Escavações esbarraram em técnica de engenharia para evitar desabamento em trecho do Bom Pastor

por Dinarte Assunção

Trecho de sistema de drenagem semelhante ao túnel que levará águas para o Potengi desabou na Prudente de Morais no início do mês.

 

Ao escavar o solo em direção ao Rio Potengi, a Queiroz Galvão se deparou com o risco real de desabamento quando chegou sob o solo do Bom Pastor. A areia fina do local não dava consistência suficiente para prosseguir a obra, sem assumir o risco de uma tragédia. Foi quando se pensou o ‘jet grouting’, que adicionou mais R$ 21 milhões à obra.

A técnica consiste em concretar o solo, basicamente, e perfurar o túnel através do concreto. O vai-e-vem da obra paralisou o jet grouting. De modo que, hoje, sob o Bom Pastor, existem galerias que estão cheias de água e lacradas. Tomaz Neto garante de forma definitiva que não há risco no local. “Todas as galerias cavadas estão, sim, com água, mas estão lacradas e não há vazamento”.

Para a obra do jet grounting prosseguir, será preciso reabrir as galerias submersas, secá-las e verificar o estado em que se encontram.

 

Finalização

Nesta semana, Natal aguarda parecer do Ministério da Cidades opinando pela continuidade da obra, para a qual estão ainda reservados R$ 50 milhões.

O secretário de Obras da cidade afirma que, uma vez que as intervenções sejam retomadas, o que dependeria apenas da liberação do Idema, as obras seriam concluídas em 8 meses.

Dos 4,7 quilômetros de extensão, faltam escavar 800 metros. Dos 33 poços espalhados ao longo da obra, faltam cavar cinco. Eles têm entre 30 e 32 metros de profundidade.

Desde que essa obra foi iniciada, diversos prazos têm sido anunciados. São a falta de cumprimento que tem levado Natal a ver repetidamente os alagamentos que se espalham pela cidade ao menor sinal de garoa.

LEIA TAMBÉM

Túnel de drenagem ‘soterra’ promessas, consome quase R$ 100 milhões e não é entregue quatro anos após a Copa

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Juvenal disse:

    O secretário disse que não há risco de desabamento. Bem, se eu morasse perto desses túneis já estava de mudança pronta…

    • Milton França disse:

      Há risco sim. O vingativo Tomaz Neto descumpriu o acordo firmado com a comunidade local no Bom Pastor, sob a arbitragem do MPE, que previa ajustes no projeto para proteger a nascente do Riacho Bom Pastor e realizar um conjunto de pequenas obras que estruturasse o bairro com equipamentos de esporte, cultura e lazer, além de remanejar para local salubre e digno os moradores da favela do Cambuim, Nada foi feito e a obra tende a continuar interditada. Os bairros estuarinos da Zona Oeste só são vistos pelo poder público até o momento como meros locais para descarga de esgotos, fezes, restos de construções, aguas contaminadas e relocação de favelados. Sem qualquer compensação significante.

COMENTE AQUI