Frota veículos no RN aumenta sete vezes mais que população nos últimos 4 anos

Esse números da reportagem da Tribuna não são novidades para ninguém, o colapso no trânsito Natalense é maior a cada dia. Promoções de carros não para de ter, enquanto isso para tapar um buraco as vezes passam mais de seis meses. Segue reportagem da Tribuna do Norte:

A frota de veículos, no Rio Grande do Norte, cresceu sete vezes mais que a população nos últimos quatro anos. Números do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RN) revelam um aumento de 34% na quantidade de veículos entre os anos de 2008 e 2011. No mesmo período, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população potiguar cresceu apenas 5%. O ritmo de investimentos na infraestrutura rodoviária não acompanhou as vendas dos veículos e, na capital do Estado, a falta de obras de mobilidade urbana causam, cada vez mais, engarrafamentos e produzem transtornos à população. Nos próximos meses, uma lei federal, que tenta regulamentar o transporte de cargas e passageiros, entrará em vigor. Investir em transporte público de qualidade, segundo especialistas, é a única maneira de evitar um colapso no trânsito.

Aldair DantasMesmo com aumento da frota, obras de mobilidade não saem do papel

Segundo o Detran/RN, o ano passado encerrou com 862.335 veículos transitando em todo Estado. Em 2008, a frota era de 642.625. Naquele ano, havia 3.013.740 habitantes em terras potiguares. Três anos depois, a população norte-rio-grandense soma 3.168.027. As facilidades do mercado aliada à economia forte e crescente do Brasil são alguns fatores que explicam a expansão do poder aquisitivo da população. Atualmente, é possível comprar um veículo sem precisar pagar uma entrada.

Se por um lado a aquisição de um veículo representa progresso e melhoria na qualidade de vida do cidadão, por outro, sem as devidas mudanças na infraestrutura das ruas e estradas, é sinônimo de problema. “Esse aumento de frota ocorre em todo canto. É uma tendência natural”, disse o secretário-adjunto de Transporte do Município, Haroldo Maia. De acordo com o secretário, para diminuir os transtornos causados com o aumento da quantidade de veículos rodando nas ruas, não há outra solução senão privilegiar o transporte coletivo. “Se apresentamos solução para melhorar o fluxo de veículos particulares, o comércio vai continuar vendendo muito. É preciso priorizar o transporte coletivo”, afirmou.

Há uma esperança nesse sentido. Na última quarta-feira, foi publicada, no Diário Oficial da União, a Política Nacional de Mobilidade Urbana. A lei, sancionada pela presidente Dilma Rousseff, entrará em vigor no prazo de cem dias e tem objetivo de melhorar os modos de transporte, tendo em vista a mobilidade de pessoas e cargas no país.

Entre as novidades da nova política, está o fato de que os entes federativos (União, Estado e Município) poderão restringir a circulação de veículos motorizados em locais e horários predeterminados. A cobrança de pedágio também está prevista. “Essa nova lei é uma preocupação do governo com esse avanço desenfreado do aumento de veículos e vai nos ajudar a controlar o fluxo no trânsito”, diz Haroldo.

As obras de mobilidade urbana previstas para a Copa do Mundo 2014 também podem colaborar para desafogar o trânsito na capital do Estado. No entanto, há pouco mais de dois anos para o início do evento esportivo, nada foi feito. A última medida da Prefeitura com relação ao projeto foi a assinatura de um convênio de R$ 293 milhões com a Caixa Econômica Federal. No interior, a situação não é muito diferente. Exceto a BR-101, não há investimentos significativos nas estradas que cortam o RN.