspeito de ser a origem do óleo que atingiu praias de todos os estados da região Nordeste saiu da Venezuela, onde ficou atracado por três dias, antes do vazamento ocorrer em alto mar. Nesta sexta-feira, a Polícia Federal deflagrou uma operação em endereços ligados à empresa grega para obtenção de dados sobre a embarcação e sua tripulação.

“A embarcação, de bandeira grega, atracou na Venezuela em 15 de julho, permaneceu por três dias, e seguiu rumo a Singapura, pelo oceano Atlântico, vindo a aportar apenas na África do Sul. O derramamento investigado teria ocorrido nesse deslocamento”, afirma a Polícia Federal.

A partir de imagens de satélite, as investigações identificaram uma mancha inicial de petróleo cru a aproximadamente 700 quilômetros da costa brasileira no dia 29 de julho, de extensão ainda não calculada. Isso permitiu identificar um único petroleiro que navegou pela área suspeita na data provável do vazamento.

A PF concluiu não haver indicação de outro navio “que poderia ter vazado ou despejado óleo, proveniente da Venezuela.” De acordo com a Marinha, a embarcação chegou a ficar detida nos EUA por quatro dias, devido a “incorreções de procedimentos operacionais no sistema de separação de água e óleo para descarga no mar”.

As investigações coincidem com levantamentos de especialistas da Petrobras e da Universidade Federal da Bahia, que, embora não imputem culpa ao país vizinho, concluíram que o óleo é proveniente de campos venezuelanos. A PF afirma que o navio grego está vinculado a uma companhia de mesma nacionalidade, que não teve o nome divulgado. As investigações seguem para identificar a propriedade do petróleo transportado pelo navio.

O blog Radar adiantou que a principal suspeita do vazamento já recaía sobre navios-tanque que trafegam em alto mar sem rastreamento. É cada vez mais recorrente a prática de se desligar os transmissores para que os navios não possam ser rastreados por satélite com o intuito de burlar as barreiras e tarifas. É o chamado off transponder, que configura uma verdadeira frota crescente de “petroleiros piratas”.

Nesta sexta-feira, são cumpridos dois mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, expedidos pela 14ª Vara Federal Criminal de Natal, em sedes de representantes e contatos da empresa grega no Brasil, que não teve o nome divulgado. Foram solicitadas diligências para a obtenção de dados adicionais sobre a embarcação e sua tripulação.

“Há fortes indícios de que a empresa, o comandante e tripulação do navio deixaram de comunicar às autoridades competentes acerca do vazamento/lançamento de petróleo cru no Oceano Atlântico”, afirmam os procuradores da República no RN Cibele Benevides e Victor Mariz. Por isso, pediram os mandados de busca e apreensão.

Segundo o MPF, os responsáveis pelo vazamento devem responder nas esferas cível (com o pagamento de multas e indenização por danos morais) e penal pelo crimes de poluição e por terem deixado de comunicar o incidente às autoridades.

Desastre ambiental

O derramamento de óleo que atingiu as praias de todos os nove estados nordeste é considerado o maior do gênero em extensão. Até 29 de outubro, foram registradas manchas em 94 municípios e 264 localidades. Foram encontrados 107 animais afetados pelo óleo, com 81 mortes. Cerca de 70% dos animais contabilizados eram tartarugas marinhas.

A reação demorada e confusa ao desastre ambiental faz o governo passar do papel de vítima à condição de vilão do problema. Foi apenas em 5 de outubro, ou mais de um mês depois do primeiro sinal de alerta, que o presidente Jair Bolsonaro acionou a Polícia Federal, a Marinha e os órgãos ambientais do governo para investigar as causas do vazamento e os responsáveis por ele.

Procuradores do Ministério Público Federal na região foram à Justiça acusar o governo foram à Justiça acusar o governo de omissão e pedir que ele fosse compelido a acionar o Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo, uma espécie de protocolo que lista procedimentos a ser adotados em emergências. Para o MPF, a União foi omissa ao demorar a tomar medidas de proteção ao meio ambiente e não atuar de forma articulada na região.

A crise também ganhou contornos políticos. Enquanto as manchas de óleo se multiplicavam, a conhecida animosidade do Palácio do Planalto com os governadores do Nordeste — quase todos de esquerda — ganhou novo combustível com a cobrança por um apoio efetivo de Brasília. O ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) trocou farpas com o governador baiano Rui Costa (PT) e ouviu de Paulo Câmara (PSB-PE) que a reação federal era improvisada. O chefe da pasta também atacou o Greenpeace ao sugerir que a entidade não participa dos mutirões de limpeza e insinuou.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bolsominion disse:

    Agora é guerra! O governo prometeu boicotar a mitologia e o iogurte gregos. E, daqui a pouco, o presida vai postar um vídeo de beijo grego, mostrando a prática que será proibida em todo território nacional.

  2. Cesar disse:

    Parabéns ao traficante de petróleo Nicolás Maduro que nos deu esse presente grego, conseguiu sujar os nossos mares com o petróleo Venezuelano, empurrando pra miséria ribeirinho, catador de caranguejo, pescador e garçom. E o irresponsável do Lula ainda teve coragem de pedir voto pra essa criatura.

MPF e PF no RN obtêm mandados envolvendo navio da Grécia suspeito de derramamento de óleo no Nordeste

Foto: Ilustrativa

A Polícia Federal cumpre, nesta sexta-feira (1), mandados de busca e apreensão em uma agência marítima e na sede de representantes de uma empresa, no Rio de Janeiro. O MPF concordou com a manifestação da PF e pediu à Justiça Federal a expedição dos mandados, emitidos pelo juiz da 14ª vara criminal do RN. Os dois alvos são ligados à proprietária de um Navio Mercante (NM) de bandeira grega, indicado como origem do derramamento de óleo na costa nordestina.

O Inquérito Policial sobre o caso, no RN, teve acesso a imagens de satélite que partiram das praias atingidas até o ponto de origem (ponto zero) de forma retrospectiva. O relatório de detecção de manchas de óleo, de autoria de uma empresa privada especializada em geointeligência, indicou uma mancha original, do dia 29/07/2019, e fragmentos se movendo em direção à costa brasileira.

Com informações da Marinha, a Diretoria de Inteligência Policial da PF concluiu que “não há indicação de outro navio (…) que poderia ter vazado ou despejado óleo, proveniente da Venezuela.” Ainda de acordo com a Marinha, esse mesmo navio ficou detido nos Estados Unidos por quatro dias, devido a “incorreções de procedimentos operacionais no sistema de separação de água e óleo para descarga no mar”.

O sistema de rastreamento da embarcação confirma a passagem pelo ponto de origem, após ter atracado na Venezuela – país desenvolvedor do óleo derramado -, ao seguir viagem para a África do Sul e Nigéria.

Leia matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Juca disse:

    Pensei q tivesse sido da Venezuela kkkkkkkkk chora mundiça do bozo

  2. Irany Gomes disse:

    Cadê um vagabundo petralha da UFAL, que disse que o vazamento era no pré sal?

  3. Manoel disse:

    Parabéns ao governo federal e as polícias envolvidas na apuração do maior crime ambiental já praticado no Brasil!

  4. Maria disse:

    Bastava oferecer uma recompensa boa em dinheiro e já teria descoberto há muito tempo.

  5. Escritor disse:

    Ue? Mas nao tinha sido o Greenpeace, segundo insinuou um Ministro do Meio Ambiente. Pois diga.

    • Cesar disse:

      Apesar do GREENPEACE jogar óleo e sujeira no espaço público, dessa vez não foram eles.

PF diz que navio grego é suspeito de derramamento de óleo no Nordeste; Operação foi deflagrada nesta sexta em parceria com a Interpol

Foto: Clemente Coelho Júnior / Instituto Bioma Brasil

A Polícia Federal (PF) afirmou nesta sexta-feira que um navio grego é o principal suspeito pelo derramamento de óleo no mar que provocou a contaminação de mais de 250 praias no Nordeste.

Segundo a investigação, a embarcação atracou na Venezuela em 15 de julho e o derramamento teria ocorrido a 700 quilômetros da costa brasileira entre os dias 28 e 29 de julho. Uma operação foi deflagrada nesta sexta-feira pela PF em conjunto com a Interpol.

Segundo a PF, estão sendo cumpridos dois mandados de busca nesta sexta-feira no Rio em sedes de representantes e contatos da empresa grega responsável pelo navio. Os mandados foram expedidos pela 14ª Vara Federal Criminal de Natal/RN, em sedes de representantes e contatos da empresa grega no Brasil.

As investigações foram realizadas de forma integrada com Marinha, Ministério Público Federal, Ibama e as universidades Federal da Bahia (UFBA), de Brasília (UnB) e Universidade Estadual do Ceará (UEC). Também houve apoio de uma empresa privada do ramo de geointeligência.

De acordo com as investigações, após atracar na Venezuela, onde ficou por três dias, o navio seguiu para Singapura, tendo aportado apenas na África do Sul. O derramamento teria acontecido durante esse translado.

Não há ainda informações sobre quem seria o responsável pelo petróleo abastecido na Venezuela. Foram solicitadas diligências adicionais à Interpol para buscar dados adicionais sobre a embarcação, tripulação e empresa responsável.

A investigação é pelo crime de poluição e por um artigo da legislação brasileira que pune o fato de não ter havido comunicações às autoridades sobre o incidente ocorrido em alto mar. O óleo que contamina as praias nordestinas desde 30 de outubro deste ano já atingiu 286 localidades em 98 municípios nos nove estados do Nordeste.

Relembre

Na última quarta-feira, o comandante da Marinha, almirante de esquadra Ilques Barbosa , havia reiterado que a investigação sobre o derramamento de óleo que atingiu o Nordeste estava concentrada em 10 navios de 11 bandeiras diferentes, uma vez que um deles podia ter duas bandeiras. No mesmo dia, o vice-presidente Hamilton Mourão já havia alertado que o governo federal poderia anunciar o navio responsável nesta semana, mas foi desautorizado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Na semana passada, Barbosa havia dito que as principais suspeitas recaíam sobre 30 navios. O comandante ressaltou, no entanto, que nenhuma hipótese está descartada.

O Globo

 

Caso Marielle: chefe do MP revela que porteiro mentiu sobre ida de suspeito a casa de Bolsonaro

Nome do presidente Jair Bolsonaro foi envolvido no caso do assassinato da vereadora Marielle Franco (Isac Nóbrega/ PR/ Divulgação / Mídia Ninja/Reprodução)

A procuradora do Ministério Público Simone Sibilio, chefe do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO), confirmou que o porteiro que envolveu o nome do presidente Jair Bolsonaro na morte da vereadora Marielle Franco mentiu em depoimento à Polícia Civil. De acordo com Simone, quem autorizou a entrada de Élcio de Queiroz no condomínio do presidente é Ronnie Lessa, suspeito de ter feito os disparos.

Mais cedo, um investigador relatou a suspeita da mentira à VEJA. Foram prestados dois depoimentos. No primeiro, relatou que ligou para casa de Bolsonaro. No segundo, confrontado com o áudio de sua conversa, manteve a versão, mas deixou dúvidas nos investigações em relação a veracidade das informações prestadas.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael disse:

    Existe o áudio gravado do dia da ação dos milicianos, no sistema do condomínio onde, por mera coincidência, mora o presidente e, se aqui fosse um lugar sério, essa gravação chegaria ao MP, mas vai desaparecer, assim, igual ao Queiroz.

  2. Rafael disse:

    Essa novela está apenas no começo. no final termina tudo bem, para todos os envolvidos.

  3. Amadeu disse:

    Será que botaram o porteiro numa panela de pressão? Quem será que pressionou o pobre?

  4. Ivan disse:

    Logo irá ser elucidada uma ligação desse caso com o Adélio…Merda grande vem por aí…Já q não conseguem matar o presidente, querem incrimina-lo a todo custo…A bandidagem q comandava esse pais não descança…Imprensa envolvida tb, quer derruba-lo em troca de promessa de verbas…

  5. Paulo disse:

    BG
    Personalidade e caráter não é para qualquer um, essa rede boba tem que ser fechada. CNN Brasil já.

  6. Rodrigo Maker disse:

    Agora, cabe saber quem induziu o porteiro a mentir. Talvez, assim, cheguem ao mandante de Adélio Bispo, também.😉

  7. joão disse:

    Agora não diga que mentiu pra ver o que ia acontecer…ele não é doido não…ainda assim deve levar um corretivo dos irmãos metralhas!

  8. Tarcísio Eimar disse:

    Esse se Fu. perdeu o emprego e ganhou um processo

Polícia Civil prende na Grande Natal suspeito de envolvimento na morte de empresário paraibano

Foto: Ilustrativa

Policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR), em ação conjunta à Delegacia de Homicídios de Patos, da Polícia Civil da Paraíba, prenderam o suspeito pelo homicídio do empresário Edigar Pascoal Nunes, morto em agosto deste ano, na cidade de Patos. José Carlos da Silva Nascimento, conhecido como “Cacau”, de 24 anos, foi preso em cumprimento a um mandado de prisão temporária, na manhã desta quarta-feira (23), quando estava na cidade de São José de Mipibu.

Investigações da Polícia Civil paraibana revelaram que o crime foi planejado e executado pela companheira da vítima e por “Cacau”, os quais mantinham um relacionamento amoroso. Na noite do dia 20 de agosto, a companheira da vítima deu remédio para que o empresário dormisse e, logo após, “Cacau” entrou na residência e executou covardemente o empresário, efetuando vários disparos de revólver calibre 38.

A Polícia Civil descobriu que, após a prisão da mulher, “Cacau” fugiu para a cidade de São José de Mipibu, com o intuito de ficar escondido na casa de familiares. Investigações realizadas pelos policiais civis da DEICOR e da Delegacia de Homicídios de Patos resultaram na localização do foragido e na efetivação da prisão. Durante interrogatório realizado na DEICOR, o suspeito confirmou a sua participação no homicídio e deu detalhes de como agiu durante a execução do empresário.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181, Disque Deicor, pelo telefone: (84) 3232-2862 ou aplicativo WhatsApp, no número: (84) 98135-6796

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. aof disse:

    E o que aconteceu com a companheira da vitima?