Ex-deputado federal Wanderley Mariz morre após luta contra covid-19

Atualizado às 15h58

Internado desde o dia 27 de junho na UTI do Hospital São Lucas, em decorrência da Covid-19, o ex-deputado federal Wanderley Mariz, de 79 anos, teve a sua morte confirmada na tarde desta quinta-feira(02).

Wanderley era natural de Caicó, e filho do ex-senador e ex-governador do Rio Grande do Norte, o saudoso Dinarte Mariz.

Como político, Wanderley exerceu três mandatos de deputado federal pelo Rio Grande do Norte. Foi advogado com Bacharelado em Direito pela Universidade Federal Fluminense.

Com acréscimo de informações do Blog Flávio Marinho

Morre o médico Paulo Matos vítima da Covid-19

É com pesar que o Blog informa mais uma morte de um médico no Rio Grande do Norte vítima da Covid-19. Trata-se do Dr. Paulo Matos, gastroenterologista pediatra e professor da UFRN.

Há menos de uma hora, o Blog havia noticiado o falecimento do pediatra Nivaldo Serreno de Noronha Júnior, de 52 anos, também vitima de coronavírus.

Ficam os sentimentos do Blog aos familiares e amigos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gil Soares disse:

    Ao sabermos dessa notícia no interior do estado, ficamos muito triste. Ótimo é pouco, foi um excelente ser humano. Meus pêsames a toda família.

  2. Eliane Cavalcante de Brito disse:

    estou totalmente arrasada. foi meu médico por 22 anos. vá em paz meu médico e amigo querido Deus o receba com toda honrra e toda gloria.

  3. Francisco de Sales Matos disse:

    Boa tarde, a todos e a todas.
    Meu irmão Paulo Matos foi tragado pela morte, agora pela manhã, após renhida, heróica e brava resistência pela continuidade da vida! Até poucos dias triunfava ele altaneiro, vitorioso nos campos de batalha da saúde, pela saúde alheia, esmero e bravura que nem sempre dedicava a sua.
    Com esse altruísmo e senso humanitário, cuidando mais dos outros que de si, como estão a fazer muitos heróis da saúde, tergiversou diante desse agora potente inimigo, com aparência infensa, por microscópico que é, chamado covid, cuja força ladina e cruel, parece catapultada por outras forças que se dizem ocultas, mas cujo epicentro, desconfiam, encontra-se na nossa macro política.
    E assim, vítima dessa covardia ímpar, juntamente com mais 60 mil brasileiros, mais um guerreiro tomba, como que apunhalado pelas costa, nos deixando órfãos de sua maestria médica, de seus diagnósticos precisos, alguns até nacionalmente reconhecidos, de sua pedagogia.
    Diante disto, embora saiba que sua vida se perpetuará nos exemplos que protagonizou, nas vidas que salvou, no humanismo que espraiou, sobretudo nas salas de aula do curso de medicina da nossa UFRN, a dor que a saudade nos impõe eh por demais violenta.
    Mas, são os desígnios de Deus e não adianta contrariá-los. Em contrapartida, contamos com a fé e a solidariedade dos amigo que nos confortam imensamente, com suas meigas e carinhosas mensagens.
    Em sendo assim, só nos resta reverenciar a memória do nosso Irmão, e pedir a Deus que o receba em sua morada, onde já o aguardam nossos pais e um outro irmão!
    Obrigado a todos!
    Francisco de Sales Matos

  4. Larissa Matos disse:

    Sou sobrinha de Tio Paulo. Vou deixar o link aqui do “velório virtual” para quem quiser deixar mensagens. Obrigada por todas as mensagens de carinho.

    https://www.moradadamemoria.com.br/perfil/2310

  5. Maria Cristina disse:

    Muito triste com a morte de Dr. Paulo…rezemos por ele em forma de agradecimentos por todo o bem que ele fez a quem mais precisou dele. Jamais será esquecido e amado…Descanse em paz Dr.Paulo, sua missão foi grandiosa.

  6. Ana Silva disse:

    Concordo isolamento é fundamental e assim que tenho escapado muito triste essas duas perdas descanço eterno pra eles e meus sentimentos aos familiares e amigos descanse em paz

  7. Rivelino monteiro disse:

    Meu deus! Guarde um bom lugar pra dr.paulo, que profissional, muito bom médico. Meus sentimentos aos familiares.

  8. Micarla vicente disse:

    Muito triste cuidou de
    mim 22 anos ,hoje devo
    a ele a minha saúde. Gratidão ao grande profissional.
    Muito preciso nos seus diagnóstico,arrasada.

    • Analice Viana disse:

      Muito triste também. Cuidou de mim por muitos anos. Só confiava nele.

  9. Patrícia Dias disse:

    Muito triste essa notícia, gastro do meu filho a 13 anos, muito atencioso, foi quem deu o diagnóstico do meu filho, médico muito competente, e como pessoa, um ser incrível, sempre muito prestativo… Que Deus possa confortar o coração de toda família, meus sentimentos 😥

  10. Jirlane disse:

    Dr Paulo matos obgda por ter te conhecido a tempo.tempo de cuidar dos meus filhos e de TB e jamais eu vou esquecer de qdo eu aí com meus resultados e ele vc sempre c novidade hem.e um grande médico q exerceu d verdade a profissão q ele escolheu.como não posso mas te encontrar q as vezes eram horas d espera no consultório mas eu sabia que era o melhor diagnóstico sem medo de ser feliz só peço pra Deus q vc esteja em bom lugar obrigada por tudo dr Paulo matos castro

  11. Francisca Paula Barbosa disse:

    Muita tristeza!😪😪😪😪

  12. Joseane disse:

    Excelente médico acompanhou meu filho por muito tempo que deus te coloque e um bom lugar

  13. Conceição disse:

    Grande perda. Um excelente gastro. Era um anjo para seus pacientes. Sempre respondia minhas mensagens quando precisava. Não tinha hora para isso. Vá em paz meu amigo. Que Deus te receba em sua nova morada .

  14. Paulo Roberto disse:

    Paulo Matos de Castro. Foi meu colega de turma, um profissional competente e dedicado, uma pessoa afável, alto astral e muito querida por todos.Um ser humano diferenciado.
    Lamento muitíssimo!
    Que Deus o receba na nova morada e que descanse em paz!

  15. Telma Araújo disse:

    Não encontro palavras para expressar meus sentimentos. Dr. Paulo investigou minha doença e com o diagnóstico cuidou de mim por 14 anos. Há dois meses me dizia para ter cuidado com a covid. Fez tantas recomendações. Mais que um médico foi um amigo. Abriu sua casa para receber pacientes de Doença de Cronh e Colite, nos acolheu com amor, solidariedade e respeito. Em nome dos pacientes da ABCD REGIONAL NATAL e da DDIRN deixamos nossos pêsames aos seus familiares, funcionários e amigos. Descanse em paz, DR. PAULO MATOS.

  16. Geniara disse:

    Que tristeza .um dos profissionais mais humano que já conheci na vida.foi médico a minha pequena o único que deu diagnóstico. Sempre com bom humor educado. Sereno um ser humano ímpar.qye Deus lhe dê o descanso eterno.

  17. Sara disse:

    Mas vamos abrir o comércio, hj tá todo mundo nas ruas, ninguém tá nem aí pra se proteger… Depois reclamam q não tem vaga nos hospitais.. Povo sem consciência

  18. Josy disse:

    O maior gastropediatra do RN, estou arrasada médico da minha filha, há 10 anos, o único que fechou o diagnóstico. Um investigador, sempre estudando em busca de melhorar a vida de seus pacientes . Estou sem acreditar. Deus receba em seus braços, e que tenha descanso e paz.

  19. Veronica disse:

    Sem acreditar, muito triste essa notícia. Dr Paulo Matos um excelente profissional, ser humano incrível. Meus sentimentos aos familiares e toda sua equipe d trabalho!

  20. Rosana/sanare disse:

    Dr. Paulo um grande amigo extrovertido sempre bem humorado . Vá com Deus amigo vc estará sempre em minhas lembranças

  21. Glória Viana disse:

    Quero me solidarizar com a família. Principalmente a senhora sua mãe, pois sei e sinto que NÃO há dor maior.
    Que Deus proteja a todos. 😔😔

  22. Joseneide A Silva disse:

    Joseneide Azevego da silva 01/07/2020
    Muito triste 😭😭😭 com o falecimento deste grande profissional. D. Paulo era meu gastro a muitos anos o qual o transpassava muita confiança aos seus paciente. Descanse em paz nos braços do pai e minhas condolências a família e seus pacientes , amigos e funcionários.

  23. Márcia Nelly disse:

    Estou muito chocada ,a morte de Dr.Paulo deixa no meio médico uma grande perda ,meu médico a mas de 20 anos 😭😭😭😭😭😭

  24. Juliana Medeiros disse:

    Agradeço imensamente a todos q estavam em oração por dr. Paulo Matos, foi dada a permissão de Deus p a sua partida, sofreu muito durante esses últimos dias, a vinda do Senhor foi um descanso, não merecia o sofrimento por toda a bondade q plantava na vida, meu coração dói pois não poderei mais vê-lo e dizer o quanto ele é especial, não poderá mais atender minhas ligações as 3hs, 5hs da manhã, quando meu filho precisar, e todas as outras crianças q ele acompanhava como um pai. Só tenho gratidão por esse homem humilde e humano, q nunca conheci pessoa igual. Deus o guarde em sua proteção. 😭

    • rosangela gomes disse:

      concordo plenamente com vc, doi saber que ele se foi. Um excelente médico. Que Deus o coloque em um bom lugar

  25. Tom França disse:

    Muito triste e surpreso com essa notícia. Dr. Paulo era o meu gastro, mas além disso era um grande ser humano. Minhas condolências a família.

  26. Carlos Morais disse:

    É preciso sabermos em que estágio da Covid-19, o paciente é tratado e se fez ou não uso do kit amplamente prescrito para evitar que evolua ao óbito, como tem acontecido com tantos profissionais da saúde.

    • Manoel disse:

      Nenhum kit tem eficácia comprovada em parte alguma do mundo.
      O melhor remédio é o isolamento enquanto a vacina não vem.

As ‘comorbidades silenciosas’ que podem levar pacientes com Covid-19 à morte

Foto: EPA/RAPHAEL ALVES

Em meio ao crescimento exponencial de infecções e mortes por Covid-19 no Brasil, uma característica presente em diversos casos mais graves preocupa os profissionais de saúde: as comorbidades desconhecidas pelos pacientes ou que não são tratadas adequadamente.

Segundo médicos ouvidos pela BBC News Brasil, são comuns casos de pacientes com doenças pré-existentes como diabetes, hipertensão e tuberculose que desconhecem tais comorbidades até serem internados com Covid-19. Outra preocupação também é com aqueles que sabem da enfermidade, mas não fazem o tratamento adequado.

Para os profissionais da área, a situação representa um retrato da saúde dos brasileiros e traz à tona questões culturais nas quais a atenção primária não recebe o devido cuidado. Para muitos pacientes, médicos e unidades de saúde devem ser procurados apenas em casos de doença.

No contexto da Covid-19, comorbidades como diabetes, obesidade, hipertensão, tuberculose, entre outros, aumentam o risco de agravamento do quadro do paciente. Para aqueles que não tratavam as enfermidades previamente, a evolução da doença causada pelo novo coronavírus pode ser ainda pior. Segundo especialistas, muitos desses casos poderiam não ter uma evolução tão grave se a pessoa fizesse o tratamento adequado da doença pré-existente.

“A Covid-19 se tornou um novo momento para muitos pacientes descobrirem questões ocultas sobre a própria saúde, principalmente aqueles que não se cuidavam ou não tinham acesso ao serviço de saúde”, declara a médica Denize Ornelas, diretora de comunicação da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade.

Ornelas frisa que um paciente com uma doença pré-existente que está controlada, por meio de tratamento, pode apresentar uma resposta melhor à Covid-19. Ela pontua que, em casos de pessoas que não têm a comorbidade controlada, muitas vezes o médico precisa aliar o tratamento contra a Covid-19 com medicamentos para a doença pré-existente. “Nesse caso, a atenção precisa ser ainda maior”, ressalta.

Uma das principais formas de atenção primária no Brasil é o programa Saúde da Família, criado nos anos 90 por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). A iniciativa atinge cerca de 65% da população. O projeto, porém, enfrenta dificuldades como a sobrecarga de equipes em algumas regiões e a falta de hábito entre os brasileiros, que nem sempre compreendem a importância das medidas preventivas relacionadas à saúde.

Doenças pré-existentes

O infectologista Alexandre Naime, chefe de Infectologia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu (SP), tem presenciado casos de pacientes com a Covid-19 que desconheciam as próprias comorbidades. Ele revela que é comum acompanhar pessoas com sobrepeso, mas que não acreditavam que façam parte do grupo de risco.

“Infelizmente, temos notado muitos pacientes com a Covid-19 que têm um IMC (Índice de Massa Corporal) que se enquadra na obesidade, mas não percebiam. Isso é preocupante. Estamos identificando muitas doenças, até então desconhecidas pelos pacientes, nas internações, como hipertensão e diabetes. São mazelas motivadas por hábitos ruins ou questões genéticas. Elas fazem com o que o paciente esteja no grupo de riscos da Covid-19”, diz Naime.

“Muitos não costumam buscar ou não conseguem acompanhamento médico antes da doença. Essas pessoas, normalmente, têm baixa percepção dos riscos de suas doenças, que incidem na população em geral. Nunca fizeram avaliação preventiva, nunca se preocuparam com o peso”, acrescenta o infectologista.

Especialistas ouvidos pela reportagem apontam que obesidade, hipertensão e diabetes são as comorbidades desconhecidas, ou sem tratamento adequado, mais comuns entre pacientes com quadro grave de Covid-19 — elas também são as doenças crônicas mais comuns entre os brasileiros em geral, conforme o Ministério da Saúde.

Ainda segundo os especialistas, outras enfermidades como tuberculose, doença pulmonar obstrutiva crônica e problemas cardíacos também podem estar entre as mazelas desconhecidas por pacientes infectados pelo Sars-Cov-2, nome oficial do novo coronavírus, que são internados em estado grave.

As doenças pré-existentes costumam ser descobertas em meio aos diversos exames feitos em pacientes internados com a Covid-19.

Para os médicos ouvidos pela BBC News Brasil, um dos principais motivos para que essas comorbidades não tenham sido descobertas previamente em diversos casos é porque são silenciosas. Desta forma, como muitos deixam de fazer exames preventivos, acabam descobrindo a mazela apenas quando sente alguma dificuldade.

“Nem todos têm acesso à atenção primária com facilidade no Brasil ou se preocupam em se prevenir. Por isso, é comum que descubram a doença apenas quando já está em estágio avançado, quando a saúde está descompensada. Isso tudo traz uma série de consequências, porque a pessoa não se cuida desde o princípio e isso pode aumentar riscos de infartos, derrames ou insuficiência cardíaca”, aponta o médico intensivista José Albani de Carvalho.

Albani, que também está na linha de frente dos casos do novo coronavírus, trabalha em diferentes unidades de terapia intensiva (UTI) de São Paulo. Ele acompanhou casos de pacientes graves com o novo coronavírus que descobriram que possuíam comorbidades durante a internação.

“Na realidade, a Covid-19 só torna essa situação (da falta de diagnósticos para doenças pré-existentes) mais evidente. Isso é uma situação crônica, principalmente nas classes de menor poder econômico. Países pobres ou em desenvolvimento costumam sofrer com essa baixa prevenção”, afirma Albani.

Saúde da família

O principal projeto no Brasil para a atenção primária é o programa Saúde da Família. O pesquisador Eduardo Melo, da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, aponta que a iniciativa é um meio fundamental de acesso da população da periferia ao SUS.

“Essas unidades básicas de saúde (ligadas ao Saúde da Família) têm três grandes funções: acolher a demanda espontânea, como criança com febre ou uma pessoa gripada; fazer um cuidado continuado, no qual cria vínculos com os pacientes, porque acompanha as pessoas; e lidar com riscos e vulnerabilidades no plano coletivo, como captar e ajudar pessoas com maiores vulnerabilidades”, explica Melo.

“As equipes de saúde básica buscam descobrir precocemente pessoas com condições ou doenças crônicas, para prevenir essas doenças ou impedir o agravamento delas, por meio de acompanhamento. São unidades preparadas para tratar pessoas com tuberculose, por exemplo, e iniciar tratamento”, acrescenta.

As equipes das unidades básicas também costumam identificar grupos de riscos, pessoas que não costumam fazer exames e aquelas que possuem histórico familiar para possíveis doenças pré-existentes. “Com base nesse parâmetro, as equipes vão rastrear as pessoas. Mas claro, nem sempre consegue atender a todos”, diz Melo.

Em todo o país, há 43 mil equipes do Saúde da Família, formadas por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde.

O programa costuma ter mais resultados em pequenos municípios. Em cidades maiores, por diversas vezes a iniciativa não tem equipe para cobrir toda a população. “A melhor alternativa é contratar mais equipes e expandir o funcionamento desses locais, pois muitos estão abertos de segunda a sexta-feira, em horário comercial. Nem todos os pacientes podem procurar ajuda nesse período”, pontua o pesquisador.

Outro problema enfrentado no projeto, aponta Melo, é a questão cultural que aponta que médicos devem ser procurados somente em caso de doença.

“Um paciente internado tem pouca possibilidade de escolher o que os profissionais de saúde farão para ajudá-lo. Mas não é assim quando é um atendimento preventivo, pois o paciente está andando ao ar livre. Às vezes, existem questões culturais (sobre a busca por atendimento médico). A simples presença do Saúde da Família no lugar não vai mudar tudo. Isso impacta a vida das pessoas, mas não quer dizer que não haverá desafios e dificuldades”, declara.

Os homens costumam ser os que mais ignoram os cuidados com os problemas de saúde. “Há muitos que não se cuidam. É uma questão cultural”, afirma.

Em decorrência da pandemia do novo coronavírus, atendimentos considerados não essenciais estão sendo desmarcados nas unidades básicas de saúde. A atenção primária tem feito poucos procedimentos preventivos, pois o principal foco é o enfrentamento à Covid-19.

Em nota à BBC News Brasil, o Ministério da Saúde afirma que tem orientado os gestores locais de saúde que os atendimentos essenciais sejam mantidos e que os procedimentos eletivos, que não precisam de urgência, sejam adiados. A pasta pontua que uma das opções para continuidade dos atendimentos nas unidades básicas é a telemedicina, visitas domiciliares ou outras formas, desde que sejam adotadas as medidas de precaução adequadas.

O ministério diz que, para reforçar o atendimento médico da atenção primária, facilitou emergencialmente a adesão dos municípios ao programa Saúde na Hora, “possibilitando o aumento de repasses federais para 28 mil unidades de saúde menores reforçarem o atendimento durante a pandemia”. Assim, segundo a pasta, muitas unidades passaram a flexibilizar o atendimento para o público acessar os serviços ofertados nos postos de saúde.

“Vale reforçar que o Sistema Único de Saúde (SUS) é tripartite e funciona com a articulação das ações entre Governo Federal, Estados e Municípios. Sendo assim, cada esfera tem autonomia para tomar decisões que estão sob a sua gestão”, diz nota do Ministério da Saúde.

BBC

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Beto Araújo disse:

    E aínda tenho amigos que não acreditam no vírus e a maioria é diabético…

Espanha não registra nenhuma morte por Covid-19 em 24 horas

Foto: Ilustrativa

Pela primeira vez desde março, a Espanha não registrou nenhuma morte por Covid-19 nas últimas 24 horas.

Como noticiado na semana passada, a divulgação dos dados sobre o novo coronavírus tem sido questionada no país. O governo espanhol mudou recentemente a metodologia no cálculo do número de casos e de mortes causadas pela doença — e chegou a reduzir em 2 mil o número de óbitos em um único dia, no fim de maio.

Apesar dos questionamentos, o país manteve o mesmo número total de mortos anunciado no dia anterior — 27.127.

Como registramos na última sexta-feira, o Brasil superou a Espanha em número de mortes pela Covid-19.

O Antagonista

Pai do jornalista Ênio Sinedino morre aos 87 anos

Durval Olégario de Oliveira, 87 anos, pai do jornalista Ênio Sinedino, diretor da 96 FM, faleceu na madrugada desta quarta-feira(27), vítima de infarto agudo do miocárdio.

Durval Olégario de Oliveira estava em casa dormindo. Diante desses tempos de pandemia, o enterro será restrito a família, por questão de segurança.

Ficam os sentimentos do Blog aos familiares e amigos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anônimo disse:

    Desejo que DEUS conforte a família. Deixo aqui meu sentimento de pesar.

  2. Luiz Costa disse:

    Meus pêsames para Ênio e familiares, que DEUS os conforte.

  3. Antonio Turci disse:

    Nossos sentimentos ao Ênio e demais familiares.

Baleado no rosto é deixado na frente da sede do Samu em Natal e morre durante atendimento

Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

O portal G1-RN destaca. Ocupantes de um carro branco abandonaram um homem baleado no rosto em frente à sede do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Natal no início da tarde desta quinta-feira (7). Ele foi socorrido por uma ambulância que chegava à unidade na hora, mas não resistiu e morreu.

O caso aconteceu na Avenida Nascimento de Castro, no bairro Dix-Sept Rosado, na Zona Oeste da capital. A equipe do Samu informou que o homem tinha marcas de tiros no rosto e não precisou se ele também foi atingido em outras partes do corpo. Matéria com ais detalhes aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junior disse:

    Meus sentimentos aos familiares que DEUS conforte todos Família! 🙌🏻🙏🏻😭

João Doria, esposa e filhos são ameaçados de morte; polícia investiga

Foto: Reprodução/Arquivo

O governador de São Paulo, João Doria, encaminhou mensagens contendo ameaças de morte enviadas a esposa Bia Doria para a inteligência da Polícia Civil. Nas mensagens, Doria, Bia e os filhos do casal teriam sido ameaçados, segundo o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

Desde que a quarentena começou no estado que o governador de São Paulo tem sofrido ameaças. No final do mês de março, Doria recebeu mensagens nas redes sociais e no próprio celular afirmando que a residência dele seria invadida.

O advogado de Doria , Fernando José da Costa, vai entrar com uma ação criminal contra a autora das mensagens enviadas para Bia.

Quarentena

Com baixa do isolamento social, a cidade o estado de São Paulo teve um aumento significativo de novos casos confirmados da Covid-19 , o novo coronavírus .

Na capital, as medidas passaram a ser mais rígidas para dificultar a circulação de pessoas e o contágio pelo vírus , apesar da previsão estadual de flexibilização do comércio prevista para o dia 11 de maio.

Último Segundo – IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Véi de Rui disse:

    Quem mora em São Paulo a ameaça de morte é nítida devido esse vírus que tá dando sem pena

  2. Paulo disse:

    BG
    Esse "governador" de S.P. quer se manter na midia a todo custo. Incrível este individuo, o que ele tem feito de enfrentamento ao governo Federal não está no gibi,todo dia fazendo pantim na TV. com essa "prestação de contas" junto com o babaca do prefeito covas. Deveriam terem vergonha dessa campanha sórdida e cuidar dos Paulistanos que lhe elegeram e estão abandonados.

    • Amauri disse:

      Quem tem que tomar vergonha na cara são o minions tipo você que passam pano diariamente para os ataques à constituição promovidos pelo seu mito golpista de araque que ao invés de mandar o povo ficar em casa, mobiliza e apoia campanha presidencial pra 2022 e ainda debocha dos mortos que só aumentam no Brasil pelo covid e pela incompetência desse psicopata. VOCÊS minions criaram esse monstro .

Irrfan Khan, ator indiano de ‘As aventuras de Pi’ e ‘Quem quer ser um milionário?’, morre aos 53 anos

Foto: Reprodução/CNN

O astro de Bollywood Irrfan Khan, conhecido no mundo todo por seus papéis em As aventuras de Pi (2012) e Quem quer ser um milionário? (2008), morreu nessa quarta-feira (29) aos 53 anos. A informação foi confirmada pelos agentes do ator.

“É triste que neste dia temos que anunciar a notícia da morte dele”, disse a agência Hardly Anonymous Communications em nota. “Irrfan tinha uma alma forte, era alguém que lutou até o fim e sempre inspirou todos que chegavam perto dele.” Ele era casado e tinha dois filhos.

Khan, um dos atores mais conhecidos e mais adorados da Índia, revelou em março de 2018 que havia sido diagnosticado com um raro tumor neuroendócrino, um crescimento anormal que começa nas células neuroendócrinas do corpo, segundo a clínica Mayo.

O ator ficou famoso em Bollywood com papéis em diversos filmes indicados a prêmios, como Life in a… Metro (2007) e The lunchbox (2013).

Ele ganhou fama internacional quando interpretou um inspetor policial em Quem quer ser um milionário, filme que ganhou oito Oscars, incluindo Melhor Filme, e sete Baftas, considerado o Oscar britânico.

Khan se destacou ainda por seu papel em A vida de Pi, obra que ganhou o Oscar de Melhor Diretor. Ele também participou de grandes produções norte-americanas, como O espetacular Homem-Aranha (2012) e Jurassic World (2015).

CNN Brasil

FOTOS: A visita que virou tragédia em família por causa do coronavírus: ‘perdi meu marido e meu pai em dois dias’

Uma visita dos pais de Márcia se tornou uma tragédia, após idoso e marido dela morrerem em decorrência da Covid–19 — Foto: Arquivo pessoal/BBC

Uma visita dos pais, em 12 de março, representou o início da fase mais difícil da vida da enfermeira Márcia Cristina dos Santos, de 50 anos.

Os aposentados Adalgiza Gonçalves, de 80 anos, e Benedito dos Santos, 84, deixaram o pequeno município de Uraí (PA), onde moravam, e seguiram a Brasília para visitar a filha e o genro. A viagem havia sido marcada meses atrás. O plano inicial era que eles passassem algumas semanas na casa da filha na capital federal.

Márcia acompanhava sem muita preocupação as notícias sobre o novo coronavírus. Na data em que os pais dela chegaram, em todo o Brasil havia 77 casos confirmados pelo Ministério da Saúde, sendo apenas dois deles no Distrito Federal. Não havia nenhum registro de morte no país. Na época, não havia orientações de autoridades sobre isolamento social ou para que as pessoas evitassem viagens com destinos nacionais.

“Até então, o vírus parecia uma situação distante. Pensava que fosse algo que logo passaria”, revela Márcia.

Após os primeiros registros, o Brasil enfrentou um crescimento exponencial de casos de Sars-Cov-2, nome oficial do novo coronavírus. Até a quarta-feira (22/04), havia mais de 45,7 mil registros e 2,9 mil mortes.

“Não acreditava que fosse chegar ao nível em que as coisas chegaram. Não estava acompanhando muito as notícias no começo, por isso não tinha a dimensão do problema”, diz Márcia, que há um ano deixou a profissão de enfermeira para abrir um ateliê de costura.

Márcia e o sargento José Romildo Pereira estavam juntos havia uma década e tinham muitos planos para o futuro — Foto: Arquivo pessoal/BBC

O marido dela, o sargento da Polícia Militar José Romildo Pereira, era mais preocupado com o novo coronavírus. Por trabalhar nas ruas, ele temia levar o vírus para casa. Desde os primeiros registros no país, ele passou a adotar medidas como a higienização constante das mãos e não tinha contato com a esposa antes de tomar banho, após retornar do serviço.

A família tinha diversos planos para os próximos meses. Márcia e José, que estavam juntos havia 10 anos, desfrutavam da casa que haviam construído recentemente. Em abril, o policial entraria de férias. Até junho, ele deveria se aposentar, após 30 anos de trabalho na PM.

Os planos, porém, foram tomados pelo novo coronavírus. No início de abril, Márcia perdeu o marido e o pai. Ela não conseguiu se despedir ou acompanhar o breve enterro deles, pois também foi diagnosticada com a Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus.

“Está sendo muito difícil. Ainda estou anestesiada, porque não parece verdade. A minha ficha ainda não caiu. Tudo isso aconteceu tão de repente”, diz à BBC News Brasil.

Os primeiros sintomas

Quatro dias após chegar a Brasília, Benedito apresentou dificuldades neurológicas — sintomas atribuídos ao novo coronavírus. “O meu pai começou a perder noção de dia e hora. Ele nunca tinha passado por isso. Eu e minha mãe estranhamos”, detalha. Com o passar dos dias, a situação se agravou. “Ele ficou muito diferente. Sempre foi uma pessoa ativa, mas estava muito cansado e esquecido. Depois, começou a ter febre”, relata Márcia.

No mesmo período, José também apresentou problemas de saúde. “Ele teve febre e ficou muito cansado”, diz a viúva. O policial era diabético e tinha problemas pulmonares, em decorrência de complicações de saúde de anos atrás.

Os parentes acreditaram que os dois pudessem estar com uma gripe forte. Os dias passaram e os sintomas pioraram. Em 22 de março, Márcia levou o marido ao hospital. “Ele foi diagnosticado com uma gripe alérgica”, relata. Desde os primeiros sintomas, o sargento se afastou do trabalho.

Adalgiza e Benedito moravam no interior do Paraná e foram a Brasília para visitar a filha — Foto: Arquivo pessoal/BBC

O casal retornou para casa. No período, o crescimento exponencial de casos de Covid-19 no Brasil começou a chamar a atenção de Márcia e eles passaram a usar máscaras. Ela já considerava o coronavírus como uma ameaça real.

O sargento continuou com febre alta, mesmo tomando os medicamentos recomendados após o atendimento médico.

“No dia 26 de março, ele começou a ter sintomas piores, como dificuldades para respirar, dores nos pulmões e uma tosse muito seca. Levei ele ao pronto-socorro e a saturação de oxigênio dele estava muito baixa”, relata.

José foi internado com urgência e encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os exames apontaram indícios de pneumonia, com características semelhantes às da Covid-19.

Após deixar o marido no hospital, Márcia voltou para casa e soube que os problemas de saúde do pai haviam piorado. “Chamamos uma ambulância e o acompanhei até o Hospital da Asa Norte (HRan), em Brasília. Estive com ele durante toda aquela madrugada”, comenta. Ele também foi considerado um paciente suspeito de Covid-19, em razão dos problemas respiratórios e da tomografia apontar comprometimento nos pulmões.

Márcia confessa que chorou copiosamente ao chegar em casa, após ver o marido e o pai no hospital.

No dia 27 de março, ela não saiu mais de casa. Após ter sintomas como cansaço, tosse e falta de ar, ela procurou atendimento e os médicos também a consideraram como um caso suspeito de Covid-19. Em razão disso, teve de ficar em isolamento.

Em sua própria casa, ela se trancou em sua suíte para evitar contato com a mãe. “Precisava proteger a minha mãe, porque ela é hipertensa e poderia até mesmo morrer se pegasse o vírus”, diz. A idosa foi a única entre os quatro que não apresentou sintomas de Covid-19. “A minha mãe nunca foi de dar muitos abraços ou beijos, então acho que isso evitou que ela pegasse o vírus”, diz.

Os resultados dos exames de Márcia, José e Benedito deram positivo para Covid-19. “Não sabemos quem pegou primeiro e passou para os outros. Pode ter sido o meu pai, durante a viagem; meu marido, durante o trabalho, ou até mesmo eu em algum momento que saí de casa. É difícil saber”, diz Márcia.

As mortes do pai e do marido

Dentro da suíte que dividia com o marido, Márcia viveu dias angustiantes à espera de respostas sobre a saúde dos entes queridos.

Em 2 de abril, ela se assustou ao receber mensagens de condolências nas redes sociais. “Estranhei, mas depois fiquei sabendo pela televisão: confirmaram o óbito do sargento que estava internado no hospital. Era o meu marido. Primeiro contaram para a imprensa”, lamenta. No período em que esteve internado, o sargento teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico, parada cardiorrespiratória e falência múltipla dos órgãos.

Ela confessa ter ficado anestesiada ao saber da morte do marido e permaneceu em silêncio. “Não podia chorar na frente da minha mãe. Eu não queria que ela soubesse sozinha, porque eu não poderia ampará-la naquele momento”, diz. Márcia foi ao banheiro, abriu o chuveiro e chorou copiosamente a perda do marido.

“Chorei baixinho. Foi muito difícil conter a dor”, diz.

Dois dias depois, outra notícia triste: o pai dela teve uma parada cardiorrespiratória e não resistiu. “De novo fui para o chuveiro e comecei a chorar. Naquele momento, eu tive certeza de que a próxima seria eu.”

Apesar de sentir dores pelo corpo, falta de ar e febre, ela não quis ser internada. “Não queria deixar a minha mãe sozinha”, diz. Os três irmãos de Márcia moram no Paraná.

José e Benedito foram enterrados nos dias seguintes às suas mortes. Os procedimentos fúnebres foram breves. Eles estavam em caixões lacrados, conforme determina a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Um dos filhos de Márcia — ela possui três, todos do primeiro casamento — e outros familiares ajudaram a organizar os enterros.

“Não consegui acompanhar nada. Estava em meu quarto, reclusa”, lamenta Márcia. Na suíte de casa, ela alternava entre momentos de incredulidade e outros de choro silencioso.

Após 15 dias em isolamento, Márcia foi considerada recuperada. Já sem sintomas, ela saiu da suíte em 13 de abril. “A primeira coisa que fiz foi contar para a minha mãe. Ela ficou tão incrédula quanto eu. Estamos muito tristes com tudo isso. Mas parece que a ficha ainda não caiu. Uma não gosta de chorar na frente da outra”, diz Márcia.

Quando a situação da pandemia acalmar, ela pretende levar a mãe de volta para o Paraná. “Farei isso daqui a alguns meses. Por enquanto, ela vai passar o isolamento comigo”, diz. “Uma está cuidando da outra. É como se estivéssemos adiando o luto, para sofrermos lá na frente, quando estivermos sozinhas. Foi a forma que encontramos para lidar com isso”, comenta.

Evangélica, ela afirma que se apegou à fé para enfrentar as perdas. “Independente da religião, acredito que a fé é muito importante em momentos assim”, pontua.

O mais difícil para Márcia, desde as mortes de José e Benedito, tem sido lidar com a saudade. “O meu marido foi um homem incrível. Éramos muito felizes. A gente planejava começar a viajar muito, após a aposentadoria dele. A nossa vida era muito boa”, lamenta. “O meu pai também foi um homem incrível. Ele fazia tudo pelos filhos e me ensinou muitas coisas”, diz.

Após as perdas, ela pede que as pessoas se conscientizem sobre os cuidados referentes ao novo coronavírus.

“É muito mais sério do que eu pensava. As pessoas precisam usar máscaras e higienizar as mãos. Você nunca sabe o que vai acontecer em seu organismo quando pega o vírus. É importante se cuidar, não só por você, mas também pelos outros”, diz Márcia.

G1, com BBC

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Muito triste. Revolta é certas pessoas zombarem dessa doença e menosprezar a vida em detrimento de dinheiro. Tdos nos pagaremos muito caro pelo fim do isolamento agora, antes de atingirmos o pico da doença.

  2. Adeobaldo Nunes disse:

    Gente, morreu o "Véio da Havan", condolências a família!

Médico é a sétima pessoa a ir a óbito por covid-19 em Mossoró; 21ª morte no RN

O Blog do Barreto destaca. O cirurgião plástico Elio Cesar Marson é a sétima pessoa a ir a óbito provocado pela covid-19 em Mossoró. Ele estava internado desde o início de abril apresentado complicações. Ele estava internado no Hospital Wilson Rosado.

No Rio Grande do Norte são 21 óbitos por covid-19 sendo um terço deles em Mossoró, cidade com maior número de fatalidades no Estado.

Com Blog do Barreto

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ana Maia disse:

    Tem que fechar a fronteira com Ceará. Lá selaram o contágio com força. É por ser muito próximo há esse risco.

    Será que deram os remédios para o médico. Pois só querem números.

    Gastaram horrores em estádios e nunca investem em hospitais.

Morte por infarto em NY aumenta 8 vezes; medo de procurar hospital para evitar contaminação por coronavírus e efeitos de infecção viral assombram

Foto: Noam Galai / Getty Images

O número de chamadas para o serviço de emergência do Corpo de Bombeiros de Nova York registrou um aumento exponencial dos pedidos de socorro relacionados a ataques cardíacos e, consequentemente, do número de mortes.

De acordo com dados do Corpo de Bombeiros de Nova York, divulgados pelo site especializado Angioplasty.org, entre os dias 30 de março e 5 de abril de 2020, o atendimento de emergência da corporação recebeu 1.990 ligações com relatos de infartos. E o total de chamadas resultou em 1.429 mortes por problemas cardíacos – número oito vezes maior do que o registrado em 2019 no mesmo período.

A relação entre a escalada de mortes por problemas cardíacos e a Covid-19 é alvo de estudo por sociedades de cardiologia dos Estados Unidos e também de outros países como o Brasil. No momento atual, os especialistas sinalizam duas possibilidades para o crescimento dos óbitos por causas cardíacas:

1. Com os hospitais tomados por pessoas infectadas por Covid-19, os pacientes cardíacos têm evitado ao máximo optar pela internação. Desta forma, um problema que poderia ser identificado e solucionado diante de um primeiro sintoma pode se agravar.

2. A Covid-19 poderia representar um risco adicional ao paciente cardíaco e potencializar os fatores que levam a um infarto ou a outro problema no coração.

Ainda não existem estudos conclusivos para determinar como a escalada de mortes por problemas cardíacos está sendo influenciada pelas duas razões mencionadas.

O cardiologista Claudio Munhoz, especialista em arritmias cardíacas, menciona alterações no coração que podem ser relacionadas a uma infecção grave como a causada pelo coronavírus.

“Uma infecção viral gera um processo inflamatório significativo no corpo. Pode provocar uma série de alterações como inflamações do coração, que chamamos de miocardite. Ao mesmo tempo, existem os infartos, que são entupimentos de artérias do coração por placas de gordura. Muitas vezes, o infarto agudo tem origem em uma inflamação.”

Munhoz explica que o processo inflamatório pode fazer com que as placas de gordura “se fraturem” dentro da artéria – o que representaria um gatilho para o infarto. “O coronavírus poderia representar uma agressão aguda ao coração ou instabilizar uma doença prévia do paciente. E, além disso, qualquer agressão ao coração, seja um infarto ou uma inflamação por um vírus, pode causar arritmia, que aliás vem sendo constatada em pacientes com a Covid-19.”

Diante das incertezas relacionadas aos efeitos do coronavírus sobre pacientes cardíacos, a recomendação é buscar ajuda médica diante de sintomas como dores no peito, falta de ar e dores abdominais. Mesmo que o primeiro contato seja por telefone.

“O coronavírus pode causar alterações cardiológicas. Em geral, o mecanismo da lesão é inflamatório – miocardite. Porém, a forma da pessoa sentir é igual a um infarto. A pessoa pode ter dor no peito, falta de ar, palpitações e até desmaio. Mas o sintoma principal é dor no peito, semelhante a um infarto. Esse é o problema. São sintomas iguais, mas doenças diferentes”, avalia o cardiologista Ronaldo Gismondi, integrante da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro (Socerj). “Se a pessoa tem coronavírus, o mais comum é ter miocardite. A relação com o infarto não é possível provar, por enquanto.”

MEDO DE IR AO HOSPITAL

O outro fator apontado por médicos – a relutância de pacientes cardíacos em procurar um hospital – apresenta sinais mais evidentes da influência da Covid-19.

Na semana passada, o site especializado Angioplasty.Org promoveu uma pesquisa com cardiologistas dos Estados Unidos que revelou uma queda de até 50% de pacientes cardíacos em alguns hospitais. A redução coincide justamente com o aumento dos chamados de emergência em residências para o 911 – o número do atendimento do Corpo de Bombeiros no território americano.

Em artigo no jornal The New York Times, o cardiologista Dr. Harlan Krumholz, professor de medicina da Universidade de Yale, perguntou: “Para onde foram todos os ataques cardíacos?” Em seu texto, ele fez uma ponderação: “A explicação mais preocupante possível é justamente que as pessoas ficam em casa, sofrem mais e acabam correndo mais riscos do que se estivessem em um hospital sob a ameaça de infecção por coronavírus.”

Época e O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Medo de pagar a conta do hospital tb mata lá.

  2. Rei disse:

    Parte da imprensa deveria se sentir culpada por isso. Ficam fazendo um alarde falso.

    • Professor disse:

      "Alarde" falso? Bem se vê que a ignorânciae a má fé não tem limites. Já são mais de 20000 mortos nos EUA e o camarada vem falar em alarde falso.

Morre o cantor e compositor Moraes Moreira

Foto: Divulgação

O cantor e compositor Moraes Moreira morreu na madrugada desta segunda-feira (13) aos 72 anos, em casa, no bairro da Gávea, no Rio de Janeiro. Conforme a assessoria do artista, ele morreu por volta das 6h depois de sofrer um infarto agudo do miocárdio.

Segundo Eduardo Moraes, irmão do cantor, o corpo de Moraes Moreira foi encontrado após a chegada da empregada doméstica no apartamento em que ele morava. O artista vivia sozinho, segundo o irmão.

Ainda de acordo com a assessoria, as informações sobre o enterro não serão divulgadas para evitar aglomerações, recomendação de vários órgãos de saúde como prevenção à Covid-19.

Antonio Carlos Moreira Pires nasceu em Ituaçu, no interior da Bahia, em 8 de julho de 1947. Moraes Moreira começou tocando sanfona de doze baixos em festas de São João e outros eventos na cidade. Na adolescência aprendeu a tocar violão, enquanto fazia curso de ciências em Caculé, na região sudoeste da Bahia, em 1967.

Aos 19, ele foi para Salvador, onde começou a estudar no Seminário de Música da Universidade Federal da Bahia. Lá, ele conheceu seus futuros companheiros dos Novos Baianos, Luiz Galvão e Paulinho Boca de Cantor, além de Tom Zé.

Em 1968, eles criaram o espetáculo que deu origem aos Novos Baianos, Desembarque dos Bichos depois do Dilúvio Universal.

O grupo já tinha também a participação de Baby do Brasil (Baby Consuelo, na época) na voz e o guitarrista Pepeu Gomes quando foi participar do popular Festival da Música Popular Brasileira na TV em 1969, com a música “De Vera”, de Moreira e Galvão.

No ano seguinte, o grupo lançou seu disco de estreia, “Ferro na boneca”. Mas a grande obra deles viria após uma visita de João Gilberto à casa em que eles moravam juntos, já no Rio de Janeiro. Em 1972, eles lançaram o álbum “Acabou chorare”, que consagrou os Novos Baianos. O trabalho juntava samba, rock, bossa nova, frevo, choro e baião.

Com a regravação de “Brasil pandeiro”, de Assis Valente, além de “Preta pretinha”, “Mistério do planeta”, “A menina dança”, “Besta é tu” e a faixa título, todas de coautoria de Moraes Moreira, o álbum de 1972 é reconhecido como um dos melhores – senão o melhor – trabalho do pop brasileiro.

Foi um passo adiante do tropicalismo de Caetano, Gil e Tom Zé – no abraço ao rock e à psicodelia hippie, na fusão de ritmos brasileiros, na recusa a seguir padrões no período mais duro da ditadura militar.

O grupo foi morar em um sítio em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, onde seguiam a cultura hippie dos EUA e da Europa em plena ditadura militar brasileira. Lançaram ainda três discos, cujo sucesso não tão grande começou a gerar desentendimentos. Ele ficou no grupo de 1969 até 1975, quando saiu em carreira solo.

Carreira Solo

Em 1976, já em carreira solo, ele se tornou o primeiro cantor de trio elétrico, ao subir no trio de Dodô e Osmar, e cantou a música “Pombo correio”, sucesso na época.

Já em 1997, ele reuniu o grupo Novos Baianos para lançar o disco ao vivo Infinito Circular, com canções dos discos anteriores e algumas inéditas. Em 2007, Moraes Moreira publicou o livro A História dos Novos Baianos e Outros Versos, escrito em linguagem de cordel, que conta a história dos Novos Baianos.

Em 2017, ele lançou outro livro, o “Poeta Não Tem Idade”, com cerca de 60 textos sobre homenagens a Luiz Gonzaga, Machado de Assis, Gilberto Gil e muitos outros.

Nos últimos anos, Moraes Moreira se envolveu em shows de reunião dos Novos Baianos e também de trabalhos solo. O artista também se dedicou a trabalhos com o filho. No total, ele lançou mais de 60 discos entre a carreira solo, Novos Baianos, Trio Elétrico Dodô e Osmar, além da parceria com o guitarrista Pepeu Gomes.

Em março deste ano ele fez a última postagem no Instagram falando sobre a quarentena que o mundo vive por causa da Covid-19.

Com G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Estela Alves disse:

    Amo as músicas músicas do grande Mestre .Morais Moreira estamos todo de luto mas que O bondoso.Deus o receba com muito amor.so resta a saudade do grande e nobre cantor.

  2. Dodoka guitarrista, Natal-RN disse:

    Grande músico e compositor, toquei muito esta canção – Escute essa canção
    Que é pra tocar no rádio
    No rádio do seu coração
    Você me sintoniza
    E a gente então se liga
    Nessa estação…

  3. Tarcísio Eimar disse:

    O diabo de um político corrupto não morre

  4. junior disse:

    Um dia muito triste para a música popular Brasileira.

  5. Lilico disse:

    Abra a porta é as janelas e vem ver o sol nascer! Vai o homem fica a fama, valeu Moraes Moreira.

Prefeitura no Rio informa morte de paciente com sintomas de coronavírus

Foto: Reprodução/Getty Images

A prefeitura de Miguel Pereira, no centro-sul fluminense, acaba de publicar em suas redes sociais que uma mulher de 63 anos com sintomas de coronaívrus morreu no estado do Rio de Janeiro.

Segundo a nota oficial, a vítima trabalhava na capital fluminense e teve contato com sua empregadora, recém-chegada da Itália e que estava com Covid-19.

A paciente, moradora de Miguel Pereira, deu entrada no Hospital Municipal Luiz Gonzaga em estado grave (veja a nota abaixo).

Pelos dados oficiais da Secretaria Estadual de Saúde, até segunda (16) havia 31 casos confirmados e 94 suspeitos. A vítima de 63 anos não constava na relação de infectados no Rio. O Ministério da Saúde também não confirma essa morte pelo vírus, apenas a de um homem de 62 anos em São Paulo.

De acordo com a Secretaria Sstadual de Saúde, o município de Miguel Pereira não tem capacidade para diagnosticar o Covid-19. Os exames da paciente deveriam ter sido encaminhados para o laboratório da Fiocruz.

Segundo a pasta, o material da paciente que veio a óbito será levado para testes e o resultado deve sair em até 48 horas.

Veja abaixo a íntegra da nota da prefeitura de Miguel Pereira:

Mantendo a transparência e as informações para todos os cidadãos, a Prefeitura de Miguel Pereira informa que na data de hoje, infelizmente um paciente, do sexo feminino, com 63 anos, veio a óbito pelos sintomas do coronavírus.

A paciente, que trabalhava na capital do Rio de Janeiro, esteve em contato direto com sua empregadora, que chegou da Itália e testou positivo ao Covid-19. A mesma deu entrada no Hospital Municipal Luiz Gonzaga já em quadro grave, vindo diretamente de seu ambiente de trabalho para a unidade de saúde.

O laudo das autoridades sobre o caso sairá em 24 horas, onde constará maiores informações sobre a causa da morte.

Lamentamos e nos solidarizamos com a família e informamos que a Prefeitura Municipal e o Hospital Municipal Luiz Gonzaga estão tomando todas as medidas para o enfrentamento do novo coronavírus. É de extrema importância que neste momento, a população siga todos os critérios definidos pela Secretaria Municipal de Saúde e que fique atento a qualquer sintoma. Para maiores esclarecimentos, o cidadão pode entrar em contato com o Plantão de Enfrentamento da Covid-19 no telefone (24)2484-4223.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) afirma que:

– Não há confirmação sobre óbito por coronavírus no Estado do Rio.

– Embora a Prefeitura de Miguel Pereira tenha divulgado morte de mulher com sintomas compatíveis aos relatadas para Covid-19, a Secretaria de Estado de Saúde esclarece que o material da paciente acaba de chegar ao Laboratório Central Noel Nutels (Lacen-RJ), única unidade estadual capaz de realizar o teste para confirmar ou descartar o vírus.

– A SES informa que a vítima não fazia parte da lista de casos confirmados até o momento. O resultado dos exames deve sair em até 48 horas.

– Mantendo a transparência que vem adotando desde janeiro, a Secretaria de Estado de Saúde reforça que informará sobre a evolução dos casos.

Veja

 

Estado de SP tem o primeiro caso de morte provocada pelo coronavírus

O estado de São Paulo registrou o primeiro caso de morte de uma vítima por coronavírus. A informação foi divulgada pelo governo estadual na manhã desta terça-feira (17). Não há informações se a vítima mora na capital paulista e qual o sexo. Esse também foi o primeiro óbito registrado no Brasil.

De acordo com a Secretária Estadual de Saúde, o estado de São Paulo tem 152 casos confirmados da doença até esta segunda-feira, com mais 1.777 casos suspeitos de coronavírus. Em todo o Brasil são 234 casos confirmados, de acordo com o boletim do Ministério da Saúde desta segunda-feira.

O Governo de São Paulo avalia que o surto de coronavírus deve durar “de quatro a cinco meses”. No entanto, as medidas restritivas adotadas pela administração estadual, como a suspensão das aulas e a restrição de eventos, não devem ser aplicadas durante todo este período.

Reavaliação de testes laboratoriais

Ainda nesta segunda, o governo estadual disse que “vai avaliar” a nova recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para que todos os casos suspeitos do novo coronavírus (Covid-19) sejam submetidos a exames laboratoriais. A afirmação foi feita pelo secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann.

Na sexta-feira (13) o governo de São Paulo havia anunciado que somente pacientes internados seriam submetidos ao teste laboratorial na rede pública e que o diagnóstico clínico seria adotado para outros casos suspeitos.

Guia de isolamento domiciliar por causa do novo coronavírus — Foto: Arte/G1

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. cicadão quem? disse:

    Kd o povo que dizia que era só uma gripe? os hipócritas são os primeiros a correr nas farmácias para comprar mascaras! Na itália já não estão atendendo com tratamento intensivos maiores de oitenta anos, e no Brasil acham que vai ser como? tá na hora do brasileiro agir com a seriedade que o momento requer!

OMS anuncia que há registro de morte de crianças por Covid-19

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, nesta segunda (16) que háá registro de morte de crianças por causa do Covid-19.

“Esta é uma doença séria. Embora a evidência que temos sugira que aqueles com mais de 60 anos correm maior risco, jovens, incluindo crianças, morreram”, disse Tedros.

O diretor-geral da entidade não deu mais detalhes sobre o perfil da vítimas. Entretanto, até esta segunda-feira, a organização não havia reconhecido a morte de crianças pelo novo coronavírus. A entidade vem ressaltando que os grupos mais vulneráveis incluem as pessoas mais velhas ou com doenças pré-existentes, como diabetes ou no sistema cardiovascular, como hipertensão.

Testes e distanciamento social

Tedros ressaltou que a escalada dos casos e mortes pelo mundo justifica a adoção de medidas de distanciamento social (fechamento de escolas, trabalho remoto e suspensão de eventos, entre outros), mas que a OMS afirma que testes em larga escala para cada caso suspeito ainda são a melhor alternativa para conter a disseminação do vírus.

O diretor-geral frisou a necessidade de testar todos os casos suspeitos.

“Não se consegue combater um incêndio com os olhos vendados – você não consegue parar essa pandemia se não souber quem está infectado” – Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da OMS

“Teste, teste, teste. Teste todo caso suspeito. Se for positivo, isole e descubra de quem ele esteve próximo”, orientou Tedros.

A diretora técnica da OMS Maria van Kerkhove voltou a aconselhar que sejam mantidas as estratégias de contenção. “(É preciso) achar todos os casos e seguir todos os contatos e testar os contatos. Dá para parar a transmissão entre as pessoas”, disse Maria.

Os diretores da OMS recomendaram que todos os casos, até os leves, sejam isolados em centros de saúde, mas reconhecem que isso não é possível para todos os países, já que alguns não têm a capacidade de adotar essa medida. Nesses casos, os países devem priorizar pacientes mais velhos e aqueles com doenças pré-existentes.

“Alguns países expandiram a capacidade usando estádios e academias para tratar casos leves, com casos severos e críticos tratados em hospitais. Outra opção é que pacientes com casos leves sejam isolados e cuidados em casa”, disse Tedros.

O diretor-geral também reconheceu que esta última medida pode colocar em risco outras pessoas na mesma casa, então é muito importante que essas pessoas sigam as recomendações da OMS sobre como fazer o isolamento adequado.

Globo, via Bem Estar

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wellington disse:

    A "cultura" do WhatsApp está ajudando a acabar com o que resta de bom senso nas pessoas. Notícias falsas e posições absurdas são divulgadas diariamente e absorvidas pelo povo tornado cego pelo ódio. Massificou-se o acesso à mentira. Fake news tornou-se um método político mais eficiente pela capacidade de penetracao da Internet. É preciso aprender a ler e saber filtrar as informações. É preciso responsabilidade, qualidade rara hoje em dia.

  2. José disse:

    E o governo federal brincando de fazer protestos!

    • Ceará-Mundão disse:

      Foram AS PESSOAS que decidiram ir às ruas. Sem sanduba de mortadela, sem 30 "paus", sem transporte custeado por sindicatos ou MST, sem ameaças de cortar ponto ou receber nota zero (para os estudantes), apenas por sua própria vontade e às suas próprias custas. Isso é o verdadeiro exercício da democracia.

    • Everton disse:

      Ceará-Doentão, se você acha que não há lobby nesses protestos verde-amarelos, és mais tapado que o habitual.

  3. liandra disse:

    Acho q as escolas, universidade e institutos federais ainda não estão cientes dessas notícias, pois até agora estão omissos com relação à suspensão das atividades e aulas! Apenas a UERN teve a decência de parar durante 30 dias!

    • Ceará-Mundão disse:

      A UERN não precisa de grande motivo prá deixar de trabalhar. Essa universidade, improdutiva e caríssima para um estado "quebrado", já deveria ter sido privatizada, no mínimo.

    • liandra disse:

      Independente do que vc acha da UERN, ela está agindo de acordo com o preconizado pela OMS. Enquanto as outras instituições se calam e deixam os alunos e funcionários sujeitos a exposição ao vírus!

VÍDEOS: PM youtuber Gabriel Monteiro(RJ) perde porte de arma, enfrenta processo de expulsão da corporação, revela ameaças e risco iminente de morte

Foto: Reprodução

O policial militar Gabriel Monteiro, que é youtuber e um dos líderes do Movimento Brasil Livre (MBL) no Rio de Janeiro, disse, por meio das redes sociais, que foi informado nesta quinta-feira (05/03) que perdeu o porte de armas. Além disso, ele deve ser expulso da corporação.

“Acabo de ser informado que não tenho mais porte de armas, estou no processo da expulsão da PM porque questionei o Coronel Ibis, ex-comandante-geral da PM, por ter forte contato nas áreas do Comando Vermelho“, escreveu.

O policial ainda reclamou da atitude da corporação: “É chocante lutar contra a corrupção, está me expulsando da PMERJ”, tuitou Monteiro, compartilhando imagem do processo.

O youtuber ainda divulgou um vídeo dizendo que está sendo ameaçado pelo Comando Vermelho e corre risco de ser morto.

https://www.youtube.com/watch?v=lDh_Rzhl-wA&feature=emb_logo

https://www.youtube.com/watch?v=sJNfAbhYcX8&feature=emb_logo

Com acréscimo de informações do Metrópoles

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. HILTON VIEIRA disse:

    Com o devido pedido de licença ao Sr. Gabriel Monteiro, vez que minha manifestação pode contrariar parte da lógica das condutas pública dele, não poderia me abster de ressaltar que alguns dos seus atos públicos, postados em redes sociais, foram arriscados, já que aparentemente desprovidos de uma reserva de defesa.
    Em introito, cabe ressaltar que as gravações realizadas em público, não ofendem direitos individuais dos entrevistados que, inclusive, participam consensualmente, já que poderiam não participar apenas se afastando. O direito a liberdade de expressão e manifestação de opinião é inalienável, vez que prescrito na Constituição Federal/88 (Arts. 5, IV e 220). Logo, não há ilicitude nas reveladas práticas de entrevistas realizadas pelo Sr. Gabriel. Neste diapasão, acertivamente externar seus pontos de vistas confrontantes com as declarações do entrevistado, não caracteriza constrangimento, vez que ausentes os pressupostos, desde que se abstenha de fazer acusações públicas.
    Por óbvio que congregar 4 milhões de seguidores, apesar de tal fato possuir uma considerável força a uma candidatura legislativa, não reflete garantias a sua integridade física ou jurídica.
    Igualmente cediço, que milhares de brasileiros admiram sua coragem e se fartam ao assistirem as suas publicações de vídeos em que ele promove um "auto esmurrar" da cara desprovida de conhecimentos elementares dos ignóbeis esquerdistas que entrevista.
    Ocorre que o Sr. Gabriel Monteiro, talvez movido pelo singelismo da tenra idade, descuidou-se de associar-se a uma legião de nacionalistas defensores do anti-terror e se expôs "sem colete", a descortinar as mais variadas práticas dos serviçais da Mafia Brasileira, o quinto escalão.
    Diante dos atos em que expôs a integridade da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, não deixou outra alternativa às autoridades, senão instaurar procedimento disciplinar. É razoável destacar que qualquer critica que se apresente emoldurada com declarada emoção, sucumbe no descrédito, por evidente parcialidade. Alerto.
    Em semelhante circunstância parece recomendável buscar imunidade no centro do "ninho de serpentes", através de candidatura parlamentar. Ambiente que inadmite concorrência na prática de atrocidades. E, agora, adotar ações preventivas antes de desafiar comparsas dos integrantes da máfia brasileira (que agoniza, mas ainda não está neutralizada).

    Se puder digite no google: artigos hilton vieira falcão

  2. Carlos Bastos disse:

    Vc é policial, deixe de falar besteira no Youtube .

  3. Leo disse:

    Vai reclamar com a familícia. Quem sabe eles dão um "jeito" em vc.

  4. TUTU disse:

    Vai conversar merda lascou se, vai ser expulso da PM e ainda ter que se esconder do CV. Quer um conselho? Aproveite e fuja do País.

  5. Carlos disse:

    Isso é o que ganha quem põe bandido de alto escalão pra se explicar perante a sociedade.
    Esse rapaz corre sério risco de morte.
    Eu sendo ele entraria logo pra política a fim de se resguardar.

    • Euja sabia disse:

      Aproveitar para realizar seu maior desejo quenunca foi se policial e sempre quis ser político, adimita!