Tecnologia

45% dos brasileiros passam pelo menos uma hora por dia nas redes sociais, aponta pesquisa

Foto: Divulgação

Pesquisa PoderData realizada de 11 a 13 de outubro mostra que 45% dos brasileiros ficam mais de uma hora por dia nas redes sociais. O número é a soma dos que ficam de 1 a 3 horas (22%) com os que ficam de 3 a 5 horas (16%) e mais de 5 horas (7%).

Outros 35% passam até uma hora conectados. Um em cada 5 afirmam que não usam as mídias sociais.

A pesquisa foi realizada por meio de ligações para telefones celulares e fixos. Foram 2.500 entrevistas em 469 municípios nas 27 unidades da Federação de 11 a 13 de outubro de 2021.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

DESTAQUES DEMOGRÁFICOS

O PoderData estratificou as respostas dos entrevistados por sexo, idade, região e escolaridade. Eis os destaques:

  • idade – os idosos são os que passam menos tempo online: 39% desta faixa etária não usam as redes sociais, enquanto 44% usam por até 1h;
  • escolaridade – quem estudou até o fundamental passa mais tempo off-line: 27% dessa população não usa as redes sociais; 43% usa por até 1 hora.

TEMPO NAS REDES X AVALIAÇÃO DE BOLSONARO

Entre quem avalia o presidente como “ótimo” ou “bom”, 47% passam até uma hora nas redes sociais. Entre os que reprovam Bolsonaro, 27% ficam de 1 a 3 horas nas redes.

METADE USA DE 3 A 5 REDES SOCIAIS

Outros 27% estão em duas. Outros 11% usam apenas uma. Só 10% estão conectados em mais de 5 redes.

ESTRATIFICAÇÃO

No recorte por sexo, 55% das mulheres ficam de 3 a 5 horas nas redes. O número cai para 39% entre os homens. Entre quem tem ensino superior completo, 58% ficam conectados de 3 a 5 horas. Para quem estudou até o fundamental, a parcela é de número é de 43%.

OPOSIÇÃO CONECTADA

Metade (52%) dos que avaliam o trabalho de Bolsonaro como “ruim” ou “péssimo” usa de 3 a 5 redes sociais.

Poder360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

45% dos evangélicos e 26% dos católicos acham Bolsonaro ótimo ou bom

Foto: Sérgio Lima / Poder360

O grupo que considera o trabalho do presidente Jair Bolsonaro “ótimo” ou “bom” teve um leve recuo entre os evangélicos, mas esses eleitores seguem sendo uma de suas principais bases de sustentação.

Pesquisa PoderData realizada nesta semana (11-13.out.2021) mostra que 45% dos evangélicos consideram o chefe do Executivo “ótimo” ou “bom”. Em agosto, essa taxa era de 50%. O apoio supera em 8 pontos percentuais os que acham o trabalho do presidente “ruim” ou “péssimo”.

Esse recuo de “ótimo” e “bom” entre evangélicos coincide com a demora para Bolsonaro conseguir emplacar o nome de André Mendonça como ministro do Supremo Tribunal Federal. Evangélico e apoiado por diversas denominações, Mendonça está há mais de 90 dias esperando que o Senado marque uma data para sua sabatina.

Nos últimos dias, o pastor Silas Malafaia, presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, criticou ministros do governo Bolsonaro por não darem apoio a Mendonça. As declarações de Malafaia, muito influente entre evangélicos nas redes sociais, foi exatamente durante o período em que o PoderData fazia as entrevistas para a pesquisa divulgada nesta 5ª feira (14.out.2021).

Já entre os católicos, Bolsonaro é considerado “ruim” ou “péssimo” por 57%, ante 67% em agosto. Mesmo com o refresco, a taxa é maior do que a observada na população geral (de 53%). A base de apoio (“ótimo” + “bom”) entre católicos, no entanto, teve uma oscilação positiva de 5 pontos, ficando em 26% ante 21% há 2 meses e meio.

Esta pesquisa foi realizada no período de 11 a 13 de outubro de 2021 pelo PoderData, a divisão de estudos estatísticos do Poder360. Foram 2.500 entrevistas em 469 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

O presidente vem fazendo aceno a ambas as religiões nos últimos meses. Em julho, oficializou a indicação de André Mendonça, ex-advogados-geral da União, para o STF (Supremo Tribunal Federal). A cadeira, segundo Bolsonaro, estava destinada a uma pessoa “terrivelmente evangélica”.

No Dia de Nossa Senhora Aparecida (12.out), o chefe do Executivo participou de missa no Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo. Fez leitura bíblica ao lado de ministros. Ao chegar, foi aplaudido e vaiado.

A missa foi conduzida pelo arcebispo de Aparecida (SP), Dom Orlando Brandes, que na celebração das 9h, afirmou que a “pátria amada não pode ser pátria armada”, em crítica à pauta armamentista defendida por Bolsonaro.

APROVAÇÃO NA POPULAÇÃO GERAL

Quando considera-se toda a população brasileira, o trabalho pessoal de Bolsonaro tem 53% de “ruim” ou “péssimo”, contra 29% de “ótimo” ou “bom”. O grupo que considera o trabalho do presidente “regular” é de 18%.

Os números mostram uma leve tendência positiva para o Palácio do Planalto nos últimos 30 dias. No fim de setembro, o presidente chegou ao seu maior nível de rejeição já registrado pelo PoderData.

Poder360

Opinião dos leitores

  1. Ninguém pode servir a Deus e o diabo ao mesmo tempo, o Cristão tem que está do lado conservador, ou é cristão ou satanista!! Quem apoia a esquerda está do lado das trevas!! Essas pesquisas são todas manipuladas!!

  2. O apoio do povo ao presidente Bolsonaro é facilmente comprovado pelas multidões que ele atrai em TODAS suas aparições públicas. Enquanto isso, seus opositores, inclusive o bandido cachaceiro de 9 dedos, continuam “com medo” do povo, escondidos em suas “bolhas”. E as tais pesquisas dizem que esse ladrão é o favorito para a Presidência. Pois é.

  3. Pesquisas, pesquisas, pesquisas quem vai querer?? Estamos em promoção todo tipo de pesquisa por apenas alguns reais de “apoio” ! Aproveite esta baratinho!!

  4. Mais uma pesquisa que não mostra a realidade. Fica evidenciado que os institutos de pesquisa estão usando metodologia errada ou estão fazendo pesquisa de forma estranha, apresentando números abaixo do colhido e, talvez, pior, divulgando números falsos.
    O que esses institutos tentam impor, é inversamente proporcional ao que se vê nas ruas, ao que encontramos nas rodas de pessoas, em cada ônibus, a cada situação social.
    A esquerda desintegrou politicamente, não tem 10% dos votos e o presidente tem um altíssima apoio do povo brasileiro. Se o governo dele não é melhor se dá a fatos como:
    De 2019 a 2020 o senador Alcolumbre e o deputado Rodrigo Maia barraram tudo que era proposto pelo governo para o povo brasileiro no senado e na câmara federal.
    Em 2020 surgiu a pandemia e a esquerda parou tudo com o mote: “Fecha e para tudo, a economia a gente vê depois”.
    Os estados receberam bilhões do governo federal para combater a pandemia e o STF decidiu que as ações direta de combate ao vírus era responsabilidade dos governadores e prefeitos.
    Depois houveram decisões impedindo que os governadores fossem investigados sobre como gastaram os recursos recebidos durante a pandemia.
    Mesmo sem produzir vacinas, o Brasil é o terceiro país no mundo que mais distribuiu doses para população.
    Existe a CPI que até agora a única coisa concreta que fez foi torrar recursos públicos, onde a mesa diretora é composta por senadores que tem processo por corrupção no STF.
    No mais só encontramos uma produção gigantesca de narrativas e fake news contra o governo, cujo maior inimigo da esquerda é a verdade!

    1. Esqueça direita/esquerda. A maioria do povo não faz parte disso. É gente que está desempregada, pagando caro pelo gás e alimentos. E vai votar em qualquer um, menos no teu maluco de estimação. Basta somar os que votaram contra em 2018, com os que votaram em branco, mais parte dos que se arrependeram do voto errado. Essa pesquisa errou foi pra menos!

  5. Evangélicos no Brasil são iguais a mulçumanos, sempre seguem seus líderes, muitos dessas lideranças são CANALHAS e estão a serviço de quem lhe entrega dinheiro e poder. Alienação com lavagem cerebral nas fraquezas mentais dos homens. Assim caminha a humanidade.

    1. Sou evangélico e faço parte dos 55% que não votam nele. O líder que sigo é Jesus Cristo. Preconceito, de sua parte, não deixa de ser alienação também…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Aprovação ao governo Bolsonaro vai a 33%; reprovação recua de 63% para 58%

Foto: Sérgio Lima / Poder360

Pesquisa PoderData realizada nesta semana (11-13.out.2021) mostra leve melhora para o governo Jair Bolsonaro na opinião pública nos últimos 15 dias. A taxa de reprovação à gestão federal hoje está em 58%, uma queda de 5 pontos em comparação à pesquisa anterior.

A aprovação ao governo marca 33%. Oscilou para cima dentro da margem de erro da pesquisa, de 2 pontos percentuais.

O resultado indica uma melhora pontual para o governo, embora o quadro siga negativo para o Planalto. A taxa de reprovação está 25 pontos percentuais acima da de aprovação. Mas já foi pior: essa diferença era de 36 pontos no início de setembro.

A pesquisa foi realizada por meio de ligações para telefones celulares e fixos. Foram 2.500 entrevistas em 469 municípios nas 27 unidades da Federação de 11 a 13 de setembro de 2021.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

O PoderData também questiona os entrevistados a respeito de como avaliam o trabalho pessoal de Bolsonaro. Hoje, 53% classificam o presidente como “ruim” ou “péssimo”, uma queda de 5 pontos em comparação a duas semanas antes. Já o grupo que considera o trabalho do presidente “bom” ou “ótimo” foi de 25% a 29%. Variou para cima no limite da margem de erro (2 p.p. para mais ou para menos).

O grupo do “regular” é onde os eleitores costumam fazer um “pit stop” antes de mudarem de opinião. Hoje está em 18%. Vem crescendo pouco a pouco desde agosto.

Hoje, o grupo que considera o trabalho de Bolsonaro como “ruim/péssimo” fica 24 pontos percentuais acima do “ótimo/bom”. Há duas semanas, a diferença era de 33 p.p.

É a 1ª vez em 4 meses que tanto os números de aprovação do governo quanto os de avaliação do trabalho de Bolsonaro indicam alguma recuperação na imagem palaciana. O movimento é registrado enquanto o presidente mantém uma trégua de mais de 1 mês com os Poderes Judiciário e Legislativo. Rodadas anteriores indicaram que os atos de 7 de Setembro, ápice da tensão entre o presidente e outros Poderes, só provocaram alterações na margem de erro.

ESTRATIFICAÇÕES

Eis as taxas de aprovação e de reprovação do governo por sexo, faixa etária, nível de escolaridade e região.

Em relação ao trabalho do presidente, a fatia que avalia como “ruim” ou “péssimo” é maior nos jovens de 16 a 24 anos (62%). A taxa dos que respondem “ótimo” ou “bom” sobe no Norte (40%), mas continua perdendo em todos os estratos.

Poder360

Opinião dos leitores

  1. Pesquisas Fake News, o presidente continua forte nas pesquisas, a rua fala e ver quem tem olho. A esquerda corrompida continua descendo ladeira.

  2. Olha a pesquisaaaa!! Tá baratinha! Quem quiser basta solicitar como devemos fazer e com uma contribuição módica podemos divulgar na “grande” mídia! Olha aiiiii. Quem vai querer ??

  3. O apoio ao presidente Bolsonaro nos vemos nas ruas, por onde ele passa. Agora mesmo, vimos isso em Aparecida e outras cidades. E por onde andam seus opositores? Escondidos com medo do povo?

  4. Se a turma do quanto pior melhor e da corrupção deixassem ele governar a aproximação estaria nas alturas. Ele tem o sentimento do povo, porém vai de encontro a tudo de ruim que é praticado na política brasileira a séculos. A turma dos viciados nas tetas do governo vão fazer de tudo para não permitir que este sentimento do povo prospere e que o Mito faça escola, pois isto não os interessa.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

PAINEL RN 2021/BLOG DO BG/AGORASEI: Quase 70% dos potiguares são favoráveis à redução da maioridade penal

Foto: Reprodução

Exatos 68,8% dos norte-rio-grandenses defendem a redução da maioridade penal para os jovens que cometem crimes. Assim mostra o Painel RN 2021, parceria entre o Blog do BG e o Instituto Agorasei. Já os entrevistados que afirmam ser contra a redução da idade são 26,9%. Os que não souberam responder ou sem opinião formada totalizam 4,3%.

Por gênero: homens são mais favoráveis à redução

Enquanto 73,8% dos homens defendem a diminuição da maioridade penal, 63,9% das mulheres concordam com a redução.

Por idade: os mais jovens defendem menos

Os entrevistados de 16 a 24 anos são os menos favoráveis, com 63,5%. Já as pessoas de 35 a 44 anos aparecem como as mais entusiastas da redução da idade penal: 72%.

Por escolaridade: apoio é menor entre pessoas de nível superior

Os universitários e pessoas com nível superior são os entrevistados que apoiam menos a redução: 62,8%. Na outra ponta, pessoas que apenas leem e escrevem, mas não frequentaram uma escola, são os maiores defensores, com 74,5%.

Por ocupação: profissionais autônomos defendem mais a redução

Os entrevistados que declaram a ocupação como autônomo são os maiores apoiadores, com 75,5%. Os estudantes aparecem com o menor percentual de apoio: 55%.

Por religião: aqueles que não seguem uma religião são mais favoráveis

As pessoas que dizem acreditar num deus, mas que não seguem uma religião, são 70,1% a favor da redução. Já os católicos somam 69,5% e os evangélicos são 66,7%.

Por regiões: Grande Natal defende mais a redução

A mesorregião Leste, onde está inserida a Região Metropolitana de Natal, possui o maior percentual favorável: 74,8%. A mesorregião Oeste tem o menor apoio: 61,7%.

Sobre a pesquisa

O Painel RN 2021 ouviu 800 pessoas, de 16 anos acima, em todas as 19 microrregiões e 52 municípios do Rio Grande do Norte. O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 3.4 pontos percentuais, para mais ou para menos sobre os resultados totais da amostra. O trabalho foi realizado na primeira quinzena de agosto deste ano.

Opinião dos leitores

  1. A redução da idade maioridade penal não resolverá o problema do Brasil, além disso, precisa aumentar as penas por morte, latrocínio e assalto a banco, e excluir qualquer redução da pena.

  2. ten que reduzir mesmo. O marmanjo com 16 anos (menos) faz filhos adoidado; mara, estupra, rouba, faz todo tipo de safadeza e é tratado como criancinha inocente. Chega de hipocrisia.

    1. Não vi o presidente bandido das rachadinhas enviar nenhum projeto pra reduzir a maioridade penal nem movimentar sua base de apoio para aprovar os projetos nesse sentido que já tramitam no Congresso. Afinal, o MINTO das rachadinhas só se preocupa em impedir as investigações dos crimes cometidos por ele e pelos filhos…

  3. Sejamos realistas, isso é pauta vencida, A ESQUERDA NÃO ACEITA, ASSUNTO ENCERRADO!
    NADA que seja para punir criminoso, colocar ordem na sociedade, retirar bandido de circulação, aumentar a segurança será aceito pela esquerda que aparelhou quase todos os órgãos e setores no Brasil depois de se manter no poder desde 1994 com o PSDB e o PT. Quando a pressão é gigante, eles impõe leis que distorcem a situação e são vendidas como solução, a exemplo da lei do desarmento. Querem contestar? Antes olhem o número de assaltos, roubos e assassinatos antes e depois da lei da lei do desarmamento. Os números não deixam qualquer dúvida da situação. Deixou o vigilante, o segurança, o trabalhador e o cidadão desarmado e colocou arma nas mãos dos bandidos, fato incontorverso.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

Pesquisa revela quanto tempo uma mulher leva em média para chegar ao orgasmo

Foto: Jacob Wackerhausen/Getty Images/iStockphoto

O orgasmo feminino tem suas especificidades. O clitóris tem aparecido como um órgão essencial para dispará-lo, sendo o tal “orgasmo vaginal” na verdade o resultado da estimulação de todas as terminações nervosas presentes na estrutura clitoriana interna.

Uma pesquisa publicada recentemente no The Journal Sexual Medicine, mediu em minutos, o tempo médio que uma amostra de 645 mulheres de 20 países levou para atingir o clímax em relações heterossexuais monogâmicas. Os pesquisadores também correlacionaram o efeito da idade, duração do relacionamento, posição durante a relação sexual e atividades sexuais não penetrativas adicionais.

Usando o cronômetro dos seus smartphones, as mulheres o disparavam quando se sentiam adequadamente excitadas e finalizavam quando alcançavam o orgasmo.

O estudo não encontrou diferença estatisticamente relevante no tempo nas variáveis idade, duração do relacionamento, estado civil, número de relações sexuais e frequência. O tempo médio para alcançar o orgasmo foi de 13,5 minutos.

31,4% das mulheres relataram ter alcançado orgasmo apenas com a penetração, enquanto o 68,6% das participantes relataram que precisavam de práticas e manobras adicionais para atingi-lo. Lamber, beijar, sexo oral e morder certas partes do corpo foram as atividades adicionais mais relatadas (32,43%). Sucção de axilas, introdução do dedo no ânus, estimulação dos mamilos, lambidas nas solas dos pés e nas coxas foram as mais populares.

Sobre a exclusividade da penetração vaginal para o orgasmo, a posição com a mulher por cima foi registrada como a mais favorável. Quando as mulheres fazem movimento de balanço da pélvis e do tronco, para frente e para trás promovem uma fricção do clitóris mais eficaz. Esse dado reforça a sua importância na excitação sexual feminina.

Aliás, uma postura feminina mais ativa durante a relação sexual é associada com um tempo mais curto para atingir o clímax em outros estudos. Muitas pessoas ainda nutrem a crença de que o homem é quem deve ser o desejante na relação e que, mesmo que se saiba que é o clitóris o grande responsável pelo prazer da mulher, é função masculina estimulá-lo. Daí decorre que a mulher com atitude mais passiva fica sujeita a falta de habilidade na manipulação ou no sexo oral, a preguiça ou o egoísmo, que as deixam a ver navios ou pensando que há alguma coisa de errado com a sua resposta sexual.

Se os homens tem uma sexualidade mais genitalizada, centrada na estimulação peniana, e se uma relação sexual com penetração dura em média 7 minutos, comparadas aos homens, o tempo médio de estimulação necessária para uma mulher chegar ao orgasmo é quase o dobro. Isso significa que para um casal adequar o ritmo e provocar prazer em ambos, é preciso ampliar a relação, abusando de outros estímulos, antes, durante e depois.

Vibradores que estimulam o clitóris fazem sucesso justamente porque encurtam o tempo, já que os desencontros no tempo de excitação são comuns. Também, mulheres com melhor força muscular do assoalho pélvico tendem a ter uma melhor função orgástica, o que ajuda a alcançar o clímax mais rápido.

Claro que uma relação sexual mais lenta, tende a ser muito prazerosa para ambos, mas nem sempre um casal tem tempo e disposição para curtir um momento tântrico. A variação na intenção sexual também possibilita ter vivências diferentes no erotismo: às vezes uma rapidinha, mesmo que sem orgasmo, pode provocar uma experiência erótica positiva; já quando ela acontece sempre provavelmente será considerada invasiva e desprazerosa.

Como nem todas as relações sexuais acontecem entre pessoas que tem intimidade suficiente para adaptar estilos, a autonomia sexual é fundamental para garantir o prazer feminino. Portanto, comunique-se. Recomendo fortemente que as mulheres adotem também o hábito de estimularem seu próprio clitóris durante a penetração.

Orgasmo feminino é tema do “Sexoterapia”

Vivemos uma época em que a liberdade sexual da mulher é cada vez mais discutida e exaltada. Mesmo assim, pesquisas mostram que a grande maioria das mulheres ainda tem dificuldade em gozar. Por que será que isso acontece?

No 61º episódio do podcast “Sexoterapia”, Ana Canosa e Bárbara dos Anjos Lima, editora de Universa, discutem com a convidada Laís Conter, criadora da página de cantadas @me_lambelambe e sócia da plataforma de áudios eróticos Tela Preta, sobre a nova busca pelo orgasmo feminino. Entre os relatos das ouvintes, uma que só consegue gozar quando se masturba e uma que – depois de muitas tentativas – finalmente descobriu o que a leva ao orgasmo com direito a squirting.

Universa – UOL

 

 

Opinião dos leitores

  1. Duvido que algum pênis consiga nadar, nadar, nadar e morrer na praia durante 7 minutos consecutivos nadando no molhado, isso é interminables e angustiante, o negocio só é bom quando termina logo,e também dà logo caimbra, as mulheres só querem esperar tudo na boquinha, elas não querem fazer movimentos.
    Isso é uma droga era para eu ter nascido mulher, eu teria sido uma grande puta, uma mulher consegue mata no mínimo 12 homens de uma só vez em 60 minutos, oh, emprego fácil.

  2. As pupilas dilatam, ficam ofegantes e mordem os lábios…quando entregamos o cartão de crédito…

  3. Tempo não é questão pro Calígula.
    Calígula não regula tempo, Calígula só sai de cima, quando sua companheira chega ao êxtase.
    Calígula é puro êxtase, pra elas.

    1. Titio, se acalme. Contar um causo até que vai, mas mentir na cara dura é pesado.

    2. Depois do porre, o bucho nao deixar sair de cima.. a muie ofegante, sem ar… sei.

    3. Brocha igual ao mito. KKK. Diz aí… Tens também um Hélio Negão?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Nota de recuo de Bolsonaro tem apoio de 55%; entre apoiadores, taxa vai a 65%, mostra pesquisa PoderData

Foto: Divulgação

Pesquisa PoderData realizada nesta semana (13-15.set.2021) mostra que mais da metade dos brasileiros avaliam que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) agiu de forma correta ao divulgar nota de recuo sobre menções ao ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), e em aceno aos outros Poderes. Para 30%, a atitude do chefe do Executivo federal foi um erro. Outros 15% não souberam responder.

A “Declaração à Nação” foi publicada em 9 de setembro e foi escrita com a ajuda do ex-presidente Michel Temer. No documento, Bolsonaro afirmou que nunca teve “nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes” e que ofendeu Alexandre de Moraes no “calor do momento”. A carta moderou o tom depois de o chefe do Executivo ter dito durante as manifestações do 7 de Setembro que não mais cumpriria decisões da Justiça assinadas por Moraes, a quem chamou de “canalha”.

A oposição ao governo federal enquadrou a nota como “um ato de fraqueza do presidente”: no Twitter, a hashtag #BolsonaroArregou ficou entre os assuntos mais comentados da rede social. A pesquisa, no entanto, mostra que o gesto de moderação do presidente foi bem recebido mesmo entre os que não simpatizam com ele.

Esta pesquisa foi realizada no período de 13 a 15 de setembro de 2021 pelo PoderData, a divisão de estudos estatísticos do Poder360. Foram 2.500 entrevistas em 441 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Saiba mais sobre a metodologia lendo matéria completa AQUI.

Poder 360

 

 

Opinião dos leitores

  1. As ações do presidente estão deixando cada vez mais claro que ele é o verdadeiro democrata e que os “golpistas” são exatamente seus opositores.

  2. Se esse povo da esquerda pular, babar e achar ruim é por ter sido coisa correta, depois e só esses imbecis lerem “A Arte da Guerra” livro milenar e atualíssimo.

    1. Falta só ele escrever uma carta a nação explicando por que o Queiroz depositou 89 mil na poupança da sra micheque.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

Com sexo oral ‘mal feito’ entre maiores queixas, pesquisa revela o que mulheres casadas buscam em aventuras extraconjugais

Foto: Ilustrativa

O que leva uma pessoa a buscar uma relação fora do casamento? Embora ainda seja consideradas tabu, as relações extraconjugais estão relacionadas a algo muito simples: a busca pela satisfação sexual. É o que mostra a pesquisa realizada pela Ashley Madson, site de relacionamento voltado para pessoas casadas.

Segundo o levantamento realizado com 2.267 usuárias da plataforma, 21 de julho de 2021 e 28 de julho de 2021, 64% das mulheres se sentiram sexualmente negligenciadas em seu casamento, e 44% dizem que a falta de sexo interessante e frequente é o que as leva a trair. E esta negligência na cama pode servir de gatilho para as mulheres que estão em busca de satisfação sexual.

“Um equívoco comum é que as mulheres perdem o interesse pelo sexo mais rápido do que os homens em relacionamentos de longo prazo”, diz Isabella Mise, Diretora de Comunicações da Ashley Madison. “Isso não poderia ser menos verdadeiro. Agora, mais do que nunca, as mulheres não estão dispostas a sacrificar sua vida sexual pela monogamia. Se eles não estão encontrando satisfação em seu relacionamento principal, elas vão procurar fora.”

Sexo oral bem feito é diferencial

De acordo com a pesquisa, o sexo oral é um dos atos mais mencionados para definir se o parceiro é bom de cama e uma preferência entre as usuárias do site, que dizem procurar alguém que ‘mande bem’ com a boca e língua. Ao que parece, os maridos andam deixando a desejar nesta parte.

Entre as entrevistadas, apenas 23% das mulheres recebem sexo oral regularmente de seu parceiro principal, mas esse número sobe para 58% quando se trata de seu amante – e eles (os amantes) estão fazendo isso melhor. Enquanto 48% das mulheres consideram seu amante um especialista em sexo oral, ou pelo menos “muito bom”, apenas 31% dizem o mesmo sobre seu cônjuge.

Delas – IG

 

Opinião dos leitores

  1. Mas fala sério… o marido encara o expediente de 8 horas, levando cagaço do chefe, cliente importunando… aí chega em casa a patroa nem beijinho dá… na hora do rala ele ainda se faz presente pro sexo oral e encontra uma perseguida mal lavada… daí ele evita…

    1. 4 lorotas e nenhuma verdade, um clássico comentário caligulesco.

  2. Nada justifica a infidelidade. Não está feliz? Pede para sair. Isso vale para homens e mulheres. A outra questão é que certamente essas mulheres se perfumam e asseiam para encontrar com o amante, mas para os maridos ficam na bagaça, e tanto as mulheres quanto os homens devem manter a chama acesa, não deve ser responsabilidade exclusiva de um ou outro. Mulher adora se vitimizar.

  3. Tem marido que não faz a coisa certa aí vem o personal trainer, que fica só esperando a hora, e craw…e tem umas personal trainers mulheres que fazem ainda melhor e tomam a mulher do cabra fraco.

    1. Tem também uns bombeiros que acabam não só com casamento mas com os esquemas de divisão de salário conhecido como “rachadinha” de marido “imbrochável” mas que já vai sendo corno no terceiro casamento…

  4. Alguém tem que dizer a verdade. O “gatilho” da infidelidade é a falta de caráter. Está insatisfeito(a)? Tenha caráter, seja adulto e correto: converse sobre e trabalhe pra resolver. Não deu certo? Divórcio. É uma derrota do ponto de vista cristão, de fato, mas é uma saída honesta.

    1. Concordo plenamente.
      Tive um marido que me dava, em todos os sentidos, motivos para ser traído, mas, nunca o fiz; pelos meus Princípios e, sobretudo, pela minha Fé em Deus!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

PESQUISA BG/AGORASEI/AVALIAÇÃO/ASSÚ: 61,1% aprovam gestão do prefeito Gustavo Soares; desaprovação é de 24,1%

Além dos números eleitorais, o instituto AgoraSei! também divulgou os números da chamada pesquisa administrativa, que nada mais é do que a avaliação da população sobre a administração municipal em algumas das principais cidades do Rio Grande do Norte. Em Assú, 61,1% disseram aprovar a gestão do prefeito Gustavo Soares. Outros 24,1% afirmaram desaprovar. Os indecisos somaram 14,8%.

Para a realização do estudo, o instituto AgoraSei! entrevistou 1800 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 28 e 31 de agosto. Os resultados foram calculados com intervalo de confiança de 95% e com margem de erro de de 2,3% para mais ou para menos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Nem Bolsonaro nem Lula: pesquisa mostra que a liderança é dos indecisos

Foto: iStock/Getty Images

Aos olhos de hoje, a próxima sucessão presidencial tende a repetir a disputa entre Jair Bolsonaro e PT, que deve lançar Lula em 2022. Diferentes institutos mostram o presidente e seu antecessor com ampla vantagem sobre os adversários nas pesquisas estimuladas — aquelas em que os entrevistados são apresentados a uma lista de possíveis candidatos e instados a escolher um deles. Em levantamento realizado pelo Ipespe a pedido da XP, Lula lidera com 40% das intenções de voto, e Bolsonaro aparece em segundo, com 24%. Os demais postulantes registram no máximo 10%. Apesar desses números, o quadro eleitoral ainda pode mudar de forma considerável, já que as mesmas pesquisas revelam que há espaço de sobra para a construção de uma candidatura capaz de romper a polarização. Dois dados são elucidativos nesse sentido. Na pesquisa espontânea, aquela em que não é apresentada a relação de presidenciáveis, a liderança é dos indecisos. Hoje, há mais entrevistados sem candidato do que declarando voto em Lula ou Bolsonaro. Além disso, um quarto da população não está disposto a votar em nenhum dos dois favoritos. Ou seja: há uma massa à espera de uma alternativa.

Se em tese a terceira via pode ser competitiva, na prática ela esbarra em toda a sorte de problemas. Até agora, foram lançados mais de dez balões de ensaio ao Palácio do Planalto, num sinal inequívoco de que o grupo não tem um candidato natural e que seus integrantes, por enquanto, não empolgaram o eleitor e não estão dispostos a abrir mão de seus respectivos projetos em nome da costura de uma grande aliança. Só no PSDB são quatro os presidenciáveis, e todos engatinham nas pesquisas. Parceiro histórico dos tucanos, o DEM também está testando nomes. Recentemente, o PSD passou a flertar com a ideia de filiar ao partido e lançar ao Planalto o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (leia entrevista de Páginas Amarelas com Gilberto Kassab na pág. 9). Já MDB e PSL cogitam as candidaturas da senadora Simone Tebet e do apresentador José Luiz Datena. Há ainda a possibilidade de o ex-juiz Sergio Moro entrar no páreo pelo Podemos. Como ninguém se destaca nesse pelotão, a conclusão é clara: o eleitor que não quer nem Lula nem Bolsonaro anseia por um nome da terceira via, mas até agora não gostou de quase nada do que viu. Encontrar um rosto competitivo para a disputa é o desafio dos centristas.

“O candidato de centro se sai muito bem enquanto permanece uma silhueta vazia ou uma folha em branco”, provoca o cientista político Paulo Kramer, que participou em 2018 da elaboração do plano de governo de Bolsonaro. “A terceira via, por enquanto, é um fantasma, mas precisamos dar carne e rosto para ele até dezembro. É a candidatura que mais ameaça o poder dos dois”, rebate o cientista político Luiz Felipe d’Avila, fundador do Centro de Liderança Pública e entusiasta da construção de um nome capaz de rivalizar com os favoritos. Considerando o quadro atual, políticos e especialistas apostam que uma vaga no segundo turno já está assegurada a Lula. A missão da terceira via seria tomar o lugar de Bolsonaro, que enfrenta um processo de desgaste de imagem em razão da pandemia de Covid-19 e da crise econômica. Seu governo hoje é reprovado por metade da população. De fato, a possibilidade de uma alternativa competitiva preocupa os dois líderes das pesquisas. Lula e Bolsonaro deram declarações recentes desdenhando dos centristas, numa rara sintonia entre eles provocada pelo fato de ambos também serem líderes em rejeição. Tudo o que eles não querem em 2022 é um confronto direto com alguém que tenha mais aceitação e alta capacidade de diálogo com diferentes fatias do eleitorado.

“Na espontânea, os indecisos estão num nível muito alto. A grande maioria ainda não tomou uma decisão firme de escolha do candidato. Pode haver grandes mudanças no quadro a depender da articulação da terceira via e dos resultados econômicos”, afirma o cientista político Felipe Nunes, diretor da consultoria Quaest. Em sua última pesquisa, o instituto perguntou quem o entrevistado preferia que vencesse a eleição. De 1 500 pessoas consultadas, 42% responderam Lula, 28% declararam “nem Bolsonaro nem Lula” e 26% afirmaram Bolsonaro. Houve uma espécie de empate técnico na segunda posição, o que reforça a esperança da terceira via de conquistar uma vaga no segundo turno.

Essa possibilidade, existente no campo teórico, pode se tornar inviável caso os integrantes desse grupo político não cheguem a um acordo. Hoje, a tendência é a pulverização de candidaturas. “O grande desafio da terceira via é vencer a descrença de que não tem chance de ganhar a eleição. Se tiver um nome que a população fala ‘hum, esse tem chances’, ele voa”, diz a presidente nacional do Podemos, deputada Renata Abreu (SP). A parlamentar reconhece que a vaidade dos próprios atores políticos, a maioria estacionada em intenções de votos que não chegam à casa dos dois dígitos, atrapalha as conversas em curso. “Todo candidato hoje se vê do mesmo tamanho. Por que vou abrir mão da minha candidatura em favor de outro nome que tenha o mesmo tamanho que eu? Não necessariamente quem tem vantagem eleitoral neste momento é o candidato com o maior potencial”, frisa Renata.

A eventual costura de um consenso entre os partidos sobre a candidatura da terceira via não encerra os problemas. Longe disso. Faltará o principal: conquistar o eleitor. O grupo que não quer “nem Lula nem Bolsonaro” não é homogêneo. Há de tudo um pouco nesse balaio, inclusive arrependidos de lado a lado. “É difícil encontrar um caminho para a terceira via hoje, já que ninguém consegue emergir de uma maneira clara neste momento até por conta da profusão de nomes cogitados. A gente precisa de tempo ainda para ver como vão se desenrolar a economia, a pandemia e a aprovação presidencial”, avalia Victor Scalet, analista político e estrategista da XP Investimentos.

BALÕES DE ENSAIO – Os nomes testados pelos partidos como alternativas à polarização: o governador João Doria (PSDB), o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), o governador Eduardo Leite (PSDB), o ex-ministro Mandetta (DEM), o ex-juiz Sergio Moro (Podemos), a senadora Simone Tebet (MDB), o senador Rodrigo Pacheco (DEM), o apresentador José Luiz Datena (PSL) e o apresentador Luciano Huck, que já desistiu – Gov. Estado de São Paulo; Twitter @cirogomes; Palacio Piratini; pedro França/Ag. Senado; Cristiano Mariz; Divulgação; raquel cunha/TV Globo

Pesquisa encomendada pelo DEM detalhou o perfil do candidato ideal ao cargo de presidente da República: homem, entre 40 e 60 anos, honesto, com espírito de liderança, experiência política e um olhar para os mais pobres. Eleitores de direita preferem um cristão, conservador, enquanto os de esquerda acham importante um cidadão simples, humilde, “do povo”. Já os de centro querem alguém equilibrado, sensato, centrado e unificador. “A pesquisa aponta muitos caminhos e conclui que no momento nem Lula nem Bolsonaro são exatamente os nomes desse perfil desejado. Existe uma parcela muito grande do eleitorado que não se definiu e deseja um nome que não seja nenhum dos dois que hoje são os mais lembrados”, afirma o presidente do DEM, ACM Neto. Segundo a sondagem do partido, realizada em maio, a via do meio é “estreita” atualmente, mas os dados “indicam um desejo majoritário por uma via alternativa”, capaz de pacificar o país, estimular a retomada econômica e recuperar a credibilidade internacional do Brasil. “É cedo para você dizer que não vai surgir ninguém, que o jogo tá jogado. O país não precisa ser refém da polarização”, acrescenta ACM Neto.

No extenso rol de dificuldades da terceira via, destaca-se também o papel secundário dos políticos do grupo nas redes sociais. O governador de São Paulo, João Doria, conseguiu certo protagonismo ao antagonizar com Bolsonaro no caso das vacinas. Naquela ocasião, a popularidade digital de Doria deu um salto, mas logo recuou para um patamar mais baixo. O mesmo ocorreu com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, outro presidenciável do PSDB. Um relatório da AP Exata, empresa especializada na análise de dados de redes sociais, mostra que Leite bombou na internet no dia seguinte à entrevista em que assumiu a sua homossexualidade, chegando a alcançar 26,8% das menções feitas a presidenciáveis nas redes sociais, superando inclusive Lula (14,3%). A maioria delas foi positiva. Depois, no entanto, o governador retornou ao nível rotineiro de menções, atingindo um índice de apenas 0,3%.

No estratégico campo das redes sociais, Bolsonaro e Lula também sobressaem. Os demais estão muito atrás e não têm nem mesmo um discurso claro — e de apelo — para vender à audiência. “O político que quiser se consagrar vai ter de investir nas redes”, afirma o CEO da AP Exata, Sergio Denicoli. Para políticos da direita à esquerda, a economia será decisiva para as chances de um candidato alternativo e para o resultado da eleição. Em seu pior momento desde que assumiu o mandato, Bolsonaro sabe disso e determinou à sua equipe que abra os cofres públicos e faça o que for possível para acelerar a recuperação econômica. “A economia pode não salvar o Bolsonaro a ponto de ele ganhar a eleição, mas pode salvá-lo no sentido de impedir o surgimento de uma terceira via competitiva”, declara o cientista político Sérgio Praça, da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Nem todo mundo, no entanto, é bem-vindo na busca por uma alternativa. Na quarta-feira 25, a deputada Margarete Coelho (Progressistas-PI) finalizou o projeto de lei do novo Código Eleitoral e incluiu de última hora, num texto de 371 páginas, um dispositivo que determina quarentena de cinco anos para juízes, promotores e militares que pretendam se afastar das funções e disputar o voto popular nas urnas. Se aprovada, a regra tem um alvo certo: ela proibirá a candidatura de Sergio Moro, que condenou Lula à cadeia e deixou o governo Bolsonaro acusando o antigo chefe de interferir indevidamente na Polícia Federal. Como o ex-juiz pediu a exoneração do cargo em novembro de 2018 para assumir o posto de ministro da Justiça de Bolsonaro, ele só poderia concorrer em 2023. “Foi um pedido de vários partidos, é um apoio suprapartidário à proposta”, diz Margarete, cuja iniciativa contou com o apoio de legendas de diferentes matizes ideológicos.

A deputada é do Progressistas, o mesmo partido do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e do presidente da Câmara, Arthur Lira. Os três são próceres do Centrão, que aderiu ao governo e promete apoiar Bolsonaro em 2022. Até essa situação, no entanto, pode mudar. O cientista político Antonio Lavareda argumenta que Bolsonaro pode enfrentar mais dificuldades eleitorais caso insista na estratégia de esticar a corda, como fez no caso do voto impresso e das ameaças a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Uma das consequências poderia ser o aprofundamento da perda de apoio entre setores do PIB que o ajudaram em 2018. “Do lado do mercado e das elites, só aprofunda o distanciamento de Bolsonaro, agora não só um personagem complicado, como também um mais que provável perdedor. Essas forças buscarão e estimularão outra solução”, diz Lavareda. Já Paulo Kramer afirma que o presidente tende a se recuperar com o arrefecimento da pandemia, a recuperação econômica e o fortalecimento da articulação política do governo. “O que pode salvar Bolsonaro é a economia e a capacidade dele de mostrar que, sem ele, o PT volta ao poder”, declara Kramer. Com chances, pois ainda falta uma eternidade até a eleição, uma terceira via terá de convencer o eleitor de que o Brasil não precisa necessariamente nem de um nem de outro.

Veja

 

Opinião dos leitores

  1. Percebe-se que você é um lulista mesmo ao fazer tal conclusão… mesmo pensamento tosco dos bolsonaristas…

  2. As pesquisas não colou?estão moldando com a indecisos! Esperando as próxima narrativa. Vem logo 2022 minhas mãos estão tremendo pra votar em Bolsonaro.

    1. Vai perder o voto… e se não surgir um nome forte da 3a via o Luladrão vai se eleger. Só não enxerga quem não quer…

  3. Parece que não colou dizer que o nove dedos era líder nas pesquisas. Agora começou uma nova mentira. Dia 7 veremos o desmascaramento dessa narrativa.

  4. Resumindo a matéria para quem tem preguiça de ler contorciinismos de redação: LULA VAI VENCER COM FOLGA NO PRIMEIRO TURNO 🇧🇷🇧🇷🇧🇷
    Atentai Brasil😂😂😂😂😂

    1. Pra quem lê e não consegue entender, ou não lê, você está certíssimo, igualmente a ter certeza que luladrão é inocente. Não é que você está errado, você é apenas um estúpido mamulengo adorador de corruptos criminosos!

  5. A mídia e os seus financiadores (setores dominantes) encontraram a terceira via. Irão publicar pesquisas onde Lula perde para os indecisos, já que não encontraram candidatos capazes de fazer frente ao candidato do PT. Os indecisos para presidente. Nesse país da esculhambação como forma de vida e de gestão, isso não é uma piada pronta, mas manipulação rasteira para tentar desmoralizar o pleito. Mais uma tentativa golpista da mídia financiada de ajudar a classe dominantes de não deixar que as forças progressistas voltem ao poder. A mídia financiada acaba de lançar os indecisos para presidente. Agora vai? Vai não.

    1. Bolsonaristas e lulistas são todos incapazes de fazer uma leitura correta da situação política… da pena…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

PESQUISA 6SIGMA: Bolsonaro tem 35,7% contra 29,4% de Lula

Foto: Reprodução

Se as eleições presidenciais fossem hoje, o atual presidente da república, Jair Bolsonaro, sairia na frente do ex-presidente Lula no primeiro turno do pleito, de acordo com pesquisa divulgada pelo grupo de consultoria 6Sigma, sediado em Campina Grande, na Paraíba. O levantamento foi divulgado na noite desta segunda-feira (16) e mostra os dois políticos polarizando a disputa, mas com um empate dentro da margem de erro.

De acordo com os números, em um cenário de primeiro turno, o presidente Jair Bolsonaro teria 35,7% das intenções de voto, enquanto Lula (PT) aparece com 29,4%. Eles seriam seguidos por Ciro Gomes (PDT), com 8,1%, João Dória (PSDB) com 5,3%, Mandetta (DEM), 3,3% e Datena (PSL), 2,5%.

Ainda de acordo o levantamento, outros candidatos somam 1,3%, enquanto brancos e nulos são 9,4%. Não sabem, 4,7% e não informaram, 0,5%.

Foto: Reprodução

Segundo Turno – No segundo turno, de acordo com a 6Sigma, o ex-presidente Lula teria 41,6% das intenções de voto, enquanto o presidente Jair Bolsonaro ficaria com 40,5%, portanto empatados dentro da margem de erro. Confira os gráficos abaixo:

A pesquisa foi realizada com 1 mil pessoas em 169 municípios brasileiros entre os dias 05 e 13 de agosto. O levantamento ocorreu de forma presencial e por telefone. A margem de erro é de 3,1%. A empresa também mostra a avaliação do Governo Federal e a rejeição dos prováveis candidatos à Presidência da República. Para conferir a pesquisa na íntegra clique aqui.

Sediado em Campina Grande, o grupo 6Sigma é uma agência de consultoria especializada em pesquisa de mercado, eleitoral, avaliação, recall, imagem, e audiência. Em 2008, a empresa se destacou no cenário paraibano ao realizar a pesquisa boca de urna com bastante precisão e apenas 0,16% de erro.

Blog do BG PB com Polêmica Paraíba

Opinião dos leitores

  1. Só vota em no ex presidiário quem se identifica com bandidos.
    Sou Bolsonaro e toda minha família.

  2. Estou com os números de uma pesquisa realizada no Bar do Fred, em Alexandria-RN, os números são bem diferentes dessa pesquisa do ‘Instituto’ da nossa querida Campina Grande-PB.

    *Pesquisa Bar do Fred.*
    Votos Válidos
    Lula—————76
    Bolsonaro——-8
    Ciro—————-6
    Dória————–2
    Moro————–2
    Mandetta——–2
    Outros————4

  3. Se esse jumento chamado Bolsonaro ganhar de novo, o Brasil vai se tornar a maior catástrofe… Esse homem é altamente despreparado pra ser um presidente de qualquer país. Fora seu incompetente, cagão e genocida .

  4. Outra mentira.
    Bolsonaro tem no mínimo 70%.
    Vcs vão vê.
    Isso se abrirem a sala secreta daqui pra lá.
    Do contrário pode ser roubado na opinião de milhares de brasileiros.

  5. O afeganistão seria um ambiente ideal para os bichos de chifres. Comandado por milicianos, sem supremo e tudo em nome de Deus e da família.

  6. A campanha presidencial para o palacio do planalto na próxima eleição geral de 2022,com absoluta certeza haverá
    segundo turno entre os dois doctores Bolsonaro e Lula e não se enganem com o poderío do homem sofisticado,avançado e a frente do seu tempo do PSDB do estado do RS e do grupo Globo,o pré-candidato Gaucho possui uma altissima chance numérica de precisión de surprender quando a campanha se afunilar e dele ficar em terceiro lugar nas pesquisas e durante a contagem numerica dos votos nas urnas do primeiro turno da eleição de 2022.

  7. Como pode uma pesquisa que saiu hoje dando vitória (próxima do primeiro turno) para o Lula e outra dando derrota do Lula? Sem contar que todas as últimos pesquisas de vários institutos já vem apontando vitória de Lula a algum tempo. Será pesquisa para alimentar os bichos de chifres?

  8. Pesquisa XP: Lula e Ciro ampliam vantagem sobre Bolsonaro em 2° turno
    Ex-presidente e ex-ministro venceriam com mais de 10 pontos o atual presidente em uma eventual disputa ao Planalto

  9. Lula esmaga Bolsonaro: 40% a 24%
    A vantagem de Lula sobre Jair Bolsonaro aumentou ainda mais na nova pesquisa da XP. O blog, caracterizado por sua imparcialidade, não ficou sabendo da pesquisa da XP.
    Bolsonaro vai ganhar em 2022… A do burro.

  10. Gado véio só acredita em notícia/pesquisa divulgada pelo Bozo bocó. Essa matéria vai bombar nós comentários dos animais de cabresto. Vai direta honesta e caligula, venham vociferar inverdades… Só para eu rir… Me façam esse favor.

    1. Pode botar 1000 advo-gados. Bob Jeff vai tirar mais uns dias, sem querer, de férias numa colônia penal.

    1. Pesquisa realizada no Bar do Fred, em Alexandria-RN tem os números bem diferente do ‘Instituto’ da nossa querida Campina Grande-PB.

      Pesquisa Bar do Fred.

      Votos Válidos
      Lula——————74
      Bolsonaro———–8
      Ciro——————–6
      Dória——————4
      Moro——————2
      Mandetta————2
      Outros—————-4

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Pesquisa do Instituto Paraná mostra empate técnico entre Lula e Bolsonaro na corrida presidencial

Foto: Montagem

Levantamento divulgado pelo Instituto Paraná Pesquisas nesta quinta-feira (29) traz o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) empatados tecnicamente na corrida presidencial de 2022 em três dos quatro cenários avaliados. No quarto cenário, Lula está um pouco à frente de Bolsonaro fora da margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Na simulação de segundo turno, Lula venceria Bolsonaro.

Veja os números do levantamento da Paraná Pesquisas:

Primeiro turno

Cenário 1

Lula (PT): 33,7%
Bolsonaro (sem partido): 32,7%
Datena (PSL): 7%
Ciro Gomes (PDT): 6,8%
João Doria (PSDB): 3,9%
Mandetta (DEM): 1,8%
Simone Tebet (MDB): 0,7%
Rodrigo Pacheco (DEM): 0,6%
Nenhum/Branco/Nulo: 9,4%
Não sabe/Não respondeu: 3,3%

Cenário 2

Lula (PT): 33,8%
Bolsonaro (sem partido): 32,8%
Datena (PSL): 7%
Ciro Gomes (PDT): 6,9%
João Doria (PSDB): 4,3%
Mandetta (DEM): 2,1%
Nenhum/Branco/Nulo: 9,6%
Não sabe/Não respondeu: 3,4%

Cenário 3

Lula (PT): 33,9%
Bolsonaro (sem partido): 32,8%
Ciro Gomes (PDT): 7,3%
Datena (PSL): 7,2%
Eduardo Leite (PSDB): 2,7%
Mandetta (DEM): 2,6%
Nenhum/Branco/Nulo: 10%
Não sabe/Não respondeu: 3,5%

Cenário 4

Lula (PT): 39,5%
Bolsonaro (sem partido): 34,2%
Datena (PSL): 11,8%
Nenhum/Branco/Nulo: 11%
Não sabe/Não respondeu: 3,4%

Segundo turno

Bolsonaro x Lula

Lula (PT): 43,3%
Bolsonaro (sem partido): 38,2%
Nenhum/Branco/Nulo: 15%
Não sabe/Não respondeu: 3,4%

Bolsonaro x Datena

Bolsonaro (sem partido): 38,4%
Datena (PSL): 35,5%
Nenhum/Branco/Nulo: 22,3%
Não sabe/Não respondeu: 3,8%

Lula x Datena

Lula (PT): 43,1%
Datena (PSL): 31,5%
Nenhum/Branco/Nulo: 22,3%
Não sabe/Não respondeu: 3%

Metodologia da Paraná Pesquisas

O Instituto Paraná Pesquisas ouviu 2.010 eleitores entre os dias 24 e 28 de julho. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Gazeta do Povo

 

Opinião dos leitores

  1. Isso é um medo grande de Moro. Não colocam nem o nome do único herói nacional nas pesquisas. Quando ele formalizar a candidatura não vão escamotear a verdade.

  2. Comparada com a pesquisa anterior do mesmo Instituto, a vantagem do ex-presidente Lula aumentou; o pior cego é aquele que não quer vê…

  3. o que houve, estava 90% a 10% para o molusko ladrão como agora estar empatado, será que vai ter o voto impresso??????? , se tiver a virada vai ter logo logokkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    1. Por isso que vc usa o nome de boi? Kkkkkkk, xexeu não combina bicho de chifre, nessas pesquisas ninguém acredita, quero ver a rua.

  4. Nesta é mais fácil acreditar. Empate técnico é razoável. Espero que o Presidente melhore daqui prá frente.

    1. Significa que se Bolso tomar 1/20 dos eleitores de Lula e incorporar aos seus, com o piso de popularidade ficando para trás, ganha fácil.

    2. Para ser mais exato 1/20 seria 5%. Na verdade, se pegar só os votos válidos, como a relação é pendular (onde um perde e outro ganha), basta que Bolso pegue 6% (e não 5%) dos votos de Lula e incorporá-los (sem perder os que já tem). Mas é uma tendência, Lula não tem muita capacidade de gerar fato novo. Bolso tá saindo da pior crise em décadas, com a vacinação avançando, bons números de emprego saindo e a nova versão do Bolsa Familia no forno.

  5. A boiada pira…
    obs: não foi este instituto que divulgou uma pesquisa pró-Bolsonaro feita em SC (estado mais pró-Bolsonaro do Brasil) como se fosse nacional ?!

  6. Pesquisa feita no vivendas da barra, só pode.
    O Presidente Lula resolve no 1º turno…
    É hoje que o bunda suja vai mostrar as “provas” né?
    Me preparar para rir bastante.
    Esse miliciano é uma chacota eterna.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

PESQUISA EXAME/IDEIA: Saúde de Bolsonaro faz com que avaliação negativa do governo diminua, inclusive, no nordeste

Fotos: Reprodução/AFP/Exame

Desde a última quarta-feira, 14, o presidente Jair Bolsonaro está internado para o tratamento de uma obstrução intestinal. Ele recebeu os primeiros atendimentos ainda em Brasília, e logo foi transferido para São Paulo, para mais exames e avaliar a possibilidade de cirurgia. Antes mesmo de pegar o avião rumo à capital paulista, ele postou uma imagem em suas redes sociais, deitado na maca, e ligado a vários equipamentos médicos.

A cena influenciou os últimos números da pesquisa EXAME/IDEIA de avaliação de governo. Para 51%, Bolsonaro é ruim ou péssimo. Na sondagem feita há uma semana, este número estava em 57%, o mais alto desde o começo do mandato, em 2019. Os que avaliam o governo como ótimo ou bom saíram de 20% para 26%. Os que avaliam como regular eram 22% na pesquisa do dia 8 de julho, e agora são 20%.

A pesquisa EXAME/IDEIA ouviu 1.258 pessoas entre os dias 12 a 15 de julho. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares. A sondagem é um projeto que une EXAME e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Maurício Moura, fundador do IDEIA, destaca que o estado de saúde de Bolsonaro influenciou a opinião pública. Ele ainda lembra de outros casos em que um chefe do Executivo passou por problemas médicos, ou precisaram ser internados, e a percepção das pessoas sobre o governo mudou.

“Percebemos uma sensação mais positiva dos entrevistados em função da internação do presidente. Vale ressaltar que os chefes de Estado quando hospitalizados melhoram sua popularidade. Exemplos recentes são o Boris Johnson, no Reino Unido, e o próprio Donald Trump, que apesar da derrota na eleição, subiu nas pesquisas quando teve covid-19. Sem mencionar as melhorias históricas de Ronald Reagan, quando foi operado após o atentado, e Dwight Eisenhower, depois de sofrer um ataque cardíaco”, afirma.

Essa mudança na avaliação foi sentida principalmente na região Sudeste, onde concentra a maior parte do eleitorado. Há uma semana, 57% dos moradores de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo achavam o governo ruim ou péssimo. Agora, este número é de 49%.

Mesmo no Nordeste, onde Bolsonaro costuma ter as maiores rejeições, os números mudaram. Na pesquisa do dia 8 de julho, 67% avaliavam Bolsonaro como ruim ou péssimo. Na mais recente sondagem EXAME/IDEIA, eles são 58%.

Entre os evangélicos, a parcela que mantém o apoio ao governo Bolsonaro desde o início do mandato, também houve uma variação do sentimento negativo. Há uma semana, 52% avaliavam o governo como ruim ou péssimo, e 37% como ótimo ou bom. Na pesquisa desta sexta-feira, 36% acham o trabalho do presidente ótimo ou bom, e outros 36% como ruim ou péssimo. Os que avaliam como regular saíram de 9% para 25%.

Estado de saúde de Bolsonaro

No último boletim médico divulgado pela Secretaria Especial de Comunicação Social, o presidente Bolsonaro segue internado no Hospital Vila Nova Star, e não tem previsão de alta hospitalar. “Bolsonaro está mantendo evolução clínica satisfatória. Desta forma, foi retirada a sonda naso-gastrica e planeja-se o início da alimentação para amanhã [sexta-feira]”, diz a nota enviada pelo governo.

O presidente já precisou fazer quatro cirurgias em decorrência da facada que sofreu durante a campanha eleitoral de 2018. Os dois primeiros procedimentos foram realizados logo após o atendimento de emergência, por conta de lesões nos intestinos grosso e delgado. Bolsonaro ainda fez mais duas operações, no começo e no fim de 2019.

Exame

 

Opinião dos leitores

  1. O fato é que os jagunços digitais do PT, podem esperniarem, vcs tem todo direito, mas que o véi Bolsonaro ta reeleito em primeiro turno tá.
    Na hora de votar, o povo não vota em ladrão!!
    Vcs vão vê.

  2. O presidente já tem 66 anos e sofreu um atentado à faca, perpetrado por um maluco esquerdopata (ex filiado ao PSOL), que deixou sequelas. É um bocado de dementes sem caráter vivem insinuando que foi tudo farsa, envolvendo um monte de gente, incluindo vários médicos e hospitais de renome. Tem que ter muita paciência e evitar proximidade com elementos desse nível.

    1. Vc está entre os “leprosos”. Quanto maior a distância, melhor.

  3. Vejam a avaliação dessa grande mídia imunda. Por que essa pseuda melhora na avaliação não teria relação com a vacinação, com o fim da pandemia, com o bom desempenho da economia, com o fracasso dessa CPI fajuta, com a percepção da perseguição que sofre o presidente, dentre outras coisas? Há muitos motivos para se exaltar o governo Bolsonaro.

  4. CONVOCO TODOS OS PATRIOTAS A SE JUNTAREM A MIM NUMA GREVE DE FEZES EM SOLIDARIEDADE AO PRESIDENTE! SÓ IREMOS AO BANHEIRO NOVAMENTE QUANDO ELE ESTIVER SAUDÁVEL EM CASA!!!

    💩🇧🇷

  5. É melhor ir providenciando mais BOSTA…kkkkkkk
    Vá acumulando m*rda para a época dos debates……kkkkkk

  6. Povo burro é assim mesmo. Se lascando todo dia e com peninha do traste. Fácil demais enganar o brasileiro, não é a toa que estamos até o pescoço dentro dessa fossa.

    1. Vc deve estar falando do RN e do caótico desgoverno de Fátima do PT. Realmente, precisamos nos livrar desse traste antes que acabe com o que ainda resta do estado.

  7. Foco no que interessa: a corrupção no MS, que pelos últimos fatos apurados, não se limitou à compra da vacina, mas também ao transporte, com Lira, Barros e Eduardo Bolsonaro. Melhor Bozo permanecer internado mais um tempo.

  8. Quem tem pena de um verme desses?
    Mimimi da porra, parece um bando de maricas!
    Até o ano que vem, vai ser uma facada por mês e umas 3 caganeiras.

  9. Hahaha então já pode ficar internado até às próximas eleições, pois o tal do ‘solução’ em alguma hora vai ter que parar, né ? Mas a inflação…..

  10. Vai tenta usa os corpo como vez em 2018 um sacana de última categoria mais genocida o povo acordou viu chega de tanto descaso em enganar a população

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

PESQUISA EXAME/IDEIA: Lula tem 23% contra de 16% de Bolsonaro nas intenções de voto em 1º turno, enquanto no 2º turno, petista tem 12 pontos de vantagem sobre o atual presidente

(Fotos: Charles Platiau/Reuters e Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) abriu uma vantagem de 12 pontos percentuais em relação ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em uma simulação de segundo turno para as eleições de 2022. De acordo com os dados da mais recente pesquisa EXAME/IDEIA, o petista teria 46% das intenções de voto, e Bolsonaro aparece com 34%.

Na última sondagem, feita no dia 25 de junho, Lula aparecia em primeiro lugar enfrentado o atual presidente, mas dentro da margem de erro, que é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa EXAME/IDEIA ouviu 1.200 pessoas entre os dias 5 e 8 de julho. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares. A sondagem é um projeto que une EXAME e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública.

Foto: (Arte/Exame)

Assim como nas três pesquisas anteriores, Lula venceria em todas as simulações de segundo turno, caso as eleições fossem hoje. O candidato que tem uma diferença mais apertada com Lula é Ciro Gomes. O pedetista teria 33% das intenções de voto, ante Lula, com 41%. Diferentemente de outras sondagens, o ex-juiz Sergio Moro deixou de aparecer como um rival que poderia enfrentar o petista em um segundo turno, como explica Maurício Moura, fundador do IDEIA.

“É bastante interessante mostrar que Lula passou a ser competitivo também contra o ex-juiz Sergio Moro, abrindo uma larga diferença numa simulação de segundo turno. Isso representa não só fortalecimento do sentimento anti-Bolsonaro na figura do ex-presidente, mas também o desaparecimento no imaginário da opinião pública do ex-juiz Sergio Moro”, avalia.

Segundo turno com Lula

Foto: (Arte/Exame)

Segundo turno com Bolsonaro

Foto: (Arte/Exame)

No primeiro turno, Lula amplia vantagem

Na simulação de primeiro turno, o ex-presidente Lula tem uma vantagem de sete pontos percentuais em relação ao segundo colocado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em em uma pergunta espontânea – sem que os nomes sejam apresentados previamente – o petista aparece com 23% das intenções de voto, Bolsonaro com 16%, Ciro Gomes (PDT) com 4%, e João Doria (PSDB) com 2%. Sergio Moro (sem partido) também aparece com 2%. Luiz Henrique Mandetta (DEM), Tasso Jereissati (PSDB), e João Amoedo (NOVO) teriam 1% cada.

Foto: (Arte/Exame)

Na pesquisa feita no dia 25 de junho, a distância entre o petista e o atual presidente era menor, com Lula na frente (22%) e Bolsonaro logo atrás (19%). Além da diferença entre os dois ser maior na pesquisa publicada nesta quinta-feira, 8, Maurício Moura, fundador do IDEIA, destaca ainda que é alta a parcela de pessoas que não sabe em quem votar: 48%.

“Isso mostra que metade da população ainda não está com a cabeça na eleição presidencial. Temos dois polos muito consolidados, com Lula e Bolsonaro, mas continuamos com a maioria da população ainda distante do pleito presidencial”, diz Moura.

A pesquisa também fez o teste de forma simulada, em que os candidatos são apresentado de antemão aos entrevistados. Os cenários colocaram Ciro Gomes, um candidato do PSDB (Doria, Eduardo Leite ou Tasso Jereissati) e o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM).

Em todos os quadros, Lula estaria em primeiro, oscilando entre 41% e 43%. Já Bolsonaro variaria de 33% a 35%. Ciro teria uma variação de 10% a 13%. Os candidatos do PSDB vão de Doria, com 8%, passando por Tasso, com 6%, e Leite, com 5%. Mandetta teria 5%.

“Percebemos nas nossas pesquisas que o Ciro Gomes tem se consolidado no terceiro lugar, com a intenção de voto na casa dos dois dígitos. Depois temos no mesmo patamar estatístico: Tasso Jereissati, Eduardo Leite e João Doria”, avalia Maurício Moura.

A pesquisa é a primeira após o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, se assumir gay. Apesar dele ter aumentado a sua base de seguidores nas redes sociais, a revelação não interferiu significativamente nas intenções de voto.

Com Exame

 

Opinião dos leitores

  1. Isso é nada mais nada menos que “ensaios” para convencimento e justificativas para fraudes nas urnas eletrônicas(atuais).
    Vai vendo…

  2. .. Eu já vi esse filme !! ( o Ibope acabou dessa forma ) … faltando uma semana para eleição de 2022 fica mais próxima da realidade .. o resto é campanha eleitoral da mídia

  3. Pense num desespero do gado. Eles não veem a rejeição do presidente cagado de corrupção, como ele mesmo disse, porque eles vivem na Gadolândia. Lula e o PT são duas porcarias também, mas se vota no Lula para tirar essa porcaria maior da presidência. Humilha a inteligência dos verdadeiros brasileiros! Quando as pesquisas aqui mostravam o Bozo na frente, ai a pesquisa vale, ai o Mito é 1° turno, reverteu agora é fraude e mentira! Chupa que o choro é livre!!!!

  4. O maior cabo eleitoral de Lula são os bolsonaristas. Como faz 11 anos que Lula saio do governo e eles ficam compartilhando suas bobagens, faz o povo lembrar daquela época e qd se vê na situação atual, fica fácil escolher. Pense num povinho “distraído.”

  5. Lulaladrao e os petralhas vão ganhar a eleição de 2022 e a culpa será de quem? Do MINTOmaníaco das rachadinhas… Parabéns MINTOmaníaco! Por fazer um governo tão pífio e com muita corrupção também, Vc conseguiu ressuscitar o pior do Brasil!

  6. Pesquisas fajutas.
    Ninguém acredita nisso só os tontos que adora ladrão.
    Bolsonaro tá estourado essa a verdade.
    Não exister fatos novos.
    Só narrativas e fofocas que duram no máximo 02 dias, depois logo logo cai e se percebe cachorradas.
    O povo tá ON.

    1. Tá estourado de CORRUPÇÃO!
      Ele e toda família…enriqueceram tomando o dinheiro dos funcionários.
      Acostume-se…seu mito tem os pés de b*sta, digo, de barro.

    2. Mentira nada. Votei nesse Bozo maldito, nunca mais vê meu voto, nem ele nem os pilantras que o seguem.

  7. É melhor o gado procurar outro charlatão, o Presidente Lula já vai resolver no 1º turno e o Brasil vai ser feliz de novo!

  8. Nesse momento seria mais esclarecedor e transparente sondar os índices de rejeições de todos os candidatos, no mais é somente satisfazer quem paga a pesquisa. Como quem tem dinheiro e está tentando recuperar seus apoiadores são luladrão e tonho da lua, nunca divulgam pesquisas com as rejeições, se fossem feitas, eles entrariam na zona da degola. Coisa de Brasil pra fazer a população de idiotas.

  9. Não adianta divulgar essas pesquisas fraudadas, é a mesma coisa de chamar o povo Brasileiro de trouxa, não se acredita mais nisso. A realidade é bem diferente nas ruas, nas cidades nos bairros, nas famílias, no povo em geral. O Brasil acordou !

  10. Já assisti a esse filme antes, o 1, agora em 2022, será lançado o 2. Gostei muito do final, mas o enredo é ruim, e mentiroso.

    1. Segue o plano para falsificar as eleições de 2022, só não conseguem que o ladrão vá as ruas e tenha as multidões como tem Bolsonaro, VOTO IMPRESSO AUDITAVEL UNICA FORMA DE TER LISURA NAS ELEIÇÕES.

  11. Então as pesquisas indicam que a maioria dos brasileiros irão votar em um presidiário? Que a maioria dos brasileiros apoiam a corrupção ? Devemos fazer pesquisas independentes.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pesquisa realizada pela UFRN, Fiocruz e Sesap observa circulação de duas novas variantes da covid-19 no RN

Raissa Pereira e Maria Eduarda Dantas são autoras da pesquisa – Foto: Arquivo pessoal

Estudo revela que duas novas variantes do SARS-CoV-2, causador da covid-19, circularam no Rio Grande do Norte: a B.1.1.74 (Alpha), Variante de Preocupação (VOC) e a B.1.212. A pesquisa realizada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz/RJ) e Secretaria de Saúde Pública do RN (Sesap), foi feita partir do sequenciamento do genoma do SARS-CoV-2 detectado em vários municípios potiguares de julho de 2020 a maio deste ano. Até o momento, foram sequenciados 94 genomas de 94 casos.

Apesar de terem sido descritas pela primeira vez no RN, essas variantes são oriundas de outros locais. A B1174, por exemplo, surgiu no Reino Unido. No entanto, é preciso ficar alerta, pois todas as VOCs oferecem riscos sérios à saúde. Além dessas variantes, os pesquisadores afirmam que foram identificadas por aqui as variantes B.1, B.1.1, B.1.1.28, B.1.1.33, N.9, P.1 (Gamma) e P2 (Zeta), sendo a linhagem P.1 (VOC) a variante mais frequente identificada atualmente no estado.

Coordenada pelo pesquisador Josélio Araújo, professor do Departamento de Microbiologia e Parasitologia (DMP) do Centro de Biociências (CB) da UFRN e pesquisador do Instituto de Medicina Tropical da UFRN (IMT), a pesquisa tem duas autoras: Raissa Pereira e Maria Eduarda Dantas, ambas bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do DMP/UFRN. O próximo passo da pesquisa será fortalecer a Vigilância Genômica do SARS-CoV-2 no Rio Grande do Norte e realizar a análise filogenética das variantes circulantes aqui no estado.

Precauções

O professor Josélio Araújo explica que, com a circulação da Variante de Preocupação P.1 (Gamma) no estado, é importante a manutenção das medidas preventivas como adesão à vacina, utilização de máscaras, higienização das mãos e distanciamento físico, por exemplo.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as Variantes de Preocupação do SARS-CoV-2 são associadas a uma ou mais alterações em um grau de significância para a saúde pública global, como aumento da transmissibilidade, aumento da virulência ou mudança na apresentação clínica da doença, diminuição da eficácia das medidas sociais e de saúde pública ou diagnósticos, vacinas e terapias disponíveis.

Com UFRN

Opinião dos leitores

  1. São 2 variantes , PT e PSOL , destruem empregos , preferem construir estádios ao contrário de hospitais, doam dinheiro público para países ditadores,

    1. Vixe, essas variantes são destruidoras e corrompem cérebros, o único imunizante é, Bolsonaro neles.

    2. É só escrever a palavra PESQUISA no título da matéria que vocês já ficam batendo cabeça, desnorteados e ávidos a esculhambar. Relaxa, Minions. Vocês ainda tem um ano e meio para curtir o seu GENOCIDA CORRUPTO. Depois, vazem!!!!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

PESQUISA CNT/MDA – Governo Bolsonaro: 48,2% reprovam, 27,7% aprovam e 22,2% consideram regular

FOTO: FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

O governo do presidente Jair Bolsonaro é considerado “ruim ou péssimo” por 48,2% dos brasileiros, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (5) pela CNT (Confederação Nacional do Transporte).

O resultado corresponde a um crescimento de 12,7 pontos percentuais na reprovação da gestão do presidente em relação ao levantamento anterior, divulgado em fevereiro, quando 35,5% desaprovavam o governo.

O estudo aponta ainda para uma queda, de 32,9% para 27,7%, no percentual da população que julga o governo como “bom ou ótimo”. Há ainda 22,2% que valiam a gestão como “regular”. Outros 1,4% não souberam ou não quiseram responder.

A pesquisa CNT foi realizada em parceria com o Instituto MDA, com 2.002 entrevistas presenciais, em 137 municípios de 25 Unidades da Federação. A margem de erro do levantamento é de 2,2 pontos percentuais, com nível de confiança de 95%.

Desempenho pessoal

A pesquisa também questionou os entrevistados sobre o desempenho pessoal do presidente Jair Bolsonaro. Entre as respostas, 62,5% disseram reprovar o presidente e outros 33,8% afirmaram aprovar. 3,7% não souberam ou não quiseram responder ao questionamento.

Com R7

Opinião dos leitores

  1. Esse Bolsonaro foi a minha maior decepção, pois fez exatamente o contrário do que prometeu. Vou votar nulo.

  2. Eu me preocupava se Bolsonaro estivesse muito na frente.
    Tá tudo normal!!!
    Não ganha de ninguém e toma posse.
    É show papai!!!
    Lembrando que o ibope quebrou.
    Rsrsrs

  3. Esses institutos de “pesquisa” ainda acham que o Povo é idiota em acreditar nessa pesqui$a$……….É Bolsonaro no 1º turno magote de idiotas!!!!

  4. Eu acho que o índice de reprovação desse governo das rachadas, passa de 65%…
    Tem muito gado 🐄 arrependido.

  5. É pessimo o governo desse homem : um desastre no combate à pandemia ( mais de 500 mil mortes,) corrupção, rachadinhas, fake news, saídas e entradas de ministros ( instabilidade no governo ) irresponsabilidade, reformas que só ferram a classe trabalhadora, desemprego , muita carestia nos gêneros alimentícios ( comer carne é algo raro para o pobre , ) , gasolina os olhos da cara … affffff até cansei de elencar tanta coisa ruim .

  6. Pesquisa esquerdistaaa kkkkk a casa ta caindo cada dia mais… se continuar assim n vai nem pro segundo turno com o Luladrao.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Pesquisa CNT/MDA: Lula lidera com 41,3%, Bolsonaro tem 26,6%; em 2º turno, presidente perderia para petista e Ciro Gomes

(Foto: Miguel Schincariol e Evaristo Sá/AFP)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera o cenário eleitoral para 2022, com 41,3% das intenções de voto, segundo nova pesquisa eleitoral da Confederação Nacional do Transporte (CNT/MDA), divulgada nesta segunda-feira, 5. Na sequência, aparecem o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com 26,6%, Ciro Gomes e Sérgio Moro empatados, com 5,9%, e João Dória, com 2,1%.

Brancos, nulos e indecisos somam 16,4% das intenções de voto. Os dados se referem à pesquisa estimulada de intenção de voto dos eleitores – quando são apresentados, ao entrevistado, opções de candidatos. Foram realizadas 2.002 entrevistas presenciais, em 137 municípios de 25 Unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, com 95% de nível de confiança.

Voto espontâneo:

Lula (27,8%),
Jair Bolsonaro (21,6%)
Ciro Gomes (1,7%)
Sérgio Moro (0,7%)
João Dória (0,7%)
Outros (1,5%)
38,9% dos entrevistados estão indecisos em relação ao voto para presidente em 2022.

Já na coleta espontânea (sem as indicações dos candidatos), Lula soma 27,8% da preferência popular, enquanto Bolsonaro teve 21,6% das citações. O número de indecisos no modelo ficou em 38,9%. Ciro (1,7%), Moro (0,7%) e Doria (0,7%) foram lembrados em menores proporções.

Voto estimulado:

Lula (41,3%)

Jair Bolsonaro (26,6%)

Ciro Gomes (5,9%)

Sérgio Moro (5,9%),

João Dória (2,1%),

Henrique Mandetta (1,8%),

branco/nulo (8,6%) e indeciso (7,8%).

Em caso de 2º turno, o presidente perderia para Lula e Ciro:

2º Turno: Lula x Bolsonaro

Lula (52,6%)
Jair Bolsonaro (33,3%%)

2º Turno: Ciro x Bolsonaro

Ciro (43,2%)
Jair Bolsonaro (33,7%)

Sobre as eleições para presidente da República para o próximo ano, 40,3% entrevistados preferem que Lula ganhe as eleições e volte a ser presidente, enquanto 25,1% preferem que Jair Bolsonaro ganhe as eleições e continue por mais 4 anos. Outros 30,1% preferem que algum candidato que não seja ligado a Jair Bolsonaro, nem a Lula ganhe as eleições para presidente.

Do total de entrevistados, 45,1% consideram ser mais importante para as eleições para presidente da República no próximo ano Jair Bolsonaro não ser reeleito, enquanto 27,7% consideram mais importante Lula não ser eleito. Outros 21,2% não concordam com nenhuma das opções anteriores.

Com Bolsonaro candidato a presidente no ano que vem, 22,8% disseram que votariam nele com certeza e 11,6% disseram que poderiam votar nele. Por outro lado, 61,8% disseram que não votariam do mandatário para presidente de jeito nenhum e 0,4% disse não conhecê-lo ou saber quem é.

Se o ex-presidente Lula for candidato a presidente em 2022, 35,4% disseram que votariam nele com certeza e 17,1% disseram que poderiam votar nele. Por outro lado, 44,5% disseram que não votariam nele para presidente de jeito nenhum e 0,1% disse não conhecê-lo ou saber quem é.

O levantamento também traz a avaliação do governo Bolsonaro, além de opinião sobre tipos de urna eleitoral. A pesquisa traz ainda a percepção da população sobre questões relacionadas à situação do país para emprego, saúde, educação e segurança pública. Os dados indicam, ainda, a visão dos entrevistados em relação à avaliação do ensino remoto e a opinião sobre o retorno às aulas com o avanço da vacinação.

O Povo

Opinião dos leitores

  1. engraçado e que nunca fui entrevistado por nenhuma pesquisa dessa e tb não conheço ninguém que já foi. ou seja e GOPI…..KKKKKKKKK

  2. Outra piada kkkk pequena pesquisa paga … até quando vai ter dólar os Marinho da Globo. Tá na hora de congelar para receber a dívida da receita federal da Globo. Essa quantia dava para aumentar 15% Fies na educação ou fazer reforma em UBS em todo país.

  3. Parece que a segunda-feira para o besta-fera do bozo não está das melhores…
    Lula no 1º turno, rachadas escancaradas, CPI…

    1. De rachadas eu entendo Kkkķ
      Rachadas é com o tio Calígula.

    2. Titia, ele disse rachadas, não brochadas, que é do que você entende. kkkkkkkk

  4. O VÉI cachaceiro de nove dedos é duro….O VÉI é duro….É como massa de bolo. Quanto mais batem nele, mais ele cresce nas pesquisas. Kkkkkk. Quem não quiser cair se deite…..É melhor já ir se acostumando com LULA eleito presidente do Brasil até2030….O CHORO É LIVRE!!!! KKKKKKKK

    1. Toda pesquisa só dá Lula, fiz uma aqui com colegas de trabalho só deu LuLa. Como diz o imbecil do Caligula quem não quiser cair q se deite!!! Ow veio macho!

  5. Segundo as pesquisas, o presidente do Brasil é o “poste” do bandido de 9 dedos. As verdadeiras pesquisas estamos vendo em todo lugar por onde passa o presidente. Recepções calorosas, “motociatas” enormes, muitos seguidores em redes sociais, grandes manifestações A SEU FAVOR (nunca se viu isso no Brasil)… Enquanto isso, as “minifestações” contra o presidente reúnem meia dúzia de “gatos pingados”, mesmo contando com o apoio (inclusive financeiro) de sindicatos, ONG’s, movimentos sociais e da grande mídia militante. E seu candidato corrupto, que lidera essas pesquisas fajutas, vive escondido, nas sombras, com medo do povo que diz adorá-lo. Há algo de muito estranho em tudo isso.

  6. A volta de Lula infelizmente é certa. Votar em Lula é muito ruim para o Brasil . Agora, deixar Bolsonaro jumento é pior do que Lula. Espero que o País retire logo Bolsonaro e pense duas vezes antes de votar em Lula. Tomara que Tenhamos outra opção no 2 turno, se houver. Pelo andar da carruagem, vai dar Lual no primeiro turno. ☹😏

    1. Acredite quem quiser. As ruas não revelam esse resultado. Vamos pro voto, limpo e auditável. Aí saberemos quem é quem. O resto é blá blá blá.

    2. Fale sério, vc é só mais um “cumpanhero”. Mas fique tranquilo, pois o bandido de 9 dedos não tem mais que 30% de idiotas dispostos a votar nele. E prá essa corja não há mais salvação, são “irrecuperáveis”, assim como aquele tal Lázaro. Não haverá fraude em 2022, “cumpanhero”. Escreva isso e tente mudar de vida. Estude, trabalhe, tente ser alguém produtivo e do bem. Ainda há tempo.

    3. Precisamos de um candidato que tire o Minto do segundo turno… até porque Lula só ganha do Minto no segundo turno… de mais ninguém… já Minto perde até do Daciolo no segundo turno…

    1. Bozo não é confiável mesmo, titia, sua besta. O candidato das rachadinhas está de saída. Não vai dar tempo de terminar o mandato. E você, volte pra sua esquina da Roberto Freire, porque o dinheiro que você ganha postando idiotices vai se acabar. kkkkkkkkkkkkkkk

    2. Bozo não ganha mais de ninguém. O rebanho tá se acabando. Só sobrou o gado doente e desnutrido.

    3. Teu candidato num eventual segundo turno perde até pra defunto…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *