“Situação nas universidades federais vai melhorar muito nos próximos anos”, diz ministro da Educação

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Às vésperas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será aplicado nos próximos domingos, 3 e 10 de novembro, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, diz que não prevê novos bloqueios de verba e que está otimista com o futuro das universidades federais do Brasil. “A situação nas universidades federais vai melhorar muito nos próximos anos”, afirmou no Programa Revista Brasil, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

O Enem é uma das principais portas de entrada para o ensino superior no Brasil. Atualmente, todas as universidades federais, que são públicas e gratuitas, utilizam o Enem como forma de ingresso, seja exclusiva, seja associada a processos seletivos próprios.

“Para o ano que vem, o orçamento das universidades está mantido. Integralmente mantido”, afirmou, Weintraub. Neste ano, as instituições de ensino federais tiveram, no total, um bloqueio de R$ 2,4 bilhões do orçamento próprio, o que representa, em média, 30% dos recursos discricionários. Esses recursos cobrem despesas de custeio como gastos com água, energia elétrica, aquisição de materiais de consumo e outras prestações de serviço.

Os recursos foram desbloqueados neste segundo semestre. Este mês foi feita a última liberação e o orçamento foi totalmente recomposto. “A lei é uma lei correta, obriga que se segure a despesa enquanto a receita não vem. Não se pode gastar por conta, como numa família”, avalia o ministro.

O orçamento para o ano que vem está ainda sendo discutido pelo Congresso Nacional. O planejamento consta do Projeto de Lei 22/2019, o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) para 2020. A Câmara dos Deputados disponibilizou um comparativo entre os orçamentos de 2019 e a previsão inicial para 2020, antes da aprovação de emendas.

O MEC aposta também no Future-se para ajudar a compor o orçamento das federais. Apresentado pelo MEC em julho, o Future-se, entre outras estratégias, cria um fundo para financiar as universidades federais. A intenção é atrair também recursos privados, facilitar processos licitatórios e, com isso, financiar pesquisa, inovação, empreendedorismo e internacionalização nas instituições de ensino. Trata-se de um recurso extra. As universidades seguirão, segundo a pasta, contando com o orçamento público.

Segundo o MEC, 15 das 68 universidades federais manifestaram interesse em aderir ao Future-se, que ainda precisa ser analisado e aprovado pelo Congresso Federal. “A gente deve ter adesão que eu calculo de 50% das universidades e institutos ao Future-se”, estima Weintraub.

Enem 2019

O ministro também destacou na entrevista que o exame está pronto para ser aplicado nos próximos finais de semana. E lembrou os estudantes: “Caneta preta!”. A única caneta aceita para marcação das respostas no exame é a caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente.

Cerca de 5,1 milhões de candidatos estão inscritos para o Enem 2019. A prova é requisito para participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada, que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior, o Programa Universidade para Todos, que oferece bolsas em instituições privadas de ensino superior, e o Fundo de Financiamento Estudantil.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo disse:

    A PRIVATIZAÇÃO SEGUE A CAVALO E LOGO OS FILHOS DOS POBRES QUE VOTARAM NESSE GOVERNO PENSANDO QUE ERAM RICOS, TERÃO QUE SE CONTENTAR COM ESCOLAS MILITARES PARA ENSINAR A MARCHAR, DAR CONTINÊNCIA E OBEDECER SEM RAZÃO, SEGUINDO COMO UM ROBÔ NUMA SOCIEDADE QUE SÓ EXIGE CONSUMIDORES INDIVIDUALISTAS IDIOTIZADOS QUE VIVEM SÓ DE APARÊNCIAS, FINGINDO QUE ESTÁ TUDO BEM ENQUANTO SÃO REDUZIDOS OS SEUS DIREITOS TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIOS.
    A REFORMA ADMINISTRATIVA VAI ACABAR COM O SERVIDOR PÚBLICO, VCS VÃO VER. E NÃO VAI MUDAR NADA PRA MELHOR, SÓ PRA PIORAR. VCS LEMBRAM DAS REFORMAS DE FHC COM A TAL DEMISSÃO VOLUNTÁRIA E AS PRIVATIZAÇÕES, TAL COMO A DA COSERN AQUI NO RN. O QUE MUDOU DEPOIS DISSO PRA MELHORAR A VIDA DO SERVIDOR?.

  2. Beto Araújo disse:

    Ca-la-da! Ofélia.

Sob “risco de desabamento real”, Prefeitura de Natal entra com ação pedindo que Governo defina situação do Hotel Reis Magos

Foto: Ney Douglas

Após esgotar todas as iniciativas de sua responsabilidade na esfera administrativa, a Procuradoria Geral do Município ingressou com uma ação civil pública para que a Justiça do Rio Grande do Norte determine que o Governo do Estado decida se vai ou não optar pelo tombamento do antigo Hotel Reis Magos, na Praia do Meio. Como argumentos, a gestão municipal alega que todos os prazos para a emissão desse parecer por parte do Poder Executivo Estadual foram esgotados, bem como destaca o perigo que a população está correndo com o eminente risco de desabamento completo da estrutura do prédio e ainda a precária situação sanitária do local. A decisão foi informada em coletiva de imprensa realizada na manhã desta quinta-feira (31) na sede da PGM e contou com as participações do Procurador Geral do Município, Carlos Castim, do secretário municipal de Obras Públicas e Infraestrutura, Tomaz Neto, e do secretário municipal de Saúde, George Antunes.

Carlos Castim fez um breve histórico sobre a situação do processo de tombamento que foi pedido por uma entidade, alegando o valor histórico, arquitetônico e cultural do antigo hotel. Esse processo tramitou na esfera municipal e o pedido foi indeferido pelo conselho municipal de Cultura. Esse entendimento também foi seguido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O Conselho Estadual de Cultura foi outro órgão a se manifestar de forma contrária ao tombamento do prédio. Esse processo ainda precisa ser finalizado e só falta a secretaria estadual de Educação emitir o seu parecer.

O procurador geral do Município disse que em face da demora na tomada de decisão a gestão municipal achou por bem buscar as vias jurídicas para encerrar esse processo que se arrasta por seis anos: “Pedimos em nossa ação que a Justiça determine que em um prazo de 72 horas o Estado decida se vai tombar ou não o equipamento e caso siga o caminho da preservação do prédio que arque com os custos para recuperar o espaço e dar segurança a sociedade”, destacou Carlos Castim.

Tomaz Neto detalhou os pontos existentes no laudo contratado pela Pernambuco S/A, a proprietária do hotel, mostrando a situação calamitosa da estrutura do prédio. A fundação está comprometida, há ferragem aparente e desgastada, vigas rompidas e uma parte da marquise do prédio já desabou. Inclusive, o titular da Semov informou que a vai pedir para os donos cercarem com tapumes o que restou do hotel para oferecer uma mínima proteção a quem circula pela região.

“O risco de desabamento é real. Para se ter uma ideia, o custo para recuperar a estrutura e toda a parte de instalações, alvenaria, revestimentos e outros serviços é de R$ 40 milhões, ao passo que a demolição total do prédio e a remoção dos resíduos tem um valor de R$ 1 milhão. É inviável do ponto de vista financeiro executar uma reforma. A Prefeitura está alertando e buscando tomar as providências necessárias para evitar uma tragédia de grandes proporções, mas está de mãos atadas na espera desse parecer do Governo Estadual. Isso precisa acontecer o mais rápido possível, pois estamos falando de vidas humanas”, asseverou Tomaz Neto.

Além dos problemas estruturais e de engenharia, o terreno do antigo Hotel Reis Magos reúne todas as condições necessárias para a proliferação de insetos, sobretudo, os transmissores de doenças como dengue, zica e chikungunya , ratos, cobras e outros organismos que causam risco a saúde da população. O secretário de Saúde informou que nenhuma equipe da SMS está autorizada a inspecionar o local em virtude do risco de desabamento: “Não há como se fazer um trabalho de prevenção na área, pois não colocarei a minha equipe em risco. A realidade é que a situação existente fere de morte o código sanitário da cidade de Natal e infelizmente não podemos fazer muita coisa em virtude desse cenário perigoso. Torcemos para um rápido desfecho desse imbróglio”, falou George Antunes.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    Às pessoas q são contra, sugiro q montem umas barracas e façam vigília sob o nobre hotel a ser protegido, se ninguém sair de baixo, não poderemos demolir…Vc´s montam uma escala e cada noite dorme uma equipe…Têm coragem????

  2. Pedro disse:

    Depois que morrer alguém em baixo ,depois da queda do prédio, vamos ver quanto tempo vão levar para autorizar a remoção do entulho. Rezar para que não tenha nenhum corpo embaixo, tendo em vista ser local de uso de drogras, prostituição e certamente moradia de pessoas pobres. Eita povo para gostar de besteira. Aquele local, ja que nao é di intresse do proprietario e nao ha condiçoes de reforma, já devia ter sido demolido com segurança, o povo agradeceria.

  3. Luciana Morais Gama disse:

    Tudo por conta de uma noite de lua….. quando uma jovem donzela…..

  4. José aldomar disse:

    Tem muito dinheiro e interesse na derrubada desse hotel nem os problemas dos mais pobres ninguém tem o interesse de resolver tão rápido quanto o interesse de derrubar os restos desse hotel quanto os interessados irão receber com essa derrubada

    • Barroso disse:

      Impressionante alguém achar que aguardar mais de 15 anos por uma decisão é pouco tempo. Ou acho que os meus conceitos agilidade, rapidez e e eficiência não são suficientes para entender esse "complexo problema".

Audiência pública debaterá situação dos vendedores ambulantes de Parnamirim

Em audiência pública proposta pela vereadora Ana Michele, a Câmara Municipal de Parnamirim, irá debater a situação dos vendedores ambulantes do Centro da cidade e demais áreas críticas, nesta quinta-feira (24), às 18h. De acordo com a propositora, serão discutidos os seguintes temas: o desenvolvimento urbano e ambiental; obstrução do passeio público; mobilidade urbana; geração de emprego e renda (onde será analisado as questões sociais, a informalidade e o uso do mercado público do centro).

O papel do poder público municipal para articular e definir uma área adequada para realocação dos trabalhadores, além do destino adequado de resíduos sólidos em via pública, são outros temas que fazem parte da necessidade de dialogar e debater para resolução dessa problemática.

“Essa audiência pública é de extrema relevância para a população e o poder legislativo municipal, enquanto ‘casa do povo’. São muitas famílias que dependem dessa atividade como fonte de renda, além de movimentar a economia da cidade, por isso merecem essa atenção e o nosso respeito”, afirma a vereadora Ana Michele.

Para participar do debate, foram convidados, representantes do gabinete civil; representantes das secretarias municipais SEMAS, SEMUR, SEMSUR, SELIM; todos os ambulantes e a população em geral.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maia disse:

    PARNAMIRIM TEM RUA: OSCAR RAMALHO DE FARIAS ASFALTADA PELA METADE AO LADO DO CAIC …

  2. Maia disse:

    PARNAMIRIM TEM RUA: OSCAR RAMALHO DE FARIAS ASFALTADA PELA METADE…

Reformas deixam macroeconomia em situação tão boa nunca vista, diz presidente do Itaú

Foto: Marcelo Theobald / Agência O Globo

O Itaú Unibanco anunciou um programa de demissão voluntária (PDV) que tem o potencial de atingir até 6,9 mil dos 98,4 mil trabalhadores da instituição. Segundo o presidente do banco, Candido Bracher, essa redução do quadro está atrelado ao processo de digitalização dos serviços financeiros, que fazem o cliente demandar menos o uso de agências e atendimento pessoal.

— Não digo que é uma necessidade (de cortar vagas), mas uma oportunidade de otimizaçao do nosso quadro. Temos diversas iniciativas digitais que faz com que a necessidade de mão de obra seja menor, aí criou-se essa necessidade — disse.

Segundo ele, o PDV vai atingir funcionários funcionários com idade a partir de 55 anos e que atendam alguns requisitos específicos, como ter tido algum tipo de estabilidade. Quem se enquadrar nesses critérios irá receber um e-mail com os detalhes desse programa.

— Nós miramos um público que acreditamos que pode estar mais propenso e desejo de uma alteração de carreira, ou por conta da idade ou porque já está em uma situação (financeira) mais estável —avaliou.

No comunicado enviado aos funcionários do banco, o Itaú Unibanco afirma que o PDV tem o “objetivo de dar a oportunidade de uma transição de carreira segura para quem tem interesse em deixar a empresa e adequar nossas estruturas à realidade de mercado”.

Bracher participou de teleconferência com analistas para comentar os resultados do banco no segundo trimestre do ano, divulgado na segunda-feira à noite. A instituição registrou lucro líquido recorrente (que exclui efeito extraordinários) de R$ 7,034 bilhões, uma alta de 10,2% na comparação com igual período de 2018.

A carteira de crédito do banco subiu 5,85% em 12 meses, para R$ 659,7 bilhões. Na avaliação do banco, a instituição deverá atingir ao final de dezembro um crescimento em torno de 8%, que é o piso da projeção para o ano.

O executivo avalia ainda que as reformas econômicas em curso colocam o Brasil em uma situação macroeoconômica que ele nunca presenciou em sua carreira. Acrescentou ainda que as declarações do presidente Jair Bolsonaro não atrapalham o avanço dessas desses projetos.

— É uma situação macroeconômica tão boa que eu nunca vi em minha carreira. Tem a questão fiscal, endereçada pela reforma da Previdência. Já a inflação está bem comportada e os juros estão estáveis há mais de um ano, com tendência de queda. E não temos dependência externa já faz um tempo. E o desemprego está em 12%, o que significa que podemos crescer sem criar pressão inflacionária – disse, ao justificar o seu otimismo com a economia brasileira.

Bracher acredita que a reforma da Previdência será aprovada até setembro e que será possível avançar com medidas que simplifiquem o ambiente de negócios, como a reforma tributária.

Para o executivo, as recentes declarações de Bolsonaro – como negar as investigações da Comissão da Verdade e ignorar documentos de que Fernando SAnta Cruz, pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, foi morto enquanto estava sob guarda das Forças Armadas – não são um problema para as discussões dos temas econômicos.

— O avanço das reformas tem permanecido alheio às turbulências políticas — disse, ao ser questionado sobre as declarações de Bolsonaro.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joca disse:

    Momento tão bom que vão cortar empregos, viva o lucro exorbitante dos bancos, palmas…

Perícia judicial deverá analisar situação de muro de contenção em Mãe Luíza

Pedidos da ação conjunta ajuizada pelo MPRN e pela Defensoria Pública do Estado foi acatada pela Justiça; decisão determina que a Prefeitura de Natal pague auxílio-moradia às famílias

Fotos: Via site MPRN

A situação de risco de um muro de contenção localizado no bairro de Mãe Luíza, em Natal, deverá ser analisada por uma perícia judicial. A obrigatoriedade foi estabelecida pela Justiça potiguar em Ação Civil Pública conjunta do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e da Defensoria Pública do Estado (DPE/RN). A decisão determina ainda que a Prefeitura de Natal pague auxílio-moradia às famílias residentes na área cujas residências foram interditadas pela Defesa Civil.

A ação aponta que foi constatado, por meio de análises técnicas, uma situação de risco em uma área localizada entre a Rua Atalaia com a Rua Camaragibe, no bairro de Mãe Luíza. No local, fica instalado um muro de contenção com possível risco de desabamento. Só no mês de fevereiro deste ano, 18 residências localizadas na área foram interditadas após uma vistoria da Defesa Civil municipal.

A decisão em caráter de tutela provisória de urgência nomeia um profissional do Conselho de Arquitetura de Urbanismo (CAU) que ficará responsável pela perícia no local e por indicar as medidas necessárias para controle/eliminação do risco. De acordo com processo, foi verificado que as medidas adotadas pela Prefeitura não têm sido suficientes para sanar o problema.

A Prefeitura de Natal terá que apresentar os laudos de vistorias realizadas na área pela Defesa Civil entre os anos de 2014 e 2019. O Município deverá ainda apresentar um levantamento de todos os moradores residentes nessa área, cujos imóveis tenham sido ou venham a ser interditados pela Defesa Civil, devendo ser concedido o benefício de auxílio-moradia, no valor mensal de um salário mínimo, até que seja solucionada a situação de risco.

MPRN, com informações da Assessoria de Comunicação da Defensoria Pública do Estado

Audiência Pública nesta quarta vai discutir situação do transporte opcional em Natal

Com objetivo de aprofundar as discussões quanto à situação do transporte opcional na capital potiguar, a Mesa Diretora da Câmara Municipal irá promover nesta quarta-feira (24), a partir das 10h, uma audiência pública para tratar e discutir sobre a operacionalização do serviço e as projeções futuras dos transportes alternativos. Atualmente, cerca de 160 veículos atendem às linhas opcionais – consideradas suplementares – que abrangem diversos bairros nas quatro zonas administrativas, principalmente em regiões que hoje não existe o funcionamento do transporte por ônibus convencional, como é o caso de algumas comunidades situadas nos bairros Lagoa Azul, Pajuçara e Nossa Senhora da Apresentação, na zona Norte de Natal.

Na última quarta-feira (17), os permissionários do transporte opcional estiveram reunidos durante a Sessão Ordinária da Câmara Municipal, solicitando apoio dos parlamentares quanto à regulamentação dentro do novo edital de licitação que deve ser publicado nos próximos meses pelo Executivo Municipal. “Eles estão preocupados pelo fato do governo não dispor dentro do novo edital de uma permissão para que eles possam circular na cidade. Alegam também que estão com alguns pagamentos atrasados junto ao SETURN devido a não liberação de alguns documentos por parte da STTU, assim como temem a redução no número de veículos circulando em Natal após a licitação. Como houve várias alegações, a Mesa Diretora da Casa resolveu trazer os dois lados para discussão”, afirmou a presidente interina da Câmara, vereadora Nina Souza (PDT).

Estarão presentes representantes da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU), Sindicato das Empresas de Transporte Urbano (SETURN), Procuradoria Geral do Município (PGM), Gabinete Civil, bem como do Conselho Municipal de Transporte Mobilidade Urbana (CMTMU) e os permissionários do transporte opcional. “Não queremos transgressão de normas, mas precisamos proteger o direito do trabalhador, sobretudo nesse momento em que o país vive com a alta do desemprego, bem como o direito do usuário do transporte coletivo que depende do serviço existente”, declarou Nina Souza.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciana Morais Gama disse:

    Perguntar não ofende, esse transporte alternativo paga ISS?? As empresas de ônibus pagam e muito.

Estado espera regularizar a situação de 160 mil motocicletas no Rio Grande do Norte

Projeto de Lei propõe incentivo a quem possui motos de até 150 cilindradas com IPVA e taxas vencidos desde 2014 para regularizar o veículo. A medida poderá ajudar tanto na segurança pública quanto na recuperação de até R$ 14 milhões na arrecadação anual do Estado.

O Governo do Rio Grande do Norte quer permitir que os proprietários de motocicletas de até 150 cilindradas com débitos tributários de até 2018 possam regularizar a situação e não correr o risco de ter o veículo apreendido. Foi enviado à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte a minuta de um Projeto de Lei que dá condições de quem está nessa situação formalizar novamente a moto. Como estímulo para a regularização, as dívidas fiscais anteriores referentes ao Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e às taxas do Detran seriam remidas desde que o dono da motocicleta passe a pagar os tributos e taxas a partir de 2019, assim como todo o atrasado do Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT), que não é de competência do Estado, mas da União.

Se aprovada, a medida vai possibilitar que 160 mil motocicletas dessa categoria saiam da irregularidade, o Governo passe a arrecadar mais e tenha rigor na fiscalização por parte da Polícia Militar sem trazer impacto ao público alvo da proposta, que são, no geral, pessoas de baixo poder aquisitivo. Isso porque parte a PM está intensificando as vistorias às motos para combater adulterações de placas, roubos e outros ilícitos penais, uma vez que parte de roubos e assaltos registrados no estado tem ocorrido com o uso desse tipo de veículo.

As blitzes estão sendo realizadas não somente na capital, mas também em cidades do interior, onde historicamente não havia fiscalizações ou barreiras de trânsito para reduzir a ação de criminosos. Por isso, o Governo quer ampliar as ações de fiscalização, no entanto, sem prejudicar o cidadão de bem, que usa a moto como meio de transporte ou para desenvolver atividades em função da apreensão do veículo com IPVA atrasado. O Governo entende que é preciso a intensificar a fiscalização às motocicletas, no entanto, não pode penalizar aqueles cidadãos de baixo poder aquisitivo.

Além de a medida ter um alcance social e na área da segurança, a proposta poderá refletir na arrecadação. De acordo com dados da Secretaria Estadual de Tributação (SET), o valor total dos débitos é de R$ 29 milhões, cuja maioria já está na Dívida Ativa do Estado de improvável recuperação devido ao volume atrasado superar o valor do próprio veículo. Com a regularização a partir deste ano, parte desse valor perdido seria recuperado. A estimativa é que, se todos os inadimplentes regularizassem a situação, seriam recuperados R$ 14 milhões por ano a partir de 2019, recursos que entrariam para os cofres do Tesouro Estadual, minimizando assim a situação financeira em que se encontra o Rio Grande do Norte.

Para regularizar a situação, o proprietário da motocicleta ou motoneta de até 150 cilindradas precisa pagar o IPVA e a taxa de Licenciamento Anual de Veículos relativos a 2019, além de estar completamente quite com o DPVAT independente do ano, já que esse seguro é vinculado à União e não possui gerência do Estado. Essas são as principais condições para remissão dos débitos anteriores. Além disso, o veículo não pode ter multas e nem algum impedimento no Registro Nacional de Veículos Automotores (RENAVAM). Poderão ser remidos os débitos oriundos de janeiro de 2014 a dezembro de 2018.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ceará-Mundão disse:

    Esse é o estilo PT, valorizando quem não presta: bandido, sonegador, vagabundo, velhaco, preguiçoso, invasor de propriedade alheia… O estado sem dinheiro e ela fazendo populismo barato. Deus proteja o RN de mais um governo catastrófico.

  2. Naldin disse:

    Como um cidadão que paga seus impostos em dia, tenho somente uma pergunta:
    1-Para quem pagou em dia, recebe de volta o imposto pago ou recebe o título de cidadão otário??

  3. Laughting Out Loud disse:

    Já que esses motoqueiros têm direito, por que quem possui carro também não é beneficiado? Ao menos, os carros não são usados para causar tantos acidentes e tantas infrações.

    SUGESTÃO!! ABONEM TODAS AS MULTAS DOS MOTOQUEIROS! O QUE MAIS TEM É ULTRAPASSAGEM PELA DIREITA.

  4. Manoel disse:

    Eh gópi! O RN eh rico! Vcs não sabiam?

  5. Atento disse:

    Ao final deste mandato, o RN estará mais ainda quebrado.

  6. Oswaldo disse:

    Triste ação populista, mas normal em um governo de esquerda! Menos impostos, + traumatizados no HWG + assaltos nas cidades ,e o cidadão que briga todo dia para ter suas contas em dia… se lascando! Já contando dos dias para Fatão cair fora!

  7. José Luiz cortez disse:

    Bolsa Moto modelo PT. É nós que pagamos nossos impostos ( IPVA )

  8. José Luiz cortez disse:

    Bolsa Moto, isto é PT. É nós que pagamos os nossos impostos ( IPVA ) é faltar de respeito . Ha onde tem outro comentário

  9. José Luiz cortez disse:

    Bolsa Moto, isto é PT. É nós que pagamos os nossos impostos ( IPVA ) é faltar de respeito

  10. Beth disse:

    E como fica quem pagou todos estes anos em dia? Quem não pagou tem seu débito perdoado e quem pagou? Vai devolver o dinheiro? Tá difícil…

  11. Paulistano Batuta disse:

    Um estado desse que não produz nada, falido, quebrado , e que não tem grandes indústrias e sobrevive de tributos, devendo 4 folhas ao funcionalismo público vai dar remissão de 29 milhões de reais aos maus pagadores de impostos , ela deveria aparelhar melhor e dar condições de trabalho á PFDA para que se execute, proteste as CDAs de todos os inadimplentes e fazer que esses impostos voltem, entrem nos cofres públicos e com eles colocar a folha de salários em dia. Isso sim, não essa safadeza e desrespeito com os bons pagadores de tributos.
    Para frente é que se anda.
    Isso está me parecendo reeleição e querer fazer a futura prefeita do Natal.
    Está repreendido em nome do Senhor Jesus.

  12. Chico disse:

    Sempre na contra mão do estado sustentável. Incentiva o mal pagador e
    sonegador de imposto, ao mesmo tempo que desestimula o cidadão cumpridor de seus deveres e que paga seus impostos em dia. Pra piorar, faz doação de prédios que abrigam filhos de trabalhadores pra invasores de terra e bandidos, tudo com finalidade de criar currais eleitorais decorrente desses votos. O ideal eram os cidadãos que pagaram IPVA ingressassem na justiça pedindo isonomia de tratamento e ficasse com o crédito, pra abater no IPVA 2019, 2020…

  13. José Dantas disse:

    Um golpe no cidadão honesto e cumpridor de suas obrigações, lametavel….viva a anarquia!

  14. Marcondes Morais disse:

    Isso é uma vergonha. Verdadeiro tapa na cara de quem honra suas contas em dia. Estímulo total aos maus pagadores.

Saúde diz que pretende regularizar a situação de cerca de 2 mil médicos cubanos que permaneceram no Brasil

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse nesta quarta-feira (27) que a pasta pretende regularizar a situação de cerca de 2 mil médicos cubanos que permaneceram no Brasil após o rompimento do governo de Cuba com o Programa Mais Médicos. “Estão numa condição de exilados”, destacou.

Em audiência pública na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, Mandetta explicou que a ação integra uma proposta, ainda em elaboração, de reformulação do Mais Médicos. A previsão, segundo ele, é que o pacote seja enviado ao Congresso Nacional em abril.

“Devemos ter uma proposta de como essas pessoas podem se reencontrar com a sua profissão, legalizados, e poder exercer sua profissão, já que eles são muito mais vítimas dessa negociação que foi feita entre países do que propriamente atores de algum ato que os colocasse dentro do país em situação irregular.”

“Temos uma série desses profissionais hoje trabalhando em secretarias de saúde, trabalhando como balconistas de farmácia, agentes comunitários. Talvez eles possam, com certeza, legalizar a sua situação profissional e podem ser sim uma opção de trabalho num país livre e democrático”, concluiu.

Agência Brasil

Mais de 24 mil eleitores faltosos do RN poderão ter o título cancelado caso não regularizem situação na Justiça Eleitoral

Um total de 24.104 eleitores identificados como faltosos pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) poderão ter o título cancelado caso não regularizem sua situação no período de 7 de março a 6 de maio. Os cartórios eleitorais já disponibilizaram ao público as relações contendo os nomes e os números dos títulos desses cidadãos. A situação eleitoral também pode ser consultada pelo site do TRE-RN: www.tre-rn.jus.br

Eleitor faltoso é aquele que não votou nem justificou a ausência nos três últimos pleitos (regulares ou suplementares), sendo cada turno considerado uma eleição. Conforme previsto no parágrafo 1º do artigo 7º da Lei nº 4.737/1965 (Código Eleitoral), enquanto não regularizar sua situação junto à Justiça Eleitoral, o eleitor estará sujeito a uma série de impedimentos (veja lista abaixo).

Os prazos para a execução dos procedimentos relativos ao cancelamento dos títulos eleitorais, bem como para a regularização da situação dos eleitores que deixaram de votar nas três últimas eleições e de justificar o voto, estão previstos na Resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nº 23.594/2018.

Os cartórios eleitorais do Rio Grande do Norte afixaram nesta semana os editais contendo as listagens dos eleitores faltosos aos três últimos pleitos. Somente aqueles que estiverem nessa condição deverão regularizar sua situação nos cartórios no período de 7 de março a 6 de maio.

Ainda segundo o cronograma, a Justiça Eleitoral cancelará, no período de 17 a 20 de maio, as inscrições dos eleitores que não tiverem regularizado sua situação até a data-limite estabelecida. Enquanto os cancelamentos estiverem sendo efetuados, não serão feitas atualizações no cadastro eleitoral.

A partir do dia 21 de maio, as atualizações cadastrais serão retomadas, e a Justiça Eleitoral divulgará, a partir do dia 24 do mesmo mês, as relações contendo os nomes dos eleitores e os números dos respectivos títulos cancelados por ausência aos três últimos pleitos.

Dados estatísticos divulgados pela Secretaria de Tecnologia da Informação do TRE-RN mostram que o maior número de faltosos foi registrado na 69ª Zona Eleitoral, que pertence à capital potiguar e somou um total de 2.489 eleitores. Em seguida, vêm as outras duas zonas eleitorais de Natal, a 4ª e 3ª ZE, que somaram, respectivamente, 2.169 e 2.004 eleitores faltosos.

Conheça os impedimentos para o eleitor que não regularizar a situação

Obter passaporte ou carteira de identidade;

Receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, autárquico ou paraestatal, bem como de fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço público delegado, correspondentes ao segundo mês subsequente ao da eleição;

Participar de concorrência pública ou administrativa da União, dos estados, dos territórios, do Distrito Federal, dos municípios ou das respectivas autarquias;

Obter empréstimos nas autarquias, nas sociedades de economia mista, nas caixas econômicas federais e estaduais, nos institutos e caixas de previdência social, bem como em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo, ou de cuja administração este participe, e com essas entidades celebrar contratos;

Inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública, e neles ser investido ou empossado;

Renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo;

Praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda;

Obter certidão de quitação eleitoral, conforme disciplina a Resolução-TSE nº 21.823/2004;

Obter qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado.

Comunicados não são enviados por e-mail

É importante ressaltar que tais comunicados não são enviados por e-mail e que os eleitores devem redobrar os cuidados ao receber mensagens nesse sentido. Mensagens falsas começaram a circular contendo comunicados de cancelamento do documento e, em geral, pedem a atualização de dados cadastrais com link de origem duvidosa. Para se certificar de que não há pendências em seu documento, o eleitor deve consultar sua situação na página do TRE-RN (www.tre-rn.jus.br) ou no cartório eleitoral mais próximo de sua residência.

Tais mensagens utilizam de forma indevida o nome e a imagem da Justiça Eleitoral com o objetivo de induzir o eleitor ao erro.

Com informações do TSE

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Poeta Cypriano Maribondo disse:

    E A "IN "JUSTIÇA ELEITORAL AINDA SE DIZ JUSTIÇA DA DEMOCRACIA QUANDO NÃO ACEITA A DECISÃO DO CIDADÃO ELEITOR DE NÃO VOTAR. QUE DEMOCRACIA É ESTA QUE EXIGE E PUNE O CIDADÃO QUE APENAS EXERCEU O DIREITO DE DECIDIR SE QUER OU NÃO PARTICIPAR DESTAS ELEIÇÕES PARA ELEGER POLÍTICOS CORRUPTOS PARA QUALQUERE CARGO. O BRASIL SÓ SERÁ UMA DEMOCRACIA QUANDO O CIDADÃO PODER ESCOLHER SSE QUER OU NÃO VOTAR. OU SEJA QUANDO O VOTO DEIXAR DE SER OBRIGATÓRIO.

VÍDEO: Situação de professor da UFRN vai de mal a pior e alunos fecham cerco contra ele

Vai de mal a pior a situação do professor de Sociologia Alípio Sousa Filho, da UFRN.

Na noite dessa terça-feira, o setor II da universidade produziu mais um take da sequência de polêmicas em que ele está se metendo desde que não permitiu que uma aluna assistisse aula acompanhada de sua filha de cinco anos. Horas antes, ele tinha se metido em outra discussão com alunos.

Dessa vez, Alípio foi alvo de um protesto ainda mais contundente por parte dos alunos. Ele foi fustigado e acuado dentro de sua sala. Ganhou contornos dramáticos o que era apenas intenção de reagir à postura do professor.

Nas imagens que viralizaram, os alunos aparecem fazendo um cerco na sala do professor. Confira:

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joseph disse:

    Moço, você tá um pouco desinformado, eu estava lá e ele nem sequer apareceu na sala. Procure uma fonte melhor de informações porque essa tá péssima.
    E outra, pra quem AINDA defende a atitude do professor: O problema não foi o que ele disse (até então estava no seu direito) foi COMO ele disse! Algo que poderia ser resolvido em 5 minutos de conversa com a aluna tomou uma proporção gigantesca, mas fazer o quê? Doutorado e a porra toda pra não saber dialogar com uma mãe de família…

  2. Anderson disse:

    Acredito realmente que ele teve as razões dele para não querer a criança em sala de aula. Mas o maior problema não foi esse. No áudio que divulgaram de dentro da sala de aula, o professor entra em outros méritos, e ainda desafia os alunos a reclamarem, denunciarem e coisas do tipo. Ele desafiou todos eles e esperava que não tivesse consequência nenhuma. Triste fim.

  3. José disse:

    Parar uma universidade, há mais de uma semana, em torno de uma questão menor como essa, que já devia ter-se deslocado para resolução no seu "fórum" próprio, é mesmo deveras risível. Coisa de esquerdopatas. Não há outra conclusão. Mas…vocês que são "brancos", que se entendam.

  4. Calixto Silva disse:

    Este professor esquerdista, está provando do seu próprio veneno, ele ensinou aos seus alunos a se revoltar contra o autoritarismo e agora está sentindo na pele o que é ser esculachado kkk. Quanta ironia, acho que a partir de agora ele vai mudar de lado, passará a ser de direita. Kkkkkk

  5. Rodrigo disse:

    Não vou entrar aqui no mérito em dizer se o professor Alípio está certo ou errado, mas o que tem que ficar claro é que o comando da sala é dele, se ele assim determinou, assim tem que ser cumprido, se por algum motivo os alunos querem questionar as atitudes do professor tem que procurar as instâncias acadêmicas para tal.

  6. Tomaz disse:

    Fascistas não teram paz!Quanto aos outros que comentaram dar para entender o quanto eles sao sabios

  7. Tomaz disse:

    Não deixa-lo e/ paz.Fascistas

  8. O curioso disse:

    Tática terroristas de guerra de alunos comunistas de IPhone. Lugar de uma criança dessa idade não é nada sala de aula de uma Universidade. Estão tirando a atenção do verdadeiro problema. Poderiam fazer uma "vaquinha" e pagar uma babá pra ela como fazem com o PT!

  9. WandeC disse:

    O Brasil tem que ser desesquerdizado.

  10. Waldemir disse:

    E só fechar e pronto acaba com a mamata de muita gente q
    Alunos recebendo 2.000 para estudar isso é foda
    Acaba com isso emproaria quer estudar vai trabalhar e pagar seu estudo foi sempre assim
    Agora essa mãe que não tem com que deixar o filho boa coisa não é

  11. Romualdo disse:

    É preciso desideologizar a questão e se observar os fatos. Aparentemente, pelas informações que tem sido disponibilizadas até o momento, "o Professor agiu certo de forma errada".
    Não se pode fazer o que se quer dentro de uma escola ou universidade sob o discurso da liberdade de expressão ou qualquer outro do tipo. Também não se pode exercer o poder e a autoridade com extremismos ou abuso.
    Não sabemos todo o contexto que cerca a situação.
    Pois: 1 – Será que essa foi a primeira vez que essa aluna levou seu filho pra sala de aula?
    2 – Será que foi a primeira vez que o professor falou com ela sobre essa assunto?
    3 – Será que esse ambiente é bom pra crianças?
    4 – Será que a presença da criança na sala de aula não distraia e perturbava as aulas?
    5 – De quem era ou é a responsabilidade para lidar com a situação, achando uma solução para o caso concreto, do Professor, da alunas ou da Universidade?
    Julgar é muito fácil, e as vezes, contaminados por outros conteúdos fora dos acontecimentos, costumas condenar ou absolver sem se aprofundar num fato ou situação que as vezes somente reflete uma consequência de outras coisas que na verdade geraram ou geram essas coisas.

    • Ceará-Mundão disse:

      Até concordo com a sua enumeração do contexto (os itens de 1 a 5). Mas é impossível "desideologizar" a questão. A origem do problema é exatamente a introdução da ideologia (de esquerda) no ensino. Por isso precisamos demais da "escola sem partidos".

    • Mortadela com pão disse:

      Escola sem partido do Ceara-anti PT é financiado pelo DEM/PSDB. Pimenta nos dos outros é refresco. Coloca um comitê do DEM/PSDB na UFRN Ceara-anti PT, é mais fácil.

  12. Carlos Souto disse:

    Quem manda na sala de aula é o professor, como em um avião é o comandante ou no navio é o capitão , estamos perdendo todos os valores , não temos mais hierarquia, por isso vivemos nesse caos

    • Guilhermina Alecrim disse:

      Foi objetivo. Essa é a questão: respeito à hierarquia.

  13. Saintclair disse:

    Minha avó dizia: respeitado é, quem respeita. Com esse procedimento de "cavalo batizado" esse indivíduo, que de professor, só tem o nome, está colhendo o que plantou.

  14. Carlos disse:

    Ao que parece é um processo autofágico. O professor de esquerda enfrentando as criaturas que ele mesmo criou.

    • Ceará-Mundão disse:

      Pois é. Eu fiquei sabendo por aqui que ele é esquerdista. Continuo com a mesma opinião quanto à situação em si. Mas confesso que sinto um enorme prazer em ver um professor comunista provando do próprio veneno. Só reforça o que digo: acaba com essas espeluncas públicas. Privatiza ou extingue todas e distribui bolsas de estudos para quem realmente precisa. Simples.

    • Maria Helena disse:

      Melhor análise até agora. ??????

  15. Brasil não é de corruptos disse:

    Vote 13 e tenha universidade de MIMIMI…acabou apenas buscar o conhecimento…universidade virou TUDO …MENOS ESTUDAR

  16. Santos disse:

    Alunos facistas, estamos com vc professor, não baixe a guarda para esses ESQUERDISTAS!!

  17. euzim disse:

    Esses alunos deveriam ser suspensos. O professor agiu certo em não permitir fazer da sala de aula uma creche. Cambada de comunistas do boutique mimados. Olha no que se transformou a universidade pública. Uma selva de zumbis esquerdopatas escravos de uma ideologia nefasta e alienante.

  18. marcus disse:

    O professor está coberto de razão.

  19. Chico disse:

    Bando de comunistas FACISTAS. que não respeitam um professor imagine os seus pais. Essas universidades estão contaminadas por esses esquerdistas. Siga firme professor tem o apoio da direita.

    • Júnior disse:

      Vá lá com a bandeira da direita apoiar a esquerda. Quero ver a cena.

    • Ceará-Mundão disse:

      Não seria apoiar a esquerda. Seria apoiar os professores em geral. O fato ocorrido não o desabona. se é de esquerda, é ótimo vê-lo provar do próprio veneno. Quem sabe ele não vem pro lado bom da força. kkkkkkk

  20. Maria Helena disse:

    Por que a Universidade não está protegendo esse professor de todo esse constrangimento?
    Se ele errou, erram também os alunos e a reitoria. Agora todos os professores serão reféns de alunos?
    Pela lei do retorno, cada uma dessas pessoas irão em algum momento de suas vidas receber todo mal ou bem que praticarem. Que a consciência de casa um seja seu guia.

  21. lirinha disse:

    COMENTARISTAS, me digam uma coisa:
    Como se sentem defendendo um professor de esquerda, que é um dos maiores defensores do ensino da identidade de gênero?
    E agora, onde está o moralismo de vocês? Alípio é de extrema esquerda. Viraram defensores de comunista???

    • euzim disse:

      Nesse aspecto o professor tem razão. Isso é o que importa. E, ao contrário da esquerda, não existe ódio no meio conservador, muito pelo contrário. Quem segrega e fomenta contenda é a esquerda. Aliás, você nem deveria mencionar a sexualidade do professor. Ninguém aqui está interessado nisso e não tem nada a ver com a situação. Pelo visto o preconceituoso é você, esquerdista (assim como o eram seus ídolos facistas, nazistas e genocidas).

    • Júnior disse:

      O povo defende de acordo com a conveniência conveniência moral de cada um hehehehe. Quero ver um movimento defendendo ele na porta da sala dele.

    • Helio Mota disse:

      Devolvo a pergunta considerando que a ideologia do professor e suas crenças não estão sendo defendidas, mas apenas o respeito que se deve a ele por SER PROFESSOR. Mas claro que para gente como você entender isso é complicado. São sempre básicos e rasteiros na inteligência.
      "Como se sentem os esquerdopatas atacando um professor de esquerda, que é um dos maiores defensores do ensino da identidade de gênero?
      E agora, onde está o moralismo de vocês? Alípio é de extrema esquerda. Viraram opressores de comunista???"

    • Netto disse:

      Nosso moralismo nos faz defender pessoas, mesmo que se possa discordasr em muitas coisa.

    • Netto disse:

      *coisas.

    • Ceará-Mundão disse:

      Deixe de besteira. Vc parece conhecer esse professor mas o que se comenta por aqui é o fato, o desrespeito com os professores de forma geral. Se ele é de esquerda, é ótimo vê-lo experimentar do próprio veneno que sua ideologia prega por ai. Mas isso não invalida os comentários. Ao contrário. Aprenda a separar as coisas.

    • Maria Helena disse:

      Não reconhecer que ele agiu com coerência nos faria igual aos militontos. Ser de Direita não significa ficar imune a verdade quando ela é dita, mesmo que seja por um professor de Esquerda.

  22. Chico disse:

    As cotas servem pra isso, partidários travestidos de alunos.
    Não sabem esses alunos anormais que essas ações insanas só iram fazer com que a população se revolte com eles.
    Melhor voltar a estudar e se quiserem dar respostas maios exatas que o façam por meio de ações práticas para que a sociedade acredite em vocês.
    Vão estudar.

  23. Ceará-Mundão disse:

    Essas universidades públicas, sustentadas pelo NOSSO dinheiro, com custos altíssimos (vejam o exemplo da UERN, que custa muito dinheiro ao RN, um estado pobre que atravessa grave crise financeira já faz tempo), se transformaram em antros de vagabundos, de gente que se disfarça de estudante para adotar comportamentos que destoam totalmente dos bons valores, da ordem e do progresso estampados na nossa bandeira (mas eles preferem aquelas bandeiras vermelhas, não é mesmo?). Estamos gastando rios de dinheiro (e dinheiro que não temos) para sustentar essas instituições, que já prestaram bons serviços à sociedade mas que foram transformadas pela turma de esquerda em arapucas, centros do atraso e da exaltação de tudo o que não presta. Cidadãos de bem já começam a evitar por seus filhos nesses antros de vagabundagem, com medo da "lavagem cerebral" a que serão fatalmente submetidos. Para não falar das constantes e infindáveis greves, onde só os discentes são prejudicados, já que os professores e funcionários continuam recebendo seus polpudos salários integralmente e usufruem de tais eventos para "curtir a vida", viajar, vagabundar, para ser mais explícito. Precisamos dar um basta nessa situação. Que esses mastodontes brancos sejam
    extintos ou privatizados. Que os alunos cujas famílias tenham boa condição financeira paguem por seus estudos. Aqueles realmente carentes, receberiam bolsas de estudos. Sairia MUITO mais barato aos cofres públicos, seria MUITO mais justo e o ensino seria de MUITO melhor qualidade. Duvido que alguém quisesse pagar do próprio bolso ou utilizar uma bolsa de estudo dada pelo governo para estudar numa dessas arapucas que hoje são públicas. Alguém aposta?

    • lirinha disse:

      Vai defender o professor comunista de esquerda, que é especialista em identidade de gênero? Né você o bichão, caçador de comunistas???

    • Maria Helena disse:

      ????????

    • euzim disse:

      Concordo com tudo, amigo!

    • Netto disse:

      Ceará coberto de razão. Por mim formaria os matriculados, não abria mais vagas e usaria a grana para cursos técnicos.

    • Netto disse:

      Liberais defendem as pessoas em seus acertos. ainda que possa haver discordâncias.

    • Ceará-Mundão disse:

      É isso mesmo. Não faço a menor ideia de quem seja esse professor. Por ser de Sociologia, provavelmente tenha ideias esquerdistas. Mas analiso o fato, a realidade. Essa é mais uma prova, como já bem disse o Netto, de que liberais não perseguem pessoas. Liberais lidam com ideias, conceitos. Petralhas nunca conseguirão entender isso. É da índole dessa gente.

  24. José Júnior Lima Dias disse:

    Esse lamentável episódio não passa de um movimento político-partidário orquestrado para manchar a imagem do professor Alípio.

  25. Helio Mota disse:

    Mais um que descobre que não pode contraria a geração Nutella. A geração que não pode ser contrariada, não pode ser responsabilizada, não pode ser exigida, não sabem o que é hierarquia, disciplina e respeito.
    A UFRN tem sido um nascedouro de inúteis sociais. Serão sustentados pelo INSS e pelo contribuinte.
    Mas o que mais estranho é o silêncio da reitora. Tudo bem que ele é refém desses grupelhos. Só se mantém no cargo enquanto ficar calada na dela, mas essas agressões a um professor deveria lhe dar mais coragem…

  26. joao ligeiro disse:

    Essa Reitora donba Angela, é uma fraca petista da canela vermelha. Se nada fez para impedir a imoral festa na faculdade de engenharia onde rolou tudo que fazia inveja a sodoma e gomorra, sexo drogas e rock and roll, muito pelo contrário aplaudiu e concordou com o descalabro, imaginem agora com essa atitude onde o professor foi humilhado em plenas funções, o único erro do mestre foi ter se trocado com essa ruma de adolescentes inconsequentes. era pra ter expulsado a aluna e pronto. não falava mais nada. tudo que ele falou ta sendo usado contra ele.

    • lirinha disse:

      Alipio é mais petista que ela. Você vai permanecer defendendo o maior especialista em identidade de gênero do RN? Coxinha é uma piada mesmo.

    • Ceará-Mundão disse:

      Piada é gente como vc, "cumpanhera", que não sabe distinguir as coisas. Seu raciocínio rasteiro e limitado (vcs todos parecem usar "viseiras") jamais lhe deixará diferenciar fatos e ideias, de pessoas. Vcs são radicais, raivosos, intolerantes e de cognição primária. Por isso suas ideias devem ser combatidas.

  27. Franbo disse:

    Vão estudar….. O professor tem suas razões, só pecou quando falou que não tinha nada haver se a estudante era pobre e não podia pagar uma creche e outra coisas. A criança ir um dia esporadicamente é uma coisa,agora toda aula é inconcebível.

  28. Fábio disse:

    A UFRN foi transformada em uma pocilga, pocilga cara, e o mais grave, com recursos públicos.

  29. Brasil não é de corruptos disse:

    Se essa moda pegar …teremos crianças em baixa da mesa do centro cirúrgico( pai cirurgião)no ônibus ( colo do motorista ),em cima do poste da cosern(pai eletricista),correndo dentro do posto de gasolina ( pai frentista),na cabine do avião ( pai piloto) …..esses vagabundos querem MIMIMI …não querem estudar ,coisa de PTRALHAS

    • João disse:

      CERTÍSSIMO……………………….

    • Ceará-Mundão disse:

      Verdade, amigo. No afã de defenderem suas bandeiras absurdas essa gente perdeu totalmente o bom senso, a noção do ridículo. Não é função de professor algum providenciar qualquer tipo de assistência social aos seus alunos. Que essa aluna mãe e esses baderneiros que estão acuando o professor procurem a direção da universidade e lutem por creches. Ouvi dizer que já existe na UFRN. É verdade? Enfim, essa gente não quer estudar, quer "causar". Como vc disse, isso é coisa de "ptralhas".

  30. lopes disse:

    Uma mentira contada mais de cem vezes vira verdade…essa situação que estão colocando o professor e uma mentira…o professor tem autoridade na sala…a reitoria e muito fraca..tem medo do 13..

  31. Ermeson Rezende disse:

    Esse é o país da esculhambação, o povo soo tem direitos, deveres nada. Quero saber se ela tem esse "direito" de levar a filha para o local de trabalho tbm, duvidooooo!
    Todo apoio a esse mestre, precisamos moralizar essa bagunça chama Brasil.

  32. Observador disse:

    Bando de hipócritas. Esquerdista não pode ser contrariado, mas o professor que quer dar aula deve aceitar tudo… ome, vão pra baixa da égua.

    • lirinha disse:

      Ô sabidão, Alípio é de esquerda. É comunista, é PSOL e defende e ensina identidade de gênero.

  33. Bolsonaro disse:

    Não foi isso q ele ensinou aos alunos? Está colhendo o que plantou…

    • lirinha disse:

      Exatamente. A maioria aqui está defendendo ele, kkkkkkkkk

    • Ceará-Mundão disse:

      Ninguém está defendendo a pessoa dele. Nem sei quem é, muito menos o que ele pensa. Trata-se do fato em si. Sei que isso é muito difícil de ser entendido por pessoas como vc, mas…

  34. Rubens disse:

    Todo apoio a esse mestre. Fez o que é certo.

  35. joao disse:

    Quem sao os fascistas, os alunos que estao tentando açoitar o professor, ou o professor que estava apenas tentando dar aula e foi impedido novamente por alunos?
    Sinal dos maus tempos nas universidades publicas, colhem o que plantaram em 13 anos. Agora so servem pra financiar a doutrinacao partidaria e açoitar professores que querem trabalhar e sao contrarios aos seus pensamentos ideologicos. Fim da UFRN. Aluno nao é trabalhador dentro do ambiente academico. Creche é pra trabalhador. Daqui a pouco vao fazer açoite em professores pra ter moradia dentro da UFRN e plano de saude coletivo.

    • Carlos Lima disse:

      Cadê a Reitora?

    • Júnior disse:

      A culoa sempre é do PT hahahaha Está bom de começar a arrumar outro discurso. Se isso fosse em uma instituição privada a repercussão seria a mesma?

    • Ceará-Mundão disse:

      Em instituição privada isso não ocorreria. E se ocorresse, pessoas sofreriam as devidas consequências. Essa é a enorme diferença.

  36. Juvenal disse:

    "Queima Quengaral". Foi o que disse um pseudo-estudante, mas cuja imagem não aparece no vídeo. Esse é o reflexo das nossas Universidades, o que era para ser um espaço de desenvolvimento do conhecimento tornou-se um mero "Quengaral", mas daqueles piores possíveis, porque se isso fosse lá em Zé Muringa, em Caicó, ou no saudoso Nira Drink´s aqui em Natal, o negócio num instante ficava em ordem.
    Mas quiseram transformar as Universidades num antro de libertinagem, num espaço onde todos mandam, mas onde falta comando. E o comando em sala de aula tem que ser do professor. Se a aluna sentiu-se prejudicada, que procure os meios dentro da própria UFRN para garantir o direito que acha que tem, vá reclamar com a coordenação do curso, com a Reitoria. Aliás, por onde anda nossa Reitora que não deu um piu sobre isso? Será que abona toda essa baderna dentro do campus?

  37. Aparecida disse:

    Que ridículo. Que desrespeito. Eles deveriam ir a porta da reitoria solicitar creche nos três turnos para as mães que precisam estudar. Professor vc tem o meu apoio. A criança deve estar em local onde possa ser criança.

  38. Henrique disse:

    Tem que privatizar urgente estas UF do Brasil e acabar com esse poço de esquerdismo no Brasil. O professor no seu direito e um bocado de "alunos" criticando. Escola sem partido urgente.

    • JBS disse:

      Lá vem o mimimi de privatização. Isso não resolve o problema, mestre.

    • Júnior disse:

      Privatizar resolve o problema? Se resolver levante a bandeira e fique com ela na UFRN.

Alunos da UFRN planejam levar filhos para salas de aula em protesto contra humilhação de colega por professor

Após o caso da estudante Waleska Maria Lopes, impedida de assistir aula com sua filha de cinco anos na UFRN, vir a público em reportagem do G1, alunos da universidade reportaram ao BlogdoBG que estão organizando um protesto.

De acordo com os relatos, os estudantes estão programando levar seus filhos para as salas de aulas em solidariedade à estudante, que se viu em situação de humilhação. Ela informou ao G1 que vai prestar boletim de ocorrência por agressão moral e constrangimento.

O fato aconteceu na terça-feira (6) durante a aula de Introdução à Sociologia do curso de Ciências Sociais da UFRN. “Me senti muito mal. Minha filha perguntou se não podia mais assistir às minhas aulas. Se era por causa dela. É uma grande humilhação. A única família dela sou eu. Ela só tem a mim. Foi terrível”, relatou a aluna ao G1.

O professor que provocou os eventos, Alípio Sousa Filho, afirmou que a criança interrompe o andamento da aula. Após a saída da aluna, ele foi gravado pelos demais alunos dizendo o seguinte:

“Ela encontre uma rede de solidariedade para cuidar da criança. Não consegue essa rede de solidariedade? Repense sua vida. Não tem que estar fazendo Ciências Sociais, não tem que estar estudando na universidade. Você só faz isso se tiver condições. Agora não vai impôr à instituição coisas que não são assimiladas pela instituição (…) ‘ah, eu sou pobre, não tenho’. Problema seu, a universidade não tem problema com isso, se vire”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Se fosse num curso de ciências exatas, que requer alto nível de concentração a turma já tinha expulsado a aluna.

  2. Felipe disse:

    curso de ciencias sociais, se for ver a concorrencia, realmente só entra em sua maioria gente que estudou pouco p/ estar la. Aí da nisso aí. Tem filho e nao precisa estudar muito p/ entrar no curso. Olhaí no que deu. Agora vai ver se ela com essa filha se ela teria tempo p/ estudar p/ passar no curso de direito. Eu duvido meu amigo. Aí pronto, acha que depois que entrou no curso de ciencias sociais na moleza, aí acha que tambem vai terminar o curso na moleza, so no Brasil mesmo

    • Tatiana disse:

      Meu pai estudou direito na São Francisco, dita a melhor em direito no Brasil. Ele conta que tinha uma colega que sempre levava a filha, desde o início até o final do curso, e ninguém se incomodava. Aí é que está, lugar de gente esclarecida.

      Pra falar merda, é melhor ficar quieto. Ou você é mais um dos frustradinhos da vida que não aguenta ver diferenças sociais?

  3. Felipe disse:

    se eu fosse professor, e esses pseudo-estudantes levassem seus filhos p/ assistir aula, eu simplesmente parava de dar aula e ia informar os orgaos competentes o motivo por ter parado a aula. Simples assim. Alias, era o mais prudente que esse professor deveria ter feito. Ele tem o direito de dar a aula dele sem ninguem fazendo barulho, ali ne cabaré nao, é uma instituiição que merece respeito por parte dos alunos.

    • Tatiana disse:

      Representando o professor machista, elitista? Está com tempo extra pra comentar por aqui? Esse professor merece ser exonerado por não saber aplicar na prática o que "ensina" na teoria. Zero pra ele, e zero pra você!

  4. Felipe disse:

    Sinceramente, se eu fosse aluno da UFRN e alguma colega minha de classe levasse a filha dela pequena p/ ficar gritando alto, chorando ou falando alto (sim, porque crianças pequenas normalmente são assim), eu é quem iria denunciar essa situação aos orgaos competentes, porque, eu como aluno, tenho o direito de assistir aula sem nenhum barulho. Que egoismo enorme o das pessoas que nao se importam se seus colegas vao se sentir incomodados ou nao com o barulho de uma quase-bebê. 5 anos é uma quase-bebe. Meu povo, solidariedade tem limites tambem. Sala de aula nao é creche nao! Pelo amor de Deus. Ja pensou se uma sala de aula vira um berçario? aí eu digo, 24 anos, nova, inventa de ter filho sem condições, é no minimo uma irresponsavel que pensa que criança nao é algo sério, nao é um brinquedo nao, minha jovem, uma criança é um ser humano que demanda ate mais cuidados do que com um adulto, ou seja, so tenha se tiver tempo e dinheiro. Agora se a criança estiver quietinha, realmente nao vejo motivos. Sala de aula é p/ aprender, ne um lugar de brincadeira nao, apesar de alguns alunos acharem que ali é uma bagunça liberal onde se pode tudo, quem sabe ate ir de sunga assistir aula, so falta isso. Falta de bom senso total dessa mae. Friso que eu sendo aluno da UFRN TENHO O DIREITO DE ASSISTIR AULA SEM SER IMPORTUNADO PELO BARULHO QUE A FILHA DESTA JOVEM ESTIVER CAUSANDO P/ ATRAPALHAR MINHA CONCENTRAÇÃO. ALI NAO É UMA CRECHE. BOTOU FILHA NO MUNDO, SE VIRA NOS 30. SE FOSSE RESPONSAVEL NAO ESTAVA AÍ NESSA SITUAÇÃO. O direito dela vai até onde começa o meu. Tolerancia tem limite porque todo jogo tem suas regras de bom senso. Porque essa jovem tem mais direito do que eu? por que tenho que suportar a filha dela fazer barulho enquanto assisto aula? peraí tambem ne, por isso que o Brasil é esse pais que ninguem leva a serio, é essa esculhambação onde nao existem regras. Brasil sil sil sil!

  5. Bill Ganjica disse:

    Como dizia o deputado mais honesto do Brasil, Roberto Penisvaldo: “esse é o típico fascista, taxista, é o típico espertinho, estribado, raparigueiro e filantropa, é o típico perfil da escoria da nossa sociedade pós-capitalista moderna. Você, amigo leitor, se fudera no pretérito mais que perfeito, não estão entendendo oque estou falando né? quem mandou não estudar!?!?!?”

  6. Paula disse:

    O professor esta correto.Se essa moda pega todas as maes levando seus filhos pra aula.Quem aguentaria tanta bagunça e choro de crianca?

    • Ivete Bezerra disse:

      Eu não quero dizer quem está certo ou errado neste episódio.
      Apenas vou tecer comentários sobre a vida presente.
      Eu quero citar que o aparelho celular é usado maciçamente por praticamente toda a população urbana no Brasil. Dito isto, lembro que em todos os recintos onde há plateia para assistir alguma apresentação, palestra, aula, filme, há a recomendação expressa para que desliguemos os aparelhos celulares, visando "o não importunamento de quem assiste".
      Dito isso, eu fico aqui com os meus botões: Se o som de uma ligação de celular causa tanto incomodo e até desconcentração da plateia, o que acontece quando há a presença de uma criança de cinco anos numa aula de um curso superior, no turno noturno?

  7. Ricardo disse:

    Esse energúmeno deve ser afastado e, quiça, demitido a bem do serviço público!

  8. Arthur disse:

    Nesse Brasilzão de hoje, o certo é errado; e o errado é certo…PQP

  9. Marcio Brand disse:

    Se ele está certo ou errado não importa, mas esse professor se esconde atrás da instituição para promover seu discurso elitista e preconceituoso, já presenciei algumas vezes situações parecidas que foram acolhidas por nobres professores. A formas e formas de lidar com a situação e a desse infeliz foi a de um canalha. Se pesquisarem vão ver que tem outras atitudes assim desse narcisista que se acha o dono da verdade e de humanidade não tem nada! Quem defende esse sujeito, defende o individualismo e a situação que país se encontra.. só reclamam e não agem!

  10. Waldemir disse:

    Lugar de crianças é em creches não na FACULDADE
    Ponto final

  11. Nasto disse:

    Ceará-Mundão Falou e Disse. Está coberto de razão no seu comentário. Concordo toalmente

  12. Ceará-Mundão disse:

    Quanta asneira se lê por ai. Aqueles que estão escrachando o professor com certeza pertencem ao grupo "inimigo" de estudo, de trabalho, de esforço em geral. Alguém que ao menos um dia já estudou está cansado de saber que é impossível alguém conseguir assistir a uma aula ou mesmo estudar e cuidar de uma criança ao mesmo tempo. Uma criança numa sala de aula com toda certeza irá atrapalhar o andamento da mesma, prejudicando a todos os alunos, inclusive aqueles que estão lá para aprender e não para "passear" ou "arrumar namoro". Mas essa gente está perdoada pois não sabem o que é estudar. Nunca tentaram de verdade fazer isso. Serão eternos adolescentes, pessoas que nunca assumirão responsabilidades na vida e nunca saberão cumprir normas e respeitar o direito alheio. Por que os demais alunos precisam se sujeitar a terem suas aulas prejudicadas por alguma condição particular de alguém? O professor pode até não ter sido muito "polido" no que disse mas ele disse o certo e agiu corretamente. E tome mimimi.

  13. lopes disse:

    E fácil jogar pedra no professor ..menino é igual a peido.. você só aguenta o seu…vamos para com isso..por que alguém que é contra o professor não se oferece pra ficar com a criança

    • Felipe disse:

      ja apareceu alguem sim! Uma creche aí particular, bolsa 100%. Aí ainda tem gente achando que foi somente solidariedade? digo mais, agora a creche ficou conhecida, marketing puro e estará recebendo mais clientes, só que as proximas terao que pagar, acredito eu. Aí sim o tratamento é desigual. Uns pagam outros nao. Enfim, a não ser que todas aquelas sem condições tenham o mesmo tratamento de receberem a bolsa 100%. O capitalismo é selvagem so digo isso. E estamos todos dentro dele, querendo ou nao, o mundo bom só existe nas telinhas nos filmes de mentirinha. O mundo é mau e cada um que lute p/ sobreviver. O sistema é um caos em tudo.

  14. Silva disse:

    Em qualquer circunstância estou com o mestre.
    Mestre e mestre e acabou.

  15. Aparecida disse:

    Concordo com o professor. Que a universidade possibilite creche para as crianças enquanto as mães estudam.

  16. Netanias disse:

    Professor mal educado!essas palavras proferidas por não condizem com um educador.Mal exemplo.

  17. Alyson disse:

    Talvez esse professor tenha se expressado com muita dureza, mas sala de aula não é creche. Se mais 1 ou 2 mães também resolvem levar seus filhos, como seria essa aula? Até por questões de conforto e bem estar dessa criança. Mas só sabe onde o sapato aperta quem calça.

    • Felipe disse:

      essa jovem é uma egoista. Devia era trancar o curso p/ cuidar da filha dela, isso sim. Ela ta sendo egoista ate com a propria filha dela nessa hora, pois como podera se dedicar a cuidar da filha assistindo aula? ou uma coisa ou outra. Uma irresponsavel precisando de ajuda urgente.

  18. Almir Dionisio disse:

    As pessoas confundem a situação e radicalizam.É correto uma criança de apenas 05 anos de idade que já passa o dia todo em uma creche e a noite acompanhar a sua mãe uma jornada de 04 hs de aulas – ficando no mesmo ambiente sentada em uma cadeira.
    Por outro lado, é correto privar a mãe de realizar o seu projeto de estudar.
    É algo complexo e que necessita de uma análise e solução sem se chegar a um extremo de encher uma sala de aula de crianças como forma de protesto.
    Talvez o caso tenha repercutido de uma forma em grande proporção pela forma como foi conduzido pelo professor/aluna e que no auge da discussão ganhou o apoio dos demais alunos, sem pensar em como buscar soluções.
    A criança tem o direito de brincar de descansar, não sendo uma prática comum acompanhar a mãe em sala de aula em um horário noturno.
    Acho que a questão precisa ser repensada pela mãe e buscar uma solução que acomode melhor essa criança.

    • Tatiana disse:

      Melhor estar com a mãe que atirada numa creche. Sem contar a qualidade das creches no Brasil, lugar de morte de muitas crianças, onde as mesmas sofrem diversos tipos de abusos, inclusive sexuais. Melhor é ficar com a mãe, criança gosta é de estar com a mãe, não atirada a própria sorte enquanto a mãe, já em situação vulnerável, luta contra todas as adversidades para um dia ser capaz de oferecer uma vida um pouco melhor à filha.

  19. Ricardo disse:

    Sala de aula não é creche nem jardim de infância, na UFRN existe um Núcleo específico para receber crianças, o NEI, a distinta universitária pode procurar a possibilidade de matrícular sua criança no Nei.
    Não conheço os moldes em que o mestre da disciplina argumentou contra a presença da criança, mas entendo que lugar de criança não é em sala de aula de Universidade.

  20. DeSacoCheio disse:

    O problema da sociedade hoje é que só querem os bônus de suas decisões, os ônus não. Na hora de fazer a criança achou bom mas na hora de ser mãe não. Seus direitos acabam quando começam os dos outros, no caso, os outros alunos que querem assistir aula e são prejudicados pela criança que quer ser só criança (correr, pular, brincar, chorar). Se no final do semestre os alunos reprovados na disciplina forem se queixar por que o professor não teve pulso para solucionar o problema e se disserem prejudicados? Quem manda na sala é o professor e acredito que este teve bom senso sim. O mundo tá ficando chato e errado aceitando MiMiMi de quem não assume os custos de suas opções.

    • LEITOR disse:

      Concordo, assuma as responsabilidades, a vitimização é execravel !!!

    • Felipe disse:

      concordo, ela que tranque o curso dela, p/ cuidar da filha, é ônus e bônus, meu amigo, falou e disse. Ou os brasileiros acham que a gente deve continuar sendo esse pais esculhambado sem regras? e sem "penalidades" p/ quem pretende burlar as "regras" de convivencia academica? Tem o bonus de ter uma filha, agora pegue os ônus tb, ou ta achando que é só coisa boa ter filho? é pepino que nao acaba mais. Mas vale a pena, mas tem que se preparar que as reponsabilidades sao muitas. Disponha logo de bastante tempo do seu dia, senao nem tenha filho, porque vc estara sendo uma verdadeira egoista. Quem pensa no proprio filho de verdade, dedica bastante tempo ao mesmo. Mas p/ dedicar tempo, vc precisa de tempo, é obvio, entao antes de ter, tenha a certeza de que tera tempo disponivel ao mesmo e nao seja mais uma egoista e irresponsavel nesse mundo louco

  21. Thiago disse:

    Na minha opinião, levar a criança eventualmente, devido às circunstâncias, ainda é aceitável, mas para todas as aulas não acho. Definitivamente não é o ambiente adequado. Muita gente olhando para os lados aluna/professor e esquecendo a criança. O pior que acho é a ideia de usar os próprios filhos como instrumento (para não dizer objeto) de um protesto. Há formas mais inteligentes de se protestar e resolver essa situação.

  22. Meg disse:

    Se essa aluna for para a balada, vai levar a criança também? Se o professor foi rude, eu não sei, mas sala de aula não é creche. Ademais, as universidades também viraram lanchonete, loja de roupa etc. Imaginem numa aula de penal , o professor falando sobre o crime de eestupro ou homicídio . Então a aluna teria direito de levar uma criança para ouvir na sala de aula o professor explicar esses crimes?

    • Maria Helena disse:

      Excelente argumento. A resposta é NÃO, ela não levará. Irá deixar a criança com algum parente ou amigo. O professor está coberto de razão.

  23. Hermínio Sobrinho disse:

    Deveria ser punido. Mau exemplo.

  24. vilanir gurgel disse:

    pronto!!! era o que faltava

  25. Igor disse:

    Se brincar, a criança é quem tem mais maturidade dentre os envolvidos.

  26. Ricardo disse:

    As universidades serão futuramente um jardim de infância.

  27. RN Desgovernado disse:

    Que exagero nesse caso, em todos os aspectos. Esta aí um tipico caso onde todos os envolvidos estão errados: o professor pela rudeza ao tratar o caso, a aluna pela insensibilidade ao levar a criança ao ambiente de educação para adultos e o excesso de vitimização, e a UFRN pela inexistência de uma política definida para tratar o caso. O que falta é razoabilidade para todos. Crucificar o professor com ingresso de queixa é lamentável, nada mas é que uma transferência de responsabilidade, mas como hoje em dia vemos as autoridades educacionais sendo desrespeitadas, não é de se estranhar quem apoie esse levante contra os professores.

  28. Ems disse:

    É preciso bom censo da aluna !!!

  29. joao disse:

    Deviam privatizar.. ou começar a pagar.. quando acham que é de graça, fazem isso. O prejuizo é para aqueles que querem um futuro atraves do conhecimento. Sala de aula nao é creche.

  30. Tomaz disse:

    NENHUMA MÃE A MENOS!

    À Universidade Federal do Rio Grande do Norte

    As e os estudantes da UFRN vem por meio desta nota repudiar a agressão do professor Alípio de Sousa Filho (DCS/UFRN) contra a estudante do curso de ciências sociais e mãe Waleska Lopes ao impedi-la de assistir aula acompanhada da sua filha de 5 anos. Não é a primeira vez que o professor constrange estudantes adotando uma postura opressora e autoritária dentro de sala de aula. Tal caso não é um fato isolado, mas é a reprodução do modelo de sociedade machista que nega às mulheres os espaços de conhecimento, bem como sua permanência enquanto mãe e trabalhadora.

    Diante do contexto de democratização do ensino público superior nos últimos anos faz-se necessário que a instituição se adapte ao novo perfil de estudantes que ingressam nas universidades, garantindo a permanência das mães estudantes que precisam levar suas filha/os para a aula por não ter com quem deixar.

    Reafirmamos que além de machista, Alípio sustenta um discurso onde o preconceito de classe prevalece ao afirmar que “só vai (pra universidade) quem tem condições” e enaltece seus títulos acadêmicos no exterior. Comprovando, assim, que apesar de seu currículo não tem nenhuma capacidade de estar em sala de aula e lidar com as diferentes realidades sociais.

    Nesse sentido, reivindicamos:

    Afastamento do professor de suas atividades acadêmicas;
    Incluir na utilização dos recursos do PNAES a construção e manutenção de uma creche dentro do campus que funcione nos turnos matutino, vespertino e noturno.

    Em plenária na noite de ontem (07/03), as e os estudantes do curso de Ciências Sociais deliberaram uma agenda para discutir a pauta na segunda-feira (12/03), sendo:

    8h40: Assembléia Estudantil na pracinha dos CAs do setor 2.
    18h45: Aula pública sobre gênero e opressões na pracinha dos CAs do setor 2.

    #SomosTodasWaleska
    #PeloDireitodeSerMãeEstudante

    • Juvenal disse:

      MiMiMiMiMiMiMiMiMiMi

    • Realista disse:

      Coitado do professor será tratado agora como torturador, facista, neonazista, corrupto, opressor, ditador e genocida…É uma vergonha o que Lemos no texto desse pseudorevolucionário incitando um levante contra a classe educadora. #respeiteoprofessor

    • Maria Lima disse:

      Minha nossa… ?‍♂️

    • Acorda Brasil disse:

      A qualidade do ser humano está baixa… Aaahhh geração fraca!

    • Salve o Brasil disse:

      Esse chamamento ilustra bem a desmoralização da figura da Classe Educadora. As pessoas querem transferir para os outros suas responsabilidades, não querem seguir as regras da sociedade e desejam que as regras se adequem aos seus anseios sem se preocupar com as demais pessoas que serão afetadas. É preciso a Reitoria ter pulso e criar soluções para situações como essa. É justo a aluna ficar sem educação…não. É justo transferir para os outros alunos e professores também não, portanto, a instituição deve avaliar o caso sob o julgo da responsabilidade. Agora um chamamento para um protesto como esse é ridículo. Isso explica o comportamento e pensamento deturpados de uma ala de alunos com doutrinação revolucionária e anarquista.

    • Hebert disse:

      Meu Deus!!

    • ipm disse:

      UFRN tá um lixo !!!! quero saber na hora q a cidadã tava virando os olhos se ela chamou o professor !

    • Jomar Ribeiro disse:

      Onde está o Conselho Tutelar para defender os direitos da criança?
      Ou será que está correto a criança passar a noite, até às 22 horas, dentro de sala de aula?

    • Maria Helena disse:

      Certamente vc que escreve é um militante e não um estudante. Se assim o fosse, saberia que o professor está certo. Se todos decidirem levar seus filhos, a finalidade das IES se resumirá a ser creche, e não Universidade.

    • Ems disse:

      É muito mimimi !!! Produzir que é bom…

    • Arthur disse:

      Ridículo!! Só poderia mesmo vir de uma universidade envenenada como a UFRN… Tenho certeza que a maioria dos professores que lá atuam passaram por muitas dificuldades pra estudar e nem por isso levaram seus filhos pra aula, atrapalhando o aprendizado dos demais… "Movimento estudantil" com viés político! podem procurar o idealizador desse lixo e ver seus objetivos…

Situação de todos os presos do RN poderá ser acompanhada pela internet

A situação da população carcerária do Rio Grande do Norte poderá em breve ser acompanhada em tempo real pela internet e acessível por qualquer cidadão.

Apresentado nessa semana pelo CNJ, o Cadastro Nacional de Presos tem por base a criação de um número único de identificação de cada detento das prisões brasileiras. É o mesmo número para todo o País e o registro da passagem do preso pelo sistema prisional. É um dado que pode ser acessado por autoridades, servidores e pelo cidadão de forma on line e em tempo real em qualquer localidade do território nacional, permitindo o rastreamento nacional do preso.

No Rio Grande do Norte, o sistema está em implantação. Ainda não é possível consultar as informações que o Cadastro promete entregar, mas uma visão parcial está disponível.

De acordo com a ferramenta, 3% do trabalho foi realizado até agora, com o registro de 277 presos, sendo 221 condenados e 56 provisórios. Não é posssível consultar ainda indidualmente os dados disponíveis.

O BlogdoBG acionou a SEJUC para ter mais detalhes do projeto e aguarda retorno.

A ideia é que o fiquem disponíveis para consulta os documentos gerados e vinculados ao detento: mandados de prisão expedidos, mandados de prisão cumpridos, alvarás de soltura, contramandados expedidos, guias expedidas e certidão de extinção de punibilidade.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedrinho disse:

    E a situação das vítimas também?

Situação dramática dos açudes do RN é destaque nacional

A situação dos reservatórios do Rio Grande do Norte e do Nordeste, num geral, foram destaque da edição desta terça-feira (23) da Folha de S.Paulo.

A situação mais dramática é do açude do Castanhão, o maior do Nordeste, com capacidade de 6,7 bilhões de metros cúbicos de água. O reservatório, que chegou a ter 97,64% de sua capacidade, hoje tem menos de 2%.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior do Rio Grande do Norte e que comporta até 2,4 bilhões de metros cúbicos de água, chegou a 11,32% de sua capacidade e entrou no volume morto.

No Rio Grande do Norte, dos 47 açudes monitorados pelo governo, 35 estão no volume morto ou completamente vazios. De cada três cidades do Estado, duas estão em situação de racionamento ou colapso total no abastecimento.

A matéria da Folha pode ser conferida na íntegra AQUI.

 

Ato público para denunciar situação de falência dos municípios acontece dia 21, em Natal

2627028bcaf815f8db6983884aa70a34O deputado Tomba Farias (PSB) convocou os deputados a participarem, no dia 21 de outubro, em Natal, de ato público para denunciar a situação de falência dos municípios que está sendo organizado pelo parlamentar e entidades ligadas às cidades e Câmaras Municipais do Rio Grande do Norte. O impacto nos cofres dos municípios, provocado pela queda nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), levou 92% das cidades do Brasil a infringirem a Lei da Responsabilidade Fiscal. De acordo com pesquisa realizada com 85,5% dos municípios brasileiros, quase 50% estão com os pagamentos de fornecedores atrasados em mais de 65 dias; 11,1% desse total estão com seus salários atrasados numa média de 38 dias e 19% não conseguiu implantar o piso nacional do magistério.

“Diante desse percentual tão alto a gente pergunta quem são os culpados. O Governo Federal precisa rever essa situação. A queda do FPM é clara. A classe política precisa se unir e lutar pelo Pacto Federativo para salvar os municípios que estão à beira da falência”, clamou.

O objetivo do encontro é reunir prefeitos e vereadores, mobilizar os meios de comunicação e atrair a atenção da população e do Congresso Nacional para o grave momento vivido pelos municípios. Um diagnóstico sobre a crise dos será elaborado e distribuído para que a população tome conhecimento dos graves efeitos que a crise financeira provoca sobre os serviços prestados pelas Prefeituras e os prejuízos que acarreta à população. “Que esse dia seja um marco para que possamos salvar os municípios que estão a beira da falência”, finalizou.

AL-RN

Situação das Forças Armadas Brasileira é crítica

O governo divulgou nesta terça (24) os papéis que expõem a Estratégia Nacional de Defesa do Brasil para os próximos quatro anos. Os documentos vieram à luz graças à lei 136, aprovada em 2010. Prevê o envio ao Congresso, a cada quatro anos, começando por 2012, de três documentos: o PND (Política Nacional de Defesa), a END (Estratégia Nacional de Defesa) e o LBDN (Livro Branco da Defesa Nacional).

O papelório foi entregue ao presidente do Congresso, José Sarney, em 17 de julho, um dia antes do início do recesso parlamentar do meio do ano. As ações do Executivo na área da defesa estão agora  condicionadas à aprovação das diretrizes pelo Legislativo. O miolo das preocupações está exposto em dois trechos da Estratégia Nacional de Defesa.

Num, ilumina-se a filosofia que guia o Exército, a Marinha e Aeronáutica: “Convém organizar as Forças Armadas em torno de capacidades, não em torno de inimigos específicos. O Brasil não tem inimigos no presente. Para não tê-los no futuro, é preciso preservar a paz e preparar-se para a guerra.”

Noutro, listam-se as debilidades que inibem a capacidade de reação militar Brasil contra eventuais inimigos. Anota-se que “apesar dos esforços desenvolvidos nos últimos anos”, a defesa do país ainda convive com “vulnerabilidades”. O texto menciona dez deficiências.

Três são especialmente reveladoras: 1) “A desatualização tecnológica de alguns equipamentos das Forças Armadas”, associada à “dependência em relação a produtos de defesa estrangeiros”; 2) A baixa capacidade atual das Forças Armadas para reagir “contra os efeitos causados por agentes contaminantes químicos, biológicos, radiológicos e nucleares”; e 3) os desajustes na “distribuição espacial das Forças Armadas no território nacional”.

Em relação a esse último tópico, o texto realça a necessidade “reposicionar os efetivos” do Exército, da Marinha e da Aeronáutica. A distribuição atual, informa o documento, não condiz com as necessidades de defesa do país. As ameaças concentram-se em pedaços do mapa diferentes dos locais onde se encontram as tropas.

Diz o texto: “As principais unidades do Exército estacionam no Sudeste e no Sul do Brasil. A esquadra da Marinha concentra-se na cidade do Rio de Janeiro. Algumas instalações tecnológicas da Força Aérea estão localizadas em São José dos Campos, em São Paulo. As preocupações mais agudas de defesa estão, porém, no Norte, no Oeste e no Atlântico Sul.”

O documento prossegue: “Sem desconsiderar a necessidade de defender as maiores concentrações demográficas e os maiores centros industriais do país, a Marinha deverá estar mais presente na região da foz do Rio Amazonas e nas grandes bacias fluviais do Amazonas e do Paraguai-Paraná. Deverá o Exército agrupar suas reservas regionais nas respectivas áreas, para possibilitar a resposta imediata na crise ou na guerra.”

Para atenuar as debilidades de equipamento, o governo informa que age para “capacitar a base industrial de defesa.” Visa-se a conquista de “autonomia” tecnológica na produção de armamentos. “Regimes jurídico, regulatório e tributário especiais protegerão as empresas privadas nacionais de produtos de defesa.” Em contrapartida aos privilégios, o Estado exercerá “poder estratégico” sobre as empresas do setor.

Quanto às estatais que se dedicam a produzir artefatos militares, vai-se cuidar para que operem “no teto tecnológico, desenvolvendo as tecnologias que as empresas privadas não possam alcançar ou obter, a curto ou médio prazo, de maneira rentável.” O Ministério da Defesa centraliza “a formulação e a execução da política de obtenção de produtos de defesa.”

O plano de defesa guinda à condição de prioridade o fortalecimento de “três setores de importância estratégica: o espacial, o cibernético e o nuclear.” Afirma-se que as Forças Armadas brasileiras não podem continuar dependendo de “tecnologia estrangeira” para monitorar, “a partir do espaço”, as ameaças ao seu próprio território. Daí o relevo dado aos equipamentos espaciais e cibernéticos.

O texto reafirma o compromisso do Brasil de só utilizar a energia nuclear para fins pacíficos. Invoca-se a “necessidade estratégica de desenvolver e dominar essa tecnologia.” Por quê? “O Brasil precisa garantir o equilíbrio e a versatilidade da sua matriz energética e avançar em áreas tais como as de agricultura e saúde, que podem se beneficiar da tecnologia de energia nuclear.” De resto, menciona-se o velho projeto do submarino de propulsão nuclear da Marinha.

Em termos territoriais, a política de defesa do governo repisa a prioridade à proteção da Amazônia, “um dos focos de maior interesse para a defesa.” Nesse ponto, o texto tem um quê de nacionalismo ideológico. Sacode nas entrelinhas o lençol de um fantasma que atormenta os militares brasileiros: o risco de internacionalização da região Amazônica.

O fantasma aparece nesse trecho: “O Brasil será vigilante na reafirmação incondicional de sua soberania sobre a Amazônia brasileira. Repudiará, pela prática de atos de desenvolvimento e de defesa, qualquer tentativa de tutela sobre as suas decisões a respeito de preservação, de desenvolvimento e de defesa da Amazônia. Não permitirá que organizações ou indivíduos sirvam de instrumentos para interesses estrangeiros – políticos ou econômicos – que queiram enfraquecer a soberania brasileira. Quem cuida da Amazônia brasileira, a serviço da humanidade e de si mesmo, é o Brasil.”

Menciona-se também a preocupação com a defesa das fronteiras marítimas do país. No caso brasileiro, diz o texto, “o direito de jurisdição sobre os recursos econômicos” se entende por “cerca de 4,5 milhões de quilômetros quadrados”. No dizer do documento, trata-se de “uma verdadeira Amazônia Azul.” Uma área em que estão mergulhadas, entre outras riquezas, as reservas petrolíferas do pré-sal.

Em várias passagens, adota-se nos documentos um tom de lamúria em relação à falta de percepção da sociedade brasileira sobre a importância da política de defesa. Num desses trechos, anotou-se o seguinte: “Após longo período livre de conflitos que tenham afetado diretamente o território e a soberania nacional, a percepção das ameaças está desvanecida para muitos brasileiros.”

O texto acrescenta: “É imprudente imaginar que um país com o potencial do Brasil não enfrente antagonismos ao perseguir seus legítimos interesses. Um dos propósitos da Política Nacional de Defesa é conscientizar todos os segmentos da sociedade brasileira da importância da defesa do país e de que esta é um dever de todos os brasileiros.”

Os documentos não fazem menções explícitas ao volume de recursos que se pretende gastar para pôr em pé a estratégia. Na lista de “vulnerabilidades” que infelicitam as Forças Armadas, incluiu-se “a histórica descontinuidade na alocação de recursos orçamentários para a defesa.”

No Livro Branco da Defesa Nacional, novidade criada pela Lei 136, de 2010, são mencionadas informações antes sonegadas. Em 276 páginas, misturam-se dados geográficos e históricos a descrições sobre o posicionamento de unidades militares, quantidade de embarcações, veículos e aeronaves e tipos de armas à disposição para o uso em caso de guerra.

A submissão da política de defesa à deliberação do Congresso constitui uma novidade alvissareira. Incluídos no Orçamento da União, os gastos militares, como todos os demais, já dependem de aprovação legislativa. Mas é a primeira vez que a estratégia do setor é condicionada ao crivo de congressistas que, em tese, representam a sociedade brasileira.

Fonte: Josias de Souza

Candidatos "fichas sujas" só têm até hoje para reverterem situação

O tempo está terminando. Os candidatos considerados “fichas sujas” têm nove horas contadas para reverterem suas situações. Às 19h de hoje, termina o prazo para registro das candidaturas no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e os que tiverem irregulares correm risco de verem suas candidaturas impugnadas.

No próximo domingo, a Justiça Eleitoral deve publicar um edital com a lista dos pedidos de registro de candidatos apresentados pelos partidos políticos ou coligações. A partir daí, os 69 promotores eleitorais distribuídos em todo o estado começam a identificar e impugnar os candidatos que estiverem em desacordo com a Lei da Ficha Limpa. Eles têm um prazo de cinco dias para ingressar com as ações de impugnação, que serão julgadas pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Nestas eleições, a Procuradoria Regional Eleitoral (PGE) prepara um esquema para que a Lei da Ficha Limpa seja efetivamente aplicada, sem que ninguém passe despercebido. O procurador Regional Eleitoral, Paulo Sérgio Rocha, diz que em cada zona eleitoral terá um promotor atuando na fiscalização e aplicação da legislação eleitoral.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antoniopereira071961 disse:

    Muito legal essa iniciativa, só que não é pra livrar a cara desses politicos , Pois esses caras são a vergonha do nosso País e já que é pra moralizar então tem que da um basta nessa safadeza.