Câmara discute regulamentação de horário da programação junina

A recomendação do Ministério Público que fixa horário para término da programação junina em Natal foi tema de uma audiência pública na Câmara Municipal de Natal, nesta segunda-feira (11).

De acordo com a determinação da Promotoria do Meio Ambiente do Ministério Público, assinada pela promotora Rossana Sudário, a programação das quadrilhas juninas não pode passar do horário limite das 22 horas, de domingo a quinta-feira. Nas sextas-feiras e sábados, o horário passa para as 23h30.

Segundo o propositor da audiência, vereador Julio Protásio (PSB), o objetivo da audiência é conciliar as partes envolvidas. “Propomos um debate, para chegar a um entendimento de partes, de modo que se chegue a um entendimento que garanta tanto as festas quanto o bem estar da população”, destacou.

O presidente da Liga Independente das Quadrilhas Juninas do Rio Grande do Norte (Liquajutern), Humberto Floriano, questionou a determinação. “Essa determinação nos preocupa, porque inviabiliza parte da programação”, afirmou.

Para a promotora do Ministério Público Rossana Sudário, a medida facilita o trabalho de segurança nas festas. “Trabalhando dentro de um horário fixo, a atuação da polícia e dos fiscais municipais fica mais fácil. No meu entendimento, é uma mudança positiva”, afirmou.

O supervisor de fiscalização sonora da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), Evânio Mafra, também defendeu a medida. “É preciso ter bom senso, para que todos saiam ganhando: a população que quer ir à festa, mas também os moradores da área que precisam descansar no fim de semana”, afirma.

 

As vereadoras Julia Arruda (PSB) e Sargento Regina (PDT) também participaram da audiência.