Estado reduz pela metade ICMS do diesel para o setor de transporte coletivo de Natal, interestadual e cargas

O Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN), decidiu nesta terça-feira (23) reduzir em 50% a base de cálculo do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) do diesel e biodiesel adquiridos por empresas de transporte coletivo urbano, intermunicipal e alternativo no Rio Grande do Norte. A decisão foi confirmada após reunião da equipe do governo com trabalhadores e empresários.

A medida atende a uma demanda tanto de donos de empresas quanto de rodoviários, e representa um esforço do governo para contribuir com o fim da paralisação dos motoristas e cobradores de ônibus de Natal, que já dura dois dias. A superlotação da frota de emergência potencializa os riscos de transmissão do novo coronavírus (Covid-19) entre os passageiros que precisam usar o serviço.

Atualmente, o Estado recolhe 18% do valor desse tipo de combustível e, com a redução da base de cálculo pela metade, serão recolhidos das empresas de ônibus urbanos e de transporte de passageiros uma alíquota de apenas 9%, recursos que o governo abre mão para dar alternativas no sentido de sanar o impasse entre os trabalhadores do setor rodoviário e as empresas de transporte coletivo.

A desoneração visa também mitigar os efeitos da crise gerada pela pandemia para as empresas neste momento delicado da economia, em que grande parte do setor produtivo está com a rentabilidade baixa.

A redução será publicada nos próximos dias no Diário Oficial do Estado em forma de decreto, apresentando os detalhes para ter acesso ao benefício fiscal. A regra valerá tanto para as empresas de ônibus urbanos da capital quanto para o transporte opcional regulamentado pelos órgãos de trânsito e mobilidade urbana e intermunicipal.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dr. Veneno disse:

    Só se vê esses empresários PÔDRES de rico às custas de benesses públicas.
    Se dá pra um, tem q dar a todos, pois estamos todos na mesma situação.
    Ora mais!!

  2. Carlos disse:

    Governadora, excelente intervenção.
    Mas, por que não extender essa redução a todos os demais combustíveis e a toda sociedade?

  3. Luciana Morais Gama disse:

    Parabéns ao Governo do RN. Agora vamos aguardar a Prefeitura de Natal reduzir o ISS.

Petrobras reduz preços da gasolina em 12% e do diesel em 7,5%

Foto: Leandro de Santana/Agência Pixel Press/Estadão Conteúdo

A Petrobras informou que a partir desta quinta-feira (19), vai reduzir preço da gasolina em 12%, depois de ter anunciado, na semana passada, queda de 9,5% para o combustível. O preço do diesel terá queda de 7,5%, acima da redução de 6,5% ocorrida na semana passada.

Os preços dos combustíveis da Petrobras seguem a política da empresa de repassar para o mercado a paridade com o preço internacional.

Desde o último final de semana, o petróleo acelerou o processo de perda de valor, agravado na terça pela fala do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de prováveis medidas adicionais para conter o coronavírus,como a proibição de voos vindos do México e Canadá, depois de já ter fechado outras fronteiras.

A notícia afeta ainda mais o fluxo de transporte no mundo, já bastante restrito por causa da pandemia. A gasolina, junto com o diesel e o QAV (querosene de aviação) são responsáveis por 60% do consumo global de petróleo.

A Petrobras informou ainda que vai reduzir o preço do diesel marítimo em 7,7% e das térmicas em 7,6%, para o diesel S500, e em 7,8% para as unidades que utilizam S10.

De acordo com o analista Thadeu Siva, da INTL FCStone, o preço da gasolina caiu R$ 0,1820 e o diesel automotivo R$ 0,1330 nas refinarias.

“Estamos calculando o valor exato da paridade agora, mas a janela de importação segue aberta”, disse Silva ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. “A redução segue a estratégia de suavizar os movimentos do mercado internacional, repassando aos poucos a queda, o que preserva a margem e evita novos reajustes no caso de uma retomada”, explicou.

No início da semana, o analista da Ativa Investimentos, Ilan Arbetman, já havia previsto que, quando o petróleo ultrapassasse a barreira dos US$ 30 o barril, como ocorreu na terça, a estatal teria que anunciar uma nova queda de preços dos combustíveis, o que seria coerente com a sua política de preços baseada paridade internacional.

Estadão e R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Reno disse:

    9.5% semana passada que ainda não chegou nas bombas….
    Agora 12% que tbm não vai chegar nas bombas….
    Se fosse aumentar já tinha chegado nas bombas…..
    Não está adiantando nada baixar combustível!!

  2. Francisca disse:

    A CULPA É DE BOLSONARO.
    KKKKK
    CHUPA PETRALHAS!

  3. Rocha disse:

    Esses donos de postos são Pelés colocando faixas de promoção e o Procon de boca fechada. Cadê a imprensa!

  4. Brasil disse:

    Procon Natal mais uma vez não faz nada, fica tacando multa em pequenas empresas, enquanto os postos de gasolina faz e Diz faz e nada acontece, vai sobra para o prefeito, nas urnas verá

  5. Paulo disse:

    Será que tem PROCON em Natal?
    Não vejo redução e os preços parecem combinados entre donos de postos de combustíveis.

  6. Nilberto disse:

    No momento tem que se preocupar e com álcool gel.

  7. Emílio disse:

    Essa porra dessa baixa não chega a Natal

  8. JBBatista. disse:

    Os dois últimos aumentos já somam 21% e nos postos baixaram só 8 centavos, precisa o Procon que não faz nada começar a trabalhar. O diretor deu uma entrevista e perguntaram sobre o abuso no combustíveis ele deu a seguinte resposta"o momento agora e cuidar do conoravírus" estamos lascados.

  9. joão carlos disse:

    se o povo fosse esperto completaria os tanques e seguraria durante a quarentena que vai ser estabelecida… uma hora os postos vão ter que baixar, ou vão morrer com o combustível em estoque? rs

  10. Bilau disse:

    Duvido muito o natalense ver a redução de preços nas bombas…. a ganância entre distribuidoras e postos é muito grande….

  11. Manoel disse:

    Acho que precisa avisar aos postos de Natal! A redução anterior ainda não chegou nas bombas, imagine essa!

Sindipostos RN esclarece posição sobre preços de combustíveis no Estado

O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindipostos RN) vem a público, mais uma vez, esclarecer alguns pontos em relação aos preços dos combustíveis praticados nas bombas de todo o estado do Rio Grande do Norte. Reafirmamos que:

1. O Sindicato não monitora, acompanha, detalha ou opina sobre preços a serem praticados pelas revendas no estado. Em primeiro lugar porque, se o fizesse, poderia, aí sim e com propriedade, ser acusado de combinação de preços entre as revendas, caracterizando o crime de cartel;

2. Além disso, cada revenda é livre (por força da legislação que rege o segmento no país) para compor seu próprio preço final de venda levando em conta seus custos próprios, que estão ligados a inúmeras variáveis como localização (já que o valor de mercado do terreno onde está o posto impacta no capital imobilizado), número de funcionários, horário de funcionamento e serviços extras oferecidos aos clientes;

3. Os preços pelos quais os postos de Natal recebem cada litro de combustível das distribuidoras que os abastecem podem ser acompanhados por toda a população em levantamentos semanais feitos pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), disponíveis na internet no endereço anp.gov.br. Uma consulta ao site, por exemplo, mostra que, no período de 1º a 7 de março, o preço médio do litro da gasolina em Natal, entregue pelas distribuidoras aos postos, foi de R$ 3,972 enquanto que o preço médio praticado nas bombas foi de R$ 4,535, ou seja, uma margem de R$ 0,563 por litro (equivalente a 12,4% do valor total de margem bruta).
Por fim, reiteramos que às revendas o que mais interessa é que os preços ao consumidor sejam os mais baixos possíveis já que estes preços têm ligação direta com o volume de vendas de cada posto.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jacques disse:

    É óbvio que existe um cartel no RN. Porque na Paraíba os preços são tão menores se os dois estados estão sujeitos às mesmas regras tributárias?

  2. Cigano Lulu disse:

    Curioso é que todo mundo reclama mas ninguém tem coragem de dar uma "aliviada estratégica" no carro, deixá-lo ao menos uma semana por mês na garagem. Todos os dias vemos centenas de carros rodando nas ruas de Natal só com o motorista, nas horas de pico.
    Por que proprietários de veículos não criam um aplicativo – de código aberto – para pôr em prática a "semana sem carro"? Todos se cadastrariam e uns dariam carona a outros, em dias alternados, de modo que ninguém perca a mobilidade e todos possam impingir um boicote cidadão à usura dos postos de combustíveis.

  3. Cigano Lulu disse:

    Curioso é que todo mundo reclama mas ninguém tem coragem de dar uma "aliviada estratégica" no carro, deixá-lo ao menos uma semana por mês na garagem. Todos os dias vemos centenas de carros rodando nas ruas de Natal só com o motorista, nas horas de pico.
    Por que proprietários de veículos não criam um aplicativo para pôr em prática a "semana sem carro"? Todos se cadastrariam e uns dariam carona a outros, em dias alternados, de modo que ninguém perca a mobilidade e todos possam impingir um boicote cidadão à usura dos postos de combustíveis.

  4. Dr. Veneno disse:

    Quem acredita nessa balela??
    Gasolina saindo de Guamaré a R$ 1,407, e esse sujeito dizendo q as distribuidoras revendem R$ 3,97!!!
    R$ 3,97 deveria ser o preço de venda aí consumidor.
    Por esse valor, o sistema distribuidora/postos ainda ganham R$ 0,60/L.

  5. Manuel Marcelino Filho disse:

    Uma verdadeira piada essa justificativa , os promotores de Natal Realmente só servem pra torrar o dinheiro público.

  6. Kesia disse:

    Sendo que ha 2 dias os precos nas refinarias foram diminuidos e ainda nao tivemos resultado nas bombas.
    Mas quando ha aumento, no mesmo dia ja repercute nas bombas.

    A questao do combustivel no RN é uma imensa caixa preta.

  7. Curioso disse:

    Esse sindicato é composto por donos de postos. É claro que eles combinam os preços, e quem não entra no esquema fica queimado e sem apoio do sindicato.

  8. carlos disse:

    quero a palavra dos donos das maiores redes de postos uns tem acima de 35,o pseudo presidente e um tangerina.no transporte e a mesma coisa , vocês já notaram que este blog combina entrevista.antes dos anos 80 a imprensa carioca fazia a mesma coisa com o pessoal do jogo de bicho se colocava um boi de piranha até para ser preso O povo do rn e uma bando de atestado.gasolina joao pessoa 4.o9
    em natal 4.69

  9. Azevedo disse:

    Esse sindicato é composto por um bocado de cabra de péia, verdadeiros bandidos da ordem econômica local.

  10. Azevedo disse:

    Esses donos de postos de gasolina na sua maioria, são verdadeiros bandidos , pois formam um verdadeiro cartel dos combustíveis no RN, até pagando propina a políticos para não deixarem as Redes de supermercados nacionais de montarem postos nos seu estabelecimentos. São R$ 230.000,00 razões para os políticos municipais e prefeitos passados não liberarem essas licencas.

  11. Jonas disse:

    CARTEL , CARTEL , CARTEL, muito bem orquestrado .
    Só um leigo não entende como funciona.

  12. Alisson disse:

    Cada comentário idiota dos esquerdas, que ate desanima para ler as notícias… How @leo… Deixa de ser palhaço, não precisa do estado intervir nos preços do combustível na bomba, precisa apenas de que os postos parem com o cartel.

  13. Araken Farias disse:

    O sindippstos afirma que recebem a gasolina a um preço medio de 3.972 e vendem à 4.535. Em joao pessoa a gasolina na bomba custa 3.966. Explique ?

    • Lucio disse:

      O sindpostos no RN é um cartel muito bem alinhado é entrosado com o Poder Público que nunca fez nada para acabar com esse esquema. O que deve encarecer os combustíveis em Natal é o imposto que o Governo do RN cobra, quanto ao preço que recebem devem ser iguais aos da Paraíba e Pernambuco, pois muitos pegam os combustíveis em Cabedelo – PB. Gasolina a 3,96 em João Pessoa e 4,29 em Recife. Sindpostos vão jogar "papa" nos olhos dos outros .

  14. João sem Braço disse:

    Até o fim da epidemia de corona vírus os preços devem baixar aqui em Natal. Esses donos de postos vão se fu….. Os carros elétricos vêm aí.

  15. Tô veno disse:

    Tenho percebido esse "fenômeno" também: às vésperas de uma redução anunciada no preço da gasolina, o valor do litro aumenta nos postos para daí baixar minimamente na bomba.
    A redução nos preços dos combustíveis não é nem de longe de interesse governamental porque diminui a arrecadação (do estado especialmente, com o ICMS), e isso ajuda a explicar em parte por que os donos de postos de combustíveis têm tanta liberdade para fixar seus preços sem serem incomodados. Todos nós sabemos o quanto tem sido abusiva a política de preços desse setor da economia, mas isso não incomoda os políticos pois têm seus "gastos" com combustível pagos pelos contribuintes. E sem a política nada se revolve nesse pais… continuamos na merda.

    • Dr. Veneno disse:

      Penso exatamente como vc.
      E ainda digo mais: tem o dedo do governo do Estado nos preços dos combustíveis aqui no RN.
      Qto mais baixos os preços, menos arrecadação. Não é isso o q os governantes querem.

  16. Sérgio disse:

    É muito engraçado ver o sindposto fizer que os donos de postos não combinam preço, na hora de baixar e subir é sempre tudo igual da noite para o dia, o preço aumenta na refinaria, no outro dia aumenta na bomba, agora na hora de baixar, aí é uma luta, isso é o Brasil, cadê o procon????? Só enganação, a maior mentira

  17. Leo disse:

    O Interessante e que, se vê nos noticiários e que baixou, mais em um dia você abastece a R$4.25 aí no outro já está a R$4.66. Covardia.

  18. Victor pablo disse:

    O mais engracado eh que quanndo foi p baixar demorou 21 dias, a desculpa era que existia combustivel em estoque e tinha que esperar acabar o estoque para fazer a reducao de preco. Mas quando anuncia o aumento em 30 min os precos sobem nos postos!

  19. Torres disse:

    Esses caras tem muita cara de pau para falar uma coisa dessa…
    Uma notinha para enganar os bestas.

  20. Edimilson disse:

    Passei há pouco em nosso vizinho Estado da Paraíba, onde abasteci meu carro ao preço de R$3,99 o litro. O RN sempre teve os preços elevados. Vergonhoso isso. O que se vê realmente é um cartel escancarado.

  21. Luiz Fernando disse:

    Bando de canalhas e um MP frouxo.

  22. Anderson disse:

    Diga mais, Sindpostos! Conte a sua historinha de sempre! O Sindpostos defende os interesses dos barões do petróleo, não queira se esquivar da sua rotina. Engraçado que 95% dos postos de combustíveis aumentou os valores nas bombas quase que automaticamente. Aparenta estarem muito bem alinhados, mas claro: tudo isso é conhecidência., não existe cartel algum. Salvo se o Ministério Público entender diferente. Caso contrário, continuemos colocando as mãos nas nossas nucas quando formos abastecer, a prudência nos orienta assim. Segundo especialistas em segurança, não é aconselhável reagir a possiveis assaltos.

  23. Acorda Brasil disse:

    Canalhas. O chá de vocês está coando. Já estou juntando o dinheiro do meu próximo carro. VAI SER ELÉTRICO.

  24. Chico Araujo disse:

    Alô MINISTÉRIO PÚBLICO !!! Alô ANP (Pra que serve mesmo esta agência???)
    O Cartel está escancarado. É clara a exploração dos consumidores.
    Quando é para para os postos aumentarem o preço dos combustíveis na bomba, basta a simples notícia da Petrobras divulgada na Rádio Peão do sindipostos.
    Agora quando sai nas redes de TV que a Petrobras baixou o preço da gasolina e diesel em torno de 10%, aí vem com justificativas pra boi dormir….Me poupe.

  25. FRASQUEIRINO disse:

    Falta explicar a velocidade praticada pelos postos de combustível quando da majoração dos preços. Para reduzir é uma novela.

  26. Francisco Alves disse:

    E alguém esperava que Sindipostos fosse assumir que, é ele quem impõe o valor do combustível aos postos? Seria o mesmo que confessar a prática do crime de formação de cartel, não é mesmo? O fato é que esse tipo de crime é bastante difícil de ser comprovado a autoria. Todos sabemos que existe um comando para os preços praticados no RN, e que essas diretrizes são extremamente bem articuladas! O lucro extorsivo também caracteriza crime contra a economia popular ou contra o consumidor, mas provar alguma coisa contra algum proprietário de posto no RN, há muito que se espera sem resultado. O MP no que diz respeito a uma investigação séria a esse respeito, é cego, surdo e mudo.

  27. Carlos disse:

    Pense numa mentira da peste bobônica!
    Dizer que o Sindposto não monitora o preço dos combustíveis, era só que faltava pra terminar de chamar o consumidor de burro.
    Sindposto, explica porque quase todos os postos de Natal praticam o mesmo preço????
    O cartel tá mais que claro, Sindposto

  28. Gilvan disse:

    Acho que essa nota não esclareceu nada com nada apenas justificou a pratica de preços abusivos por parte do cartel de postos do nosso estado porque anteontem o governo anunciou uma queda nos preços da gasolina nas refinarias na ordem de 9,5% a partir de ontem isso traria o preço a um patamar de menos de R$ 4,00 Reais então o que eles fizeram? aumentaram os preços absurdamente de uma hora pra outra ara quando for realmente aplicar a redução de quase 10% os preços ficarão muito próximos do praticado a dois dias atras.

  29. Bruno disse:

    É um farsa montada esses postos, n vejo uma autoridade empenhada para desmascarar essa classe de ienas, verdadeiros embustes, nas eleições vamos colocar gente nova para acabar a farra dos postos, tb sou louco que os carros elétricos virem febre pra ver essa classe siscando seco.

  30. Luciana Morais Gama disse:

    Pq todos os postos passaram para $ 4,69 de uma hora para outra sem que tivesse havido anúncio de alta do petróleo, pelo contrário só tá baixando, menos nas bombas.

    • Leo disse:

      Nao entendo vc, gado. É eleitora do Asno, defende a política do Jegues neoliberal e está revoltadinha com o "livre mercado" dos postos de gasolina? Quer q o estado intervenha? Se decida minion!

Petrobras reduz em mais de 4% preço da gasolina e do diesel nas refinarias

Foto: Sergio Moraes / Reuters

A Petrobras decidiu reduzir em 4,3% o preço da gasolina e em 4,4% o do diesel em suas refinarias a partir desta quinta-feira, dia 6 de fevereiro. Esta é a segunda vez em menos de uma semana que a estatal reajusta para baixo o preço dos combustíveis.

No último dia 31, a petrolífera reduziu em 3% os preços da gasolina e do diesel em suas refinarias.

A decisão da Petrobras vem em linha com as recentes quedas no valor do petróleo no mercado internacional. Em janeiro deste ano, o barril do óleo tipo Brent acumulou desvalorização de 15%: passando de US$ 68,44 para US$ 58,16.

O recuo no preço da commodity está associado com a redução da demanda chinesa pelo produto. O país asiático enfrenta uma epidemia de coronavírus que já vitimou centenas de pessoas e obrigou o governo prolongar férias e até fechar algumas estradas e distritos.

Nesta quarta, a agência de classificação de risco Moody’s publicou um relatório analisando que o preço do petróleo só tende a ser estabilizado à medida em que a doença for controlada.

“O atual surto de coronavírus reduziu a atividade econômica na China, o maior importador de petróleo do mundo. As estimativas da redução de curto prazo na demanda global de petróleo já se mostraram profundas o suficiente para enfraquecer os preços do petróleo nos últimos dias. Embora um choque de demanda de curto prazo na China aumente significativamente a volatilidade do preço do petróleo, é provável que os preços se recuperem assim que a propagação da infecção por coronavírus for contida ”, indicou o relatório da Moody’s.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Everton disse:

    Se Bolsonaro baixasse os tributos federais chegaria no consumidor, mas ele só trabalha p milico e rico

  2. João Dantas de lima disse:

    BG, eu não entendo, como um litro de gasolina e álcool, e mais barato em São Paulo do Potengi do que em Natal, estive lá no final de semana e verifiquei que um litro de álcool custa 3.35 é um litro de gasolina 4.55

  3. Biu disse:

    Fatoca num abra não, segura seus 30% de imposto, quem quiser que ande de bicicleta, vai ser bacana de carro na casa do c****

Petrobras baixa gasolina em R$ 0,03 e diesel em R$ 0,04

Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

A Petrobras anunciou, nessa quinta-feira (18), uma redução no preço do litro da gasolina de R$ 0,0360 e no litro do diesel de R$ 0,0444. Os valores são referentes aos preços médios dos combustíveis vendidos pelas refinarias aos distribuidores e valem a partir da meia-noite desta sexta-feira (19).

O presidente Jair Bolsonaro informou, em sua conta no Twitter, que a redução [média] foi de 2,1% na gasolina e de 2,2% no diesel.

Os preços variam segundo cada refinaria da estatal, nos diversos estados brasileiros. Os menores valores da gasolina são praticados em São Luís (MA), R$ 1,51; Itacoatiara (AM), R$ 1,55; e Manaus (AM), R$ 1,58. Os maiores valores da gasolina estão nas refinarias de Brasília, R$ 1,81; Senador Canedo (GO), R$ 1,80; e Uberaba, R$ 1,80.

Os menores preços do diesel S500, mais vendido nas estradas, estão em Itacoatiara (AM), R$ 1,93; São Luís, R$ 1,94; Guamaré (RN), R$ 1,96; e Manaus (AM), R$ 1,96. Os maiores valores são os praticados em Senador Canedo (GO), R$ 2,17; Brasília, R$ 2,17; e Uberaba (MG), R$ 2,17.

Segundo a estatal “os preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras têm como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias”.

Combustíveis tipo A

A gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras são diferentes dos produtos no posto de combustíveis. São os combustíveis tipo A, ou seja, gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel também sem adição de biodiesel. Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo A misturados a biocombustíveis. Os preços divulgados pela estatal se referem aos produtos tipo A.

Sobre esses valores, vão incidir a margem de lucro das distribuidoras e dos postos de combustíveis, os impostos, que variam de um estado para outro, o custo da mão de obra, entre outras variáveis. A tabela completa com os valores pode ser conferida no site da Petrobras.

Agência Brasil

 

‘Não sou economista’, diz Bolsonaro sobre decisão de intervir na Petrobras e cancelar aumento do diesel

Foto: Reprodução/Rede Amazônica

Um dia após a Petrobras desistir de aumentar o preço do diesel, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não defende práticas “intervencionistas” nos preços da estatal, mas pediu uma justificativa baseada em números. Bolsonaro disse que telefonou para o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

“Liguei pro presidente, sim. Me surpreendi com o reajuste de 5,7%. Não vou ser intervencionista e fazer práticas que fizeram no passado, mas quero os números da Petrobras, tanto é que na terça-feira convoquei todos da Petrobras para me esclarecer por que 5,7% de reajuste, quando a inflação desse ano tá projetada para menos de 5%”, afirmou o presidente nesta sexta-feira (12), durante inauguração do novo terminal de passageiros no Aeroporto Internacional de Macapá.

“Se me convencerem, tudo bem, se não me convencerem tudo bem. Não é resposta adequada para vocês, não sou economista, já falei. Quem entendia de economia afundou o Brasil, tá certo? Os entendidos afundaram o Brasil”, completou Bolsonaro.

O presidente declarou que está preocupado com os caminhoneiros, que em maio do ano passado mantiveram bloqueios em rodovias por todo o país e causaram uma série de problemas de abastecimento. O principal motivo para a paralisação foi a alta do diesel.

“Estou preocupado com o transporte de cargas, com os caminhoneiros, são pessoas que fazem o transporte de cargas, de riquezas, Norte a Sul, Leste a Oeste e tem que ser tratado com o maior carinho e consideração (sic). Nós queremos um reajuste, reajuste não, um preço justo para o óleo diesel”, afirmou Bolsonaro.

Ele disse ainda que quer conversar com a Petrobras sobre a política de preços.

“Nós sabemos que a Petrobras não é minha, é do povo brasileiro. E eu quero conversar com eles sobre a política de preços, quanto custa o barril de petróleo tirado no Brasil, quanto custa lá fora, onde nós refinamos, com que preço, a que custo.”

Bolsonaro também criticou os impostos estaduais e disse que é preciso “mostrar à população que o ICMS é altíssimo, tem que cobrar de governador também, não só do presidente da República”.

“Então, essa política, de cada vez impostos mais altos, para tirar cada vez mais do posto de combustível, nós temos que ver, porque o Brasil não pode continuar nessa política de preços altos, mas não pelo ‘canetaço’ ou por imposição do chefe do Executivo.”

Recuo por decisão do presidente

Nesta quinta-feira (11), a Petrobras anunciou que aumentaria em 5,74% o preço do diesel nas refinarias, que passaria de R$ 2,1432 para R$ 2,2662 no dia seguinte. Ainda na quinta, a estatal recuou da decisão por determinação de Bolsonaro. O valor de R$ 2,1432 é o mesmo praticado desde 22 de março.

Em comunicado, a companhia informou que “em consonância com sua estratégia para os reajustes dos preços do diesel divulgada em 25/3/2019, revisitou sua posição de hedge e avaliou ao longo do dia, com o fechamento do mercado, que há margem para espaçar mais alguns dias o reajuste no diesel”.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse na quinta que o diesel é importante para os caminhoneiros e afirmou que um reajuste maior seria um “solavanco” na economia.

Reajuste mais longo

Em 26 de março, a Petrobras anunciou que os preços do diesel passariam a ser reajustados por períodos não inferiores a 15 dias. Com isso, a companhia abandonou, somente para o diesel, o formato usado desde 3 de julho de 2017, que previa reajustes com maior periodicidade – inclusive diariamente.

No fim de 2018, o governo anunciou o fim do programa de subsídios lançado após a greve dos caminhoneiros. A proposta tinha sido criada como uma resposta ao movimento grevista.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luladrão Encantador de Asnos disse:

    É isso mesmo? Os PTralhas estão defendendo aumento do Diesel, só pra serem contra a Bolsonaro!
    Canalhas.

  2. Antonio Turci disse:

    Interessante. Brasileiros elegeram um tal de FHC que logo depois de eleito mandou que esquecessem o que ele escreveu; depois elegeram outro troço chamado Luiz da Silva, apelidado de Lula e, em seguida uma senhora totalmente desequilibrada e de pouco trato. Agora a maioria dos brasileiros elegeu um cidadão patriota, que não é nenhum gênio, mas tem boa vontade e amor ao país. Aí vem tudo que é esquerdista botar defeito. Pessoal, não existe ser humano perfeito. Deixemos o Presidente governar em paz e vamos critica-lo quando realmente houver necessidade.

  3. Rafael disse:

    Alguem ai assistiu a entrevista? O título é o famoso pega trouxa.

  4. Lauro disse:

    Socorro perdi 20 mil hoje com merda de Bolsonaro na Petrobrás. Se continuar assim Presidente, vc vai me quebrar.

  5. Jório disse:

    A Petrobrás tem muitos privilégios como Estatal. O pais não pode ficar inteiramente seu refém. Se não fosse o dinheiro do BNDES ela teria falido. Assim, em nome do interesse público do País, pode adiar a aplicação de um reajuste sobre o diesel. Até porque, até hoje, o País ainda se recupera dos efeitos da greve dos caminhoneiros. E uma das principais funções dos gestores é evitar crises que possam prejudicar o País.

  6. IBMendonca disse:

    Hammmm….conte uma novidade!!!
    Para quem não iria interferir na Petrobras….começou cedo!!!

  7. Fagner disse:

    Que situação meu Deus. Essa anta foi eleito presidente?

    • Rômulo disse:

      Haja feno!

      Mourão! Socorrooo!

    • Marcel disse:

      Inteligente mesmo na sua opinião devia ser a Dilma, né? Um ser incapaz de organizar uma oração simples pra expressar o seu raciocínio (se é que ela possuía essa faculdade mental).

    • #Lula na cadeia disse:

      Cala a boca vagabundo seu ladrao preferido está na cadeia….vocês preferem ROUBAR A PETROBRAS VERMES PTRALHAS

    • Edilberto disse:

      Essa anta, não rouba, já as antas que vc votou ,além de tudo ,rouba, mente, enganar pessoas como vc.

Petrobras vai passar a reajustar diesel a cada 15 dias e anuncia cartão para caminhoneiros

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

A diretoria da Petrobras aprovou mudanças na periodicidade de reajuste nos preços do diesel vendido para as refinarias. Os preços passarão a ser reajustados, no mínimo, a cada 15 dias, informou a estatal nesta terça-feira (26) em comunicado ao mercado.

Desde então, a petroleira vinha reajustando o combustível em intervalos menores, desde o fim do programa de subsídios lançado pelo governo após a greve dos caminhoneiros.

Somente em março, foram anunciados 5 reajustes no preço do diesel, sendo 4 aumentos e duas reduções. No ano, o preço médio do diesel nas refinarias acumula alta de 18,48%.

Nos postos, o preço médio do litro do diesel no país subiu 0,1% na semana passada, para R$ 3,540, segundo levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP). No ano, entretanto, a alta é menor que o verificado nas refinarias, de 2,6%.

O repasse dos reajustes ao consumidor final, nos postos, depende de uma série de variáveis, como a margem de revendedores e distribuidores, impostos e da mistura obrigatória de biocombustível.

Segundo a Petrobras, os preços do diesel nas refinarias correspondem a cerca de 54% do valor cobrado na bomba ao consumidor final.

Cartão para caminhoneiros

Junto da medida, a Petrobras também informou que sua subsidiária Petrobras Distribuidora S.A. (BR) está desenvolvendo, para daqui a 90 dias, um cartão de pagamentos que viabilizará a compra por caminhoneiros de litros de diesel a preço fixo nos postos com a bandeira BR (Cartão Caminhoneiro).

“O cartão servirá como uma opção de proteção da volatilidade de preços, garantindo assim a estabilidade durante a realização de viagens”, informou a estatal.

Política de preços

A companhia pontuou que continuará a utilizar mecanismos de proteção financeira, como o hedge com o emprego de derivativos, cujo objetivo é preservar a rentabilidade de suas operações de refino.

“Ficam mantidos os princípios que balizam a prática de preços competitivos, como preço de paridade internacional (PPI), margens para remuneração dos riscos inerentes à operação e nível de participação no mercado”, disse a empresa, em comunicado.

Segundo a companhia, a paridade internacional será mantida, evitando práticas que poderiam caracterizar monopólio, já que possui 98% da capacidade de refino do Brasil.

Em setembro do ano passado, a Petrobras anunciou a adoção de um mecanismo de proteção financeira para aumentar os intervalos de reajustes nos preços da gasolina nas refinarias em até 15 dias. O objetivo era dar mais flexibilidade à sua política de preços.

Programa de subsídio

O programa de subsídio ao diesel foi estabelecido em junho, após o governo fechar um acordo com caminhoneiros para encerrar os protestos que paralisaram o país.

O preço de comercialização para a Petrobras e outros agentes que participam do programa, incluindo alguns importadores, foi congelado naquele mês a R$ 2,0316 por litro.

Empresas como a Petrobras que aderiram ao plano precisavam praticar preços estipulados pelo governo e eram ressarcidas em até 30 centavos por litro, dependendo do cenário de preços externos.

G1

 

Petrobras informa redução no preço médio do diesel

A Petrobras informa que o preço médio do diesel praticado pela companhia em suas refinarias e terminais passará a ser de R$ 1,7984 por litro, no período de 29/11/2018 a 15/12/2018, uma redução de 15,3%, em decorrência da aplicação da metodologia estabelecida pela Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) na Resolução nº 743/2018.

O valor reflete a média aritmética dos preços de diesel rodoviário, sem tributos, praticados pela Petrobras em suas refinarias e terminais no território brasileiro. Este novo período do Programa de Subvenção continua a prever o ajuste nos preços médios regionais (Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Norte sem Tocantins e Nordeste com Tocantins).

A companhia continuará a análise econômica do programa de subvenção para o período subsequente.

Desconto de R$ 0,46 no diesel será mantido até 31 de dezembro

Padilha afirmou que o governo editará decreto até a próxima quarta-feira, 1 Foto: ANDRE DUSEK/ESTADÃO

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, confirmou nesta terça-feira, 31, que o governo vai manter o desconto total de R$ 0,46 no preço do litro do óleo diesel até o final do ano, como acordado durante a greve dos caminhoneiros. Apesar disso, Padilha admitiu que, na prática, o preço do diesel pode aumentar dependendo da variação no preço do mercado internacional nos próximos meses.

Como antecipou o Estadão/Broadcast, Padilha afirmou que o governo editará decreto até a próxima quarta-feira, 1, para renovar a subvenção ao preço do diesel a partir de agosto e manter o subsídio de R$ 0,30 por litro. O valor é o mesmo da medida baixada no início de junho e que vigora até esta terça-feira. Essa é a parcela do subsídio pelo qual o governo precisa ressarcir a Petrobrás e os demais fornecedores do combustível. A União reservou R$ 9,5 bilhões para bancar essa parte do pacote, que ficou conhecido como “bolsa caminhoneiro” após a greve no setor.

“O compromisso que o governo tinha com os caminhoneiros era manter o desconto de R$ 0,46 até 31 de dezembro de 2018. Portanto, vencido o primeiro período em que haverá revisão do preço, variações podem ser positivas ou negativas, e aí teremos o novo preço”, declarou Padilha em coletiva de imprensa durante cerimônia de comemoração dos 20 anos do Código de Trânsito Brasileiro, no Palácio do Planalto.

Padilha disse que “é óbvio” que, se no preço internacional variar, “pode haver aumento” no preço final do diesel no Brasil. Inicialmente, o acordo com os caminhoneiros previa que os aumentos ocorressem a cada 60 dias e depois passariam a ocorrer de 30 em 30 dias.

Questionado se ainda há risco de ocorrer uma nova greve, Padilha disse que o governo está fazendo tudo o que prometeu aos caminhoneiros para evitar paralisações. Ele lembrou e há uma comissão na ANTT trabalhando de forma permanente para dialogar com os interessados e trabalhar na construção da tabela de frete. “O grande nó que está sendo implantado pela ANTT é ter os termos, os preços da nova tabela, isso está sendo construído de forma colegiada entre as várias partes.”

Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alexandre disse:

    Mais um aumento na surdina, o governo federal informa inflação baixa, mas dólar 3,755, e nossa gasolina sobe 8,7678% em um único dia. República de Bananas é o que somos.

  2. henrique disse:

    E a gasolina que estava de R$ 4,21 no domingo e amanheceu na segunda de 4,59 em todos os postos de Natal, ainda falam que não existe cartel em Natal.

Petrobras reduzirá preço da gasolina em 0,4% e do diesel em 2,3% a partir desta sexta

A Petrobras anuncia redução dos preços dos combustíveis para esta sexta-feira, 18 de agosto, nas refinarias, de 0,4% para a gasolina e 2,3% para o diesel. A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores.

Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais.

Petrobras reduzirá preço da gasolina em 1,4% e diesel 0,1% nas refinarias

A Petrobras anuncia redução dos preços dos combustíveis para esta quarta-feira, 17, nas refinarias, de 1,4% para a gasolina e 0,1% para o diesel.

A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores.

Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. hwh disse:

    Quando o preço aumenta no outro dias os posto aumentam também, agora quando abaixam não vi nenhum ainda.

Seturn estuda pedir reajuste da tarifa

Em matéria da Tribuna do Norte, por Andrielle Mendes

O litro do óleo diesel ficará, em média, 4% mais caro nos postos a partir de segunda-feira (dia 16). O incremento é reflexo do reajuste de 6% no preço do diesel vendido pela Petrobras às refinarias, anunciado na última quinta. Não é só o consumidor “comum”, porém, que pagará mais pelo combustível. O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros do Município do Natal (Seturn) calcula um aumento de pelo menos R$ 170 mil/mês nos custos das empresas de ônibus, com o aumento do preço do diesel.

Se o reajuste nas bombas não for de 4%, como projeta a Petrobras, mas de 6%, como estima Augusto Maranhão, diretor de comunicação do sindicato, o incremento no custo sobe para R$ 210 mil/mês. Os empresários vão se reunir na próxima segunda-feira (16) para discutir o impacto do aumento. Eles estudam a possibilidade de exigir aumento na tarifa de ônibus ou a desoneração do óleo diesel para as empresas. Vinte e cinco porcento do preço do litro vai para o governo do estado, em forma de tributos, afirma Maranhão.

A frota natalense (total de 800 ônibus) consome, em média, 2,1 milhões de litros de óleo diesel por mês. Só a empresa Cidade de Natal, dirigida por Augusto Maranhão, considerada a menor em termos de frota, consome 200 mil litros por mês. Para cobrir os novos custos, a tarifa teria que ser reajustada em 2%, calcula Maranhão. Isso representaria um aumento na tarifa dos atuais R$ 2,20 para cerca de R$ 2,24 (considerando o valor cobrado em Natal). Segundo ele, se nenhuma medida for tomada, “o impacto será devastador”. O óleo diesel representa, atualmente, 35% dos custos das empresas – mais de 1/3.

REAJUSTE

Este foi o segundo reajuste repassado pela Petrobras em menos de um mês para o preço do combustível. No dia 25 de junho, a gasolina foi elevada em 7,83% nas refinarias, e o diesel, em 3,94%. Para evitar impacto para o consumidor, o governo federal – que tem participação na Petrobras – zerou a alíquota da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) que incide sobre os derivados de petróleo, e manteve o preço das bombas.

Os dois reajustes anteriores nos preços do diesel, também sem tributos, nas refinarias foram de 2%, em 1º de novembro de 2011, e de 3,94%, em 25 de junho de 2012. “Nesses dois casos, os aumentos foram compensados integralmente pela redução da CIDE por meio de Decreto do Governo Federal. Dessa forma, não se justificaria, nos dois anteriores, qualquer alteração nos preços na bomba”, informou a companhia, através de sua assessoria de comunicação.

No Rio Grande do Norte, o reajuste deve significar um aumento de pelo menos R$ 0,08 no preço, empurrando o valor do litro para até R$ 2,17, considerando o valor máximo registrado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Rio Grande do Norte (Sindipostos) prefere não arriscar um percentual. O impacto do reajuste  nas bombas dependerá, segundo o sindicato, de negociações entre revendedores e distribuidoras.

Link para matéria completa: http://tribunadonorte.com.br/noticia/seturn-estuda-pedir-reajuste-da-tarifa/225785

Consumidor pode pagar mais caro pelo diesel a partir deste domingo

Os consumidores que forem abastecer seus veículos com óleo diesel nos postos de todo o país, a partir de amanhã (1º), poderão pagar um aumento médio de R$ 0,02 (dois centavos) pelo litro do derivado.

Segundo nota divulgada pela Federação Nacional do Comércio de Combustíveis Lubrificantes (Fecombustíveis), que representa os postos de serviços e revendedores de gás liquefeito, os postos de combustíveis já vêm sendo comunicados por suas distribuidoras de que haverá elevação no preço de custo do litro de diesel.

A alta decorre dos maiores valores cobrados pelo biodiesel no vigésimo sexto leilão do produto, realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), com o início das entregas previsto para amanhã.

A elevação nada tem a ver com o reajuste do preço do diesel na refinaria, anunciado pela Petrobras na semana passada. A Fecombustíveis lembra que, desde janeiro de 2010, todo diesel rodoviário comercializado no Brasil possui 5% de biodiesel, o chamado B5.

Em entrevista dada hoje (30), à Agência Brasil, o presidente da Fecombustíveis, Paulo Miranda Soares, ressaltou que o aumento de 3,4%, concedido na semana passada, para o diesel vendido em suas refinarias, não impactou o consumidor, tendo em vista que o governo federal zerou a alíquota relativa à Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide).

“Esse repasse médio de dois centavos decorre exclusivamente do aumento do óleo vegetal. No caso, é o biodiesel que é misturado ao diesel convencional. Segundo o atual modelo de comercialização de combustíveis no Brasil, o posto revendedor não pode comprar produto diretamente da refinaria ou das usinas, adquirindo-o exclusivamente das distribuidoras”, disse.

Assim, o preço do diesel, inevitavelmente, acaba vinculado ao valor cobrado pelas distribuidoras. O presidente da Fecombustíveis ressaltou que o mercado é livre e competitivo em todos os segmentos, e que, portanto, caberá a cada distribuidora e posto revendedor decidir se repassa ou não ao consumidor os maiores preços, bem como em qual percentual, de acordo com suas estruturas de custo.

“Nós estamos alertando os consumidores sobre a possibilidade do aumento porque as companhias distribuidoras já nos avisaram que estão comprando esse óleo [biodiesel] mais caro e que teriam que repassar este aumento. É preciso ressaltar, ainda, que as margens de comercialização do óleo diesel são muito pequenas – são as menores dentre todos os derivados. Eu acredito que dificilmente o revendedor consiga absorver o aumento sem repassá-lo ao consumidor final”, disse.

Fonte: Agência Brasil

Diesel deixa o Brasil

Nem tudo são flores no mercado de alto luxo no Brasil:

Folha On Line:

A Diesel, grife italiana conhecida por seus jeans de luxo, vai fechar suas três lojas próprias no Brasil.

Inaugurada em 2008 com a presença do dono da marca, o italiano Renzo Rosso, a loja da rua Haddock Lobo, nos Jardins (zona oeste de São Paulo) teve neste sábado seu último dia de expediente.

O investimento no ponto dos Jardins — que era o maior do grupo no mundo, com espaço de 1.700 metros quadrados, divididos em quatro andares — foi de de US$ 7 milhões.

As outras duas lojas da marca, a do Shopping Iguatemi, em São Paulo, e a do Fashion Mall, no Rio, encerrarão suas operações no próximo sábado, dia 4.

Segundo a Folha apurou, cerca de 50 funcionários serão demitidos.

De acordo com a assessoria de imprensa da Diesel, o fechamento das lojas faz parte de uma “reestruturação” da marca no país. “As lojas serão reabertas dentro de poucos meses e os funcionários, recontratados”, disse a assessoria.

O empresário paulista Esber Hajli é o representante da marca no Brasil desde 2001.

SALDÃO

(mais…)