‘Não sou economista’, diz Bolsonaro sobre decisão de intervir na Petrobras e cancelar aumento do diesel

Foto: Reprodução/Rede Amazônica

Um dia após a Petrobras desistir de aumentar o preço do diesel, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não defende práticas “intervencionistas” nos preços da estatal, mas pediu uma justificativa baseada em números. Bolsonaro disse que telefonou para o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

“Liguei pro presidente, sim. Me surpreendi com o reajuste de 5,7%. Não vou ser intervencionista e fazer práticas que fizeram no passado, mas quero os números da Petrobras, tanto é que na terça-feira convoquei todos da Petrobras para me esclarecer por que 5,7% de reajuste, quando a inflação desse ano tá projetada para menos de 5%”, afirmou o presidente nesta sexta-feira (12), durante inauguração do novo terminal de passageiros no Aeroporto Internacional de Macapá.

“Se me convencerem, tudo bem, se não me convencerem tudo bem. Não é resposta adequada para vocês, não sou economista, já falei. Quem entendia de economia afundou o Brasil, tá certo? Os entendidos afundaram o Brasil”, completou Bolsonaro.

O presidente declarou que está preocupado com os caminhoneiros, que em maio do ano passado mantiveram bloqueios em rodovias por todo o país e causaram uma série de problemas de abastecimento. O principal motivo para a paralisação foi a alta do diesel.

“Estou preocupado com o transporte de cargas, com os caminhoneiros, são pessoas que fazem o transporte de cargas, de riquezas, Norte a Sul, Leste a Oeste e tem que ser tratado com o maior carinho e consideração (sic). Nós queremos um reajuste, reajuste não, um preço justo para o óleo diesel”, afirmou Bolsonaro.

Ele disse ainda que quer conversar com a Petrobras sobre a política de preços.

“Nós sabemos que a Petrobras não é minha, é do povo brasileiro. E eu quero conversar com eles sobre a política de preços, quanto custa o barril de petróleo tirado no Brasil, quanto custa lá fora, onde nós refinamos, com que preço, a que custo.”

Bolsonaro também criticou os impostos estaduais e disse que é preciso “mostrar à população que o ICMS é altíssimo, tem que cobrar de governador também, não só do presidente da República”.

“Então, essa política, de cada vez impostos mais altos, para tirar cada vez mais do posto de combustível, nós temos que ver, porque o Brasil não pode continuar nessa política de preços altos, mas não pelo ‘canetaço’ ou por imposição do chefe do Executivo.”

Recuo por decisão do presidente

Nesta quinta-feira (11), a Petrobras anunciou que aumentaria em 5,74% o preço do diesel nas refinarias, que passaria de R$ 2,1432 para R$ 2,2662 no dia seguinte. Ainda na quinta, a estatal recuou da decisão por determinação de Bolsonaro. O valor de R$ 2,1432 é o mesmo praticado desde 22 de março.

Em comunicado, a companhia informou que “em consonância com sua estratégia para os reajustes dos preços do diesel divulgada em 25/3/2019, revisitou sua posição de hedge e avaliou ao longo do dia, com o fechamento do mercado, que há margem para espaçar mais alguns dias o reajuste no diesel”.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse na quinta que o diesel é importante para os caminhoneiros e afirmou que um reajuste maior seria um “solavanco” na economia.

Reajuste mais longo

Em 26 de março, a Petrobras anunciou que os preços do diesel passariam a ser reajustados por períodos não inferiores a 15 dias. Com isso, a companhia abandonou, somente para o diesel, o formato usado desde 3 de julho de 2017, que previa reajustes com maior periodicidade – inclusive diariamente.

No fim de 2018, o governo anunciou o fim do programa de subsídios lançado após a greve dos caminhoneiros. A proposta tinha sido criada como uma resposta ao movimento grevista.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luladrão Encantador de Asnos disse:

    É isso mesmo? Os PTralhas estão defendendo aumento do Diesel, só pra serem contra a Bolsonaro!
    Canalhas.

  2. Antonio Turci disse:

    Interessante. Brasileiros elegeram um tal de FHC que logo depois de eleito mandou que esquecessem o que ele escreveu; depois elegeram outro troço chamado Luiz da Silva, apelidado de Lula e, em seguida uma senhora totalmente desequilibrada e de pouco trato. Agora a maioria dos brasileiros elegeu um cidadão patriota, que não é nenhum gênio, mas tem boa vontade e amor ao país. Aí vem tudo que é esquerdista botar defeito. Pessoal, não existe ser humano perfeito. Deixemos o Presidente governar em paz e vamos critica-lo quando realmente houver necessidade.

  3. Rafael disse:

    Alguem ai assistiu a entrevista? O título é o famoso pega trouxa.

  4. Lauro disse:

    Socorro perdi 20 mil hoje com merda de Bolsonaro na Petrobrás. Se continuar assim Presidente, vc vai me quebrar.

  5. Jório disse:

    A Petrobrás tem muitos privilégios como Estatal. O pais não pode ficar inteiramente seu refém. Se não fosse o dinheiro do BNDES ela teria falido. Assim, em nome do interesse público do País, pode adiar a aplicação de um reajuste sobre o diesel. Até porque, até hoje, o País ainda se recupera dos efeitos da greve dos caminhoneiros. E uma das principais funções dos gestores é evitar crises que possam prejudicar o País.

  6. IBMendonca disse:

    Hammmm….conte uma novidade!!!
    Para quem não iria interferir na Petrobras….começou cedo!!!

  7. Fagner disse:

    Que situação meu Deus. Essa anta foi eleito presidente?

    • Rômulo disse:

      Haja feno!

      Mourão! Socorrooo!

    • Marcel disse:

      Inteligente mesmo na sua opinião devia ser a Dilma, né? Um ser incapaz de organizar uma oração simples pra expressar o seu raciocínio (se é que ela possuía essa faculdade mental).

    • #Lula na cadeia disse:

      Cala a boca vagabundo seu ladrao preferido está na cadeia….vocês preferem ROUBAR A PETROBRAS VERMES PTRALHAS

    • Edilberto disse:

      Essa anta, não rouba, já as antas que vc votou ,além de tudo ,rouba, mente, enganar pessoas como vc.

COMENTE AQUI