Saúde

Melatonina produzida no pulmão impede infecção pelo novo coronavírus, revela descoberta de pesquisadores da USP

(Foto: NIAID-RML)

A melatonina produzida no pulmão atua como uma barreira contra o Sars-CoV-2, impedindo a expressão de genes codificadores de proteínas de células como os macrófagos residentes, presentes no nariz e nos alvéolos pulmonares, e as epiteliais, que revestem os alvéolos pulmonares e são portas de entrada do vírus. Dessa forma, o hormônio impossibilita a infecção dessas células pelo vírus e, consequentemente, a ativação do sistema imunológico, permitindo que o novo coronavírus permaneça por alguns dias no trato respiratório e fique livre para encontrar outros hospedeiros.

A descoberta, realizada por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), ajuda a entender por que há pessoas que não são infectadas ou que estão com o vírus, detectado por teste do tipo RT-PCR, e não apresentam sintomas de Covid-19. Além disso, abre a perspectiva de uso da melatonina administrada por via nasal – em gotas ou aerossol – para impedir a evolução da doença em pacientes pré-sintomáticos. Para comprovar a eficácia terapêutica do hormônio contra o novo coronavírus, porém, será necessária a realização de uma série de estudos pré-clínicos e clínicos, sublinham os autores do estudo.

Os resultados do trabalho, apoiado pela FAPESP, foram descritos em artigo publicado na revista Melatonin Research.

“Constatamos que a melatonina produzida pelo pulmão atua como uma ‘muralha’ contra o Sars-CoV-2, impedindo que o patógeno entre no epitélio, que o sistema imunológico seja ativado e que sejam produzidos anticorpos”, diz à Agência FAPESP Regina Pekelmann Markus, professora do Instituto de Biociências (IB) da USP e coordenadora do projeto.

“Essa ação da melatonina do pulmão também deve ocorrer com outros vírus respiratórios, como o da influenza”, estima.

Os trabalhos da pesquisadora com melatonina foram iniciados nos anos 1990. Por meio de estudo com roedores, Markus demonstrou que o hormônio produzido à noite pela glândula pineal, no cérebro, com a função de informar o organismo que está escuro e prepará-lo para o repouso noturno, poderia ser produzido em outros órgãos, como no pulmão.

Em um estudo também com roedores, publicado no início de 2020 no Journal of Pineal Research, a pesquisadora e colaboradores mostraram que os macrófagos residentes, presentes no espaço aéreo pulmonar, absorvem (fagocitam) partículas de poluição. Esse estímulo agressivo induz a produção de melatonina e de mais moléculas pelos macrófagos residentes, capazes de internalizar o material particulado no ar respirado pelos animais, e estimula a formação de muco, tosse e expectoração, de modo que essas partículas sejam expelidas do trato respiratório.

Ao bloquear a síntese da melatonina pelos macrófagos residentes, os pesquisadores observaram que as partículas entraram na circulação e foram distribuídas por todo o organismo, incluindo o cérebro.

Com base nessa constatação de que a melatonina produzida no pulmão altera as portas de entrada de partículas de poluição, a pesquisadora e colaboradores decidiram avaliar, agora, se o hormônio desempenharia a mesma função em relação ao Sars-CoV-2.

“Se isso acontecesse, o vírus também não ficaria disponível para se ligar ao receptor ACE2 das células, entrar no epitélio e desencadear a infecção”, explica Markus.

Análise de expressão gênica

Para testar essa hipótese, os pesquisadores analisaram um total de 455 genes associados na literatura a comorbidades relacionadas à Covid-19, interação do Sars-CoV-2 com proteínas humanas e portas de entrada do vírus, identificados em trabalhos como os realizados por Helder Nakaya, professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da USP e um dos autores do estudo. Desse total, foram selecionados 212 genes envolvidos na entrada do novo coronavírus em células humanas, tráfego intracelular, atividade mitocondrial e processo de transcrição e pós-tradução, para criar uma assinatura fisiológica da Covid-19.

A partir de dados de bancos de sequenciamento de RNA foi possível quantificar os níveis de expressão dos 212 genes que compuseram a chamada “assinatura Covid-19” em 288 amostras de pulmão saudáveis.

Ao correlacionar a expressão desses genes com um índice chamado MEL-Index – que estima a capacidade do pulmão de sintetizar melatonina, baseado na análise do órgão de roedores saudáveis –, os pesquisadores constataram que quanto menor o índice, maior era a expressão de genes que codificam as proteínas de macrófagos residentes e de células epiteliais.

O MEL-Index também se correlacionou negativamente com os genes que modificam as proteínas do receptor celular CD147, que é uma porta de entrada em macrófagos e outras células do sistema imunológico, indicando que a produção normal de melatonina do pulmão pode ser relevante para lidar com a invasão do vírus.

Os resultados foram corroborados por um teste de correlação de Pearson – que mede o grau da correlação entre duas variáveis de escala métrica –, além de uma análise de enriquecimento de conjunto de redes e de uma ferramenta de rede que integra a conectividade entre os genes mais expressos, permitindo comparar um mesmo conjunto de gene em diferentes estados, desenvolvida pelo pesquisador Marcos Buckeridge, professor do IB-USP e um dos autores do estudo.

“Vimos que quando o MEL-Index era alto as portas de entrada do vírus no pulmão ficavam fechadas e, quando estavam baixo, essas portas ficavam abertas. Quando as portas estão fechadas, o vírus fica vagando um tempo pelo ar pulmonar e depois tenta escapar para encontrar outro hospedeiro”, afirma Markus.

Como a melatonina produzida pelo pulmão inibe a transcrição desses genes codificadores de proteínas dessas células que são portas para entrada do vírus, a aplicação de melatonina diretamente no pulmão, em gotas ou aerossol, permitiria bloqueá-lo. Mas isso ainda demandará uma série de estudos, ponderam os pesquisadores.

Outra ideia é utilizar o índice de melatonina pulmonar como um biomarcador de prognóstico para detectar portadores assintomáticos do Sars-CoV-2.

O artigo Melatonin-Index as a biomarker for predicting the distribution of presymptomatic and asymptomatic SARS-CoV-2 carriers (DOI: 10.32794/mr11250090), de Pedro A. Fernandes, Gabriela S. Kinker, Bruno V. Navarro, Vinicius C. Jardim, Edson D. Ribeiro-Paz, Marlina O. Córdoba-Moreno, Débora Santos-Silva, Sandra M. Muxel, Andre Fujita, Helder I. Nakaya, Marcos S. Buckeridge e Regina P. Markus, pode ser lido na revista Melatonin Research em https://www.melatonin-research.net/index.php/MR/article/view/109.

Galileu

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Natalense é destaque na Olimpíada Europeia de Informática

O Astronauta Marcos Pontes, Ministro de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovações noticiou o resultado da 1a Olimpíada Europeia de Informática para Garotas, realizada em Zurich, na Suíça.

Na postagem também tem destaque a natalense Beatriz Cunha Freire, Vice Líder da Olimpíada Europeia de Informática para Garotas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

O homem forte de Jean Paul Prates no RN

O diretor financeiro do Centro de Energias Renováveis (Cerne) Sérgio Caetano Leite terminou o seu mandato no mês passado, segundo edital de convocação do instituto para preenchimento do post.

Sérgio estava como diretor financeiro desde 2016. Mestre em economia e gestão empresarial, como se define no Twitter, a saída dele do instituto de Jean Paul não significará, no entanto, falta de demandas.

É que Sérgio Caetano Filho construiu vínculos com o Rio Grande do Norte e o Nordeste num geral.

No estado governado por Fátima Bezerra, o Diário Oficial registra as passagens de Sérgio pelo Conselho de Administração da AGN – a Agência de Fomento do Estado – e pela Potigás, onde também tem assento no Conselho Fiscal.

O consultor de empresas também é nomeado junto ao Consórcio Nordeste, onde é Subsecretário de Programa.

Mas segundo os registros de base de dados financeiras de empresa, Sérgio não mora nem no Rio Grande do Norte, nem na Bahia, mas no Rio de Janeiro. No Rio Grande do Norte segundo apuramos, ele é hóspede do Senador quando está por essas terras.

O consultor aparece como sócio majoritário de três empresas e como sócio com até 50% de participação em mais duas. São elas: a SL SQ Comercio Exportação, Kibizz Solução, Rio de Janeiro Consultoria de Investimento, Atma Sociedade Gestora da Participações e Strong Com Imp Exp e Rep.

Opinião dos leitores

  1. Rapaz o homem é fera mesmo, e eu aqui em Natal tentando dar conta das demandas de um emprego. Quando crescer quero ser assim kkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Em novo decreto, Governo do RN reforça proibição a festas juninas e fogueiras; confira fases de eventos

Na semana do São João, o Governo do Estado do Rio Grande do Norte reforça a proibição de festas populares, bem como a realização de fogueiras, como forma de controle do coronavírus e prevenção às doenças respiratórias e acidentes que possam aumentar a demanda nas unidades de saúde. O novo decreto, que estabelece as medidas sanitárias de combate à pandemia, será publicado na edição desta quarta-feira (23), no Diário Oficial, visto que o atual é válido até amanhã.

O documento, que modifica o decreto n.º 30.562/2021, prorroga a vigência das medidas restritivas até o dia 07 de julho. Está prevista, no novo decreto, a redução do horário do toque de recolher, que passa a ser das 23h às 05h, todos os dias da semana; e o calendário de retomada de setores econômicos, que será efetivado em cinco fases, considerando a classificação do indicador composto de cada município e mediante prévia autorização. A flexibilização das novas regras fica condicionada, portanto, ao comportamento epidemiológico verificado nas regiões e nos municípios.

EVENTOS CORPORATIVOS

I – Fase 01: a partir de 25 de junho de 2021, observada a ocupação máxima de 20% (vinte por cento) da capacidade do local, limitada à frequência máxima simultânea de 150 (cento e cinquenta) pessoas;

II – Fase 02: a partir de 09 de julho 2021, observada a ocupação máxima de 40% (quarenta por cento) da capacidade do local, limitada à frequência máxima simultânea de 300 (trezentas) pessoas;

III – Fase 03: a partir de 23 de julho de 2021, observada a ocupação máxima de 60% (sessenta por cento) da capacidade do local, limitada à frequência máxima simultânea de 450 (quatrocentos e cinquenta) pessoas;

IV – Fase 04: a partir de 06 de agosto de 2021, observada a ocupação máxima de 80% (oitenta por cento) da capacidade do local, limitada à frequência máxima simultânea de 600 (seiscentas) pessoas;
V – Fase 05: a partir de 20 de agosto, permitida a ocupação de 100% da capacidade do local.

EVENTOS SOCIAIS

A primeira fase dos eventos sociais só começa em 24 de julho – também limitado a 20% e 150 pessoas.

Opinião dos leitores

  1. Mais uma vez lá vem decretos e mais decretos que NAO Servem pra NADA, pois é TUDO no FAZ DE CONTA, NAO Existiu, NAO Existe Fiscalização e NAO Existirá o Menor INTERESSE em Fiscalizarem o Cumprimento desses decretos para diminuir a disseminação do covid-19. q
    Que DEUS tenha MISEICORDIA de NÓS.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

3R Petroleum compra Duna Energia por US$ 71 milhões e amplia presença no RN

A 3R Petroleum (RRRP3) comprou a totalidade das ações da Duna Energia, empresa de exploração de petróleo que atua no Rio Grande do Norte, por US$ 71 milhões, mostra fato relevante enviado ao mercado nesta terça-feira (22).

Dessa forma, a Duna Energia passará a ser subsidiária integral da 3R.

Segundo o documento, parte das ações da empresa serão transferidas para o BTG Pactual (BPAC11) e para outros acionistas minoritários da 3R.

Do valor total, US$ 20 milhões serão pagos em dinheiro e US$ 51 milhões convertido para o real a serem quitados via emissão de ações da companhia, subscritas pelo BTG.

Além disso, a 3R assumirá o endividamento líquido aproximado de US$ 7,1 milhões da Duna.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Municípios, estados e União terão 1 milhão de cargos para livre nomeação na reforma administrativa

A reforma administrativa do governo Jair Bolsonaro afrouxa a regra para ocupação de cargos de confiança e fará com que municípios, estados e União tenham mais de um milhão de postos para livre nomeação —ao menos 207 mil a mais do que hoje.

O levantamento faz parte de nota técnica produzida pela Consultoria de Orçamentos Fiscalização e Controle do Senado, que questiona a flexibilização e afirma que a medida abre margem para indicações políticas.

O relator da proposta, deputado Arthur Maia (DEM-BA), se posicionou nesta terça-feira (22) contra o afrouxamento da norma e afirmou que pretende mudar o texto do governo para manter a regra vigente hoje.

Folhapress

Opinião dos leitores

  1. Não estão enxergando que a nota é totalmente tendenciosa? Reforma do governo jair Bolsonaro, como se não houvesse votação de nenhum parlamentar. Notícia tendenciosa.

    1. Ainda colocam a foto da manifestação da esquerda kkk
      Tudo que é ruim no Brasil a mídia podre debita na conta do presidente, o que é bom, nem falam.

  2. VAI SER UMA VERDADEIRA FESTA DE POLITICAGEM EM TROCA DE VOTOS E FIM DA AUTONOMIA DO SERVIDOR E NO SERVIÇO PÚBLICO, POIS O COMISSIONADO SÓ FAZ O QUE O CHEFE DELE MANDA. E SE NÃO FIZER VAI PRA FORA, É EXONERADO SEM PERDÃO.
    ESTAMOS ANDANDO PARA TRÁS COMO CARANGUEIJOS E TEM GENTE QUE AINDA NÃO SE TOCOU DO MONSTRO QUE ESTAMOS CRIANDO E ALIMENTANDO.
    QUANDO ACORDARMOS PODERÁ SER TARDE DEMAIS!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Média diária supera um milhão de vacinas aplicadas ao longo do mês de junho

Depois de ultrapassar a média diária de um milhão de doses nos últimos sete dias, o Brasil colhe os resultados da turbinada na campanha de vacinação neste mês de junho. Ao aplicar mais de 22 milhões de doses nos primeiros 22 dias e em franca aceleração, o Plano Nacional de Imunização (PNI) deve superar o resultado de abril e fazer de junho o primeiro mês com mais de um milhão de vacinas aplicadas por dia. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O recorde anterior foi em abril, quando o PNI aplicou 24,6 milhões de doses, segundo o vacinabrasil.org. Média diária de 820,5 mil vacinas. Junho já teve 12 dias com mais de um milhão de doses, cinco dias acima de 1,3 milhão e um dia com mais de dois milhões de vacinas aplicadas.

Comparado a Israel, Chile e Reino Unido, o Brasil aplicou 90 milhões de doses, que seria suficiente para vacinar 100% dos adultos desses países. O Brasil tá tem 66 milhões de pessoas vacinadas com uma dose ou 41% da população adulta, segundo o ministro Marcelo Queiroga (Saúde).

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

CPI da Covid no RN avança e deputados definem cinco membros para composição

A reunião da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa deliberou o encaminhamento dos membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que irá investigar os gastos do Governo do Estado durante a pandemia da Covid-19. A Comissão será composta por 5 membros. Outro ponto em questão é a indicação dos nomes por parte dos blocos partidários que deverá ser feita até esta quarta-feira (23).

Caso sejam compostos mais de cinco blocos partidários e, consequentemente, sejam indicados mais do que o limite de integrantes da CPI, as vagas serão sorteadas. Feito isto, a instalação da CPI será efetivada pelo presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira de Souza, agendando a sua primeira sessão, quando serão escolhidos o presidente e o relator do colegiado.

Como de praxe, as vagas de presidente e relator da CPI devem ser ocupadas por um representante da oposição e outro da situação – como prevê o regimento interno. O próximo passo – após a definição dos membros e quantitativo – será o início das atividades da CPI da Covid.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Procurador alerta que Rio de Janeiro é o lugar mais seguro para Lázaro após decisão do STF

O procurador de Justiça Marcelo Rocha Monteiro, do Rio de Janeiro, advertiu nesta terça (22) que o melhor lugar para o criminoso Lázaro Souza se esconder é qualquer uma das cerca de 1.500 favelas do Rio de Janeiro. Crítico da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) proibindo as polícias de atuar nas favelas da cidade, Monteiro torce para que o bandidão não fure o cerco das polícias de Goiás e do Distrito Federal e consiga chegar no Rio. Se acontecer, seria muito difícil capturar Lázaro. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Marcelo Rocha Monteiro diz que a polícia do Rio já identificou a presença de bandidos perigosos de vários estados escondidos em favelas do Rio. Lázaro foge há quinze dias, após cometer vários homicídios. Há policiais já suspeitando que ele pode ter furado o cerco e abandonado a região. À Rádio Bandeirantes, nesta terça, Monteiro disse que a Defensoria Pública virou uma espécie de “diretório do Psol e do PT”.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pfizer reitera que vai enviar 90 milhões de vacinas para o Brasil nos próximos 3 meses e confirma projeções do Ministério da Saúde

Foto: Reuters

A farmacêutica americana Pfizer reiterou que nos próximos três meses trará ao Brasil cerca de 90 milhões de doses de sua vacina contra covid-19, confirmando as projeções do Ministério da Saúde. A empresa também confirmou que entre outubro e dezembro mais 100 milhões de doses estarão no país. As informações são do Valor Econômico.

O ministério tem dois contratos com a Pfizer para aquisição de 200 milhões de doses. E segundo o Valor já noticiou houve ao menos uma oferta por parte da empresa para um possível terceiro contrato, para 2022. Quanto aos dois contratos já firmados com o governo federal, o laboratório disse ter entregue até o momento mais de 10 milhões de doses. As vacinas são importadas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ivermectina reduz replicação do vírus da Covid, afirma Universidade de Oxford

Ivermectina reduz replicação do vírus da Covid de m casos leves. A afirmação é da Universidade de Oxford, que anunciou nesta terça-feira que está testando o medicamento antiparasitário ivermectina como um tratamento possível para a Covid-19, como parte de um estudo apoiado pelo governo britânico que busca auxiliar a recuperação de pacientes em contextos não hospitalares.

A ivermectina resultou na redução da replicação do vírus em estudos laboratoriais, acrescentando que um pequeno estudo piloto mostrou que administrar o medicamento antecipadamente poderia reduzir a carga viral e a duração dos sintomas em alguns pacientes com quadros leves de Covid-19.

“Ao incluir a ivermectina em um estudo de grande escala como o Principle, esperamos gerar evidências robustas para determinar o quão eficiente o tratamento é contra a Covid-19, e se há benefícios ou prejuízos associados ao seu uso”, afirmou Chris Butler, um dos líderes da pesquisa. Com informações da agência de notícias Reuters.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *