Passeios aos Parrachos do Litoral Norte estão suspensos

FOTO: ASCOM/IDEMA

A paralisação das atividades de visitação turística nos Parrachos da Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais (APARC), prevista para o mês de junho, será antecipada, e acontecerá entre os dias 01 e 20 de abril. O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema informa que essa parada acontece anualmente e tem como principal objetivo o monitoramento ambiental da área.

O diretor geral do Idema, Leon Aguiar, pontua que a antecipação da paralisação se deu em razão do período em que o Estado se volta para o combate ao novo coronavírus. “Essa medida preventiva observa a necessidade que seja evitada qualquer aglomeração em ambientes abertos e, também, o fato da Área de Proteção receber turistas de todos os lugares. É certo que precisamos fortalecer o turismo sustentável, mas o momento requer sensibilidade para a segurança coletiva”, disse o diretor.

O supervisor do Núcleo de Gestão de Unidades de Conservação (Nuc/Idema), Rafael Laia, relata que durante esta paralisação será realizado um monitoramento ambiental, através de coletas de dados ambientais, a fim de registrar possíveis diferenças no comportamento do Ecossistema recifal. “Realizamos o acompanhamento do Ecossistema em todos os períodos, inclusive quando não há visitação turística nas áreas dos parrachos. Nesses dias serão registradas informações sobre a ocupação de comunidades de peixes, o crescimento algal, e outros indicadores da saúde de ambientes recifais sem a interferência humana”, disse Laia.

O responsável pela pasta ambiental estadual relata, que, neste período, é terminantemente proibido o transporte de turistas aos Parrachos de Maracajaú e Rio do Fogo. “Alertamos para a comunidade costeira de Touros, os empreendedores do turismo nativo do município de Rio do Fogo, empresários de turismo de Maracajaú, e toda a população que respeitem a decisão. É importante ressaltar que, durante esses dias, o Programa de Monitoramento Turístico registrará o descumprimento da parada das atividades, e tal descumprimento implicará falta de natureza grave, podendo acarretar a suspensão ou cassação da autorização que o responsável pela atividade possui”, disse o diretor geral, Leon Aguiar.

Ao término da parada anual, o Idema avaliará o retorno das atividades turísticas na Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais de acordo com as medidas restritivas impostas pelo Decreto Estadual nº 29.541 de 20 de março de 2020 e a situação vigente em função da pandemia do COVID-19, buscando sempre resguardar pela segurança e saúde das pessoas envolvidas com a atividade turística do Rio Grande do Norte.

“Atenderemos todas nossas demandas tendo em vista o que preconiza os decretos e recomendações, priorizando a segurança de toda a população”, finalizou o diretor.

APARC

A Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais foi criada com o objetivo de proteger a região marinha que abrange a faixa costeira dos municípios de Maxaranguape, Rio do Fogo e Touros, no litoral norte do Estado. Com uma área de mais de 136 mil hectares, a APARC assegura a preservação da biodiversidade marinha presente na Unidade de Conservação com a ocorrência de recifes de corais – considerado o mais diverso habitat marinho do mundo.

Related Post