Com invasões, queimadas, despejo de resíduos e crimes ambientais, Guarda Municipal reforça patrulhamento em Zonas de Proteção de Natal

Foto: Divulgação

As Zonas de Proteção Ambiental (ZPAs) da capital potiguar estão contando com um patrulhamento regular do Grupamento de Ação Ambiental da Guarda Municipal do Natal (Gaam/GMN). A medida tem o objetivo de combater possíveis invasões, queimadas, despejo irregular de resíduos e crimes ambientais contra a fauna e a flora desses habitats.

De acordo com o coordenador do Gaam/GMN, Isaac Cruz, os guardas municipais estão patrulhando semanalmente todas as 10 ZPAs da capital. As rondas acontecem com foco em detectar irregularidades de qualquer tipo que possam afetar o meio ambiente do local. “Nessa segunda-feira, percorremos 8 das 10 ZPAs da capital potiguar, bem como suas áreas de influências. Sempre buscando prevenir e combater crimes ambientais”, informou.

A titular da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes), Mônica Santos, ressaltou que o patrulhamento para proteção dessas áreas é de vital importância para Natal, pois a qualidade de vida do natalense está diretamente ligada a essa preservação onde o meio ambiente é o gerador da qualidade da água, do clima e do ar que se respira. “A preservação dessas áreas deve ser uma preocupação de toda a sociedade. A Guarda vem fazendo sua parte de patrulhar e fiscalizar. É preciso que o cidadão também faça a sua parte de respeitar as normas de proteção ambiental e de denunciar ao nosso patrulhamento qualquer tipo de ilegalidade”, solicitou.

Entre os delitos mais comuns flagrados pelos guardas em áreas de preservação, estão o despejo de resíduos sólidos de construção civil, lixo urbano, acesso de pessoas não autorizadas em área de dunas, invasões, retirada de areia, derrubada de cercas de isolamento, construções irregulares, entre outros. Para denunciar a prática de crime ambiental, o cidadão pode ligar para o número 190 do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) e informar o tipo de delito e o local para que os guardas municipais sejam acionados e inibam a ação criminosa. O infrator flagrado cometendo crime ambiental responde administrativa e criminalmente pelo crime cometido.

ZPAs

Natal conta com 10 Zonas de Proteção Ambiental (ZPAs) que estão resguardadas pelo seu atual Plano Diretor, sendo cinco delas regulamentadas através de legislações específicas. Somadas as suas respectivas áreas, as 10 ZPAs de Natal representam aproximadamente 34% da área total do município.

ZPA 01

Sun Valle (Zona Sul e abrange o conjunto Sun Valle no bairro Pitimbu)

ZPA 02

Parque das Dunas (Zona Leste e refere-se ao Parque Estadual das Dunas de Natal)

ZPA 03

Rio Pitimbu (Zona Sul e visa proteger o Rio Pitimbu)

ZPA 04

Guarapes (Fica nos bairros dos Guarapes e Planalto na Zona Oeste visando proteger o campo dunar)

ZPA 05

Lagoinha (Zona Sul no bairro de Ponta Negra garantindo um ecossistema de dunas fixas e lagoas)

ZPA 06

Morro do Careca (localizada no bairro Ponta Negra na Zona Sul com o intuito de proteger o Morro do Careca e áreas adjacentes)

ZPA 07

Forte dos Reis Magos (Zona Leste no bairro do Santos Reis e tvisa proteger o campo dunar e o mangue do Rio Potengi)

ZPA 08

Estuário do Rio Potengi (Zona Norte e visa proteger o ecossistema de manguezal localizada à margem do Rio Potengi, abrangendo também o Rio Jundiaí)

ZPA 09

Rio Doce (abrange dunas e lagoas ao longo do rio Doce, no bairro de Lagoa Azul, na Zona Norte)

ZPA 10

Mãe Luíza (localizada no bairro de mesmo nome e busca proteger as encostas dunares adjacentes ao Farol de Mãe Luiza, na Zona Leste).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antônio Soares disse:

    A ZPA 3 do rio Pitimbu, mesmo abastecendo quase metade de Natal, continua a receber dejetos (fezes) ao longo do seu percurso. Muito mais barato que tratar a água totalmente poluída é preservar suas margens mesmo que tenha que se pagar para isso. Falta de compromisso e irresponsabilidade de todos os governantes.

  2. Naldinho disse:

    Na Zpa 05 em alagoinha é só dejetos despejados a céu aberto e nunca ninguém tomou providências. Tem 2 protocolos abertos por mim nos anos de 2017 e 2019 e até agora nem visita ao local houve.

  3. Valdir Franco disse:

    As margens do rio doce sofrem com várias invasões que vão de extremós ao Rio Potengi. Completo abandono pelas autoridades responsáveis.

  4. José Antonio disse:

    Um vergonha, um verdadeiro lixão! Descaso das autoridades, do MP. Estão despejando tudo, entulho, lixo, móveis velhos., Etc. A degradação é visível né ninguém faz nada!

  5. Ricardo Humberto. disse:

    Basta ir a mãe Luiza, todos os dias novas casas são construídas em direção ao parque das dunas.

COMENTE AQUI