Cantores repensam logística de show após morte de Gabriel Diniz

Após morte de Gabriel Diniz, cantores e empresários repensam logística de shows Foto: reprodução/instagram

A morte prematura de Gabriel Diniz num acidente de avião já tem um efeito. Cantores e empresários estão repensando a logística de shows no mês. As famosas “dobras”, como são chamadas as apresentações sequenciais em várias cidades numa mesma noite (às vezes, eles fazem até três shows) podem estar com os dias contados.

“Passado o choque com a morte do Gabriel, estamos todos aguardando que os artistas e empresários mudem sua forma de fazer as agendas. Muitas vezes é o artista que quer fazer dois shows numa noite ou voltar para casa mais cedo e acaba pegando o primeiro voo que tem”, conta um contratante do Nordeste.

Zé Neto e Cristiano, Marília Mendonça e Henrique e Juliano, expoentes dessa nova safra do sertanejo/sofrência, já tinham colocado o pé no freio antes. Marília já não faz as tais dobras há meses. Henrique e Juliano decidiram suspender os shows aos domingos e agora só trabalham de quinta a sábado. Também pediram férias em julho. Já Zé Neto e Cristiano não querem mais fazer apresentações em vários lugares.

Dos cantores mais solicitados para apresentações, principalmente agora, época das festas juninas que bombam no Nordeste, muitas vezes no mesmo dia, apenas Gusttavo Lima não alterou a rotina e continua, com seu próprio jatinho, se deslocando entre locais vizinhos para se apresentar em sequência.

Zé Neto e Cristiano não querem mais fazer apresentações sequenciais Foto: reprodução/instagram

Extra – O Globo

 

Oficial de Justiça que causou acidente com morte de professora de dança em Natal ficará preso

Reprodução: InterTV Cabugi

 

Atendendo ao pedido do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), a Justiça potiguar decretou a prisão preventiva do oficial de Justiça Josias Teixeira de Morais, que provocou o acidente que matou a professora Gislâne Cruz do Nascimento, no prolongamento da Avenida Prudente de Morais, em Natal, neste domingo (19). A decisão judicial foi decretada durante a audiência de custódia realizada na tarde desta segunda-feira (20) com o réu, que ainda estava preso por força do flagrante.

Durante a audiência de custódia, o MPRN requereu nova definição jurídica e sustentou que o crime era doloso – ou seja, intencional – já que o réu tinha ingerido bebida alcoólica e medicamento controlado e tinha consciência de que não poderia beber, conforme ele mesmo alegou em depoimento. Para o MPRN, Josias Teixeira de Morais foi indiferente para as possíveis consequências, assumindo o risco do resultado morte a partir do momento em que decidiu dirigir nessas condições.

No momento da lavratura do flagrante, o delegado havia feito o enquadramento jurídico no crime culposo. Nesse caso, não poderia ser deferida a prisão preventiva, de acordo com o Código de Processo Penal, e o réu poderia ser solto na audiência de custódia.

A manifestação ministerial também destacou os agravantes de o réu estar dirigindo na contramão e em velocidade excessiva. O laudo apontou índice elevado de teor de álcool: 1,42dgc/ml de sangue. O MPRN destacou ainda o fato de o crime ter causado grande comoção social. Com o decreto de prisão preventiva, o réu segue preso sem prazo definido até a instrução e julgamento do processo e, em sendo acolhida a tese do MPRN, deverá ser submetido ao júri popular.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Yuri disse:

    O que impressiona também nessa tragédia anunciada, foi o Delegado ter enquadrado o indivíduo em Homicídio Culposo, imoral, o cara sai dopado, embriagado, na contramão, eu hein…

  2. Denise disse:

    Estamos todos chocados, sem crer nessa tragédia. Gislâne Cruz era uma menina, um ser humano especial, de muita luz e repleta de talentos. Como é duro saber que este senhor responderá provavelmente com uma pena branda, afinal, judiciário brasileiro…

  3. Olimpio disse:

    Esse irresponsável é pra mofar na cadeia.

Acidente provoca a morte de 28 turistas alemães em Portugal

Vinte e oito pessoas morreram nessa quarta-feira (17) em um acidente com um ônibus turístico em Santa Cruz, na Ilha da Madeira, em Portugal. O veículo saiu da estrada e tombou sobre uma casa.

De acordo com o prefeito de Santa Cruz, Filipe Souza, 11 homens e 17 mulheres morreram no acidente. Todas os 28 mortos são turistas de nacionalidade alemã que estavam no ônibus. O Ministério das Relações Exteriores da Alemanha já confirmou que há cidadãos do país entre os mortos. Mais 27 pessoas ficaram feridas.

De acordo com o Jornal de Notícias, o acidente ocorreu por volta das 18h30 (horário local, 14h30 em Brasília). O veículo, que transportava 56 pessoas, havia deixado um hotel na cidade de Caniço, no leste da Ilha da Madeira, com destino a Funchal, a capital da região autônoma portuguesa, quando se acidentou.

Ainda de acordo com o jornal, o motorista e o guia turístico, ambos de nacionalidade portuguesa, sobreviveram ao acidente. Os feridos foram levados para um hospital em Funchal.

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, chegou a pensar em viajar até a ilha para acompanhar o resgate, mas mudou de ideia. Segundo ele, com o adiamento da viagem, a aeronave da Força Aérea que seria usada em seu deslocamento será disponibilizada para o transporte de feridos.

“Irei, mas não irei imediatamente, porque há essa prioridade”, disse o presidente.

O primeiro-ministro de Portugal, o socialista António Costa, falou com a chanceler alemã, Angela Merkel, para expressar seus pêsames pela morte dos compatriotas.

“Já tive oportunidade de transmitir meus pêsames à chanceler Angela Merkel nesta hora difícil”, escreveu Costa em sua conta do Twitter, onde também enviou apoio aos madeirenses por um dos piores acidentes da história do arquipélago.

Agência Brasil, com informações da Deutsche Welle (agência pública da Alemanha)

 

Partido de Alan García culpa MP peruano por morte de ex-presidente

Ex-presidente atirou em si mesmo para evitar prisão. FOTO: REUTERS/Guadalupe Pardo/17.04.2019

Congressistas do Partido Aprista Peruano (PAP), do ex-presidente Alan García, que nesta quarta-feira (17) se suicidou com um tiro na cabeça quando seria detido em cumprimento de uma ordem judicial, culparam o Ministério Público pela tragédia.

O congressista Mauricio Mulder declarou à imprensa que esta tragédia é “a concretização de um mecanismo de perseguição e busca de popularidade doentia por parte de algumas pessoas que se alimentam de poder e que querem ficar na história como carcereiros”.

Por sua vez, o ex-chanceler Luis Gonzales Posada, também militante do PAP, acusou o Ministério Público de querer prender arbitrariamente políticos sem um devido processo.

“É o resultado de um pérfido, malévolo e de uma abusiva violação de um Ministério Público que pode deter quem quiser”, criticou o ex-chanceler.

A ex-ministra do Interior Mercedes Cabanillas também acusou o órgão de abusar de sua autonomia para perseguir personagens como García e “encobrir” outros, como a ex-prefeita de Lima Susana Villarán, também investigada pelo caso Odebrecht no Peru.

“Lamento a atuação da Promotoria. Alan García sempre mostrou disposição a ser investigado”, declarou.

Cabanillas considerou injusta a ordem de detenção decretada contra García por considerar que não há provas.

“Podemos ser investigados, mas desde que nossos direitos sejam respeitados. Por que fazer isso? Me desperta um pouco de suspeita”, questionou o ex-congressista.

Além de García, a Justiça decretou a prisão de Luis Nava, secretário da Presidência durante o governo do líder do PAP, e Miguel Atala, também colaborador do ex-presidente. Ambos são apontados pela investigação como testas de ferro de García.

A Justiça também pediu a prisão do ex-ministro de Transportes, Comunicações, Habitação e Construção Enrique Cornejo, que se entregou às autoridades horas depois.

A situação legal de García se complicou no domingo, quando trechos de uma delação premiada da Odebrecht revelaram que o ex-secretário da Presidência e seu filho, José Antonio Nava, receberam US$ 4 milhões da empresa para a concessão do contrato de construção da linha 1 do metrô de Lima.

R7, com EFE

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Justiceiro disse:

    Lembrem-se da Lei do Retorno. Tudo que se deseja ou se faz, volta-se para si…

  2. Laranja disse:

    Cadê o Queiroz?

  3. ADCL disse:

    O ladrão safado de 9 dedos do PT devia seguir o exemplo deste seu amigo larápio.

  4. PABLO disse:

    Bem que o Lula poderia ter feito o mesmo.

  5. Matarazzo disse:

    Além de exportar corrupção o pt também exporta escola. A escola da cara de pau. Canalhismo é isso, sem tirar nem pôr!

MPRN denuncia policial militar pela morte de Zaira Cruz

2ª Promotoria de Justiça de Caicó requer que o denunciado seja pronunciado pela prática do estupro consumado e homicídio quadruplamente qualificado, para submetê-lo a julgamento pelo Tribunal do Júri Popular

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) denunciou à Justiça potiguar o policial militar Pedro Inácio Araújo de Maria pelos crimes de estupro e homicídio quadruplamente qualificado pela morte da estudante Zaira Dantas Silveira Cruz. O crime aconteceu na cidade de Caicó/RN, no dia 2 de março deste ano, durante o período do carnaval. A denúncia foi protocolada no Juízo da 3ª vara da comarca de Caicó nesta terça-feira (2).

No documento, a 2ª Promotoria de Justiça de Caicó requer que o denunciado seja pronunciado pela prática do estupro consumado e homicídio quadruplamente qualificado, para submetê-lo a julgamento pelo Tribunal do Júri Popular da comarca de Caicó, em que deverá ser condenado. Pedro Inácio continua preso no Comando-Geral da Polícia Militar.

Segundo o inquérito policial do caso, na madrugada do dia 2 de março de 2019, entre 2h14 e 4h, em local ainda não esclarecido, no interior do veículo, o Pedro Inácio constrangeu Zaira Cruz, mediante violência física extrema, com chutes, agressões e imobilização, e a estuprou.

Em seguida, o denunciado assassinou a vítima mediante asfixia por esganadura, com o objetivo de assegurar a ocultação do crime sexual, tendo agido à traição e movido por razões da condição do sexo feminino da vítima.

Para o MPRN, ficou demonstrado que o crime de homicídio praticado por Pedro Inácio também teve por objetivo assegurar a ocultação do crime sexual praticado contra a vítima, uma vez que, caso não tivesse sido assassinada, Zaira Cruz comunicaria o crime de estupro às autoridades policiais.

“Os indícios formam um corpo robusto, uníssono, concatenado e que aponta para o denunciado como sendo o autor do delito”, destaca o MPRN na denúncia. A prova objetiva da materialidade dos crimes de estupro e homicídio qualificado emergem dos depoimentos constantes dos autos, do Relatório de Local de Encontro de Cadáver, do Boletim de Ocorrência, do Laudo de Exame de Conjunção Carnal, do Laudo de Exame de Ato Libidinoso e do Laudo de Exame Necroscópico, todos inclusos no Inquérito Policial.

A denúncia do MPRN também requer que o processo tenha prioridade de tramitação, conforme prevê o Código de Processo Penal, uma vez que se trata de crime hediondo. A Promotoria de Justiça também requer que a Justiça determine a intimação do denunciado para comparecer à audiência de instrução, em que deverão ser inquiridos os declarantes e testemunhas, esclarecimentos dos peritos, para interrogar o denunciado, seguindo-se a ação penal.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Beto Araújo disse:

    Concordo com sua opinião , não diga que a PM faz , cite sempre que especificando o indivíduo, não a instituição que ele deveria honrar. Se o mesmo agiu como criminoso e canalha, a Polícia Militar o deteve e o colocou a disposição da justiça. Pronto!

  2. José disse:

    A PM sempre apronta. Sempre.

    • José Dantas disse:

      Não seria mais justo dizer que esse PM( Policial Militar) aprontou e vai responder por seus atos na justiça comum( Penal/Civil), militar e administrativa…. faça um esforço desumano, raciocine um pouquinho, análise e repense sua informação.

MPRN denuncia policial pela morte do estudante Luiz Benes

Laudos de microcomparação balística apontaram que o tiro que matou o jovem partiu da arma de um PM. Luiz Benes foi morto ano passado, quando era vítima de sequestro-relâmpago

Foto: iStock

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) denunciou o policial militar Luiz Carlos Rodrigues pela morte do estudante Luiz Benes Leocádio de Araújo Junior, ocorrida no dia 15 de agosto do ano passado, em Natal. O tiro que matou o jovem saiu da arma do policial, conforme consta no laudo de exame necroscópico anexado ao processo. A denúncia foi recebida pelo Juízo da 1ª Vara Criminal de Natal nesta quinta-feira (14).

Luiz Benes estava dentro de um carro da família dele, sendo mantido refém em um sequestro-relâmpago. Para o MPRN, os quatro policiais militares envolvidos na operação agiram assumindo o risco de atingir a vítima, o que de fato aconteceu, já que estavam cientes de que o rapaz se encontrava no interior do veículo.

Após a realização dos laudos de microcomparação balística, foi possível afirmar que o tiro que matou Luiz Benes partiu da arma do PM denunciado. Por esse motivo, o MPRN entende que a responsabilidade da morte deve recair somente sobre ele, tendo sido cometido com dolo eventual. Esse crime com dolo eventual ocorre quando o responsável, mesmo sem querer efetivamente o resultado, assume o risco de o produzir.

Ao mesmo tempo, não foi possível precisar qual das armas atingiu o adolescente infrator Mateus da Silva Régis, causando-lhe também a morte. O MPRN destaca na denúncia que “não há que se falar em crime quanto a este fato, em face de que o mesmo com sua ação criminosa, no mínimo, gerava para os policiais perigo iminente, pois encontrava-se armado, o que faz com que a conduta dos agentes públicos, apenas quanto a este fato, seja alcançada pela excludente de ilicitude da legítima defesa”.

Entenda o caso

De acordo com as investigações, algumas horas antes de sua morte, Luiz Benes foi surpreendido pelos adolescentes infratores Mateus da Silva Régis e Samuel Butemberg Bezerra Ribeiro, enquanto se dirigia ao veículo da família que estava estacionado na rua Almirante Nelson Fernandes, próximo à esquina com a avenida Romualdo Galvão, no bairro do Tirol.

A partir daí, mediante grave ameaça praticada pelos adolescentes infratores que portavam revólveres (armas apreendidas), a vítima foi obrigada a dirigir o veículo com destino à zona Norte de Natal, estando o adolescente Mateus no banco do carona, enquanto Samuel ficou no banco de trás do veículo.

A essa altura, amigos e familiares de Luiz Benes, que estavam no comitê de campanha do pai dele, o deputado federal eleito Benes Leocádio, sentiram a falta da vítima. Ao visualizarem que o veículo não mais estava estacionado no local, constataram, a partir das câmeras de segurança de um estabelecimento comercial próximo, que ele havia sido coagido pelos infratores a com eles sair no carro.

Nesse instante, as autoridades de segurança pública foram devidamente avisadas do ocorrido, inclusive à então secretária de Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Norte, passando o carro a ser monitorado através do sistema de fiscalização de trânsito da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU).

Os adolescentes infratores, ainda mantendo Luiz Benes refém e dirigindo o veículo, praticaram diversos roubos a populares na zona Norte de Natal, conforme vários depoimentos coletados de vítimas.

Dentre as viaturas que ouviram o rádio da PM informando a ocorrência, estava a viatura 405, do Tático 1, comandada pelos policiais Luiz Carlos Rodrigues, Ricardo da Silva Oliveira, Jerry Jachson Alves Batista e Kleyton Alberto dos Santos. Após abastecerem o veículo no posto que fica Centro Administrativo do Governo do Estado, a guarnição se dirigiu até a área da ocorrência.

Quando trafegava pela avenida Moema Tinoco, nas proximidades do trevo que dá acesso à praia de Jenipabu, os ocupantes da viatura visualizaram o veículo onde se encontravam os adolescentes infratores e a vítima. Eles estavam saindo de um posto de combustível existente no local, quando aconteceu a abordagem.

Os policiais fizeram o chamado “leque” – um procedimento padrão de abordagem – e a uma distância de aproximadamente 15 metros do veículo abordado gritaram para os ocupantes descerem. As pessoas presentes apenas informaram que logo em seguida ouviram diversos disparos, não sabendo precisar de onde partiram inicialmente.

O laudo de exame pericial feito no veículo onde se encontrava a vítima aponta diversas marcas de perfurações na lataria, sendo evidenciado pela pesquisa de mancha de sangue realizada, que a vítima e o adolescente infrator Mateus foram alvejados já na parte externa do veículo quando efetuavam o desembarque.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Só tem especialista disse:

  2. Andinho disse:

    Não acredito que a Justiça vai igualar este PM que buscava salvar a vida do jovem filho do Político, mesmo com o risco da própria vida, a um pistoleiro qualquer que tira a vida de inocentes em troca de dinheiro. Não percebem que assim como a vida do jovem, a carreira deste policial já foi ceifada, por conta desta fatalidade.
    Aviso aos PMs do Brasil em especial aos do RN, quando se depararem com esse tipo de ocorrência, em especial quando envolver parente de gente influente, não se arrisquem, manerem o pé na viatura, errem o alvo, fijam que não viram, afinal a justiça e a sociedade não lhes poupará se uma fatalidade como esta ocorrer, sem falar que os criminosos não poupam Policiais nem inocentes, eles atiram para matar, não arrisquem as suas vidas nem suas carreiras. Será uma tremenda covardia se a tropa e a sociedade permitirem que esse Policial seja crucificado, por ter tentado salvar o jovem das mãos dos criminosos. Senhor Deputado, sei que é muito difícil para um Pai, interceder pela mão que apertou o gatilho que tirou a vida de seu filho, mesmo que tentando salvá-lo, mais não permita que mais uma injustiça se cometa neste estado, tenha este gesto de grandeza e perceba que este profissional estava arriscando a vida e a carreira dele para salvar o seu filho.

  3. Gonçalo Alves disse:

    Sinceramente acho esta denúncia contra o militar polêmica, ou, no mínimo, descabida.
    Argumentar que "policiais militares envolvidos na operação agiram assumindo o risco de atingir a vítima, , o que de fato aconteceu, já que estavam cientes de que o rapaz se encontrava no interior do veículo." é praticamente dar a seguinte orientação aos policiais: Se os marginais estiverem de posse de um inocente (refém), não façam nada e deixem o destino do inocente nas mãos de Deus.
    Outro fato que chama muita atenção é que os laudos de microcomparação balística determina com precisão que a bala que matou o refém saiu da arma de um policial.No entanto, essa mesma modernos e demorada técnica é incapaz de "desconfiar" de qual arma saiu a bala que matou o menos bandido. Estanho…
    Com todo o respeito à família e repugnando qualquer forma de violência, este caso em particular demonstra que a legislação nacional deve ser revista urgentemente, tanto quanto os aspectos e, principalmente, quanto a determinados privilégios de classes.
    Se eu fosse um policial militar, depois desse caso, eu me faria de desentendido e me afastaria de locais em que minha missão pudesse me prejudicar ou até me levar para a cadeia.
    A morte do garotos é lastimável. E a possibilidade de punição ao policial um obstáculo ao combate de marginais.
    Temos que pensar nisto.

  4. Natalense disse:

    Mais um estimulo que o MP da aos nossos heróicos PMs, quero saber quando eles cansarem, quem ira nos defender? Sera que o MP ira patrulhar as ruas, trocar tiros com bandidos, passar noites em claro? Desde que ocorreu o fato saiu em diversos grupos de whats que foi uma fatalidade, onde o radio da pm deu varias informações erradas, tipo que bennes estava na mala, que eram 3 bandidos. Infelizmente findou com a morte, mas quem tem menos culpa são esses polícias.

  5. Higor Lopes disse:

    Não há um benes que não traga um mal.

VÍDEO: Apresentador Sikera Junior comemora anúncio de morte de assaltante, e ato viraliza nas redes sociais

Reprodução: Youtube

O apresentador Sikera Junior teve uma atitude polêmica ao comemorar o anúncio da morte de um assaltante em um programa ao vivo na última sexta-feira, 22. O vídeo, desde então, viralizou nas redes sociais.

Pouco antes do fim do Cidade em Ação, da TV Arapuan, afiliada da RedeTV! em Campina Grande (PB), Sikera afirmou: “Tem uma notícia boa! Mostramos o bandido que foi baleado e levado pro hospital, né? O que foi que houve, o que aconteceu, Márcio?”

Na sequência, o repórter Márcio Rangel respondeu: “Voltamos a falar ao vivo aqui do hospital de trauma de Campina Grande. A confirmação chegou agora: o acusado do assalto que nós mostramos agora há pouco não resistiu.”

Neste momento, o apresentador dá um grito de exclamação no estúdio, interrompendo o repórter, que, em seguida, complementa: “Morreu antes mesmo de receber o socorro médico”.

“A confirmação é que o assaltante morreu sim, agora há pouco aqui no hospital. Na verdade, ele já chegou aqui em óbito, não chegou nem a ser atendido pela equipe médica. Ele faleceu. O óbito foi confirmado, Sikera”, concluiu.

A imagem retorna para Sikera Junior no estúdio, que pergunta: “Então… Ele morreu?!”. Na sequência, uma música animada começa a ser tocada com a seguinte letra: “Ele morreu! Ele morreu! Problema dele, antes ele do que eu!”.

Com informações da Isto É e Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lima disse:

    Kkkkkkk esse cara e show.. adorei o vídeo !!!

  2. LAMPIÃO disse:

    ESTÃO VENDO!

  3. marcus disse:

    Muito bom esse vídeo!
    Show!

  4. Elvis disse:

    Se o bandido tivesse matado uma vítima aí sim ele deveria chorar, agora um bandido se reiou, ô coisa boa, meu carnaval vai ser mais feliz.

  5. Cláudio disse:

    Era bem pra chorar, por certo.

  6. Esquerda mi mi mi disse:

    Certo ele, já tem muita gente p/comemorar morte de policiais e cidadãos trabalhadores.
    Aprovado!

  7. LAMPIÃO disse:

    VI NOSSA SOCIEDADE NO VÍDEO.

Miliciano preso é investigado por envolvimento na morte da vereadora Marielle Franco

Foto: Reprodução/JN

Policiais da 82ª DP (Maricá) prenderam, na manhã desta terça-feira (18), Renato Nascimento Santos. O G1 apurou que a Delegacia de Homicídios investiga se Renatinho Problema, como é conhecido, estava no carro que levava o assassino da vereadora Marielle Franco e do motorista dela, Anderson Gomes.

Renatinho Problema foi pego em Guapimirim, na Baixada Fluminense, e tem dois mandados de prisão contra si. Ele é apontado como integrante da milícia de Orlando Curicica, citado em delação como ligado à morte de Marielle. Orlando, que está preso, nega e afirma que foi forçado a assumir a autoria do crime.

Correção: Inicialmente, o G1 chegou a informar que Renatinho Problema é ex-policial militar. Mas a assessoria de imprensa da PM afirmou ter feito uma varredura no sistema e não ter encontrado o nome dele nos registros da corporação.

Um ex-PM que acompanhava Renatinho foi preso em flagrante por porte ilegal de arma.

Recuo

Num primeiro momento, a delegada Carla Tavares afirmou que um dos mandados contra Renatinho Problema era por participação no atentado contra Marielle – mas recuou minutos depois, dizendo que o mandado de prisão cumprido foi por organização criminosa, onde tem o Orlando de Curicica.

Ainda segundo a delegada, a participação de Renatinho no caso Mariele será investigada pela DH. O ex-PM será ouvido lá também.

Quinta-feira passada (13), agentes da Divisão de Homicídios foram às ruas para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão, mas ninguém foi preso.

O que se sabe sobre o caso Marielle e Anderson

A vereadora do PSOL Marielle Franco e o motorista dela, Anderson Gomes, foram mortos no Estácio, bairro na Região Central do Rio, no dia 14 de março.

O caso é tratado como sigiloso pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. A Polícia Federal se ofereceu para assumir as investigações, mas o estado declinou.

Do pouco que foi dito das investigações, destacam-se dois momentos:

A delação que acusou o vereador Marcello Siciliano e o miliciano Orlando Curicica – ambos negam.

A afirmação do secretário de Segurança, general Richard Nunes, de que Marielle foi morta por supostamente ameaçar grilagem de terras da milícia.

Antes, um resumo do dia do atentado e das investigações subsequentes.

O dia 14 de março

19h: Marielle chega à Casa das Pretas, na Rua dos Inválidos, Lapa, para mediar debate com jovens negras.

Um Chevrolet Cobalt com placa de Nova Iguaçu, município da Baixada Fluminense, para próximo ao local.

Quando Marielle chega, um homem sai do carro e fala ao celular.

21h: Marielle deixa a Casa das Pretas com uma assessora e Anderson. Pouco depois, um Cobalt também sai e segue o carro de Marielle.

No meio do trajeto, um segundo carro se junta ao Cobalt e persegue o veículo de Marielle.

21h30: na Rua Joaquim Palhares, no Estácio, um dos veículos emparelha com o carro de Marielle e faz 13 disparos: 9 acertam a lataria e 4, o vidro.

Marielle e Anderson são baleados e morrem. A vereadora foi atingida por 4 tiros na cabeça. Anderson levou ao menos 3 tiros nas costas.

Assessora é atingida por estilhaços, levada a um hospital e liberada.

Criminosos fugiram sem levar nada.

O QUE FOI APURADO

Arma foi utilizada foi uma submetralhadora MP5 9 mm; tiros foram disparados a uma distância de 2 metros.

Munição pertencia a um lote vendido para a Polícia Federal de Brasília em 2006. A polícia recuperou 9 cápsulas no local do crime.

Ministro da Segurança, Jungmann diz que as balas foram roubadas na sede dos Correios na Paraíba, “anos atrás”.

Ministério da Segurança afirma que a agência dos Correios na Paraíba foi arrombada e assaltada em julho de 2017 e que no local foram encontradas cápsulas do mesmo lote de munição.

Lote é o mesmo de parte das balas utilizadas na maior chacina do Estado de São Paulo, em 2015, e também nos assassinatos de 5 pessoas em guerras de facções de traficantes em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.

Polícia acredita que assassinos observaram Marielle antes do crime porque sabiam exatamente a posição dela dentro do carro. Vereadora estava sentada no banco traseiro – algo que não costumava fazer – e o veículo tem vidros escurecidos.

Testemunhas: assessora de Marielle e uma segunda pessoa foram ouvidas sobre o caso.

Polícia reuniu imagens de câmeras de segurança. Cinco das 11 câmeras de trânsito da Prefeitura do Rio que estavam no trajeto de Marielle estavam desligadas.

A investigação ganhou um reforço de 5 promotores, a pedido do responsável pelo caso.

Vereador e ex-PM miliciano são citados por testemunha.

Dois homens são presos suspeitos de envolvimento no caso.

A delação

Quase dois meses após o crime, em maio, uma publicação do jornal O Globo deu indícios do que pode ter sido a articulação para matar Marielle. A reportagem mostrou que uma testemunha deu à polícia informações que implicaram no crime o vereador Marcello Siciliano (PHS) e o ex-PM e miliciano Orlando Curicica.

A testemunha – que integrava uma milícia na Zona Oeste do Rio e foi aliado de Orlando – contou à polícia ter testemunhado uma conversa entre Siciliano e o miliciano na qual os dois arquitetaram a morte da vereadora. A motivação para o crime, segundo a testemunha, seria a disputa por áreas de interesse na região de domínio de Orlando.

“Ela peitava o miliciano e o vereador. Os dois [o miliciano e Marielle] chegaram a travar uma briga por meio de associações de moradores da Cidade de Deus e da Vila Sapê. Ela tinha bastante personalidade. Peitava mesmo”, revelou a testemunha, de acordo com o jornal.

Tanto Siciliano quanto Orlando negam ter planejado a morte da vereadora. No mês seguinte à publicação de O Globo, o miliciano foi, a pedido da Segurança Pública do RJ, transferido para uma unidade prisional de segurança máxima.

Inclusive, os dois suspeitos presos em julho têm, segundo a polícia, estreita relação com a milícia de Curicica, chefiada por Orlando. Para investigadores da Delegacia de Homicídios, a dupla matou outros dois integrantes do grupo criminoso a mando do miliciano simplesmente porque havia a suspeita de um “golpe de estado” na quadrilha.

PONTOS DA DELAÇÃO

Testemunha diz que Marcello Siciliano (PHS) e Orlando de Curicica queriam Marielle morta.

Motivação seria avanço de ações comunitárias da vereadora na Zona Oeste.

Conversas sobre o crime teriam começado em junho de 2017.

Ex-aliado de Orlando citou, além de Siciliano e o miliciano, outras quatro pessoas.

Homem chamado “Thiago Macaco” teria levantado informações sobre Marielle.

A REAÇÃO DE ORLANDO

Orlando Curicica pediu para ser ouvido pelo Ministério Público Federal. Alegou que estava sendo pressionado pela polícia do Rio para assumir a autoria do assassinato de Marielle.

No depoimento, Orlando de Curicica contou que o responsável pela Divisão de Homicídios, Giniton Lages, esteve no presídio de Bangu em maio. O delegado queria ouvi-lo confessar que matou Marielle a mando do Siciliano. Ele se referia ao vereador Marcelo siciliano, do PHS, e à delação que acusou ambos.

Orlando acusa a testemunha de ser um miliciano que se desentendeu com ele. Orlando disse ter respondido ao delegado Giniton Lages que não tinha envolvimento com o caso e que o delegado teria pedido então para ele acusar o vereador Marcelo Siciliano:

“Fala que o cara te procurou, pediu para você matar ela, você não quis, e o cara arrumou outra pessoa. Mas que o cara que pediu para matar ela”.

Orlando recusou e disse que foi ameaçado. Falaram que iam transferi-lo para um presídio federal e colocariam mais três ou quatro homicídios na conta dele.

Orlando acusa a testemunha de ser um miliciano que se desentendeu com ele. Orlando disse ter respondido ao delegado Giniton Lages que não tinha envolvimento com o caso e que o delegado teria pedido então para ele acusar o vereador Marcelo Siciliano:

“Fala que o cara te procurou, pediu para você matar ela, você não quis, e o cara arrumou outra pessoa. Mas que o cara que pediu para matar ela”.

Orlando recusou e disse que foi ameaçado. Falaram que iam transferi-lo para um presídio federal e colocariam mais três ou quatro homicídios na conta dele.

Grilagem como motivação

Em entrevista ao “Estado de S.Paulo” em dezembro, o secretário de Segurança, general Richard Nunes, afirmou que a vereadora Marielle Franco foi morta por milicianos que viam nela uma ameaça a negócios de grilagem de terras na Zona Oeste do Rio.

A fala de Nunes veio um dia após operação malsucedida para prender suspeitos de envolvimento no crime.

O Jornal Nacional teve acesso, com exclusividade, ao que Orlando disse a dois procuradores federais no dia 22 de agosto.

A ENTREVISTA

Nunes falou ao “Estadão” no dia 14 de dezembro.

“Era um crime que já estava sendo planejado desde o final de 2017, antes da intervenção”, disse Nunes ao “Estadão”.

“Ela estava lidando em determinada área do Rio controlada por milicianos, onde interesses econômicos de toda ordem são colocados em jogo”, prosseguiu. “O que leva ao assassinato da vereadora e do motorista é essa percepção de que ela colocaria em risco naquelas áreas os interesses desses grupos criminosos”, emendou.

“A milícia atua muito em cima da posse de terra e assim faz a exploração de todos os recursos. E há no Rio, na área oeste, na baixada de Jacarepaguá, problemas graves de loteamento, de ocupação de terras. Essas áreas são complicadas”, continuou Nunes.

Ainda segundo o secretário, Marielle vinha conscientizando moradores sobre a posse da terra. “Isso causou instabilidade e é por aí que nós estamos caminhando. Mais do que isso eu não posso dizer”, afirmou.

G1

 

Em morte brutal em Mossoró, idoso tem braços quase decepados e rosto deformado por golpes de facão

Barbaridade, crueldade, maldade sem limite, brutalidade: É assim que foi tratada por técnicos da segurança e da criminalística, a morte de Luiz Gonzaga de Souza de 61 anos de idade, encontrado morto dentro de casa na Rua Manoel Firmino, no bairro Belo Horizonte no final da tarde dessa-feira (12). A família foi avisada através de vizinhos que sentiram sua falta, informou O Câmera.

Quando um filho da vitima chegou ao local encontrou o pai morto com marcas de violência e acionou a Central de Operações da policia militar. A porta de trás da casa estava só encostada e não havia sinais de arrombamento. Segundo o filho, seu Luiz sempre deixava a porta aberta para entrada de vento. Ele era uma pessoa bem relacionada com vizinhos e aparentemente não tinha inimigos.

Segundo o perito criminal Renildo Marcelino, Luiz Gonzaga foi morto a golpes de facão ou foice. Ele teve os dois braços praticamente decepados e o rosto deformado pelos golpes do instrumento.

O perito acredita que o idoso estava dormindo no momento que foi agredido, mas existem indícios de que ele teria tentado se defender dos golpes. As marcas da violência nos braços indicam movimentos de defesa da vitima.

O filho disse que esteve com o pai na noite anterior e como ninguém o teria visto durante o dia, os vizinhos resolveram procurá-lo no final da tarde dessa terça.

Ninguém sabe a que horas o crime aconteceu, mas pelo estado da rigidez do corpo, o perito acredita que Luiz Gonzaga de Souza tenha sido morto no final da manhã ou inicio da tarde da segunda de Carnaval.

Há 10 anos, morria Heath Ledger, o aclamado Coringa de ‘Batman: O Cavaleiro das Trevas’

Folhapress

O ator australiano Heath Ledger, morto em 22 de janeiro de 2008, aos 28 anos, em decorrência de uma overdose acidental de medicamentos prescritos, não pôde colher os frutos de seu maior papel no cinema: o Coringa de “Batman: O Cavaleiro das Trevas”, do diretor inglês Christopher Nolan.

O segundo filme da trilogia do homem-morcego [vivido por Christian Bale] estreou em 18 de julho de 2008 e contou com uma perturbadora performance de Ledger na pele do vilão, o que lhe rendeu o Oscar póstumo de melhor ator coadjuvante.

“Ele se trancou num quarto de hotel por semanas e mergulhou no personagem. Isso era típico de Heath. Mas dessa vez ele foi longe demais. Ele ficou completamente imerso, no nível mais profundo”, contou Kim Ledger, pai do ator, em 2013, para um documentário alemão chamado “Jovem Demais para Morrer”.

Na ocasião, Kim revelara um diário do filho com anotações, recortes de quadrinhos, fotos de palhaços, cartas de baralho e desenhos usados no estudo para interpretar o Coringa. No final do caderno, Ledger anexara uma foto sua caracterizado como o palhaço pela primeira vez, para um teste de figurino, com os dizeres “bye, bye”.

Para o pai, o personagem mexeu com o emocional do ator. O próprio chegou a declarar em entrevista à “Empire Magazine”, pouco antes de sua morte, o que sentiu ao estar na pele do vilão. “Tive um pouco de medo […] Acabei entrando na esfera de um psicopata, alguém com muito pouca consciência a respeito de seus próprios atos. Ele é um palhaço assassino, sociopata e totalmente sangue-frio”, contou.

Roubo de celulares durante caça de Pokémon termina com mulher morta

pk

Foto: AFP/Sophia Kembowski

A autônoma Maria Raimunda Ferreira Pereira, de 47 anos, morreu vítima de bala perdida e duas pessoas foram baleadas em uma festa no bairro Mauazinho, Zona Leste de Manaus, na noite de sábado (6). Uma policial militar, de 34 anos, um militar das Forças Armadas, 22, e um homem, de 18, foram detidos após o ocorrido. Os celulares dos suspeitos teriam sido roubados enquanto caçavam Pokémons. Eles teriam ido até o local da festa para procurar os assaltantes e atiraram.

De acordo com a Polícia Civil, os dois homens usaram a arma da policial para efetuar os disparos.

O filho da autônoma, Gleyson Pereira, de 23 anos, contou ao G1 que a mãe tinha acabado de chegar ao local da festa, por volta das 23h, quando foi atingida por dois tiros na barriga. A mulher foi socorrida e levada ao Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, onde morreu às 2h10 deste domingo (7).

Familiares disseram ter sido informados pela PM que a policial teria parado um carro, modelo Honda Civic, na Avenida Abiurana, próximo ao local da festa.

Segundo o relato, os suspeitos saíram do carro e pararam no bar em que a vítima estava. Um deles sacou a pistola, efetuou quatro tiros para o alto e depois descarregou a arma na direção das pessoas que estavam no evento. O público saiu correndo e três pessoas foram atingidas. Os homens fugiram.

Conforme o registro do caso, dois motociclistas foram até a 29ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) e informaram a placa do carro no qual os suspeitos estavam.

Após a denúncia, a policial foi encontrada na Comunidade Lagoa Verde, Zona Sul. Ela entregou o armamento, bem como três carregadores com 11 munições intactas, além de estojos de munições deflagradas. Os dois homens foram detidos em uma outra residência.

Pokémons

Os suspeitos presos disseram à polícia que tiveram os celulares roubados por dois homens em uma moto enquanto caçavam Pokémons, no Calçadão do Distrito Industrial, Zona Sul, e, em seguida, foram informados de que os homens estavam em um bar no bairro Mauazinho. Os dois decidiram ir até o local para recuperar os objetos e acabaram pegando a arma da policial.

Em nota, a PM informou que todos os procedimentos de polícia judiciária foram realizados pela Polícia Civil no mesmo dia do fato e que a Diretoria de Justiça e Disciplina, da Polícia Militar, instaurou Processo Administrativo Disciplinar para apurar a conduta da referida policial.

O caso foi registrado no 9º Distrito Integrado de Polícia (DIP) como homicídio doloso e homicídio qualificado tentado. Os três foram levados para audiência de custódia e a decisão deve ser informada na segunda-feira (8).

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JOAO MARIA disse:

    ENQUANTO VÁRIOS IDIOTAS PROCURAM POKESEILAOQUE, COM CERTEZA AS MULHERES DELES ESTÃO ACHANDO OS BICHINHOS OU BICHOES SEM SAIR DE CASA E SEM PRECISAR BAIXAR APLICATIVOS

  2. paulo disse:

    Sinceramente!

  3. Moreira disse:

    A raça humana eh uma desgraça! O povo enlouqueceu de vez e por uma merda dessa de jogo!

  4. Manoel disse:

    O povo inveis de procura Jesus vai procura desgraça de Pokémon.

  5. Senhor Cidadão disse:

    Bestas Medievais !!

  6. Ana disse:

    Esse deve ser só o primeiro de muitos…

  7. Cara de otário disse:

    Entendi nada! Muito mal redigida a matéria, extremamente confusa!

  8. raul disse:

    ZUMBIS KKKKKKK

Traumatismo cranioencefálico causou morte de professor da UFRN, diz Itep

174661O professor substituto do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Diogo Rosembergh da Silva Nóbrega, de 26 anos, morreu em razão de um traumatismo cranioencefálico de ação contundente. Ou seja, foi vítima de uma agressão que causou fratura no crânio e dano físico ao cérebro. É o que aponta o resultado da perícia realizada pelo Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) – cujo laudo foi divulgado pelo órgão no início da noite desta segunda-feira (22). O corpo de Diogo foi encontrado na manhã do domingo (21) debruçado sobre pedras em meio às falésias de Cotovelo, praia do litoral Sul da Grande Natal.

A perícia descarta a possibilidade de afogamento, mas não aponta se o professor foi assassinado ou cometeu suicídio. Delegado da 2ª Delegacia de Polícia de Parnamirim, Marcel Gouvêa disse que só deve dar início às investigações na manhã desta terça (23), depois que analisar o inquérito instaurado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, a DHPP.

Foi o delegado Marcos Vinícius, da DHPP, quem esteve no local onde o corpo foi encontrado. Isso aconteceu porque as delegacias distritais da Grande Natal não funcionam nos finais de semana e feriados. “Estava vestido só de cueca, com uma camisa polo e meias. O corpo apresentava muitos hematomas. Também havia ferimentos nos braços, pernas e afundamento craniano”, descreveu.

Ainda na cena do crime, o delegado ressaltou que seria necessário mais tempo para se chegar a uma conclusão sobre o ocorrido. “Neste momento não é possível determinar se ele foi assassinado (tendo sido morto em meio às pedras ou mesmo empurrado do alto da falésia), se cometeu suicídio ao saltar do penhasco ou até mesmo se morreu afogado”, acrescentou.

Ainda de acordo com Marcos Vinícius, próximo ao corpo da vítima havia um paralelepípedo, que também pode ter sido usado para causar o afundamento do crânio.” Enfim, ainda é cedo para dizer o que houve”, finalizou.

Fonte: G1

Ladrão mata jovem por causa de celular na Zona Norte

A jovem estudante Maria Karoline, de 19 anos, estudante do curso de Turismo na UFRN, foi assassinada no final da tarde desta quarta-feira (20). Ela foi vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte), na Avenida Itapetinga, no no bairro Potengi, zona Norte de Natal.

De acordo com informações obtidas pelo blog, a jovem estava caminhando juntamente com a irmã na Avenida Itapetinga, quando foi abordada por dois homens que estavam em uma motocicleta. Os criminosos pediram os celulares das duas. As duas entregaram sem reagir. Mesmo assim, um dos bandidos atirou nela.

Maria Karoline foi alvejada com um tiro na cabeça e outro no tórax. Após os disparos, a dupla fugiu. O Serviço de Atendimento Móvel (Samu) foi acionado, mas quando chegou a jovem estudante já estava sem vida.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fernando Segundo disse:

    O GOVERNADOR DA SEGURANÇA FRACASSOU!!!

  2. paulo disse:

    BG
    Enquanto nós CIDADÃOS não extirparmos essa classe politica OMISSA,CONIVENTE,IRRESPONSÁVEL,NEGLIGENTE,CORPORATIVISTA,ENGANDORA,MENTIROSA,PODRE e uma infinidade de adjetivos, enterraremos nossos JOVENS e CIDADÃOS trabalhadores cumpridores dos seus deveres,pagadores da maior carga tributaria do MUNDO para sustentar esse MALANDROS escondidos nos "gabinetes" com ar-condicionado , motoristas, auxilio palito, auxilio moradia. ISTO É UM ESCARNIO com a população abandonada deste País chamado Brasil.

  3. caio fabio disse:

    Governo incompetente, inerte. Chega de "barbie" e embromations.

  4. Paulo disse:

    Culpa do "direitos dos manos" Que policial que vai agir preventivamente, se em uma abordagem não pode mostrar arma, não pode isso, não pode aquilo. Como é que você vai chegar pra fazer revista em alguém sem poder mostrar arma nem nada. Vida de policial é difícil, imagine a tensão de você pensar que ali pode ter um bandido armado e ainda é criticado nas abordagens? Aparece um monte de gente na hora pra filmar e tirar foto dizendo que é policia racista, policia assassina e no final o policial que responde a um processo administrativo.
    Tem é que acabar com esse mimimi de vitimismo e revistar mesmo as pessoas.

  5. Paulo disse:

    Culpa do "direitos dos manos" Que policial que vai agir preventivamente, se em uma abordagem não pode mostrar arma, não pode isso, não pode aquilo. Como é que você vai chegar pra fazer revista em alguém sem poder mostrar arma nem nada. Vida de policial é difícil, imagine a tensão de você pensar que ali pode ter um bandido armado e ainda é criticado nas abordagens? Aparece um monte de gente na hora pra filmar e tirar foto dizendo que é policia racista, policia assassina.
    Tem é que acabar com esse mimimi de vitimismo e revistar mesmo as pessoas.

  6. Diego disse:

    Alguém já viu a mídia brasileira exaltar um policial? Quando foi que o Fantastico mostrou pela ultima vez um policial heroi?
    É comum ver na CNN os americanos condecorarem policiais com honra como fizeram aos que mataram os terroristas de Boston.
    Aqui só se dá destaque aos corruptos e bandidos. Outro dia a corregedoria puniu dois soldados que obrigaram bandidos a carregar uma freezer que haviam roubado, porque isso era degradante. Tá de brincadeira?!
    Lamento mais o prognóstico é de que o atraso e mediocridade de nossa sociedade e todas as mazelas que resultam delas ainda vão levar gerações para desaparecer.
    Enquanto isso ainda vamos colher muito dos valores que plantamos.

  7. Chico disse:

    Inadmissível. Até quando? A sociedade natalense acompanha passivamente e os nossos governantes assinam mais um atestado de incompetência sem precedente. Natal, cidade linda por natureza e uma das mais violentas do Brasil. Quem tiver condições, pode arrumar a mala e morar em outras terras, pois quem está na rua corre perigo de morte. Estamos fritos!

  8. Claudinho disse:

    Como a vida aqui nessa bagaça não vale p…. nenhuma mesmo, não é? Fazer zoada por causa de centavos boa parte faz, mas lutar pela segurança, saúde, educação, VIDA, haha… ninguém nem se atreve jogar pedra na porta do Midway…

  9. Marcus disse:

    Nao vamos atrapalhar o veraneio… do Governador da seguranca….

  10. Bueno disse:

    O RN precisa de alguém de pulso , alguém que não tenha medo de enfrentar primeiro os defensores dos "direitos" mais conhecidos como hipócritas. Esses nunca perderam parentes vitimas de menores ou de bandidos que a policia prende e com meia hora tão soltos cometendo delitos novamente. Esse governador é fraco infelizmente. É igual aos outros políticos que sabem falar mas não sabem agir. Decrete calamidade na segurança, chame a força nacional o exercito mas faça alguma coisa ou ira começar uma matança sem precedentes no RN. Hoje tanto faz ser cidade grande, pequena ou um sitio da zona rural, não existe segurança, certo que temos uma legislação capenga mas pior é ser omisso, isso acentua muito mais a impunidade. Acorde governador ou o Sr poderá chorar as dores que muitos choram já que eles não escolhem mais a quem matar.

  11. Edu disse:

    Porque este caso não teve a mesma repercussão e comoção popular que o recente e lamentável assassinato da Gizela Mousinho, dois atos de pura crueldade e barbárie que mereciam o mesmo tratamento da opinião pública, imprensa e empenho da Polícia em punir os culpados.

  12. Sergio Nogueira disse:

    Vamos dar moleza pra vagabundo. Cheios de direitos, regalias e defensores fazem o que querem porque sabem que haverá quem lute para que o período na prisão, se houver, já que o Judiciário descobriu a roda com a Audiência de Custódia, seja o menor possível.
    O Estado não tem competência para manter presos essas nulidades mas tem para botar a Defensoria Pública para conseguir o menor castigo possível.

  13. José Avelino disse:

    Se não mudar tem que ter uma intervenção no estado, pois estamos sem comando, com um governo fraco, sem poder de reação.

  14. Lena disse:

    Gente isso ta um caso sério , não podemos usufruir de um direito que temos o de IR e VIR , ta faltando intervenção mais rígida , a bandidagem ta grande , só Deus pra cuidar da gente ….

  15. André disse:

    O governador em todos suas entrevistas de final de ano era dizendo que a segurança tinha melhorado, ridículo , está aí o resultado , fugas , mortes e assaltos nas praias , no centro na zona norte na zona sul , não conseguem fazer o básico que é deixar o bandido preso .

  16. Douglas Santana Meireles disse:

    Esses criminosos devem ser fichados e estão soltos matando covardemente as pessoas de bem. Da mesma forma como aconteceu com os turistas norueguêses os criminosos são fichados e estão soltos cometendo crimes que afetam sobetudo as vítimas diretamente e a sociedade em geral. Principalmente pra quem vive do turismo.

  17. Jiordano disse:

    Temos que reagir a essa situação, não podemos ficar de braços cruzados…

  18. Maria da Conceição disse:

    Gente, pelo amor de Deus!/Vamos suplicar leis mais severas ao nossos Deputados… É inadmissível uma situação dessa. Como esse pai, essa mãe, essa irmã estão agora? Leis e políticos frouxos deixam a população a mercê. Vamos nos revoltar! Que coisa mais absurda e triste! Caraaaamba!

  19. Larissa disse:

    Ou a polícia começa a matar esses monstros, ou não teremos paz nunca mais. Só assim vai resolver.

  20. JOAO MARIA disse:

    Enquanto não tiver pena de morte para este tipo de bandidos a situação já estar pessima e com certezxa vai piorar neste pais de impunidade

  21. roseane disse:

    Aonde vamos parar com tanta criminalidade aqui neste país e em especial o RN?.

  22. Osvaldo disse:

    Governador, dê uma justificativa à sociedade. Ninguém aguenta mais essa selvageria. Emita uma nota pedindo desculpas pela sua ineficiência… Seu fracasso como "governador da segurança". Bandidos cavando túnel à luz do dia e nada é feito? Arrastões, latrocínio e homicídio é o dia a dia dessa cidade.

  23. Rodrigues disse:

    Sinceramente eu não sei mais o que está faltando para as autoridades botar moral nessa merda. É revoltante, é casa de juiz sendo assaltada, é turistas assaltado é uma bagunça só, ninguém pode mais sair de casa que está vulnerável, tem que pedir a Deus para não está no lugar e na hora errada, porque se não vai acontecer. E esses bandos de calça frouxa não faz nada? Entregue a porra desse Estado por dois finais de semana, A quem tem CORAGEM ( MILITARES) que dão um jeito, tá faltando ORDEM, Governo civil é fraco, divulgam umas estatísticas fajuta e vão enrolando a população onde na prática o que se vê é o contrário, faltando ordem. Tá mais do que comprovado, de Norte a Sul do Brasil. Como está, não pode ficar. Tá imoral passando de todos os limites.

  24. Junior disse:

    O povo merece se fuder!

    E acredita que vai continuar assim e ninguém vai se mexer??
    Kkkkk

    O povo do RN é parado! Parado até demais!
    Tem preguiça até de lutar pelos seus direitos!

    Por isso que eu afirmo! Todos merecem se fuder!

  25. Adalbetto disse:

    RN sem controle. Governador, decrete a calamidade na segurança do estado do RN. Situação insustentável.

  26. charles disse:

    Cadê o governo da segurança?

  27. Potiguar disse:

    Pelo amor de Deus, os cidadãos do RN estão sendo CAÇADOS pela bandidagem. Tá na hora de uma revolta geral por parte da população porque ninguém sabe onde essa "guerra civil não declarada" vai terminar.
    A situação é muito preocupante.

PRF confirma que colisão frontal provocou morte de jovem em acidente com carreta da dupla Jorge e Mateus

Um acidente envolvendo uma carreta com a logomarca da dupla Jorge e Mateus e uma motocicleta matou o jovem José da Silva Vidal, de 18 anos. O fato aconteceu por volta de 3h30 deste domingo (22), no Km 132 da BR-010, próximo a Estreito, no Maranhão, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

De acordo com a PRF, os dois veículos vinham em sentidos opostos e bateram de frente. O perito do Instituto de Criminalística (Icrim) que esteve no local, Fernando Alves de Andrade, concluiu que a colisão se deu na pista contrária a da motocicleta, que era conduzida pela vítima.

A conclusão do Icrim indica que o jovem teria invadido a contramão e batido de frente com a carreta. O rapaz morreu na hora. A perícia também afirma que a vítima não possuía habilitação e que o corpo apresentava indícios de ingestão de bebida alcoólica.

O motorista da carreta, identificado como Marcos Fabiano de Souza Silva, foi autuado por “homicídio culposo por acidente de trânsito”, conforme o artigo 302 do Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/1997).

De acordo com o site oficial da dupla, Jorge e Mateus fizeram um show em Santarém, no Pará, no sábado (21), e têm show marcado para este domingo, em Araguaína, no Tocantins.

Fonte: G1

[CASO ADRIANO] Relatório da PM aponta que bandido estava de moto

IMG-20150819-WA0018O responsável por assassinar a tiros e chefe de cozinha e empresário Adriano Silveira nesta quarta-feira (19) estava de moto, segundo o relatório da PM.

Adriano, que ficou conhecido em Natal por ser proprietário do Bar 16 no Machadão e do Rei do Espetinho no Frasqueirão, estava no cruzamento da Avenida Presidente Sarmento com a Rua dos Caicós, no Alecrim, quando foi alvejado com um tiro de arma de fogo na cabeça. O bandido fugiu sem ser identificado.

Segundo informações obtidas pelo blog, as duas principais linhas de investigação da Polícia Civil, responsável pelo inquérito do caso, são briga de trânsito e tentativa de assalto.

Adriano foi socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital Walfredo Gurgel, onde foi submetido a uma cirurgia de emergência, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

O bandido fugiu, mas a polícia está investigando o caso.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. NETO disse:

    COMO ELE FOI SOCORRIDO PRO HOSPITAL SE NEM DO CARRO ELE SAIU? ELE VEIO A OBITO NO CARRO MESMO.

  2. Renata disse:

    Onde está sendo o velório????

[CASO ADRIANO] Na última postagem no Facebook, Adriano Silveira falava na certeza da morte

Na última postagem em que fez na rede social Facebook, o empresário e chefe de cozinha Adriano Silveira já falava na certeza de que iria morrer, porém sempre com a fé que era uma de suas características.

adriano-facebook

Adriano foi alvejado no final da tarde de hoije com disparos no bairro do Alecrim e socorrido para o Hospital Walfredo Gurgel, mas a assessoria do hospital confirmou o óbito dele há pouco. A Polícia Civil investiga o caso e trabalha com duas linhas de investigação sobre o que motivou os disparos: briga de trânsito e tentativa de assalto.