Luto

Morre o ex-governador Lavoisier Maia, aos 93 anos, em sua casa

Lavoisier Maia Sobrinho, ex-governador do Rio Grande do Norte, morreu nesta segunda-feira (11) aos 93 anos, em sua residência em Natal. Uma infecção a Sepse (Generalizada), resposta do organismo a uma infecção foi a causa do óbito.

Médico e Professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Lavô foi o 44º governador do Rio Grande do Norte, exercendo o mandato no período de 15 de março de 1979 a 14 de maio de 1982. Também foi Senador da República, deputado federal por dois mandatos e deputado estadual.

“É um momento difícil, não só para a família, mas para todo o Rio Grande do Norte que reconhece até hoje o serviço prestado de Lavoisier ao longo de toda a sua vida pública. Perdemos um grande homem público e um ser humano de virtudes admiráveis”, declarou a viúva Teresinha Maia, casada com Lavô há 15 anos.

Além da esposa, Lavô deixa órfãos 4 filhos: Ana Cristina, Márcia, Lauro e Cintia Maia, 13 netos e 3 bisnetos. Lavoisier completou 93 anos no último 09 de outubro.

Opinião dos leitores

  1. Um homem público que deixou uma história, de realizações e correção, obras que marcaram o RN, como a barragem Armando Ribeiro, energia em dezenas de municípios, primeiros programas habitacionais e obras hídricas. Que DEUS acolha o nosso Lavô no descanso eterno.

  2. Senhor Antônio Glauber, permita-me fazer uma pequena correção, não poderia faltar um grande destaque entre os ex-governadores do RN, Monsenhor Walfredo Gurgel

  3. Lavô foi um grande governador, sobretudo para o funcionalismo público. Porém o maior governador do RN foi Cortês Pereira este pensou o RN para o futuro. Aluísio foi midiático e seu grande feito se resume a lyz de Paulo Afonso, foi ingrato e perseguidor com o funcionalismo público, os demais foram mais dos mesmos.

  4. Fica, para sempre, uma extensa e bela história de trabalho pelo Rio Grande do Norte. Na luta pelo bem comum já afirmava: “comparando é que o povo entende”.

  5. Integro, de conduta ilibada; posso assegurar do que conheci e/ou evidenciel no período de 1972 a 2000, onde como um dos Administradores do Banco do Nordeste em Catole do Rocha Jardim do Seridó e Caicó

  6. O RIO GRANDE DO NORTE DE LUTO. MORRE O EX GOVERNADOR LAVOISIER MAIA. EX SENADOR, EX DEPUTADO FEDERAL E ESTADUAL. UM GRANDE HOMEM.

    1. Perdermos uma grande referência no cenário político do RN, foi o melhor governador para o funcionalismo púbico estadual, honesto ,íntegro e exemplo de gestor pulblico, homem admirável por sua simplicidade e trabalhador, nossos cinceros sentimentos à toda família.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

ARTIGO: As sequelas inimagináveis da Covid

 Foto: Getty Images via BBC

Com mais de 70% da população vacinada com a primeira dose e quase 50% já totalmente imunizados, é maravilhoso vermos as coisas voltando ao normal. As atividades comerciais funcionando normalmente, o retorno dos shows, das aulas (nas escolas privadas), enfim, o retorno a nossa vida de sempre. Quase. Calma, explico.

Tenho-me deparado com algumas sequelas comerciais do Covid que parecem não ter vacina, nem tratamento que resolva. O primeiro, e mais nefasto, é o cardápio QR CODE. Nada mais frustrante do que sentar no restaurante e ter que escolher seu prato num cardápio de 10 cm de altura x 5 cm de largura. Será que um cardápio plastificado e higienizado não resolveria bem? Vamos em frente.

Número reduzido de cadeiras nas recepções. Sejam em clínicas, consultórios ou outros ambientes de espera, deparamo-nos com o “X” vermelho nas cadeiras. No entanto, quem vai chegando pode esperar lado-a-lado no mesmo ambiente, porém em pé.

Não podemos entrar no colégio dos nossos filhos. É proibido assistir aos jogos internos ou qualquer outra coisa. As crianças vivem com os pais, e se a família estiver doente, a simples ida delas ao colégio já não contaminaria a todos? Então, por que os pais não podem entrar com máscara? Podemos entrar em todos os ambientes da cidade, mas os colégios insistem em não permitir a entrada dos pais.

Você tem algum processo no Fórum? Se tem, mesmo sendo parte, não pode ir na vara consultar. — É somente pelo telefone, Senhor!
O problema é que o telefone muitas vezes só chama, ninguém atende. Será que todos que trabalham no Fórum não frequentam os shoppings, cinemas, restaurantes, ônibus, aviões, casas de amigos? Já não basta a lentidão da nossa justiça, ainda querem complicar uma simples consulta de acompanhamento!?

Falando em aviões… Graças a Deus podemos viajar para todas as partes. Podemos ficar ao lado de outras 300 pessoas no mesmo espaço compacto. Mas não podem servir nada. Olhe, olhe, um copo d’água.

Para finalizar, lembro o terrível que é ligar para algum 0800, pois quase todos diminuíram seus atendentes. Curioso é que o número de funcionários nos departamentos comerciais já voltou ao normal, mas nos 0800 é sempre reduzido. É claro que prefiro resolver pela internet, mas às vezes não é possível. — Você já tentou ligar para o 0800 da TAP? Socorro!

Supermercados com redução de caixas é demais. Venderam muito durante a pandemia e diminuir a quantidade de caixas é imperdoável.

— Enfim, a sabedoria.

A Covid já maltratou demais nossas vidas. Vamos nos livrar dessas sequelas da sociedade. O remédio é o bom senso.

Por Marcus Aragão

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

‘Não faremos nenhuma aventura’, diz Bolsonaro em pronunciamento ao lado de Guedes

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) faz um pronunciamento na tarde desta sexta-feira (22) ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes. Segundo ele, o valor decidido para o novo programa social do governo, o Auxílio Brasil, “tem responsabilidade”. “Não faremos nenhuma aventura. Não queremos colocar em risco nada no tocante à economia”, declarou o presidente.O pronunciamento de Bolsonaro acontece após uma sequência de fatos que mexeram com o mercado financeiro.

Na quinta-feira (21), quatro secretários do Ministério da Economia pediram demissão, entre eles Bruno Funchal, secretário do Tesouro e Orçamento, e Jeferson Bittencourt secretário do Tesouro Nacional. Apesar de o motivo alegado ter sido “questões pessoais”, a motivação teria sido a discordância sobre o valor de R$ 400 do Auxílio Brasil e a fonte de custeio.Na quarta-feira (20), o ministro Paulo Guedes declarou que considerava alocar R$ 30 bilhões fora do teto para bancar os R$ 400 do novo auxílio.

A declaração impactou negativamente o mercado financeiro. Na manhã de quinta-feira (21), quando Bolsonaro voltou a falar em R$ 400, o mercado reagiu. O Ibovespa caiu mais de 4% e o dólar chegou aos R$ 5,70. Nesta sexta, a bolsa chegou a cair 4%, mas operava perto da estabilidade, em leve queda de 0,36%, a 107.345,98 pontos, por volta das 15h50. Já o dólar abriu em alta, nos R$ 5,70, mas teve leve queda de 0,06% ao longo da tarde, cotado a R$ 5,6544 na venda.

Na noite de quinta-feira, a comissão especial da Câmara dos Deputados, que analisava a proposta de emenda à constituição conhecida como PEC dos Precatórios aprovou o relatório do deputado Hugo Motta (Republicanos-PB). O relator apresentou uma complementação do voto que trouxe alterações na regra de correção do teto de gastos. Com isso, a proposta que soluciona a dívida da União em sentenças judiciais também abrirá espaço para o financiamento do novo programa social do governo, o Auxílio Brasil.

Para ler a matéria na íntegra acesse AQUI.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Assim como a Covid-19, tuberculose pode ser transmitida pela respiração, afirmam cientistas

Foto: Reprodução

Depois de séculos de preceitos médicos estabelecidos sobre a tuberculose, uma equipe de pesquisadores da África do Sul descobriu que a respiração pode contribuir mais para a disseminação da doença que a tosse, seu sintoma mais característico.

Até 90% das bactérias responsáveis pela tuberculose liberadas por uma pessoa infectada podem ser transportadas em pequenas gotículas, chamadas aerossóis, que são expelidas quando a pessoa expira profundamente, estimam os pesquisadores. As descobertas foram apresentadas na terça-feira na Conferência Mundial da União sobre Saúde Pulmonar.

O relatório ecoa uma importante descoberta durante a pandemia de Covid-19: o SARS-CoV-2 (novo coronavírus) também se espalha em aerossóis carregados pelo ar, especialmente em lugares fechados — um modo de transmissão que foi amplamente subestimado no início da pandemia.

A tuberculose é causada por uma bactéria chamada Mycobacterium tuberculosis, que normalmente ataca o pulmão. É a doença infecciosa mais letal do mundo depois da Covid-19, provocando mais de 1,5 milhão de óbitos no último ano — o primeiro aumento em uma década, de acordo com relatório publicado na última semana pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Enquanto a pandemia de Covid interrompia o acesso aos serviços de saúde e cadeias de abastecimento ao redor do mundo, 5,8 milhões de pessoas foram diagnosticadas com tuberculose em 2020. Mas a OMS estima que, na verdade, cerca de 10 milhões de pessoas tenham sido infectadas. Muitas podem inconscientemente estar transmitindo a doença para outras.

— Nosso modelo sugere que, na verdade, a geração de aerossol e a geração de tuberculose podem acontecer independentemente dos sintomas — explica o estudante de pós-graduação da Universidade da Cidade do Cabo, na África do Sul, que apresentou os resultados, Ryan Dinkele.

O estudo

A descoberta ajuda a explicar por que lugares fechados e apertados, como prisões, frequentemente funcionam como criadores de tuberculose, assim como de Covid-19. E a pesquisa sugere que alguns métodos usados para limitar a transmissão do coronavírus — como máscaras, janelas e portas abertas e permanecer o máximo possível ao ar livre — também são importantes para reduzir a tuberculose.

— Aqueles de nós que têm tuberculose olhamos para a Covid e dizemos: ‘Nossa, é apenas como uma versão acelerada da tuberculose’ — disse o epidemiologista da Universidade de Boston, que não estava envolvido com a pesquisa, Robert Horsburgh.

Os pesquisadores anteriormente acreditavam que a maior parte da transmissão da tuberculose acontecia quando uma pessoa infectada tossia, espalhando gotículas carregando a bactéria pelo ar. Até acreditava-se que algumas bactérias eram liberadas quando uma pessoa respirava, mas muito menos do que pela tosse.

A nova descoberta não muda esse entendimento. Uma única tosse pode expelir mais bactéria que uma única respiração. Mas, se uma pessoa infectada respira 22 mil vezes por dia e tosse cerca de 500 vezes, então a tosse significa apenas 7% do total de bactéria emitida pelo paciente infectado, explica Dinkele.

Em um ônibus lotado, na escola ou no trabalho, onde pessoas ficam sentadas em espaços confinados por horas, “simplesmente respirar contribuirá com mais aerossóis infecciosos do que a tosse”, diz Dinkele.

Como funciona a transmissão

Na respiração, a inalação abre pequenos sacos de ar nos pulmões e, em seguida, a exalação carrega as bactérias dos pulmões por meio de aerossóis. Devido ao seu tamanho menor, os aerossóis liberados pela respiração podem permanecer flutuando no ar por mais tempo e viajar mais longe do que as gotículas emitidas pela tosse.

Assim como com a Covid, alguns pacientes com tuberculose espalham a doença para muitas pessoas — e podem liberar muitas bactérias — enquanto outros infectam poucas pessoas ao seu redor. Mas, mesmo que 90% das bactérias expelidas por uma pessoa infectada fossem transportadas em aerossóis, essa via de transmissão não seria necessariamente responsável por 90% dos novos casos, advertiu a médica que estuda a doença na Universidade Brown, Silvia S. Chiang.

Ainda assim, dizem especialistas, as descobertas de fato sugerem que os médicos não devem esperar que pacientes com tuberculose cheguem às clínicas com tosse forte e perda de peso, os sintomas considerados reveladores.

— Nós precisamos apenas rastrear toda a população, assim como você faria se estivesse procurando por muita Covid — disse Horsburgh.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Mulher que matou menino de 10 anos atropelado ao dirigir alcoolizada em Acari é condenada a mais de 13 anos de prisão

Foto: Reprodução

A mulher apontada como responsável pela morte do menino Natan Pablo Félix da Costa, de apenas 10 anos, na cidade de Acari, região Seridó potiguar, foi condenada a mais de 13 anos de prisão, além de perder o direito de dirigir por 4 anos e 8 meses.

O crime aconteceu na tarde de um domingo, em junho de 2021. Segundo a Justiça, Alexsandra Oliveira Araújo Ferreira da Silva, de 30 anos, dirigia um carro sob efeito de álcool e atropelou Natan, que brincava de bicicleta com outra criança em um calçadão próximo ao açude Gargalheiras.

A sentença foi proferida pelo juiz Bruno Montenegro Ribeiro Dantas, que determinou cumprimento da pena em regime fechado e manteve a prisão preventiva decretada anteriormente. No autos, testemunhas relataram que a mulher assumiu a direção do veículo após consumir bastante bebida alcoólica.

“Segundo relatos, enquanto ziguezagueava pela pista, Alexsandra chegou a invadir a contramão e a sair da faixa de rolamento por diversas vezes, tendo, em uma dessas oportunidades, subido a calçada e atropelado o jovem Natan Pablo Félix da Costa, que estava parado no calçadão, consertando sua bicicleta. O impacto foi tão violento que causou um ‘traumatismo cranioencefálico e trauma raquimedular’, ceifando a vida da criança imediatamente, conforme Laudo de Exame Necroscópico”, diz o relatório da Justiça.

Ainda de acordo com a Justiça, a mulher teria atingido outra criança com o retrovisor do carro. Ela foi presa minutos após o atropelamento pela Polícia Militar, mas disse que não sabia que havia atropelado a criança.

O juiz não considerou a ré culpada por omissão de socorro. Ela segue presa desde o dia do acidente.

G1 RN

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Fábio Faria: Guedes segue na economia e compromisso fiscal está mantido

Foto: Leandro Fonseca / Exame

Em um esforço para apaziguar a crise gerada pela intenção de buscar formas de aprovar o novo Auxílio Brasil e os ruídos em torno da permanência de Paulo Guedes à frente da pasta da Economia, o ministro Fábio Faria, das Comunicações, fez um pronunciamento por meio de suas redes sociais na tarde desta sexta, 22. O depoimento foi enviado em primeira mão para EXAME.

Em sua fala, o ministro afirmou que Paulo Guedes não deixará o Ministério da Economia. “Não existe ninguém buscando um substituto para Paulo Guedes”, afirmou.

Em São Paulo, Faria falou com exclusividade à EXAME e negou que estivesse na cidade sondando substitutos para o ministro Guedes, como foi ventilado nesta sexta-feira.

O ministro reforçou o que disse ao longo do dia: o auxílio emergencial não vai passar dos 400 reais, já anunciados pelo governo, garantiu. “Será usada verba já à disposição do ministério”, afirmou.

Considerado um dos ministros mais próximos ao presidente Jair Bolsonaro, Faria teve uma agenda intensa de reuniões nesta sexta-feira, em São Paulo, com o objetivo de acalmar investidores após as notícias de furo no teto de gastos. Após recuar 3,3% na quarta e 2,7% na quinta, o índice Ibovespa voltou a cair mais de 3% nesta sexta-feira.

Os juros futuros bateram 12,50%, também na esteira da crise política e econômica causada pela saída de quatros secretários do ministério da Economia, na noite da quinta-feira, 21. Deixaram a pasta os secretários de Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, além da secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo.

Reformas e aumento de arrecadação

Faria ressaltou o que considera conquistas do governo. O marco regulatório do saneamento, a lei do gás e a independência do Banco central foram algumas das medidas encaminhadas pelo governo — e aprovadas pelo Congresso— enfatizadas pelo ministro.

Além disso, o ministro tratou de reforçar feitos alcançados pelo Ministério da Economia, que ficaram em segundo plano nos últimos dias. O gasto do governo Bolsonaro, mesmo com a pandemia, vai cair em relação ao governo anterior, um fato inédito no período republicano.

No início de 2020, o déficit fiscal esperado era de 220 bilhões de reais, mas o aumento na arrecadação vai fazer com que o déficit feche 2021 perto dos 100 bilhões de reais. A relação dívida/pib, por sua vez, passou de 91% para 80% ao longo de 2021.

Perto desses números, tem defendido o ministro, a alteração de até 80 bilhões de reais no teto de gastos fica atenuada. O maior desafio do governo, agora, é aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos precatórios no Plenário da Câmara, na semana que vem. São necessários 308 votos, em dois turnos.

Na quinta-feira, 21, a comissão especial que discute a PEC dos precatórios na Câmara aprovou por 23 votos a 11, o texto-base do parecer do relator, Hugo Motta (Republicanos-PB). A proposta, que busca abrir espaço para a criação do Auxílio Brasil, estabelece um limite anual para o pagamento das dívidas da União e muda a regra de correção do teto de gastos.

EXAME

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Receita Federal abre hoje consulta a lote residual de Imposto de Renda

Foto: © Marcello Casal Jr / Agência Brasil 

A Receita Federal abriu hoje (22) consulta a lote residual de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) relativo ao mês de outubro de 2021. O lote contempla também restituições residuais de exercícios anteriores. As informações sobre a restituição estão disponíveis por meio de aplicativo para tablets e smartphones e por meio do site da Receita, na área intitulada Meu Imposto de Renda, onde deve-se clicar em Consultar a Restituição.

Nela, o contribuinte tem acesso às orientações e aos canais de prestação do serviço, nos quais é possível fazer consultas no formato simplificado ou completo de sua situação, por meio do extrato de processamento, acessado no portal e-CAC. Caso identifique pendência, ele poderá retificar a declaração.

Segundo a Receita Federal, há R$ 448,5 milhões em créditos bancários para 292.752 contribuintes. O crédito será depositado no dia 29 de outubro. “Desse total, R$ 169.234.573,08 referem-se ao quantitativo de contribuintes que têm prioridade legal, sendo 4.593 idosos acima de 80 anos, 40.459 entre 60 e 79 anos, 3.862 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 14.520 cuja maior fonte de renda seja o magistério”, informou, em nota a Receita.

O pagamento da restituição é feito na conta bancária informada na Declaração de Imposto de Renda. Nos casos em que o depósito não tenha sido feito, os valores ficarão disponíveis para resgate por até um ano no Banco do Brasil. Em geral essa situação ocorre quando a conta corrente declarada foi encerrada. Para ter acesso ao dinheiro não depositado, o contribuinte precisa reagendar o crédito por meio do Portal BB, ou ligar para a Central de Relacionamento BB, nos telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos).

“Caso o contribuinte não resgate o valor de sua restituição no prazo de um ano, deve requerê-lo pelo portal e-CAC, disponível no site da Receita Federal, acessando o menu Declarações e Demonstrativos > Meu Imposto de Renda e clicando em Solicitar restituição não resgatada na rede bancária”, informa a Receita.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Esteves Colnago aceita convite para assumir a Secretaria Especial do Tesouro e Orçamento

Foto: Hoana Gonçalves / MP

O ex-ministro do Planejamento, Esteves Colnago, aceitou o convite para ser o novo secretário especial do Tesouro e Orçamento.

Ele vai assumir a vaga que ficou aberta com a demissão do então secretário Bruno Funchal, nesta quinta-feira (21). Funchal e outros três secretários da Economia saíram do governo alegando motivos pessoais. A demissão deles coincide com os avanços do governo na estratégia de alterar o teto de gastos para aumentar o valor do benefício social Auxílio Brasil.

Colnago foi ministro na gestão do ex-presidente Michel Temer.

Ele é servidor de carreira e, atualmente, faz a articulação do Ministério da Economia com o Congresso Nacional. Há menos de um ano, Colnago foi sondado para o cargo, mas, na ocasião, preferiu ficar na articulação política da pasta.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Meio Dia RN

VÍDEO MEIO-DIA RN: Confira o programa desta sexta-feira

Confira programa desta sexta-feira (22). O Meio-Dia RN, com este blogueiro, debateu os principais assuntos no Estado, pelo país e no mundo. Clique abaixo e assista via YouTube.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

SUA HORA DE BRILHAR CHEGOU: Lanchonete do RN fará ‘Campeonato de Gente Feia’

Foto: Reprodução

Com a popularização das redes sociais, a promoção de determinados estereótipos de beleza é uma realidade. Na contramão disso, uma lanchonete em Mossoró, no Oeste potiguar, vai promover o ‘Primeiro Campeonato de Gente Feia’.

A competição foi idealizada por Alberto, dono da lanchonete Big Burg, que irá sediar a disputa. “Na verdade, isso começou com uma brincadeira em um grupo de amigos, eles disseram que eu ganharia se fizesse mesmo e decidi colocar no Instagram só para ver no que ia dar”, disse o empreendedor em entrevista à rádio 98 FM, de Natal.

Alberto disse que a ideia surgiu em uma conversa com os amigos, e que informações, como inscrições e premiação, serão divulgadas em breve. “O que eu não esperava era essa repercussão tão grande que deu, o negócio acabou ficando sério e agora eu vou ter que fazer mesmo”, disse Alberto.

Agora RN

Opinião dos leitores

  1. Getúlio Rego, Ney Lopes, Garibaldi Filho, Fátima Bezerra e Rosalba Ciarlini. E Betinho Rosado disputando com força!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Realmente dá para estocar vento; veja como o RN vai fazer isso

O governo do Rio Grande do Norte fechou há poucas semanas uma parceria com a empresa EV Brasil para o desenvolvimento de um projeto de “armazenamento verde gravitacional de energia” em larga escala e de longa duração.

O nome é complexo, mas, basicamente, tem a ver com estocar vento. Pois é. Se você se lembrou da famosa expressão “estocar vento” usada pela ex-presidente Dilma Rousseff em uma entrevista coletiva na ONU, em 2015, é por aí mesmo.

O governo do RN assinou um memorando de entendimento (MoU) com a EV Brasil. E a proposta é encontrar meios de fazer a energia eólica ser armazenada para uma espécie de estoque, sem uso imediato.

O MoU é um instrumento jurídico que funciona como um contrato, e, neste caso, estabelece interesses e objetivos mútuos das partes em um processo de cooperação. Ou seja, é um primeiro passo bastante promissor e pioneiro na América Latina.

Segundo João Fernandes, diretor executivo da EV Brasil, representante brasileira da empresa suíça Energy Vault, o setor prevê um crescimento explosivo do mercado brasileiro de armazenamento de energia nos próximos dois anos.

“Estamos falando de estocar energia gerada a partir do vento. O objetivo dessa estocagem é ter energia disponível para os momentos do dia em que não houver vento. O mesmo vale para a geração solar: estocar para os momentos em que não houver sol”, diz o executivo.

“Nossa expectativa é anunciar nas próximas semanas alguns outros projetos no Brasil e o do Rio Grande do Norte deverá ser o pioneiro também na América Latina”, acrescenta Fernandes.

Para que estocar vento?

As energias renováveis eólica e solar são intermitentes —isto é, nem sempre estão disponíveis. Usá-las 24 horas por dia requer o desenvolvimento de soluções de armazenamento que sejam confiáveis, mas também flexíveis.

A Energy Vault propõe uma solução que promete ser eficiente, durável e sustentável, com eficiência de ciclo energético de 80 a 85% (ou seja, só 15% da energia poderia se perder no processo), com uma estrutura de vida útil superior a 35 anos, sem causar danos ao ambiente com geração de resíduos químicos.

O potencial é da ordem de 400 MW a 600 MW em unidades de armazenamento de energia verde gravitacional até 2024 no Rio Grande do Norte, segundo o que prevê o memorando.

O projeto nasceu de uma aproximação entre o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio da Sedec (Secretaria de Desenvolvimento Econômico), e a embaixada do Brasil na Dinamarca. Próximo dali, em Davos (Suíça), a Energy Vault, empresa responsável pelo projeto brasileiro, foi vencedora do Prêmio “Pioneiros de Tecnologia 2020” do Fórum Econômico Mundial. A tecnologia que a empresa pretende trazer já foi testada na Suíça.

Fátima Bezerra (PT), governadora do Rio Grande do Norte, lembra que o estado lidera o ranking nacional de produção de energia eólica, e afirma que, agora, está assumindo mais uma posição de vanguarda, que é o armazenamento dessa energia.

“Estamos vivendo tempos difíceis num país com um potencial como o Brasil, ameaçado hoje até de apagão e crise no sistema elétrico. Então, é mais um motivo para a gente valorizar e celebrar o momento que estamos vivendo hoje”, disse na ocasião do anúncio.

Estocar vento: como funciona?

A energia elétrica é um conceito com o qual todos estamos acostumados. Ela pode alimentar um aparelho de som e se transformar em energia sonora. Já um carro para se mover transforma energia química dos combustíveis em cinética ao impulsionar as rodas.

Grosso modo, a tecnologia de armazenamento de energia eólica prevista para ser usada no Rio Grande do Norte utiliza blocos de concreto empilhados em torres de até 120 metros de altura para armazenar um outro tipo de energia: a potencial gravitacional.

“A energia potencial gravitacional é a energia que um objeto adquire ao ser elevado. Se soltarmos um objeto de uma grande altura e ele cair em cima de um carro, vai amassá-lo porque a energia potencial gravitacional que objeto tinha lá em cima se converteu em energia cinética ao cair e depois atingiu o carro”, explica Fernandes.

Um guindaste movido a combustível, por exemplo, ao levantar uma carga, transforma a energia química do combustível (ou elétrica, se for movido a eletricidade) em energia cinética (de movimento) e depois em energia potencial gravitacional da carga lá no alto.

“Nossa tecnologia recebe energia elétrica, essa energia elétrica alimenta um motor que eleva um bloco bem pesado, que adquire assim energia potencial gravitacional”, conta.

Falando assim, pode ser difícil visualizar, mas uma simulação 3D e vídeos de uma torre já construída em Arbedo-Castione, na Suíça, ajudam a entender melhor o processo. Confira abaixo:

Trata-se de uma enorme estrutura que funciona como um complexo ioiô. Instalada em um parque eólico e rodeada de blocos de concreto, ela é capaz de usar a energia elétrica produzida por um aerogerador e usá-la para mover esses blocos, armazenando essa energia neles.

“Nossa tecnologia é voltada para larga escala porque a quantidade de energia armazenada é bem maior do que uma bateria de carro ou do que uma bateria caseira. E é verde, porque, ao contrário das baterias químicas —desde as de carros até as de íon lítio, mais modernas—, não gera resíduos químicos que precisam ser tratados e dispostos adequadamente”, disse.

De acordo com o projeto da EV Brasil, o motor das suas estruturas é capaz de elevar e empilhar blocos de concreto da ordem de 35 toneladas cada e os blocos de concreto podem ficar empilhados com a energia armazenada pelo tempo que for necessário.

Quando for preciso consumir a energia guardada ali, basta baixar os blocos através de um cabo de aço acoplado a um gerador, havendo, assim, nova geração de energia elétrica e ainda limpa.

Mais segurança energética

Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Rio Grande do Norte é o líder nacional na produção de energia renovável, contando com 194 parques em operação, 47 em construção e 79 contratados. Somados os projetos, são 9,6 GW de potência no total.

Os empreendimentos em construção e contratados somam uma capacidade de 4,7 GW, fazendo com que o estado venha a ultrapassar os 10 GW em potência instalada dentro de quatro anos.

A região no nordeste brasileiro também possui o maior fator de capacidade média anual —proporção entre a produção efetiva em um período de tempo e a capacidade máxima no mesmo período— para a instalação de usinas eólicas offshore: isto é, parques de captação de energia pelo vento que fiquem em alto mar, longe da terra firme, onde o vento não encontra obstáculo. O potencial para geração de energia em plantas eólicas no mar é de 110 a 140 GW.

UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *