Política

Site nacional que destaca desempenho de parlamentares coloca Carla Dickson como a melhor avaliada no RN e Natália Bonavides como menos atuante

O desempenho dos parlamentares pelo país através do site https://www.politicos.org.br/Ranking destaca os representantes do Rio Grande do Norte, deixando o estado na quinta posição, com uma nota de 5,88. O site aponta em primeiro lugar, como a mais atuante, com 7,09 a deputada federal Carla Dickson (PROS), em quase toda as avaliações do site, em 2021. Em destaque como a deputada menos atuante está Natália Bonavides (PT), no fim da fila com nota 2,78.

O site foi criado através de uma iniciativa popular, com o objetivo de avaliar a atuação, em Brasília, dos 513 deputados e 81 senadores por meio de pontuações que avaliam votações, presença em plenário, economia, corte de privilégios e anticorrupção.

Com acréscimo de Grande Ponto

 

Opinião dos leitores

  1. P.T. = perda de tempo.
    Alguém tinha expectativa de que essa aloprada fosse trabalhar? De vez em quando solta alguma pérola pra ser lembrada, mesmo sem saber sequer o que está falando.
    Por que somos um estado tão atrasado e pobre, mesmo com tantas riquezas?
    A esquerda, a começar pela comedora de pipoca, insiste pra transformar isso aqui na Venezuela. Essa deputada pertence a esse grupo.

  2. Estão cogitando o nome dessa deputada pra sondar se ela poderia ser candidata ao governo estadual próximo ano… Tem que ter um nomezinho melhor pq senão Fátima vai se reeleger…
    O Senador Styvenson Valentim seria um nome melhor para tirar a governadora atual…

  3. Natália Bonavides foi eleita Deputada pelo PT. Alguém esperava que a sua atuação fosse diferente? Já era esperado. Desde quando o PT trabalha em prol da população? Só tem um objetivo: através do “barulho” querer implantar o comunismo no Brasil.

  4. Nenhuma surpresa! A deputada “Patricinha Bolivariana” – Natália, não trabalha, não gosta de trabalhar e odeia quem o faz. Não tem nenhum projeto de relevância; nunca fez nada pelo RN e pior vive de invadir terras e de fazer “posts” nas redes sociais.
    Infelizmente será reeleita com folga, mas é esse tipo de parlamentar que se compactua com a nossa (des)governadora… Baixíssimo Nível

  5. Natália?essa sem noção que fica toda hora movendo ação contra o presidente?ela é bem atuante nas manifestações vermelha que acontece por aí,parou de invadir gerras porque o presidente notou freio mais ela adora essas coisas.

  6. Incrível né…Carla Dickson sendo destaque kkkkkkkkkkk
    Já a Natália que já foi manchete da CNN, JN entre outros com ações no STF e PGR e vários projetos…não se destacou sengundo o tal site..mais a deputada dos likes Ivermectina Sim..

  7. Essa Nathália Bonavides é um projeto falido, uma vergonha para o estado e para a classe politica, uma sem noção que não faz nada relevante para a população, quer aparecer de qualquer forma.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Site de namoro cristão exige submissão ao marido e proíbe “fornicação”

Foto: Shutterstock

O Dominion Dating, plataforma norte-americana criada pelo pastor Brandon Durham, do Texas, Estados Unidos, propõe algo diferente do que os aplicativos de paquera convencionais costumam oferecer. Nele, solteiros cristãos podem encontrar sua cara metade, mas tudo sob as tradições definidas na Bíblia.

O acordo de adesão causou polêmica entre movimentos feministas. Isso porque o usuário tem que se comprometer com a “liderança masculina” da família, “acreditando que Deus dotou os homens com autoridade real e limitada para governar bem para o bem da humanidade”, diz o site.

Já as mulheres, ainda de acordo com os termos de adesão, devem assumir seu “domínio no lar como dona de casa e companheira, em alegre submissão a um marido”. Além disso, os casais formados através do aplicativo devem “ser frutíferos e se multiplicar”, conforme decretado na Bíblia.

E, é claro, a pureza sexual é essencial para a plataforma. Por isso, “fornicação, assistir pornografia, vestir-se com sensualidade ou falta de recato e ter pensamentos lascivos” são coisas proibidas para os solteiros.

IG

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bug do Carrefour: Problema em site faz empresa vender produtos abaixo do preço

Foto: REUTERS/Régis Duvignau

Já pensou em comprar uma televisão de 43 polegadas por R$ 400? Ou uma máquina de lavar grande por R$ 398,90? Parece até mesmo uma brincadeira de 1º de abril. Mas não foi isso o que aconteceu: o site do Carrefour apresentou problemas na manhã desta quinta-feira (1) e diversos de consumidores aproveitaram disso para fazer várias compras no site do varejista.

Os descontos eram, de certa forma, inimagináveis mesmo se fossem em uma Black Friday: como uma geladeira Brastemp Duplex de R$ 2.449 por R$ 419,90. Ou um smartphone Samsung Galaxy S20 de R$ 4,443,33 por R$ 419,90.

Procurado, o Carrefour confirmou que se tratou de um problema interno e que se manifestará mais tarde. Foi criado um comitê interno para lidar com o problema.

O Procon-SP notificou a empresa para entender o que aconteceu. Entre os pedidos de esclarecimento estão os produtos que foram afetados, a quantidade de consumidores que fizeram a compra e qual foi o motivo desses preços tão baixos.

A empresa pode não entregar?

Para Guilherme Farid, chefe de gabinete do Procon-SP, a empresa é obrigada a cumprir com todas as vendas segundo o Código de Defesa do Consumidor. Mas existe um porém: o bom senso. Segundo Farid, quando um “erro grosseiro” é detectado, a empresa pode não cumprir com a entrega do produto.

“Erros acontecem. O ponto principal para analisarmos a situação é o bom senso. É a norma de direito: não está escrito em nenhum lugar, mas está presente em todos”, diz Farid.

Por isso, na visão do profissional do órgão de defesa do consumidor, cada produto será analisado caso a caso. No caso de descontos de maiores, como os citados aqui na reportagem, aparentemente, se tratam de erros grosseiros.

Porém, no caso dos produtos com descontos dentro do convencional, de cerca de 50%, que costumam ser comuns em datas promocionais, a história pode ser diferente.

Mas um cliente pode ir à Justiça se quiser receber o produto?

“A Justiça já teve a oportunidade de analisar esse tipo de problema e pode estabelecer o cumprimento forçado. Porém, o juiz equaliza a leitura do caso com a questão da razoabilidade e do bom senso”, diz Farid. “A Justiça vai ouvir as declarações da empresa para entender o caso.”

Nas redes sociais, os próprios consumidores admitiam que os preços estavam muito fora do normal. Alguns já começam a publicar que as compras foram canceladas.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Levando em consideração esses acontecimentos, até a nota divulgada pelo Procon de São Paulo, qual o caminho que podemos trilhar, para conseguir ficar com os pedidos? Justiça, ou outro tipo de reclamação, até através do Procon de SP?
    Se levarmos em consideração a nota divulgada pelo próprio Procon, qual o melhor caminho para conseguir o direito a ficar com os produtos comprados?
    Existe um sistema de recompensas criado pelo Carrefour, que não cancelou minha recompensa, mesmo eles cancelando a compra.
    O Carrefour ainda enviou vouchers de 50,00 reais para cada cliente que efetuou a compra, e teve seu pedido cancelado.
    Enfim, o que fazer para ter direito a receber o produto adquirido?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

SE A IDEIA VINGA PELO PAÍS, EM: Ação de Defensorias e MPs pede publicação da lista de vacinados no site da prefeitura de Manaus

Foto: Ilustrativa

As Defensorias Públicas do Estado do Amazonas (DPE-AM) e da União (DPU), em conjunto com os Ministérios Públicos Federal (MPF), Estadual (MPE), de Contas (MPC) e do Trabalho (MPT), ingressaram na noite de quinta-feira (21) na Justiça Federal com pedido para que a prefeitura de Manaus seja obrigada a informar, diariamente, a lista de pessoas imunizadas com a vacina contra a Covid-19.

Ao G1, a assessoria do MPF explicou na manhã desta sexta-feira que os órgãos entraram na Justiça justamente porque a prefeitura não entregou as informações solicitadas na quinta-feira (21).

Na ação, o governo municipal deve repassar à Justiça Federal os nomes das pessoas vacinadas até 19h, além de expor a informação no site da própria prefeitura até 22h, todos os dias, “com identificação de nome, CPF e local onde foi feita a imunização”.

Segundo o defensor público Arlindo Gonçalves, do Núcleo de Defesa da Saúde, a ação é uma resposta às denúncias de irregularidades de vacinações em profissionais de saúde fora do grupo prioritário. Por causa das denúncias, a vacinação chegou a ser suspensa na quinta-feira (21) para uma reformulação.

Os órgãos pedem aplicação de multa diária e pessoal ao prefeito de Manaus, David Almeida, no valor de R$ 100 mil, em caso de descumprimento.

Lista de vacinados

Na noite de quinta-feira (21), o prefeito David Almeida afirmou que entregou a relação das pessoas que serão vacinadas. O G1 solicitou informações sobre a lista e a retomada da vacinação, mas a prefeitura ainda não se manifestou.

“Essa informação está com os órgãos de controle, nós entregamos a lista de todas as pessoas vacinadas, com CPF, todas as suas qualificações, qual a unidade de saúde que trabalha, qual sua profissão, qual seu envolvimento com o trabalho de combate à covid-19”, afirmou.

Ainda durante a coletiva, o prefeito de Manaus disse que o Governo do Amazonas indicou 19 unidades de saúde para que os a aplicação das doses seja retomada nesta sexta-feira (22). “Temos 19 unidades. Todas selecionadas e indicadas pelo o governo. A prefeitura só vai lá e faz a vacinação”, disse Almeida.

Nesta quarta-feira, o Governo do Amazonas havia informado que não vai se responsabilizar pela controle da vacinação no estado. Em nota divulgada em redes sociais, o governo afirma que a vacinação e o controle das pessoas que recebem as doses são responsabilidades das prefeituras.

Sobre o governo indicar os locais de vacinação em Manaus, o G1 solicitou posicionamento do órgão, e aguarda resposta.

Suspeita de fraude

O Ministério Público Federal (MPF) requisitou ao município de Manaus, nesta quinta-feira (21), informações para apurar a suspeita de fraude na destinação de doses do primeiro lote de Coronavac para vacinação no Amazonas.

O Tribunal de Contas exigiu também que o governo estadual e Prefeitura de Manaus encaminhem uma lista nominal das pessoas já imunizadas contra a Covid-19 e os critérios utilizados para vacinação. Outros órgãos de controle também recomendaram a elaboração de listas nominais com a identificação de todos os que deveriam receber a imunização.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Numa fazenda próxima da nossa, o fazendeiro também solicitou ao aplicador, uma relação dos bichos que foram vacinados esta semana. Isso é normal.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Site de avaliações de cannabis fecha acordo de US$1,5 bilhão para abrir capital

Foto: Sudheir Kumar/Pixabay

A WM Holding Company, empresa de tecnologia de cannabis que opera a plataforma online Weedmaps, na qual usuários encontram e avaliam vendedores de maconha, disse nesta quinta-feira que abrirá capital por meio de uma fusão com a Silver Spike Acquisition.

O negócio, que avalia a empresa em cerca de 1,5 bilhão de dólares, é um raro exemplo de uma listagem do setor de cannabis em uma bolsa de valores dos Estados Unidos.

As empresas não podem listar ações nos EUA se seus negócios envolverem a venda de maconha, o que a Weedmaps não faz.

“Quando você olha o que estamos oferecendo (aos investidores), não há muito quem faça isso”, disse o presidente-executivo da WMH, Chris Beals, em entrevista.

A Weedmaps, com sede na Califórnia, foi fundada em 2008 por Doug Francis e Justin Hartfield e vende um sistema operacional baseado em nuvem para varejistas de cannabis, bem como hospeda uma plataforma de análise e avaliações dos vendedores.

A empresa espera receber o valor bruto de até 575 milhões de dólares da operação, em parte da quantia que a Silver Spike havia levantado, além de 325 milhões de dólares de um investimento privado em ações listadas, ou Pipe. Os investidores no Pipe incluem fundos da Federated Hermes Kaufmann Funds, Senvest Management LLC e AFV Partners.

A Silver Spike é uma empresa de aquisição de propósito específico, que capta recursos em uma oferta inicial (IPO) com o objetivo de comprar uma empresa, que torna-se listada como resultado da operação e é uma alternativa ao processo tradicional de IPO.

As ações da Silver Spike subiam mais de 20% no início da sessão dessa quarta-feira.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Imagina se o Brasil legalizasse… com o nosso potencial agrícola e com o fim do tráfico o país ia disparar

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: Pastora deixa igreja para trabalhar em site adulto e fatura por mês aproximadamente R$ 560 mil

Foto: Reprodução/Instagram

A ex-pastora Nikole Mitchel, de 36 anos, cresceu em família batista no estado de Ohio, nos Estados Unidos, mas, aos 33 anos, abandonou a igreja e decidiu se libertar, trabalhando para o site OnlyFans, popular na indústria do entretenimento adulto. Entre 2001 e 2007, ela conta que não se envolveu com homem, para se dedicar exclusivamente às atividades da igreja. As informações são do portal UOL.

“Eu parei de me encontrar com homens totalmente. Era horrível ficar com garotos no colégio, no sexo da adolescência não sabemos exatamente o que estamos fazendo. Decidi parar de ver qualquer um durante meu período na universidade”. À época, ela acreditava que sexo antes do casamento era errado e, como não queria “se desentender com Deus”, preferiu não se encontrar com ninguém.

 

Ver essa foto no Instagram

 

You can say no. An old friend reached out to me asking if I wanted to join her business. This friend has a beautiful soul, so I know whatever business she has, it must be equally beautiful. Even still, I knew my answer right away: “No.” I thanked her for thinking of me, & that I am grateful to be fully living out my purpose & don’t have interest in joining her business. I wished her the best, told her she deserved it, & meant every word. /// The old Nikole would have freaked out at (a) saying no & (b) for being so direct about it. But this Nikole? This Nikole felt good about it. I know who I am. I know what I am here to do. And there’s no need to feel guilty about that. /// She messaged me back, & you know what she said? “Thank you.” In fact, she said: “Thank you for actually giving me an answer. You have no idea how much I love that. So many people say, “I’ll look at it and see” but I know they really mean no but they can’t come out & say it. So thank you. And thank you so much for your verbal support. It means a lot.” /// Me saying no didn’t make me a bad person or ruin her day. In fact, it blessed her day! And it blessed mine that she would think I’d be a good fit for her business (that’s a compliment!) & take the time out of her busy life to message me. The moral of the story? You can say no. You’re allowed to say no. People are blessed by your no. And you both can move on with your day with clean energy, zero guilt & without an empty promise hanging over your head. And you’ll feel much, much better for it. ❤️❤️❤️ P.S. Did you know I’m hosting a LIVE training this coming Monday to spill the beans (wow, haven’t said that in ages) on how I grew my IG following from 900 to 10,000 in just a matter of months? It’s true! No ads. No boosting. No paid followers. I grew my following organically, authentically, & consistently – with 1,000+ new followers every month! And I want the same thing for you! Bigger platform = bigger reach, more opportunities, & a whole lotta open doors! Join me Monday to learn all about it! Link in bio! ?: @archlenzphotography

Uma publicação compartilhada por Nikole Mitchell (@mitchellnikole) em

Nikole entrou no seminário logo depois de se formar na faculdade. Após entrar em uma igreja evangélica, ela começou a se preparar para virar pastora. “Eu senti como se tivesse encontrado minha vocação”, diz Nikole. Nesse período, ela se casou com John em 2009, teve três filhos com ele e, depois de um tempo, se separou. Ela começou a ficar desiludida com a profissão e até se questionou se era bissexual.

Desde o ano passado, Nikole começou a postar fotos íntimas no site OnlyFans, no qual os usuários pagam para receber conteúdos exclusivos. Ela fatura cerca de US$ 100 mil (aproximadamente R$ 560 mil) por mês. A mulher se diz realizada com a nova forma de viver: “Eu honestamente acho que nasci para tirar a minha roupa, parece uma chamada”.

O Dia – IG

Opinião dos leitores

  1. Segundo a matéria ela não era pastora. Mas tudo isso estava previsto que iria acontecer, e é só o princípio.

  2. Agora, infelizmente, ela vai está escrava de "senhores" que só pensam em lucrar com a desgraça alheia. São aproveitadores, sem nenhum amor por seu semelhante e que na maioria das vezes levam milhares de jovens ao alcoolismo e as drogas, chegando até a morte.
    É isso que vocês chamam de "felicidade"? "liberdade"?
    A Verdadeira liberdade e felicidade encontra-se em Jesus! E conhecereis e a verdade vos libertará – João 8.32.
    Disse Jesus: Eu sou o caminho, e a VERDADE, e a vida…

  3. Com ctz fez a escolha certa! Melhor que viver reprimida e diante dos falsos moralistas! Por sinal uma pastora gata viu!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Justiça Potiguar vira destaque nacional após O Antagonista reproduzir conteúdo do site

O Site O Antagonista reproduziu nesta quarta-feira(14) o Justiça Potiguar, com a matéria ” Justiça Eleitoral condena candidato Fernando Pinto por uso de perfis falsos contra Kelps Lima “.

Com o título “Justiça Eleitoral condena candidato do Novo que criou perfis falsos para atacar adversário“, O Antagonista destacou a decisão da juíza Hadja Rayanne, da 3ª Zona Eleitoral de Natal, que condenou o candidato a prefeito Fernando Pinto (Novo) a pagar multa de R$ 5 mil por criar perfis falsos para atacar o adversário Kelps Lima (Solidariedade).

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

Brasil é o 2° país com mais inscritos em site de traição desde o início da pandemia

Foto: Pond5

A Ashley Madison registrou um aumento diário de 19 mil novos usuários desde o início do isolamento social, devido à pandemia do coronavírus. O site de traição é conhecido por ajudar pessoas comprometidas a marcarem encontros casuais e já conta com mais de 65 milhões de usuários no mundo inteiro. Aqui, no Brasil, a plataforma também tem feito sucesso e conseguiu mais de 4.226 inscritos no período de março a junho deste ano, atrás apenas dos Estados Unidos no número de novos cadastros.

Com um passado polêmico, que envolve até mesmo um grande vazamento de dados em 2015, o site de relacionamentos extraconjugais atualmente propõe uma experiência discreta e honesta. A Ashley Madison pode ser acessada por meio de aplicativos para celulares Android e iPhone (iOS) e pelo site, na versão web. O TechTudo conversou com Paul Keable, diretor de estratégia da rede social, que falou sobre o bom momento da empresa durante a quarentena e quais são as perspectivas para o futuro.

Novos usuários na Ashley Madison durante a quarentena

Durante a quarentena causada pela pandemia de Covid-19, a Ashley Madison experimentou um aumento no número de novos usuários. Se em fevereiro eram realizados 15 mil novos cadastros por dia, agora, a plataforma recebe cerca de 19 mil pessoas diariamente. Além disso, chama atenção o fato de que o Brasil é o segundo país em números de novos assinantes no mundo todo, atrás apenas dos Estados Unidos.

Embora o grande número de novos usuários possa surpreender, a Ashley Madison já esperava um aumento nos cadastros durante a pandemia. O diretor de estratégia Paul Keable explica que o comportamento dos assinantes foi semelhante ao que é observado no início de todos os anos. Ele acredita que a quarentena, assim como costuma acontecer nos feriados de final do ano, acabou expondo problemas de convivência em muitos relacionamentos e, a partir daí, algumas pessoas tomaram a decisão de ir em busca da sua felicidade.

“Quando as pessoas passam as festas de fim de ano com suas famílias, diversos problemas de convivência acabam sendo expostos ou ficam mais evidentes. Assim, no início do ano, muitos decidem fazer mudanças em suas vidas para serem mais felizes. Nas primeiras semanas de quarentena, houve uma queda no número de novos usuários, como uma reação às mudanças profundas e sem precedentes que aconteceram no mundo. No entanto, conforme o tempo passou, a convivência direta com os parceiros fez muitas pessoas perceberem que suas necessidades já não combinavam mais. Por isso, elas fizeram escolhas que as deixassem mais felizes”, explica o executivo.

Nesse sentido, a rede social se apresenta como uma alternativa segura para conhecer outras pessoas sem sair de casa ou, caso queiram, ao mesmo tempo, continuar com seus parceiros. Por conta disso, o site acredita que o número de novos cadastros vai continuar crescendo entre os próximos seis e dez meses, devido ao isolamento social provocado pela pandemia.

Outra percepção baseada no comportamento dos usuários da Ashley Madison é que a maioria das pessoas está satisfeita com seus parceiros e não deseja se divorciar, mas busca no app algo que está faltando em seu relacionamento. Pesquisas feitas pelo site em parceria com a Universidade do Missouri, nos Estados Unidos, apontam que mais de 80% das mulheres presentes na plataforma estão insatisfeitas com os seus parceiros e desejam movimentar a vida sexual com outras pessoas. Já os homens são motivados pela falta de intimidade física na relação e pela busca da satisfação emocional.

Especialmente nessa época de pandemia, Paul Keable acredita que os usuários procuram por uma forma de fazerem novas conexões, embora nem sempre possam se ver pessoalmente por conta do isolamento social. “Alguns dos membros encontram pessoas em situações semelhantes para discutir seus problemas e aliviar a tensão. Outros planejam eventos futuros para quando as pessoas puderem se ver novamente, algo que já vem acontecendo em algumas regiões do mundo”, conta o diretor de estratégia da empresa.

Como funciona a Ashley Madison

A plataforma, criada em 2001, tem o objetivo de proporcionar uma experiência mais discreta e honesta na busca por um relacionamento, por isso, é bastante procurada por quem deseja ter um caso extraconjugal. Para fazer o cadastro, não é necessário nenhum vínculo com outras redes sociais como Facebook ou Twitter. Inclusive, por questões de segurança, é recomendado que a inscrição seja feita com uma conta de e-mail pessoal. Além disso, também é possível adicionar fotos com o rosto embaçado ou até mesmo classificá-las como privadas, assim, apenas algumas pessoas selecionadas poderão visualizá-las.

De acordo com o site da Ashley Madison, a assinatura para mulheres que estão a procura de homens é gratuita e sem restrições. Já homens interessados em mulheres e outras mulheres que buscam uma relação com o mesmo sexo começam como “membros convidados”. Nesse caso, eles podem apenas visualizar perfis, enviar e receber fotos ou enviar “piscadas”. Caso queiram iniciar uma conversa, é preciso pagar uma taxa para ter acesso a todos os recursos disponíveis, assim como para usar o aplicativo para celulares. O serviço oferece uma degustação durante 30 dias. Após esse prazo, o pagamento pode ser feito por meio de um cartão de crédito ou PayPal.

No plano mais barato, é feito uma compra de créditos que só serão gastos caso o homem inicie uma conversa, sendo possível ler e responder mensagens enviadas por mulheres gratuitamente. O pacote também permite continuar conversas com outros membros já contatados antes por 30 dias sem cobranças adicionais.

Caso opte pela assinatura premium, o usuário terá acesso a recursos extras, como ter o perfil em destaque nos resultados de busca e enviar mensagens classificadas como “prioritárias”, que aparecerão no topo da caixa de entrada do destinatário. Além disso, se a pessoa tiver uma viagem marcada, pode visualizar perfis de moradores do local, função similar ao Passaporte, do rival Tinder.

Para Paul Keable, o diferencial do Ashley Madison em relação a outros serviços de paquera é a possibilidade de ser honesto e ser você mesmo, já que os usuários não acessam o serviço procurando por relacionamentos sérios. Até mesmo os solteiros que entram na rede social sabem que as pessoas ali presentes estão em busca de algo mais casual. Além disso, elas não precisam fingir que são solteiras quando, na verdade, estão comprometidas.

“Quando você vai a um site tradicional de relacionamentos, você tenta apresentar sua melhor versão para encontrar um parceiro. No Ashley Madison, as pessoas não fazem isso. Elas chegam e falam: ‘Isso é o que eu sou e isso é o que eu estou procurando. Se você não tem essa característica específica, não significa que você não é uma boa pessoa, só não tem a coisa certa para mim’. Elas tentam preencher algo que está faltando”, opina o executivo sobre o perfil dos usuários.

Polêmicas e vazamento de dados

Em 2015, a Ashley Madison esteve no centro de uma grande polêmica. O “site de traição” foi vítima de um grande vazamento de senhas obtidas por hackers que expuseram perfis de 11 milhões de usuários na Internet. Além disso, a plataforma foi acusada de cadastrar perfis femininos falsos para atrair novos membros.

Recuperar a confiança dos usuários foi difícil e exigiu algumas mudanças na empresa. “Quando você perde a confiança de alguém, leva muito tempo para recuperar a parceria. Atualmente, nós vemos a segurança como um trabalho diário e que não pertence apenas a um time. Os funcionários entendem que a segurança é um trabalho de todos. Então, hoje nós temos melhores tecnologias e processos, além de uma melhor percepção sobre como entregamos segurança e privacidade para os membros”, explica Paul Keable.

Apesar da crise no passado, a empresa acredita que os investimentos em novos recursos e segurança vêm dando certo, visto o crescente número de pessoas inscritas na Ashley Madison e as boas previsões para o futuro.

Globo, via Techtudo

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

Detran disponibiliza emissão de CRLV Digital pelo site

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) disponibilizou em seu site oficial a versão eletrônica do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV Digital). Agora, os usuários que estiverem com o Licenciamento anual do veículo quitado poderão solicitar a emissão do documento em pdf diretamente no site www.detran.rn.gov.br e imprimir em papel comum tamanho A4. Isso pode ser feito de qualquer impressora de forma online, sem precisar se dirigir às unidades do Detran.

O novo serviço vem para se somar a opção de baixar o documento por meio do aplicativo Carteira Digital de Trânsito (CDT), disponível no Rio Grande do Norte desde o mês de março. Quando as taxas referentes ao licenciamento e IPVA são pagas, o aplicativo atualiza e permite a emissão e a impressão do documento. A partir de agora, esse procedimento também é possível através do site, tanto para pessoas físicas como jurídicas. No aplicativo CDT, apenas pessoas físicas podiam fazer a emissão.

De acordo com o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o CRLV Digital somente será expedido após a quitação dos débitos relativos a IPVA, encargos e multas vinculados ao veículo, bem como o pagamento da Taxa de Bombeiros e do Seguro DPVAT. A versão eletrônica do CRLV traz todas as informações do documento impresso e tem a mesma validade jurídica do certificado físico. A autenticidade do documento é garantida pelo QR Code, que pode ser lido para verificar se há alguma falsificação no documento durante uma fiscalização de trânsito.

Passo a passo

Veja o passo a passo de como baixar o CRLV Digital diretamente do site: Clica no ícone “CRLV Digital (CRLV-e)”,Após digitar as informações solicitadas (placa/renavam/n° do CRV/CPF ou CNPJ): o cidadão (CPF) e as instituições públicas ou privadas (CNPJ), ao clicar em imprimir, será gerado o CRLV-e em formato pdf.

Opinião dos leitores

  1. Não está funcionando. Digitei todas as informações corretamente, mas, quando mando imprimir, diz que as informações estão incorreta. Tentei várias vezes, e nada…

  2. Já tentei várias vezes imprimir e não dar certo, ponho todas as informações corretas e na hora de imprimir não gera o documento.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: Site que permite vender nudes cresce no Brasil e amplia mercado de ‘influencers do sexo’

Brasileiros que criaram perfis no OnlyFans (da esquerda): a ‘web-stripper’ Aurora, a youtuber Lu Cremonez, a ‘camgirl’ Thamires Moura, a atriz e modelo Iara Ferreira e o escritor Fabrício Viana — Foto: Reprodução / Instagram — Foto: Reprodução / Instagram e Arquivo Pessoal

Quem pedir “manda nude” agora pode ganhar de volta uma tabela de preços. A quarentena aumentou o sucesso de um site que já crescia ao permitir que uma pessoa venda o acesso às suas imagens: o OnlyFans.

É uma rede social em que o dono do perfil pode cobrar pelo acesso aos posts, em assinatura mensal ou venda avulsa. Funciona para qualquer conteúdo exclusivo, de músicas a aulas, mas basta entrar e ver que a maioria está ali para vender seus nudes.

O OnlyFans surgiu na Inglaterra em 2016, e ganhou “influencers do sexo” no vácuo das restrições de outras redes. Se no Instagram a nudez é barrada, na nova rede ela é livre e ainda rende dinheiro – tudo restrito a maiores de 18 anos com cadastro do site.

O nome virou pop. Beyoncé o citou na faixa “Savage”, com Megan Thee Stalion, lançada no dia 29 de abril.

“Na hora da maldade é capaz de ela criar uma conta no OnlyFans”, canta Beyoncé.

A socialite Blac Chyna tem o OnlyFans mais famoso nos EUA. Ela é ex-namorada do empresário Rob Kardashian, participou do programa de TV da família e até teve seu próprio reality. Hoje, cobra US$ 50 (cerca de R$ 245) pela assinatura mensal do seu perfil (cinco vezes mais que a média do site).

No Brasil, o OnlyFans tem um site mal traduzido. A página inicial se chama “Casa” e o botão para gorjetas se chama “Deixar dica” (tradução errada do inglês “tip”). Mesmo assim, ele cresce.

Explosão na quarentena

A busca na internet por “OnlyFans” no Brasil dobrou do meio de março, quando começou o período de isolamento social, ao início de junho. A empresa não divulga números, mas diz que o Brasil é um mercado em expansão. Já há 5 mil perfis brasileiros de “criadores de conteúdo” ativos.

Em outras redes sociais dá para ver que o site também virou assunto pop no Brasil. São comuns no Twitter piadas do tipo “se não conseguir pagar meus boletos, vou ter que criar meu OnlyFans”.

Mas quem são as pessoas que tiram a roupa no OnlyFans? E, com tanto conteúdo erótico gratuito na internet, como é que tem gente pagando por isso? O G1 conversou com cinco donos de páginas no site para entender.

Os perfis são diferentes, mas todos notam uma busca por intimidade: mais do que uma imagem sexual qualquer, os seguidores querem uma conexão com o tal nude.

De musa a professora de OnlyFans

Iara Ferreira — Foto: Reprodução / Instagram

Um exemplo de influencer que foi do Instagram ao OnlyFans é a catarinense Iara Ferreira. Com mais de 440 mil seguidores no Instagram, ela já foi musa da Acadêmicos do Tucuruvi, ganhou o concurso Musa do Brasil em 2017 e atua em pegadinhas de programas de TV.

“Nunca pensei em participar e até tinha um preconceito por quem tinha canal no OnlyFans”, diz Iara. Mas, durante a quarentena, ela diz que refletiu e mudou de ideia. “Cheguei à conclusão de que a opinião dos outros não importava para mim.”

Iara afirma que ganhou R$ 30 mil no primeiro mês com o canal. Isso pode dar uma falsa impressão de que o site gera dinheiro fácil. Mas ela tinha uma grande vantagem: a base de centenas de milhares de fãs no Instagram – os mais animados toparam pagar pelo conteúdo extra.

Agora, ela quer outra fonte de renda: está começando a produzir um curso para dar assessoria a pessoas que querem criar perfis no OnlyFans.

“A sociedade ia me julgar de qualquer forma, isso não mudou nada. O que mudou foi minha conta bancária”, diz Iara.

Escritor curioso

Fabrício Viana — Foto: Reprodução / Instagram

Fabrício Viana, 42 anos, é blogueiro e escritor, ligado ao universo LGBT de São Paulo. “Sempre gostei de falar sobre assuntos ligados a comportamento, psicologia e sexualidade. Percebi que muita gente estava criando um OnlyFans e resolvi criar”, ele diz.

Ele já notava a demanda antes de o site existir. “Há alguns anos eu via perfis em grupos de WhatsApp com anúncios do tipo ‘vendo meus vídeos eróticos’. Achava estranho. Mas a gente nunca julga. Com o OnlyFans, parece que a pessoas que faziam isso começaram a se profissionalizar.”

Fabrício encara os vídeos como experimento paralelo aos livros e ao blog. Diz que já ganhou US$ 184 (cerca de R$ 900), e ficou surpreso com a velocidade. A base antiga de leitores pode ter ajudado no resultado. Mas ele também notou como é um trabalho difícil.

“Como não é meu ‘ganha pão’, eu criei por criar, percebo que preciso dar mais atenção pras pessoas que se inscrevem, pagam e querem conteúdo atualizado”, relata.

‘Procuram também por companhia’

Thamires Moura — Foto: Arquivo Pessoal

Thamires Moura, de Angra dos Reis (RJ) tem 25 anos e é “camgirl”. Usar uma câmera em casa e cobrar individualmente para aparecer é uma saída comum na indústria erótica, desde que os grandes sites de vídeos gratuito tomaram o espaço de produtoras comerciais.

Com o nome Folgosa, ela foi atrás do público internacional. Fez o perfil em inglês, está estudando mais a língua, e achou seguidores fora do país. Ela usa o OnlyFans desde fevereiro e diz que o site já representa um terço de sua renda. A quarentena aumentou a demanda.

“Notei que durante esse tempo em casa muitos estão me procurando não apenas para interação sexual, mas também para uma companhia . Ate criei um plano de assinatura novo para fazer companhia através de mensagens e vídeos”, diz Thamires.

Ela montou um guia de beleza para mulheres fora do padrão, e vê no OnlyFans um espaço positivo. “Só será assinante aquele que se sentir atraído pelo biotipo, sem julgamentos e preconceitos. As mulheres têm que aprender a se amar e se valorizar. Hoje eu não sofro mais com esse ‘público limitado'”.

‘Web-stripper’

A paulistana Aurora, de 25 anos — Foto: Arquivo pessoal

“É como se fosse um Twitter. Eu já tenho Twitter há seis anos, mas é de graça. Agora eu tenho um pago. Posso postar o que eu quiser, na hora que quiser, e ainda ganho com isso”, diz a paulistana Aurora, de 25 anos.

Ela diz que 19 anos trabalha como “web-stripper”, como define. Nunca trabalhou com produtora de vídeos, o que é cada vez mais comum entre profissionais do mercado erótico. É cada um por si.

Ela abriu a conta no OnlyFans após fazer um ensaio no site Suicide Girls, aproveitando a repercussão das fotos. “Em um mês, a conta cresceu muito”, conta Aurora. “Está na moda, todo mundo usando”, ela resume.

Sonho da ‘Playboy’ própria

Lu Cremonez — Foto: Reprodução / Instagram

Lu Cremonez, 39 anos, é dançarina de uma banda de festas em Ribeirão Preto (SP), e tem um canal no YouTube chamado Papo Pink. Ao falar sobre a página no OnlyFans, cita um sonho que nunca realizou:

“Sempre tive vontade de sair em uma revista assim, com conceito, como “Playboy” ou “Sexy”. Mas esse meio é sempre por indicação. Então foi um jeito de fazer um trabalho que eu gosto e ganhar com isso.”

Lu pede para deixar claro que sua página tem “foco no sensual”. “Tem muitos que focam no ‘pornô’, até no sexo, porque lá pode colocar tudo, mas este não é meu foco”, ela explica. Os fãs que ela arrebanhou estão entre seus 22 mil seguidores no Instagram.

Para ela, o que atrai um seguidor a assinar um perfil mais íntimo no OnlyFans é o seginte: “saber como é essa pessoa que parece próxima no Instagram, mas ao mesmo tempo não é”.

G1

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

TV Assembleia RN e site transmitem ao vivo coletivas sobre novo Coronavírus

Foto: Assessoria de Imprensa

Diariamente, a partir das 11h, a TV Assembleia RN (canal 51.3) e o site da ALRN (www.al.rn.leg.br) transmitem a coletiva de imprensa do Governo do Estado com informações atualizadas sobre o novo Coronavírus no Rio Grande do Norte. A divulgação das informações é mais um serviço prestado à população norte-rio-grandense que precisa ser bem informada sobre a realidade dos casos suspeitos, os casos confirmados e o número de óbitos no RN.

“O Poder Legislativo se une ao Executivo para cumprir sua missão com responsabilidade e transparência”, destaca o presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira (PSDB). Com as transmissões ao vivo, a população pode ter acesso imediato às informações mais recentes no Rio Grande do Norte, além de acompanhar as perguntas feitas pela imprensa que acompanha o comunicado e as respostas dos representantes da administração estadual.

Para o coordenador da TV Assembleia, Bruno Giovanni, a atuação do legislativo se aproxima ainda mais da população. “Chegamos à conclusão que a cobertura das coletivas da Secretaria Estadual de Saúde Pública, por parte da TV Assembleia, se faz mais que necessário não por ser um serviço de utilidade pública, mas pela necessidade de deixar a população cada vez mais informada e nesse caso de forma direta”, comenta.

Acompanhe as ações no site (www.al.rn.leg.br), nas redes sociais @assembleiarn e na TV Assembleia no canal aberto digital 51.3 (Natal e região metropolitana). Outras opções: na Cabotelecom (canais 9 e 109) e na Net, canal 16. Em várias regiões do estado, pode ser sintonizada pelo canal aberto digital 18.1.

ALRN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Empresa lança no Brasil site para mulheres que querem trair seus parceiros

Foto: iStock

Entra em operação hoje no Brasil um site voltado para mulheres casadas em busca de casos extraconjugais. O diferencial do Eveeda em relação a outras plataformas de traição já existentes, tais como o Ashley Madison, é a proporção igualitária entre homens e mulheres usuários. Segundo informações divulgadas pela marca, o algoritmo do site garante que, para cada mulher cadastrada, um novo homem pode entrar.

Além disso, para elas o serviço é gratuito. Já os homens, para participarem, devem adquirir um pacote de associação completo para enviar mensagens. O valor mínimo é de R$ 150 ao mês.

Penélope Nova é embaixadora do serviço. “Adoro novidades e o que me chamou a atenção foi o fato de este ser um serviço voltado para mulheres. A traição sempre existiu, inclusive a feminina. No entanto, os homens tinham mais permissão para admitir, ainda que indiretamente, que viviam relacionamentos extraconjugais. Já as mulheres são mais julgadas”, opina.

“Quando uma mulher quer trair, ela tem menos opções do que o homem: precisa recorrer a um colega de trabalho, um ex-namorado, alguém da academia. Isso a deixa vulnerável, porque são pessoas conhecidas e que podem colocar a estrutura de vida dela a perder, caso sejam descobertas. Com a tecnologia, fica mais fácil manter seus dados em sigilo, o que aumenta a sensação de proteção”, diz Penélope.

Segundo pesquisa feita pela marca com 700 pessoas, a principal motivação daqueles que buscam o serviço é a insatisfação sexual. A maioria diz que ama o cônjuge, mas que suas necessidades sexuais são incompatíveis. Muitos também garantem que desejam manter a família unida para agradar os filhos e apreciam a estabilidade financeira oferecida pelo casamento.

Outro destaque da plataforma, segundo a empresa, é que, ao deletar o perfil do site, todas as “pistas” deixadas pela usuária são deletadas, inclusive as mensagens trocadas com o eventual parceiro.

UOL

 

Opinião dos leitores

  1. É o fim… Um instrumento que poderia ser usado para outras conquistas, essa tal internet, vai destruir o mundo!

  2. Sobre os comentários qua sugerem uma "associação" entre "chifres" e certa ideologia política, cabe destacar que a coisa tem certa lógica. Que ideologia defende abertamente a descriminalização das drogas, a liberação do aborto, a pedofilia, as performances" públicas de cunho sexual (apelidadas de manifestações artísticas e culturais), as passeatas gays e tudo o que se faz publicamente por lá (alguém por aqui já procurou ver um pouco?), o enfraquecimento da família tradicional (inclui-se aqui o pátrio poder) e tudo o que se relaciona com perversão sexual, degradação moral e por aí vai? Claro que, onde há seres humanos, haverá desvios e más condutas. Mas, dá prá entender de que lado a "putaria" (perdoem o termo chulo) é muito mais frequente e bem-vinda. Kkkkkkkkkk

    1. Por favor vem com respeito exclua o fascista.
      Tem culpa nois se você é de esquerda.

  3. Mais um lançamento de quem tem mãe na zona.
    Muita coincidência na chegada por aqui da mãe dos esquerdopatas.

  4. Ultimamente está aparecendo de tudo para destruir as famílias. Não me admira que esse site tenha sido desenvolvido pelos esquerdopatadas integrantes do Fórum de São Paulo. Só essa galera tem esse interesse de revirar o mundo de ponta cabeça.

  5. Putaria deveria ter limites. Mas, como exigir decência do putismo? Difícil. O Apocalipse está cada vez mais perto……

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Jovem anuncia videogame em site de vendas e é morto a tiros em Natal após anúncio de assalto na entrega do produto

Foto: Ilustrativa

O portal G1-RN destaca nesta terça-feira(26) que um jovem de 23 anos foi assassinado na noite dessa segunda-feira (25) no bairro Planalto, Zona Oeste de Natal, no momento em que foi entregar um videogame que tinha anunciado em um site de vendas. De acordo com a reportagem, ao chegar ao local combinado, dois criminosos anunciaram o assalto, a vítima reagiu e foi morta com um tiro à queima roupa.

Além do produto, os marginais roubaram a motocicleta do rapaz, mas deixaram para trás o capacete e o celular. Confira matéria com todos os detalhes aqui.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

GAMES NOSTÁLGICOS: Site libera 2.500 jogos clássicos dos anos 1980 e 1990 de graça; veja

Internet Archive adiciona mais 2.500 games antigos de MS-DOS a seu acervo — Foto: Reprodução/Rafael Monteiro

O Internet Archive, site que armazena softwares antigos para preservá-los, adicionou 2.500 novos jogos da época do MS-DOS ao seu acervo. Usuários podem revisitar esses games nostálgicos ao jogá-los direto no seu navegador sem precisar instalar nada. Entre alguns dos títulos mais famosos estão Alone in the Dark, Night Trap, Secret of Monkey Island, Cadillacs and Dinosaurs, The Simpsons Arcade Game, The Incredible Machine 2 e até mesmo um antigo game brasileiro de tiro chamado “Incidente em Varginha” lançado em 1998.

A nova adição de jogos levou a lista total de games de MS-DOS do site para 6.934 títulos, com destaque para títulos que já estavam presentes como Prince of Persia, Sim City e Wolfenstein 3D. Os novos games vieram do projeto “eXoDOS”, um grupo com intenção semelhante ao Internet Archive de catalogar games antigos do MS-DOS e torná-los jogáveis atualmente. A grande diferença entre os dois projetos é que o eXoDOS oferece os jogos em um único pacote para download através de Torrents e não é tão prático quanto apenas jogá-los em seu navegador.

O curador dos softwares Jason Scott Sadofsky comentou que alguns dos jogos são um pouco pesados por já serem da época dos CD-ROMs, que normalmente permitiam até 640 MBs de armazenamento. Isso significa que mesmo ao serem executados no navegador do usuário esses jogos podem pedir arquivos grandes temporários para funcionarem de acordo.

Globo, via Techtudo e Polygon

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Site do Detran-RN expõe dados de aproximadamente 70 milhões de brasileiros com CNH, destaca portal de tecnologia

Aproximadamente 70 milhões de brasileiros tiveram os dados pessoais expostos no site do Detran; era possível encontrar dados sensíveis, inclusive do presidente Jair Bolsonaro e sua família

A venda de dados pessoais deixou de ser exclusividade no ambiente da Deep Web para ganhar a internet da superfície. Casos de vazamento de dados se tornaram corriqueiros e não apenas exclusividade de pequenas empresas, as quais não possuem estrutura suficiente para proteger os dados de seus clientes.

Com exclusividade, o Olhar Digital recebeu uma denúncia anônima sobre uma grave falha de segurança no sistema do Detran do estado do Rio Grande do Norte. A brecha expôs dados pessoais de aproximadamente 70 milhões de pessoas. Era possível obter, apenas com o número de CPF, outros dados pessoais como endereço residencial completo, telefone, operadora, dados da CNH (categoria, validade, emissão, restrição, registro), foto, RG, CPF, data de nascimento, sexo e idade.

A denúncia partiu de um pesquisador de segurança da informação, que explorou a falha por aproximadamente três meses e descobriu, por meio de testes com variados números de CPFs gerados aleatoriamente, a falha que dava acesso ao banco de dados completo dos Detrans de todo o Brasil – que têm seus sistemas integrados e unificados. Por se tratar de um banco de dados de base nacional, era possível obter dados de qualquer pessoa, inclusive de figuras públicas como o presidente Jair Bolsonaro e seus filhos, Wesley Safadão, Xuxa, Neymar, Eike Batista, entre outros.

O pesquisador, que contatou duas vezes o Departamento Nacional de Trânsito para notificar a falha, afirmou não ter obtido nenhum retorno do órgão. Na semana passada, ao tentar acessar o site novamente, descobriu que a página que retornava com os dados não mostrava mais informações da ficha cadastral, mas continuava ativa e, assim, passível de ser acessada e explorada por algum invasor.

Aparentemente, o Detran corrigiu a brecha do sistema, visto que as tentativas não retornam mais páginas com dados dos cadastrados. O Olhar Digital tentou, por diversas vezes, entrar em contato com o Detran-RN, mas até o momento da publicação desta matéria, não obteve resposta.

Olhar Digital

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *