Blog do BG divulga pesquisa Consult em Macau na manhã deste sábado

O Blog do BG divulga neste sábado(24), a partir das 09h, mais uma rodada de pesquisa eleitoral, através da Consult. Dessa vez, o município é o de Macau.

As pesquisas trarão números da corrida eleitoral na disputa das prefeituras de cada uma das cidades, nomes mais citados para as câmaras municipais dos dois municípios e as avaliações administrativas de Prefeitura, Governo do Estado e Presidência.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    Bom dia

  2. Ivan disse:

    Estamos com Raniere Barboza

  3. Ivan disse:

    Vereador Ranieri Bárbara guarde movimento no planalto

  4. Jailson disse:

    Quais as cidades q terá divulgação de pesquisa, Macau e quais as outras pelo q entendi terá outras cidades

Sesap e Fapern lançam edital para bolsas de pesquisa e inovação; 45 vagas e valores de R$ 2,5 mil e R$ 5 mil mensais

Foi publicado no Diário Oficial do Estado, desta sexta-feira (23), o edital que pretende selecionar 45 pesquisadores-bolsistas no Projeto Institucional de Inovação e Modernização da Vigilância em Saúde do Estado do Rio Grande do Norte. A seleção é uma parceria da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do RN (Fapern), com o objetivo de potencializar o processo de modernização da gestão pública no âmbito da saúde.

Serão 40 bolsas na modalidade de Pesquisadores-Bolsistas (graduados) e 05 para a modalidade de Coordenadores-Bolsistas (doutores), com valores de bolsa de R$ 2,5 mil e R$ 5 mil mensais, respectivamente, com período de vigência de até 12 meses.

As inscrições estarão disponíveis a partir das 00h do dia 30/10/2020 até às 23h59mim do dia 04/11/2020. O candidato deverá preencher o formulário disponível em https://selecao.saude.rn.gov.br e anexar a documentação exigida no edital. A divulgação dos resultados está prevista para 01 de dezembro e convocações no dia 02/12.

“Todas as pesquisas, desde o pré-projeto apresentado no processo seletivo, devem seguir linhas de ação orientadas pela Sesap. Os bolsistas serão distribuídos no nível central e a maior parte ficará nas regionais de saúde”, explicou Larissa Araújo, subcoordenadora de capacitação da Sesap.

Os quatro eixos de pesquisa são: Inovação Tecnológica para Modernização dos Sistemas de Informação; Inovação para Promoção da Saúde: Programa RN + Saudável; Modernização Administrativa para melhorar a eficácia da Vigilância em Saúde e Inovação na gestão da Vigilância em Saúde na Região.

A carga horária presencial das atividades a serem desenvolvidas pelos pesquisadores é de 30 horas semanais. O acompanhamento da frequência e do desenvolvimento da atividade dos pesquisadores será realizado por servidor da Coordenadoria de Promoção da Saúde da Sesap.

A Comissão Organizadora do Processo Seletivo está disponível através do endereço de e-mail: [email protected]

Link para o edital: http://abre.ai/bG61

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo disse:

    Vai ter mais bolsista do que funcionário?
    Não é uma forma de não fazer concurso?

    • Alguém disse:

      fora que as vagas já estão preenchidas antes mesmo da seleção né.
      MP como sempre fazendo vista grossa.
      Até quando os orgão do Estado continuarão com a máfia das terceirizadas e bolsistas?
      Concurso público que e bom nada.

Processo Seletivo Fapern/Idema abre 45 vagas para bolsas de pesquisa; até R$ 5.500,00 ao mês

Foto: Reprodução

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte – Idema em parceria com a Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (Fapern), divulga nesta quinta-feira (22), o edital Fapern/Idema N.º 07/2020, referente ao processo seletivo para profissionais de cursos superiores e de pós-graduação para atuarem como pesquisadores-bolsistas em projetos de pesquisa e inovação.

O número total de bolsas disponibilizadas será de 45, cujas atividades devem ser desenvolvidas pelo período de 24 meses. Os selecionados atuarão no Projeto Institucional de Inovação intitulado “Projeto Institucional de Inovação e Modernização na Gestão do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do RN – Idema”.

A distribuição das bolsas ocorrerá da seguinte maneira: 03 Bolsistas Coordenadores, (especialistas/mestres/doutores): R$ 5.500,00 (cinco mil e quinhentos reais) mensais; 42 Bolsistas Pesquisadores (graduados): R$ 2.400,00 (dois mil e quatrocentos reais). A carga horária presencial das atividades a serem desenvolvidas pelos pesquisadores é de 30 horas semanais.

As áreas contempladas são: Direito, Geografia, Administração, Ciências da Computação, Arquitetura e Urbanismo, Biblioteconomia, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Ciências e Tecnologia, Ciências Econômicas, Design, Direito, Engenharia Agronômica, Educação Artística, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Geologia, Geociências, Gestão Ambiental, Gestão de Políticas Públicas, Comunicação Social e Psicologia.

Como se inscrever?

As inscrições acontecerão no período de 30 de outubro a 08 de novembro de 2020, com o envio da documentação requerida, envio do projeto e preenchimento do formulário de inscrição, disponibilizado nos sites do Idema (idema.rn.gov.br) e Fapern (fapern.rn.gov.br).

Para concorrer a uma das bolsas, o candidato deverá: ter formação acadêmica na área preterida; possuir comprovação dos títulos; experiência profissional; apresentar um Projeto de Pesquisa e Inovação no âmbito do Idema; dedicar-se integralmente às atividades previstas no projeto.

Etapas do processo seletivo Fapern

Os inscritos serão avaliados por meio de três etapas. A primeira, classificada com eliminatória, é referente à análise dos documentos. Nessa fase será conferida a documentação obrigatória. Somente os candidatos com documentação completa terão seus currículos avaliados.

A segunda etapa consiste em análise curricular. A terceira etapa será avaliado o Pré-projeto de Inovação, com caráter eliminatório. A quarta e última etapa é a entrevista, com caráter classificatório, realizada presencialmente, respeitando as medidas de biossegurança. A classificação final será a média aritmética entre as pontuações obtidas em todas as etapas.

O edital completo está disponível no Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte (DOE-RN), edição de 22 de outubro de 2020.

– Acesse:  https://is.gd/cwE58K

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    O diabos é quem vai trabalhar de graça.

  2. Lopim disse:

    A cumpanheirada tá sem trabáio, tudim desocupado só conversando miolo de pote.

  3. Luciana Morais Gama disse:

    Isso na véspera de uma eleição.

EFEITO PANDEMIA: 40% dos brasileiros vão evitar beijar desconhecidos no carnaval, aponta pesquisa feita em Salvador, Rio, Recife e mais

Foto: Carla Carniel / Estadão

A pandemia do novo coronavírus teve diversos efeitos no Brasil, e um deles foi a possibilidade de adiar uma das maiores festas do País em 2021: o carnaval. Ainda sem uma data concreta para a liberação de uma vacina e com a necessidade de distanciamento social, não se sabe exatamente como ocorrerá o carnaval no próximo ano.

Para entender de que forma a pandemia mudou os hábitos da população pensando em um evento repleto de contato físico e aglomeração, foi realizada uma pesquisa com moradores das cidades de Salvador, Rio de Janeiro, Recife, Olinda, São Paulo e Belo Horizonte, conhecidas pelas celebrações no feriado do carnaval.

Dos mil entrevistados, todos entre 18 e 45 anos, 60% pretendem mudar o comportamento nas festas do feriado, mesmo se uma vacina já estiver em circulação. Além disso, 67% são a favor do cancelamento do carnaval 2021, e 31% afirmaram que só participarão da folia se uma vacina já estiver disponível.

Pensando no comportamento do público nas celebrações, 68% dos entrevistados disseram que estão mais exigentes com as condições de higiene nos eventos, e 49% darão preferência para festas menores, com 38% pretendendo evitar os tradicionais blocos de carnaval e aglomerações.

Ainda sobre as mudanças de hábito, 40% dos entrevistados afirmaram que pretendem evitar carinhos e beijos de desconhecidos. Já sobre o adiamento do carnaval, já anunciado em São Paulo, no Rio de Janeiro e possível em outros Estados, 50% disseram que não pretendem comemorar, mesmo em uma nova data.

A pesquisa foi encomendada pela agência de marketing Estalo, que trabalha há mais de dez anos com carnaval de rua, e realizada pela empresa Mindminers entre 4 e 10 de agosto.

E-mais Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maria disse:

    Enquanto não estiverem bêbados.

  2. Comedor disse:

    Eu vou comer carne mijada em casa, para não correr riscos. Tem muito boçal por aí que, se o cara olhar sem querer para a mulher dele, vem prá cima a tasca bufete no cara. Tô fora.

  3. Jose disse:

    Não se surpreendam se no Carnaval a realidade for diferente… A maioria vai estar se beijando e se abraçando… Povo de memória curta por conveniência… no Carnaval poucos vão estar pensando ou dando importância ao vírus da pior Pandemia dos últimos tempos.

  4. Beto Dal disse:

    Nesta pesquisa incluíram os que vão estar bêbados?!

  5. Jefferson Silva disse:

    kkkkkkkkkk Duvido!!!!!! Pesquisa FAKE.

  6. Paulo disse:

    Para mim está muito difícil isso.
    Mesmo sem carnaval, onde chego, há muitas gatas querendo me beijar.
    Especialmente nos barzinhos top da cidade.
    Devido à pandemia tenho evitado.
    Ou exijo que faça um PC R antes…

  7. Pixuleco disse:

    Será? Kkkkk.

Pesquisa da UFRN vence prêmio em congresso internacional

Foto: Reprodução

Pesquisadores da UFRN desenvolveram um modelo para condução de compras públicas baseado em técnicas da Gestão de Projetos. Eles observaram que as aquisições e contratações no ambiente público eram feitas de maneira muito operacionais, por isso propuseram uma técnica que permitiu uma ação mais estratégica com maior atenção à realidade de cada setor. O estudo rendeu o prêmio de melhor artigo científico da área de Gestão de Projetos no 8º Simpósio Internacional de Gestão de Projetos, Inovação e Sustentabilidade (VIII SINGEP), realizado entre 1º e 3 de outubro.

O projeto foi desenvolvido pela servidora Edjane Cortez da Cruz, durante mestrado no Programa de Pós-Gradução de Processos Institucionais (PPGPI/UFRN), com apoio de por Thiago de Oliveira, mestrando do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/UFRN), e orientação do professor André Morais Gurgel, do Departamento de Administração (Depad) e secretário da Secretaria de Gestão de Projetos (SGP/UFRN). Construído numa lógica de pesquisa ação, a partir de um caso real da fase de planejamento das licitações da própria UFRN, a pesquisa se baseou em demandas de aquisições que foram aplicadas às fases do modelo aplicado. Posteriormente, foram analisadas as percepções dos envolvidos durante workshops realizado pelo grupo.

A grande inovação deste estudo, segundo os pesquisadores, foi definir as fases da gestão de projetos para esses ambientes utilizando ferramentas como o Life Cycle Canvas – desenvolvida pelo professor Manoel Veras, do Depad – que se adequam bem a esse contexto. Esta medida possibilita um novo olhar para as aquisições públicas que permitam a melhor compra sem deixar de lado o princípio da economicidade que é base das licitações públicas. “Os próximos passos da pesquisa são validar o modelo em outras universidades públicas e tentar generaliza-lo para este contexto de instituição pública”, disse André Gurgel.

Prêmio

Segundo o professor, o Simpósio Internacional de Gestão de Projetos (Singep) é o principal congresso acadêmico da área de gestão de projetos do país. Anualmente, escolhe o melhor artigo da área de gestão de projetos em uma sessão especial. Tradicionalmente esse prêmio é entregue a universidades do Sudeste.

“Este ano, conseguimos ganhar o prêmio como melhor artigo, o que demonstra a força da área no contexto da UFRN, tanto do ponto de vista acadêmico quanto de gestão, uma vez que a pesquisa vem do trabalho desenvolvido da SGP, junto a Pró-Reitoria de Administração (Proad), a partir da reformulação do processo de aquisição e contratações da universidade. É importante também destacar que a base de pesquisa de gestão de projetos a qual fazemos parte tem apenas três anos e hoje desponta como a base com o terceiro maior número de publicações nesta temática”, completou André Gurgel.

UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mario disse:

    Bando de maconheiros e local de balbúrdia! Lugar de kit-gay e mamadeira de piroca! não, pera…

  2. João Porrada disse:

    Com Bolsonaro é assim…só entra pra vencer…

Nova pesquisa da UFRN reforça eficiência da caatinga na absorção do gás carbônico; entenda a evapotranspiração

Fotos: Anastácia Vaz

A Caatinga é o bioma brasileiro mais injustiçado de todos. Já foi classificada como um ambiente hostil, inabitável e pobre, do ponto de vista da biodiversidade. Já foi acusada até mesmo de ser uma fonte de emissão de gases de efeito estufa e potencialmente prejudicial ao clima. Essa aversão era disseminada especialmente pelo fato de que pouco se estudava e conhecia sobre este bioma. Assim, estabeleceu-se o preconceito de que caatinga, por não ter valor, supostamente poderia ser derrubada sem maiores crises – ambientais ou de consciência – para a queima da lenha nativa ou substituída por pastagens.

Felizmente, estudos nas áreas de clima, botânica e ecologia tem provado o contrário: a caatinga é uma floresta rica em biodiversidade vegetal, plantas medicinais, compostos bioativos naturais de interesse das indústrias farmacêutica e de cosméticos e em biodiversidade animal. Do ponto de vista climático, uma pesquisa da UFRN mostrou que a caatinga é muito eficiente na absorção do gás carbônico e tem uma relevante contribuição para o equilíbrio do clima.

Agora uma nova pesquisa foi apresentada, apontando os mecanismos que controlam a evapotranspiração na Caatinga, baseada em resultados de observações em campo durante o período de seca. Os resultados sugerem que, na estação seca, a evapotranspiração foi controlada pela umidade do solo e, na estação chuvosa, esta foi parcialmente controlada pela energia disponível, tornando possível o avanço no conhecimento sobre a variabilidade diária, sazonal e interanual da evapotranspiração e das suas características de controle.

O estudo foi o tema da tese de doutorado em Ciências Climáticas do professor Thiago Valentim Marques, chamada Mecanismos biofísicos e características de controle da evapotranspiração da Caatinga em anos de seca extrema. Thiago diz que as informações são positivas para a calibração de modelos para fazer representações mais realistas sobre o bioma.

“A evapotranspiração, que é a soma da evaporação da água pela superfície do solo com a transpiração dos vegetais, foi avaliado em um ambiente preservado e observando os controles ambientais e biofísicos, para analisar o seu comportamento e a umidade do solo”, explica, Thiago. A pesquisa de campo teve início em 1º de janeiro de 2014, encerrou em 31 de dezembro de 2015 e foi finalizada em 2020.

A análise observacional revelou também que os menores valores da evapotranspiração ocorreram como consequência da perda de folhas pela maioria das espécies vegetais ou pelo fechamento parcial dos estômatos das poucas espécies que mantém folha durante todo o ano (espécies semidecíduas), provocados pela baixa umidade do solo no período em consequência da ausência de chuvas.

Os maiores valores de evapotranspiração foram registrados no período chuvoso, quando as espécies da Caatinga estiveram em plena atividade fisiológica e metabólica. Durante o período seco, as árvores do bioma Caatinga otimizam o uso da água a fim de evitar o estresse ocasionado pelo déficit hídrico, tornando-se mais resiliente à redução da disponibilidade de água no solo.

Desse modo, conclui a pesquisa, os principais mecanismos de controle para os fluxos hidrológicos na Caatinga precisam de mais atenção em pesquisas futuras, particularmente na transpiração via monitoramento do fluxo de seiva. Além disso, os resultados do estudo podem ser benéficos na construção de modelos mais precisos e robustos para fornecer entradas de parâmetros-chave em modelos de mudança climática.

Como perspectiva futura, o pesquisador imagina que o estudo possa comparar resultados da evapotranspiração em anos contrastantes, avaliando também a umidade do solo em profundidades múltiplas

Ecossistema rico

As Florestas Tropicais Sazonalmente Secas (SDTF, do inglês Seasonally Dry Tropical Forests) estão entre os biomas mais importantes em termos de fluxos hidrológicos e de carbono locais/globais e sua vulnerabilidade. O bioma Caatinga é uma das maiores SDTF do mundo e ocupa uma área contínua de quase 845 mil km².

Estudos como esse podem mudar a forma como enxergamos a caatinga e as suas potencialidades, como explica o pesquisador e professor do curso da Meteorologia da UFRN, Bergson Bezerra. “Uma de nossas metas é reafirmar o importante papel da Caatinga enquanto ecossistema e despertar na sociedade e nas autoridades a importância de se preservar e conservar esse ambiente. Acreditamos que apenas o conhecimento científico pode quebrar o paradigma da Caatinga como ecossistema de baixa categoria, digamos assim. Esperamos que o argumento científico sensibilize os tomadores de decisão e direcione as políticas públicas ambientais de modo a aumentar a atenção para a preservação e conservação da rica biodiversidade da Caatinga”, defende Bergson.

UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alex disse:

    E cada vez mais devastado esse bioma exclusivamente brasileiro!

Blog do BG e Meio-Dia RN divulgam pesquisa Consult em Ceará-Mirim nesta quinta-feira

O Blog do BG divulga a pesquisa Consult realizada no município de Ceará-Mirim, na Grande Natal, nesta quinta-feira(01). No Meio Dia RN, os números em primeira mão. No Blog do BG, a íntegra a partir de 13h30.

Entre questionários respondidos, avaliação da prefeitura, Governo do Estado e Governo Federal. Além do mais, intenções de votos para vereador e prefeito.

Pesquisa comprova que covid-19 é também doença vascular

Foto: Gian Galani Fotografias/PUCPR

Pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) comprovaram que a covid-19 não é somente uma doença pulmonar, mas se trata também de uma doença vascular. Estudo realizado com amostras post mortem, autorizadas pelos familiares de pacientes mortos em decorrência da covid-19, mostrou que eles apresentavam lesões na célula que reveste o vaso sanguíneo, com possibilidade de ocasionar trombos e levar a óbito. Foram analisados pacientes com idade média de 75 anos e com comorbidades como hipertensão arterial, diabetes e obesidade.

Após publicação do resultado das primeiras análises na revista médica internacional Arteriosclerose, trombose e biologia vascular (ATVB, do nome em inglês), da Associação Americana do Coração, os pesquisadores indicaram que o uso precoce de anticoagulantes pode ajudar no tratamento da covid-19 e evitar tromboses.

A professora da Escola de Medicina da PUCPR e uma das responsáveis pela pesquisa, Lucia de Noronha, disse hoje (30) à Agência Brasil que foram feitas autópsias minimamente invasivas por meio de incisões pequenas no tórax dos pacientes, logo depois da morte, por onde os pesquisadores tiveram acesso aos pulmões. As biópsias são guiadas por imagens que ajudam a distinguir as áreas mais lesadas do pulmão. Já foram feitas biópsias pulmonares em 25 pacientes e mais de 20 biópsias renais. O estudo publicado se refere às primeiras seis análises. Novas pesquisas serão efetuadas para confirmar os achados.

Parâmetro

Lucia destacou que, “mesmo com seis pacientes, a gente já pôde ver o grau de lesão vascular que a covid-19 causa”.

Para comparação, os pesquisadores utilizaram um grupo controle de biópsias post mortem de pacientes de H1N1, que já vinham estudando desde 2009. “Já tinha um parâmetro. Embora os vírus sejam diferentes, são doenças pandêmicas”.

Foram usadas também biópsias de outros dez pacientes que morreram não de doença pulmonar, mas de outras causas, como infarto agudo do miocárdio, por exemplo. “Pegamos um pulmão normal, para comparar”, disse a pesquisadora.

Com o estudo, observou-se que a covid-19 causa uma lesão muito importante no endotélio, que é uma camada fina de células que protege o vaso para evitar tromboses. “Ela tem uma função de barreira, para que o sangue fique dentro do vaso, mas não coagule e continue a fluir. É como se fosse uma camada protetora e lisa. Tem uma função também de lubrificante, para que o sangue não fique viscoso e flua com facilidade”, explicou Lucia.

Além disso, segundo a professora, o endotélio, no pulmão, tem uma função de troca de ar. “Porque o endotélio do pulmão, além de ter todas essas funções de proteção, camada lubrificante para que o sangue flua e não aconteça coagulação, ele também faz a troca gasosa. É o endotélio que ajuda que o ar que está no pulmão passe para dentro do sangue”.

Lucia de Noronha explicou ainda que quando ocorre lesão no endotélio, a situação tende a piorar. Em uma pessoa com o pulmão lesado pela covid, o ar já não está passando direito. “Além disso, o vaso não está deixando o sangue fluir direito porque está trombosado. Você não consegue nem fazer a respiração, ou seja, nem passar o teu ar para dentro do vaso, e nem distribuir o ar para todo corpo pelo sangue, porque este não flui. Isso agrava bastante a situação do paciente”, disse a professora.

Os pesquisadores sugeriram então que o uso de anticoagulantes precoce poderia ajudar esses pacientes com todos os cuidados que o anticoagulante precisa e que incluem indicação médica e cuidados de monitoramento. Advertiram também que é necessário ainda se pensar em qual paciente teria mais risco para lesão endotelial e qual se beneficiaria mais com o anticoagulante, porque são exatamente os pacientes com risco que devem ser tratados com mais atenção e mais precocemente.

O risco é intrínseco, ou seja, o paciente já tem. É o caso de pessoas hipertensas, com obesidade mórbida, diabetes e com lesões de rim.

Pulmão

Outro estudo foi feito pelos pesquisadores da PUCPR com foco no mastócito do pulmão e descobriu-se que os pacientes com a covid-19 tinham mais mastócitos que pacientes de H1N1. “Como a covid é nova, a gente começou a olhar para todo tipo de células e, por um acaso, viu que o mastócito tinha mais nos pacientes com a covid”, disse a professora.

Segundo Lucia de Noronha, as pessoas com covid-19 têm dez vezes mais mastócitos do que as pessoas com H1N1. “Se tem mais é porque está produzindo alguma lesão ali”. O mastócito é uma célula que está envolvida nos processos alérgicos, como asma.

O estudo mostrou que o mastócito causa um edema, um aumento de líquido no pulmão, o que dificulta a troca gasosa de oxigênio para dentro do vaso. Os pesquisadores concluíram, ao final da pesquisa, que o mastócito pode ser tratado. “Existem alguns medicamentos que são estabilizadores de mastócito. Deixam o mastócito estável e ele para de soltar grânulos e fazer esse edema”, explicou Lucia.

Esse estudo foi publicado na revista de ciência básica Fronteiras na Imunologia, da União Internacional de Sociedades Imunológicas (IUIS, do nome em inglês) .

Da mesma maneira que na pesquisa sobre lesão no endotélio, os pesquisadores da PUCPR sugeriram que alguns estabilizadores de mastócitos poderiam ser usados precocemente para pacientes com forma moderada ou leve da covid, para evitar que eles passem para uma forma grave, porque estabilizariam o mastócito, cujos grânulos agravam a lesão pulmonar, provocando edema no pulmão. Sugeriram ainda que esses medicamentos poderiam ser testados em pacientes com covid-19, porque não têm efeitos colaterais.

Os testes clínicos com modulares de mastócitos ainda não começaram no Hospital Marcelino Champagnat, do Grupo Marista, onde as pesquisas foram realizadas porque, para testar essas drogas, seriam necessários muitos pacientes. A professora Lucia disse que a ideia é entrar em um consórcio pré-existente, que reúna várias cidades em todo o mundo.

Programa

Os dois estudos fazem parte de um programa mais amplo de pesquisas sobre o novo coronavírus (covid-19) que vem sendo efetuado no Hospital Marcelino Champagnat sobre várias linhas da covid-19, do qual participam professores da PUCPR, alunos de graduação e pós-graduação, enfermeiros, intensivistas, entre outros profissionais da área da saúde.

Um desses grupos faz estudos com pacientes que sobreviveram à covid, por meio da coleta de soro e sangue que começa desde o primeiro dia de internação até terem alta. A ideia é, no final, casar essas informações de quem viveu e de quem morreu para saber o que tem de diferente nos que morreram daqueles que conseguiram vencer a doença.

“Provavelmente, a gente vai juntar figurinhas até o final do ano”, disse Lúcia de Noronha.

O grupo que estuda os pacientes com a covid que sobreviveram já tem mais de 100 amostras para pesquisa.

Agência Brasil

Fábio Faria agradece potiguares pela lembrança na pesquisa para o Senado 2022

Foto: Reprodução/Instagram

O ministro das Comunicações e deputado federal Fábio Faria lidera a corrida para a cadeira no Senado 2022. É o que aponta a pesquisa do instituto Seta, divulgada nesta terça-feira (22), com exclusividade, pelo Blog do BG.

Fábio Faria (PSD) aparece na preferência dos natalenses com 20,9% das intenções de voto.

O segundo lugar aparece com 15,5% e o terceiro com 3,8% das intenções de voto.

“Agradeço aos potiguares pela confiança e pela lembrança na pesquisa para o Senado. 2022 ainda está longe e o meu único foco agora é na missão de ajudar o governo do Presidente Jair Bolsonaro, para que as pessoas tenham a percepção e reconheçam as grandes realizações que estão sendo feitas.”

No levantamento foram ouvidos 1000 eleitores de Natal, entre os dias 17 e 18 de setembro. Um dos maiores números de entrevistados de todas as pesquisas já realizadas na capital potiguar, registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo RN-09489/2020.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jailson disse:

    É muita falta de ter em quem votar.
    Rita das Mercês aparece COLADA em Fábio Faria? Aquela em quem os Faria colaram pra arrebentar com os recursos públicos da Assembleia. Continua escondida ou aparece na pesquisa colada neles?
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Jr disse:

    Lembrei! É filho do pior governador que o RN já teve.

  3. Arthur disse:

    Tudo que o RN precisa, mais um da Nova Política e da Velha Família

  4. Avanazio Marconnes disse:

    Pelas caridades ! Esse RN véio de guerra não aprende .

  5. Leco disse:

    Só tenho uma certeza: não voto em candidato da esquerda em 2022.
    PT, PSOL, PC do B, PDT, PSB e REDE.
    Também não voto no PSDB, DEM, PL e MDB.
    Todos esses podem esquecer.

    • Luciana Morais Gama disse:

      Concordo com você Leco. Esse ano já exclui todos os candidatos desses partidos. Vamos mudar!!

  6. Cassio Morais disse:

    Se permanecer no governo e o Deputado Coronel AZEVEDO não for candidato é quem pode derrotar o senador do Franco-petista.

  7. Edison Cunha disse:

    Se for candidato com o apoio do presidente Jair MESSIAS Bolsonaro, pode contar com o meu voto.

Blog do BG publica pesquisas SETA em Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante nesta terça e na quarta

O Blog do BG divulga nesta terça-feira(22) a pesquisa Seta em Natal, com avalição das administrações no Município, Estado, Governo Federal, citações para vereador, além de outras.

Já na quarta-feira(23), os municípios de Parnamirim e São Gonçalo do Amarante terão suas pesquisas publicadas no blog, com o mesmo padrão de avaliações.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alexandre Arruda disse:

    Essas pesquisas não o representam a realidade . Se fosse depender de pesquisa BOLSONARO não teria sido eleito Presidente. ACORDA NATAL, ACORDA RN VAMOS MUDAR A Política. Vote em novos nomes, e VARRER para longe a VELHA POLÍTICA. O seu voto é importante, ele faz toda a diferença.

  2. Flávio Farias disse:

    Essa pesquisa de Natal não tem lógica, o Álvaro Dias não está com essa bola toda aqui no bairro poucas pessoas votariam nele

  3. Antonio Carlos França disse:

    gostaria de saber tambem se o brog vai fazer levantamentos em CEARA MIRIM, TAIPU, POÇO BRANCO E JOAO CAMARA.

  4. Antonio Carlos França disse:

    boa tarde e parabéns pelo trabalho de nos imforma desses levantamentos e gostaria de sabe, se nesses levantamentos ja existe um reflexo de qual grupo politico do RN saira mais fortalecido do pleito 2020

  5. José Benedito disse:

    Parabéns bg você e um susseso

  6. FRANKLIN EDUARDO disse:

    Parabéns pelo excelente trabalho!!
    Abraços!
    Franklin Eduardo

  7. Jaidy Oliver disse:

    Parabéns pela imparcialidade e integridade na condução do blog.

  8. Ionaldo Lidio Sena de Carvalho disse:

    Faça tambem em Touros

  9. Ricardo disse:

    Boa tarde. E Ceará mirim, quando será?.

Cuckold, o fetiche em que o homem tem prazer em ouvir, ver ou liberar a parceira para sexo com outros, é um dos termos mais pesquisados no Google atualmente no país

Foto: Pexels/Reprodução

Há alguns meses um termo novo relacionado a fetiche começou a aparecer com certa frequência nas redes sociais e nas buscas on-line: cuckold. Trata-se da prática em que o homem gosta que sua parceira tenha relações com outras pessoas.

No Brasil, a frequência de busca do termo no Google teve um aumento de cerca de 800% nos últimos 15 anos. A quantidade de pornografia relacionada ao tema também é grande. Só no XVideos, pesquisar por “Cuckold Brasil” aponta mais de 42 mil vídeos sobre a prática.

O que é Cuckold?

Para explicar o que é esse fetiche, o Delas conversou com o psicólogo especialista em sexualidade do Sexo sem Dúvida, Marcos Santos. O termo cuckold é derivado da língua inglesa. Ele explica que se trata de um fetiche de alguns homens em ter a parceira transando com outros homens.

Independente da pessoa ter uma uma relação aberta ou um casamento monogâmico, se o parceiro sente prazer em ouvir, ver ou mesmo ter conhecimento de que sua parceira tem relações deixais com outras pessoas, ele se enquadra nessa fetiche. Não há infidelidade, pois há total consentimento entre as partes.

“No Brasil a figura do ‘corno’ ainda hoje é algo pejorativo e motivo de vergonha para os homens. Ser trocado, sentir-se traído, ser comparado a outros homens, sempre foram temores masculinos. Com o avanço das informações sobre sexo, relacionamentos e o acesso facilitado pela Internet, este fetiche saiu dos bastidores para ganhar fama justamente por despertar antigos medos, mas também possíveis desejos”, acrescenta.

Como o fetiche funciona?

O especialista explica que esse fetiche se enquadra na vertente que envolve masoquismo e voyerismo (quando a pessoa sente prazer sexual em ver ou ser visto por outras pessoas). Existem várias formas e cada casal encontra a que achar melhor para o bem-estar dos dois. Por se tratar do universo das fantasias sexuais, o cuckold pode levar às mais diferentes práticas. Por exemplo:

– A parceira encontra um outro homem e depois conta os detalhes para o parceiro.

– Ela volta para casa com outro homem, enquanto o parceiro fica no ambiente ao lado escutando toda interação.

– A mulher encontra outro homem e grava o encontro. Depois exibe o vídeo para o parceiro.

– O casal também pode usar o voyeurismo, no qual o parceiro apenas observa a relação sexual entre sua mulher e o amante.

Também vale participação ativa do parceiro no sexo, com envolvimento no ato sexual e alternando com a observação.

E quando são as mulheres que gostam de ser traídas?

De fato, o cuckold não é só para homens. As mulheres também têm vez no fetiche. As cuckquean, como são chamadas a mulheres praticantes, gostam de ver os parceiros fazendo sexo com outras mulheres.

Assim como na versão masculina, as mulheres também podem ter prazer em ouvir, assistir e até mesmo participar da relação sexual com o marido e a amante. Há inclusive aquelas que gostam de escolher as mulheres com quem seus parceiros devem sair (seja no swing, entre amizades ou mesmo uma profissional contratada).

É sempre bom lembrar que não existe traição dentro do fetiche cuckold. Toda a prática é acordada por ambas as partes. Se alguém trai fora do combinado, não há fetiche envolvido, e sim falta de consideração.

“Se para o homem pensar em sua parceira com outro cara gera ameaça e sofrimento, então o cuckold não se aplica. Para este tipo de prática é muito importante ter uma relação de muito diálogo, maturidade e sinceridade. Se estão a fim de experimentar, regras também se aplicam a este tipo de fetiche. Qualquer coisa que envolva sexo necessita do consentimento das duas partes.”, encerra.

Existem brinquedos sexuais para quem quiser fazer isso?

Alguns casais utilizam cintas de castidade, modelos onde o pênis é colocado em sextoys que impedem a masturbação. Nessa situação, o homem pode ver sua parceira transando, mas não é permitido se masturbar enquanto assiste. Pode também ser algemado e vendado para apenas ouvir o sexo rolando.

Existem também casas de swing cuja temática da noite é justamente cuckold. Além disso, existem redes sociais como a Mundo Erótico, Fetlife e Sexlog que possuem grande audiência vinda justamente dos cucks (apelido dado aos apreciadores-adeptos da prática).

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Macho todo disse:

    Os adeptos de Bolsonaro odeiam falar de sexo. Sobretudo de homem com mulher. Vá entender….

  2. natal sofrida disse:

    PRIMEIRO FOI A VIADAGEM, AGORA É A CORNAGEM. QUEREM TRANSFORMAR O PAÍS E O MUNDO NUM CABARÉ! PQP!!!!!!! O NOME DISSO É CHIFRE MEU FILHO!!!!!!

  3. Paulo disse:

    Isso é doença.
    Ficam dando nomes engraçados em vez de buscar tratamento.

  4. Toni disse:

    GENTE SO MUDOU O NOME CORNAGEM OU CORNO E MUITO FEIO E MELHOR CUCKOLD SOA MAIS LEVE MAIS AGRADAVEL E AINDA MAIS E O CORNO QUE QUER SER CORNO OUTROS TEMPOS GENTE OUTROS TEMPOS TAQUI PARIU!!!!!!!!!!!!!

  5. Manoel disse:

    corno na plateia

  6. Eu e uzotu disse:

    Há muito estão tentando dar normalidade e aceitação na marra de perversões sexuais.

    • Minion alienado disse:

      Provavelmente você deve ser um dos que desejam o fetiche e apenas expressa um discurso conservador.

  7. Onaireves Caba de Pêia disse:

    O caba que tem esse prazer, se projeta na mulher. Gostaria de estar no lugar dela.
    Cuck significa cuco. A ave é tipo um corno-xuxa na cultura anglófona.
    Aquele que fica tomando conta dos baixinhos, enquanto a fêmea se diverte.

  8. Onaireves Caba de Pêia disse:

    Parece a direita isentona, nutella, cheia de prudência & sofisticação, leite de soja, farialimer, isentoleft, que-não-gosta-da-polarização, mas que gosta de apanhar (fetiche?) de esquerdista para parecer progressoca e isentona. É o MBL, RenovaBR, turminha do Huck que adoram elogiar figuras como Molon ou Freixo.

  9. JSL disse:

    Como é o nome desse negócio aí?
    Cu o quê?

  10. Onaireves Caba de Pêia disse:

    Conta pontos como cornagem no prontuário?

  11. Observando. disse:

    Mudou de nome? Eu pensava q era cornagem.

  12. Ton Lopes disse:

    Menos em Natal, aqui não tem isso! Não, não tem! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

PESQUISA XP/IPESPE: 39% aprovam o governo Bolsonaro, 36% reprovam e 24% consideram regular

Foto: Reprodução

A rodada de setembro da pesquisa XP Ipespe mostra que, pela primeira vez desde maio de 2019, a aprovação ao presidente Jair Bolsonaro está numericamente acima de sua reprovação: são 39% os que veem o governo como ótimo ou bom (2 pontos percentuais a mais que o levantamento de agosto) e 36% os que o veem como ruim ou péssimo (1 p.p. a menos).

Este é o quinto levantamento consecutivo em que há aumento no grupo que aprova o governo e redução no que reprova.

Foram realizadas 1.000 entrevistas de abrangência nacional, entre os dias 8 e 11 de setembro. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Enquanto isso o arroz R$5,00, óleo de sojna R$ 9,00, Gasolina R$ 4,70, gás de cozinha R$80,00…
    E o Brasil, pelo jeito, está tudo indo muito bem, em direção ao abismo.
    Num vai sobrar nem as cinzas pra contar história.

  2. FREDERICO Bruno Pereira de Lima Duarte disse:

    Esse presidente tem uma das baixas taxas de aprovação entre todos os últimos presidentes e o BG e os órgãos de comunicação querem passar a idéia de que ele está com a popularidade em alta…. É brincadeira!!! Deixa esse auxílio deixar de existir e a classe média se encontrar com a realidade nua é crua de uma economia em frangalhos e sem horizonte com esse governo antipopular e improdutivo !!

  3. Chicó disse:

    O Brasil todo é Bolsonaro !!!

  4. João V disse:

    Passando só para ver o mimimi…

  5. VALE QUANTO PAGA disse:

    Quando 600 virar 300 e quando 300 virar 000 refaça a pesquisa e me diga.

    • Raimundo disse:

      É isso aí.
      Vc tem toda razão.
      Bolsonaro tomou posse, sem gastar nada, nem tempo de TV tinha.
      Usando o seu raciocínio, 300.00 da pra ganhar em primeiro turno tranquilo.
      Kkkkkkkkk
      Aceita.
      Doi menos.
      Vai até 2026.
      Vc vai ter que engolir.
      Rsrsrs…

    • Bruno disse:

      Só não concordo com esse VALE QUANTO PAGA, porque seria duas pessoas falando bosta.

  6. Luciana Morais Gama disse:

    O Brasil tá mudando!! Vamos mudar também Natal. Basta de políticos profissionais.

    • Minion alienado disse:

      Você não votou no Amoedo, ajudou a eleger um político profissional e agora vem com essa conversa? Larga de ser minion, Luciana!

  7. Guto disse:

    Já já começa a choradeira…

Pesquisa revela os sons mais excitantes e os mais “brochantes” para homens e mulheres durante o sexo

Foto: Shutterstock

O que te excita durante uma relação sexual? Receber elogios do parceiro ou escutar os gemidos dele? Ou é fã de conversas mais picantes? Pesquisa recente do site adulto Vivalocal mostra quais os sons são mais excitantes para homens e para mulheres.

De acordo com os mais de 700 entrevistados, o clássico gemido lidera a lista de sons mais excitantes. Essa foi a resposta para 34% das mulheres ouvidas na pesquisa e para 32% dos homens.

Logo depois aparecem com números parecidos na pesquisa ouvir a respiração pesada do parceiro (som mais excitante para 20% das mulheres e 18% dos homens) e ter aquela conversa mais picante e erótica (resposta de 18% das mulheres e de 16% homens).

Sexo silencioso é o mais brochante

Enquanto os gemidos são excitantes, o silêncio no sexo nem sempre é bem-vindo, segundo os entrevistados. 20% das mulheres e 23% dos homens apontaram que o sexo sem barulho é desestimulante.

Gritos e palavrões também aparecem aqui como opção não tão prazerosas na cama — 19% das mulheres afirmaram não gostar de ouvir palavrões na hora do sexo, enquanto 18% dos homens disseram não serem fãs de gritos.

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Napoleandro disse:

    Quando a mulher diz, vai poe tudo é muito excitante….O cara só fica pensativo quando ela diz que o sexo anal. nao doeu muito…

  2. Euzim disse:

    Eu te amo durante o ato é a coisa mais broxante…

  3. Pitú disse:

    Eu gosto de bater na cara, na bunda, chamar de p*** e etc. Sexo pra mim é selvagem.

  4. Pixuleco disse:

    Sou imbroxável.

Pesquisa não encontra evidências de que a asma seja um fator de risco para casos graves de Covid-19

Foto: Reprodução/TV Globo

Uma nova pesquisa, publicada na revista científica “Annals of the American Thoracic Society”, aponta que a asma não é um fator de risco para quadros graves de Covid-19. Segundo os cientistas, uma revisão de estudos internacionais mostra um número baixo de asmáticos entre os pacientes hospitalizados com coronavírus.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores fizeram uma meta-análise de outros 15 estudos revisados por pares. Eles também analisaram os prontuários médicos de 436 pacientes com Covid-19 internados no Hospital da Universidade do Colorado para avaliar a probabilidade de pacientes com asma serem intubados com mais frequência do que pacientes sem asma.

“Observamos que, entre os pacientes com Covid-19, aqueles com asma, que tinham uma taxa de prevalência de 12%, não pareciam ter maior probabilidade de serem intubados do que os não asmáticos”, dizem os pesquisadores.

O time de pesquisadores acredita que o uso de inaladores com corticoides que muitas pessoas com asma usam pode tornar mais difícil a entrada do coronavírus pelas vias aéreas.

Essas pessoas podem ter níveis mais baixos de ACE2 (enzima conversora de angiotensina), uma proteína que se liga ao SARS-CoV-2. Pessoas com asma relacionada a alergias também podem apresentar menor expressão de ACE2, usando ou não corticoides.

“A contribuição dos níveis de expressão do receptor ACE2 para a suscetibilidade de Covid-19 ainda não está clara e deve certamente ser investigada mais detalhadamente”, disse Fernando Holguin, um dos autores do estudo. Ele acrescenta que essa relação da asma com o coronavírus deve ser mais estudada.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pepe disse:

    Quem tem asma tem medo,se previne,evita locais empoeirados,aglomerações.