Aprovação de Bolsonaro despenca de 37% para 26% e atinge o mesmo nível de junho de 2020, diz pesquisa EXAME/IDEIA

Foto: Reprodução

Com a crise de saúde pública em Manaus e desencontros sobre o cronograma de vacinação, a aprovação à gestão do presidente Jair Bolsonaro caiu de 37% para 26%, a maior queda semanal desde o início de seu governo. Agora, está no mesmo nível de junho de 2020, um dos momentos mais críticos da pandemia. A queda acentuada fez com que a desaprovação ao governo saltasse para 45%.

É o que mostram os novos resultados de uma pesquisa exclusiva de EXAME/IDEIA, projeto que une Exame Research, braço de análise de investimentos da EXAME, e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. Clique aqui para ver o relatório completo.

A desaprovação do presidente é maior nos estratos de maior renda e de maior escolaridade: entre os que ganham mais de cinco salários mínimos, 58% não aprovam a gestão do presidente. No grupo dos que têm ensino superior, 64% desaprovam o governo federal.

Já em relação à aprovação do presidente, ela segue maior entre os que moram no Centro-Oeste e os evangélicos. Entre os que moram no Centro-Oeste, 36% aprovam o governo Bolsonaro — nas outras regiões do Brasil, esse índice varia de 22% a 27%.

Entre os evangélicos, 38% apoiam o governo Bolsonaro, ante 20% dos católicos e 23% dos que declaram seguir outra religião.

O levantamento foi realizado por telefone, em todas as regiões do país, entre os dias 18 e 21 de janeiro. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

“A dinâmica dos sérios problemas em Manaus junto a falta de perspectivas sobre um cronograma de vacinação e o fim do auxílio emergencial constituem os principais fatores que levam à queda de popularidade do presidente”, diz Maurício Moura, fundador do IDEIA.

Os dados de avaliação do governo mostram um desempenho similar: o percentual de pessoas que considera o governo ótimo ou bom passou de 38% para 27%. Do mesmo modo, o grupo que avalia a gestão Bolsonaro como ruim ou péssima subiu de 34% para 45%.

Com informações da Exame

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Macena disse:

    Gaguinho e Antônio Turci, perfeito mais uma vez o comentário de vcs. Infelizmente o maior opositor do governo Bolsonaro, é ele mesmo. João Macena.

    • Deus continue te abençoando presidente. disse:

      Verdade!!
      Se o Bolsonaro bota se esses caras no gelo, os partidos de esquerda se acabam no Brasil.
      Mas tem hora que penso que é estratégia do PR.
      Vejam que faz dois anos que ele está no topo, mesmo tendo tudo e todos contra.
      Tá dando certo até aqui.
      Quem somos nós pra ensinar um ganhador a ganhar.
      Na vida desse homem bom, religioso, espetacular é so VITORIAS.
      Pode prestarem atenção.

  2. Direita radical disse:

    Pura mentira, só os idiotas acreditam.
    #QueremosBolsonaroAte2026

  3. Tarcísio Eimar disse:

    Aí mente

  4. Gaguinho disse:

    O Presidente é bem intencionado, não é perfeito, tem erros e fala demais, mais quer o melhor para o Brasil é vem fazendo um bom trabalho quebrando a espinha dorsal da corrupção. Ele não fez mais, devido à grande quantidade de gente trabalhando contra, são políticos, STF, parte da imprensa, uma parcela da população todos torcendo contra e colocando pedras em seu caminho, dificultando o progresso da Nação. Tem muita gente com interesses contrariados, gente que vivia de verbas públicas, esse povo mata a mãe para culpar Bolsonaro.

    • Natalense disse:

      Corrupção? Homi, me ajude! Essa palavra é doce na boca da família do presidente. Espinha dorsal? Quase quebrei minha de tanto rir. O presidente só faz o povo passar vergonha. Governo sem projetos. Brasil sem Governo. MOURÃO 2021 JÁ!

  5. Natalense disse:

    O presidente precisar encarar a realidade e ser presidente. Povo brasileiro sendo humilhado todo dia, passando vergonha. É necessário primeiro, assumir compromisso de combater a pandemia e urgentemente deixar de dar créditos a mentiras.

  6. Tico de Adauto disse:

    Impeachment já!!!

    • Paulo disse:

      Falou o zumbi de Maduro e Lula, querendo se promover em cima da pandemia…
      Os derrotados em 2018, turma do mensalão e do petrolao, querendo voltar, comemoram cada óbito.
      São abutres.
      Lula se contaminou .
      Onde estava o fique em casa dele?
      Morreram 10 pessoas no RN.
      O que Fátima está fazendo a respeito?

    • Natalense disse:

      Mourão 2021 já – assim eles entendem melhor.

  7. JJsair. disse:

    Se essa pesquisa for verdadeira, no final de fevereiro sobe de novo.
    Vamos pras urnas.
    Duvido que outro tenha se sobre saído.
    Quem????
    Kkkkkkkk
    Tenho nem medo.
    É no primeiro turno.
    Kkkkk
    Aposto os culhões de ze gado.
    Kkkkkk

  8. Chico 200 disse:

    Vamos pra as urnas

  9. Jose de Arimatea Lopes Fernandesdes disse:

    Covid 19 derrubou Trump, esse mesmo vírus também já contaminou o futuro político de Bolsonaro, isso nós vamos ver em 2022. Os 2 maiores negacionistas da pandemia, irão se encontrar no ocaso de suas idiotices.

    • Paulo disse:

      Relinche, relinche…
      Idiotices?
      Você sabia que na Califórnia está faltando leitos e oxigênio?
      Você sabia que em Portugal também?
      Você sabia que o número de óbitos na Argentina, Inglaterra Itália, em termos proporcionais é maior do que no Brasil e ninguém fica ofendendo o presidente da República?
      Só esquerdistas radicais, seguidores de Maduro e de Lula mentem dia e noite para se promover com a pandemia.
      É verdade que 240 pessoas morreram no RN por falta de UTI?
      Se for, você acha que Fátima é uma otima gestora?

  10. Calígulete disse:

    É melhor dar mais ministérios para o Centrão e manter o Auxílio Emergencial até 2022, se não vai ter o mesmo fim do nosso querido Trump. O Véio é duro.

  11. Pai do Cacá (Tá tenso) disse:

    Vamos ver se o blogueiro deixa passar essa. E o gás R$ 100,00, o arroz R$ 6,00, o feijão R$ 9,00, a gasolina R$ 5,20, o queijo R$ 45,00, o coxão duro R$ 35,00! Aonde vamos parar? Bora fazer arminha mesmo, encher o bolso dos empresários, da oligarquia e dos banqueiros. Gado raivoso, se puder me ajudar, sou profissional liberal e trabalho para hotel. Rendimentos lá embaixo. Entramos no 3° ano de governo, mais a desgraça do Brasil é a esquerda, é Cuba, é China, é Lula e o PT. 3° ano gado, a oposição dessa anta é ele mesmo! Ainda bem que aqui já vi uns da direita reconhecendo que Bolsonaro é o problema do próprio governo. E Deus me livre Lula e PT, mas que a gente possa ter uma opção sem ter radicalismo para um lado ou para o outro!

    • Biró disse:

      Vá trabalhar e se qualificar, que vc compra tudo isso aí.
      O Sine tem vagas todos os dias.
      Sai da moita.
      Vá trabalhar parasita.
      Vá produzir riquezas pro nosso Brasil.

  12. Rivanaldo disse:

    O tamanho do tombo, o caminho para o impeachment. Pesquisa Exame/IDEIA mensurou:

    Caiu de 38% para 27% quem acha esse governo ótimo ou bom;
    Ruim ou péssimo subiu de 34% para 45%;

    Motivos mensurados na pesquisa: atraso na vacinação; crise em Manaus; fim do auxílio emergencial.

  13. Mínion de Peixeira disse:

    DÉJÀ-VU 2022, A Ruína dos Lacradores
    Dos mesmos produtores de: TODOS VENCEM BOLSONARO
    e dos diretores de: ELENÃO 2 e VAI TER IMPITIMAN.

    Na primavera de 22, numa secão eleitoral perto de você.
    (compre o seu ingresso antecipadamente).

  14. Calígula disse:

    Tamo lascado

  15. Emerson Fonseca disse:

    Grande dia. O gado pulando a cerca do curral " com força " …🤩

  16. Antonio Turci disse:

    O grande adversário do Presidente é ele mesmo. Fala alem da conta e parece não ouvir ponderação de ninguém. Confunde Palácio do Planalto com Câmara de Deputados. Nesta a verborragia pode, até, correr frouxa; no Planalto o comedimento deveria prevalecer.

    • André Fortes disse:

      Muuuuuuu!

    • Natalense disse:

      Por isso digo, o presidente não está a altura do cargo que ocupa, deveria renunciar para disputar a câmara federal e quebrar o recorde de Henrique Alves.

  17. Carlos disse:

    Acho uma grande sacanagem falar isso do presidente. Gasolina 5,16 carne 43,00 gás 87,00 dólar 5,23 STF cada ministro mais de cem funcionários fora a venda de sentenças etc. O presidente está fazendo de tudo para o país melhorar.

  18. RMS disse:

    ENGRAÇADO, QUANDO ALGUMA COISA DAR CERTO, E MERITO DOS GOVERNOS ESTADUAIS E PREFEITURAS, QUANDO DAR ERRADO E CULPA DE BOLSONARO.

    • Bolsonarista Binário disse:

      Justamente o contrario do que os bosonaristas fazem!!!

    • Gaguinho disse:

      Desse jeito, o que é bom é mérito do governadores e prefeitos o que é de ruim é culpa de Bolsonaro. Ninguém reclama do rio de dinheiro que foi enviado pel Gov Federal, ninguém nem diz quanto recebeu e o que fez com o dinheiro.

  19. O certo. disse:

    Parecem que vai junto com Tramp.

  20. Tonho da Lua disse:

    Essa pesquisa é fajuta! Por que não avaliam o Lula e o PT?

  21. Queiroz disse:

    O gado vai dizer que essa pesquisa é fajuta em 3, 2, 1…

  22. João disse:

    Tudo isso? Como assim? Tem coisa errada aí…
    O omi não foi capaz de eleger nem a Wal do açaí…kkkkkkkkkkkkk

  23. Cris disse:

    Ô mentira da moléstia

  24. Silvia disse:

    Tomara que caia mas ainda esse bozo

  25. Severino disse:

    Se saiu na nossa mídia, então é verdade.

  26. ZéGado disse:

    Vixe, o gado 🐄 vai dizer que essa pesquisa é fake e o ministro bunda mole da justiça vai solicitar abertura de inquérito para investigar quem fez a pesquisa

  27. Manoel disse:

    Já sei: o MINTOmaníaco vai voltar o auxílio emergencial para melhorar sua popularidade… Fazer aquilo que o PT sempre fazia e ele condenava lembram? O problema é que o rombo fiscal já está enorme e vai aumentar ainda mais com essa medida… O auxílio foi pago indiscriminadamente e muita gente que realmente precisava ainda não recebeu…

  28. Mgil disse:

    Revista Exame/Globo. Não precisa dizer mais nada.

    • Nordestino disse:

      A revista exame é de André Esteves, amigo de Paulo Guedes. Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

Home office consolida ‘jornada híbrida’ como preferida dos trabalhadores, diz pesquisa

Foto: Divulgação

Com o home office cada vez mais consolidado como modelo de trabalho eficiente, chegou a 91% o percentual de profissionais qualificados que acreditam que o futuro do trabalho será de modelo híbrido, revezando entre dias presenciais e remotos.

Os dados fazem parte da 14ª edição do Índice de Confiança Robert Half (ICRH) realizada pela consultoria de recrutamento. O recorte foi cedido com exclusividade ao G1. Por “profissionais qualificados”, a empresa define trabalhadores com 25 anos ou mais e com formação em ensino superior.

Foram entrevistados 1.161 destes profissionais, além de recrutadores. Os três grupos foram divididos igualmente e responderam à pesquisa entre 10 e 25 de novembro. A amostra também foi distribuída proporcionalmente por todas as regiões do Brasil, de acordo com dados do mercado de trabalho do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dentre os que concordam que as equipes híbridas são uma parte permanente do cenário de empregos, os principais motivos apontados foram:

Os profissionais almejam flexibilidade: 66%

A pandemia ainda é uma realidade: 61%

A produtividade se manteve/aumentou: 57%

Melhora do engajamento: 26%

Outro: 6%

Quem discorda da afirmação de que equipes híbridas devem predominar, aponta motivos quase inversos:

Ao final da pandemia, o presencial voltará a prevalecer: 61%

É mais desafiador disseminar a cultura corporativa: 25%

Piora do engajamento: 25%

Dificuldade de manter a produtividade: 25%

Outro: 11%

Readaptação

Ainda que a percepção de produtividade na maior parte dos entrevistados tenha sido positiva, a forma de gerir o dia a dia do trabalho é o principal desafio para o trabalho híbrido, segundo os gestores e recrutadores. Quase dois terços (64%) disse que as ferramentas e estruturação para gerir pessoas nesse formato são mais desafiadores do que manter a cultura empresarial (60%), por exemplo.

Outro aspecto de preocupação bastante citado é a dificuldade de evitar os ruídos de comunicação (52%). Há também quem tenha dificuldades com o planejamento de médio e longo prazo (26%).

Para os profissionais em geral, a comunicação adequada com a equipe foi a maior preocupação (25%). Em seguida, veio a organização e planejamento de tarefas (24%). A proximidade com a equipe também tem destaque, com 21% das respostas. Apenas 15% disse estar preocupado com a produtividade.

Eles também consideram a flexibilidade — seja de horários, local de trabalho ou jornada — como o principal ganho de experiência para as empresas vividas durante a pandemia (71%).

G1

Sesap inicia pesquisa de testagem para identificar o comportamento da Covid-19 no RN

Mapear o comportamento da Covid-19 em todas as regiões do Estado do Rio Grande do Norte é a função do Inquérito Sorológico que tem início nesta sexta-feira (8). A Secretaria de Estado de Saúde Pública em parceria com o Instituto Amostragem do estado do Piauí tem como meta a elaboração de 24 mil entrevistas e exames.

A pesquisa acontece em três etapas com intervalo de uma semana entre elas, sendo 2.300 domicílios aproximadamente em cada etapa. O inquérito tem o apoio do Comitê Científico instaurado desde o início da pandemia com pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS)/UFRN. O Cronograma está dividido em três ciclos nas seguintes datas: 1° ciclo – 8 a 10/01/2021, 2° ciclo – 15 a 17/01/2021 e 3° ciclo – 22 a 24/01/2021.

Serão analisados oito municípios com sede de regionais de saúde no Estado: Pau dos Ferros, Mossoró, Assu, Natal, João Câmara, São José do Mipibu, Santa Cruz e Caicó e para cada município serão vinte entrevistadores e pesquisadores que farão a aplicação de um questionário com perguntas referentes a sintomas, estado de saúde, idade, comorbidades, entre outras questões importantes para embasar a pesquisa. Ao todo, serão 160 pesquisadores em campo. Em cada município sede serão sorteados 30 setores censitários do IBGE para a realização do inquérito e em cada setor serão realizadas 100 entrevistas, em domicílios previamente determinados pela UFRN.

A Sesap fornecerá 25 mil kits de testes da marca WONDFO SARS-CoV-2 Antibody Test, além dos equipamentos de proteção individual (EPIS). É importante ressaltar que uma parte dos kits é destinada para os pesquisadores em campo, para garantir a segurança no risco de contágio.

De acordo com João Batista, responsável pelo Instituto Amostragem, serão disponibilizados também supervisores e verificadores por município para o acompanhamento dos pesquisadores em campo. “Todos os pesquisadores passaram por um treinamento por videoconferência e farão também um treinamento in loco para aplicação dos testes, para uma maior segurança de todos”, esclarece. O exame será realizado com amostra de sangue obtida através de punção digital e o estudo de validação apresentado pelo fabricante identificou uma sensibilidade de 86,4% e especificidade de 99,6% de segurança no resultado.

Segurança para os participantes

Todos os indivíduos selecionados para a amostra do inquérito populacional serão informados sobre os objetivos do estudo, riscos e vantagens. O material e todas as informações serão coletados após assinatura do termo de consentimento do participante.

Todos os indivíduos testados em campo terão um número de telefone celular registrado para que possam receber informações sobre o resultado do teste. Os casos positivos serão notificados para o serviço municipal de saúde para providências necessárias.

As medidas de segurança biológica cabíveis serão tomadas, de forma a garantir a saúde dos trabalhadores de campo atuando na coleta dos dados e do material. O estudo envolve risco mínimo para a saúde dos participantes, pois consiste apenas na aplicação de um questionário e o exame sorológico. É importante ressaltar que, se houver qualquer desconforto, o participante poderá deixar de participar a qualquer momento.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antenado disse:

    Piauí de novo?

  2. Calígula disse:

    Quando a SeSaP vai explicar o sumiço dos 5 milhões dos respiradores, o contrato das ambulâncias e a compra das passagens aéreas.?

Pesquisa mostra queda de confiança dos brasileiros na imprensa

Foto: Reprodução

Pesquisa do PoderData indica que mais brasileiros não confiam na imprensa. Os que consideram as informações publicadas pelos veículos jornalísticos “pouco confiáveis” representam 23%. Os que avaliam as notícias como “nem um pouco confiáveis” são 7%.

A desconfiança do público (soma das duas respostas) em relação à mídia cresceu 10 pontos percentuais na comparação com o último levantamento realizado pela divisão de pesquisas do Poder360. Em outubro, eram 20% os que não confiavam na imprensa (17% diziam ser “pouco confiável” e 3% achavam ser “nem um pouco confiável”).

Para 68%, as notícias merecem confiança. Metade dos entrevistados (50%) afirma que a imprensa é “mais ou menos confiável”. Os 18% restantes a consideram “muito confiável”. Há pouco mais de 2 meses, eram 77% os confiantes. A queda mais acentuada foi entre a opinião neutra –de 11 pontos percentuais.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Os dados foram coletados de 21 a 23.dez.2020, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 470 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

ESTRATIFICAÇÃO

A desconfiança em relação à imprensa é mais notada na região Norte do Brasil. Lá, são 43% que a consideram pouco ou nada confiável, segundo o PoderData. É o único recorte da pesquisa que mostra uma confiança menor que a metade (47%).

Os mais jovens também são mais céticos. Para 36% dos entrevistados de 16 a 24 anos a imprensa não é nem um pouco confiável. Há pouca variação na divisão por sexo e escolaridade.

Os brasileiros de classe média –que ganham de 5 a 10 salários mínimos– representam o grupo mais fiel ao trabalho dos jornalistas. Somam 31% de respostas positivas e 51% de neutras. Os ricos –que ganham mais de 10 salários mínimos– têm o mesmo percentual (82%).

Foto: Reprodução

Eis a estratificação completa:

AVALIAÇÃO DE BOLSONARO

A confiança na imprensa é maior entre quem desaprova o presidente Jair Bolsonaro. A proporção de brasileiros que confiam no setor é de 29% entre quem avalia o presidente como “ruim” ou “péssimo”. São 11 pontos a mais que o resultado geral.

Já entre quem avalia o presidente como “bom” ou “ótimo” as informações são confiáveis para 10%, numericamente o mesmo entre as avaliações regulares.

A desconfiança segue a mesma linha: 11% para bolsonaristas e 3% para críticos de Bolsonaro.

Foto: Reprodução

Apesar da desconfiança na imprensa ter crescido, mais de 3/4 da população segue utilizando os meios tradicionais de comunicação para se informar. A pesquisa do PoderData indica que 78% dos brasileiros se inteiram das notícias por meio de sites noticiosos, TV, jornais, revistas e rádio. A preferência por rede sociais atinge 19%.

Poder 360

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Durango Kid disse:

    Pesquisa mostra total descrença dos brasileiros em pesquisas.

  2. Antonio Turci disse:

    Não dá para assistir CNN, Band, Globo, Cultura, e ler Folha Estadão e Veja, sem desconfiar. São parciais e ou distorcem tudo que diz respeito ao Governo Federaln no maior descaramento. Daí o crescimento da desconfiança.

  3. Pedro disse:

    "A confiança na imprensa é maior entre quem desaprova o presidente Jair Bolsonaro."
    Precisa dizer mais nada…🤷
    Os que usam argola na venta ficam putos quando a imprensa desmente as fake news dos Minions…

  4. Tonhão disse:

    Eu só confio no tio do zap

Com festas de fim de ano, pesquisa aponta perfil mais jovem de infectados com covid-19, e pesquisadores da UFRN alertam para perigo

Com a chegada das festas do fim de um ano marcado pela pandemia de covid-19, reunir familiares para as tradicionais ceias natalinas e de réveillon, segundo um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), pode ser uma atividade perigosa. A avaliação se dá, sobretudo, pelo novo perfil de infectados identificado, que hoje é quatro anos mais jovem do que o apresentado em julho de 2020.

Segundo os dados da PNAD Contínua do terceiro trimestre de 2020, em cerca de 147 mil domicílios potiguares (12,2% do total), há idosos residindo com jovens de 18 a 35 anos. Isso aumenta o risco de contaminação, especialmente pelo fato de que, segundo relatórios da Secretaria Estadual de Saúde do RN (Sesap/RN), a população jovem corresponde a quase a metade de casos de covid-19 atualmente (46,5%).

“Festas familiares são um evento catalisador de novas infecções, especialmente quando se reúnem familiares que não tem um convívio diário ou habitual”, enfatizam os pesquisadores em relatório.

Segundo o pesquisador e professor César Rennó Costa, do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), o mesmo padrão de evolução da doença no Brasil foi observado em outros lugares do mundo, ocasionado, especialmente, por festas e eventos públicos.

“Na Flórida, nos Estados Unidos, houve um crescimento acentuado de casos depois das festas de Spring Break – algo como um Carnaval em abril –, mas sem que houvesse um paralelo imediato na curva de óbitos. Porém, no mês seguinte, houve uma mudança no perfil dos infectados, tendendo para os mais velhos e logo se observou um aumento nas taxas de hospitalização e de óbitos”, comenta o professor.

Percepção popular

Segundo a pesquisadora Luciana Lima, do Programa de Pós-Graduação de Demografia da UFRN, “o cenário atual é preocupante. Há um contingente alto de pessoas jovens infectadas e uma percepção popular de que a epidemia não está tão avançada, o que pode reduzir os cuidados na realização dos eventos de fim de ano”.

Para os estudiosos, a reabertura econômica possivelmente possibilitou mais exposição de adultos à contaminação, assim como uma maior circulação de jovens em locais com aglomerações, como casas noturnas, bares e eventos. Em conjunto, todos esses fatores podem, segundo a pesquisa, ter contribuído para esse rejuvenescimento da curva de contaminados.

Ainda segundo os pesquisadores, a percepção da população sobre a pandemia não parece refletir a gravidade da situação: os índices de isolamento social de hoje (39%) são menores que no período anterior ao primeiro pico (44%).

Em casos em que as famílias optarem pelas festividades de fim de ano, os acadêmicos aconselham a todos seguirem as recomendações da Fundação Oswaldo Cruz para a redução dos riscos de contaminação.

UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. pereira disse:

    Chega de FAZ de CONTA. Chega de Mentiras. Fechem TUDO que NÃO é ESSENCIAL. Sejam DETERMINADOS. Tenham CORAGEM, VONTADE politica e INTERESSE em combater a disseminação do covid-19. CHEGA de trocarem VIDAS por impostos.

    • Antenado disse:

      Isso, vamos deixar de pagar o funcionalismo público. Sem impostos não há como pagar.

    • Calígula disse:

      E os 5 milhões dos respiradores quando serão devolvidos aos cofres públicos?

Prática de atividade física aumentou no Brasil em 2020, mostra pesquisa

Foto: Ilustrativa

A pandemia do novo coronavírus alterou os hábitos de praticantes de esporte no mundo inteiro.

Sem poder realizar treinos ao ar livre e na academia por um período, ou sem sentir-se seguro para isso, além de precisar lidar com os efeitos emocionais do isolamento, parte dos atletas teve sua rotina de exercícios virada de ponta cabeça.

Mas por mais que os hábitos tenham mudado, a comunidade esportiva conseguiu se adaptar à nova rotina, criar novos hábitos e se manter ativa em meio às restrições impostas pelo vírus. É o que mostra o Year in Sport, relatório anual divulgado nesta quarta-feira, 16, pelo Strava, plataforma online de registro de atividades físicas.

O Strava conta com uma comunidade esportiva com mais de 73 milhões de atletas no mundo — mais de 9,5 milhões só no Brasil.

Nos 12 meses avaliados – boa parte vividos em meio à pandemia –, a comunidade global realizou 21,5 milhões de atividades por semana e percorreu 17 bilhões de quilômetros, números muito acima das previsões iniciais.

No mesmo período, a plataforma recebeu dois milhões de novos integrantes, somando, ao todo, mais de 73 milhões de usuários.

No começo da pandemia no Brasil, em março, os registros no Strava caíram no início do mês, mas, mesmo após algumas restrições impostas pela pandemia, cresceram 5% acima do esperado.

Só no Brasil, em 2020, foram percorridos 133,1 milhões de km, comparados aos 98,4 milhões de km registrados em 2019. Os homens tiveram a maior distância média percorrida este ano: 5,9 km, contra 5,3 km das mulheres.

No ciclismo, com 1,2 bilhão de quilômetros percorridos no país, os homens tiveram uma distância média de 29,3 km, com e as mulheres, de 22,9 km.

Mulheres aumentaram mais a frequência de treinos

Globalmente, as mulheres jovens, com idade entre 18 e 29 anos aumentaram a frequência de atividades em 45,2%, quando comparadas ao ano passado, enquanto os homens cresceram 27,3%.

No Brasil, esse dado também tem as mulheres na frente, com um aumento de 43,8% de registros contra 30% a mais feito pelos homens na mesma faixa etária.

As brasileiras, em todas as faixas etárias, superaram ou se igualaram aos em relação ao número de atividades registradas na plataforma. Também houve crescimento no registro de atividades em todas as faixas de idade dos dois sexos, quando comparado 2019 e 2020.

Viva Bem – UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tia Pedroca disse:

    Saio para correr e pedalar com meus “meninos" todos os dias.

PESQUISA EXAME/IDEIA: aprovação do governo Bolsonaro cai de 41% para 35%; desaprovação passa para 38% e 27% consideram regular

Foto: (Alan Santos/PR/Divulgação)

A aprovação do governo do presidente Jair Bolsonaro, que estava em 41% há duas semanas, caiu para 35%. A desaprovação passou de 31% para 38%. É a primeira vez em dois meses que avaliação negativa supera a aprovação. Aqueles que consideram o governo regular somam 27%.

A queda da aprovação e o aumento da desaprovação coincidem com o último mês do pagamento do auxílio emergencial, criado durante a pandemia de covid-19, e que acaba em dezembro. Com o crescimento do Produto Interno Bruno (PIB) de 7,7% no último trimestre, o governo não trabalha com a possibilidade de uma nova prorrogação do benefício social.

Os dados são da mais recente pesquisa exclusiva EXAME/IDEIA, projeto que une Exame Research, braço de análise de investimentos da EXAME, e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. O levantamento ouviu 1.200 pessoas entre os dias 30 de novembro a 3 de dezembro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Na série histórica, a desaprovação vinha superando a aprovação desde o ano passado, até atingir o pico em junho, quando ficou em 54%. O cenário coincidiu com problemas na liberação do auxílio emergencial para boa parte da população, e também quando o desemprego atingiu um recorde de 13,1%. A aprovação foi subindo no mesmo período em que o auxílio foi pago.

Comparando com a última pesquisa, publicada no dia 20 de novembro, a aprovação total de quem ganha mais de 5 salários mínimos passou de 40% para 49%. A desaprovação de quem ganha 1 salário mínimo foi de 39% para 46%. A variação ocorreu dentro da margem de erro, que na estratificação por renda é de cinco pontos percentuais para mais ou para menos.

“A fortaleza da aprovação do governo federal continua sendo as regiões Norte (62% de aprovação) e Centro-Oeste (47%), e os entrevistados que se dizem evangélicos (44%). Entre a parcela de baixa renda, a popularidade caiu abaixo da margem de erro (45% das classes D/E desaprovam). Já são sentidos efeitos da redução do auxílio, da perda de renda e do aumento da procura por emprego nesses segmentos”, explica Maurício Moura, fundador do IDEIA.

Apesar da desaprovação ser maior na população de baixa renda, nas classes A/B a aprovação está em 44%. Analisando por escolaridade, a aprovação se manteve alta entre aqueles que que mais estudaram, como na última pesquisa. Entre os entrevistados que disseram que fizeram faculdade, 54% aprovam a maneira do presidente de governar.

A pesquisa também perguntou sobre a avaliação do governo do presidente. Aqueles que consideram o governo ruim/péssimo somam 37%. Os que acham ótimo/bom são 35%, e aqueles que avaliam como regular, 27%.

Foto: Reprodução/Exame

Exame

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pixuleco disse:

    Lá vem o doidin , descendo s ladeira !

  2. Zé de Joca disse:

    Bolsonaro, sem roubar (diretamente), só pela incompetência política e os desacertos de ações e declarações, já supera Lula em rejeição popular, mesmo distribuindo dinheiro. O véio é duro!

  3. Bolsonaro RN disse:

    Só porque ele não rouba, se fosse um lula da vida talvez tivesse com 90% de aprovação, o povo é cruel.

  4. Justiceiro disse:

    As pesquisas só são sérias e refletem a verdade, quando os resultados favorecem ao que pensam os bolsominions….

  5. Nono Correia disse:

    Quando o mesmo instituto apontava aumento a jumentosfera bolsogadista acreditava, mas agora
    já deixaram de acreditar. Por que será heim?

  6. Sr. Brasília disse:

    K-bou-ssy os R$600 reais e K-bou-ssy os R$300 reais também….. então agora é ladeira abaixo…hahahaha

  7. homosapiens disse:

    Pesquisa tendenciosa e vergonhosa, ninguém caia mais nessa balela

  8. Alberto faustino de moura disse:

    conta outra essa não cola

  9. Zé ruela disse:

    Deviam ter vergonha

  10. Calígula disse:

    Hô mentira grande.
    Ninguém mais acredita em Instituto de pesquisas.

Governo do Estado prorroga inscrições de processo seletivo para 26 bolsas de pesquisa sobre a Covid-19

O Governo do Estado prorrogou as inscrições para o processo seletivo simplificado de pesquisadores bolsistas que irão atuar no Projeto de Pesquisa Aplicada no Enfrentando da Covid-19. Com a mudança o prazo para inscrição vai até até 30 de janeiro de 2021.

O projeto de pesquisa será executado em parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e a Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte (Fapern).

Através da parceria Sesap/Fapern, o Governo vai selecionar 26 pesquisadores bolsistas para o Projeto de Pesquisa Aplicada no enfrentamento à Covid-19, sendo disponibilizadas 20 bolsas para pesquisadores-bolsistas (graduandos), cinco para supervisores-bolsistas (mestrando) e uma para coordenador-bolsista (doutorando).

O projeto será realizado em duas frentes de pesquisa paralelas ao desenvolvimento das ações com o intuito de realizar um diagnóstico situacional sobre a condição de saúde da população do Rio Grande do Norte face à pandemia da Covid-19 e desenvolver ações de educomunicação baseadas nesses diagnósticos para encontrar formas de estimular uma mudança de comportamento da população.

O novo cronograma de execução do processo seletivo prevê a divulgação do resultado até 03 de fevereiro e, vencidas todas as etapas, inclusive de recursos, com a definição sendo feita no dia 19 desse mesmo mês. A convocação dos bolsistas ocorrerá no dia 21 de fevereiro.

A carga horária presencial das atividades a serem desenvolvidas pelos pesquisadores é de 20 horas semanais. O acompanhamento da frequência e do desenvolvimento da atividade dos pesquisadores será realizado pelo Coordenador Técnico do Projeto indicado pela Sesap.

Novo cronograma de seleção de bolsistas

. Prorrogação das Inscrições até 30 de Janeiro de 2021.

. Divulgação do resultado da etapa I e II até 03/02/2021.

. Prazo para interposição de recurso a respeito da etapa I e II até 04/02/2021.

. Divulgação do resultado da etapa I e II após recursos até 05/02/2021.

. Divulgação do resultado da etapa III até 09/02/2021

. Prazo para interposição de recurso a respeito da etapa III até 10/02/2021.

. Divulgação do resultado da Etapa III após recursos e divulgação da data e horário das entrevistas até 11/02/2021.

. Divulgação do resultado das etapas IV até 17/02/2021.

. Prazo para interposição de recurso a respeito das etapas IV até 18/02/2021.

. Divulgação do resultado final após recursos até 19/02/2021.

. Convocação dos bolsistas aprovados a partir de 21/02/2021.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo disse:

    Será que 10 mil pessoas no Halloween de Ponta Negra, bebendo, ouvindo música de baixo calão, descendo até o chão e sem máscara transmite corona vírus?

  2. Paulo disse:

    Que pesquisa?
    Não vi nenhuma pesquisa e nenhum resultado.
    O ano está acabando, a vacina chegando e não vemos os cientistas descobrirem nada relevante.
    Geralmente muita enchecao de linguiça, fazem referência a estudos de estudos.
    No Rio Grande do norte sequer se pesquisa se foi encontrado coronavirus em ônibus, bancos, supermercados.
    Se com nosso vento o vírus se dilui mais rápido e dificulta a transmissão.
    Se o calor da praia mata o vírus.
    Pesquisas simples não são feitas.
    Ninguém sabe como as pessoas pegam o vírus…

Pesquisa vai levantar perfil da Covid-19 em todo o RN

Objetivo é orientar novas ações de combate à pandemia; sete mil famílias serão visitadas nas oito regiões do Estado. FOTOS: ELISA ELSIE

Uma nova medida para o enfrentamento e controle da Covid-19 foi anunciada nesta sexta-feira (27) pelo Governo do Estado: a pesquisa Inquérito Sorológico de Base Populacional – Prevalência de infecção por Covid-19 no RN. Serão aplicados 24 mil questionários e testes às famílias em 7 mil domicílios, nas 8 regiões do estado – Pau dos Ferros, Mossoró, Assu, Natal, João Câmara, São José do Mipibu, Santa Cruz e Caicó.

O trabalho inicia na primeira semana de dezembro e será feito em três etapas, com intervalo de uma semana entre elas. A pesquisa tem o apoio do Comitê Científico de assessoramento ao Governo do Estado para a pandemia composto por especialistas e pesquisadores da UFRN, UERN, IFRN e do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN. O questionário terá perguntas referentes a sintomas, estado de saúde, idade, comorbidades, entre outras questões importantes. Em cada município serão vinte entrevistadores e pesquisadores que farão a aplicação do questionário. Ao todo serão 160 pesquisadores em campo.

A presença das equipes nas cidades e a visitação às residências será acompanhada por policiais militares, garantindo a segurança de todos.

“Essa é mais uma medida de grande importância. Teremos equipes de profissionais qualificados que irão às casas das pessoas fazer a pesquisa e subsidiar um estudo para mostrar quais as novas ações que deveremos tomar para enfrentar a pandemia e salvar vidas. Por meio da Secretaria estadual de Saúde, o Governo já investiu R$ 236,8 milhões no combate à pandemia com recursos federais e próprios do RN. Em toda a história do SUS foram implantados 380 leitos UTI em nosso estado. Nós, com muito trabalho, dedicação e compromisso, implantamos 611 leitos durante a pandemia que ficarão para o atendimento geral à população. O Governo contratou mais de 3 mil profissionais da saúde, entre concursados e temporários, para uma melhor assistência à saúde”, afirmou a governadora Fátima Bezerra.

Ela destacou o acerto das medidas no combate à Covid. “As ações que tomamos refletem a seriedade, o compromisso e a transparência da gestão. Decidimos pela suspensão e retorno às atividades nos momentos certos, sempre ouvindo e respeitando a ciência. O controle da pandemia em nosso estado é resultado das medidas que tomamos”, registrou.

A governadora, entretanto, alertou para a necessidade da população continuar respeitando as normas de protetivas – usar máscara, lavar as mãos com frequência e evitar aglomerações. “A pandemia não acabou e ainda não temos uma política nacional de imunização. Portanto, não vamos dar trégua ao vírus. Devemos manter todos os cuidados, protegendo a nós mesmos e os outros”, concluiu.

Professor da UFRN e integrante do Comitê de Especialistas que assessora o Governo do Estado na pandemia, Ângelo Roncali confirmou que a identificação e registro de casos é subestimada e que a pesquisa “vai produzir estimativas de prevalência e condição das pessoas utilizando metodologia aprovada pela Organização Mundial da Saúde”. O recorte amostral é o mesmo utilizado pelo IBGE, cobrindo os municípios por inteiro, explicou Roncali para acrescentar que o estudo foi aprovado pelo comitê de ética da UFRN.

TESTAGEM

A subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Alessandra Luchesi informou que a pesquisa também vai identificar a transmissão familiar da Covid-19. Além de responder aos questionários, as famílias serão testadas com exame de sangue que terão o resultado liberado em 20 minutos.

A presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde dos Municípios (Cosems), Maria Elisa Garcia, disse que a iniciativa é de grande importância para os municípios, uma vez que dará um panorama geral da pandemia e do seu comportamento.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. CiÇO disse:

    Já que a governadora apareceu,dê notícia dos 5 milhões dos respiradores que foram pagos adiantados e nunca chegaram para salvar a vida dos Potiguares,o Povo quer saber !!!!!

  2. Calígula disse:

    Estava acuada com sua incompetente que é.

  3. Silvino disse:

    Até que enfim a governadora saiu da toca, no momento mais grave parecia que não tínhamos governo. Agora ela ressurge, insignificante mas como atriz de quinta. Repugnante!

    • Paulo disse:

      Ela e seu vice papagaio de pirata deviam era tomarem providencias com a INSEGURANÇA em todo RN, incluindo o elefante branco de S.G.Amarante, além dela o Alcaide da Cidade oriundo da oligarquia Maia poderia direcionar a guarda municipal para atuar na segurança do entorno do elefante branco (aeroporto). que está entregue as traças. Agora os impostos, são pagos por todos para segurança ZERO.

PESQUISA EXAME/IDEIA: aprovação de Bolsonaro vai a 41%, a mais alta em quase 2 anos

Foto: (Adriano Machado/Reuters)

A aprovação do presidente Jair Bolsonaro está em 41%, o mais alto patamar desde fevereiro de 2019. No último levantamento, feito no início de novembro, a avaliação estava em 38%, e oscilou positivamente no limite da margem de erro da pesquisa que é de três pontos percentuais para mais ou para menos. A desaprovação diminuiu, passando de 34% para 31%. Aqueles que nem aprovam nem desaprovam somam 27%.

Os dados são da mais recente pesquisa exclusiva EXAME/IDEIA, projeto que une Exame Research, braço de análise de investimentos da EXAME, e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. O levantamento ouviu 1.200 pessoas entre os dias 16 e 19 de novembro.

Foto: Reprodução/Exame

Na série histórica, a aprovação só ficou acima de 40% em fevereiro de 2019, quando 45% dos brasileiros aprovavam a maneira como o presidente governa. Esse percentual foi caindo até chegar em 20% no mês de maio deste ano, coincidindo com o agravamento no número de casos e de mortes por covid-19 no país.

A alta mais significativa foi percebida entre julho e agosto, quando os brasileiros que aprovavam o governo de Jair Bolsonaro saltaram de 27% para 37%, respectivamente. O período corresponde com a liberação de grande parte do auxílio emergencial.

“Os mais altos níveis de aprovação do governo federal são muito concentrados no segmento de evangélicos (50%), e nas regiões Norte (52%), Centro-Oeste (52%) e Sul (54%). A avaliação positiva é sempre maior neste grupos”, explica Maurício Moura, fundador do IDEIA.

Estratificando a pesquisa por idade, quanto mais velha é faixa etária, maior é a aprovação do governo Bolsonaro. Entre aqueles com 50 anos ou mais, o índice chega a 49%. A proporção é similar no item escolaridade, sendo maior na parcela da população que estudou mais. A aprovação chega a 42% entre aqueles com ensino superior.

Por classe econômica, a desaprovação é maior entre os mais pobres. Nas famílias com ganhos de até 1 salário mínimo, 39% desaprovam o governo Bolsonaro. Já entre os que ganham mais de cinco salários, 32% não aprovam a atual administração.

A pesquisa também perguntou como os brasileiros avaliam o governo do presidente até o momento. Os dados são idênticos ao da aprovação, com 41% considerando ótimo/bom, e 31% ruim/péssimo.

Foto: Reprodução/Exame

Exame

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Samuel Uel disse:

    A bovinada so comenta onde convém, o veio é tão arrochado que nem vereador elege, é tao arrochado que deu uma de frouxo e não revelou os tais paises que compram madeira ilegal, é tão arrochado que não explica os 89 mil na conta da Micheque…..de tantas noticias sobre o bozo o gado fica mudinho, mas quando sai uma pesquisa de popularidade, ai a manada vem com tudo comentar.
    Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

  2. desMOROnado disse:

    Como é mesmo aquela música?? É… O homem disparou, é?

  3. Silva disse:

    A petezada pira!!
    Kkkkkkkk
    O Véi ta estourado.

  4. Calígula disse:

    Hô Véio Bom, Hô véi arroxado, Hô Véio arroxado do cunhão rôxo é Bolsonaro.
    Mito 2022

  5. Joaquim disse:

    Ou véi macho da porra

  6. DeSacoCheio disse:

    Para aqueles que torcem para que o governo dê errado, para que o Brasil quebre, para que a população sofra para assim, talvez, conseguir trazer de volta o "bandido que deveria estar preso" e o seu governo corrupto que só beneficiava que era "camarada", é uma péssima notícia.

  7. David disse:

    Semelhante a Dagô e Luiz Almir.
    Vai levar rasteira grande.

  8. José Macedo disse:

    Para desespero das midiaslixo e dos esquerdopatas.

  9. Vaqueiro Açoitador disse:

    Ess pesquisa é tão verdadeira, quanto uma nota de 3 reais.
    Só alguns 🐂 🐄 que usam argola de ferro na venta, que aprovam esse “ninguém”.

    • Neco disse:

      Pode achar ruim, repetir mil vezes.
      Isso não muda a realidade.
      Melhor ja ir se acostumando.

    • Diabinho disse:

      Bem.. realmente as pesquisas nao sao confiaveis… tanto que ele foi eleito contrariando as pesquisas.

    • Davi disse:

      Tá, já viu o que obama falou de luladrão? Acho que não né? Vi a pouco tempo vocês comemorando a vitória do vice dele, ou pensam que o vice não sabe das falcatruas do seu senhor corrupto condenado. Jumento petralha confinado.

    • Maria disse:

      Verdade… a aprovação eh muiiiiito maior que isso… eh difícil achar quem desaprova e pessoas que não gostavam dele por acreditar em “histórias” de que ele ia fazer isso ou aquilo de ruim e que não se concretizaram, pois eram mentiras, estão cada vez mais percebendo isso e mudando de concepção.

  10. Alberto disse:

    O homem é bom, o homem é espetacular!

Sesap e Fapern lançam edital para bolsas de pesquisa, com 26 vagas, para o enfrentamento à Covid-19

Foi publicado no Diário Oficial do Estado edital que pretende selecionar 26 pesquisadores bolsistas para o Projeto de Pesquisa Aplicada no enfrentamento à Covid-19 e na Promoção de Saúde do Programa RN Mais Saudável. A seleção é uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e a Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do RN (Fapern).

Estão sendo disponibilizadas 20 bolsas para pesquisadores-bolsistas (graduandos), 05 para supervisores-bolsistas (mestrando) e 01 para coordenador-bolsista (doutorando). As inscrições serão realizadas exclusivamente pela internet a partir do dia 20 de novembro até o dia 30 do mesmo mês. O candidato deverá preencher o formulário disponível em https://forms.gle/XtfKxSvjEFyXtimw6 e anexar a documentação exigida no edital. A divulgação dos resultados está prevista para 19 de dezembro e convocações no dia 21 de dezembro.

O projeto será realizado em duas frentes de pesquisa paralelas ao desenvolvimento das ações com o intuito de realizar um diagnóstico situacional sobre a condição de saúde da população do Rio Grande do Norte face à pandemia da Covid- 19 e desenvolver ações de educomunicação baseadas nesses diagnósticos para encontrar formas de estimular uma mudança de comportamento da população.

A carga horária presencial das atividades a serem desenvolvidas pelos pesquisadores é de 20 horas semanais. O acompanhamento da frequência e do desenvolvimento da atividade dos pesquisadores será realizado pelo Coordenador Técnico do Projeto indicado pela Sesap.

Confira o edital completo no link: https://bit.ly/2UDwliP

Justiça indefere pedido de impugnação de pesquisa AGORA SEI em Mossoró

Foto: Reprodução/Agência Brasil

O juiz eleitoral Vagnos Medeiros negou o pedido de impugnação para que não fosse divulgada a pesquisa para as eleições municipais em Mossoró do instituto de pesquisa AGORA SEI.

O magistrado ressaltou que os argumentos da coligação “Mossoró para todos” não foram suficientes para elencar irregularidades e danos que motivassem a tutela de urgência.

Matéria completa AQUI no Justiça Potiguar.

PESQUISA AGORA SEI/REJEIÇÃO/MOSSORÓ: Rosalba lidera com 39,2%, seguida de Isolda(36,2%); Cláudia Regina(29,8%); Irmã Ceição(24,5%); Alysson Bezerra (23,55%) e Ronaldo(22,5%)

A rádio Difusora em Mossoró divulgou no fim da manhã desta terça-feira(10) os números de Mossoró em estudo realizado pelo instituto Agora Sei. Os primeiros resultados divulgados, como de costume, são os da corrida eleitoral para prefeito. No quesito em destaque, foi perguntando em quem você não votaria de modo algum para prefeito.

Rosalba tem a maior rejeição, com 39,2%, seguida de Isolda(36,2%); Cláudia Regina(29,8%); Irmã Ceição(24,5%); Alysson Bezerra (23,55); Ronaldo(22,5%). Todos(7,2%) e não sabem responderam 12%.

Para a realização do estudo, foram entrevistados 600 eleitores de Mossoró entre os dias 02 e 03 de novembro. Os resultados foram calculados com margem de erro de 3,9% para mais ou para menos e com intervalo de confiança de 95%, o que quer dizer que, se levada em consideração a margem de erro, a pesquisa tem 95% de retratar o cenário real da cidade. A pesquisa do instituto Agora Sei, divulgada pela Rádio Difusora, foi registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo RN-04676/2020.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Val Lima disse:

    Kkkkkkkk… O menino vai ganhar disparado!!!! Quando as urnas estiverem apuradas, será a uma vergonha para os "institutos" de opinião…. Kkkkk Estou guardando os print para conferir os resultados…

  2. Bruno disse:

    Obs os proprios eleitores de Alysom não acredita nessa pesquisa olha o que ouvir de eleitor dele agora pouco "exagerada mesmo essa pesquisa"

PESQUISA AGORA SEI/ESPONTÂNEA/MOSSORÓ: Allyson tem 37,2%; Rosalba 25%; Cláudia Regina 5,7%; Isolda 3,8% veja mais

Foto: Reprodução

A rádio Difusora em Mossoró divulgou no fim da manhã desta terça-feira(10) os números do município em estudo realizado pelo instituto Agora Sei. Os primeiros resultados divulgados, como de costume, são os da corrida eleitoral para prefeito. Nesse quesito, de forma ESPONTÂNEA, sem citação de nomes ou opções, o deputado estadual Allyson Bezerra lidera com 37,2%. A prefeita Rosalba Ciarlini aparece em segundo com 25% da preferência do eleitorado. Na sequência, Cláudia Regina tem 5,7%; Isolda Dantas(3,8%); professor Ronaldo(0,7%); Irmã Ceição(0,2%). Nenhum 12,2% e não sabem 15,2%,

Para a realização do estudo, foram entrevistados 600 eleitores de Mossoró entre os dias 02 e 03 de novembro. Os resultados foram calculados com margem de erro de 3,9% para mais ou para menos e com intervalo de confiança de 95%, o que quer dizer que, se levada em consideração a margem de erro, a pesquisa tem 95% de retratar o cenário real da cidade. A pesquisa do instituto Agora Sei, divulgada pela Rádio Difusora, foi registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo RN-04676/2020.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jailson disse:

    Já passou da hora de libertar mossoró da oligarquia dos Rosados

  2. Inaraí disse:

    Segue a derrocada do PT.
    Dois arrombador de urnas.
    Jean em Natal e Isolda em Mossoró.
    Tem que fazer urnas de aço pra caber o voto desses dois.
    Kkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkk
    Tchau!!
    PT acabou se.
    Yhooooooooooo
    Xau!!

  3. Sérgio Coves disse:

    Chegou a hora dos Rosados …

PESQUISA AGORA SEI/ESTIMULADA/MOSSORÓ: Allyson tem 41,8%; Rosalba 27,8%; Cláudia Regina 6,8%; Isolda 5,5%

Foto: Reprodução

A rádio Difusora em Mossoró divulgou no fim da manhã desta terça-feira(10) os números do município em estudo realizado pelo instituto Agora Sei. Os primeiros resultados divulgados, como de costume, são os da corrida eleitoral para prefeito. Nesse quesito, de forma estimulada, o deputado estadual Allyson Bezerra lidera com 41,8%, seguido de Rosalba 27,8%; Cláudia Regina 6,8%; Isolda 5,5%. Nenhum 7.7% e não sabem 9.5%,

Para a realização do estudo, foram entrevistados 600 eleitores de Mossoró entre os dias 02 e 03 de novembro. Os resultados foram calculados com margem de erro de 3,9% para mais ou para menos e com intervalo de confiança de 95%, o que quer dizer que, se levada em consideração a margem de erro, a pesquisa tem 95% de retratar o cenário real da cidade. A pesquisa do instituto Agora Sei, divulgada pela Rádio Difusora, foi registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo RN-04676/2020.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael disse:

    Fora oligarquias

  2. Luciano disse:

    Até que fim Mossoró vai se libertar dessa mulher que afundou o RN. Robson hoje foi condenado. Só falta natal agora se libertar dos restos dos Alves e de Álvaro dias filho adotivo.

  3. JARLEIDE disse:

    Que assim seja!

  4. Paulo disse:

    Ta na hora de Mossoró se libertar dessa oligarquia Rosado.!!!!!!!

  5. Alex Oliveira disse:

    Mossoró dando aula de visão política para Natal.

    • Renno vieira disse:

      Vamos fazer acontecer em Natal também meu povo, esse prefeito é cria dessas oligarquias que dominam nosso estado a décadas !!!!