Alunos da UFRN planejam levar filhos para salas de aula em protesto contra humilhação de colega por professor

Após o caso da estudante Waleska Maria Lopes, impedida de assistir aula com sua filha de cinco anos na UFRN, vir a público em reportagem do G1, alunos da universidade reportaram ao BlogdoBG que estão organizando um protesto.

De acordo com os relatos, os estudantes estão programando levar seus filhos para as salas de aulas em solidariedade à estudante, que se viu em situação de humilhação. Ela informou ao G1 que vai prestar boletim de ocorrência por agressão moral e constrangimento.

O fato aconteceu na terça-feira (6) durante a aula de Introdução à Sociologia do curso de Ciências Sociais da UFRN. “Me senti muito mal. Minha filha perguntou se não podia mais assistir às minhas aulas. Se era por causa dela. É uma grande humilhação. A única família dela sou eu. Ela só tem a mim. Foi terrível”, relatou a aluna ao G1.

O professor que provocou os eventos, Alípio Sousa Filho, afirmou que a criança interrompe o andamento da aula. Após a saída da aluna, ele foi gravado pelos demais alunos dizendo o seguinte:

“Ela encontre uma rede de solidariedade para cuidar da criança. Não consegue essa rede de solidariedade? Repense sua vida. Não tem que estar fazendo Ciências Sociais, não tem que estar estudando na universidade. Você só faz isso se tiver condições. Agora não vai impôr à instituição coisas que não são assimiladas pela instituição (…) ‘ah, eu sou pobre, não tenho’. Problema seu, a universidade não tem problema com isso, se vire”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Se fosse num curso de ciências exatas, que requer alto nível de concentração a turma já tinha expulsado a aluna.

  2. Felipe disse:

    curso de ciencias sociais, se for ver a concorrencia, realmente só entra em sua maioria gente que estudou pouco p/ estar la. Aí da nisso aí. Tem filho e nao precisa estudar muito p/ entrar no curso. Olhaí no que deu. Agora vai ver se ela com essa filha se ela teria tempo p/ estudar p/ passar no curso de direito. Eu duvido meu amigo. Aí pronto, acha que depois que entrou no curso de ciencias sociais na moleza, aí acha que tambem vai terminar o curso na moleza, so no Brasil mesmo

    • Tatiana disse:

      Meu pai estudou direito na São Francisco, dita a melhor em direito no Brasil. Ele conta que tinha uma colega que sempre levava a filha, desde o início até o final do curso, e ninguém se incomodava. Aí é que está, lugar de gente esclarecida.

      Pra falar merda, é melhor ficar quieto. Ou você é mais um dos frustradinhos da vida que não aguenta ver diferenças sociais?

  3. Felipe disse:

    se eu fosse professor, e esses pseudo-estudantes levassem seus filhos p/ assistir aula, eu simplesmente parava de dar aula e ia informar os orgaos competentes o motivo por ter parado a aula. Simples assim. Alias, era o mais prudente que esse professor deveria ter feito. Ele tem o direito de dar a aula dele sem ninguem fazendo barulho, ali ne cabaré nao, é uma instituiição que merece respeito por parte dos alunos.

    • Tatiana disse:

      Representando o professor machista, elitista? Está com tempo extra pra comentar por aqui? Esse professor merece ser exonerado por não saber aplicar na prática o que "ensina" na teoria. Zero pra ele, e zero pra você!

  4. Felipe disse:

    Sinceramente, se eu fosse aluno da UFRN e alguma colega minha de classe levasse a filha dela pequena p/ ficar gritando alto, chorando ou falando alto (sim, porque crianças pequenas normalmente são assim), eu é quem iria denunciar essa situação aos orgaos competentes, porque, eu como aluno, tenho o direito de assistir aula sem nenhum barulho. Que egoismo enorme o das pessoas que nao se importam se seus colegas vao se sentir incomodados ou nao com o barulho de uma quase-bebê. 5 anos é uma quase-bebe. Meu povo, solidariedade tem limites tambem. Sala de aula nao é creche nao! Pelo amor de Deus. Ja pensou se uma sala de aula vira um berçario? aí eu digo, 24 anos, nova, inventa de ter filho sem condições, é no minimo uma irresponsavel que pensa que criança nao é algo sério, nao é um brinquedo nao, minha jovem, uma criança é um ser humano que demanda ate mais cuidados do que com um adulto, ou seja, so tenha se tiver tempo e dinheiro. Agora se a criança estiver quietinha, realmente nao vejo motivos. Sala de aula é p/ aprender, ne um lugar de brincadeira nao, apesar de alguns alunos acharem que ali é uma bagunça liberal onde se pode tudo, quem sabe ate ir de sunga assistir aula, so falta isso. Falta de bom senso total dessa mae. Friso que eu sendo aluno da UFRN TENHO O DIREITO DE ASSISTIR AULA SEM SER IMPORTUNADO PELO BARULHO QUE A FILHA DESTA JOVEM ESTIVER CAUSANDO P/ ATRAPALHAR MINHA CONCENTRAÇÃO. ALI NAO É UMA CRECHE. BOTOU FILHA NO MUNDO, SE VIRA NOS 30. SE FOSSE RESPONSAVEL NAO ESTAVA AÍ NESSA SITUAÇÃO. O direito dela vai até onde começa o meu. Tolerancia tem limite porque todo jogo tem suas regras de bom senso. Porque essa jovem tem mais direito do que eu? por que tenho que suportar a filha dela fazer barulho enquanto assisto aula? peraí tambem ne, por isso que o Brasil é esse pais que ninguem leva a serio, é essa esculhambação onde nao existem regras. Brasil sil sil sil!

  5. Bill Ganjica disse:

    Como dizia o deputado mais honesto do Brasil, Roberto Penisvaldo: “esse é o típico fascista, taxista, é o típico espertinho, estribado, raparigueiro e filantropa, é o típico perfil da escoria da nossa sociedade pós-capitalista moderna. Você, amigo leitor, se fudera no pretérito mais que perfeito, não estão entendendo oque estou falando né? quem mandou não estudar!?!?!?”

  6. Paula disse:

    O professor esta correto.Se essa moda pega todas as maes levando seus filhos pra aula.Quem aguentaria tanta bagunça e choro de crianca?

    • Ivete Bezerra disse:

      Eu não quero dizer quem está certo ou errado neste episódio.
      Apenas vou tecer comentários sobre a vida presente.
      Eu quero citar que o aparelho celular é usado maciçamente por praticamente toda a população urbana no Brasil. Dito isto, lembro que em todos os recintos onde há plateia para assistir alguma apresentação, palestra, aula, filme, há a recomendação expressa para que desliguemos os aparelhos celulares, visando "o não importunamento de quem assiste".
      Dito isso, eu fico aqui com os meus botões: Se o som de uma ligação de celular causa tanto incomodo e até desconcentração da plateia, o que acontece quando há a presença de uma criança de cinco anos numa aula de um curso superior, no turno noturno?

  7. Ricardo disse:

    Esse energúmeno deve ser afastado e, quiça, demitido a bem do serviço público!

  8. Arthur disse:

    Nesse Brasilzão de hoje, o certo é errado; e o errado é certo…PQP

  9. Marcio Brand disse:

    Se ele está certo ou errado não importa, mas esse professor se esconde atrás da instituição para promover seu discurso elitista e preconceituoso, já presenciei algumas vezes situações parecidas que foram acolhidas por nobres professores. A formas e formas de lidar com a situação e a desse infeliz foi a de um canalha. Se pesquisarem vão ver que tem outras atitudes assim desse narcisista que se acha o dono da verdade e de humanidade não tem nada! Quem defende esse sujeito, defende o individualismo e a situação que país se encontra.. só reclamam e não agem!

  10. Waldemir disse:

    Lugar de crianças é em creches não na FACULDADE
    Ponto final

  11. Nasto disse:

    Ceará-Mundão Falou e Disse. Está coberto de razão no seu comentário. Concordo toalmente

  12. Ceará-Mundão disse:

    Quanta asneira se lê por ai. Aqueles que estão escrachando o professor com certeza pertencem ao grupo "inimigo" de estudo, de trabalho, de esforço em geral. Alguém que ao menos um dia já estudou está cansado de saber que é impossível alguém conseguir assistir a uma aula ou mesmo estudar e cuidar de uma criança ao mesmo tempo. Uma criança numa sala de aula com toda certeza irá atrapalhar o andamento da mesma, prejudicando a todos os alunos, inclusive aqueles que estão lá para aprender e não para "passear" ou "arrumar namoro". Mas essa gente está perdoada pois não sabem o que é estudar. Nunca tentaram de verdade fazer isso. Serão eternos adolescentes, pessoas que nunca assumirão responsabilidades na vida e nunca saberão cumprir normas e respeitar o direito alheio. Por que os demais alunos precisam se sujeitar a terem suas aulas prejudicadas por alguma condição particular de alguém? O professor pode até não ter sido muito "polido" no que disse mas ele disse o certo e agiu corretamente. E tome mimimi.

  13. lopes disse:

    E fácil jogar pedra no professor ..menino é igual a peido.. você só aguenta o seu…vamos para com isso..por que alguém que é contra o professor não se oferece pra ficar com a criança

    • Felipe disse:

      ja apareceu alguem sim! Uma creche aí particular, bolsa 100%. Aí ainda tem gente achando que foi somente solidariedade? digo mais, agora a creche ficou conhecida, marketing puro e estará recebendo mais clientes, só que as proximas terao que pagar, acredito eu. Aí sim o tratamento é desigual. Uns pagam outros nao. Enfim, a não ser que todas aquelas sem condições tenham o mesmo tratamento de receberem a bolsa 100%. O capitalismo é selvagem so digo isso. E estamos todos dentro dele, querendo ou nao, o mundo bom só existe nas telinhas nos filmes de mentirinha. O mundo é mau e cada um que lute p/ sobreviver. O sistema é um caos em tudo.

  14. Silva disse:

    Em qualquer circunstância estou com o mestre.
    Mestre e mestre e acabou.

  15. Aparecida disse:

    Concordo com o professor. Que a universidade possibilite creche para as crianças enquanto as mães estudam.

  16. Netanias disse:

    Professor mal educado!essas palavras proferidas por não condizem com um educador.Mal exemplo.

  17. Alyson disse:

    Talvez esse professor tenha se expressado com muita dureza, mas sala de aula não é creche. Se mais 1 ou 2 mães também resolvem levar seus filhos, como seria essa aula? Até por questões de conforto e bem estar dessa criança. Mas só sabe onde o sapato aperta quem calça.

    • Felipe disse:

      essa jovem é uma egoista. Devia era trancar o curso p/ cuidar da filha dela, isso sim. Ela ta sendo egoista ate com a propria filha dela nessa hora, pois como podera se dedicar a cuidar da filha assistindo aula? ou uma coisa ou outra. Uma irresponsavel precisando de ajuda urgente.

  18. Almir Dionisio disse:

    As pessoas confundem a situação e radicalizam.É correto uma criança de apenas 05 anos de idade que já passa o dia todo em uma creche e a noite acompanhar a sua mãe uma jornada de 04 hs de aulas – ficando no mesmo ambiente sentada em uma cadeira.
    Por outro lado, é correto privar a mãe de realizar o seu projeto de estudar.
    É algo complexo e que necessita de uma análise e solução sem se chegar a um extremo de encher uma sala de aula de crianças como forma de protesto.
    Talvez o caso tenha repercutido de uma forma em grande proporção pela forma como foi conduzido pelo professor/aluna e que no auge da discussão ganhou o apoio dos demais alunos, sem pensar em como buscar soluções.
    A criança tem o direito de brincar de descansar, não sendo uma prática comum acompanhar a mãe em sala de aula em um horário noturno.
    Acho que a questão precisa ser repensada pela mãe e buscar uma solução que acomode melhor essa criança.

    • Tatiana disse:

      Melhor estar com a mãe que atirada numa creche. Sem contar a qualidade das creches no Brasil, lugar de morte de muitas crianças, onde as mesmas sofrem diversos tipos de abusos, inclusive sexuais. Melhor é ficar com a mãe, criança gosta é de estar com a mãe, não atirada a própria sorte enquanto a mãe, já em situação vulnerável, luta contra todas as adversidades para um dia ser capaz de oferecer uma vida um pouco melhor à filha.

  19. Ricardo disse:

    Sala de aula não é creche nem jardim de infância, na UFRN existe um Núcleo específico para receber crianças, o NEI, a distinta universitária pode procurar a possibilidade de matrícular sua criança no Nei.
    Não conheço os moldes em que o mestre da disciplina argumentou contra a presença da criança, mas entendo que lugar de criança não é em sala de aula de Universidade.

  20. DeSacoCheio disse:

    O problema da sociedade hoje é que só querem os bônus de suas decisões, os ônus não. Na hora de fazer a criança achou bom mas na hora de ser mãe não. Seus direitos acabam quando começam os dos outros, no caso, os outros alunos que querem assistir aula e são prejudicados pela criança que quer ser só criança (correr, pular, brincar, chorar). Se no final do semestre os alunos reprovados na disciplina forem se queixar por que o professor não teve pulso para solucionar o problema e se disserem prejudicados? Quem manda na sala é o professor e acredito que este teve bom senso sim. O mundo tá ficando chato e errado aceitando MiMiMi de quem não assume os custos de suas opções.

    • LEITOR disse:

      Concordo, assuma as responsabilidades, a vitimização é execravel !!!

    • Felipe disse:

      concordo, ela que tranque o curso dela, p/ cuidar da filha, é ônus e bônus, meu amigo, falou e disse. Ou os brasileiros acham que a gente deve continuar sendo esse pais esculhambado sem regras? e sem "penalidades" p/ quem pretende burlar as "regras" de convivencia academica? Tem o bonus de ter uma filha, agora pegue os ônus tb, ou ta achando que é só coisa boa ter filho? é pepino que nao acaba mais. Mas vale a pena, mas tem que se preparar que as reponsabilidades sao muitas. Disponha logo de bastante tempo do seu dia, senao nem tenha filho, porque vc estara sendo uma verdadeira egoista. Quem pensa no proprio filho de verdade, dedica bastante tempo ao mesmo. Mas p/ dedicar tempo, vc precisa de tempo, é obvio, entao antes de ter, tenha a certeza de que tera tempo disponivel ao mesmo e nao seja mais uma egoista e irresponsavel nesse mundo louco

  21. Thiago disse:

    Na minha opinião, levar a criança eventualmente, devido às circunstâncias, ainda é aceitável, mas para todas as aulas não acho. Definitivamente não é o ambiente adequado. Muita gente olhando para os lados aluna/professor e esquecendo a criança. O pior que acho é a ideia de usar os próprios filhos como instrumento (para não dizer objeto) de um protesto. Há formas mais inteligentes de se protestar e resolver essa situação.

  22. Meg disse:

    Se essa aluna for para a balada, vai levar a criança também? Se o professor foi rude, eu não sei, mas sala de aula não é creche. Ademais, as universidades também viraram lanchonete, loja de roupa etc. Imaginem numa aula de penal , o professor falando sobre o crime de eestupro ou homicídio . Então a aluna teria direito de levar uma criança para ouvir na sala de aula o professor explicar esses crimes?

    • Maria Helena disse:

      Excelente argumento. A resposta é NÃO, ela não levará. Irá deixar a criança com algum parente ou amigo. O professor está coberto de razão.

  23. Hermínio Sobrinho disse:

    Deveria ser punido. Mau exemplo.

  24. vilanir gurgel disse:

    pronto!!! era o que faltava

  25. Igor disse:

    Se brincar, a criança é quem tem mais maturidade dentre os envolvidos.

  26. Ricardo disse:

    As universidades serão futuramente um jardim de infância.

  27. RN Desgovernado disse:

    Que exagero nesse caso, em todos os aspectos. Esta aí um tipico caso onde todos os envolvidos estão errados: o professor pela rudeza ao tratar o caso, a aluna pela insensibilidade ao levar a criança ao ambiente de educação para adultos e o excesso de vitimização, e a UFRN pela inexistência de uma política definida para tratar o caso. O que falta é razoabilidade para todos. Crucificar o professor com ingresso de queixa é lamentável, nada mas é que uma transferência de responsabilidade, mas como hoje em dia vemos as autoridades educacionais sendo desrespeitadas, não é de se estranhar quem apoie esse levante contra os professores.

  28. Ems disse:

    É preciso bom censo da aluna !!!

  29. joao disse:

    Deviam privatizar.. ou começar a pagar.. quando acham que é de graça, fazem isso. O prejuizo é para aqueles que querem um futuro atraves do conhecimento. Sala de aula nao é creche.

  30. Tomaz disse:

    NENHUMA MÃE A MENOS!

    À Universidade Federal do Rio Grande do Norte

    As e os estudantes da UFRN vem por meio desta nota repudiar a agressão do professor Alípio de Sousa Filho (DCS/UFRN) contra a estudante do curso de ciências sociais e mãe Waleska Lopes ao impedi-la de assistir aula acompanhada da sua filha de 5 anos. Não é a primeira vez que o professor constrange estudantes adotando uma postura opressora e autoritária dentro de sala de aula. Tal caso não é um fato isolado, mas é a reprodução do modelo de sociedade machista que nega às mulheres os espaços de conhecimento, bem como sua permanência enquanto mãe e trabalhadora.

    Diante do contexto de democratização do ensino público superior nos últimos anos faz-se necessário que a instituição se adapte ao novo perfil de estudantes que ingressam nas universidades, garantindo a permanência das mães estudantes que precisam levar suas filha/os para a aula por não ter com quem deixar.

    Reafirmamos que além de machista, Alípio sustenta um discurso onde o preconceito de classe prevalece ao afirmar que “só vai (pra universidade) quem tem condições” e enaltece seus títulos acadêmicos no exterior. Comprovando, assim, que apesar de seu currículo não tem nenhuma capacidade de estar em sala de aula e lidar com as diferentes realidades sociais.

    Nesse sentido, reivindicamos:

    Afastamento do professor de suas atividades acadêmicas;
    Incluir na utilização dos recursos do PNAES a construção e manutenção de uma creche dentro do campus que funcione nos turnos matutino, vespertino e noturno.

    Em plenária na noite de ontem (07/03), as e os estudantes do curso de Ciências Sociais deliberaram uma agenda para discutir a pauta na segunda-feira (12/03), sendo:

    8h40: Assembléia Estudantil na pracinha dos CAs do setor 2.
    18h45: Aula pública sobre gênero e opressões na pracinha dos CAs do setor 2.

    #SomosTodasWaleska
    #PeloDireitodeSerMãeEstudante

    • Juvenal disse:

      MiMiMiMiMiMiMiMiMiMi

    • Realista disse:

      Coitado do professor será tratado agora como torturador, facista, neonazista, corrupto, opressor, ditador e genocida…É uma vergonha o que Lemos no texto desse pseudorevolucionário incitando um levante contra a classe educadora. #respeiteoprofessor

    • Maria Lima disse:

      Minha nossa… 🤦‍♂️

    • Acorda Brasil disse:

      A qualidade do ser humano está baixa… Aaahhh geração fraca!

    • Salve o Brasil disse:

      Esse chamamento ilustra bem a desmoralização da figura da Classe Educadora. As pessoas querem transferir para os outros suas responsabilidades, não querem seguir as regras da sociedade e desejam que as regras se adequem aos seus anseios sem se preocupar com as demais pessoas que serão afetadas. É preciso a Reitoria ter pulso e criar soluções para situações como essa. É justo a aluna ficar sem educação…não. É justo transferir para os outros alunos e professores também não, portanto, a instituição deve avaliar o caso sob o julgo da responsabilidade. Agora um chamamento para um protesto como esse é ridículo. Isso explica o comportamento e pensamento deturpados de uma ala de alunos com doutrinação revolucionária e anarquista.

    • Hebert disse:

      Meu Deus!!

    • ipm disse:

      UFRN tá um lixo !!!! quero saber na hora q a cidadã tava virando os olhos se ela chamou o professor !

    • Jomar Ribeiro disse:

      Onde está o Conselho Tutelar para defender os direitos da criança?
      Ou será que está correto a criança passar a noite, até às 22 horas, dentro de sala de aula?

    • Maria Helena disse:

      Certamente vc que escreve é um militante e não um estudante. Se assim o fosse, saberia que o professor está certo. Se todos decidirem levar seus filhos, a finalidade das IES se resumirá a ser creche, e não Universidade.

    • Ems disse:

      É muito mimimi !!! Produzir que é bom…

    • Arthur disse:

      Ridículo!! Só poderia mesmo vir de uma universidade envenenada como a UFRN… Tenho certeza que a maioria dos professores que lá atuam passaram por muitas dificuldades pra estudar e nem por isso levaram seus filhos pra aula, atrapalhando o aprendizado dos demais… "Movimento estudantil" com viés político! podem procurar o idealizador desse lixo e ver seus objetivos…

COMENTE AQUI