Motorista de ônibus é indiciado por homicídio em acidente com trem; Prefeitura e CBTU são citadas por tragédia

Foi indiciado por homicídio doloso (quando se assume o risco de morte), o motorista do ônibus da empresa Reunidas, Erivan Gomes Aureliano, de 50 anos, que conduzia o veículo na Avenida Bernardo Vieira, Zona Oeste de Natal, na manhã do dia 10 de julho, e que por “ignorar” os veículos parados ao seu lado, atravessou a linha férrea e foi atingido por um trem da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). Na ocasião, acidente resultou na morte do estudante de 14 anos, Francisco Davi de Almeida Teixeira, e em vinte e duas pessoas feridas.

Segundo o delegado Sérgio Leocádio, titular da Delegacia Especializada em Acidentes de Veículos (Deav), ainda foram indiciados o maquinista Nilson de Jesus, e o auxiliar Josadac Bernardino de Oliveira, acusados de omissão de socorro após o acidente onde o ônibus terminou tombando na via. Os funcionários da CBTU alegam que não pararam por determinação da companhia, que recomenda que o veículo sobre trilhos, em caso de acidente, só pare na próxima estação.

O delegado ainda destacou que, por conta de uma série de fatores fora do alcance humano, a CBTU e Prefeitura também foram citadas no inquérito, por conseqüência de problemas constatados, como falta de sinalização e outras medidas de prevenção no trajeto. Com isso, a medida poderá favorecer as vítimas do acidente, que poderão acionar a Justiça por seus direitos.