Estudante de Natal é acusado de fraudar vestibular de medicina no sudeste

O natalense Artur Queiroz de Oliveira, de 28 anos, está entre os estudantes suspeitos de terem fraudado o vestibular do Centro Universitário de Patos de Minas (Unipam). Segundo matéria publicada no DEFATO.COM, a Polícia Civil de Minas Gerais, diz que eles usaram “dublês” no dia da prova de Medicina no fim do ano passado. A investigação foi baseada no exame grafotécnico e no depoimento dos suspeitos. Ouvidos em delegacia eles disseram desconhecer palavras que usaram na redação.

Além de Artur Queiroz, mais três pessoas estariam envolvidas no esquema. São elas: Marcos Lázaro Donato Barbosa, 23, de Guanambi (BA); Danilo Barbosa Resende, 18, de Porangatu (GO) e Eduardo Bodanesi Fontana, 33, Lajes (SC). Apenas um deles se antecipou e abandonou o curso durante as investigações. Os outros três estudantes atualmente moram em Patos de Minas e ainda estudam na Unipam.

Policiais iniciaram a apuração após denúncia da própria faculdade, que soube que um aluno foi visto em sua terra de origem no dia do vestibular. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Luiz Mauro Sampaio, eles desembolsaram entre R$ 20 mil e R$ 50 mil cada para uma quadrilha especializada nesse tipo de golpe.

O exame grafotécnico apontou que as assinaturas de quem fez a prova com as dos envolvidos não batiam. Eles também não souberam explicar respostas do vestibular ou termos usados na redação. Em uma delas, por exemplo, foi citado o ex-ministro Delfim Netto, mas o aluno afirmou desconhecer quem seria ele.

Eles foram ouvidos e liberados para responderem em liberdade porque não dificultaram as investigações, mas serão indiciados por falsidade ideológica, estelionato e falsificação de documento público. Somados, esses crimes podem render pena de até 16 anos de cadeia.

Os envolvidos seguem estudando, mas já respondem também internamente e podem ser expulsos no final do primeiro semestre.