Família Bin Laden é sócia da Microsoft e Boeing

A família Bin Laden (em árabe: بن لادن), também chamada de Bin Ladin é uma família abastada,de origem iemita, intimamente ligados com os círculos mais íntimos da família real saudita. A família foi posta sob os holofotes da mídia em decorrência das atividades terroristas do mais conhecido de seus membros, Osama bin Laden. Os interesses financeiros da família Bin Laden são representados pela Saudi Binladin Group, um conglomerado de construção global e gestão que arrecada 5 bilhões de dólares anualmente, sendo uma das maiores empresas de construção no mundo islâmico, com escritórios em Londres e Genebra. De acordo com um diplomata americano, a família Bin Laden também é proprietária de parte da Microsoft e Boeing.

A família tem suas origens em um pobre e ignorante hadramita chamado Awad bin Laden, membro de uma tribo Kendah da aldeia de Al Rubat,em Wadi Doan no Vale do Tarim, província de Hadramout, Iémen. Morreu em 1919. Seu filho foi o xeque Muhammed bin Awad bin Laden (falecido em 1967). Muhammed bin Laden era um nativo da costa sul do Iémen, e emigrou para a Arábia Saudita antes da Primeira Guerra Mundial. Ele montou uma empresa de construção civil e chamou a atenção do Rei Abdul Aziz ibn Saud, através de projetos de construção, sendo posteriormente contratos relativos a grandes obras de renovação em Meca onde ele fez sua fortuna inicialmente através de direitos exclusivos sob a construção e reforma de todas as mesquitas e outros edifícios religiosos, não só na Arábia Saudita, mas até onde alcançava a influência de Ibn Saud.

Até sua morte, bin Muhammed Awad bin Laden tinha controle exclusivo sobre as restaurações na Al-Aqsa, em Jerusalém. Logo a rede dos Bin Laden se estendeu para muito além das empresas locais de construção.

A intimidade especial que Muhammed Awad bin Laden tinha com a monarquia foi herdada pela geração mais jovem dos Bin Laden. Os filhos de Muhammed foram estudar no Victoria College de Alexandria, no Egito.

Seus colegas incluíram o rei Hussein da Jordânia, Zaid Al Rifai, os irmãos Kashoggi (cujo pai era um dos médicos do rei), Kamal Adham (que dirigia a Direção-Geral de Inteligência sob o rei Faisal), e o ator Omar Sharif.

Nascido na capital da Arábia Saudita, Riade, em 1957, Osama Bin Laden foi o filho da última das 22 mulheres do seu pai, a síria Alia. Formado em Economia na Universidade do Rei Abulaziz em Jidá, herdou a fortuna do seu pai aquando da morte deste, em Setembro de 1967. Foi esta fortuna que permitiu a Osama Bin Laden entrar no mundo dos conflitos bélicos. Durante a Guerra do Afeganistão, entre 1979 e 1980, Bin Laden foi o financiador dos combatentes afegãos (ou “mujahedin”) contra os ataques soviéticos. Acabou por regressar à capital da Arábia Saudita como um herói. Em 1988, fundou, na cidade paquistanesa de Peshawar, a Al-Qaeda, a fim de consolidar todas as operações que havia realizado no Afeganistão. Em 1990, aquando a invasão do Kuweit pelo Iraque, as relações com o seu país de origem terminam, pois os príncipes da Casa de Saud, do Kuweit, recusam a ajuda dos “árabes da jihad afegã” que Bin Laden lhes oferece, optando pelo apoio dos Estados Unidos.

Em 1993, Osama Bin Laden vai viver para o Sudão, onde começa a estabelecer contactos com grupos islâmicos e a ampliar a sua lista de inimigos, onde passaram a incluir-se os xiitas, judeus e ocidentais. As primeiras intervenções terroristas dão-se na Argélia e no Egipto, onde em 1995 Bin Laden realizou um atentado falhado ao presidente Hosni Mubarak. É então que o Sudão é pressionado pelos restantes países árabes a expulsar o antigo líder da Al-Qaeda do país. Bin Laden regressa então ao Afeganistão, perdendo a sua cidadania, o apoio da família e todos os seus bens.