Geral

Morre Bernard Madoff, responsável pela maior fraude financeira da história

Foto: Getty Images

Bernard Madoff, cujo nome se tornou sinônimo de fraude financeira, morreu nesta quarta-feira (14), enquanto cumpria uma pena de 150 anos na prisão federal de Butner, Carolina do Norte. Aos 82 anos, Madoff foi o cérebro por trás de um esquema de pirâmide financeira de US$ 20 bilhões — a maior fraude financeira da história.

Sua morte foi confirmada pelo Bureau of Prisons dos EUA. A causa da morte não foi divulgada.

Em fevereiro de 2020, ele pediu aos tribunais uma libertação antecipada da prisão, afirmando que tinha insuficiência renal terminal e expectativa de vida de menos de 18 meses. Mas o escritório do procurador dos EUA para o distrito sul de Nova York disse que o crime de Madoff foi “sem precedentes em extensão e magnitude” e era “razão suficiente” para negar o pedido de Madoff.

Ele teve uma carreira lendária em Wall Street, obtendo retornos astronômicos famosos para seus investidores, que incluíam o diretor Steven Spielberg, os atores Kevin Bacon e Kyra Sedgwick, além do dono do New York Mets, Fred Wilpon.

Ele serviu como presidente da Nasdaq por vários anos na década de 1990 e acumulou casas de praia, barcos e uma cobertura em Manhattan.

Mas Madoff foi preso em 2008 e se declarou culpado de 11 acusações criminais em 2009. Ele estava usando dinheiro de novos investidores para pagar os investidores anteriores. Ele supostamente tinha um total de US$ 65 bilhões sob gestão, mas dois terços desse dinheiro eram fruto da imaginação de Bernie Madoff.

Madoff fundou a Bernard L. Madoff Investment Securities em 1960, mas ninguém conseguiu provar quando Madoff começou a roubar investidores.

Ele disse à CNN Money em uma entrevista de 2013 que tudo começou em 1987, mas mais tarde ele disse que o esquema começou em 1992. O ex-gerente de contas de Madoff, Frank DiPascali Jr., disse em depoimento no tribunal que os crimes financeiros vinham acontecendo “há tanto tempo como eu me lembro”. Ele começou a trabalhar na empresa em 1975.

Irving Picard, o curador nomeado pelo tribunal para recuperar ativos roubados por Madoff, junto com o Departamento de Justiça, havia recuperado dezenas de bilhões de dólares, distribuindo a grande maioria às vítimas de Madoff. Além disso, a Securities Investor Protection Corporation forneceu US$ 600 milhões em seguro às vítimas.

Madoff nasceu em 29 de abril de 1938 no bairro de Queens, em Nova York, onde conheceu sua esposa Ruth no colégio. Eles tinham dois filhos, os quais trabalhavam para a empresa do pai. Mark se matou em 2010.

O irmão de Madoff, Peter, também cumpriu pena de 10 anos de prisão por seu envolvimento no esquema. Ele foi condenado em 2012.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. O maior sinônimo de fraude financeira contra os recursos públicos, foi o ex-presidiário Lula da Silva, que provocou um rombo de mais de um trilhão a economia do Brasil, com assaltos aos cofres do BNDS, CEF, PETROBRÁS e BB

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

PF investiga oferta falsa de 200 milhões de doses da vacina contra Covid-19 ao Ministério da Saúde

Foto: Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal cumpre sete mandados de busca e apreensão, na manhã desta quinta-feira (25), contra um grupo suspeito de oferecer ao Ministério da Saúde, de forma fraudulenta, 200 milhões de doses de vacinas contra Covid-19, “em nome de um grande consórcio farmacêutico”.

A denúncia partiu do próprio ministério. O nome do consórcio não foi divulgado. A investigação apontou ao menos dois suspeitos que, por meio de duas empresas, apresentaram credenciais falsas e afirmaram ter exclusividade para a comercialização do lote de vacinas.

O G1 aguarda um posicionamento do Ministério da Saúde para saber até qual estágio a negociação avançou.

Os mandados estão sendo cumpridos nas cidades de Paracatu, em Minas Gerais, e Vila Velha, no Espírito Santo, a mando da Justiça do Distrito Federal. Ninguém havia sido preso até a publicação dessa reportagem.

Ainda de acordo com a PF, além do Ministério da Saúde, a oferta fraudulenta de vacinas também foi feita a outros gestores públicos. O nome dos órgãos onde ocorreu a tentativa de fraude também não foi informado.

A operação, batizada de “Taipan” apura crimes de associação criminosa, estelionato contra entidade pública, além de falsificação de documentos e de produto destinado a fins medicinais.

G1

Opinião dos leitores

  1. Ação criminosa que exige os rigores da lei.
    Poremmm era uma vez, num país distante, q tinha um certo tribunal que relaxa, absolve, extingue a punibilidade, anula…

  2. É por essas e outras que tem tanto gestor pressionando para comprar vacinas. Mas assim: eles compram (pois supostamente só eles sabem onde tem vacinas diaponiveis) e o governo entra com a grana para pagamento.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Aras acata pedido de Natália Bonavides(PT-RN) e abre apuração para averiguar se Pazuello cometeu falsidade ideológica e fraude

Foto: Adriano Machado/Reuters

O procurador-geral da República, Augusto Aras, abriu uma apuração preliminar para averiguar se há indícios de que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, tenha cometido os crimes de falsidade ideológica e fraude processual.

No ano passado, ao enviar o plano de vacinação contra a Covid-19 ao STF (Supremo Tribunal Federal), o ministro incluiu no documento como responsáveis por sua elaboração nomes de pesquisadores que colaboram com a pasta e afirmaram posteriormente, em nota pública, que não tinham sido consultados.

Aras informou ao Supremo nesta quarta-feira (4) que adotou a providência ao se manifestar sobre um pedido de investigação enviado ao tribunal no mês de dezembro pela deputada petista Natália Bonavides (RN). Esse caso é da relatoria do ministro Edson Fachin.

O chefe do MPF (Ministério Público Federal) afirmou que “a conduta noticiada é do conhecimento” da PGR e “ está sendo apurada em procedimento próprio”.

A Folha acionou a assessoria de imprensa do ministério sobre o assunto, mas não obteve resposta até a publicação deste texto.

Pazuello já é alvo de um inquérito aberto pelo STF a pedido da PGR que investiga a responsabilidade do general do Exército no agravamento da crise sanitária no Amazonas e no desabastecimento de oxigênio em unidades de saúde do estado.

O ministro também foi incluído pela Procuradoria em outra apuração preliminar sobre a situação no Norte, instaurada para averiguar a conduta do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Em dezembro, atendendo a determinação do ministro Ricardo Lewandowski nos autos de duas ações que tramitam na Corte, o Ministério da Saúde, por intermédio da AGU (Advocacia-Geral da União), apresentou informações sobre o PNI (Programa Nacional de Imunização).

Além de uma nota técnica, a pasta comandada por Pazuello anexou um documento contendo os detalhes do plano do governo federal para disponibilizar as vacinas, incluindo uma lista de cientistas supostamente responsáveis pela elaboração do plano.

Parte dos pesquisadores que teve o nome incluído no material divulgou nota afirmando que não tinha sido consultada.

“O grupo técnico assessor foi surpreendido no dia 12 de dezembro de 2020 pelos veículos de imprensa que anunciaram o envio do Plano Nacional de Vacinação da Covid-19 pelo Ministério da Saúde ao STF”, afirmaram no comunicado 36 pesquisadores.

“Nos causou surpresa e estranheza que o documento no qual constam os nomes dos pesquisadores deste grupo técnico não nos foi apresentado anteriormente e não obteve nossa anuência.”

O grupo afirmou que havia solicitado reunião e manifestado preocupação pela retirada de grupos prioritários e pela não inclusão de todas as vacinas disponíveis que se mostrarem seguras e eficazes.

A apuração preliminar consiste no levantamento de informações junto aos órgãos públicos acerca das providências adotadas pelo governo federal na preparação do plano de vacinação.

Se a partir dos dados iniciais o chefe do Ministério Público Federal identificar indícios de crime ​ por parte das do ministro, um inquérito poderá ser requerido ao STF.

Folha de São Paulo

Opinião dos leitores

  1. Tática manjada do comunismo.
    Tentar tumultuar ao máximo.
    Enquanto isso, Lula e José Dirceu estão soltos depois de tudo que aprontaram…

  2. Essa sem futuro deveria solicitar uma investigação para saber onde estão os cinco milhões confiados à facção Consórcio Nordeste e que desapareceram.

  3. Homi. Essa deputada que votou contra o saneamento já fez alguma cojs pelo RN?
    Ela tá querendo ser do STF, né?
    Agora, pelo estado que foi eleita NADA!

  4. Não dá em nada. Se desse em algo, todos os políticos e gestores anteriores já estariam trancafiados, inclusive a thurma do PT

  5. Fraude é essa deputada.
    Pense num mandato inútil.
    E os desvios do consórcio Nordeste, vai fazer alguma coisa a deputada.
    Será que tem alguma notícia de quando volta os 5.000 milhões??
    Sem não!!
    Essa petezada não cansa de passar vergonha.

  6. O final do filme é conhecido: Abriu a apuração e vai arquivar alegando falta de provas.

  7. Por que essa "patricinha bolivariana", "esquerda caviar", não tenta fazer alguma coisa que preste pelo RN? Por que não tenta convencer sua "chefa" a yomar medidas realmente eficazes contra o vírus, como abrir leitos hospitalares? Para que mesmo está servindo o mandato dessa parlamentar? Aprenda a votar, povo potiguar!

  8. Essa turma da "lacração" NUNCA vai aceitar o resultado das urnas, da vontade popular expressada em 2018. E, SEM VOTOS e SEM APOIO POPULAR, estão fazendo oposição com a ajuda do Poder Judiciário, especialmente do STF, aparelhado por muitos anos de esquerda no poder. Por que não tentam trabalhar no Congresso, para o qual foram eleitos? Deixem o presidente trabalhar. Deixem de torcer pelo pior e atrapalhar o Brasil, cambada de irresponsáveis!

  9. O Pazuzu agora acho o chapéu perdido, pois mandou um documento para o STF assinado por pessoas que nunca nem viram tal missiva..hahaha

    1. Não poderiam assinar, pois não tinham direito a voto. Houveram algumas discordâncias, é fato, mas não tinham poder de assinatura. Só quem poderia assinar era o ministro. Não estou escrevendo isso porque defendo político A, ou B. Defendo sim, quem trabalha, e principalmente nesse momento tão difícil que o País tá atravessando.Mas uma bola fora dessa incompetente deputada. Vai dá em nada!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

GRAVE: CGU aponta fraude processual em dispensa de licitação para compra de ventiladores pulmonares pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal

Um relatório de auditoria feito pela Controladoria Geral da União nos contratos de compra de ventiladores pulmonares apontou fraude processual na dispensa de licitação por parte da Secretaria Municipal de Saúde de Natal.

De acordo com o documento, na dispensa de licitação no valor de R$ 1.397.500,00 constam três propostas de preços além da proposta da empresa vencedora, e todas elas com datas anteriores à abertura do processo.

A partir das propostas de preços existentes no processo, as três empresas foram questionadas pela equipe de auditoria acerca da apresentação de propostas de preços de ventiladores à SMS. A empresa LemOnde negou que o documento foi enviado por ela; a empresa Top Lum apresentou proposta de preço para ventilador pulmonar móvel, ou seja, para uso pelo SAMU que não somente não serve para uso hospitalar como não compete em preço com o ventilador para unidade hospitalar por ter características diferentes; e a empresa White Martins informou que fez uma cotação à SMS solicitada verbalmente, porém, sem qualquer especificação do ventilador e não obteve mais conhecimento do resultado da dispensa.

Para a CGU, confirma-se que não houve cotação de preços junto às empresas. “Os fatos demonstram a frustração ao caráter competitivo, fraude documental e montagem de processo na Dispensa de Licitação nº 40/2020”, diz o relatório.

Ainda de acordo com o relatório, com relação ao trâmite do processo, o projeto básico foi elaborado utilizando a especificação do produto do fornecedor previamente escolhido, após o recebimento das propostas de preços, ou seja, fez constar na especificação a marca e o modelo do ventilador pulmonar do fornecedor, que no caso foi a empresa Philips (CNPJ 58.295.213/0021-11).

Opinião dos leitores

  1. Tem gente que rasga seu próprio dinheiro, imaginem com o dinheiro dos outros, dinheiro público. Não tem como segurar a thurma. Sempre vai ser assim, enquanto gestor existir

  2. Só quero saber se irão colocar o caboclo que comprou na cadeia, pois se for só para fazer média e não acontecer nada, deixe o vagabundo solto para gastar a grana da propina, pois esse valor na frente dos cinco milhões que roubaram dos respiradores é café pequeno.

  3. Contratações que usam dispensa ou inelegibilidade de licitação são sempre passíveis de suspeita de fraude pois o direcionamento ou quebra da isonomia no processo licitatório se tornam mais fáceis de acontecer… Eis que a CGU descobriu o esquema pois havia verba federal envolvida nessa compra. Imagine o que não passa de fraude quando não tem a fiscalização da CGU ou TCU…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Federal combate fraude na concessão de benefícios previdenciários no RN

Foto: Divulgação/PF

A Policia Federal, em ação conjunta com a Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT) e integrantes da Força-Tarefa Previdenciária e Trabalhista no RN, deflagrou na manhã desta terça feira, 8/12, a Operação Cubo de Rubik II, objetivando desarticular um esquema criminoso que se utilizava de documentos falsos com a finalidade de obter benefícios previdenciários. Cerca de 12 policiais federais cumprem três mandados de busca e apreensão na cidade de Areia Branca/RN, na região da Costa Branca.

Esta é a segunda fase da operação deflagrada em outubro de 2019, quando foi identificada, durante as investigações, a utilização de registros civis falsos com intuito de criar dependentes fictícios, como por exemplo, filho menor de idade, e requerer benefício previdenciário da espécie pensão por morte.

O total de benefícios fraudulentos apurados até agora já causou um prejuízo aproximado de R$ 200 mil aos cofres públicos e, considerando que tais benefícios seriam pagos até os dependentes atingirem a maioridade, o montante ultrapassaria o valor de R$ 1 milhão.

Com esta nova etapa da Operação Cubo de Rubik, a Polícia Federal busca aprofundar ainda mais as investigações e, identificar outros benefícios concedidos por meio de fraude.

Não haverá entrevista coletiva.

 

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Governador de SC é alvo de buscas da PF e MP em investigação sobre suposta fraude na compra de respiradores

Governador Carlos Moisés é alvo de investigação por causa da compra de respiradores e de processo de impeachment — Foto: Cristiano Estrela/Secom

A Polícia Federal e a Ministério Público Federal (MPF) cumprem na manhã desta quarta-feira (30) mandado de busca e apreensão na Casa da Agronômica, onde mora o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), em Florianópolis. Ele é alvo de uma operação que investiga a compra de 200 respiradores por R$ 33 milhões pagos antecipadamente pelo governo. O G1 procurou a defesa de Moisés e aguardava retorno até a última atualização. O Governo do estado informou à NSC TV que por enquanto não vai se manifestar.

Segundo a PF, cinco mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos no estado e dois ex-integrantes do governo, que não tiveram os nomes divulgados, também são alvo da operação.

O mandado foi expedido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e é necessário, segundo o Ministério Público Federal, para apurar a relação de Carlos Moisés com empresários que venderam aparelhos ao estado.

O governador de Santa Catarina é alvo de dois processos de impeachment, um relacionado à compra dos respiradores, em um pedido entregue por 16 pessoas entre advogados e empresários, e outro relacionado ao aumento dado aos procuradores do estado em 2019.

Há ainda um terceiro pedido, também relacionado à compra dos respiradores, que é avaliado pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). Este processo, da questão salarial está sendo julgado por um tribunal mistro entre deputados e desembargadores. O segundo pedido é analisado por uma comissão especial de deputados.

Os respiradores foram comprados em março pelo Governo e não foram entregues. Apenas 50 dos 200 respiradores chegaram ao estado, mas foram apreendidos. Eles também não atendiam à necessidade do estado, segundo o próprio secretário de Estado da Saúde.

A compra foi alvo de investigação da Polícia Civil e Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). A investigação foi enviada pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) ao STF, que em agosto determinou que a Polícia Federal investigasse a compra.

Além disso, uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa de Santa Catarina também investigou a compra e o relatório dos deputados pediu o impeachment do governador, apontando que ele foi omisso. O pedido é analisado pela Alesc e não foi votado.

As viaturas saíram descaracterizadas da Polícia Federal e do MPF logo no início da manhã em direção à Casa da Agronômica, que fica na Avenida Beira-mar Norte, na região central da capital catarinense, a poucos metros das sedes da PF e MPF.

De acordo com o MPF, as investigações sobre a compra desses respiradores apontaram indícios da participação do governador na contratação da empresa Veigamed para fornecimento de 200 respiradores. Segundo a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, o mandado de busca e apreensão foi pedido para averiguar se a ordem de compra partiu do chefe do executivo.

“Há elementos que demonstram a constituição de um esquema criminoso de desvio de dinheiro público”, informou o MPF, que investiga se ocorreu fraude à licitação, peculato, corrupção, concussão, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Está faltando uma voltinha do pessoal da PF aqui no estado, muitas coisas estranhas tem acontecido, principalmente a nível de governo e na SESAP, tem que ir na redinha, favela do mosquito, casas de marmita, etc. Vão descobrir muita coisa.

  2. Como que o gado é engraçado o cara é do PSL , kkkkk , aí querem dizer que ele é PT ,vão chupar à kid bolsonarsta sem futuro

  3. Vermes petistas, a diferença é grande, o Mito não age a favor dos ladrões, seu guru além de agir a favor, queria a parte dele. Corja de fdp!!!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Auxílio Emergencial: Ministério da Cidadania enviou 1,3 milhão de CPFs à Caixa para bloqueio por suspeita de fraude

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Ministério da Cidadania enviou à Caixa Econômica Federal (CEF) 1.303.127 números de Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) para bloqueio e realização de uma verificação detalhada por suspeita de fraudes no Auxílio Emergencial.

“Não é possível ainda afirmar que esses CPFs sejam considerados cancelados ou inelegíveis para receber o benefício”, diz o ministério em nota. “Qualquer indício de ilegalidade, em especial na ótica criminal, é imediatamente informado à Polícia Federal e os pagamentos são suspensos”.

Na terça-feira, o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães, afirmou que ‘centenas de milhares’ de contas poupança digital do banco, movimentadas pelo Caixa Tem e usadas para o crédito do Auxílio Emergencial, foram suspensas por suspeita de fraude.

“Todos os bloqueios são suspeita de fraude”, afirmou Guimarães. “Suspendemos centenas de milhares de contas sim, e nesse momento as pessoas podem pedir o desbloqueio”. Ainda segundo Guimarães, o total de contas bloqueadas seria equivalente a cerca de 5% do total de aprovados.

O G1 questionou a Caixa e o Ministério da Cidadania se os bloqueios determinados pelo ministério são os mesmos a que se referia Guimarães ou adicionais a estes, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

O canal para registro de denúncias de fraudes é o sistema Fala.Br (Plataforma integrada de Ouvidoria e Acesso à Informação da CGU) ou pelos telefones 121 ou 0800-707-2003.

Liberação das contas

De acordo com o presidente da Caixa, as pessoas que tiveram a conta bloqueada terão que comparecer a uma agência do banco e comprovar sua identidade. “Quando a pessoa vai à agência e mostra que é ela mesma, nós liberamos rapidamente. Se ela não for, ficará sim bloqueado, porque essa questão de fraude nesse momento de pandemia é inaceitável”, disse.

Segundo a Caixa, os trabalhadores que tiveram as contas suspensas receberão a mensagem “Procure uma agência da CAIXA com seu documento de identidade para regularizar seu cadastro”, e que devem seguir essa orientação para a regularização do acesso e conta.

Estratégia de combate

Em nota, o Ministério da Cidadania apontou que esse trabalho é consequência dos acordos firmados com a Controladoria Geral da União, o Tribunal de Contas da União e o Ministério Público Federal para controle dos pagamentos do Auxílio Emergencial.

O primeiro tratamento das informações, com cruzamento de dados e aplicações de filtros, será feito pelo Ministério da Cidadania e pela Caixa. As comunicações de irregularidades são enviadas à Caixa, que verifica se houve fraude no pagamento.

“São os casos em que o Auxílio Emergencial foi entregue a uma pessoa diferente da que possui o direito de receber o benefício. Isso pode ocorrer por clonagem de cartão e acesso indevido a sistemas e contas, entre outras hipóteses”, aponta a Cidadania.

Se for confirmada irregularidade, os dados serão enviados à Polícia Federal. Se esse tipo de fraude não for identificada, os dados serão enviados ao Ministério da Cidadania para a verificação de fraudes na concessão, decorrentes de pedido e recebimento por pessoas sem direito ao Auxílio.

Fraudes

Ainda na terça-feira, Guimarães apontou que a origem de fraude se deu no início dos cadastramentos do Auxílio Emergencial. De acordo com ele, como muitas pessoas não possuíam celular, a Caixa permitiu que um celular abrisse mais de uma conta, o que foi o “cerne da fraude”.

“Temos as provas de que a grande maioria foram utilizadas por hackers. Mas algumas pessoas são pessoas honestas que foram penalizadas”, afirmou. Ele apontou, no entanto, que os responsáveis já foram identificados, “e rapidamente serão penalizados”.

Questionada pelo G1, a Caixa informou que o aplicativo Caixa Tem “possui múltiplos mecanismos integrados de segurança, mantendo-se inviolável e seguro”, e recomendou que os beneficiários utilizem apenas aplicativos oficiais da Caixa e não compartilhem informações pessoais. Segundo o banco, o bloqueio preventivo é feito para proteger os clientes.

“O banco esclarece que informações sobre eventos criminosos são repassadas exclusivamente às autoridades policiais, e ressalta que presta irrestrita colaboração nas investigações”, apontou a CEF em nota.

G1

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Auxílio Emergencial: Caixa suspende ‘centenas de milhares’ de contas digitais por suspeita de fraude

Foto: Jornal de Brasília

O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães, afirmou nesta terça-feira (21) que ‘centenas de milhares’ de contas poupança digital do banco, movimentadas pelo Caixa Tem e usadas para o crédito do Auxílio Emergencial, foram suspensas por suspeita de fraude.

“Todos os bloqueios são suspeita de fraude”, afirmou Guimarães em entrevista ao portal InfoMoney. “Suspendemos centenas de milhares de contas sim, e nesse momento as pessoas podem pedir o desbloqueio”.

De acordo com o executivo, as pessoas que tiveram a conta bloqueada terão que comparecer a uma agência da Caixa e comprovar sua identidade. “Quando a pessoa vai à agência e mostra que é ela mesma, nós liberamos rapidamente. Se ela não for, ficará sim bloqueado, porque essa questão de fraude nesse momento de pandemia é inaceitável”, disse.

Guimarães apontou que a origem de fraude se deu no início dos cadastramentos do Auxílio Emergencial. De acordo com ele, como muitas pessoas não possuíam celular, a Caixa permitiu que um celular abrisse mais de uma conta, o que foi o “cerne da fraude”.

“Temos as provas de que a grande maioria foram utilizadas por hackers. Mas algumas pessoas são pessoas honestas que foram penalizadas”, afirmou.

Ele apontou, no entanto, que os responsáveis já foram identificados, “e rapidamente serão penalizados”.

O G1 questionou a Caixa sobre o número exato de contas bloqueadas por suspeita de fraude e sobre os procedimentos para desbloqueio, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

Reclamações

Beneficiários do Auxílio Emergencial e do saque emergencial do FGTS estão relatando dificuldades para acessar os recursos por meio do aplicativo Caixa Tem. Nas redes sociais, há relatos de pessoas que não estão conseguindo acessar o Caixa Tem, seja para usar o dinheiro do auxílio emergencial ou do FGTS, seja para acessar o saldo, e falam ainda da demora para concluir uma simples transação de compra usando o próprio app. E que a fila virtual de acesso persiste.

Volume grande de acessos

Na segunda-feira (20), a Caixa informou ao G1 que, devido ao grande volume de acessos simultâneos nesta segunda-feira com o pagamento do Fundo de Garantia para os nascidos em abril, o aplicativo FGTS apresentou intermitência no início da manhã, mas já voltou a ficar estável. “Os recursos disponíveis aos trabalhadores com direito ao saque emergencial de até R$ 1.045 seguiram podendo ser consultados normalmente no aplicativo Caixa Tem e no site fgts.caixa.gov.br”, afirmou em nota.

O banco afirma que tem feito melhorias contínuas no Caixa Tem, otimizando soluções e infraestrutura para melhor atender a todos os brasileiros, e que houve diminuição no tempo médio de espera virtual para acessar o aplicativo para cerca de 5 minutos. Caso o usuário não consiga visualizar o saldo de sua conta, a orientação é procurar uma agência da Caixa para atualização cadastral.

O app Caixa Tem foi criado para os beneficiários do Auxílio Emergencial sem conta em banco poderem ter o pagamento do benefício, por meio da poupança social digital. Depois o acesso foi estendido para todos os beneficiários, mesmo aqueles com conta bancária, para que pudessem receber o Auxílio em um primeiro momento, para fazer compras e pagamentos, até o saque ser autorizado.

Os problemas relatados com o aplicativo Caixa Tem começaram ainda no mês passado, quando a Caixa Econômica Federal incluiu o pagamento do FGTS no app que dá acesso ao uso da poupança social digital.

Atualização

No último dia 7, a Caixa Econômica Federal anunciou uma atualização no aplicativo Caixa TEM para corrigir falhas na ferramenta. O banco afirmou à época que havia aumentado para 72 horas o período de sessão do aplicativo nesta nova atualização, o que fez com que o usuário não precisasse entrar novamente na fila de acesso para uma nova operação.

Com informações do G1

Opinião dos leitores

  1. Eu mesma fui prejudica por conta desta palhaça!agora vou ter que perder um dia de trabalho pra fica naquela fila infernal por conta de um sistema falho! Não sei por que colocarão o FGTS junto com o auxílio o dinheiro é nosso!o governo não está nos dando nada!

  2. Este Blog, e outros canais de comunicação, poderiam cobrar da CAIXA, à respeito da PAUSA HABITACIONAL, já que todo dia sai notícias sobre o auxílio, mas pessoas, como eu, também esperam notícias sobre a prorrogação ou não, da mencionada pausa. Espero que aconteça, pois são recursos que estão pagando outras despesas urgentes. Então, como sugestão, cobrem notícias da CAIXA sobre o assunto. É de muita utilidade pública.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Perfil nas redes sociais “criado para a exposição de fraudadores de cotas”, denuncia supostos casos na UFRN

Foto: Reprodução/Twitter

No microblog Twitter. o perfil Fraude nas Cotas @FraudeNasCotas, com quase cinco mil seguidores, faz sua descrição como “criado para a exposição de fraudadores de cotas nas Universidades do Brasil”.

E abre o seguinte espaço:

“Quer expor algum fraudador de cota? Envie-nos na dm. Nossa forma de protesto!”

O perfil expõe nomes e fotos do que identificam como estudantes de universidades pelo país, inclusive, com supostos casos nos cursos de odontologia e medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Norte(UFRN).

Em um dos posts, descreve: “alma de negra em pelo de loira”, citando uma jovem do curso de odontologia.

Opinião dos leitores

  1. Coisa de esquerda? Tem gente passando vergonha
    Ou tem gente que não pode ver uma vergonha que passa. Até aqui nos comentários

  2. Kd o MP? Vamos valer as mordomias minha gente. Isso é coisa da esquerda. Beneficiam os deles faz tempo, ninguém faz nada????? Cabaré de mãe joana.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Empresário é preso suspeito de fraude na compra de respiradores no Rio

Maurício Fontoura, controlador da Arc Fontoura, na Cidade da Polícia. Foto: Reprodução/TV Globo

O Ministério Público e a Polícia Civil do RJ iniciaram nesta quarta-feira (13) mais uma etapa da Operação Mercadores do Caos, que investiga suposta fraude na compra de mil respiradores pelo governo do estado.

A força-tarefa prendeu o empresário Maurício Fontoura, controlador da empresa Arc Fontoura. A firma é uma das investigadas no esquema de contratos irregulares, sem licitação, no total de R$ 183,5 milhões — a suspeita é que houve vantagem indevida no trâmite.

Um endereço de Maurício já havia sido alvo de mandado de busca e apreensão na semana passada. Nesta quarta, agentes também procuram provas em Piraí, no sul do estado.

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara especializada de Crime Organizado do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Carlo Huberth Luchione, advogado da Arc Fountoura e de Mauricio Monteiro, disse que ele esclareceu, em depoimento, que o estado só pagou pelos respiradores que foram efetivamente entregues e que estes já estão sendo utilizados no combate à Covid, “não sendo verdade que não funcionariam”. Disse também que não conhece os outros acusados e que nunca usou empresas de fachada.

Cinco presos

Com a etapa desta quarta, subiu para cinco o total de presos na operação, cuja primeira fase foi na última quinta (7).

Gabriell Neves, subsecretário de Saúde do estado, exonerado antes da prisão;

Gustavo Borges, que sucedeu Gabriell na pasta, exonerado depois da operação;

Aurino Filho, dono da A2A, uma empresa de informática que ganhou contrato para fornecer respiradores ao estado;

Cinthya Silva Neumann, sócia da Arc Fontoura;

Maurício Fontoura, controlador da Arc Fontoura e marido de Cinthya.

A Justiça acrescentou que não há garantia de que os equipamentos sejam entregues. Parte do pagamento adiantado ocorreu em uma hora, como mostrou o G1.

Nesta terça (12), o G1 mostrou que o governo pagou R$ 33 milhões adiantados às três empresas que foram alvo de ação — além da Arc Fontoura e da A2A, a MHS Produtos também é investigada.

Apesar disso, o governador do RJ, Wilson Witzel, afirmou que “nenhum centavo” vai sair dos cofres do estado sem comprovação da regularidade dos contratos.

No total, mil respiradores foram comprados das três empresas. A Secretaria de Saúde não respondeu se algum deles já foi recebido. Em nota, informou apenas que já pediu o cancelamento dos contratos.

“As notificações exigem que as devoluções de valores já repassados ocorram em até 10 dias, sob pena de medidas judiciais cabíveis”.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Ex-subsecretário de Saúde do RJ é preso por suspeita de fraude na compra de respiradores

Gabriell Neves foi exonerado do cargo de subsecretário de Saúde do RJ — Foto: Reprodução/TV Globo

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Polícia Civil do RJ prenderam nesta quinta-feira (7) Gabriell Neves, ex-subsecretário estadual de Saúde, e mais três pessoas.

Além de Gabriell, foram presos Gustavo Borges da Silva e Aurino Batista de Souza Filho — o nome do quarto não foi divulgado.

O grupo é suspeito de ter obtido vantagens na compra emergencial de respiradores para pacientes de Covid-19 no estado. Uma quinta pessoa era procurada até a última atualização desta reportagem.

Aurino faz parte da A2A, uma empresa de informática que ganhou contrato para fornecer respiradores.

Neves foi exonerado pelo governador Wilson Witzel no dia 20 de abril justamente por suspeita de irregularidades — os contratos questionados somaram R$ 1 bilhão, entre respiradores, máscaras e testes rápidos comprados sem licitação.

Equipes do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc/MPRJ) e da Delegacia Fazendária também cumprem 13 mandados de busca e apreensão no Município do Rio.

Suspeitas e exoneração

Duas ações do subsecretário aparecem como suspeitas:

A montagem dos hospitais de campanha pelo Instituto de Atenção Básica Avançada à Saúde (Iabas);

Contratação de uma empresa para gerenciar serviço de Samu por R$ 76 milhões, sem licitação, que, anteriormente, era exercido pelo Corpo de Bombeiros.

Reportagem exibida no RJ2, em 11 de abril, afirmava que o Governo do RJ gastou R$ 1 bilhão para fechar contratos emergenciais, sem licitação, para o combate do Covid-19.

Os valores seriam destinados para a compra de respiradores, máscaras e testes rápidos.

A maior parte deste dinheiro, quase R$ 836 milhões, seria destinada para a Organização Social (OS) Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas).

O G1 apurou que, nos últimos meses, Gabriell Neves centralizou boa parte das decisões da pasta, desde que assumiu, em fevereiro deste ano. Houve uma disputa com a subsecretária Mariana Tomasi Scardua que resultou em sua saída da pasta.

Gestão do Samu

Uma das suspeitas de problemas de Gabriell Neves na Saúde está na contratação por R$ 76,5 milhões da empresa OZZ Saúde Eireli para fazer a gestão do Samu na cidade do Rio de Janeiro, que antes era feita exclusivamente pelo Corpo de Bombeiros.

Ao fundamentar a compra, a secretaria cita a Lei Federal 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que permite a contratação de serviços “destinados ao enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus”.

Na notícia presente no site da pasta, no entanto, o próprio governo diz que a mudança na gestão do Samu não foi fruto da pandemia – que sequer é mencionada na notícia –, mas sim por uma determinação do Tribunal de Contas do Estado.

Contratação para os hospitais de campanha

O G1 também mostrou indícios de fraude no processo de construção de sete hospitais de campanha do governo do Rio de Janeiro. A medida é a principal ação contra a pandemia da Secretaria de Estado da Saúde.

Esse contrato com o Iabas foi assinado por Gabriell Neves antes de ser afastado.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. É por isso que o Bolsonaro não presta, e tentam tirar o homem a todo custo pra liberar a roubalheira como era de costume

    1. Eu é que não boto a minha mão no fogo por político brasileiro nenhum. Especialmente aqueles que fazem das tripas coração para ter os órgãos policiais sob seu controle.

  2. Primeiro a ir pra gaiola. Kkkk
    Tem que pegar todos que estão se aproveitando da desgraça do covid, pra continuar roubando.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

Para Bolsonaro, eleição teve fraude e ele foi eleito em 1º turno

Foto: Marco Bello/Reuters

Sem apresentar provas, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta segunda-feira (09/03) em Miami, onde participava de um evento da comunidade brasileira, que “houve fraude” nas eleições de 2018 que o conduziram à Presidência da República.

Para o ex-capitão do Exército, ele não deveria ter sido submetido ao segundo turno contra o petista Fernando Haddad porque foi “eleito no 1º turno”. O hoje presidente disse ter provas da acusação, mas não a forneceu nem revelou quando a apresentaria.

“Fui eleito em primeiro turno e, em meu entender, houve fraude. Precisamos aprovar no Brasil um sistema seguro de votos”, declarou.

Bolsonaro alcançou à Presidência após conquistar mais de 57 milhões de votos (55,1%) no segundo turno do pleito, contra contra 47 milhões (44,8%) de Haddad. Votos brancos somaram 2,14% e nulos superaram os 7,43%.

Com informações do Metrópoles e Agência Reuters

Opinião dos leitores

  1. Pesquisem sobre a CAMBRIDGE ANALYTICA, e descubram a verdade sobre a fraude nas eleições no Brasil.

  2. Teve fraude sim…foi Moro que fraudou. Lula levava no 1° turno e Bozoburro estaria, a essa hora, recebendo sua gorda aposentadoria de militar expulso e de deputado imprestável que mamou 28 anos sem apresentar projeto.(Claro, claro…o Queiroz estaria bem melhor de vida, os cheques caindo normalmente na conta de Micheque e os milicianos do condomínio dele TB estariam quietinhos…)

  3. Já está na hora de começar a trabalhar . Votei nele mas conversa muito e culpa os outros. É muito vai e vem. Tem que se impor . É o presidente e tem que botar o BRASIL para desenvolver. O resto é BALELA.

  4. Nosso presidente é constantemente chantageado pelos outros 2 Poderes. As manifestações do dia 15 são exatamente para combater esse "mecanismo" corrupto e anti-democrático, que não deixa o presidente fazer aquilo que o povo quer (para isso ele foi eleito). Mas, os esquerdopatas não se conformam. Então perdendo suas "boquinhas" há algum tempo. E o RN, como está? E a reforma da previdência estadual, que a governadora era contra? E os salários atrasados dos servidores? E os hospitais sendo fechados? E o pagamento dos fornecedores do estado? E cadê os investimentos do governo estadual? E o aumento do piso dos professores, que Bolsonaro concedeu e a governadora não quer pagar? E por onde andam os sindicalistas PELEGOS?

    1. Todos os Presidentes, Governadores e Prefeitos passam por isso. Não está preparado é outra coisa.

  5. Isso é a lógica. Os índices esperados eram bem superiores ao divulgado. E tem essa estranha rejeição dessa cambada ao registro impresso do voto, que foi decidido no Congresso e o Judiciário descumpriu. Mais um absurdo. E as urnas são fabricadas por uma empresa venezuelana.

    1. Urnas fabricadas por empresa venezuelana? De onde você tirou isso? A empresa que fabrica as urnas é a Diebold/Nixdorf, procure saber de onde ela é, antes de falar besteira e espalhar fale news, se bem que é típico dos apoiadores de Bolsonaro. Ah, antes de falar besteira como argumento, não sou PT e gostei muito dos PTralhas serem expulsos do poder.

  6. Mais capim pro gado defendê-lo nas mídias sociais.
    Como o imbecil tem um déficit sério de cognição para resolver os problemas da nação, só resta pra ele jogar capim pro 20% gado-cego q o apoiam.

  7. Comete crime de responsabilidade se não provar o que diz e se provar que houve fraude teremos novas eleições. É muito imbecil esse Bozo.

  8. Como o brasileiro é idiota, imbecil, otário etc. Etc etc.
    Defender dois vagabundos desses e merecer tá na merda,
    Por isso que este país tá nessa situação

  9. O bom desse doido ter vencido as eleições, foi ter expulsado os PTralhas do poder. Se for verdade, prove se não fique calado que é melhor.

  10. Jair está certo, o sentimento do povo, era de mudança já no primeiro turno.
    Ajustaram, no final as pesquisas da globinho.
    Mas a casetada, ja foi no primeiro turno.
    As pesquisas da globinho, e tão ruim, manipuladas na cara do eleitor, que dizia que o homem, não ganhava de ninguém.
    Isso é um absurdo!!

  11. A justiça eleitoral tem que se manifestar e esclarecer essa afirmativa, sob pena de por em duvida todos que foram eleitos e a propria credibilidade!

  12. Homi, deixa de conversar "aresia" e vamos governar, Senhor Presidente. Só o que temos no Brasil são problemas a resolver, para frente é que se anda.

  13. Estou de pleno acordo c o Mito, era para ter terminado no primeiro turno, de onde apareceram esses votos para o poste???????

    1. Se tem provas, basta mostrar, pois, caso sejam justas, será possível mudar o sistema eleitoral. Agora, dizer que tem provas e não mostrar, não tem credibilidade alguma.

  14. ESSE MARGINAL LOUCO E RETARDADO SEMPRE LANCA ALGO PARA TIRAR O FOCO DAS ARMADILHAS QUE FAZ….E AINDA TEM RETARDADO IGUALZINHO A ELE QUE O ACOMPANHA….AH UMA BOMBA……NOJO DESSA LESMA…NOJOOOOOO…….PAVORRRR….AH DEUS TIRA ESSA PESTE LOGO DAQUI

    1. Parabéns MITO, só você tem coragem de colocar esses bandidos Ptralhas no canto da parede. Essa vagabundagem Ptralha vai a loucura. Continue assim, você foi eleito para quebrar essa raça de bandidos parasitas e acéfalos que votam no mairo ladrão de todo os tempos no Brasil o molusco nove dedos LULADRÃO. kkkkkkkkkkkkkk

    2. Esse é o MEU PRESIDENTE, diz as verdades que precisam ser ditas. CHORA ESQUERDA INCONFORMADA.

  15. Bolsonaro diz que a eleição foi fraudada, que venceu no 1° turno e tem prova.

    2 caminhos:

    1) É verdade. Ele mostra provas, investiga-se e prende-se os responsáveis, inclusive no TSE, e faz-se nova eleição para todos os cargos.

    2) É mentira e ele sofre processo de impeachment.

    1. A verdadeira solução seria utilizando duas duplas de cabo e soldado. Nosso presidente está sendo chantageado pelos outros 2 Poderes, corruptos e aparelhados pelos sucessivos governos de esquerda. Para governar, Só fazendo parte do "esquema". As manifestações do dia 15 são para combater essa triste realidade.

    1. Aguentou 14 anos de roubalheiras e desmandos dos (des) governos do PT. O presidente foi eleito EXATAMENTE para combater esse mecanismo. Aproveitando o assunto, será que o RN, já moribundo, aguenta 4 anos de Fatão do PT?

  16. Primeiro, Bolsonaro divulga vídeo chamando manifestação no WhatsApp. Depois, convoca os atos publicamente mesmo. E agora diz que a eleição foi fraudada e não apresenta provas. Nesse ritmo é capaz de queimar a Constituição na live da próxima quinta.

  17. Sinceramente, já quero que esse Paulo Guedes vá pra PQP. Um falastrão que não resolve nada! Esse país nosso é um lixo! Tinha tudo pra se reorganizar mas vai afundando mais e mais a cada dia.

  18. Nada como ter um presidente que tranquiliza seu povo em meio a maior crise econômica do mundo na última década.

    Não, pera…

    1. Esse queria ver o encantador de burros dizer q é só uma marolinha.

  19. O dono da empresa que faz a manutenção dos meus computadores é bolsominion, cidadão de bem. Um dia me perguntou em quem havia votado. Qd respondi Haddad, ele disse que só ia fazer o serviço pq eu era cliente antigo. Soube que vai fechar a empresa e se mudar pra Portugal.

  20. Vocês não percebem que isso tudo é para causar alarmismo e desviar nossa atenção? Ele não quer que cobremos dele uma posição séria e coerente sobre questões sérias, como esse colapso econômico que pegou todos de surpresa. Já esqueceram do palhaço que colocou p ñ falar do pibinho?

  21. PT burro da gota. Fraudou pro adversário ganhar. Kkkkkk o mundo caindo e o mito conversando bosta. Esse cabra só pode ser doido, ou se faz.

  22. Ele não entendeu ainda que foi eleito para governar, e não para constantemente fazer acusações levianas.
    Com falou o Gal. Heleno, o terraplanista, -“o cara é muito despreparado”.

  23. Falando besteira. Esse tipo de comentário só atrapalha o próprio governo. Precisa parar de criar crises.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

MPF arquiva notícia de fraude de cota racial para ingresso em Medicina na UFRN

Foto: Oscar Cowley – Ascom PR/RN

O Ministério Público Federal (MPF) arquivou representação criminal contra candidata que ingressou no curso de Medicina da UFRN alegando ser parda. Visualmente, a partir de imagens de redes sociais, a pele da candidata aparenta ser branca.

Segundo Kleber Martins, procurador da República responsável pelo caso, concluir que a candidata cometeu o crime de falsidade ideológica tendo por base apenas o documento em que se declara como parda e a visualização de sua pele é praticamente inviável. Há uma contradição entre a lei criminal (art. 299 do Código Penal) e a lei que prevê o critério étnico-racial (Lei nº 12.711/2012).

Enquanto aquela exige que o criminoso tenha certeza absoluta que está mentindo na declaração, esta permite que o candidato se autodeclare como pertencente à etnia merecedora da cota, deixando ampla margem para a subjetividade. “É nesse espaço de subjetividade que há lugar tanto para a mentira (configuradora do crime) quanto para o erro ou o mero descompromisso no preenchimento do documento (não configuradores do crime, mas capazes de levar à desclassificação do candidato)”, explicou.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

MAIS UMA: Empresa que dizia investir em bitcoins quebra; MP diz que pode ser fraude

Leonardo Araújo, fundador da DD Corporation. Imagem: Reprodução

Até novembro, o centro de convenções do Salvador Trade Center, um complexo empresarial da capital baiana, recebia pouco mais de 100 pessoas às terças-feiras à noite. Lá, havia palestras dos líderes da DD Corporation (antiga Dreams Digger), empresa que em seu antigo site afirmava vender cursos sobre o mercado financeiro.

Nessas reuniões, o fundador do negócio, Leonardo Araújo, e seus colaboradores deixavam de lado a venda dos supostos ensinamentos sobre finanças e convenciam as pessoas a investir em bitcoins. A promessa era de lucro médio de 11% ao mês, segundo denúncia feita ao Ministério Público do Estado da Bahia.

Desde o final do ano, a DD Corporation não paga os investidores. Em janeiro, o MP ajuizou uma ação civil pública contra Araújo e a empresa. O órgão pede a suspensão do negócio, com o argumento de que “comprovadamente é insustentável, pois concede aos consumidores expectativas irreais de ganhos fáceis” e “assegura ganhos fraudulentos e inalcançáveis, gerando falsas expectativas e ocultando os riscos do empreendimento ilícito”.

Não há estimativa de vítimas, mas o valor da causa é de R$ 5 milhões. A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) também investiga a DD, que nunca teve autorização da autarquia para ofertar contratos de investimento coletivo.

A reportagem não localizou nenhum advogado ou representante da empresa.

Como a empresa prometia lucros altos?

A empresa foi fundada por Araújo em janeiro de 2018. Os rendimentos altos, de acordo com os autos do processo aberto pelo MP, eram supostamente obtidos por meio de arbitragem, que é a compra e venda de criptomoedas em diferentes corretoras com o objetivo de fazer lucro.

Além de fazer investimentos, os clientes tinham que pagar uma taxa de adesão de US$ 10 (R$ 44,65) ao ano. A empresa também oferecia uma quantidade excessiva de bônus e gratificações por meio de marketing de rede, com comissões que poderiam chegar a 10%.

Essa prática de prometer uma “abundância de remunerações”, segundo a ação do MP, “geralmente torna o esquema insustentável em longo prazo, similar às pirâmides financeiras”.

Dono culpa empresa de tecnologia por quebra

No final do ano passado, Araújo disse que a empresa passaria por uma auditoria e retirou o site do ar. Depois, ele afirmou que a DD quebrou. “Não temos mais possibilidade financeira alguma, caixa algum, para poder devolver imediatamente todo aquele capital que você colocou no nosso negócio”, falou, em um vídeo publicado no YouTube.

De acordo com o empresário, a empresa não teria mais capital por causa de supostos problemas na plataforma do negócio, que foi desenvolvida pela Graff Tecnologia, uma empresa com sede em Curitiba (PR).

“Eu errei sim, mas em acreditar e terceirizar nosso sistema de multinível. Errei em apostar a vida de diversas famílias na empresa Graff, mas eles erraram muito mais em falhar conosco”, disse o empresário. Segundo ele, a suposta falha permitiu que saques, rendimentos e depósitos pudessem ser duplicados e até triplicados.

Terceirizada nega problemas

Em nota, a Graff informou que a acusação de Araújo mancha a “índole, imagem e trabalho sério” da empresa e “tem por objetivo apenas projetar sobre a Graff todo e qualquer tipo de culpa” da DD Corporation. A empresa disse também que ações judiciais cabíveis estão sendo tomadas no âmbito cível e criminal.

A Graff informou ainda que tem provas que mostram o real motivo da saída da DD Corporation do mercado, mas não pode enviar para terceiros “sem uma autorização judicial para a quebra deste sigilo contratual”.

Meu dinheiro vem da roça, diz um dos investidores

(mais…)

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Ex-ministro de Temer, assessor de Guedes é denunciado por fraude em aportes da Funcef

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

O ex-ministro do Planejamento Esteves Colnago, atualmente assessor especial do ministro da Economia, Paulo Guedes, está entre os 29 denunciados pela força-tarefa da Operação Greenfield por fraudes nos principais fundos de pensão de empresas estatais e privadas.

De acordo com os investigadores da Procuradoria da República no Distrito Federal, os 29 gestores dos fundos Petros (Petrobras), Funcef (Caixa Econômica), Previ (Banco do Brasil) e Valia (Vale) participaram de investimentos irregulares da Sete Brasil.

A empresa – que seria responsável pela construção de sondas para a exploração do pré-sal – recebeu aportes por meio de um fundo de investimento específico. As operações, segundo o Ministério Público, causaram um prejuízo de R$ 5,5 bilhões.

À época da aprovação dos aportes, Colnago participou do conselho deliberativo da Funcef. Ele também foi ministro do Planejamento durante o governo do ex-presidente Michel Temer.

Outro lado

Conalgo afirmou, em nota, que está à disposição da força-tarefa da Greenfield para prestar os esclarecimentos relacionados à gestão dos fundos de pensão.

Ele aponta “que todas as atividades exercidas como membro do Conselho Deliberativo do Fundação dos Economiários Federais (Funcef) ocorreram em consonância com o regimento interno e demais normas legais”.

Diz ainda que está em tramitação, na Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), processo no âmbito administrativo de semelhante teor, no qual já apresentou defesa.

Procurado, o Ministério da Economia não havia se manifestado até o momento da publicação desta notícia.

Mudança de cargos

Nesta quinta-feira, Guedes realocou integrantes da equipe técnica da pasta, conforme portaria publicada na edição do Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira.

Colnago, que estava no comando da Secretaria Especial de Fazenda, foi exonerado do cargo para assumir a chefia da Assessoria Especial de Relações Institucionais do órgão, responsável pela interlocução com o Congresso Nacional, entre outras atribuições.

O cargo de chefe da Assessoria Especial de Relações Institucionais vinha sendo exercido por Caio Megale, que hoje foi exonerado.

O atual diretor de programa do Ministério da Economia, Jeferson Luis Bittencourt, também deixou o cargo. Ele é o novo secretário especial adjunto da Secretaria Especial de Fazenda, no lugar de Colnago.

Valor

 

Opinião dos leitores

  1. O Bolsonaro LADRÃO gosta de quadrilha, nao é a toa que formou uma dentro de casa…..E agora está expandido pelo Brasil com b minúsculo……BOLSOTRALHAS SÓ ENXERGAM O NARIZ DE LULA, MAIS NAO ESQUECEM DE ENGOLIR A MERDA DESSE CANALHA MELIANTE…..E HAJA PAPO cheio de BOSTA…,

    1. Realmente o Bolsonaro fala muita besteira mesmo, e pior que é só abrir a boca. Mas roubar Roubar com R maiúscula isso ninguém pode negar que o LULADRAO vou imbatível, CINCO TRILHOES, esse foi o estrago feito pela quadrilha do PT, se vc acha pouco e que nossa país está bem, entendo porque vc tá defendendo lula com tanta veemência, por dois motivos basicos: ou fazia parte da boquinha e perdeu ou não sabe contar.

  2. Quem for podre que se quebre , seja quem for. Quem tem bandido de estimação é mulher de vagabundo !!

  3. O valor do rombo só na Petros, foi de TRINTA BILHÕES FEITA PELA QUADRILHA DO PT QUE ADMINISTRAVA OS FUNDOS. SE CONTAR TODOS DEVE CHEGAR QUASE A CEM BILHÕES. IMAGINE BRASIL AFORA O QUE ESSES FDP FIZERAM, POR ISSO O PAÍS TÁ QUEBRADO.

    1. Como tem fundos de pensões envolvidos, a petralhada prefere não comentar, não tem conhecimento sobre a causa. Hehehe

    2. Paran, os PTralhas não tem conhecimento pouco né, porque eles é que administravam, quebrou todos eles, agora os funcionários e que estão pagando o pato do roubo dos PTralhas. Na Petrobras, que eu conheço, os funcionários vão pagar a dívida durante DEZOITO ANOS(18) ANOS. E os valores são exorbitantes para cada um, Isso é um absurdo sem tamanho, vc pagou uma previdência a vida inteira trabalhando, qdo se aposenta e quer usufruir, toma no fundo devido a esses ladrões do PT, sob o comando de LULADRAO roubaram BILHÕES DOS FUNDOS DE PENSÃO.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Operação do MPRN apura supostos crimes de peculato e fraude em licitação em Câmara Municipal no interior

Foto: Reprodução

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta quarta-feira (11), com o apoio da Polícia Militar, a operação Comendador. O objetivo é apurar o suposto cometimento dos crimes de peculato e fraude em licitação pública pela Câmara Municipal de Itajá. O principal investigado é o ex-presidente da Casa, o vereador Carlos Marcondes Matias Lopes. A operação Comendador é resultado de uma investigação da Promotoria de Justiça de Ipaguançu, com o apoio do Gaeco do Oeste.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *