Comportamento

Brasil é o 2° país com mais inscritos em site de traição desde o início da pandemia

Foto: Pond5

A Ashley Madison registrou um aumento diário de 19 mil novos usuários desde o início do isolamento social, devido à pandemia do coronavírus. O site de traição é conhecido por ajudar pessoas comprometidas a marcarem encontros casuais e já conta com mais de 65 milhões de usuários no mundo inteiro. Aqui, no Brasil, a plataforma também tem feito sucesso e conseguiu mais de 4.226 inscritos no período de março a junho deste ano, atrás apenas dos Estados Unidos no número de novos cadastros.

Com um passado polêmico, que envolve até mesmo um grande vazamento de dados em 2015, o site de relacionamentos extraconjugais atualmente propõe uma experiência discreta e honesta. A Ashley Madison pode ser acessada por meio de aplicativos para celulares Android e iPhone (iOS) e pelo site, na versão web. O TechTudo conversou com Paul Keable, diretor de estratégia da rede social, que falou sobre o bom momento da empresa durante a quarentena e quais são as perspectivas para o futuro.

Novos usuários na Ashley Madison durante a quarentena

Durante a quarentena causada pela pandemia de Covid-19, a Ashley Madison experimentou um aumento no número de novos usuários. Se em fevereiro eram realizados 15 mil novos cadastros por dia, agora, a plataforma recebe cerca de 19 mil pessoas diariamente. Além disso, chama atenção o fato de que o Brasil é o segundo país em números de novos assinantes no mundo todo, atrás apenas dos Estados Unidos.

Embora o grande número de novos usuários possa surpreender, a Ashley Madison já esperava um aumento nos cadastros durante a pandemia. O diretor de estratégia Paul Keable explica que o comportamento dos assinantes foi semelhante ao que é observado no início de todos os anos. Ele acredita que a quarentena, assim como costuma acontecer nos feriados de final do ano, acabou expondo problemas de convivência em muitos relacionamentos e, a partir daí, algumas pessoas tomaram a decisão de ir em busca da sua felicidade.

“Quando as pessoas passam as festas de fim de ano com suas famílias, diversos problemas de convivência acabam sendo expostos ou ficam mais evidentes. Assim, no início do ano, muitos decidem fazer mudanças em suas vidas para serem mais felizes. Nas primeiras semanas de quarentena, houve uma queda no número de novos usuários, como uma reação às mudanças profundas e sem precedentes que aconteceram no mundo. No entanto, conforme o tempo passou, a convivência direta com os parceiros fez muitas pessoas perceberem que suas necessidades já não combinavam mais. Por isso, elas fizeram escolhas que as deixassem mais felizes”, explica o executivo.

Nesse sentido, a rede social se apresenta como uma alternativa segura para conhecer outras pessoas sem sair de casa ou, caso queiram, ao mesmo tempo, continuar com seus parceiros. Por conta disso, o site acredita que o número de novos cadastros vai continuar crescendo entre os próximos seis e dez meses, devido ao isolamento social provocado pela pandemia.

Outra percepção baseada no comportamento dos usuários da Ashley Madison é que a maioria das pessoas está satisfeita com seus parceiros e não deseja se divorciar, mas busca no app algo que está faltando em seu relacionamento. Pesquisas feitas pelo site em parceria com a Universidade do Missouri, nos Estados Unidos, apontam que mais de 80% das mulheres presentes na plataforma estão insatisfeitas com os seus parceiros e desejam movimentar a vida sexual com outras pessoas. Já os homens são motivados pela falta de intimidade física na relação e pela busca da satisfação emocional.

Especialmente nessa época de pandemia, Paul Keable acredita que os usuários procuram por uma forma de fazerem novas conexões, embora nem sempre possam se ver pessoalmente por conta do isolamento social. “Alguns dos membros encontram pessoas em situações semelhantes para discutir seus problemas e aliviar a tensão. Outros planejam eventos futuros para quando as pessoas puderem se ver novamente, algo que já vem acontecendo em algumas regiões do mundo”, conta o diretor de estratégia da empresa.

Como funciona a Ashley Madison

A plataforma, criada em 2001, tem o objetivo de proporcionar uma experiência mais discreta e honesta na busca por um relacionamento, por isso, é bastante procurada por quem deseja ter um caso extraconjugal. Para fazer o cadastro, não é necessário nenhum vínculo com outras redes sociais como Facebook ou Twitter. Inclusive, por questões de segurança, é recomendado que a inscrição seja feita com uma conta de e-mail pessoal. Além disso, também é possível adicionar fotos com o rosto embaçado ou até mesmo classificá-las como privadas, assim, apenas algumas pessoas selecionadas poderão visualizá-las.

De acordo com o site da Ashley Madison, a assinatura para mulheres que estão a procura de homens é gratuita e sem restrições. Já homens interessados em mulheres e outras mulheres que buscam uma relação com o mesmo sexo começam como “membros convidados”. Nesse caso, eles podem apenas visualizar perfis, enviar e receber fotos ou enviar “piscadas”. Caso queiram iniciar uma conversa, é preciso pagar uma taxa para ter acesso a todos os recursos disponíveis, assim como para usar o aplicativo para celulares. O serviço oferece uma degustação durante 30 dias. Após esse prazo, o pagamento pode ser feito por meio de um cartão de crédito ou PayPal.

No plano mais barato, é feito uma compra de créditos que só serão gastos caso o homem inicie uma conversa, sendo possível ler e responder mensagens enviadas por mulheres gratuitamente. O pacote também permite continuar conversas com outros membros já contatados antes por 30 dias sem cobranças adicionais.

Caso opte pela assinatura premium, o usuário terá acesso a recursos extras, como ter o perfil em destaque nos resultados de busca e enviar mensagens classificadas como “prioritárias”, que aparecerão no topo da caixa de entrada do destinatário. Além disso, se a pessoa tiver uma viagem marcada, pode visualizar perfis de moradores do local, função similar ao Passaporte, do rival Tinder.

Para Paul Keable, o diferencial do Ashley Madison em relação a outros serviços de paquera é a possibilidade de ser honesto e ser você mesmo, já que os usuários não acessam o serviço procurando por relacionamentos sérios. Até mesmo os solteiros que entram na rede social sabem que as pessoas ali presentes estão em busca de algo mais casual. Além disso, elas não precisam fingir que são solteiras quando, na verdade, estão comprometidas.

“Quando você vai a um site tradicional de relacionamentos, você tenta apresentar sua melhor versão para encontrar um parceiro. No Ashley Madison, as pessoas não fazem isso. Elas chegam e falam: ‘Isso é o que eu sou e isso é o que eu estou procurando. Se você não tem essa característica específica, não significa que você não é uma boa pessoa, só não tem a coisa certa para mim’. Elas tentam preencher algo que está faltando”, opina o executivo sobre o perfil dos usuários.

Polêmicas e vazamento de dados

Em 2015, a Ashley Madison esteve no centro de uma grande polêmica. O “site de traição” foi vítima de um grande vazamento de senhas obtidas por hackers que expuseram perfis de 11 milhões de usuários na Internet. Além disso, a plataforma foi acusada de cadastrar perfis femininos falsos para atrair novos membros.

Recuperar a confiança dos usuários foi difícil e exigiu algumas mudanças na empresa. “Quando você perde a confiança de alguém, leva muito tempo para recuperar a parceria. Atualmente, nós vemos a segurança como um trabalho diário e que não pertence apenas a um time. Os funcionários entendem que a segurança é um trabalho de todos. Então, hoje nós temos melhores tecnologias e processos, além de uma melhor percepção sobre como entregamos segurança e privacidade para os membros”, explica Paul Keable.

Apesar da crise no passado, a empresa acredita que os investimentos em novos recursos e segurança vêm dando certo, visto o crescente número de pessoas inscritas na Ashley Madison e as boas previsões para o futuro.

Globo, via Techtudo

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Natal imuniza mais de 50% da população adulta

Foto: Joana Lima/Secom
Mais de 50% da população adulta de Natal (a partir de 18 anos) apta a se vacinar já completou o esquema de imunização contra a Covid-19. A marca foi alcançada nesta quarta-feira (15). De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e do portal RN+Vacina, até o momento, 347.095 pessoas receberam as duas doses ou a dose única dos imunizantes. Essa média alcançada pelo Município é superior à do Estado do Rio Grande do Norte, que é de 45% da população completamente imunizada, e do Brasil, que está em 35,8%.

Nessa fase, o público-alvo da campanha é de 690.627 cidadãos, sendo que 596.973 pessoas desse universo iniciaram o esquema vacinal, totalizando 86% do total.

Até esta quarta-feira, Natal recebeu 1.091.209 de doses e aplicou 931.535 delas, englobando dose 1, dose 2 e dose única. Entre as faixas etárias, 93% da população acima de 80 anos completou o esquema vacinal. Já entre quem tem 70 e 79 anos, esse número é de 94%. Mesma porcentagem do grupo populacional que tem entre 60 e 69 anos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

MP Eleitoral defende cassação do mandato de vereadora do RN

O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer em favor da cassação do mandato de Iara do Nascimento Silva, conhecida como “Iara de Pinto”, vereadora do município de Vila Flor, no Rio Grande do Norte. Na campanha para a eleição de 2020, a então candidata captou e gastou recursos ilicitamente, sem a devida prestação de contas, prática conhecida como “caixa 2”.

Segundo o parecer, ficou comprovado que Iara realizou gastos além dos R$ 1 mil declarados, com a aquisição de bottons (valor desconhecido) e contratação de serviços contábeis por R$ 350. Assim, mais de 35% das receitas para a campanha da atual vereadora foram arrecadadas e dispendidas à margem da legislação eleitoral.

O procurador regional Eleitoral, Ronaldo Sérgio Chaves Fernandes, destaca que a irregularidade é grave e significativa, “considerando o contexto de uma campanha para vereador em município do interior deste Estado do Rio Grande do Norte, quando os gastos são parcos, o eleitorado é diminuto (2.874 eleitores) e a eleição é decidida por uma pequena diferença de votos”. Ele conclui que “a gravidade da conduta revela-se pela prática do nefasto ‘caixa 2’, além, é claro, do desconhecimento da origem dos valores utilizados na campanha eleitoral da recorrente, de forma a comprometer a lisura do pleito no Município Vila Flor/RN”.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Governo Bolsonaro gastou R$ 38,6 milhões em publicidade de estímulo à vacinação

Foto: Junior Santos
O governo – por meio do Ministério da Saúde e da Secom (Secretaria de Comunicação) da Presidência da República – gastou R$ 335 milhões com campanhas de publicidade contra a covid-19 desde o início da pandemia. Desse valor, foram R$ 182,3 milhões em 2020 e R$ 152,4 milhões em 2021. Os dados são de levantamento do Ministério da Saúde

A campanha mais cara custou R$ 38,6 milhões e divulgou a 1ª fase da vacinação contra a doença, veiculada de 20 de janeiro a 15 de fevereiro de 2021 em rádio, TV, internet e painéis de rua. No total, foram 29 campanhas desde que o vírus começou a circular no país. Com informações do Poder 360.

Opinião dos leitores

  1. E gastou quanto na compra e divulgação de Cloroquina e Ivermectina?
    Quanto está sendo gasto nas motociatas (campanha eleitoral antecipada fora de prazo) e nas manifestações de rua?
    Esse Governo da transparência vai decretar sigilo nessas informações por 100 anos, igual fez com as informações sobre prestação de contas dos cartões corporativos dele e da família mais honesta do Brasil?

  2. Não vi nenhuma campanha de incentivo à vacinação, Nenhuma!!! Acho que esse recurso foi para outro lugar . Desviado

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil tem 68% da população vacinada com ao menos uma dose contra a covid

O Brasil chegou a 68,1% da população vacinada com ao menos uma dose de um imunizante contra a covid-19. O número representa 145.232.768 pessoas vacinadas com 1ª dose ou dose única até às 21h30 de 5ª feira (16.set.2021).

O número de habitantes totalmente vacinados atingirá a marca de 78 milhões. São 77.979.978, o equivalente a 36,6% da população.

Ao todo, 218.721.878 doses foram administradas no país. Dessas, 223.085 correspondem à 3ª dose, que já começou a ser aplicada em alguns municípios.

Os dados são da plataforma coronavirusbra1, que compila registros das secretarias estaduais de Saúde.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Moraes suspende portaria de Bolsonaro que dificulta rastreio de armas

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu nesta 5ª feira (16.set.2021) uma portaria editada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que dificulta o rastreamento de armas e munições. As informações são do Poder 360.

Publicada em abril de 2020, a medida revogou 3 portarias sobre rastreamento de produtos bélicos de uso exclusivo do Exército. O controle era feito desde a produção dos armamentos e munições, passando pela circulação e uso dos itens.

Para Moraes, a Constituição determina que a União controle a circulação de armas, levando em conta o risco social associado a elas. Eis a íntegra da decisão do ministro (273 KB).

“A recusa do Poder Público federal em implementar as medidas de marcação, rastreamento de armas e munições produz um resultado incongruente e incompatível com o princípio da eficácia, no contexto das políticas de segurança pública. O Estado brasileiro deixa de exercer a competência constitucional para o controle e fiscalização de armas de fogo e, ao assim agir, favorece o incremento de riscos contrários ao exercício de outras competências igualmente constitucionais, em especial a garantia da segurança pública”, afirma.

Opinião dos leitores

  1. À União cabe o controle das armas, mas A FORMA como isso deve ser feito deve ser decidido pelo Poder Executivo, a quem cabe governar o país. Esses ministros do STF, que querem governar o país, precisam antes ser ELEITOS pelo povo para isso. Bolsonaro foi.

  2. Qual seria o objetivo do MINTOmaníaco das rachadinhas em dificultar o rastreamento de munições e armas? Afinal não são somente pessoas de bem que compram armas legais? Muito estranho!

  3. Mais uma intromissão do STF nas atribuições do Poder Executivo. Portarias simplesmente detalham procedimentos. Para ser revogada, seria necessário que afrontasse explicitamente uma norma superior, que não era o caso. Se esses ministros do STF querem governar, tirem a toga e se candidatem. Caso ELEITOS como ocorreu com Bolsonaro, terão todo direito de implantar suas propostas, o que estão impedindo o presidente de fazer.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Texto da reforma administrativa era tão ruim que relator terá de fazer outro

Era tão ruim o substitutivo da reforma administrativa que o relator, deputado Arthur Oliveira Maia (DEM-BA), terá de fazer outro, retirando as mudanças que havia feito em seu relatório na noite de quarta-feira (15) e mantendo seu parecer anterior.

Será a terceira versão da “reforma” que pretende afetar apenas os futuros servidores, aqueles a serem nomeados após concursos públicos que continuam suspensos por tempo indeterminado.

Ele cedeu demais às pressões de corporações e de políticos de oposição, alguns gigolôs de regalias no serviço público.

O relator se comprometeu a trabalhar em uma terceira versão do substitutivo. Com isso, a comissão especial adiou a votação da proposta, que estava marcada para esta quinta-feira (16).

O projeto mantém basicamente a maior parte dos privilégios e regalias atuais, no setor público, mas a oposição também criticou no substitutivo as regras para contratações temporárias e os instrumentos de cooperação com a iniciativa privada.

Arthur Oliveira Maia reconheceu que a comissão especial pode alterar as regras para contratações temporárias, como reduzir o prazo limite dos contratos, que no seu parecer é de até dez anos. Já a avaliação de desempenho é considerada um dos pontos fundamentais.

Diário do Poder

Opinião dos leitores

  1. Contratação “temporaria” de 10 anos. 10 anos sendo temporario. Adeus concurso publico. Apadrinhados e os que gostam de “rachadinhas” agradecem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

ANÁLISE: Reprovação de 53% de Bolsonaro é novo recorde do presidente

Assinatura do Decreto de Gratuidade de Publicação no Diário Oficial da União para Órgãos Federais e Medidas de Modernização da Imprensa Nacional .Jair Bolsonaro, ministro Jorge Antonio, Vicente Santini (Cas Civil), Diretor-geral da Imprensa Nacional Pedro Antonio Bertone Ataíde. Brasilia, 30-09-2019. Foto: Sérgio Lima/PODER 360
Após a semana mais tensa de seu mandato, na qual pregou golpismo para multidões no 7 de Setembro, o presidente Jair Bolsonaro segue com sua reprovação em tendência de alta. Ela chegou a 53%, pior índice de seu mandato.

Foi o que aferiu o Datafolha nos dias 13 a 15 de setembro, quando o instituto ouviu presencialmente 3.667 pessoas com mais de 16 anos, em 190 municípios de todo o país. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

A oscilação positiva dentro da margem de erro em relação ao recorde apontado em levantamento feito em julho, de 51% de reprovação, dá sequência à curva ascendente desde dezembro do ano passado.

Opinião dos leitores

  1. O fato é que existe uma imensa maioria de eleitores que está revoltada e sufocada pelos vários problemas que o País enfrenta, e no entanto não está indo às ruas. Essa realidade vai aparecer com força nas eleições de 2022, produzam cortinas de fumaça ou não.

  2. A capacidade do Data Folha de subverter as informações é monstruosa. Poucos dias após as grandes manifestações em homenagem ao Brasil e aprovação ao Presidente este instituto vem com essa lorota de “rejeição”.

  3. Segundo esse Datafolha, o presidente do Brasil é o “Andrade”, Dilma foi eleita a senadora mais votada de MG, também foram eleitos Manuela D”Ávila e Guilherme Boulos… O presidente arrasta multidões e aplausos por onde passa. Portanto, acredite quem quiser.

  4. Parabéns MINTOmaníaco das rachadinhas ! Seu “excelente” trabalho em não fazer nada exceto campanha antecipada com nosso dinheiro e acordos com corruptos pra proteger a si e sua família das investigações dos crimes cometidos está rendendo frutos: Todo dia um gado véi acorda e sai dessa sua narrativa de fake news que seus cupinchas espalham…

  5. Calma bolsolóides, que ainda vai ficar pior!!
    Os idiotas que votaram nesse INÚTIL estão aos pouquinhos se dando conta da merda que fizeram mas um bocado ainda teima em não assumir, em não sair do armário…
    Mas ele mesmo tá dando motivos pro GADO mugir de raivinha !!
    Chora agora não, BEBÊ, deixa pra 2022, mas a mamadeira tá cheia aqui, viu???

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Religião

Papa Francisco diz estar “um pouco doente, mas não muito” e pede orações

Foto: Chris Jackson/Getty Images

O papa Francisco escreveu uma carta a sacerdotes idosos do norte da Itália e pediu orações pelo fato de ele estar “um pouco doente, mas não muito”. A mensagem foi enviada a padres reunidos em Caravaggio, na região da Lombardia, para uma “jornada de fraternidade” e foi revelada pelo portal Vatican News.

“Peço a vocês que, por favor, rezem por mim porque eu estou um pouco doente, mas não muito!”, escreveu Francisco, que há pouco mais de dois meses passou por uma cirurgia para retirada de divertículos no cólon.

Além disso, o Papa afirmou aos sacerdotes idosos da Lombardia que “a velhice não é uma doença, mas sim um privilégio”, mesmo para aqueles que estão doentes, que “carregam a cruz assim como Jesus”.

“Os padres idosos são portadores de sonhos carregados de memória e, por isso, são importantíssimos para as novas gerações”, acrescentou.

Terra

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI da Pandemia suspende convocação de ex-mulher de Bolsonaro

Foto: REUTERS/Adriano Machado

O presidente da CPI da Pandemia, Omar Aziz, suspendeu nesta quinta-feira a convocação de Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), para depor na comissão.  Omar disse a interlocutores não concordar com a convocação, feita em um momento em que ele não comandava a sessão da CPI.

Ela havia sido convocada a depor após aprovação de um requerimento do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), colocado em votação enquanto Randolfe Rodrigues presidia a sessão durante depoimento do suposto lobista, Marconny Albernaz Ribeiro de Faria, amigo de Jair Renan Bolsonaro, o filho mais novo do presidente Jair Bolsonaro e de Ana Cristina Valle.

Um dos motivos pelos quais ela havia sido convocada seria mensagens obtidas pela CPI de que ela teria operado com o suposto lobista para nomeações políticas no governo. A cúpula da CPI ainda tentará convencr Aziz até a semana que vem a aceitar a convocação. Cabe a ele agendar a data do depoimento e, portanto, sem seu aval, não é possível que ela deponha.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. CPI patética, comandada por notórios corruptos. Dessa palhaçada não se espera nada de positivo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Governo do RN edita decreto e exige passaporte da vacina para eventos de massa

O Governo do Rio Grande do Norte edita novo decreto estabelecendo medidas de enfrentamento à covid-19 e instituindo o passaporte da vacina. O Decreto Nº 30.911, de 16 de setembro, será publicado na edição do Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (17) e tem validade indeterminada, podendo o governo, a qualquer tempo, rever as medidas em função do cenário epidemiológico.

Novo documento traz como um dos aspectos principais a apresentação do passaporte da vacina – comprovação de pelo menos uma dose do imunizante contra a covid – que passa a ser exigido como protocolo para eventos com mais de 600 pessoas, podendo os municípios exigirem também para outras situações.

Eventos de ruas que não tenham protocolos específicos, regulamentados por portarias, ficam condicionados à autorização da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed). Os organizadores do evento se responsabilizarão pela observância de todos os protocolos sanitários estabelecidos, bem como das regras de funcionamento dispostas no novo decreto, incluindo a exigência do passaporte da vacina.

As propostas de eventos com público superior a 600 pessoas, instruídas com protocolo sanitário específico, devem ser encaminhadas à Sesap.  Nelas, deve estar prevista a exigência, pelos participantes, da comprovação de, no mínimo, uma dose da vacina contra a covid-19, seja pela carteira de vacinação, seja pelo aplicativo “Mais Vacina” ou similar, validado pela União, Estados ou Municípios.

Para os eventos de qualquer natureza com público superior a 600 pessoas, com exceção dos corporativos e religiosos (que não sejam de rua), fica mantida a necessidade de autorização da Sesap, que mantém o poder de dirimir dúvidas sobre a realização de quaisquer eventos onde o decreto e/ou as portarias sejam omissas.

Outra mudança diz respeito às restrições de horários e ocupação durante o funcionamento do comércio e hotelaria. Não há mais a manutenção da restrição de horários para funcionamento do comércio e hotelaria e da restrição de percentual de ocupação, permanecendo apenas o cumprimento de protocolos sanitários.

As medidas visam assegurar a proteção à saúde dos 3,5 milhões de habitantes do Rio Grande do Norte e o resgate das atividades socioeconômicas, fundamental para a preservação dos empregos e da renda da população potiguar.

Apesar do abrandamento da pandemia, permanece em vigor o uso obrigatório de máscara de proteção facial e obediência aos protocolos sanitários.

O funcionamento em desconformidade com o disposto no decreto será punido com a suspensão automática da autorização do evento ou do estabelecimento, sem prejuízo da aplicação de multa pecuniária aos organizadores.

Portarias

Todas as portarias conjuntas que já foram publicadas em 2020 e 2021 falam dos protocolos específicos para bares, restaurantes, shoppings, comércio, vaquejadas, dentre outros. Vários segmentos econômicos têm seus próprios protocolos, como os destinados aos estádios de futebol – publicado em portaria nesta quinta-feira (16). Além dos protocolos específicos, tem o protocolo geral, que é a Portaria Conjunta Nº 002-2021, de 19.03.2021 (http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/gac/DOC/DOC000000000253567.PDF).

As portarias específicas podem ser encontradas no site do Gabinete Civil do Estado –

http://www.gabinetecivil.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=CATALG&TARG=280&ACT=&PAGE=0&PARM=&LBL=Portarias+Secret%E1rio

Desde o início da crise sanitária no estado, foram publicados aproximadamente 61 decretos relacionados ao enfrentamento da pandemia do coronavírus. Todos os decretos podem ser encontrados no site do Governo do RN –http://www.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=227627&ACT=&PAGE=&PARM=&LBL=Reportagens

Opinião dos leitores

  1. Imagine 600 pessoas – vacinadas – reunidas e entra uma pessoa sem vacina. Qual o risco para os vacinados?? Com essa medida o governar declara NÃO ACREDITAR QUE VACINA FUNCIONE

    1. Tomei as duas doses, mas no +vacina só foi registrado a primeira.
      Apesar de já ter contactado já enviei cópia da minha carteira de vacinação.
      Segue na mesma
      Ou seja não consigo o passaporte.
      Quantos devem está na mesma situação?

    2. Imunidade pode evitar que vc venha a ser entubado ou venha a obito, mas não que vc propague a doença. O povo nao intendhiii, aff.

    3. E essas vacinas não impedem a contaminação NEM a transmissão do vírus. A função alegada para elas é simplesmente amenizar a ação do vírus. Obrigar a vacinação é algo absurdo, fruto de intenções arbitrárias, ditatoriais.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *