Gasto médio dos natalenses na Black Friday 2019 será de quase R$700, de acordo com pesquisa da Fecomércio RN

A Black Friday neste ano acontece no dia 29 de novembro

Tradicional data de grandes promoções nos Estados Unidos, a Black Friday vem ganhando cada vez mais força no calendário de compras dos brasileiros. Por este motivo, o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Rio Grande do Norte (Fecomércio RN) fez a pesquisa de “Intenções de Compras para a Black Friday 2019”, entre os dias 25 e 29 de outubro, e entrevistou 650 pessoas em Natal.

De acordo com a pesquisa, 59,8% dos consumidores natalenses têm a intenção de aproveitar as ofertas para fazer compras. Destes, 52,7% afirmaram que vão aproveitar a data para adiantar a compra dos presentes de Natal. Entre os 40,2% que não demostraram interesse em comprar nesta data, os motivos alegados são a falta de dinheiro (33,3%); não gostar da data (14,2%); e outros vão poupar (12,3%).

Quanto aos valores gastos com as compras, 43,2% dos consumidores natalenses pretendem gastar mais de R$ 1 mil na Black Friday; 24,2% esperam gastar entre R$ 500,01 e R$ 1 mil; 18% afirmaram que têm intenção de gastar entre R$ 200,01 e R$ 500. A média de gasto estimada é de R$ 692,48.

Quando comparados os gastos por sexo, as mulheres devem gastar mais do que os homens nas compras – média, R$ 695,83, contra R$ 688,78 dos consumidores do sexo masculino. Com relação à faixa etária, a que deve investir mais nas compras é a que vai dos 35 aos 44 anos, com uma média de R$ 745,78.

Entre os produtos mais citados para compras foram os eletrodomésticos (28%); eletrônicos (25,2%); roupas (18%); celulares/smartphones/tablet (16,7%); móveis e decoração (13,4%); calçados (10,3%); perfumes e cosméticos (4,1%); produtos de informática (2,3%); entre outros. A maioria dos consumidores (65,6%) pretende comprar até duas categorias de produtos, e a principal forma de pagamento será o parcelado no cartão de crédito parcelamento (43,7%); seguida do dinheiro (33,9%); cartão de crédito em única parcela (13,9%); e o cartão de débito (7,5%).

Perguntados sobre os locais de compra, os entrevistados responderam que devem ir aos shoppings (39,5%); lojas do comércio de rua (34,7%); e lojas virtuais (22%). Os principais fatores que vão determinar a compra serão o nível de preço (50,1%); a segurança (16,7%); e a variedade de produtos (14,1%).

A grande maioria fará pesquisa de preços (92,5%), sendo que 64,5% o farão para confirmar se os produtos estão de fato na promoção e 28% para escolher as lojas em que os produtos desejados estão mais baratos.

Com relação à Black Friday do ano passado, 43,4% acreditam que os preços dos produtos estarão na mesma faixa de valor; 28,2% consideram que estarão mais baixos; e 24,6% pensam estar mais altos. 60,7% dos consumidores que compraram em 2018 e que irão comprar este ano, disseram que os gastos serão maiores; 27,8% acreditam que os gastos serão os mesmos; e 11,2% confirmaram que os gastos serão menores.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ribeiro disse:

    BG !!
    Tô liso, não vou gastar nada na Black Friday, ainda mais agora que vou ter que participar de uma vaquinha, pra mandar um amigo pra Brasília, mais especificamente no STF. Vamos pedir ao Gilmar Mendes pra soltar JOSIANE vilâ da nivela das nove. Tadinha, foi presa ontem e tem que ser solta, so o STF mesmo pra dá um jeito nisso.
    Kkkkkkkkk

COMENTE AQUI