Manifesto do #Revoltadobusãonatal foi centrado na Prefeitura e Câmara Municipal

Os integrantes do movimento #Revoltadobusãonatal realizaram na tarde desta quinta-feira (16), o segundo protesto contra o aumento da tarifa de ônibus, que passará a custar R$ 2.40 a partir deste sábado (18). Na ocasião, os jovens se reuniram no bairro de Cidade Alta e se digiram até a prefeitura de Natal, onde pretendiam discutir o acréscimo do valor do transporte diretamente com o prefeito Carlos Eduardo, que não se encontrava na cidade no momento. O chefe de gabinete civil ainda chegou a anunciar que foi designado a iniciar um diálogo com representantes do grupo, mas eles não aceitaram e preferiram o retorno do chefe do executivo.

Diante do insucesso do encontro, os jovens se dirigiram até a Câmara Municipal de Natal e conversaram com alguns vereadores, como Amanda Gurgel e Sandro Pimentel que anunciaram apoio ao movimento. Durante o diálogo, mantido de forma pacífica, os representantes chegaram a esboçar uma permanência dentro da “casa”, na esperança do diálogo com o presidente, Albert Dickson, porém, terminaram desistindo e prometendo um retorno na próxima terça-feira (21), onde se pretende uma nova conversa com os vereadores e a discussão do aumento da tarifa, considerado até aceitável, desde que houve melhorias no serviço de transporte do município.

Durante a caminhada dos jovens e visita a Prefeitura e Câmara Municipal, a Polícia Militar acompanhou a distância toda a movimentação e nenhum registro de confronto foi registrado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zé ninguém disse:

    ESTILO – I
    Ninguém pode afirmar que o prefeito Carlos Eduardo Alves mandou a polícia amedrontar os estudantes. Nem ninguém ouviu sua voz em defesa da liberdade de expressão e manifestação.

    ALIÁS – II
    O aparato policial agiu muito mais em defesa dos empresários de ônibus do que em defesa de toda a sociedade. Como se pudesse escolher. E no tempo de Micarla de Sousa isto seria um abuso legal?

    Do Jornalista Vicente Serejo…

COMENTE AQUI