Pesquisadores australianos testam antiparasita para matar coronavírus

Foto: Reprodução/Universidade de Pittsburgh

Pesquisadores da Universidade Monash, em Melbourne, na Austrália, anunciaram nesta sexta-feira (3) a descoberta de que um remédio antiparasita disponível ao redor do mundo pode ser capaz de matar o novo coronavírus, causador da covid-19.

Segundo o estudo, quando testado em laboratório, a Ivermectina foi capaz de acabar com qualquer material genético do vírus em 48 horas.

O líder do estudo, Dr. Kylie Wagstaff confirmou que, além da eliminação total em 48 horas com uma única dose, o remédio mostrou, também, eficácia na redução da carga viral nas primeiras 24 horas.

O pesquisador alertou, ainda, que os testes foram realizados in vitro, sendo necessários testes em humanos para garantir a eficácia da droga:

“A Ivermectina é amplamente usada e é vista como uma droga segura. Nós precisamos descobrir agora se a dosagem que é possível de se utilizar em humanos será eficaz”.

Apesar de desconhecer o mecanismo exato de como a Ivermectina atua no coronavírus, o líder do estudo acredita que, baseando-se em estudos anteriores com outros tipos de vírus, ela faz com que vírus pare de “reduzir” a habilidade da célula de se livrar dele.

A droga já havia mostrado eficácia em testes in vitro contra outros tipos de vírus, como os da dengue, da zika, do influenza e até mesmo do HIV.

O próximo passo é definir uma correta dosagem para humanos, garantindo a segurança do paciente, ao mesmo tempo em que o vírus ainda seja afetado. Só a partir daí é que será possível iniciar os testes clínicos.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bia disse:

    Deus è pai

  2. Bosco disse:

    Amém!

  3. Terto Ramos disse:

    Boa!!
    Que seja logo essa descoberta.
    Excelente notícia!!
    Vamos avante, com Deus e nossa Senhora.

Pesquisa XP/Ipespe: Governo Bolsonaro tem 42% de avaliação ‘ruim’ ou ‘péssima’ em abril; ótimo ou bom 28%, e consideram regular 27%

Foto: Reprodução

A reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) atingiu 42% em abril, ante 36% em março, de acordo com edição extra da “Pesquisa XP com a População”, realizada pela instituição em parceria com o instituto Ipespe. É o maior nível de avaliações ruins ou péssimas desde o início do mandato, mas ainda estável no limite da margem de erro da pesquisa, de 3,2 pontos porcentuais.

A proporção da população que avalia o governo como “ótimo ou bom” caiu de 30% para 28% no período, também estável dentro da margem. Regular consideram 27%. Nominalmente, é a primeira vez que a taxa fica abaixo do nível dos 30%.

A pesquisa incluiu um questionário especial sobre a pandemia do coronavírus no País e mostrou que Bolsonaro tem tido aprovação menor que a do ministro da Saúde, Henrique Mandetta. A atuação de Bolsonaro no combate ao vírus foi considerada “ruim ou péssima” por 44% da população, enquanto 29% enxergaram o desempenho do presidente como “ótimo ou bom” e 21%, como “regular”.

Ele tem a avaliação mais negativa entre todos os atores pesquisados. A aprovação da atuação do presidente está empatada na margem de erro com a do Congresso (30%), da população (34%), e do Supremo Tribunal Federal (29%), mas abaixo da do ministro de Mandetta (68%), dos governadores (59%), do ministro da Economia, Paulo Guedes (37%) e dos profissionais da saúde (87%).

Aprovação de governadores dispara em meio à pandemia

A proporção de pessoas que considera a administração dos governadores como “ótima ou boa” disparou de 26% em meados de março para 44%.

O crescimento ficou muito acima do limite da margem de erro, de 3,2 pontos porcentuais para cima ou para baixo.

Os governadores da região Sul têm a maior taxa de aprovação, de 54%. Na pesquisa anterior, era de 35%. Em seguida, vêm os chefes de Estados do Nordeste (27% para 50%); do Norte e Centro-Oeste (24% para 44%) e, por último, do Sudeste (22% para 37%).

No mesmo período, a avaliação positiva do Congresso avançou de 13% para 18%, mas estável no limite da margem de erro. No entanto, a avaliação “ruim ou péssima” teve forte queda, de 44% para 32%, enquanto a proporção dos que consideram o Congresso regular avançou de 37% para 45%

Mandato de Bolsonaro

A pesquisa também captou deterioração nas expectativas para o restante do mandato de Bolsonaro. A proporção da população que espera que o governo dele seja “ruim ou péssimo” avançou de 33% para 37%, enquanto a avaliação “ótima ou boa” recuou de 38% para 34%.

“O que estamos vendo é que Bolsonaro mantém esse núcleo de apoio em torno de 30% e isso é o que ele precisa para chegar até 2022. Não esperamos mudança no comportamento dele”, disse o head de Macro Sales e Análise Política da XP, Richard Back, em webinário de divulgação da pesquisa.

A pesquisa ouviu 1000 pessoas, por telefone, entre os dias 30 de março e primeiro de abril. A amostragem leva em conta sexo, região, idade, tipo de cidade, religião, porte do município, ocupação, nível educacional e renda.

Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Fonte estadão tá de sacanagem, confiança zero desta pesquisa, faça cada um levantamento frente ao seu grupo social e verá a realidade, no meus grupos chega a uns 60% a 80% pro Bolsonaro, mesmo com essas insistências dele.

  2. Fábio disse:

    Fonte: Estadão? Bela fonte! Um jornal esquerdista. Outra: nunca participei destas pesquisas. Quem me garante que esses números são tudo mentira? Mais outra: e Bolsonaro tá se lixando pra essas pesquisas. Ótimo! Quem não ajunta, só faz espalhar. Bolsonaro 2022!

  3. Jose disse:

    Pior é mais incompetente presidente de nossas história: Bolsonaro, o Breve.

    • Fábio disse:

      Correção: Melhor presidente que já apareceu. Porque tem que limpar as merdas que os outros deixaram. O pior são as moscas que gostam de ficar sobrevoando a merda.

  4. Biu disse:

    Aumentou a aprovação em 1% a mais di resultado da eleição, que foi de 57%

  5. Martins disse:

    28% consideram o governo desse louco ótimo/bom?
    Realmente o gado precisa ser estudado.

    • BRASILACIMADETUDO disse:

      E os jumentos encantados pelo 9 dedos também.

    • Rio disse:

      Viúvas do Pinguço Trambiqueiro só sabem chorar……chamando os outros de gado, mas nem percebem que nessa fazenda eles estão no chiqueiro do porco Barbudo.

  6. Maria Moraes disse:

    Pesquisa fake, estão loucos para tomar o poder! O povo está com o Bolsonaro!!!

    • Beto Dal disse:

      Ué, se não fizer um bom governo, outro vai sim ser eleito e ocupar a cadeira de presidente. Um dia a gente acerta!!!!

Governo faz pesquisa para avaliar comportamento no combate à covid-19


Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Para avaliar as práticas de prevenção e condições de saúde da população no momento da pandemia de covid-19, o Ministério da Saúde começou na quarta-feira (1º) a pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel Covid-19). O levantamento será feito por telefone celular com pessoas de 18 anos ou mais em todas as capitais do país e vai auxiliar o Ministério da Saúde no planejamento de ações e de programas de saúde para reduzir os casos de infecção pelo coronavírus.

Entre as questões abordadas estão os comportamentos adotados ou não pela população, como forma de prevenção à doença, que meios de comunicação utilizam para informações, presença de sintomas, busca por serviço de saúde, presença de doenças crônicas.

As ligações vão ser feitas até as 21h em todos os dias da semana durante o mês de abril. “Os números de telefones são definidos aleatoriamente, por meio de sorteio garantindo, desta forma, a representatividade de toda a população brasileira”, diz nota do Ministério da Saúde.

Na pesquisa são perguntadas informações sobre idade, sexo, escolaridade, estado civil, raça/cor para que os resultados reflitam a distribuição sociodemográfica da população total. A pesquisa não pede dados do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), Registro Civil (RG) ou informações bancárias.

Agência Brasil
*Com informações do Ministério da Saúde

PESQUISA BG COVID-19 NATAL: veja como o(a) leitor está reagindo e se informando diante da pandemia

Nada melhor do que, no dia em que comemoramos os 9 anos de um veículo de informação, presentear o nosso leitor com mais informação, numa pesquisa respondida por eles próprios. Neste momento de crise devido à pandemia do Coronavírus, o Blog do BG realizou e presenteia seus leitores com uma pesquisa cheia de respostas sobre como a população está avaliando este momento.

Uma pesquisa que vai servir de referência, nesta hora em que tão importante quanto cumprir a quarentena e o isolamento social, é ter informação essencial na mão, e poder saber como as pessoas estão reagindo e se informando sobre o vírus. Mais um presente do BG, para você, nosso fiel leitor. Que venham mais 9 anos.

As perguntas foram enviadas pelo Whastapp e 915 pessoas responderam.

CLIQUE ABAIXO E ACESSE:

Pesquisa_Corona_Natal_BG NOVA

Um em cada quatro franceses não toma banho todos os dias, aponta pesquisa

Foto: Ilustrativa

Um em cada quatro franceses não toma banho todos os dias. É o que aponta um levantamento realizado no país europeu, que também pontua um “baixo respeito às normas sanitárias”.

Os franceses têm a reputação de ser sujos e esta imagem não se desgrudará deles tão facilmente: só 76% tomam um banho completo – lavando todo o corpo – todos os dias, segundo uma pesquisa realizada pela firma Ifop.

Os dados mostram que as mulheres são menos descuidadas que os homens. Enquanto 81% delas afirmaram se banharem diariamente, apenas 71% deles mantêm o mesmo hábito.

O porcentual entre os homens ainda diminui quando se trata de desempregados (60%), moradores de zonas rurais (59%) e idosos com mais de 65 anos (57%).

Além disso, somente um quarto (25%) dos entrevistados afirmou lavas as mãos depois de assoar o nariz, o que demonstra, segundo a pesquisa, “o desconhecimento das normas sanitárias básicas, apesar das numerosas campanhas de saúde pública e os riscos de doenças virais atuais”, como o coronavírus. Ainda quanto ao hábito de lavar as mãos, apenas 71% declararam lavar as mãos ao sair do banheiro e 37% ao sair do transporte público.

Roupas de baixo

Um estudo publicado nessa quarta-feira, 26, no jornal francês “Le Parisien” mostrou que 94% das francesas trocam de calcinha todos os dias. O porcentual é muito superior do que a média registrada nos anos 50, quando apenas 17% das mulheres do país tinham esse hábito.

Por outro lado, apenas três em cada quatro homens franceses trocam de cueca todos os dias.

Estadão, com AFP

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Laura disse:

    Achei um horror hoje na FM 96 os radialistas chamando os franceses de sujos e fedorentos, generalizando todos os franceses.
    Mesmo que alguns sejam, não acho elegante esse tipo de colocação. Achei uma falta de respeito. Outro jornalista comentava que “velho” só morria de queda de rede e outra coisa que não me recordo agora, enquanto outro ria. Também não gostei.
    Estou achando esses jornalistas muito despreparados para apresentarem um programa e sem assuntos interessantes para abordar com a população.
    Tanta coisa séria acontecendo neste país e eles preocupados em debochar dos idosos e com o cheiro dos franceses. Poupem-me!!!!

  2. Patrícia Silva disse:

    Que horror. Só se tiver congelando. Aff tomo uns 5 banhos por dia. Deus me livre.

  3. NETINHO MAGNATA disse:

    Quando a gente passa a tomar um banho por dia, já cria um tipo de “cebo” nas entranhas do corpo, imagine passar uns 3 (três) ou 4 (quatro) dias sem tomar banho. A rumaaaa de sebosos!!!!
    E o bom é que quando esses sebosos chegam por aqui, todos adulam, querem dar o rabo e etc., agora vá um brasileiro para lá! Lá, somos índios, porcos, analfabetos, monstros, drogados e por aí vaiiii
    Viva lê France!!!!

  4. Observador disse:

    O que há de novo nesta informação? Ouço falar isto a pelo menos 200 anos.

  5. Flauberto Wagner disse:

    A repulsa deles por água é tão antiga que o próprio Luiz XV não era tão chegando a um banho, aí venho ideia de substituir água por outro produto que os deixassem limpos, criaram o perfume e hoje são os melhores do mundo.
    Agora, não banho não é só coisa de franceses é coisa até de brasileiros também.

  6. Gustavo disse:

    Um luxo esses franceses!

  7. Cap_Mor disse:

    Conheci 1 francês que não tomava banho em 4 dias 🙂

    • manezinho disse:

      Bizarro nao é ele deixar de tomar banho.. é essa informacao intima dele com vc.

Avaliação do governo Bolsonaro fica estável em fevereiro, mostra pesquisa XP/Ipespe

Presidente Jair Bolsonaro posa para fotos com populares na entrada do Palácio da Alvorada (Agência Brasil/Agência Brasil)

 

A avaliação da população em relação ao governo de Jair Bolsonaro apresentou cenário de estabilidade entre janeiro e fevereiro, de acordo com levantamento da XP Investimentos em parceria com o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe). Dados divulgados ao Estado apontam que 36% dos entrevistados consideraram o governo ruim ou péssimo, contra 39% em janeiro – mesmo porcentual desde outubro de 2019. Outros 34% avaliaram o governo como ótimo ou bom, contra 32% em janeiro, e 29% como regular (28% no mês anterior).

As variações estão dentro da margem de erro da pesquisa – de 3,2 pontos percentuais – e mostram a divisão de opiniões que tem marcado os levantamentos do tipo nos últimos meses.

A expectativa da população para o restante do mandato de Bolsonaro também não variou. Para 40%, a perspectiva é ótima ou boa e para outros 33% é ruim ou péssima. São os mesmos porcentuais de janeiro. Outros 21% esperaram um resto de governo como regular, ante 20% em janeiro.

O levantamento teve abrangência nacional e ouviu mil entrevistados, por telefone, entre segunda-feira, 17, e quarta-feira, 19.

Em um ano, a avaliação negativa do governo Bolsonaro cresceu de 17%, em fevereiro de 2019, para 36% neste mês, enquanto a resposta de ótimo ou bom variou de 40% para 34%. O porcentual dos que consideraram regular o governo variou dentro da margem de erro, de 32% para 29% em um ano.

As expectativas ruim e péssima para o restante do governo Bolsonaro saíram do piso de 15% em fevereiro de 2019 para 33% este mês, enquanto a perspectiva ótima e boa saiu de 60% para 40%. Já a perspectiva regular para o resto do mandato segue praticamente estabilizada e dentro margem de erro desde o início da série de levantamentos, e variou de 20% para 21% em um ano.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lenio disse:

    E O BANDIDO DE ESTIMAÇÃO DA FAMÍLIA?
    MAS BANDIDO BOM NÃO É BANDIDO MORTO?
    HOMENAGEAR BANDIDO PODE?
    ENTRE RACHADINHAS, LARANJAS E CHOCOLATES, DEFENDER MILICIANOS PODE?
    POIS É BOZONARO, CADA DIA VAI FICANDO MAIS DIFÍCIL DEFENDER HIPÓCRITAS QUE LIDERAM BANDIDOS, HOMENAGEIAM BANDIDOS, EMPREGAM EM SEUS GABINETES BANDIDOS, MORAM NO MESMO CONDOMÍNIO E SÃO AMIGOS DE BANDIDOS.
    AS FICHAS DE MUITA GENTE JÁ ESTÃO CAINDO E OS FAKES CONSTANTES JÁ NÃO SURTEM OS MESMOS EFEITOS QUE ANTES.
    A BATATA ESTÁ ASSANDO NO "ANEL" DE COURO DOS QUE PREGAM A MORTE E A GUERRA E SE DIZEM CRISTÃOS ADORADORES DA PAZ E DO AMOR.
    AS BANCADAS DO BOI, DA BALA E DA BÍBLIA ESTÃO NO TOPO DA LISTA DE HIPÓCRITAS EXPLORADORES DO SISTEMA. MAIORES MAMADORES DO PODER PÚBLICO.

JUÍZO PASSA LONGE: Pesquisa diz que pessoas se sentem atraídas por outras no carnaval, aponta “motivos” para traição, e revela que maioria não quer separação

Foto: Ilustrativa

O carnaval está aí é o clima é de folia e pegação até para os comprometidos. Pelo menos é isso que indica pesquisa do site Second Love, dedicado a pessoas que desejam ter relações extraconjugais, que mostra que a infidelidade aumenta nesse período.

De acordo com o site, isso acontece porque muitos homens e mulheres encontram nos bloquinhos ou nas festas de carnaval uma oportunidade de fugir de uma relação que pode ter caído na monotonia. Os motivos para cometer uma traição , segundo os 2400 entrevistados na pesquisa, não param por aí:

cerca de 50% sentem-se atraídos por outras pessoas;

68% das mulheres confessam a necessidade de sentirem desejadas novamente;

25% das mulheres referem-se à necessidade de uma aventura por viverem um relacionamento sem sexo;

mais de 80% dos homens traem devido à falta de sexo com a justificativa de ter mais frequência e variedade

Ainda assim, a ideia é trair nos dias de folia e seguir o relacionamento , já que 70% dos entrevistados afirmam que não querem se divorciar. Eles dizem que ainda amam seus parceiros, valorizam a família ou que apenas buscam uma diversão, não um novo namorado (a). Para eles, trair no carnaval é uma oportunidade para experimentar momentos de fantasia e exaltação, além de viver níveis altos de adrenalina.

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anderson M. G. disse:

    Em um relacionamento verdadeiro não há traição. Afastem se dessa degradação chamada Carnaval que só potencializa a traição!

Aventura ou insegurança? Pesquisa aponta motivos para traição no carnaval

Foto: Ilustrativa

Todo início de ano o carnaval levanta as seguintes questões nos relacionamentos: Por que trair no carnaval , quando existe a opção de terminar o relacionamento? Por que mentir para curtir o carnaval, se existe a possibilidade de abrir o coração outra vez e mudar o rumo da sua vida? Encontrar essas respostas levam para outra pergunta: Por que terminar com o parceiro, quando tudo que a pessoa deseja é apenas um amor de carnaval, ou seja, passageiro?

As condutas morais não passam de regras éticas que visam orientar o comportamento coletivo, e que ignoram a felicidade e as particularidades de cada um. O desejo de trair dentro de um relacionamento e, principalmente, casamento, é algo que pesa.

Segundo pesquisa da Second Love, 6 em cada 10 mulheres que procuram um amante durante o período carnavalesco, não querem se divorciar; mas querem ter uma aventura, sentir emoções, ou seja, uma diversão passageira e não um compromisso com alguém.

Em outro cenário, em um relacionamento estável e duradouro, por exemplo, regendo uma família feliz e cumprindo inúmeros papéis exigidos – mulheres e homens apaixonados, mães e pais cuidadosos -, a diversão acaba sendo deixada ‘de lado’.

Caso juntarmos tudo isto com a rotina e a monotonia das relações monogâmicas de longa duração, a vontade de ir em um bloquinho de carnaval ou dar uma fugidinha de casa acaba surgindo inevitavelmente.

A Second Love realizou uma consulta com os usuários e listou alguns motivos que alimentam o desejo de trair durante o carnaval e outros pelas quais o término da relação não é desejado, mesmo com o desejo de se divertir livremente durante esse período.

Durante o carnaval, a traição ocorre, pois:

– Cerca de 50% que são infiéis, sentem-se atraídos por outras pessoas;
– 68% das mulheres confessam a necessidade de sentirem desejadas novamente;
– 25% das mulheres referem-se à necessidade de uma aventura por viverem um relacionamento sem sexo;
– Mais de 80% dos homens traem devido à falta de sexo com a justificativa de ter mais frequência e variedade;
– Nos relacionamentos a longo prazo, corpo e sexo acabam se tornando secundários;
– É uma oportunidade para experimentar momentos de fantasia e exaltação;
– Sentem necessidade de correr riscos e experimentar níveis altos de adrenalina.

Mais de 70% dos usuários confessam que não planejam terminar o relacionamento para curtir o carnaval, pois:

– Ainda amam seus parceiros;
– Valorizam a harmonia familiar;
– Muitos casais mantêm um acordo para se relacionar abertamente;
– Não querem outro parceiro, apenas uma diversão durante o período de carnaval .

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Toni disse:

    LEGAL MUITO LEGALLLLLLL!!!!!!!! PEGA O DEDO E ARRRRGGGG!!!!!!!!!

  2. gustavo disse:

    Interessante!

Pesquisa revela quais fetiches e fantasias os “infiéis” mais querem praticar fora de casa

Foto: Reprodução/Pinterest/osignificadodastatuagens

Quando os fetiches e fantasias sexuais não podem ser pedidos dentro do casamento, tanto por receio quanto por uma recusa anterior do parceiro, a infidelidade é a maior saída para realizá-los. É isso que afirma uma pesquisa realizada por usuários do Ashley Madison, site de relacionamentos extraconjugais.

De acordo com o site, esses fetiches e fantasias podem melhorar muito a experiência sexual. Alguns deles envolvem sadomasoquismo, a encenação de agir como um estranho total, entre outros.

Dados da pesquisa apontam que 52% dos “infiéis” consideram que explorar sua sexualidade com alguém mais aventureiro do que o cônjuge é um dos principais benefícios de se ter um caso. Outro benefício, citado por 46% dos membros, é conseguir fazer com outras pessoas as fantasias sexuais que seu cônjuge não faria.

Segundo Isabella Mise, diretora de comunicações da Ashley Madison, “nossos membros vêm ao nosso site para explorar um desejo que não podem realizar no casamento”, explica.

“Muitas vezes nos preocupamos que, ao compartilhar nossas fantasias, nosso parceiro nos olhe diferente”, diz a Dra. Tammy Nelson, autora do livro “When You’re the One Who Cheats” (em tradução literal ‘Quando é você quem trai’). “Podemos ter medo de perder o respeito ou o carinho deles. Muitas vezes, as pessoas deixam de correr o risco de se abrir, especialmente quando as fantasias são estranhas”, afirma ela.

Confira a lista de fetiches e fantasias mais procuradas de acordo com a pesquisa:

Top 5 Fetiches/Taras

Sexo Anal – 28%

Teatrinho – 17%

Controle de orgasmo – 15%

Exibicionismo – 11%

Voyeurismo – 10%

Top 5 Fantasias

Sexo com múltiplos parceiros – 30%

Sexo com alguém que conheço (Exemplo babá, amigo(a), colega, etc.) – 26%

Um estranho/caso de uma noite -17%

Paixão/Romance – 14%

Dominância – 5%

Segundo a Dra. Nelson, há três coisas a serem consideradas quando vamos ter uma conversa sobre fetiches e fantasias. “Primeiro, essa fantasia é apenas algo que você está curioso? Informar o seu parceiro que você está curioso sobre uma fantasia pode aliviar a pressão.”

E continua dizendo “Depois, se essa é uma fantasia que realmente te excita, compartilhe o que é mais interessante sobre isso. Seu parceiro pode não ter o que chamo de ‘empatia sexual’ se não entender o que é interessante nela”.

“Em terceiro lugar, se você tem um fetiche que deseja realmente colocar em ação, seja claro. Fazer acontecer é diferente de apenas ter curiosidade sobre isso. Deixe-os saber como, o que e quando”, conclui a autora. Com essas dicas, você já pode propôr esses fetiches e fantasias ao seu próprio parceiro.

IG

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro Melo disse:

    Só faz fora porque não tem em casa !
    De-lhe uma pisa de **** todo dia, duvido ele procurar fora.
    Faça as fantasias, deixa de frescura , deixa de mimimi que duvido ele trair.

Bolsonaro amplia vantagem em cenários de 1ª turno para reeleição, informa pesquisa Veja/FSB

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ampliou a vantagem sobre seus eventuais rivais nas próximas eleições, no primeiro turno, caso tente a reeleição. É isso que revela a nova pesquisa eleitoral Veja/FSB publicada nesta quinta-feira (13/02/2020).

Segundo os dados levantados, o atual chefe do Executivo, que já liderava em todos os cenários, oscilou para cima, no limite da margem de erro de 2 pontos porcentuais – de 33% para 37%. Os demais possíveis candidatos ficaram estagnados.

No cenário mais provável, no qual concorrem o petista Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT) e Luciano Huck (sem partido), o principal adversário é o ex-prefeito de São Paulo Haddad, que oscilou negativamente de 15% para 13%. Dessa forma, o petista ficou empatado tecnicamente com o apresentador Luciano Huck, com 12%, e o ex-governador Ciro Gomes (PDT), com 11%. Eles mantiveram seus porcentuais da pesquisa anterior.

Também estagnados, mas bem abaixo dos demais, estão o empresário João Amoêdo (Novo), com 4%, e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 3%.

Bolsonaro x Lula

No cenário com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato do PT, a vantagem de Bolsonaro cai consideravelmente – ele ficaria com 31% das intenções de voto, contra 28% do petista. Isso configura empate técnico e reafirma as conclusões de pesquisas anteriores do instituto: Lula é o adversário que mais ameaça a reeleição de Bolsonaro.

Lula, no entanto, está inelegível com base na Lei da Ficha Limpa. O petista foi condenado em segunda instância, o que impede que ele seja candidato em qualquer eleição. Caso nada mude até 2022, Lula está impossibilitado de concorrer.

A situação é a mesma da pesquisa de dezembro, quando eles ostentavam, respectivamente, taxas de 32% e 29%. Em um segundo turno, Bolsonaro teria hoje 45% das preferências contra 40% do ex-presidente Lula.

Em um segundo turno sem Lula, Bolsonaro venceria com folga Haddad (51% a 33%) e Doria (50% a 25%), mas teria uma disputa mais apertada com Huck (45% a 37%) e ficaria numericamente atrás de Moro (39% para o ministro da Justiça e 37% para o presidente).

O ex-juiz da Lava Jato é o ministro mais bem avaliado do governo, com 29% de aceitação – o segundo colocado, Paulo Guedes (Economia), vem bem atrás, com 6%. A pesquisa foi realizada entre os dias 7 e 10 de fevereiro de 2020. Dessa forma, ainda não foram sentidos os impactos da fala de Guedes sobre o dólar e as empregadas domésticas.

Moro lidera

Sem Bolsonaro e Lula na disputa, Moro lidera as pesquisas de intenção de voto, com 31%. Ele é seguido pelo apresentador Luciano Huck (16%) e pelo ex-candidato Fernando Haddad (14%). Ciro Gomes vem depois, com 12% das intenções de voto.

A pesquisa, realizada pelo instituto FSB Pesquisa, entrevistou 2 mil eleitores por telefone. A margem de erro no total da amostra é de 2 pontos porcentuais, com intervalo de confiança de 95% – ou seja, se a pesquisa fosse realizada 100 vezes, em 95 delas os resultados seriam esses.

Confira como ficaram os cenários:

Cenário 1

Jair Bolsonaro – 37%
Fernando Haddad – 13%
Luciano Huck – 12%
Ciro Gomes – 11%
João Amoêdo – 5%
João Dória – 3%

Cenário 2

Jair Bolsonaro – 31%
Lula – 28%
Luciano Huck – 11%
Ciro Gomes – 8%
João Amoêdo – 5%
João Dória – 4%

Cenário 3

Sergio Moro – 31%
Luciano Huck – 16%
Fernando Haddad – 14%
Ciro Gomes – 12%
João Amoêdo – 5%
João Dória – 4%

ÍNTEGRA DA PESQUISA AQUI.

Metrópoles, com Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ceará-Mundão disse:

    E essa extrema imprensa segue forçando a barra para tentar beneficiar a esquerda é prejudicar a todo custo o presidente. Como incluem na pesquisa um condenado com direitos políticos cassados, um bandido que NÃO PODE ser candidato? É demais até para um esquerdopata. E esse índice hipoteticamente atingido por esse criminoso é flagrantemente mentiroso. O nosso povo, felizmente, já adquiriu nojo desse sujeito é do seu partido. Vê se tem algum candidato que queira ter imagem sua associada à essa corja? O PT parece que criou lepra, ninguém quer essa corja em palanque.

    • Franco disse:

      Extrema imprensa??????
      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Diz outra Ceará Perdido no espaço aéreo da Terra Plana.
      Silvio Santos e Edir Macedo não são donos de grandes impérios de empresas de comunicação de massas, denominada de imprensa?
      Bozonaro não é abençoados por eles e não os abençoa com"Dízimos e Ofertas" (Gordas Verbas Publicitárias) generosas em troca de submissão e propaganda?
      Fora os Antagonistas da vida, entre outros inúmeros Blogs pagos, até com dinheiro oficial em alguns caos, para produzir, reproduzir e divulgar material de propaganda misturado com Fakes atacando pessoas que estejam no caminho do Proto milicianos e seus laranlas amestrados.
      E Viva a Hipocrisia e a Mentira. Mmmmuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

  2. Cesar Bomone disse:

    Com o Brasil entrando nos trilhos do desenvolvimento com o governo Bolsonaro, não há quem o derrote na próxima eleição. O Brasil cansou de governo de esquerda que quebra o país e joga milhões ao desemprego.

  3. Basílio Pereira disse:

    Pesquisa contratada por veículo do grupo globo, pela veja, não vai apresentar os números reais e a pesquisa deve ter sido feita dentro dos redutos da esquerda.
    Os números não são reais e os candidatos da direita devem ter um percentual bem menor que o real, sem confiabilidade a pesquisa.
    Discutir isso com 01 ano de governo é tão produtivo quanto foram todas as pesquisas eleitorais de 2016 a 2018 que erraram da primeira a última. Por sinal segundo as pesquisa do datafolha e do ibope o presidente do Brasil é o poste Haddad.

  4. Mozart Ferrao disse:

    Que continue assim, nas pesquisas de 2018 ele vão ganharia pra ninguém.

  5. Mozart Ferrao disse:

    Bolsonaro vai colocar Moro no STF para sair da frente dele na corrida presidencial, o morto vivo vai voltar pra morrer na cadeia, o poste vai ficar passando mais vergonha nas redes sociais, o povo está na tendendo que o país só muda com pessoas sérias.

  6. Carlos Bastos disse:

    Porque essa pesquisa não fez um quarto cenário com Bolsonaro e Moro, ficou muito estranho essa pesquisa.

  7. Sérgio disse:

    Lula não pode ser candidato. E Bolsonaro só se reelege com outra facada. Ou perder a voz…

  8. Everton disse:

    Aposto com quem quiser como Bolsonaro não se reelege. Bora?

  9. Thor Silva disse:

    Podem ter certeza que Bolsonaro está bem melhor que essa pesquisa. A grande mídia não engana mais ninguém.

  10. Empresário Sofredor disse:

    Estão fazendo uma pesquisa com Lula que não pode ser candidato… PQP

  11. Daniel disse:

    Ô povo besta , Lula vai voltar em breve pra cadeia,parem de colocar o nome dele nessas pesquisas, vai ter muito PTISTA iludido.

Pesquisa: desistentes do Facebook relatam mais satisfação com a vida

Foto: Reprodução/Olhar Digital

Um estudo feito por economistas da Universidade de Stanford observou que pessoas que desativaram suas contas no Facebook ficaram mais felizes depois, relatando níveis mais altos de satisfação com a vida e níveis mais baixos de depressão e ansiedade.

O resultado foi obtido na verdade dentro de outro experimento, que investigava quanto dinheiro usuários da rede social aceitariam receber para desativar suas contas por um ou dois meses – em média US$ 100, com alguns indivíduos mais apaixonados pela rede cobrando até US$ 180.

Os economistas Hunt Allcott, Luca Braghieri, Sarah Eichmeyer e Matthew Gentzkow avaliaram 2.743 usuários norte-americanos nas semanas que antecederam as eleições de 2018 no país. Após o período fora da rede, os pesquisadores descobriram que a desativação do Facebook “reduziu a atividade online, enquanto aumentava atividades offline, como assistir TV e socializar com a família e amigos”.

Se desligar da rede social antes das eleições ainda teve impacto na redução do conhecimento factual das notícias e na polarização política, bem como trouxe aos usuários um “aumento do bem-estar subjetivo; e causou uma grande redução persistente no uso do Facebook após o experimento”.

Como base de comparação, o estudo afirma que isso representa cerca de 25 a 40% do efeito de intervenções psicológicas, incluindo terapia de autoajuda, treinamento em grupo e terapia individual. Sentimentos como ansiedade, depressão e insatisfação tornam o indivíduo mais vulnerável à publicidade e outras formas de manipulação comportamental – e acabam sendo, por isso, alimentados pelo algoritmo das redes sociais.

Por outro lado, a desativação, de acordo com a pesquisa, fez com que as pessoas apreciassem os impactos positivos e negativos do Facebook em suas vidas. “Cerca de 80% do grupo de tratamento concordou que a desativação era boa para eles, mas também era mais provável que pensassem que as pessoas sentiriam falta do Facebook se o usassem menos”.

Olhar Digital, via BoingBoing/Bloomberg

Pesquisa indica as desculpas mais usadas por quem vai trair

Foto: shutterstock

O verão está aí e o calor desperta, aparentemente, vontades das mais diversas nas pessoas. Se tem gente que passa o dia sonhando com uma piscina ou com um banho de mar, há que quem associe o clima quente com o desejo de cometer uma traição .

Pelo menos é isso que indica pesquisa do Second Love, site voltado quem busca relações extraconjugais. De acordo com levantamento da plataforma, a partir de meados de dezembro e durante todo o verão a busca por amantes aumenta em 45% em relação às outras épocas do ano. Para completar, 55% dos usuários do site afirmam que traem nas férias.

Quais as desculpas de quem está traindo?

Se aumentam as traições, devem aumentar também as desculpas para que os infieis possam encontrar seus amantes, certo? Nem tanto. A mesma pesquisa indica que as desculpas de quem está traindo não mudando muito.

De acordo com o Second Love, a mais usada é dizer que vai praticar esportes ou correr e, ao invés disso, encontrar com o outro (a). Essa a desculpa preferida por 34% dos usuários do site. E ela ainda cabe bem no verão, já que o clima da estação favorece a prática de esportes ao livre, na praia, no parque…

O mesmo tema já foi citado em uma pesquisa anterior. Segundo levantamento publicado no jornal “The Sun” em 2017, os homens citam esportes coletivos como desculpa para ver as amantes . Eles inventam jogos de futebol, partidas de rugbi e disputa de golfe, por exemplo.

De volta à pequisa do Second Love, a boa e velha reunião de trabalho que surgiu na última hora parecer ser algo comum entre os infiéis, já que 27% deles disseram que usam esse argumento como desculpa para ter tempo para trair.

Veja o ranking completo das desculpas mais usadas:

Praticar esporte/correr: 34%
Reuniões ou viagens de trabalho: 27%
Ir ao spa/cabeleireiro: 15%
Encontrar-se com amigos: 13%
Ir ao shopping: 4%

O namorado – que nunca foi fã de exercícios – resolveu sair para correr todos os dias? É melhor ligar o alerta.

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Adão disse:

    Ainda estão aceitando comentários? Porque os que eu envio quase nunca são publicados, como o que enviei agora há pouco sobre a reforma da previdência estadual.

    • JOSE MEDEIROS disse:

      depende do comentário. Se for critica a algum chegado não entra no ar

Pesquisa indica que jovens brasileiros buscam representatividade em séries e filmes

Uma pesquisa encomendada pela empresa de streaming Netflix divulgou que sete em cada dez jovens brasileiros entrevistados buscam assistir a séries e filmes em que apareçam personagens semelhantes a eles, o que indica a importância da representatividade nas produções.

O estudo foi conduzido pela empresa NetQuest entre os dias 13 e 15 de janeiro de 2020, com mil entrevistados, todos brasileiros, entre 16 e 25 anos de idade. Todos os participantes utilizam serviços de streaming, além da TV paga e TV aberta no Brasil.

Para o psiquiatra Daniel Martins de Barros, o resultado da pesquisa não surpreende, já que a identificação com o conteúdo “é o que buscamos na arte como um todo”. “A gente gosta e busca formas de refletir sobre a nossa existência, sobre a condição onde estamos, a crise que atravessamos. Essa é uma das funções que sustenta a existência da arte”, diz o especialista.

Dos entrevistados, 79% disseram sentir que séries e filmes retratam as realidades dos jovens com mais frequência do que antes. Para 69%, encontrar personagens que passam pelas mesmas situações que eles é um fator importante na hora de decidir a que assistir, e 57% já fez a pergunta “o que meu personagem favorito faria nesta situação?”.

Barros destaca, porém, que essa postura não é inteiramente benéfica. “No universo pop, a coisa fica mais simplificada e a ideia da ficção é levar a refletir e pensar, não indicar soluções. A representação ficcional é um modelo, uma simplificação, existem muitas outras camadas existentes na vida real, tudo é mais complexo. As saídas fáceis representadas no universo de 45 minutos nem sempre são aplicáveis na vida [real] dos jovens”, opina. Ele observa que o conteúdo deve servir como ferramenta de autorreflexão, não modelo de comportamento.

Um exemplo dessa identificação foi mostrado pelo E+ em uma reportagem que ouviu sexólogos e os respectivos filhos para falar sobre a série Sex Education, que mostra a relação de uma mãe sexóloga e o filho, Otis. “Acho que a série retrata bem, tenta criar essa relação familiar e consegue estabelecer a profissão como algo ligado à relação deles [Otis e a mãe]”, opina João, um dos entrevistados que relatou certa identificação ao ver a produção.

Outro dado da pesquisa é que os jovens buscam conselhos ou ideias de como lidar com situações nos conteúdos que consomem. Os três tópicos que mais interessam os espectadores são amizades, relacionamentos e futuro.

Na opinião do psiquiatra, esse cenário é intensificado na atualidade com a tecnologia e um aumento do acesso a mais conteúdos. “É mais ou menos como buscar relacionamentos amorosos ou pares afetivos nas redes sociais. Antigamente, tinha que se virar com o que tinha no bairro, no trabalho; com todo mundo acessível online, você começa a procurar aqueles com quem se identifica”, compara o Barros.

“Os jovens querem se ver representados nas histórias a que eles assistem”, diz Maria Angela de Jesus, diretora de produções originais internacionais da Netflix no Brasil. Ela destaca que esse público não procura apenas por estrelas e rostos conhecidos ao decidir a que assistir, mas procura se ver nas telas. “Toda necessidade do ser humano é suprida por alguém em troca de dinheiro, então as geradoras de conteúdo usam essa característica para fazer o máximo de conteúdo com o qual as pessoas se identificam”, destaca o psiquiatra.

Emais – Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Se a Nerdflix tem conhecimento disso então porque colocam a disposição do seu público uma produção bosta como a bosta do porta dos fundos e seus asseclas.

Pesquisa CNT/MDA: Aprovação de Bolsonaro melhora e chega a 34,5%; consideram regular – 32,1% e ruim ou péssimo – 31%

FOTO: MICHAEL MELO/METRÓPOLES

O governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é aprovado por 34,5% da população brasileira, revela pesquisa feita pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) em parceria com o instituto MDA.

O levantamento mostra, por outro lado, que 31% dos participantes consideram o governo “ruim” ou “péssimo”. Para completar, 32,1% avaliam a gestão do mandatário da República como regular e 2,4% não souberam ou não responderam. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (22/01/2020).

A sondagem aponta melhora na avaliação dos rumos ditados por Bolsonaro ao governo brasileiro. Em agosto, a pesquisa mostrou que a gestão do presidente era aprovada por 29,4% da população nacional. O levantamento mostrava também que 39,5% dos participantes consideravam o mandato “ruim” ou “péssimo”.

Em fevereiro, quando foi feita a primeira pesquisa da série, a aprovação era de 38,9%. O governo era visto como regular por 29% dos entrevistados. E 19% dos participantes não achavam a gestão ruim.

Para esta terceira rodada, foram realizadas 2.002 entrevistas, de 15 a 18 de janeiro de 2020, em 137 municípios de 25 unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Pesquisa da CNT sobre o governo de Jair Bolsonaro:

Ótimo ou bom – 34,5%
Regular – 32,1%
Ruim ou péssimo – 31%
Não sabe / Não respondeu – 2,4%

Imagem pessoal

A pesquisa revelou, também, que a imagem pessoal de Bolsonaro teve melhora no período analisado. Um total de 47% dos entrevistados afirmou desaprovar o desempenho do chefe do Executivo. Por outro lado, 47,8% aprovam e 5,2% não souberam ou não responderam.

Em agosto, 53,7% dos entrevistados afirmaram desaprovar o desempenho do capitão da reserva à frente do governo. Por outro lado, 41% aprovavam e 5,3% não souberam ou não responderam.

Em fevereiro, 57,5% diziam aprovar a conduta do titular do Palácio do Planalto e 28,2% desaprovavam. Outros 14,3% não souberam ou não responderam à pesquisa.

Para 40,1%, já é possível perceber melhorias em relação aos governos anteriores, enquanto 24,7% afirmam perceber pioras em relação aos governos anteriores.

Com informações do Metrópoles

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fora bolsotralhas disse:

    Os marketeiros estáo a todo vapor$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$ 💰💰💰💰💰💰tentando mudar o quadro DESSA encenação brasileira do caminho certo, é a contramão da desgraça implantada por está BOSTA DE PRESIDENTE🐴😂

  2. Otavio de Medeiros lima disse:

    Olha ter esse percentual sem abastecer o caixa das empresas de pesquisa com dinheiro público não é fácil, o capitão está bem na fita.
    Até 2016 tinham institutos de pesquisa, devidamente financiados que davam como certa a derrota de Bolsonaro na eleição e a popularidade de um determinado condenado em 180%.
    O povo começa a entender o quanto foi manipulado por anos e anos através de instituto de pesquisas, jornalistas, emissoras de tv todos devidamente pagos e agraciados com os recursos públicos para iludir, enganar, distorcer e ludibriar o povo.

Conceito de “sono da beleza” faz sentido, conclui pesquisa

Biólogos da Universidade de Manchester, no Reino Unido, explicaram pela primeira vez a funcionalidade do “sono da beleza”. Parece que ter uma boa noite de sono realmente nos prepara para encarar o dia seguinte. O estudo foi feito com ratos e publicado na revista científica Nature Cell Biology.

De acordo com a pesquisa, as fibras de colágeno são reabastecidas durante o sono. Elas são as proteínas mais abundantes no nosso organismo e garantem elasticidade e força no tecido conjuntivo. Há dois tipos de fibras colágenas: as grossas, que são fabricadas até os 17 anos de idade e permanecem no corpo por toda a vida, e as finas, que são quebradas durante o dia e reabastecidas durante a noite. O estudo mostrou que os mecanismos do nosso relógio biológico repõem as fibras que foram perdidas e protegem as permanentes.

No estudo, os camundongos foram observados a cada quatro horas, durante dois dias. Cientistas perceberam que ao eliminar os genes ligados ao relógio biológico, as fibras eram misturadas. Porém, com o relógio funcionando da maneira correta (o que ocorre quando dormimos bem), as mais finas morriam e as grossas permaneciam, como deve acontecer.

“Se você imaginar os tijolos nas paredes de uma sala como a parte permanente, a tinta nas paredes poderá ser vista como a parte que precisa ser reabastecida de vez em quando. Assim como você precisa lubrificar um carro e manter o radiador cheio de água, essas fibras finas ajudam a manter a matriz do corpo”, diz o professor Karl Kadler, principal autor do estudo.

Pesquisadores comemoraram a descoberta. “Saber disso pode ter implicações no entendimento de nossa biologia em seu nível mais fundamental. Pode, por exemplo, nos dar uma visão mais profunda de como as feridas cicatrizam ou como envelhecemos”, conta Kadler.

Galileu

Pesquisa aponta Recife a melhor cidade do Nordeste para se fazer negócios, enquanto Natal amarga fim da fila

O Recife começou o ano com o título da melhor cidade para se fazer negócios do Nordeste. O posto é resultado da pesquisa Melhores Cidades para Fazer Negócios, da consultoria Urban Systems, em parceria com a revista Exame. O estudo aponta o Índice de Qualidade Mercadológica (IQM) de 100 cidades brasileiras com população acima de 100 mil habitantes, analisando quatro eixos principais: o desenvolvimento econômico (maturidade e crescimento da cidade), capital humano (qualificação profissional e formação de mão de obra), desenvolvimento social (reflexo social do desenvolvimento da cidade) e infraestrutura (o básico para o desenvolvimento de negócios. Por outro lado, neste último estudo, Natal-RN se encontra na pior colocação entre as capitais nordestinas. Em sequência, entre as melhores cidades na região foram destacadas Salvador, Fortaleza, Aracaju, Teresina, São Luis, João Pessoa, Maceió e Natal.

​O estudo é feito com base em levantamento de dados e indicadores das cidades analisadas e compreende a ponderação de cada informação em relação aos municípios analisados na pesquisa. A capital potiguar, por exemplo, não figura nem no ranking das 100 cidades no país.

Foto: Reprodução

Fonte: https://www.urbansystems.com.br/melhorescidadesparanegocios

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Edson disse:

    Com esses políticos que estão nos representando, nunca deixaremos de ser eternos provincianos!
    Vamos acordar povo potiguar!!!

  2. Oilerua disse:

    Realmente, NATAL, está muito atrasada. Existe um suposto conluio entre a Prefeitura e a Justiça, a Prefeitura com uma péssima equipe de Gestores, que impedem i crescimento dos servidores, tirando os direitos. Como podem os servidores ir ao comércio em geral gastar o dinheiro, comprando imóveis, móveis, eletrodomésticos, se estão perdendo os salários desde 2014. Se o comércio não vende, é porque não tem gente pra comprar. As lojas do centro de Natal, fechando as portas, no Alecrim, na Rua da Igreja assembléia de Deus, fechando também. Os ônibus circulando vazios. Qual a empresa que vai querer investir aqui. Se tem um procurador municipal que não negocia acordo nenhum com ninguém. Se tem um Ministério Público que não deixa construir hotéis a beira mar. Um Governo que fecha o na universidade como a U.VA. Pelo contrário, as nada vão muitas empresas embora daqui, e veremos Natal, deserta. Além de uma insegurança total.

  3. Rômulo© disse:

    Enquanto o povo continuar votando nos políticos de sempre, que fazem questão de manter Natal como uma eterna fazenda iluminada, nada vai mudar. Precisamos de pessoas visionárias para comandarem a cidade!

  4. Rui disse:

    Um município so de ASSALARIADO querendo ser RICO,e haja CARNET….kkkkkkkkkkkkkkkk

  5. Assis disse:

    Só Natal tem um prefeito que não conhece a cidade

  6. Lula na cadeia sempre disse:

    Porque ??? Aquela BOSTA do hotel REIS MAGOS é exemplo vivo , qual o doido que irá investir em Natal ??? Só um desinformado, aqui existe um DIABO de gente ruim que adora o atraso

  7. João disse:

    E agora com o PT a coisa vai piorar.

    • Marcos disse:

      Tudo que é ruim é problema do PT. Tudo que é bom foi por causa de Bolsonaro. O estado a anos perdendo competitividade, Garibalde, Wilma, Rosalba, Robson e o governo do PT a um ano comandando e o problema é do PT. É de me fazer rir.

    • ALEXANDRE disse:

      A cidade do Natal- RN que é a divulgada na pesquisa tem como Prefeito Alvaro Dias do MDB ou antigo PMDB.

  8. Pedro Melo disse:

    NENHUMA NOVIDADE
    POLÍTICOS (90%) QUE SÓ PENSAM EM SI MESMOS
    POVO MESQUINHO, QUE SE ACHA RICO PORQUE COMPROU UM IMPORTADO FINANCIADO
    É MUITA PEQUENEZ NUMA PROVÍNCIA SÓ
    E MUITO MAIS

    NOSSA EVOLUÇÃO , TALVEZ NUNCA EXISTA!
    REALIDADE