Isolamento social pode agravar castigos e palmadas, diz pesquisa

Foto: © TV Brasil

Pesquisa mostra que muitas mães, pais e responsáveis acreditam que é necessário colocar as crianças de castigo, gritar ou dar palmadas para melhor educá-las. De acordo com os dados do estudo Primeira Infância para Adultos Saudáveis (Pipas), 73% acreditam que os castigos são necessários, 49%, as palmadas, e 25%, os gritos.

A pesquisa foi feita com com 7.038 cuidadores de crianças de até 5 anos de idade em Fortaleza e em mais 15 municípios cearenses, em outubro de 2019. Os dados, coletados antes da pandemia do novo coronavírus, preocupam especialistas, que acreditam que as medidas punitivas podem se acirrar em um período de isolamento social.

“A criança está o tempo todo com os pais, com as escolas fechadas. A gente tem que levar em consideração que é uma situação de estresse para famílias, para cuidadores. Muitos deles estão vivendo situação de isolamento, tendo que lidar com questões financeiras, com a crise que estamos vivendo. Precisamos pensar que a criança pode estar exposta a um ambiente em que cuidadores estão estressados e que podem eventualmente lidar com essa situação, utilizando mais esse tipo de disciplina punitiva”, diz a diretora-assistente do Instituto de Saúde, responsável pela pesquisa, Sonia Venâncio.

No Brasil, por lei, as crianças e adolescentes têm o direito de serem educados e cuidados sem o uso de castigos físicos ou de tratamento cruel ou degradante.É a Lei 13.010/2014, conhecida como Lei Menino Bernardo. O nome é uma homenagem ao menino Bernardo Boldrini, morto em abril de 2014, aos 11 anos, em Três Passos (RS). O pai, a madrasta do menino, uma amiga da família e o irmão dela foram condenados pela morte. Segundo as investigações, Bernardo procurou ajuda para denunciar as ameaças que sofria.

Para Sonia, esse tipo de disciplina punitiva tem impacto negativo no desenvolvimento das crianças, tendo efeitos que podem perdurar até a fase adulta, desencadeando problemas de saúde mental e comportamentos agressivos. “Por isso que neste momento temos a preocupação de conhecer essa realidade para poder lidar com isso, trabalhar com abordagem aos pais para que não utilizem esse tipo de prática”, diz.

“Os pais têm formas diferentes de educar a criança e é claro que precisam ter práticas de disciplina, mas essas práticas recomendamos que não sejam violentas. O ideal é conversar com a criança e explicar o que é esperado do comportamento dela e quais as consequências de comportamento não adequado. Sempre priorizando o diálogo e dando bons exemplos”, orienta.

Boas práticas

Nesse período de isolamento social para conter o avanço do vírus, o recomendado é que os responsáveis passem tempo com as crianças, brincando, fazendo leituras e que consigam, de certa forma, manter a rotina delas. “É importante que a família tenha um ritmo com a criança, que consiga manter o ritmo de sono nesse período da pandemia, manter horário de refeição. Aproveitar este momento para ter interação positiva para conversar, cantar, brincar com a criança”, diz o diretor de Conhecimento, aplicado na Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, Eduardo Marino.

Marino reconhece, no entanto, que a situação é desigual entre as famílias em todo o Brasil. A pesquisa Pipas mostrou que 65% das crianças de até 3 anos e 37%, de 4 e 5 anos, não têm livros infantis. Segundo o estudo, cerca de duas em cada três crianças foram engajadas em quatro ou mais atividades de estímulo nos três dias que antecederam a entrevista. Foram consideradas atividades como ler, cantar, brincar, contar histórias, levar para passear, nomear, contar e desenhar. Isso significa que quase uma em cada três crianças, 37%, não recebeu esses estímulos.

Na pandemia, isso pode ter se agravado, de acordo com o diretor. “Ninguém estava preparado para isso”, diz, acrescentando que os responsáveis “têm que trabalhar, cuidar das demandas de casa e mais das demandas educacionais. Não é pouca coisa. E é particularmente difícil para os mais pobres. A situação de confinamento é estressante quando colocamos a dimensão da desigualdade”.

Para amenizar a situação, é preciso, de acordo com Marino, por parte do Poder Público, uma atuação conjunta de assistência social, saúde, educação, para que as famílias sejam assistidas durante a pandemia. “Essa interação é muito dependente da saúde mental do adulto. O adulto precisa estar bem. Precisamos muito de cuidar do adulto para que ele cuide melhor da criança. A pandemia tem trazido muitos desafios. Os adultos estão vivenciando muitas situações, desde situações extremas, como a perda de um ente querido para a covid-19, perda de emprego, a questões mais cotidianas, como o ficar em casa sem uma atividade e talvez em moradias que não têm as condições para permanência, como de higiene, água, esgoto e segurança alimentar”.

Agência Brasil

PROCESSO SELETIVO: IFRN divulga editais para bolsas de pesquisa e inovação

Foto: Reprodução

A Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação do IFRN tornou pública a divulgação dos editais nº 4nº 6nº 7nº 8 e nº 9/2020 PROPI/IFRN. A publicação dos editais é uma iniciativa dos coordenadores de Pesquisa e Inovação dos campi do IFRN, integrantes do Comitê de Pesquisa e Inovação (COPI), de acordo com as ações planejadas no Plano de Ação 2020 do Instituto.

Os editais referem-se à submissão de projetos ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI), Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica para o Ensino Médio (PIBIC-EM), Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica nas Ações Afirmativas (PIBIC-AF), Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e ao projetos de pesquisa e inovação com fomento, que regem a seleção de projetos com bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico(CNPq).

Submissão dos projetos

A submissão dos projetos estará disponível até o dia 22 de julho, exclusivamente por meio do preenchimento e envio dos formulários disponíveis no Sistema Unificado de Administração Pública (Suap), os quais poderão ser acessados através do link Submeter Projeto de Pesquisa, constante da página inicial, ou através do menu lateral, seguindo-se o caminho Pesquisa → Projetos → Submeter Projetos.

Acesse

Edital nº 04/2020 – PROPI

Edital nº 06/2020 – PROPI

Edital nº 07/2020 – PROPI

Edital nº 08/2020 – PROPI

Edital nº 09/2020 – PROPI

Coronavírus pode ser vencido por sol forte em até 34 minutos


Foto: Cléber Mendes

Um novo estudo divulgado neste mês revela que o sol pode ser um grande aliado no combate ao covid-19. Segundo os cientistas responsáveis, a exposição aos raios solares do meio-dia pode matar o vírus que causa a doença em até 34 minutos.

A pesquisa, comandada por Jose-Luis Sagripanti e David Lytle e publicada em um jornal científico, mostrou que o sol forte é extremamente efetivo contra o novo coronavírus (Sars-Cov-2) e consegue inativar até 90% da carga viral.

Por outro lado, eles ressaltaram que o inverno pode, sim, ser a fase de maior contágio do vírus , uma vez que ele consegue sobreviver por até um dia em temperaturas mais baixas, aumentando os riscos de transmissão.

Os cientistas apontaram ainda que as medidas de isolamento social , que mantiveram as pessoas dentro de casa em diversos países, pode ter causado mais prejuízos do que benefícios no combate à pandemia.

“Pessoas saudáveis que fossem expostas aos raios solares receberiam cargas virais menores, o que seria mais eficiente para criar uma resposta de imunização na população”, aponta um trecho do estudo.

Tal análise confirma estudo realizados no passado sobre a Gripe Espanhola . Em 1918 e 1919, pesquisadores apontaram que os pacientes tratados em hospitais mais abertos e que eram expostos ao sol tinham mais chances de sobrevivência e recuperação.

O Dia – IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rogério Rocha disse:

    Sol de meio dia, você pode are não morrer covid, mas vai ter um câncer de pele, essa pesquisa sendo verdadeira os países de clima quente não teriam problema com o viros…..

  2. Dinarte disse:

    Na matéria fala de estudo publicado em um jornal científico sem citar a fonte, o nome do fornal é nem ao menos o título do estudo… Vindo desse blog do BG.. Só pode ser Porcaria e fake news.. Esse BG só atrapalha a sociedade com suas matérias sujas, mentirosas e enviesadas.

  3. José Macedo disse:

    Mas é assim que funciona as nossas carniceiras das midiaslixo, no verão, a vitamina d do sol não tinha influência, hoje que estamos no inverno meia hora basta para matar o vírus, todas torcem para o quanto pior melhor , verifiquem, quando o número de óbitos é baixo não informam, mas quando é o contrário eles tem orgasmos quando transmitem.

  4. Meinardo disse:

    https://jvi.asm.org/content/79/22/14244/article-info

    Segue o link do jornal que disseram que não tinha o nome.

  5. Josemar disse:

    Nordestino não era pra ter covid kkkkkkkkk… Essa foi boa …

  6. Julia disse:

    Só não sei pq o RJ tem tantos casos então?! Por essa ideia, o vírus não deveria ter avançado pelo Brasil, inclusive nosso estado

    • Amendoim Quebra Queixo disse:

      Porque os malas dos prefeito$ e governadore$, embasados pelo $TF ordenaram que o povo ficasse em casa.

  7. Rogério disse:

    Vou à praia amanhã tomar sol 😃😃😃 oh saudade

  8. Azevedo disse:

    Será os governantes jumentos desse país irão ler ou dar um mínimo de atenção a essa pesquisa? Acho que não, pois o que interessa para eles é que o povo adoeça, pois só assim fica mais fácil meter as mãos nos recursos públicos em benefício próprio.

  9. Marcelo disse:

    Sol às 12h corpo produz muita vitamina D. 10.000ui a cada 20 minutos. Muito já se falou nos benefícios dessa vitamina. Barato repor!!!!

  10. ana clara disse:

    Faltou o nome do "jornal científico"…

  11. Joaquim disse:

    Meu Deus, estamos perdidos. Ninguém sabe de nada. Tudo é achismo.

Pesquisa do OBSERVATUR/RN aponta que 74,8% dos potiguares pretendem viajar após pandemia de Covid-19

Foto: Divulgação

A pesquisa “Intenção de viagem do potiguar após a pandemia da COVID – 19”, do Observatório do Turismo do Rio Grande do Norte – OBSERVATUR/RN, revelou que 74,8% dos potiguares pretendem viajar após a pandemia.

A investigação evidenciou que 28,9% dos turistas potiguares irão preferir destinos domésticos; 24,4%, destinos dentro do RN, e 21,4% destinos no Nordeste.

Entre os destinos turísticos a serem procurados no RN pelos potiguares, Pipa foi citada por 30,2% dos futuros viajantes; São Miguel do Gostoso por 20,1% e Serra de São Bento e região por 14,9%.

Na conquista dos visitantes, segundo a pesquisa do Observatório coordenado pela UERN Natal, os diferenciais mais relevantes serão os atrativos turísticos (22,4%), preços praticados (21,6%) e cuidados com a higienização sanitária dos ambientes turísticos (20,1%).

O levantamento traz um perfil bem detalhado do que os turistas potiguares vão buscar após a pandemia, norteando poder público e empreendimentos turísticos para a retomada do turismo no RN.

“Buscamos municiar o setor com informações valiosas para a reabertura, depois do cumprimento dos decretos estaduais de isolamento social, que provocaram o fechamento de hotéis, pousadas, equipamentos de lazer, bares, restaurantes e similares no RN, assim como, afetaram os trabalhadores autônomos do turismo, como os guias, bugueiros, entre outros prestadores de serviços”, explica o Prof. Dr. Sidcley Alegrini, do curso de Turismo da UERN Natal e coordenador do Observatório.

Foram aplicados 1.253 questionários digitais, entre os dias 26 de maio a 03 de junho.

O relatório completo da pesquisa pode ser consultado AQUI.

SOBRE O OBSERVATUR/RN

O Observatório do Turismo do Rio Grande do Norte – OBSERVATUR/RN, com sede no Campus de Natal da UERN, é um ambiente destinado ao fomento do turismo potiguar, que visa contribuir para que o destino turístico RN torne-se mais competitivo e consequentemente gere mais oportunidades de desenvolvimento para o Estado e para a sua população.

O OBSERVATUR/RN tem como objetivo geral, analisar o comportamento do turista potiguar, além de objetivos específicos como, levantar informações sobre o turismo do RN; compilar dados estatísticos do turismo potiguar e analisar as informações obtidas em pesquisa de demanda turística. A missão do observatório é ser um instrumento social, facilitador de gestão, informações e debate, funcionando como um instrumento técnico, catalisador, polifuncional e descentralizado, planejado e administrado de forma participativa, com estabilidade e autonomia.

A proposta de criação do OBSERVATUR/RN surgiu durante a Reunião do Conselho Estadual de Turismo do RN – CONETUR, onde foi realizado um compromisso público para realização das primeiras pesquisas de demanda turística no RN, em setembro de 2017 e que seguem até os dias atuais. Tais pesquisas contam com o apoio da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN (coordenadora do projeto), da Universidade Potiguar – UnP, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – IFRN, da Secretaria de Estado de Turismo – SETUR/RN, da Secretaria Municipal de Turismo – SETUR/Natal, da Empresa Potiguar de Promoção Turística – EMPROTUR, do Sindicato dos Bugueiros do RN e do Sindicato dos Guias de Turismo do RN – SINGTUR/RN e da Federação do Comércio de Bens Serviços e Turismo do Rio Grande do Norte – FECOMÉRCIO/RN.

Os relatórios das pesquisas já realizadas estão disponíveis na plataforma B2B do Portal Trade Turístico do RN.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jailson disse:

    Quando liberarem geral, vai faltar vaga nos aviões…
    E as redes sociais bombando de fotos e vídeos pós-pandemia.
    Vai timbora corona

  2. paulo disse:

    BALELA, TUDO LISO, CONVERSA PRA BOI DORMIR.

    • Lutemberg disse:

      Fale por você mesmo, camarada.

    • Dinho disse:

      Exatamente… como é que quando ase 75% irão viajar, se o IBGE apontou que quase 40% da população potiguar está abaixo da linha da pobreza? Fora os que estão um pouco acima e já não viajam normalmente. Além dos que irão sair endividados… gostaria que fosse verdade, e torço para a recuperação ser melhor do que imaginamos, mas as pesquisas deveriam servir para adoção de políticas públicas voltadas ao estímulo, e esse tipo de dado, trás uma ilusão, que pode colocar comodismo em órgãos e atrapalhar essa retomada.

Pesquisa vai analisar sonhos de brasileiros durante a pandemia

Foto: © Rovena Rosa/Agência Brasil

Pesquisadores de quatro universidades iniciaram um projeto para analisar sonhos de pessoas durante a pandemia do novo coronavírus. O objetivo é analisar, sob a ótica da psicanálise, as alterações diante do cenário excepcional para compreender as consequências psíquicas deste momento.

A equipe responsável pelo estudo, batizado de Sonhos em Tempo de Pandemia, reúne docentes das universidades federais de Minas Gerais, do Rio Grande do Sul e do Rio Grande do Norte, além da Universidade de São Paulo. Eles optaram por usar a rede social Instagram para contatar voluntários.

Um perfil foi criado – @sonhosconfinados – onde interessados podem acessar um formulário e deixar seus relatos. Não há remuneração pela participação na investigação. Não é preciso dar o nome, sendo permitido o uso de pseudônimos.

Para além dos relatos de sonhos, que podem ser feitos livremente, o questionário pergunta como a pessoa interpreta o sonho e abre espaço para que o participante fale de situações e sensações percebidas, ou se os sonhos mudaram a partir do isolamento.

Também é oferecida a possibilidade ao participante de conversar com algum dos pesquisadores que compõem a equipe, por telefone ou Whatsapp, para um relato que permita apresentar as informações de forma mais aprofundada.

“O sonho é um laboratório em que a mente trabalha, elabora, sem as censuras da vida consciente, a experiência dos sujeitos. Nossos medos, nossas angústias, desejos, frustrações são encenados, como se fossem projetados numa tela de cinema, ou em várias”, afirmou o coordenador da pesquisa na UFMG, professor Gilson Iannini, do Departamento de Psicologia, em entrevista ao site da instituição.

Agência Brasil

PESQUISA SETA (ESTIMULADA) – ELÓI DE SOUZA: Se a eleição fosse hoje, 38,6% votariam em Maciel Gomes e 32,6% em Kerginaldo

O Instituto Seta divulgou nesta segunda-feira (08), a primeira pesquisa registrada de intenção de votos, mostrando o real cenário da disputa pela prefeitura de Elói de Souza.

O levantamento de dados foi realizado no dia 29 de Maio, com 350 eleitores entrevistados nas zonas urbana e rural do município. O grau de confiança da pesquisa é de 95%, com margem de erro de 3,5% para mais ou para menos.

Sobre a opinião de quem ganharia a eleição, o cenário foi seguinte:

Foto: Reprodução

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Igor disse:

    Desculpa na minha última colocação mas vi que tem o número do registro em baixo na leitura, já estou ciente.

  2. Igor disse:

    Gostaría que o seu blog colocasse o número do registro da pesquisa já que a mesma é registrada para que possamos vê e da mais credibilidade.
    Achei muito interessante em dizer que é registrada e não colocar o número do registro.

  3. Breno disse:

    Fazer também em Parnamirim, né?

  4. Osvaldo Delgado disse:

    Parabéns BG pelo retorno das pesquisas municipais. Faça também em BomJesus.

PESQUISA SETA: Veja os nomes mais citados para vereador em Senador Elói de Souza se as eleições fossem hoje

O Instituto Seta divulgou nesta segunda-feira (08), a primeira pesquisa registrada de intenção de votos, mostrando o real cenário da disputa pela prefeitura de Elói de Souza. O levantamento de dados foi realizado no dia 29 de Maio, com 350 eleitores entrevistados nas zonas urbana e rural do município.

O grau de confiança da pesquisa é de 95%, com margem de erro de 3,5% para mais ou para menos.

Caso as eleições acontecem no dia em que foi coletado as informações, em quem o eleitor votaria para vereador. O questionamento fora feito de forma espontânea, ou seja, sem informar ao eleitor quais os candidatos disputariam ao cargo eletivo. O resultado foi o seguinte:

Foto: Reprodução

PESQUISA SETA – ESPONTÂNEA( ELÓI DE SOUZA): Maciel tem 28% das intenções de voto e Kerginaldo 27,7%

O Instituto Seta divulgou nesta segunda-feira (08), a primeira pesquisa registrada de intenção de votos, mostrando o real cenário da disputa pela prefeitura de Elói de Souza.

O levantamento de dados foi realizado no dia 29 de Maio, com 350 eleitores entrevistados nas zonas urbana e rural do município. O grau de confiança da pesquisa é de 95%, com margem de erro de 3,5% para mais ou para menos.

Sobre a opinião da intenção do voto espontânea, o cenário foi seguinte:

Foto: Reprodução

ELEIÇÕES 2020: Resultado da primeira pesquisa registrada em Senador Elói de Souza e o pré-candidato à prefeito, Maciel Gomes, lidera com boa vantagem

Foto: Reprodução

O Instituto Seta divulgou hoje, segunda-feira (08), a primeira pesquisa registrada de intenção de votos, mostrando o real cenário da disputa pela prefeitura de Elói de Souza.

O levantamento de dados foi realizado no dia 29 de Maio, com 350 eleitores entrevistados nas zonas urbana e rural do município.

O grau de confiança da pesquisa é de 95%, com margem de erro de 3,5% para mais ou para menos.

Na pesquisa estimulada, quando o entrevistador cita o nome dos pré-candidatos, o destaque ficou por conta do jovem Maciel Gomes (PL), na preferência do eleitor, conforme aparece na liderança com 39,1% das intenções de voto; seguido pelo ex-prefeito Kerginaldo Araújo (Republicanos) com 33,7% de preferência.

Em terceiro e último lugar vem o empresário Jeferson Mac (PSDB) com 0,3% das intenções de voto.

Os eleitores que não quiseram ou não souberam responder somam 18,6%, e os que respondem nenhum, branco ou nulo 8,3%.

Os números refletem no presente as ações do passado e, nesse ano, ao que tudo indica o povo resolveu dar a resposta que é possível observar, analisar, argumentar, optar e mudar, fazendo parte do contexto democrático.

O eleitorado eloidesouzense vem manifestando forte desejo de mudança e renovação, tanto no executivo quanto no legislativo.

FICHA TÉCNICA DA PESQUISA:

Período de realização: 29 de Maio.

Registro: RN09493/2020

Grau de confiança: 95%

Margem de erro: 3,5% para mais ou para menos

Empresa: Seta Instituto de Pesquisa LTDA.

PESQUISA NO RN – SITUAÇÃO PROFISSIONAL: 32,6% estavam desempregado(ou não trabalham) antes da pandemia; 27,3% estão empregados; 18,7% perderam o emprego e 12,2% estão empregados em home office

Pesquisa realizada faz comparação com a anterior, há 15 dias. Foto: Reprodução/Pesquisa na Hora/Interjato

O Pesquisa na Hora – do grupo Interjato – é uma plataforma de coleta de dados de maneira sistematizada, através de aplicativos e ligações telefônicas para todo o Brasil. Apresenta resultados rápidos sobre temas de relevância, auxiliando a tomada de decisões nas empresas, órgãos
públicos e organizações que se interessem em pautar suas atividades ou monitorar suas ações de maneira estratégica.

A pesquisa foi realizada através de contatos telefônicos a partir de uma base própria do Estado do Rio Grande do Norte utilizando a técnica de amostra aleatória simples. A estratificação é por região geográfica realizada a partir do CEP associado a cada contato telefônico. O levantamento dos dados foi realizado entre os dias 25 e 26/05/2020.

• Universo: Eleitores do estado do Rio Grande do Norte

• Amostra: 861 entrevistas

• Margem de erro: A margem de erro para esse estudo é de +/- 3,4 % para os resultados totais da amostra.

• Intervalo de confiança: Considerando-se o erro amostral, foi estabelecido o intervalo de confiança (ou seja, limites para mais e para menos em relação ao valor obtido) de 95,5% para p=q=0,5.

• Na apresentação final do resultado da pesquisa os dados foram normalizados para os parâmetros populacionais através da técnica da ponderação. A fonte pública dos dados foram informações do eleitorado atual fornecidas pelo TSE. As ponderações aplicadas foram referentes à Sexo (Masculino: 47%; Feminino: 53%), Idade (16-24 anos: 16,2%; 25-44 anos: 43%; 45-59 anos: 23,8%; 60 ou +: 17%), Grau de instrução (Não frequentou a escola: 7%; Frequentou o ensino fundamental: 42%; Frequentou o ensino médio: 37%; Tem curso superior completo ou incompleto: 14%) e Mesorregião (Agreste Potiguar: 14%; Central Potiguar: 14%; Leste Potiguar: 45%; Oeste Potiguar: 27%). Nas tabelas poderá haver variação para mais ou para menos nas variáveis ponderadas.

INTENÇÃO DE VIAGEM DO POTIGUAR APÓS A PANDEMIA: Observatório do Turismo do RN lança pesquisa para nortear retomada do setor

Foto: Divulgação

O Observatório do Turismo do RN está realizando a pesquisa “Intenção de viagem do potiguar após a pandemia da Covid-19”. O levantamento pretende traçar o perfil dos turistas em pontecial para nortear a retomada do setor, principalmente pelas empresas norte-riograndenses que sofreram com os decretos de isolamento social, como agências de viagens, hotéis e demais comerciantes e prestadores de serviços relacionados.

Os pesquisadores também usarão as respostas para orientar as políticas públicas de turismo. O formulário digital ficará disponível até dia 04 de junho. Mais de 600 pessoas já responderam as questões formuladas pelos pesquisadores da UERN, UFRN e IFRN, em parceria com a Universidade Estadual do Piauí.

“A UESPI, através do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos em Turismo – NETUR, laboratório de pesquisa e extensão do Bacharelado em Turismo desta IES, uni-se ao Observatur RN para desenvolver pesquisas técnicas e científicas que contribuam com diagnósticos sobre a nova realidade do turismo do país. Desta forma, NETUR e OBSERVATUR somarão esforços também na produção de banco de dados que possa nortear e assessorar o planejamento e gestão do turismo, considerando especialmente os novos comportamentos do turista pós pandemia, bem como realizar análises das ofertas de atrativos e destinos, os quais deverão garantir uma retomada de atividades de forma segura e que promova experiências adaptadas a protocolos sanitários recomendados pelos órgãos oficiais de saúde e turismo do país”, explicou a Profa. Msc. Ana Angélica Costa, coordenadora geral do NETUR/UESPI.

“Através dessa parceria com a UESPI, firmamos um valioso intercâmbio de conhecimento científico, fortalecendo o Observatório do Turismo do RN, que nesta pesquisa irá utilizar como base a metodologia do NETUR/UESPI”, esclareceu o Prof. Dr. Sidcley Alegrini, do curso de Turismo da UERN Natal e coordenador do Observatório.

A pesquisa pode ser respondida AQUI.

Sobre o OBSERVATUR/RN

O Observatório do Turismo do Rio Grande do Norte, sediado no Campus de Natal da UERN, é destinado ao fomento do turismo potiguar, através da análise do comportamento do turista, levantando, compilando e interpretando dados estatísticos, para ser um instrumento social, facilitador de gestão, informações e debate do setor.
A proposta de criação do OBSERVATUR/RN surgiu durante Reunião do Conselho Estadual de Turismo do RN – CONETUR, onde foi realizado um compromisso público para realizações das primeiras pesquisas de demanda turística no RN, realizadas de setembro de 2017 e até os dias atuais, com o apoio da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN (coordenadora do projeto), da Universidade Potiguar – UnP, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – IFRN, da Secretaria de Estado de Turismo – SETUR/RN, da Secretaria Municipal de Turismo – SETUR/Natal, da Empresa Potiguar de Promoção Turística – EMPROTUR, do Sindicato dos Bugueiros do RN e do Sindicato dos Guias de Turismo do RN – SINGTUR/RN.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Vergonha disse:

    Esse povo☝️☝️ que irá trazer turismo para o RN ??? Homi , enterrem de uma vez o RN , essa turma na traz uma KOMBI da Paraíba para fazer turismo …..PELO AMOR DE DEUS, aprendam com o povo de GRAMADO/RS no sul não tem espaço para AMADORES

  2. Zanoni disse:

    Viagens somente quando houver uma vacina. Quem é doido de arriscar 100%????

Pesquisa XP/Ipespe: 50% reprovam governo Bolsonaro, 25% aprovam e 23% consideram regular

Foto: Sérgio Lima/Poder360

Levantamento da XP Ipespe indica que 50% dos brasileiros consideram seu governo Bolsonaro ruim ou péssimo, enquanto 25% o avaliam como bom ou ótimo. Avaliam como regular 23%. Não souberam responder representam 2%.Na pesquisa anterior, de 30 de abril, os números estavam em 49% e 27%, respectivamente.

O levantamento foi divulgado no início da tarde desta 4ª feira (20.mai.2020). Eis a íntegra (2MB).

A empresa realizou 1.000 entrevistas em todo o território nacional em 16, 17 e 18 de maio. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais.

Foto: Reprodução

COVID-19

Os entrevistados também foram questionados sobre impactos da crise causada pela pandemia de covid-19 –doença causada pelo novo coronavírus. Para 68%, o pior ainda está por vir, enquanto 22% avaliam que o pior já passou.

Poder360

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ze disse:

    Meu Deus! XP fazendo uma pesquisa que o BiroLiro tem essa rejeição todinha????
    Só pode ser uns comunistas

  2. Cidadão pagador de impostos disse:

    Rejeição de 50% já sabe né?! Game over!

  3. Cidadão pagador de impostos disse:

    Me impressiona ainda ter 25% achando bom um governo fuleragem desse

  4. aof disse:

    Pra quem está enfrentando uma pandemia jamais vista na historia da humanidade, logo após uma reforma da previdencia necessária mas altamente impopular, está muito bem avaliado.

  5. francisco disse:

    AH, é aquela mesma pesquisa que dizia que sempre dava derrota pro presidente nas eleições. Bem confiável essa pesquisa..

  6. Webrevenger disse:

    Pesquisa de comunista.

  7. Toim disse:

    O MBL é, simplesmente, o PSDB

  8. Serginho disse:

    Óia o MBL querendo aparecer!!
    Nem Lula nem Bolsonaro kkk

  9. Cigano Lulu disse:

    Na pisada em que vai o Capetão não emplaca 2022. Mourão que vá se preparando.

  10. Felipe disse:

    Pois é. Nao sei que doença é essa, se tem diagnóstico… Mas essas paixões por políticos faz o país ruir. Aí o ze ruela acha que pq vc tá metendo o pau em Bolsonaro vc é do PT e quando vc mete o pau em Lula acha que vc é Bolsonaro. Meu amigo, há inúmeros outros caminhos!! Abra os olhos!

  11. Pedro disse:

    Amigo Abestalhado, concordo com vc em genero, número e grau, vc merece um dez.

  12. ERI disse:

    SOU 100% BOLSONARO

  13. Abestalhado disse:

    A medicina precisa estudar um medicamento para tentar curar os que ainda defendem Lula e Bolsonaro. A doença é muito grave e vem prejudicando o nosso país.

    • Francisco Alves disse:

      É mesmo? E vc defende quem abestalhado? Talvez Aécio Neves, ou quiçá Ciro Gomes! A verdade, é que Bolsonaro foi o candidato que se agigantou na última campanha, contra a proposta doente de continuidade do PT e, graças a Deus, para nossa sorte, saiu vencedor.
      Você goste ou não o homem é o presidente, tem 60 milhões de brasileiros apoiadores e segue firme e forte, contra todas as adversidades para mais um mandato. Tudo isso, com um punhado de idiotas, um monte de imbecis e, sem falar na grande quantidade de abestalhados contrários. Aceitem que dói um pouquinho menos.

    • Abestalhado disse:

      Quem não admite que Bolsonaro é um presidente demente e incompetente??? Se você não admite, procure se tratar. Que Lula e a esquerda são todos corruptos alienados nós já sabemos. Mas nosso país já se livrou deles na eleição passada. Nosso país agora está precisando se livrar do louco inconsequente e de seus seguidores fanáticos. Vamos procurar eleger políticos Cristãos, honestos e competentes. Deve existir!
      Corruptos e loucos nunca mais….Tá ok?

Pesquisa da UFRN monitora grupos de risco para covid-19 em Natal

Cerca de 5.100 participantes da Pesquisa Participativa para o Mapeamento da Covid-19, desenvolvida pelo grupo Georisco da UFRN, no município de Natal, apresentaram um destaque tanto em termos quantitativos quanto qualitativos.

São indivíduos do grupo de risco, de acordo com o Ministério da Saúde: idosos (acima de 60 anos), diabéticos, hipertensos, portadores de insuficiência cardíaca, renal ou doenças respiratórias crônicas e profissionais da saúde. Foram quase 4.000 participantes (3.976 precisamente) que declararam algum tipo de comorbidade.

“Tanto nos bairros da Zona Leste quanto da Zona Norte apresentam muitas pessoas em grupo de risco para infecção pelo coronavírus. Os bairros de Lagoa Nova, Candelária e Capim Macio foram os destaques (principalmente porque houve mais participação desses bairros na pesquisa). Na Zona Norte, os bairros do Potengi e de Pajuçara são os principais, o que agrava a condição de epicentros da pandemia em Natal”, analisou o coordenador da pesquisa, professor Lutiane Almeida.

UFRN

https://www.ufrn.br/imprensa/noticias/35845/pesquisa-monitora-grupos-de-risco-para-covid-19-em-natal

UFRN realiza pesquisa sobre impacto socioeconômico da Covid-19

O Núcleo de Economia Aplicada e Conjuntura (NEAC), do Departamento de Economia (Depec), do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), da UFRN, está realizando uma pesquisa intitulada: “Impacto socioeconômico da COVID-19 nos moradores de Natal/RN”, com o objetivo de contribuir para a mensuração do impacto da pandemia no bem-estar da população da cidade do Natal-RN. A pesquisa é voluntária e pode ser respondida a partir deste link.

Para o professor Diego André, coordenador do NEAC, o estudo é importante para compreender como a chegada do coronavírus e as medidas implementadas para combatê-lo afetou a vida da população natalense: “Para isso, estamos interessados em coletar informações sobre como a pandemia afetou o emprego e a renda, além do efeito do isolamento social no deslocamento das pessoas e na saúde emocional”.

Desde o início da Pandemia, a equipe vem produzindo boletins com informações atualizadas e enfoque local que podem ser consultados neste link. Os documentos apresentam dados como distribuição espacial de variáveis como renda, número de agências bancárias, número de respiradores, dentre outros e tem o objetivo de levar informação à sociedade em geral e contribuir para que ações individuais, coletivas e governamentais sejam realizadas em prol da contenção da doença no estado.

Outras informações podem ser consultadas no Instagram e Facebook do Núcleo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marco polo disse:

    Ver se servem pra alguma coisa….

Pesquisa no Reino Unido diz que 2/3 das mulheres pensam em outro durante o sexo

Foto: shutterstock

Já pensou em outro durante o sexo? Você não está sozinha. Segundo uma pesquisa do site de namoro saucydates.com, mais das metade das mulheres do Reino Unido fantasia com outras pessoas durante relações sexuais. Para o The Sun, o site de namoro afirma que geralmente a pessoa imaginada é famosa.

Enquanto 62% das mulheres confirmam a fantasia, 56% dos homens também pensam em outra pessoa. A pesquisa ouviu mais de 8 mil pessoas e muitos não se sentem confortáveis com isso. O fundador do site de namoro, David Minns, diz que “homens e mulheres se sentem culpados de pensar em outra pessoa”.

Ainda de acordo com os dados do site, os famosos que mais rondam os pensamentos das mulheres na hora do sexo são os atores Daniel Craig, Brad Pitt e Aidan Turner. Enquanto isso, os homens fantasiavam mais com Rihanna, Lady Gaga e Katy Perry.

Outras fantasias incluíam Justin Bieber, David Beckham e o modelo David Gandy, enquanto os homens também pensam na cantora Rita Ora e nas atrizes Kate Beckinsale e Jennifer Aniston.

Além dos famosos, muitos responderam que pensavam em amigos, colegas de trabalho, estrelas pornô e parceiros de amigos. E homens e mulheres também disseram que era difícil não imaginar em ex-namorados.

As fantasias das mulheres são mais eróticas, com 50% das pessoas afirmando terem imaginado o sexo em uma praia ou quarto de hotel durante o ato com o parceiro.

IG

Professor da UFRN é nomeado embaixador de instituição alemã de fomento à pesquisa

Foto: Reprodução/site UFRN

O professor Leonardo Martins, do Departamento de Direito Público (DPU), do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), da UFRN, foi nomeado no último dia 30, cientista embaixador da Alexander von Humboldt Foundation (AvH), no Brasil, com mandato de três anos, até abril de 2023.

Com a nomeação, o professor passa a ser um dos principais elos de ligação entre a instituição e o Brasil. Será responsável, entre outras ações, pela formação de redes de cooperação entre organizações intermediárias/instituições de financiamento científico no Brasil e a AvH e outros parceiros na Alemanha, representação da instituição em eventos no país, além de promover eventos em parceria com instituições de ensino superior e institutos de pesquisa nacionais e outros parceiros alemães.

Para o professor Leonardo Martins, a nomeação é importante para a UFRN e, principalmente, para o fortalecimento dos núcleos e centros de pesquisa científicas do RN e do Brasil em geral. “Muito além da honra pessoal de representar a Fundação tenho uma missão muito clara. Em síntese, trata-se de fazer chegar ao conhecimento dos potenciais bolsistas e premiados da Fundação (futuros líderes e membros da elite científica mundial) as muitas possibilidades de fomento e, ao mesmo tempo, motivá-los a compor um projeto de excelência com reais chances de obter êxito nos rigorosos processos seletivos. Para se ter uma ideia, vários premiados com o Nobel foram bolsistas da AvH”, destaca.

As parcerias são essenciais, como destaca o professor Leonardo Martins: “Vamos buscar apoio das autoridades acadêmicas da UFRN, da UFERSA e demais Instituições de Ensino Superior (IES) do Estado, dos colegas docentes, pós-graduandos de todos nossos programas, bem como das autoridades políticas para mobilizar os talentosos e vocacionados cientistas, jovens ou não, da nossa região”.

Além de embaixador, professor Leonardo Martins também foi convidado a compor a diretoria do Clube Humboldt do Brasil, função que desempenhará concomitantemente à de cientista embaixador nos dois primeiros anos de seu mandato. O clube reúne cerca de 230 universitários e cientistas brasileiros beneficiários dos programas de fomento à pesquisa da AvH.

Fundação AvH

A Alexander von Humboldt (AvH)  é a principal instituição pública alemã de fomento de pesquisadores e cientistas de todas as áreas do conhecimento. A Fundação fomenta projetos de pesquisas científicas de cidadãos alemães em todo o mundo e de não alemães nas instituições universitárias e científicas alemãs. Em geral, suas bolsas de pesquisa pressupõem o título acadêmico de doutor. Portanto, previstas para projetos de pós-doutorado em diante.

Recentemente, porém, a AvH criou um programa voltado para jovens acadêmicos provenientes especificamente do Brasil, da China, dos EUA, da Índia e da Rússia que devem ter alguma experiência comprovada de liderança em seus respectivos países nos âmbitos da política, economia, imprensa, Administração Pública, sociedade ou cultura, e um projeto muito promissor a ser executado em instituições alemãs. A seleção é baseada exclusivamente no mérito e na excelência acadêmico-científicos do(a) candidato(a) e de seu projeto.

Outras informações sobre a AvH podem ser consultadas no site.

UFRN