Geral

FOTOS: Governo federal continua incorporando bens de traficantes e PRF passa a contar com viaturas como Land Rover, BMW e Porsche

Fotos: Divulgação/PRF

A Polícia Rodoviária Federal incorporou 7 carros de luxo avaliados em mais de R$ 2 milhões para combater crime organizado.  Carros foram confiscados durante a Operação Status, do MPF do Mato Grosso do Sul. Galeria de fotos AQUI.

Entre veículos apreendidos, um Range Rover Velar 2019 avaliado em cerca de R$ 450 mil.

Apreensões do Ministério Público Federal incluem uma Mercedes-Benz E 300 2019 que tem preço médio de R$ 335 mil segundo a Tabela Fipe.

A PRF também recebeu um Jeep Grand Cherokee 2012 com motor V6; mais barato da frota, custa em torno de R$ 75 mil.

A PRF também incorporou uma BMW 330i M Sport 2019, que tem preço médio de R$ 280 mil. Outro BMW é um 320i Sport GP 2020, que custa em torno de R$ 230 mil no mercado de veículos usados.

Outro reforço na frota da PRF é um Porsche Cayenne GTS 2016, equipado com motor 3.6 V6 de 440 cv; custa R$ 370 mil.

Novas viaturas ainda incluem uma Toyota Tundra 2014, que nunca foi vendida oficialmente no Brasil e custa em torno de R$ 350 mil.

Com acréscimo de UOL

Opinião dos leitores

  1. Essa incorporação está errada, pois esses veículos deveriam ir a leilão e os valores arrecadados seriam usados para a compra de veículos que são usados costumeiramente na PRF e não agente andando de carro BMW, Gran Cheroki, Camaro e outros mais.

  2. Melhor vender(leiloar) tais veículos e comprar veículos novos com menor preço e menor custo de manutenção. A PRF merece sim bons veículos, mas esses oneram muitos os cofres público pelo alto valor de manutenção.

  3. Governo sério é assim.
    O outro, o passado é mais fácil distribuí esses carros do que aprender.
    Lula é ladrão safado.

  4. Corretíssimo! Uma forma de compensar os gastos nas operações policiais, aliando a economia em relação aos gastos de renovação da frota de viaturas, sem contar com o benefícios como agilidade e rapidez da diligencias policiais no uso dos passantes.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Italo Ferreira pensou em desistir da briga pelo título, mas agora é candidato ao bi no Mundial de Surfe

Imagem: Thiago Diz/World Surf League

Italo Ferreira teve um começo de temporada instável em 2022. O campeão olímpico e mundial revelou que até pensou em desistir da briga pelo título deste ano, mas voltou atrás. Agora, ele é um dos principais candidatos ao bi.

Depois do ouro nas Olimpíadas de Tóquio, Italo amargou a terceira colocação no WSL Finals do ano passado, atrás do tricampeão Gabriel Medina e do vice Filipe Toledo. Já no início da atual temporada, não obteve grandes resultados. Ele cogitou abrir mão de disputar o título deste ano depois que já havia garantido sua vaga no Circuito do ano que vem.

“Eu tive uma pausa depois da final [de 2021]. Eu estava muito bem, mas não comecei o ano da forma como eu gostaria de ter começado. Depois, fui para a Austrália e acabei tendo resultados inesperados que não me motivaram. Até pensei em sair no meio do ano, depois que me classifiquei [para 2023], mas falei: ‘ah, vou continuar e ir subindo aos poucos'”, disse em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

“Foi o que aconteceu. Consegui alguns resultados, não venci nenhum campeonato, mas isso também não importa tanto até o momento. Se você estiver no top 5 e vencer o último campeonato, no início não vai valer de nada. Depois, consegui colocar minha cabeça no lugar, ficar mais tranquilo e só surfar”, disse Italo Ferreira.

Italo foi subindo no ranking mundial e chegou a Saquarema como o quarto colocado. Apenas os cinco primeiros disputam o WSL Finals, em setembro, na Califórnia. Depois do Brasil, o Circuito ainda passa por África do Sul (julho) e Taiti (agosto) antes da grande decisão.

“Foram mais as performances mesmo de chegar na bateria e não conseguir as notas necessárias. Isso aconteceu bastante no início do ano, acabei ficando um pouco cabisbaixo, mas depois fui me reencontrando e estou aí. É uma escadinha, não é só o sprint, é uma maratona. É muito campeonato, muito desgaste e você tem que se manter presente. Foi isso que eu vim trabalhando nos últimos meses”, declarou.

Olimpíada é prioridade

O campeão mundial de 2019 busca uma vaga no Finals, mesmo que seu principal foco seja a temporada de 2023, que será classificatória para as Olimpíadas de Paris-2024, onde ele busca defender o ouro conquistado no Japão.

“Para mim, é um ano que estou só surfando. O próximo ano é que estarei realmente 120%, porque é ano de classificação para a Olimpíada também, mas é claro que a gente pode fazer isso duas vezes seguidas. Estou no jogo e é só manter a cabeça no lugar.”

Italo enfrenta nas oitavas de final da etapa de Saquarema o também brasileiro Michael Rodrigues, que foi convidado para o evento. A próxima chamada do campeonato é amanhã, às 7h15 (de Brasília). Ontem e hoje não houve competição pela condição ruim do mar.

UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Em Portugal, ministro do STF Gilmar Mendes é diagnosticado com Covid-19

Foto: FELLIPE SAMPAIO /SCO/STF – 9.3.2021

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi diagnosticado com Covid-19, informou a assessoria de imprensa da Corte neste domingo (26). O magistrado está em Portugal, onde participará do Fórum Jurídico de Lisboa durante a semana. Com o diagnóstico, o ministro deve participar do evento por videoconferência.

Ainda segundo o tribunal, o ministro, que tem 66 anos, está bem e com sintomas leves. “O ministro Gilmar Mendes testou positivo para Covid-19 em Lisboa. Ele participará dos eventos previstos para a semana de forma virtual. O ministro passa bem e teve sintomas leves”, informou o STF.

Essa é a primeira vez que o ministro é diagnosticado com Covid-19. Ele está com o ciclo de vacinação completo, inclusive com a dose de reforço. O diagnóstico do ministro para Covid acontece quatro dias após ele participar de um jantar com o presidente Jair Bolsonaro (PL) e mais cerca de 40 aliados do governo.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: Brasil registra 36 óbitos e 16 mil casos nas últimas 24h

Foram divulgados os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil neste domingo (26), de acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass):

– O país registrou 36* óbitos nas últimas 24h, totalizando 670.405 mortes;

– Foram 16.679* novos casos de coronavírus registrados, no total 32.078.638;

*Não atualizaram: DF, MA, MG, MT, RJ, RR e TO

A média móvel de óbitos nos últimos sete dias é de 191. A a média móvel de novos casos é de 53.492.

O ministério da Saúde calcula que mais de 30,5 milhões de pessoas já se recuperaram da Covid.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEOS: Vice-governadora de SC nega que Bolsonaro lhe disse para se afastar; Frase “fica para trás” dita pelo presidente foi para ex-secretário

Circulam nas redes sociais vídeos que mostram o presidente Jair Bolsonaro (PL) pedindo para que apoiadores ficassem para “pra trás” durante a participação em um ato em Balneário Camboriú no sábado (25).

Em um dos ângulos, a mensagem parece ser direcionada à vice-governadora de SC Daniela Reinehr. Em outro ângulo, mostra que a frase foi direcionada ao ex-secretário da Pesca, Jorge Seif, quando ele tentou pegar a mão do presidente.

As imagens que viralizaram mostram presidente dizendo “fica para trás, meu Deus do Céu”. Procurada, Daniela reafirmou neste domingo (26) que Seif, na tentativa de se aproximar do presidente “foi alertado que não seria hora de fazê-lo, pelo próprio presidente”.

Segundo a vice-governadora, o vídeo “demonstra de forma muito clara o que aconteceu”. “Editar vídeos com versões tendenciosas para distorcer fatos, não faz parte da agenda de trabalho”, afirmou a assessoria da vice-governadora.

Compare abaixo com a imagem gravada de frente, contemplando outros participantes:

Seif confirmou que tentou pegar mão de Bolsonaro e que a recusa ocorreu para evitar possíveis denúncias de pré-campanha antecipada. Segundo o político, Bolsonaro já havia alertado aos apoiadores que o evento era de cunho religioso e não político.

Daniela é pré-candidata à deputada federal. Já Seif deve concorrer ao Senado. Além deles, o senador Jorginho Mello, que é pré-candidato ao Governo de Santa Catarina, também participou do evento.

“Ele [Bolsonaro], na verdade só falou ‘cheguem pra trás vocês’. Ele não deu a mão nem pra mim, nem pra Daniela, nem pra o Jorginho Mello e pediu para nós nos afastarmos”, afirmou.

Com informações de g1 e CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Tem que ter muito cuidado com a segurança do BolsoMítico, jpa tentaram assassinar pode ser que ocorra de vez, não se confia em comunista

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opinião

ARTIGO: Os Planos de Saúde, o Rol da Morte e as bananas. Por Marcus Aragão.

Estava sentado tranquilamente no Uber, pois tinha deixado meu carro na concessionária para revisão. O motorista era um sujeito aparentemente calmo, uns 60 anos, cabelo pintado de um preto forte. Antes que pudesse colocar o cinto de segurança, começou a praguejar:

— Imoral o preço da gasolina. Quero saber onde vamos parar. — Desabafou.
— Acho que não para, amigo. A crise é mundial. O que se há de fazer?
— Vivemos num país de bananas!! Fiz uma corrida para um americano semana passada e ele falou que nos EUA chamam o Brasil de país de bananas.
— Como assim? — Respondi meio desconfiado e incomodado.
— Ele disse que fazem o que querem com a gente e nunca fazemos nada.

Acusei o golpe. Senti. Disse: — Talvez ele tenha razão… País de bananas.

A corrida termina mas continuo com o “País de bananas” na cabeça. Num primeiro instante, penso em “República de Bananas” — a expressão que passou a fazer referência a países marcados pela monocultura e dotados de instituições governamentais fracas e corruptas, nas quais uma ou várias empresas estrangeiras tem o poder de influir nas decisões nacionais. Até faria certo sentido sermos chamados de República de Bananas, mas o americano se referiu a algo ainda mais relevante: a nossa total apatia, a nossa falta de combatividade para lutar pelos nossos direitos. O americano está certo? Isso você pode decidir.

Confesso que não me lembro do brasileiro lutando por nada. Diretas já? Não vale. Foi um movimento político de cunho popular com a presença constante de artistas e cantores. Eram como comícios grandes. As mobilizações na paulista? Greves? E, aqui em Natal, as mobilizações que apenas atrapalham o fluxo dos carros ao lado do Midway? Também não serve como exemplo de luta.

Movimentos fortes e impactantes como o “Black Lives Matter” nos EUA, ou as manifestações na França pelos direitos trabalhistas, ou os conflitos na Irlanda na década de 70 ou mesmo as lutas pelo fim do apartheid na África do Sul. Exemplos não faltam.

Um dos mais emblemáticos foi na Inglaterra, em 04 de outubro de 1936 — a batalha de Cable Street, onde os facistas comandados por Edward Mosley, uma espécie de “Hitler” inglês, queria fazer uma enorme passeata e passar pelos bairros judeus. A população não aceitou e foi para as ruas. “O pau comeu” — me perdoe o linguajar chulo, meu culto leitor. No cruzamento da Cable Street, a população enfrentou três mil fascistas e mais de seis mil policiais. Os ingleses não queriam o fascismo. Após essa batalha, a Câmara de Lordes, o parlamento inglês, proibiu o fascismo no país. Perceba que o povo não esperou os políticos. Exigiu o que queria.

Aqui no Brasil, uma notícia me deixou doente de raiva. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que o rol de procedimentos e eventos em saúde da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), é Taxativo. Isso significa que, a partir de agora, os planos de saúde não são obrigados a cobrir nada que não esteja neste rol. Talvez o nome mais apropriado fosse Rol da Morte pelas inúmeras vidas que serão perdidas após sua implementação. Isso afeta milhões de pessoas que dependem de terapêuticas e exames específicos para câncer, autismo, serviço de homecare, intervenções variadas para diferentes deficiências, bipap, cirurgia intrauterina, medicamentos para doenças raras, ELA, AME. A lista é grande. Eles tem que pensar nos lucros? Claro. Mas, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) levantou, em 2021, que as operadoras de saúde tiveram um lucro líquido acumulado de R$ 15 bilhões nos 3 primeiros trimestres de 2020. Não está de bom tamanho?

Em tempo, a ANS recuou um pouco na última quarta-feira (22), quando ampliou a cobertura dos planos de saúde para usuários com transtornos globais do desenvolvimento, como o Transtorno do Espectro Autista (TEA). Entretanto, algumas pessoas acham que esse movimento recente da ANS é para desmobilizar o protesto contra o Rol Taxativo — que está sendo organizado por várias entidades e está marcado para dia 29 no Congresso Nacional.

A verdade é que essa questão está longe de ser resolvida e muita gente já está sofrendo. Pessoas que já lutam pela vida com doenças sérias ficarão sem tratamento — trazendo dor e uma angústia enorme para milhares de famílias. Nosso país não oferece segurança, educação, transporte e saúde. Como se não bastasse, agora vão retirar direitos sobre planos de saúde que são pagos.

Todos seremos afetados com essa decisão, mas quero saber uma coisa: O que você vai fazer a respeito? Mais uma vez você não faz nada? Se vai apenas deixar para lá, tomar sua um cervejinha ouvindo um sambinha, me faça um favor… não esqueça sua banana!!!

— Veras que o filho seu não foge a luta. Pois então, lute!

Não queria ir embora sem mandar um recado para o americano desconhecido: my friend, não somos nem nunca seremos um país de bananas. Somos um país de leões que ainda dormem embaixo de bananeiras.

Marcus Aragão
Instagram @aragao01

Opinião dos leitores

  1. Parabéns amigo. Nem sempre nascemos perfeitos e não sabemos o que vamos precisar de um plano de saúde. Vamos à luta ….👏

  2. Enquanto o lucro afeta só a vida do pobre, está tudo certo, mas qdo afeta a vida da nossa classe média decadente aí vemos textos como esse. “A crise é mundial, o que podemos fazer qdo a isso?” kkkkkkkkkkkkkkkkkkk oh Jesus, só tem desse tipo.

    1. O que esse texto tem com a crise? Vc viu o lucro dos planos de saúde?

  3. texto bobo, amigo, abra qualquer livro de história do Brasil e leia sobre TODAS as dezenas de revoltas armadas

  4. Excelente texto. Assunto extremamente importante. Decisão muito grave do STJ, que muitos ignoram pois teoricamente não precisam.
    Será que um dia precisarão?
    Será que deveriam precisar para se posicionar sobre? Fica o questionamento.
    É fato que o brasileiro não sabe lutar pelos seus direitos. Fica a esperança que isso um dia mude. Enquanto isso vidas vão sendo perdidas quando são deixadas nas mãos dos nossos “representantes”

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo vai investigar denúncia de Klara Castanho contra enfermeira por suposto vazamento de dados

Foto: reprodução/Instagram

O Coren-SP (Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo) disse, neste domingo (26), que irá investigar o suposto caso de vazamento de dados médicos da atriz Klara Castanho.

A atriz revelou no último sábado (25) que foi vítima de abuso sexual, engravidou e decidiu entregar o bebê para adoção. A ação deveria ter acontecido em segredo de Justiça, mas, segundo a artista, foi ameaçada por uma enfermeira do hospital, da Rede D’or a ter seu caso divulgado para um jornalista.

VEJA MAIS: Atriz Klara Castanho revela que foi estuprada, engravidou e entregou bebê para adoção

Klara afirmou que, pouco depois da ameça feita pela profissional de saúde que a acompanhou no parto, foi procurada por um colunista. Ela pediu que a história não fosse publicada.

Após o relato da atriz, o Coren disse que irá apurar os fatos para aplicar os procedimentos cabíveis. O órgão também prestou solidariedade à artista.

Leia a nota na íntegra:

O Coren-SP, assim como a sociedade brasileira, tomou ciência neste final de semana da situação exposta por atriz, que menciona, em uma carta aberta, ter sido alvo de ameaça de uma enfermeira e a seguinte confirmação por colunista da imprensa a respeito de informações sobre a entrega para adoção de um bebê fruto de um estupro.

Compete ao Coren-SP apurar as situações em que haja infração ética praticada por profissional de enfermagem e adotar as medidas previstas no Código de Processo Ético dos Conselhos de Enfermagem (Resolução Cofen nº 370/2010).

Nesse sentido, o conselho seguirá os ritos e adotará os procedimentos necessários para a devida investigação, como ocorre em toda denúncia sobre o exercício profissional. Assim, o Coren-SP ressalta a cautela necessária sejam tomadas as medidas corretas para a apuração dos fatos.

O conselho manifesta sua solidariedade à atriz e reafirma seu compromisso cotidiano com a ética profissional da enfermagem e com a segurança da assistência prestada pela categoria. Tão logo venha a dispor das informações necessárias para a investigação, o Coren-SP reforça que todos os procedimentos para apuração serão devidamente realizados.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Assessores de Ribeiro pediram demissão por atuação de pastores no MEC, revela relatório da CGU

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Relatório final da Controladoria-Geral da União (CGU) sobre supostas irregularidades na gestão de Milton Ribeiro no Ministério da Educação revela que assessores do então ministro pediram demissão de seus cargos pela insistência de Ribeiro em manter os pastores Arilton Moura e Gilmar Santos dentro de seu gabinete.

O documento, ao qual a CNN teve acesso, diz que assessores do gabinete de Ribeiro chegaram a relatar, “em tom de desabafo”, que alertaram o ministro, por diversas vezes, em relação “ao perigo” que a atuação dos pastores trazia para a imagem do ministro e do próprio MEC.

A CGU diz, no entanto, que as ações adotadas pelo então ministro foram contrárias ao que foi recomendado.

O relatório da Controladoria-Geral da União, de 23 de maio, cita, inclusive, entrevista de Milton Ribeiro à CNN, em março, e diz que as declarações do então ministro sobre ter sido orientado pela própria CGU a seguir recebendo os pastores para que eles não desconfiassem da apuração aberta pelo órgão “suscitam dúvidas quanto à sua veracidade”.

A CGU afirma que os argumentos de Ribeiro, de que teria se distanciado do pastor, não se sustentam a partir de uma série de fatos, entre os quais a venda de um carro para Arilton após as denúncias.

A venda do veículo que envolveu uma transação de R$ 60.000 entre Myrian Pinheiro Ribeiro, a mulher do ex-ministro, e a filha do pastor Victoria Camacy Bartolomeu, não só é citada como uma das provas do relacionamento entre Ribeiro e Arilton, como também ensejou os pedidos de quebra de sigilo bancário dos envolvidos na Operação Acesso Pago, da Polícia Federal.

“Ressalte-se que […] a transação foi realizada em 22/02/2022, ou seja, cerca de seis meses após a denúncia formalizada pelo próprio Milton Ribeiro à CGU”, diz o documento da CGU.

“Infere-se, portanto, que após a denúncia formalizada em agosto de 2021, não houve qualquer alteração efetiva no relacionamento de Milton Ribeiro com o pastor Arilton Moura”, afirma o relatório.

Segundo o órgão, “não houve qualquer preocupação por parte do ministro com a imagem do MEC na manutenção (e, de certo modo, intensificação) dessa proximidade com a dupla de reverendos”.

O relatório da CGU foi usado como base para a operação da Polícia Federal, que na terça-feira (22) prendeu o ex-ministro Milton Ribeiro, além dos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos, por suspeitas de corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa, e tráfico de influência.

Um dos depoimentos prestados à CGU é de Albério Júnio Rodrigues de Lima, então assessor do gabinete de Ribeiro. Segundo o relato que fez ao órgão, a partir de sua nomeação para o cargo, no final de 2020, ele —por também ser evangélico— ficou encarregado de atender os pastores no gabinete do ministro.

“Desde então, passou a alertar o ministro quanto ao comportamento ‘estranho’ da dupla e a frequência inusual e desarrazoada com que compareciam àquela repartição pública”, diz o documento da CGU. De acordo com que Lima disse à investigação, na prática, os pastores atuavam como pastores do ministro.

Albério afirmou que o pastor Arilton estava ‘vivendo’ no MEC e a sua presença no gabinete era tão frequente que chegava ao ponto de atrapalhar os assessores a despachar assuntos técnicos com o ministro. O relato foi confirmado por outros funcionários da pasta, entre eles Marcelo Mendonça, chefe da assessoria para assuntos parlamentares, e Mychelle Rodrigues de Souza Braga, chefe da assessoria de agenda do gabinete do ministro.

Ela afirmou à CGU que “nenhuma outra pessoa ou autoridade esteve naquelas dependências com a frequência do pastor Arilton”. Mychelle também disse que Ribeiro concedeu aos pastores a prerrogativa de atuarem de modo similar aos parlamentares, solicitando agendas do ministro com prefeitos em diversas localidades do país.De acordo com os então assessores, a atuação dos pastores como porta-vozes do MEC era referendada pelo ministro.

Um caso específico chamou a atenção da CGU. Nos depoimentos, os auxiliares do ministro apontaram que, em determinado momento, o MEC recebeu uma ligação de uma pessoa pedindo para falar com “um assessor chamado Arilton Moura”.

O motivo do contato seria a promessa da construção de uma escola na periferia do Distrito Federal. O caso, segundo os relatos à CGU, foi levado não só ao ministro, mas também ao então secretário-executivo da pasta e hoje ministro da Educação, Victor Godoy Veiga. Os assessores chegaram a sugerir, neste momento, que o ministro “restringisse o acesso dessa pessoa ao MEC ou até mesmo deixasse de recebê-la”.

A CGU questionou os assessores sobre quais medidas foram adotadas pelo ministro a partir dos relatos e  todos disseram que, em um primeiro momento, o pastor Arilton deixou de comparecer ao gabinete do ministro. Pouco tempo depois, no entanto, eles souberam que Ribeiro passou a receber Arilton em sua casa e, cerca de dois meses depois, os pastores voltaram a frequentar o gabinete.

Albério Júnio Rodrigues de Lima e Juliana Gonçalves Melo, também assessora do gabinete do ministro à época, disseram à CGU que o episódio contribuiu para que eles pedissem demissão do Ministério da Educação.

O caso, que ocorreu em maio de 2021, também foi levado à Assessoria Especial de Controle Externo da pasta, que sugeriu que o ministro suspendesse “toda e qualquer” interlocução com o pastor Arilton e que fossem avaliadas a exoneração de “pessoas no MEC” que estivessem ocupando funções e tenham sido indicadas pelo pastor.

A sugestão dizia respeito a Luciano de Freitas Musse, que ocupava o cargo de gerente de projeto na secretaria-executiva da pasta e seguiu no posto até que o caso do “gabinete paralelo” se tornasse público.

Indicação de Arilton

Luciano de Freitas Musse foi nomeado no MEC por indicação de Arilton. De acordo com o relatório da CGU, a chegada de Musse na pasta “corrobora as evidências” da “capacidade de influência dos pastores na pasta durante a gestão de Milton Ribeiro”.

No depoimento à CGU, o então secretário-executivo e agora ministro Victor Godoy Veiga disse que a intenção de Milton Ribeiro era de nomear o próprio pastor Arilton para um cargo no MEC. “Como não havia disponibilidade no gabinete do ministro, o então secretário-executivo disponibilizou um cargo de nível DAS 3 para essa finalidade”, diz o documento.

O pastor Arilton, no entanto, “mostrou-se descontente com a remuneração do cargo”. Segundo a tabela de remuneração de cargos comissionados do governo federal, o salário de um DAS 3 é de R$ 5.685,55.

De acordo com o relatório da CGU, o pastor teria “externado sua insatisfação, inclusive, na frente de outros servidores da pasta, em reuniões no MEC que contaram com a presença do ministro Milton Ribeiro e requereu que lhe fosse disponibilizado outro com melhor vencimento”.

A pedido do ministro, foi dado início, em 17 de novembro de 2020, um processo para que Arilton fosse acomodado no MEC. O obstáculo, no entanto, mostra a CGU, veio da Casa Civil, que negou a nomeação do pastor.

No dia 7 de abril de 2021, por determinação do ministro, Luciano de Freitas Musse foi nomeado para o cargo de gerente de projeto, na Secretaria-Executiva do MEC, com salário maior, como pleiteado pelo pastor: R$ 10.373,30.

A CGU aponta, no entanto, que Luciano nunca desempenhou função na Secretaria-Executiva e que desde o seu ingresso na pasta, ele foi colocado à disposição da assessoria do ministro Milton Ribeiro. O afilhado do pastor Arilton foi acomodado na Assessoria Especial de Controle Externo.

Pouco tempo depois, no entanto, Victor Godoy relatou que o desempenho de Musse não era satisfatório na área de controle interno e o colocou à disposição do ministro para desempenhar outra função. Ele foi exonerado em março, quando Godoy assumiu a pasta.

A CNN solicitou manifestações aos defensores do ex-ministro Ribeiro e do pastor Arilton, mas eles ainda não se pronunciaram.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Essa turma que anda com Bíblia debaixo do braço, máquinas de cartão na outra mão, comem no mesmo prato de satanás.

    1. E vcs que anda com ladrão em baixo do braço seu ciclista!!!

  2. O Brasil é um país ótimo, rico, aconchegante, lindas cidades e paisagens, ótimos climas, lindas praias etc.
    O desgraça tudo isso, são esses políticos infames, sem futuros, bandidos que entram pra política na intenção de meter a mão no dinheiro, depois que não conseguem mais , daí ficam metendo o pau nos outros, a ganância por dinheiro e poder é grande, é imoral, não tem um que se aproveite nesse país.
    Tudo farinha do mesmo saco.
    Desde criança escuto a mesma coisa todos anos, são todos santinhos, depois colocam as unhas de fora, nunca mudou e nem pelo visto, irá mudar.
    Nós, o povo, é quem são os mais safados que elegem esses cabras de peia.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sátira

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 70%

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 70%, registrada no início da tarde deste domingo (26).

Pacientes com Covid-19 internados em leitos clínicos e críticos somam 57.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 73% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 61,5%.

Até o momento desta publicação são 12 leitos críticos (UTI) disponíveis e 35 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 28 disponíveis e 22 ocupados.

Outros 3 leitos de UTI estão ocupados por pacientes ‘não Covid-19’ e 3 leitos clínicos também estão ocupados por pacientes ‘não Covid-19’, com outra síndrome gripal.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: RN possui 12 leitos críticos e 28 leitos clínicos disponíveis

O RN permanece com fila zerada de pacientes para UTI Covid conforme levantamento feito por volta das 16h deste domingo (26).

Neste período, havia quatro (04) pacientes com perfil para leitos críticos na lista de regulação e dois (02) aguardando avaliação. Foram registrados disponíveis 12 leitos críticos e outros 28, sendo clínicos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra 4 óbitos por Covid-19 nas últimas 24h; Novos casos são 203

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus neste domingo (26).

São 522.137 casos totalizados. Até o sábado (25) eram contabilizados 521.698, ou seja, 439 novos casos registrados, sendo 203 destes confirmados nas últimas 24 horas. Quatro (04) óbitos registrado nas últimas 24h (Natal, Mossoró, Ceará-Mirim e Macau).

A Sesap registou um óbito após a confirmação de exames laboratoriais de dias ou semanas anteriores. Óbitos em investigação são 1.335.

Recuperados são 504.320 Casos suspeitos somam 2.318 e descartados são 986.126. Estimativa de casos em acompanhamento: 9.571.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *