Pesquisa CNI/Ibope: para 66% dos brasileiros, situação econômica do Brasil vai melhorar ou melhorar muito a partir do ano que vem

Para 66% dos brasileiros, segundo pesquisa CNI/Ibope, a situação econômica do Brasil vai melhorar ou melhorar muito a partir do ano que vem.

Já 69% acreditam que a própria vida vai melhorar ou melhorar muito com o governo de Jair Bolsonaro. Os problemas que mais vão melhorar, segundo os entrevistados, são a segurança pública (43%), a corrupção (37%) e o desemprego (36%).

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo martins disse:

    O brasileiro é mesmo um 'cabôco' sonhador. Não vê que a situação econômica que vai melhorar, e muito, será a da família Bolsonaro.

  2. Jorgensen disse:

    Pesquisa feita na última convenção do PSL ???

  3. Pitór disse:

    Vai melhorar sim, to com a maioria. Com um time desses que acaba de ser escalado, não há dúvidas. Vai ser só goleada. Muito diferente dos 39 ministérios dos aloprados. 39 mais o Lula e Dilma formavam. Ali ba ba e os 40 ladrões. No nosso time só craque, a comessar por dr Moro. Diga que é mentira?

  4. Valeriano Alves disse:

    A economia do Brasil vai melhorar, duvido… Com essa cambada de vagabundo que foi eleita no último pleito…

    • Ricardo Carvalho disse:

      Errado, petralha! A cambada de vagabundos do pt e seus apoiadores parasitas tipo, mst, une, sindicatos e os puxadinhos partidários de esquerda é que levaram uma surra nas urnas do Brasil que presta! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  5. Baruck disse:

    UASHUSAHASUHASUSAHUAHASUHASUHASUAHSUASHUSAHSAUHASUASHUASHUSAHASUHASUHASUASHUASHU

  6. Carlos disse:

    É por isso que essa porcaria de País está desse jeito, enquanto existirem pessoas com esse pensamento não vai mudar nada.

  7. Carlos disse:

    Quanta ingenuidade. Povo merece os politícos que estão aí. Este País não tem remédio. Deixem de ser tapados.

    • Tonho disse:

      Pode ser ingenuidade ter esperança, entretanto burrice estrema seria deixar o país na mão de quem comandou o maior roubo de dinheiro público da história mundial.

Google revela os temas mais buscados no Brasil em 2018; veja diversos

Foto: Rodrigo Fernandes/TechTudo

O Google divulgou nesta quarta-feira (12) a lista com assuntos mais buscados no Brasil em 2018. O ranking revela quais foram os temas que despertaram maior interesse dos usuários — no mundo e em cada país. Para produzir o relatório, a empresa identificou os termos que tiveram aumento significativo de pesquisas em determinado período de 2018 em comparação com 2017.

Entre os produtos de tecnologia em destaque estão nove celulares, como Motorola One e iPhone X, e um aplicativo: o Sarahah, que fez sucesso no ano passado. A gigante de buscas também apresentou as pesquisas relacionadas a “Pessoas (mundial)”, “Como fazer?” e “O que é?” que mostram as principais perguntas feitas pelos brasileiros em 2018.

Termos mais buscados em tecnologia

A empresa divulgou quais foram os assuntos mais procurados em tecnologia. A lista foi dominada por smartphones e teve o Motorola One, celular com Android One anunciado em agosto, como líder de pesquisas. O segundo lugar ficou com o iPhone X, seguido pelo Zenfone 5, dispositivo da Asus lançado em agosto.

Outros aparelhos intermediários, como os modelos da linha Moto G (G6 e G5) e os aparelhos Galaxy J ( J7, J4 e J5) também apareceram no ranking. O único destaque de software ficou por conta do Sarahah, app que foi febre no Brasil em 2017 e foi banido da App Store do iPhone (iOS) em janeiro de 2018. Em décimo lugar da lista de buscas, está o iPhone 8 Plus, smartphone da Apple lançado em setembro de 2017.

Tecnologia

Motorola One
iPhone X
Zenfone 5
Moto G6
Moto G5
Galaxy J7
Galaxy J4
Galaxy J5
Sarahah
iPhone 8 Plus

Termos mais buscados

Os termos mais buscados no Brasil refletem como foi o ano: ocorreu a greve dos caminhoneiros em maio, a Copa do Mundo da Rússia em junho e as eleições em outubro. Assim, os termos mais buscados são, em sua maioria, referentes a política. Além disso, o reality show Big Brother Brasil foi o único programa televisivo a entrar no ranking.

Copa do Mundo
Big Brother Brasil
Eleições 2018
Jair Bolsonaro
Horário de Brasília
Greve dos caminhoneiros
Luiz Inácio Lula da Silva
Fernando Haddad
Copa São Paulo de Futebol Júnior 2018
Stan Lee

Pessoas (mundial)

A lista de pessoas mais buscadas na Internet mundial é liderada por Meghan Markle, atriz da série americana Suits, que casou com o príncipe Harry em maio deste ano. O segundo lugar ficou por conta da cantora Demi Lovato, seguida do ator Sylvester Stallone. O presidente eleito Jair Bolsonaro é o único representante do Brasil no ranking dos mais pesquisados no mundo.

Meghan Markle
Demi Lovato
Sylvester Stallone
Logan Paul
Khloe Kardashian
Jair Bolsonaro
Brett Kavanaugh
Hailey Baldwin
Stormy Daniels
Cardi B

Acontecimentos

A Copa do Mundo da Rússia ficou à frente das Eleições 2018, segundo o levantamento do Google de pesquisa por eventos no buscador. Futebol e política foram as temáticas mais presentes no ranking, mas a confusão do horário de verão também entrou no ranking. O adiamento do horário fez com que celulares adiantassem uma hora quando ele não estava ainda em vigor. Alguns usuários tiveram de configurar a hora correta em smartphones por conta própria e houve incerteza se os celulares ajustariam o tempo quando o horário de verão de fato começou.

Copa do Mundo
Eleições 2018
Greve dos caminhoneiros
Copa São Paulo de Futebol Júnior 2018
Campeonato brasileiro
Prisão do Lula
Horário de verão
Caso Vitória
Enem 2018
Julgamento do Lula

Como fazer?

O ranking com as principais perguntas do Brasil também traz alguns termos relacionados à tecnologia — que, inclusive, foram respondidas pelo TechTudo durante o ano. Entre os destaques, estão as dúvidas “Como fazer figurinhas no WhatsApp?”, “Como fazer perguntas no Instagram?” e “Como fazer declaração de Imposto de Renda 2018?”. Outros assuntos estão ligados à brincadeira de criança de “Como fazer slime?”, além de dietas e alimentação, como crepioca, bacalhau, kefir e guacamole. Confira a listagem completa a seguir.

Como fazer slime?
Como fazer figurinhas no WhatsApp?
Como fazer gasolina?
Como fazer crepioca?
Como fazer perguntas no Instagram?
Como fazer bacalhau?
Como fazer declaração de Imposto de Renda 2018?
Como fazer kefir?
Como fazer guacamole?
Como fazer pipoca doce?

O que é?

As primeiras colocações das perguntas “o que é?” mais pesquisadas no Google foram dominadas por política. Um dos principais questionamentos foi “o que é Momo?”, fenômeno do WhatsApp que viralizou em julho por meio de correntes nas redes sociais. Momo era um contato misterioso do WhatsApp que conversava com outros usuários sob suspeita de roubar dados pessoais. O código de área do número de celular era do Japão, e a foto de perfil era a imagem de escultura peculiar, também em exibição no país asiático.

Não se sabe ao certo quem estava por trás da figura de Momo, e nem se era um usuário autêntico do mensageiro — muitos supunham que era apenas um chatbot. Mas é importante lembrar que se deve atentar a contatos desconhecidos em redes sociais e não relevar informações pessoais na Internet, devido o risco de golpes e fraudes.

O que é fascismo?
O que é intervenção militar?
O que é lúpulo?
O que é Ursal?
O que é Corpus Christi?
O que é chaira?
O que é afonia?
O que é momo?
O que é Encceja?
O que é tuberculose ganglionar?

Por quê?

Entre as perguntas de “por quê” feitas ao Google, futebol, política e TV são os principais tópicos, além de dúvidas quanto a feriados como Quarta-Feira de Cinzas e Sexta-Feira Santa.

Por que a guerra na Síria?
Por que votar no Bolsonaro?
Por que ou porque?
Por que não pode comer carne na Sexta-feira Santa?
Por que Ibrahimovic nao foi convocado?
Por que não votar em Bolsonaro?
Por que Nadja foi expulsa de A Fazenda?
Por que a série Lúcifer foi cancelada?
Por que o Amoedo nao participa dos debates?
Por que quarta-feira de Cinzas?

Celebridades

Entre as celebridades mais buscadas de 2018 está o cantor Roger Waters, que fez uma turnê pelo Brasil em outubro (durante as Eleições 2018) que causou polêmica por suas manifestações políticas em shows. Meghan Markle, atriz americana que se casou com o Príncipe Harry em maio, também está no ranking. O TechTudo inclusive ensinou como assistir ao casamento real online, que teve audiência mundial recorde estimada em 3 bilhões de espectadores.

Sylvester Stallone
Pabllo Vittar
MC Loma
Meghan Markle
Roger Waters
Letícia Almeida
Douglas Sampaio
Tata Amaral
Cristiane Machado
Priscila Tossan

Mortes

O criador da Marvel Comics Stan Lee faleceu 12 de novembro e ficou em primeiro entre as mortes mais buscadas no Google de 2018. O DJ sueco Avicii ficou em segundo, seguido pelo primeiro brasileiro da lista, o Mr. Catra.

Stan Lee
Avicii
Mr. Catra
XXXTentacion
Marielle Franco
Nara Almeida
Vitória Gabrielly
Mac Miller
Eduardo Carneiro
Anthony Bourdain

Virou meme

Entre os memes que viralizaram em 2018, em primeiro lugar ficou a música “Que Tiro Foi Esse”, de Jojo Toddynho. Na lista também está o jogador de futebol Neymar Jr, que ficou conhecido durante a Copa do Mundo pelas quedas frequentes em campo. Usuários de redes sociais também colocaram na foto do perfil a faixa “100% Jesus” do jogador como forma de apoio à seleção no mundial de futebol. O TechTudo ensinou como fazer a montagem para personalizar o avatar durante o campeonato.

Que Tiro Foi Esse
Fábio Assunção
É verdade esse bilhete
Jair Bolsonaro
Neymar Jr.
Copa do Mundo
Dia do Amigo
Lula
Pikachu
Akon

Séries

As duas primeiras posições do ranking de séries mais buscadas ficaram com produções espanholas da Netflix. O serviço de streaming também foi responsável pelas duas únicas séries brasileiras: O Mecanismo e 3%.

La Casa de Papel
Elite
Riverdale
Lucifer
The 100
O Mecanismo
The Good Doctor
3%
Westworld
Scandal

Programas de TV e novelas

As produções da Globo dominaram o ranking de programas de TV e novelas mais buscadas pelo Google. O TechTudo ensina como assistir à programação ao vivo da Globo pelo celular, e como conferir os episódios do The Voice Brasil.

Big Brother Brasil
Segundo Sol
O Outro Lado do Paraíso
Deus Salve o Rei
A Fazenda
O Tempo não Pára
The Voice Brasil
As Aventuras de Poliana
Orgulho e Paixão
Tempo de Amar

Filmes

O filme mais buscado de 2018 foi o longa de terror A Freira. Bohemian Rhapsody, que estreou em outubro e se popularizou rapidamente, ficou apenas em sexto lugar, atrás de filmes da Marvel como Pantera Negra, Vingadores: Guerra Infinita e Venom.

A Freira
Deadpool 2
Pantera Negra
Vingadores: Guerra Infinita
Venom
Bohemian Rhapsody
Um Lugar Silencioso
Nasce uma Estrela
Os Incríveis 2
Cinquenta Tons de Liberdade

Música (Letras)

A lista de letras de música mais procuradas no Google em 2018 conta com “Que Tiro Foi Esse”, que também entrou no ranking de memes do ano. Bohemian Rhapsody, música que dá nome ao filme que também entrou na lista de mais buscados, ficou na sexta posição e se tornou a música do século XX mais ouvida em plataformas de streaming como Apple Music, Deezer e Spotify.

Era uma Vez
Que Tiro Foi Esse
Dona Maria
Vai Malandra
O Sol
Bohemian Rhapsody
Mostra Tua Força, Brasil
Notificação Preferida
Mulherão da Porra
Ousado Amor

Esportistas

Os esportistas mais buscados de 2018 foram jogadores de futebol, devido à Copa da Rússia. Em primeiro lugar ficou o jogador francês Mbappé, que ganhou o campeonato junto à seleção francesa. Em segundo ficou o brasileiro Philippe Coutinho, cuja performance no mundial foi muito elogiada nas redes sociais por usuários brasileiros. Outros integrantes do futebol brasileiro entraram no ranking, como João Miranda, Roberto Firmino, Alisson Becker e Douglas Costa.

Kylian Mbappé
Philippe Coutinho
Henrique Dourado
Mohamed Salah
João Miranda
Roberto Firmino
Alisson Becker
Douglas Costa
Luka Modrić
Lyoto Machida

Times da série A

Flamengo
Palmeiras
Corinthians
São Paulo
Grêmio
Vasco da Gama
Cruzeiro
Santos
Internacional
Atlético Mineiro

Globo, via Techtudo

 

Golpe do WhatsApp clonado atinge milhares no Brasil

Cuidado ao receber uma mensagem pelo WhatsApp de algum parente ou amigo pedindo dinheiro emprestado, pois tudo pode não passar de um golpe. Um novo crime envolvendo o aplicativo está sendo investigado pela Célula de Inteligência Cibernética do Departamento da Polícia Civil do Ceará, no qual usuários estão tendo o WhatsApp clonado, com criminosos se passando por essas pessoas para pedir empréstimos de dinheiro aos contatos das vítimas.

Segundo a polícia, a operação de clonagem consiste no uso de de um chip novo pelos criminosos, e nesse chip eles solicitam o resgate do número da vítima escolhida, o que permite que os criminosos tenham acesso a toda a lista de contatos do WhatsApp da vítima, já que esses dados estão ligados ao número do chip, e não ao aparelho físico do usuário. Cinquenta casos do golpe já foram registrados no estado do Ceará, e a polícia acredita que cerca de cinco mil contas de WhatsApp já foram clonadas em todo o Brasil.

Segundo os casos analisados pelos policiais, o teor das conversas iniciadas pelos criminosos muda de acordo com a pessoa que está sendo abordada, e as desculpas para empréstimos variam, com os pedidos sendo feitos para se comprar aparelhos eletrônicos, comprar um carro ou garantir entrada em um imóvel.

Para o delegado Julius Bernardo, diretor da Célula de Inteligência Cibernética, a orientação é de sempre desconfiar de pedidos de empréstimos de dinheiro feitos pelo WhatsApp, independente do quão próxima é a pessoa, e deve-se se confirmar por outros meios (um telefonema ou, se possível, pessoalmente) se o pedido realmente foi feito pela pessoa em questão.

Ele avisa que a melhor forma de não ser vítima deste golpe é habilitar a verificação em dua etapas do WhatsApp, já que esse recurso exige que qualquer tentativa de registrar o número em um novo aparelho utilize também um número PIN configurado pelo usuário, o que acaba impedindo a execução do golpe, já que sem o conhecimento do número não é possível acessar o aplicativo.

Techtudo, via UOL

Golpe no Uber já atinge milhares no Brasil; saiba tudo

Foto: Divulgação/Uber

“Promoção Uber Plus” é um golpe disseminado nas redes sociais que usa o nome do aplicativo de viagens para atrair pessoas com supostos cupons de desconto de R$ 300. Porém, para ganhar o prêmio, elas precisam preencher um formulário, e é a partir dele que os criminosos roubam informações pessoais e bancárias dos usuários.

O golpe foi detectado pelos especialistas do dfndr lab, da desenvolvedora de apps de segurança PSafe, que identificaram 85 mil tentativas de acesso e compartilhamentos de links maliciosos do esquema desde a última terça-feira (4) no Brasil. A falsa promoção é distribuída de duas formas na Internet: por meio de 155 sites que se passam por páginas autênticas do Uber e por meio de 86 perfis falsos em redes sociais montados com o objetivo de divulgar e compartilhar os links das páginas fraudulentas.

Para convencer mais facilmente as vítimas e dar credibilidade à fraude, os idealizadores do golpe usaram o nome de uma promoção autêntica do Uber — o Uber Plus foi um programa de fidelidade criado pelo aplicativo em 2014 e disponível apenas em algumas cidades dos Estados Unidos. Em 2015, o Uber Plus passou a ser chamado de UberSELECT, que é uma das modalidades de viagem oferecidas hoje em dia no Brasil.

“Esse é um comportamento já conhecido pelo nosso time. Sempre que uma promoção real é lançada, os cibercriminosos se aproveitam e lançam uma promoção falsa. Eles usam desse método para convencer mais vítimas”, afirma o diretor do dfndr lab Emilio Simoni.

PSafe detectou golpe que usa nome do Uber em páginas e perfis falsos — Foto: Divulgação/PSafe

Como não cair em golpes do tipo

Existem maneiras seguras de conseguir descontos em viagens de desconto no aplicativo Uber, inclusive por meio das redes sociais. Entretanto, é preciso ter muito cuidado para identificar se a promoção é verdadeira ou uma fraude.

Para não ser a próxima vítima, é importante ter uma série de cuidados antes de preencher qualquer formulário na Internet. Os especialistas do dfndr lab destacaram alguns pontos úteis para identificar páginas falsas e navegar com mais segurança. Confira:

Fique atento a link recebidos por meio de redes sociais e mensageiros, como WhatsApp;

Verifique com a atenção a URL antes de acessar o site (golpistas costumam usar endereços bem parecidos com os de empresas);

Na dúvida, visite o site oficial da empresa para verificar se a promoção existe de fato;

Utilize um bom antivírus.

Globo, via Tecjtudo e PSafe

 

Maior franquia de hotéis do mundo vai abrir 13 novas unidades no Brasil

Hotel da Wyndham Hotels & Resorts, em Gramado (Foto/Divulgação)

A maior franqueadora de hotéis do mundo, Wyndham Hotels & Resorts, vê no Brasil potencial para ser o principal país da América Latina – hoje está em terceiro, atrás da Argentina e do México. Para fazer frente à gigante Accor Hotels, planeja estampar 50 novos hotéis em 2019, sendo que 60% já está com contratos assinados. Do total previsto para o ano, 13 serão no Brasil. “O Brasil é um país que tem muita oportunidade e estamos investindo bastante. Acredito que nos próximos três anos será o primeiro ou segundo país mais importante na região, a depender de quanto o México crescer” diz Alejandro Moreno presidente do grupo Wyndham para a América Latina e Caribe, em entrevista exclusiva à EXAME.

O grupo inaugurou seu escritório no país em 2018 com o objetivo de promover suas bandeiras como destino para estrangeiros, tanto o público executivo quanto famílias. Recentemente, inaugurou seu primeiro hotel com administração própria no Brasil, o resort Wyndham Gramado, no Rio Grande do Sul, e a partir de 14 de dezembro será a nova bandeira do antigo Sheraton Barra (atual Gran Nobile Barra), o primeiro empreendimento da bandeira na cidade (o contrato foi fechado no dia 30 de novembro).

“Sabemos que o Rio de Janeiro passa por uma situação delicada e que a demanda não está como se esperava, mas acreditamos no potencial do hotel”, diz Moreno. Atualmente são 36 hotéis no Brasil com seis bandeiras, entre elas Wyndham e Ramada. Uma nova marca, a La Quinta, deve estrear no Brasil no ano que vem. Na América Latina, são 220 hotéis e, no próximo ano, a previsão é chegar a 260 hotéis. O grupo já tem escritórios também no México, Colômbia e Argentina.

“A crise ajudou a indústria hoteleira brasileira porque mais pessoas deixaram de viajar para o exterior e exploraram destinos aqui. Além disso, o aumento de voos para a Argentina levou os hermanos a aumentar bastante a procura por cidades do Nordeste e também Rio de Janeiro”, diz o executivo.

O principal negócio do grupo no mundo é o modelo de franquia, em que a administração é terceirizada a um parceiro e o grupo é responsável pela consultoria de padronização da estrutura e serviço. Esse é o modelo de 85% dos 9 000 hotéis – o restante é administração própria. Ao todo, 798 mil apartamentos em mais de 80 países são oferecidos em hotéis com suas 20 marcas. No ano passado, o grupo faturou 5,1 bilhões de dólares, crescimento de 3% em relação ao 2016.

Exame

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wagner Lopes disse:

    Vem sim… como a fábrica da China kkkkk

  2. joao ligeiro disse:

    faltou dizer se vem pra cá? seria bom que comprassem o falido hotel da BRA que o MP não deixou terminarem. alegaram que tomava a vista hahaha até parece que alguem para justamente ali para olhar pro mar.

Brasil é o país que menos valoriza professores, diz estudo; China lidera

Estudantes leem livros didáticos para memorizá-los, em escola de Huining, na China Foto: GILLES SABRIÉ / NYT

Um estudo conduzido em 35 países para avaliar o status dos professores na sociedade mostrou que o Brasil é o que menos os valoriza, enquanto a China lidera no reconhecimento aos educadores.

Intitulada Global Teacher Status Index 2018 (ou índice global de status do professor, em tradução livre), a pesquisa foi realizada pela Varkey Foundation, ONG fundada pelo indiano Sunny Varkey em 2010, com o objetivo de melhorar os padrões de educação para crianças carentes.

Os pesquisadores entrevistaram mil pessoas em cada um dos 35 países para identificar como o emprego de um professor dos ensinos primário e secundário era comparado a outras profissões, em termos de valor para a sociedade. Numa lista de 14 ocupações, a de professor ficou em sétimo lugar, na média de todos os países.

China, Malásia, Taiwan, Rússia e Indonésia formam o top 5 da valorização dos educadores. Nos dois primeiros, assim como na Rússia, a importância do professor é equiparada à dos médicos.

Os cinco piores colocados são Argentina (31º), Gana (32º), Itália (33º), Israel (34º) e Brasil (35º). Por aqui, os professores foram comparados aos bibliotecários, em termos de status social.

Os entrevistados foram questionados, ainda, sobre como avaliavam o respeito dos alunos por seus mestres. Nesse quesito, novamente o Brasil teve o pior desempenho: menos de 10% das pessoas acreditavam que os alunos respeitavam seus professores; na China, 80% dos entrevistados afirmavam que havia respeito.

Desempenho ruim também no Pisa

O estudo também traça uma correlação direta entre o status dos professores e o resultado dos países no Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes). O Brasil, último colocado na valorização dos educadores, é o penúltimo no Pisa entre os 35, estando à frente apenas do Peru.

— Esse índice finalmente traz evidências acadêmicas para algo que sempre soubemos instintivamente: há uma conexão entre o status dos professores na sociedade e o desempenho das crianças na escola. Agora podemos dizer sem sombra de dúvida que respeitar os professores não é apenas um dever moral importante, é essencial para o desempenho educacional de um país — afirmou Varkey, no texto de apresentação do trabalho.

Esta é a segunda edição do Global Teacher Status Index. A primeira, em 2013, foi feita com 21 países, entre eles o Brasil, que já havia ficado em último lugar então — e foi uma das sete nações onde a valorização dos professores caiu no período entre as duas pesquisas.

Em suas conclusões, o relatório da ONG afirma que melhor remuneração e status social para os professores são necessários para alcançar melhores resultados acadêmicos. Também afirma haver uma “forte correlação” entre remuneração e status, ou seja, quanto mais valorizados socialmente, mais bem pagos os profissionais tendem a ser. Por fim, quanto maior o respeito da sociedade pelos professores, mais os pais tende a encorajar seus filhos a seguir na profissão.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Minion Convicto. disse:

    Esses comunistas e essa mania de valorizar educação, professores, saúde e o social.
    Bando de fdp.

  2. França disse:

    É muita burrice-ostentação desses eleitores do bozo antipetistas. O texto diz uma coisa e eles entendem outra. Vão aprender ao menos interpretar um texto simples. Figa!

  3. Jorgensen disse:

    Taí a raiz do nosso problema!!

  4. Ems disse:

    Segundo a esquerda, a culpa é de Bolsonaro, que nem assumiu ainda, e não do PT que passou 16 anos no poder.

  5. Brasil é verde e amarelo disse:

    Modelo de escola que os PTralhas queriam ….quanto mais burro, melhor . Destruir a familia….destruir a liderança e respeito do professor,na era PTralha tudo podia …confundiram esses vermes em liberdade com LIBERTINAGEM

  6. Beto disse:

    E o professor idem, nunca a escola perdeu tanto adolescentes para as facções, eles estão morrendo aos montes por motivo dos professores não tem o menor zelo com o aluno, pouquíssimo os professores que se dedicam a profissão, a grande maioria serve de capacho para o petralhas.

Golpe de Natal no WhatsApp atinge milhares no Brasil

Um novo golpe no WhatsApp usa a marca O Boticário e tem o objetivo de roubar dados pessoais dos usuários. Identificada pelo dfndr lab, da desenvolvedora de apps de segurança PSafe, a ação criminosa usa engenharia social e simula uma promoção de Natal da empresa, em que os participantes ganhariam produtos de suas linhas de maquiagem. Os interessados deveriam compartilhar uma mensagem com os amigos que precisavam se cadastrar na plataforma.

Neste caso, os criminosos agiam de forma mais sofisticada, uma vez que o sistema era capaz de verificar se o CPF informado pertencia ao nome digitado e, assim, oferecia uma falsa sensação de credibilidade. Segundo a PSafe, foram encontrados seis links diferentes para o mesmo golpe e, juntos, somaram 40 mil detecções nas últimas 24 horas. Ainda de acordo com a empresa, ações mal-intencionadas do gênero foram responsáveis por 43,8 milhões de detecções no terceiro trimestre de 2018.

Foto: Reprodução/TechTudo

“Esse é um golpe diferenciado e o cibercriminoso de fato teve muito trabalho. A checagem de CPF e o cadastro das lojas o torna muito similar a uma promoção real da marca e, dessa forma, é extremamente difícil para um usuário sem conhecimento técnico identificá-lo como falso”, explica Emilio Simoni, diretor do dfndr lab. De acordo com a empresa de segurança, para realizar essa checagem é necessário que o hacker tenha acesso a um banco de dados com as informações, que pode ter sido vazado na Internet ou reunido por um golpe anterior.

A fim de tornar a ação ainda mais realista, os bandidos ainda cadastraram 3.634 lojas verdadeiras da marca para que os interessados pudessem supostamente retirar os produtos ganhos. Além disso, o conteúdo compartilhado com os amigos é personalizado e inclui o nome da pessoa que envia. O usuário ainda consegue checar se os links foram acessados ou não pelos contatos, incentivando-os a clicar e participar da suposta promoção e, dessa forma, fornecer seus dados para os cibercriminosos.

Mensagem falsa compartilhada no WhatsApp oferece brindes da marca O Boticário — Foto: Reprodução/ TechTudo

Somente neste ano, O Boticário teve seu nome envolvido algumas vezes em crimes do tipo. Em fevereiro, prometiam amostras grátis do produto Nativa SPA para quem acessasse o site e respondesse a três perguntas. Já em março, aproveitaram a campanha do Dia Internacional da Mulher para oferecer um falso kit de maquiagem a quem clicasse no endereço indicado na mensagem. Em junho, a ofertaram um kit de produtos para namorados.

Como se proteger

“É essencial que as pessoas levem a segurança de seus dados muito a sério, usem uma solução de proteção em seus smartphones e sempre consultem se a promoção existe nos canais oficiais ou em sites de checagem de links”, informa Simoni.

O próprio WhatsApp sugere aos usuários que tenham atenção ao receberem conteúdos indicados com a tag “Compartilhado” na parte de cima do balão de mensagem. “Caso a mensagem pareça suspeita ou seu conteúdo for bom demais para ser verdade, não toque, compartilhe ou encaminhe a mesma”, orienta a equipe de segurança do mensageiro.

Além disso, a plataforma pede atenção a textos com pedidos de clique em algum endereço na web que repasse mensagem ou solicite informações pessoais (como número de cartão de crédito, conta bancária, data de aniversário, senha e etc). Ao se deparar com um conteúdo do gênero, o usuário pode denunciar a conta para o WhatsApp sem precisar sair do app. Isso é importante, pois a rede social não tem acesso ao conteúdo do bate-papo por causa do sistema de criptografia de ponta a ponta.

Globo, via Techtudo

 

TV paga já perdeu mais de 2 milhões de assinantes no Brasil

Aparelhos de TV em loja de departamento na capital paulista – Rubens Cavallari – 18.out.11/Folhapress

Mais de 2 milhões de assinantes deixaram de ser clientes de TV paga entre março de 2015, auge do setor, e outubro deste ano. É uma queda superior a 10% da base de clientes. Os dados são da Anatel, a agência de regulamentação.

O serviço por satélite, que é tradicionalmente mais usado por consumidores de entrada, perdeu 2,4 milhões de famílias —outras tecnologias compensaram parte dessa redução.

A crise econômica explica o desempenho, de acordo com a ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura).

Aliado à recessão, há o receio de inadimplência, que fez as operadoras cortarem as ligações dos assinantes com agilidade e serem criteriosas na hora de aceitar clientes, segundo Oscar de Oliveira, presidente executivo da entidade.

“A troca de TV paga por consumo pela internet não explica, nesse momento, os resultados. Por enquanto ainda há muita complementaridade.”

Os números devem melhorar nos próximos anos, com uma retomada econômica, diz.

A perda de clientes fez com que as programadoras (donas dos canais) passassem a cobrar mais caro das operadoras, segundo um executivo que não quer ser identificado.

O preço é mais baixo se a base de assinantes for maior. Os termos dos contratos têm sido rediscutidos.
Para produtoras de conteúdo, a queda da TV paga e o crescimento do streaming fazem com que o licenciamento seja negociado de uma vez só, segundo Cláudio Lins de Vasconcelos, advogado do escritório que leva seu sobrenome.

“Antes, os produtos eram negociados na TV fechada e depois nos canais abertos. Agora é uma rodada só.”

Mercado Aberto – Folha de São Paulo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rodrigo disse:

    O preço da TV paga praticado do Brasil é extremamente abusivo, caríssimo, ninguém mais aguenta ser roubado

  2. Milton Severo disse:

    Vou discordar dessa "desculpa" onde a quantidade de cliente faz o preço baixar. Isso não existe no Brasil. O preços das assinaturas de TV PAGA vem AUMENTANDO SEMPRE, com as MAIS VARIADAS JUSTIFICATIVAS.
    Eles aumentam 05 canais na grade e usam isso para subir os preços.
    Aumentam a banda e usam para aumentar os preços.
    Melhoram o sinal e usam como justificativa para aumentar os preços.
    Fazem atendimento domiciliar e cobram por ele.
    Trocam receptores/transmissores com defeito e cobram pelo serviço.
    O cliente vai se sentindo lesado e terminar por deixar o serviço.
    Pode contabilizar 50% desses 2,4 milhões nesse item, o resto vem em decorrência da situação financeira do país. Sejamos francos e minimamente honestos. O povo já não é mais tão alienado assim.

PIB: Brasil empata com a Rússia em 39º lugar em ranking com 44 países

Variação do PIB dos países no 3º trimestre — Foto: Infigrafia: Karina Almeida/G1

O Produto Interno Bruno (PIB) brasileiro no terceiro trimestre, empatado com o do Rússia, ocupa o 39º lugar dentro do ranking com 44 países, elaborado pela Austing Rating. A lista leva em conta os resultados das maiores economias do mundo.

A comparação leva em conta o crescimento de 1,3% da economia em relação ao terceiro trimestre de 2017, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). Esse resultado está abaixo do registrado em outras economias como Peru (2,3%) Chile (2,8%) e Colômbia (2,6%).

No entanto, o Brasil se posiciona à frente da Alemanha (1,2%), Noruega (1,1%), Itália (0,8%) e Japão (0,3%), que ficou na lanterna da lista. Em primeiro lugar ficou a Índia, com 7,1% de crescimento.

Frente ao segundo trimestre, a economia brasileira avançou 0,8%.

Na média, as 44 economias analisadas cresceram 2,9% no terceiro trimestre na comparação anual. Já o grupo dos BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China) tiveram alta média de 4,1% no PIB.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. pedro disse:

    Quando tinha 3% de PIB, com Dilma, era pibinho. Agora, comemoram com mixaria de 1,3%

    • Luiz Moreira disse:

      Dilma teve os últimos dois anos de governo com PIB negativo, com resultado acumulado de quase -9% jogando o país na pior crise da história.

  2. Tião disse:

    E a 4a econômia do mundo? Sem miséria? Num roubaram nem 1 trilhão, é gopi!

STJ adia julgamento de ação que tramita há 123 anos no país

A família real portuguesa alega ter direito à indenização do governo brasileiro pela tomada do palácio após o fim da monarquia e a proclamação da República

Palácio da Guanabara, sede do governo do RJ: os recorrentes são herdeiros da Princesa Isabel (Halley Pacheco de Oliveira/Wikipedia/Divulgação)

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) adiou para 6 de dezembro o julgamento de uma ação que trata da posse do Palácio da Guanabara, atual sede do governo do Rio de Janeiro. O processo está em tramitação há 123 anos e é o mais antigo em andamento no país.

A questão seria julgada nesta terça-feira (27), mas um pedido de adiamento feito pela família Orleans e Bragança foi aceito pelo ministro Antônio Carlos Ferreira, relator dos dois processos que tratam do assunto.

No processo, a família real portuguesa alega ter direito à indenização do governo brasileiro pela tomada do palácio após o fim da monarquia e a proclamação da República, em 1889. Segundo a família Orleans e Bragança, o palácio fazia parte dos bens privados da família, que também pediu à Justiça a restituição do imóvel.

Em mais de cem anos de tramitação, houve diversas decisões do Judiciário. Na década de 1960, a ação foi encerrada, mas o caso foi reaberto. Os recorrentes são herdeiros da Princesa Isabel.

Exame

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Walsul disse:

    E os índios que são os verdadeiros donos dessas terras ninguém indeniza?

  2. Raimundo disse:

    Qualquer reparação a família real brasileira é justa. A monarquia foi o período de maior crescimento e bonança da pátria. Regime vítima de um golpe militar contra a vontade popular!!

  3. Kalina disse:

    Cita Lula nessa ação que julgam hoje mesmo!

    • Tião disse:

      O luladrão tem oito ações, agora que julgaram 1 ação após 8 anos do fato e esse retardado diz uma asneira dessa. Sabe de nada.

    • CARMEM disse:

      Como diria um amigo meu: "Lula tá preso, babaca!"

    • Potiguar disse:

      Observação pertinente, contra lula juízes no gozo das férias despacham.

VÍDEO: Maisa desmente boatos sobre Raul Gil, mostra que áudio de apresentador foi manipulado e cobra jornalismo responsável no Brasil

Reprodução/ YouTube

Após comoção na internet sobre suposto áudio de Raul Gil chamando Maisa de “bostinha”, a jovem saiu em defesa do apresentador e criticou fake news

Na última quinta-feira (22) o nome de Raul Gil causou rebuliço nas redes sociais. Tudo começou quando portais de internet passaram a publicar notícias sobre um áudio em que o apresentador supostamente chamava Maisa Silva de “bostinha” e dizia que se não fosse por ele, ela não existiria.

Vendo toda a repercussão do caso, Maisa se pronunciou na mesma noite em que a notícia foi disseminada. Em vídeo no YouTube, a jovem de apenas 16 anos mostrou maturidade, defendeu Raul e deu lição de moral nos jornalistas.

A atriz começou seu pronunciamento deixando claro que tudo não passou de fake news , e aproveitou para explicar sobre o termo, que significa notícias falsas, dizendo que ao longo de sua carreira já foi alvo de muitas delas. “Antes a gente chamava isso de fofoca mesmo ou de boato, porque o que não é fato é boato”, explica a jovem.

Em seguida Maisa compara quem espalha tais notícias falsas, com atitudes de adolescentes e critica: “Já não bastassem as fofocas da escola, que as pessoas andam fazendo umas sobre as outras, no meu caso na adolescência, os adultos resolveram brincar de fofoquinha de escola. Só que estão usando isso no jornalismo, galera. Ó o absurdo de não superar a fase do ensino médio. Pessoal quer levar isso para o resto da vida”.

Depois de elogiar o apresentador, ela garantiu que sempre foi tranquila sobre fake news envolvendo o seu nome, mas sabe que algumas notícias falsas podem prejudicar pessoas que ela ama, como Raul. Segundo ela, logo que a fofoca se espalhou ela, por confiança no apresentador, já imaginava ser mentira, e fez questão de mostrar que não estava enganada.

A atriz colocou o áudio original de Raul Gil, em que é possível ouvir o apresentador citando comentários que recebeu em sua conta no Instagram, em que detonavam a artista e a chamavam de “bostinha”, na ocasião ele mesmo mostra que não gostou do que leu e defende a adolescente: “coitadinha que não tinha nada a ver com isso. Ela começou comigo quando tinha três anos”.

Maisa dá lição de moral

De acordo com ela, o próprio apresentador a ligou quando a falsa notícia foi espalhada. “Antes de ter escutado esse áudio, o próprio Raul em pessoa me ligou, desmentiu, pediu desculpa. Olha só! Em qual momento ele tinha que pedir desculpa pra mim, né? Nenhum! E sim, esses jornalistas oportunistas, enfim, de má fé”, conta a atriz.

Para concluir, Maisa deixou um recadinho aos jornalistas: “Hoje em dia, a gente consome muito as notícias da internet. Minha geração é muito difícil pegar um jornal. Então, como querem que a gente fique conscientizado politicamente, socialmente, educacionalmente, sobre meio ambiente, várias coisas, se vocês levam as notícias pra nós que muitas vezes são falsas? Então, por favor, parem de escrever essas matérias sensacionalistas. Não tem graça”.

IG

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Andinho disse:

    Essa adolescente tem mostrado muito mais equilíbrio e maturidade que a grande maioria das popstars brasileiras, tiro o chapéu para os pais dela e a criação que lhe foi dada.

Como vai funcionar o Uber voador que pode ser testado no Brasil em 2020

Estamos muito perto daquele futuro distópico em que várias “máquinas voadoras” circulam sobre nossas cabeças. Uma das empresas que tomou a frente para tornar isso realidade é a Uber, que pretende testar sua modalidade voadora (com voos possivelmente no Brasil) a partir de 2020. Mas você já parou para pensar como essa nova tecnologia funcionará?

Em primeiro lugar, é preciso definir o que é o chamado Uber Air. É um carro voador? É um avião? É um helicóptero? É o super-homem? Bom, apesar de muita gente chamar de “carro voador”, na prática ele será mais semelhante a um avião ou helicóptero — apesar de existirem várias diferenças no seu funcionamento, como o fato de ele ser elétrico.

“É mais um avião do que um carro, você não pode sair dirigindo ele por aí. O problema dos carros voadores para mim é que eles não são nem bons carros e nem bons aviões”. (Tom Prevot, diretor de sistemas aeroespaciais na Uber e um dos chefes no projeto Uber Elevate, em entrevista ao UOL Tecnologia).

Veículo elétrico com pousos e decolagens verticais

O veículo elétrico da Uber é chamado de VTOL (Vertical Take-off and Landing, na tradução livre: Decolagem e Pouso Vertical) e pode ser definido como uma mistura de helicóptero com drone.

No pouso e na decolagem, o transporte lembra um pouco os helicópteros, mas com diferenças sensíveis em seu funcionamento. Isso porque ele usa uma propulsão elétrica distribuída pela veículo.

Uber apresentou alguns conceitos de como deverá ser o Uber Air

Esse é um dos pontos cruciais para a Uber, por sinal. A empresa quer quer os veículos sejam muito mais silenciosos que helicópteros, e uma das estratégias para isso é espalhar pequenas hélices por todo o corpo da aeronave.

Nas viagens, a autonomia dependerá da bateria interna do produto, que impulsiona o funcionamento dele — esse é um dos principais pontos que a Uber trabalha com as empresas parceiras, já que para o novo tipo de mobilidade ser viável será necessário uma bateria suficiente.

É importante frisar que quem fabrica as aeronaves não é a Uber. Diversas empresas ao redor do mundo, como a Embraer, tentam tornar o produto real e algumas até têm protótipos prontos sendo testados em pequena escala. A Uber acompanha o desenvolvimento e passa algumas diretrizes do que busca no produto.

Inicialmente, os veículos deverão contar com pilotos dentro das aeronaves comandando a viagem –provavelmente, pilotos comerciais de helicópteros com um treinamento extra para o VTOL. No entanto, o objetivo da empresa é que tudo seja autônomo no futuro. Para empresas que fabricam a tecnologia, o veículo autônomo é realidade.

“Tem umas 16 empresas que estão realmente construindo o que chamamos de VTOLs. Acho que há um consenso sobre que tipo de veículo é necessário. Voos autônomos são feitos em sua maioria por Radar, Lidar e câmeras, e todos esses sensores existem hoje e já são muito mais em conta financeiramente do que eram um tempo atrás”, diz Clément Monnet, chefe de operações da Voom, empresa de voos de helicóptero sob demanda que foi adquirida recentemente pela Airbus.

O interessante desses veículos é que eles podem decolar e pousar de qualquer lugar, teoricamente. A Uber diz que poderá usar até helipontos já espalhados pelas cidades, mas as estruturas terão que passar por adaptações — por exemplo, precisam de locais específicos para recarregar as aeronaves.

A ideia da Uber é que os veículos não sejam usados para trajetos curtos dentro de cidades, mas mais longos. Um exemplo dado pela própria companhia é o de ir de São Paulo ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP).

Antes, a companhia já havia afirmado ao UOL Tecnologia que o trajeto pode vir a custar no futuro mais barato com o Uber Air do que na modalidade UberX de carros — a intenção, por sinal, é combinar a nova tecnologia com outros modais da plataforma. As viagens serão compartilhadas com mais passageiros, o que possibilita a divisão que deixa ela mais “barata”.

Sistemas próprios

A nova tecnologia não envolve apenas os veículos inovadores. Será necessário criar toda uma tecnologia para sustentar no ar o novo sistema de transporte. Essa é uma das partes em que a Uber será responsável e comandada por Tom Prevot.

O diretor da Uber tem passagem pela Nasa, onde já comandou projetos para criar sistemas para a próxima geração de transportes pelo ar. Segundo Prevot, a Uber está criando uma tecnologia para gerenciar e monitorar as aeronaves. “Na escala que queremos operar um dia, você não pode simplesmente adicionar mais e mais controladores”, explica.

A Uber está ciente de que a sua nova modalidade precisará passar por regulamentações não só locais como de entidades que regulam o espaço aéreo — normalmente, há um rigor grande dessas instituições. Mesmo assim, Prevot diz ter visto sinais positivos dessas instituições para que a Uber cumpra a meta de lançar testes em 2020 e operações comerciais para usuários em 2023.

Brasil tem mesmo chances de receber teste?

A tecnologia está há alguns anos de virar realidade, mas o brasileiro já pode ter esperança. Os primeiros testes serão feitos em Dallas e Los Angeles, nos EUA, mas São Paulo e Rio de Janeiro têm chances de ser a terceira cidade internacional a receber uma sede do Uber Air Center.

Segundo o diretor da Uber, existe uma lista de 145 fatores que será checada a fundo antes da cidade ser definida. Mas São Paulo, principalmente, tem motivos para se animar.

Em primeiro lugar, é a cidade onde a Uber mais tem viagens de carro no mundo. A capital também é a maior do mundo em frota de helicóptero para civis, o que mostra que há mercado por aqui. Outro ponto positivo é a proximidade com a Embraer, que fica em São José dos Campos (SP), a 110 km de São Paulo.

Se isso tudo vai ser suficiente para superar a concorrência de cidades do Japão, Austrália, Índia e França, saberemos em breve.

UOL

 

Com RN como destaque, Brasil já tem uma Itaipu em energia eólica

Foto: Parque eólico no Rio Grande do Norte

A energia eólica ultrapassou a marca de 14,34 GW (gigawatts) de capacidade instalada no Brasil, patamar equivalente a uma usina de Itaipu —a segunda maior hidrelétrica do mundo.

Ao todo, são 568 parques eólicos, em 12 estados do país. A energia gerada nos últimos 12 meses é suficiente para abastecer 25 milhões de residências por mês, ou cerca de 75 milhões de brasileiros, segundo dados da Abeeólica (Associação Brasileira de Energia Eólica).

A fonte tem vivido um crescimento exponencial no país desde 2009, estimulada por leilões promovidos pelo governo federal para contratar novos empreendimentos.

Expansão da energia eólica no Brasil

Energia eólica por estado, em potência (MW)

Rio Grande do Norte
3.949,300

Bahia
3.525,000

Ceará
2.049,900

Rio Grande do Sul
1.831,900

Piauí
1.521,100

Pernambuco
781,300

Santa Catarina
238,500

Maranhão
220,800

Paraíba
156,900

Sergipe
34,500

Rio de Janeiro
28,100

Paraná
2,500

Total
14.339,600

A expansão deve continuar. Contando os empreendimentos contratados nos últimos leilões promovidos pelo governo, a projeção é que até 2024 a energia eólica atinja ao menos 18,8 GW de capacidade instalada.

“No ano que vem, vamos atingir a segunda posição na matriz elétrica brasileira. Em janeiro, vamos alcançar uma participação maior do que a das usinas a biomassa, que hoje é a segunda maior fonte atrás das hidrelétricas”, afirma Elbia Gannoum, presidente da Abeeólica.

“A expansão eólica no Brasil é um caso de sucesso. Há dez anos, havia poucos investidores, hoje todas as grandes empresas têm investimentos em usinas eólicas”, afirma Thais Prandini, diretora-executiva da consultoria Thymos.

No entanto, para além da comemoração, a marca também acende um alerta. O motivo é a característica variável das usinas eólicas, cuja geração depende do regime de ventos, que não são constantes.

Em setembro, nos dados mais recentes da ONS (Operadora Nacional do Sistema Elétrico), a geração das usinas eólicas chegou a responder por 13,98% de toda a energia gerada no sistema, um patamar recorde. No entanto, nesse mesmo mês, a fonte chegou a ocupar a parcela mínima de 1,1% na geração nacional.

“Chegou o momento de se discutir mais formas de garantir a segurança energética do país”, diz Gannoum.
O problema não é novo, aponta a consultoria PSR. A necessidade de um suprimento de energia que garanta o abastecimento tem sido um dos assuntos mais debatidos nos últimos anos, segundo o último relatório da empresa especializada em setor elétrico.

Expansão da energia eólica no Brasil

Matriz elétrica brasileira, em %*

Térmicas
25,530

Eólica
8,350

Pequenas hidrelétricas
3,190

Termonuclear
1,240

Solar Fotovoltaica
0,890

*em potência das usinas em operação

A questão se agravou a partir do momento em que o país deixou de construir hidrelétricas sem reservatório —obras com impacto socioambiental bem maior do que as chamadas usinas a fio d’água, que estão mais sujeitas à escassez de água.

O avanço de fontes como a eólica e a solar, cuja geração também sofre variações ao longo do dia ou do ano, é outro fator cada vez mais relevante para o problema.

As soluções possíveis para essa questão são diversas e, hoje, são alvo de discussões acaloradas entre representantes do setor elétrico.

Para Prandini, da Thymos, é importante diversificar a matriz elétrica para minimizar os riscos de cada fonte.

“Uma solução seriam fazer projetos híbridos, com usinas com mais de uma fonte de energia. Ou até mesmo pensar em baterias, que hoje ainda não são viáveis economicamente, mas que são uma tecnologia importante”, diz.

A PSR também aponta soluções possíveis, como alterar a operação das hidrelétricas para manter os reservatórios cheios, utilizar usinas térmicas para atender o consumo em horários de ponta, entre outras.

Hoje, a principal proposta na mesa de discussão é a realização de leilões regionais para contratar usinas térmicas movidas a gás natural. O Ministério de Minas e Energia abriu uma consulta pública, no fim de outubro, para debater a proposta, que é bastante controversa no setor.

Para a PSR, a proposta não resolve o problema por falhas na estruturação do leilão, que estaria gerando um custo adicional ao consumidor de energia sem necessidade.

O avanço da fonte eólica também levanta outro debate: o fim de subsídios dados pelo governo federal ao setor no passado, para ajudar na consolidação da fonte no país, e que hoje não seriam mais necessários.

Gannoum, da Abeeólica, concorda que chegou o momento de se rever esses benefícios, que incluem, por exemplo, isenções nas tarifas de transmissão e distribuição de energia, que acabam encarecendo a conta de luz dos consumidores.

No entanto, ela defende que o fim dos subsídios se aplique a todas as fontes, e não apenas à eólica. Hoje, além do eólico, outros setores de geração ganham benefícios, como as fontes solares e a carvão.

Folha de São Paulo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Flávio disse:

    O estado tem um grande potencial na energia solar, principalmente na região do Seridó e tromba do elefante.

    Falta o estado e o governo federal priorizarem essa matriz energética que pode transformar a economia dessas regiões do RN

  2. paulo martins disse:

    Vestas terá fábrica de turbinas eólicas no Ceará

    (11/11/2018) – No final de outubro, o Governo do Ceará oficializou acordo com a Vestas, multinacional dinarmarquesa do ramo de Energias Renováveis, para construção de fábrica dedicada à construção de turbinas eólicas no Estado. A parceria foi selada por meio de um Memorando de Entendimento, assinado pelo governador Camilo Santana e pelo presidente da empresa no Brasil, Rogério Zampronha.
    Trata-se da segunda fábrica da Vestas no Ceará. A nova unidade irá fabricar a turbina V150-4.2 MW, considerada uma das mais modernas do mundo e que já é produzida em outras unidades da empresa no mundo. O investimento total ainda não está definido, mas se estima que esteja em torno de R$ 100 milhões.
    Para o governador Camilo Santana, o investimento representa mais um passo do Ceará na criação de um Estado mais desenvolvido e que abrange o campo das oportunidades para a população. “Agradeço ao presidente da Vestas pela oportunidade de trazer mais esse investimento para o Ceará. A empresa traz a fabricação de turbinas, o que gerará mais empregos para os cearenses e crescimento para todo o Estado”, disse Santana, acrescentando que o novo empreendimento deverá ser inaugurado no fim de 2019.
    Para o presidente da Vestas, Rogério Zampronha, ter o Ceará como sede da mais nova fábrica da empresa foi escolha natural. "Será a primeira vez que o País produzirá uma turbina como essa, com 73 metros de comprimento e 110 metros de altura. São aerogeradores do novo modelo V150 com 4.2 MW de potência".

  3. Bosco disse:

    Tomara que não tenha o mesmo destino do petróleo, sal, lagosta, turismo, minério, camarão, açúcar e etc,etc.

    • paulo martins disse:

      Faltou citar a mitológica barrilha de Macau, que seria a redenção econômica deste combalido elefante.

É impossível não sentir vergonha pelo que aconteceu no Brasil, diz ministro do STF, Roberto Barroso, sobre corrupção

“O país precisa de reformas estruturais para superar a corrupção.” Assim acredita Luís Roberto Barroso. No último dia 5, o ministro do STF palestrou na Kennedy School, Escola de Governo da Universidade de Harvard. Com auditório lotado, o tema da explanação foi “Corrupção, Governança e Direitos Humanos: O Caso do Brasil”.

O ministro realizou um panorama do cenário brasileiro atual; destacou que o Brasil é o maior país da América Latina e tem uma das dez maiores economias contemporâneas. Lembrou, ainda, dos avanços do país com a CF/88, como estabilidade institucional, monetária e a inclusão social. Sobre direitos fundamentais, destacou conquistas significativas em favor de mulheres, negros, gays, transgêneros e população nativa.

Por outro lado, observou, desde a metade dos anos 2000, o país foi marcado por um conjunto de revelações acerca da corrupção, como os escândalos do Mensalão e do Petrolão. O professor e ministro destaca que a corrupção no Brasil não foi produto de falhas individuais ou pequenas fraquezas. “O que nós tivemos foi uma corrupção sistêmica”, disse, “com um espantoso arco de alianças que incluiu empresas privadas, empresas estatais, empresários, servidores públicos, membros do Executivo e do Legislativo. Foram esquemas profissionais de arrecadação e de distribuição de dinheiro público desviado”.

“Como tenho dito, é impossível não sentir vergonha pelo que aconteceu no Brasil.”

O ministro afirmou que a corrupção compromete de forma grave a boa governança.

“Uma coisa que sempre me impressionou no Brasil é que ninguém assume os próprios erros e pede desculpas ao povo brasileiro. Todos alegam que estão sendo vítimas de perseguição política. Ou seja: não houve corrupção nem desvio de dinheiro!”

Ainda assim, Barroso destaca que é preciso tomar cuidado para não criminalizar a política, gênero de primeira necessidade em uma democracia. Lembrou que o mundo e o Brasil viveram “experiências históricas devastadoras” com tentativas de governar sem política, com a ajuda de militares, tecnocratas e da polícia política.

“O país precisa de reformas estruturais para superar a corrupção. Dentre elas, uma reforma política, a redução do tamanho do Estado e do seu peso nas atividades econômicas e um sistema de justiça criminal mais eficiente no combate a criminalidade do colarinho branco.”

Ele conclui dizendo que sua crença em uma refundação do país tem pouco a ver com qualquer governo ou ideologias. “Baseia-se, ao contrário, nas mudanças ocorridas na sociedade civil, que deixou de aceitar o inaceitável e desenvolveu uma imensa demanda por integridade, idealismo e patriotismo. E essa é a energia que muda paradigmas e empurra a história.”

Migalhas

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. anderson disse:

    Vergonha são vcs ricos do STF que vao ter aumento de 6 mil reais enquanto o povo toma no caneco e passa necessidade, vao se f covardes parasitas

    • Luis disse:

      Quer dizer que o maior roubo de dinheiro público do mundo é digno de aplausos? Ômi deixa de tolo, tu com esse empreguinho nesse sindicato e os filhos de luladrão bilionários. Deixa de ser otário, Zé Mané.

  2. Marco58 disse:

    precisamos sim da reforma estrutural nos três poderes , não da para viver pagando impostos, para os magistrados e seus companheiros, familiares com todos os direitos de auxílio moradia, paletó, escola, carros com motorista , diárias absurdas etc, concordo em gênero, número e grau com ministro só que ele esqueceu que nos brasileiros temos o judiciário mais caro do mundo, seria o mais sensato todos os poderes fazerem o dever de casa.

  3. Leo disse:

    Nunca antes na história desse país, um percentual expressivo de seu povo defendeu o maior ladrão de dinheiro público do mundo, pior é que não tem quem conteste, pois até devolução do assalto já teve.

Apple revela preços do iPhone XS, XS Max e XR no Brasil; entre R$ 5.199 e R$ 9.999

A Apple divulgou nesta terça-feira (30) os preços do iPhone XS, iPhone XS Max e iPhone XR no Brasil. Os smartphones, que foram lançados com valores a partir de US$ 749 nos Estados Unidos, chegam ao país por R$ 5.199 para o modelo mais simples, com tela LCD de 6,1 polegadas e 64 GB de espaço. A opção mais cara, o iPhone XS Max com 512 GB de espaço, sai por R$ 9.999.

Quanto custa

Estes são os preços do iPhone XS, iPhone XS Max e iPhone XR no Brasil (entre parênteses, os valores no mercado americano):

iPhone XR de 64 GB: R$ 5.199 (US$ 749)
iPhone XR de 128 GB: R$ 5.499 (US$ 799)
iPhone XR de 256 GB: R$ 5.999 (US$ 899)
iPhone XS de 64 GB: R$ 7.299 (US$ 999)
iPhone XS de 256 GB: R$ 8.099 (US$ 1.149)
iPhone XS de 512 GB: R$ 9.299 (US$ 1.349)
iPhone XS Max de 64 GB: R$ 7.999 (US$ 1.099)
iPhone XS Max de 256 GB: R$ 8.799 (US$ 1.249)
iPhone XS Max de 512 GB: R$ 9.999 (US$ 1.449)

A data de início das vendas ainda não foi revelada oficialmente pela empresa. Rumores apontam que o iPhone XS e o iPhone XS Max devem entrar em pré-venda no Brasil nesta sexta-feira (2), com entrega a partir de 9 de novembro.

Se você optar por adquirir o iPhone no exterior, vale lembrar que não é aconselhável pegar o modelo americano. Nos Estados Unidos, são vendidas as variantes A1920 (iPhone XS) e A1921 (iPhone XS Max), que não possuem uma das bandas de 4G utilizadas no Brasil, a banda 28, de 700 MHz, o que torna a cobertura pior que a dos modelos europeus.

O que há de novo no iPhone XS, iPhone XS Max e iPhone XR

O iPhone XS manteve o design do iPhone X, com tela de 5,8 polegadas, design com traseira de vidro e um notch na parte superior. Ele traz o processador A12 Bionic, com 15% mais desempenho em CPU, além de sensores novos na câmera dupla, que trouxe HDR inteligente para atingir alto alcance dinâmico mesmo em fotos em movimento, além de controle de profundidade, para ajustar a intensidade do desfoque de fundo.

Enquanto isso, o iPhone XS Max é o irmão maior, com tela de 6,5 polegadas. As câmeras são as mesmas, assim como o processador, as opções de armazenamento de 64, 256 ou 512 GB e as cores prata, cinza espacial ou dourado. O que muda, além do tamanho do display, é a bateria, com capacidade de 2.658 mAh no XS e 3.174 mAh no XS Max.

Já o iPhone XR é uma opção menos cara, com tela de 6,1 polegadas, mas painel LCD em vez de OLED. Não há câmera dupla, embora também seja possível fazer o efeito de desfoque de fundo; e a RAM diminui para 3 GB, mantendo o mesmo processador A12 Bionic. A bateria, de 2.942 mAh, tem 1h30min a mais de autonomia em relação ao iPhone 8 Plus, promete a Apple.

iPhone XS – ficha técnica

Bateria: 2.658 mAh
Câmera traseira: 12 MP grande-angular de f/1,8 e 12 MP teleobjetiva de f/2,4
Câmera frontal: 7 megapixels e abertura f/2,2
Conectividade: 2G, 3G, 4G, Wi-Fi 802.11ac, GPS, Bluetooth 5.0, Lightning, NFC
Dimensões: 143,6 x 70,9 x 7,7 mm
Cores: prata, cinza espacial e dourado
Memória interna: 64 GB, 256 GB ou 512 GB
Memória RAM 4 GB
Peso: 177 gramas
Processador: A12 Bionic de seis núcleos
Proteção IP: IP68 contra água e poeira e submersão contínua de 2 metros por até 30 minutos
Sistema: iOS 12
Sensores: acelerômetro, proximidade, câmera infravermelho (Face ID), bússola, giroscópio e barômetro
Tela: Super AMOLED de 5,8 polegadas e resolução 1125 x 2436 pixels

iPhone XS Max – ficha técnica

Bateria: 3.174 mAh
Câmera traseira: 12 MP grande-angular de f/1,8 e 12 MP teleobjetiva de f/2,4
Câmera frontal: 7 megapixels e abertura f/2,2
Conectividade: 2G, 3G, 4G, Wi-Fi 802.11ac, GPS, Bluetooth 5.0, Lightning, NFC
Dimensões: 157.5 x 77.4 x 7.7 mm
Cores: prata, cinza espacial e dourado
Memória interna: 64 GB, 256 GB ou 512 GB
Memória RAM: 4 GB
Peso: 208 gramas
Processador: A12 Bionic de seis núcleos
Proteção IP: IP68 contra água e poeira e submersão contínua de 2 metros por até 30 minutos
Sistema: iOS 12
Sensores: acelerômetro, proximidade, câmera infravermelho (Face ID), bússola, giroscópio e barômetro
Tela: Super AMOLED de 6,5 polegadas e resolução 1242 x 2688 pixels

iPhone XR – ficha técnica

Bateria: 2.942 mAh
Câmera traseira: 12MP grande-angular de f/1,8
Câmera frontal: 7 megapixels e abertura f/2,2
Conectividade: 2G, 3G, 4G, Wi-Fi 802.11ac, GPS, Bluetooth 5.0, Lightning, NFC
Dimensões: 150.9 x 75.7 x 8.3 mm
Cores: preto, branco, azul, coral, amarelo e vermelho
Memória interna: 64 GB, 128 GB ou 256 GB
Memória RAM: 3 GB
Peso: 194 gramas
Processador: A12 Bionic de seis núcleos
Proteção IP: IP67 contra água e poeira e submersão temporária de 1 metro por até 30 minutos
Sistema: iOS 12
Sensores: acelerômetro, proximidade, câmera infravermelho (Face ID), bússola, giroscópio e barômetro
Tela: LCD de 6,1 polegadas e resolução 1792 x 828 pixels

Tecnoblog

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tulio Sena disse:

    Impressiona-me algumas pessoas se disporem a pagar num celular, o preço de uma moto.
    Minha nossa!!

    • andrea disse:

      Você já parou para pensar que nem todo mundo andar de moto, cada qual com seu gosto.

Brasil tem 2.425 casos confirmados de sarampo

Até o dia 22 de outubro, 2.425 casos de sarampo foram confirmados no Brasil, sendo 2 mil no Amazonas e 332 em Roraima. Os dois estados registram ainda um total de 7.674 casos em investigação. De acordo com o Ministério da Saúde, casos isolados da doença foram confirmados em São Paulo (3), no Rio de Janeiro (19), no Rio Grande do Sul (43), em Rondônia (2), em Pernambuco (4), no Pará (17), no Distrito Federal (1) e em Sergipe (4).

Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil

O levantamento mostra que, até o momento, 12 mortes por sarampo foram confirmadas no país, incluindo quatro em Roraima (três estrangeiros e um brasileiro), seis no Amazonas (todos brasileiros, sendo três de Manaus, dois do município de Autazes e um do município de Manacapuru) e duas no Pará (indígenas venezuelanos).

Em nota, o ministério informou que, de janeiro a outubro, encaminhou o quantitativo de 13,2 milhões de doses da vacina tríplice viral – que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola – para os seguintes estados: Rondônia, Amazonas, Roraima, Pará, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Sergipe e o Distrito Federal. O objetivo, segundo o ministério, é atender à demanda dos serviços de rotina e a realização de ações de bloqueio, intensificação e campanha de vacinação para prevenção de novos casos da doença.

Agência Brasil