Dívida Prefeitura

Vejam a que ponto chegamos:

Reportagem do Novo Jornal de hoje traz o secretário de Planejamento da Prefeitura do Natal,  Antônio Luna, falando da situação do lixo e das finanças da Prefeitura.

Dentre muitas pérolas do secretário na entrevista, algumas chamaram atenção:

O secretario admitiu que a prefeitura deve R$ 127 milhões. Para Antônio Luna admitir que a PMN deve R$ 127 milhões é porque a dívida é muito maior. Neste montante não está o rombo da Urbana de gestões passadas de que ele não tem conhecimento, nem de despesas feitas recentemente, nos últimos 30 dias. O que impressiona é a naturalidade que um secretário diz que a Prefeitura deve um montante desses. Quantos fornecedores estão na pindaíba por causa do que forneceram sem até agora ter visto o dinheiro?

Pelo que vemos, uma boa parte do capital e do fluxo de caixa da Prefeitura hoje são os fornecedores. Ou não?

Outra pérola do secretário: a idéia de que a gestão Micarla contraiu e endividou a Prefeitura mais do que a gestões anteriores é “mito”.  Eu pergunto: Secretário, o senhor mora em Natal há quanto tempo? Nunca, nunca nessa cidade existiu uma calamidade financeira desse porte. Até faltar papel para imprimir guias de pagamentos na STTU já faltou.

Mais uma pérola: “é corriqueiro Prefeituras deverem em todo o País.” Quer dizer que justifica dever e deixar uma situação dessas porque outras prefeituras também devem?

O que mais me espanta é a naturalidade e a tranquilidade com que as pessoas da administração municipal falam sobre dívidas e dos problemas administrativos, como se isso fosse normal e quem estivesse errado fosse a população que cobra melhorias.

E aqui não estou falando de lixão, dengue, aluguéis. Estou comentando só a entrevista do secretário que tem a missão de planejar as ações da Prefeitura.

Para os fornecedores, a máxima da PMN é essa: cumpra e forneça com excelência, pontualidade e prazo dilatado. Porque a nossa obrigação é, quando for possível, fazer o favor de pagar.