Passeios aos Parrachos do Litoral Norte estão suspensos

FOTO: ASCOM/IDEMA

A paralisação das atividades de visitação turística nos Parrachos da Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais (APARC), prevista para o mês de junho, será antecipada, e acontecerá entre os dias 01 e 20 de abril. O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema informa que essa parada acontece anualmente e tem como principal objetivo o monitoramento ambiental da área.

O diretor geral do Idema, Leon Aguiar, pontua que a antecipação da paralisação se deu em razão do período em que o Estado se volta para o combate ao novo coronavírus. “Essa medida preventiva observa a necessidade que seja evitada qualquer aglomeração em ambientes abertos e, também, o fato da Área de Proteção receber turistas de todos os lugares. É certo que precisamos fortalecer o turismo sustentável, mas o momento requer sensibilidade para a segurança coletiva”, disse o diretor.

O supervisor do Núcleo de Gestão de Unidades de Conservação (Nuc/Idema), Rafael Laia, relata que durante esta paralisação será realizado um monitoramento ambiental, através de coletas de dados ambientais, a fim de registrar possíveis diferenças no comportamento do Ecossistema recifal. “Realizamos o acompanhamento do Ecossistema em todos os períodos, inclusive quando não há visitação turística nas áreas dos parrachos. Nesses dias serão registradas informações sobre a ocupação de comunidades de peixes, o crescimento algal, e outros indicadores da saúde de ambientes recifais sem a interferência humana”, disse Laia.

O responsável pela pasta ambiental estadual relata, que, neste período, é terminantemente proibido o transporte de turistas aos Parrachos de Maracajaú e Rio do Fogo. “Alertamos para a comunidade costeira de Touros, os empreendedores do turismo nativo do município de Rio do Fogo, empresários de turismo de Maracajaú, e toda a população que respeitem a decisão. É importante ressaltar que, durante esses dias, o Programa de Monitoramento Turístico registrará o descumprimento da parada das atividades, e tal descumprimento implicará falta de natureza grave, podendo acarretar a suspensão ou cassação da autorização que o responsável pela atividade possui”, disse o diretor geral, Leon Aguiar.

Ao término da parada anual, o Idema avaliará o retorno das atividades turísticas na Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais de acordo com as medidas restritivas impostas pelo Decreto Estadual nº 29.541 de 20 de março de 2020 e a situação vigente em função da pandemia do COVID-19, buscando sempre resguardar pela segurança e saúde das pessoas envolvidas com a atividade turística do Rio Grande do Norte.

“Atenderemos todas nossas demandas tendo em vista o que preconiza os decretos e recomendações, priorizando a segurança de toda a população”, finalizou o diretor.

APARC

A Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais foi criada com o objetivo de proteger a região marinha que abrange a faixa costeira dos municípios de Maxaranguape, Rio do Fogo e Touros, no litoral norte do Estado. Com uma área de mais de 136 mil hectares, a APARC assegura a preservação da biodiversidade marinha presente na Unidade de Conservação com a ocorrência de recifes de corais – considerado o mais diverso habitat marinho do mundo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cabo Silva disse:

    Como assim? Ainda estavam funcionando???

Relatório de monitoramento nos parrachos de Pirangi será apresentado nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira (28) será apresentado o relatório dos mergulhos de monitoramento dos parrachos de Pirangi para verificar o possível acumulo de óleo. O mesmo que atingiu o litoral potiguar nos últimos meses. O resultado será mostrado na reunião do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), na Escola de Governo, às 14h.

Os mergulhos fazem parte do grupo de trabalho criado dentro do GGI para monitoramento de arrecifes, parrachos e estuários. A ação inicial foi realizada na terça-feira passada (25) quando foram realizados mergulhos nos Parrachos de Pirangi e na Ilha Verde (Pirambuzios) com equipes da Marinha, Corpo de Bombeiros, Idema Ibama, Defesa Civil, UFRN e ONG Oceânica.

Barreiras de contenção

Também da reunião, a pesquisadora paulista Íris Regina Fernandes Poffo vai apresentar o resultado dos seus monitoramentos nos rios Pirangi e Catu, e estuários do rio Guaraíras e do rio Curimataú para observar a viabilidade de instalação de barreiras de contenção.

Bióloga pela Universidade Mackenzie, Íris tem especialização em oceanografia biológica, mestrado em Ciência Ambiental e doutorado sobre acidentes ambientais em portos e terminais marítimos. Ex-professora universitária, ela trabalha com educação ambiental, preparação, prevenção e resposta a vazamentos de óleo no mar, análise de planos de emergência, realização de simulados teóricos e práticos, pesquisas sobre percepção e comunicação de riscos, gestão ambiental portuária, fauna oleada, recuperação de manguezal, e mobilização socioambiental.

VÍDEO: Parrachos de Maracajaú não foram prejudicados por fragmentos de óleo e visibilidade de águas segue cristalina

Em nota, o Idema, junto com Fundep e EcoRecifes, informam que fragmentos de óleo que atingem o litoral nordestino e, em significativa parte, o estado do Rio Grande do Norte, até o momento, não comprometem os parrachos de Maracajaú, um dos principais pontos turísticos da região nordeste.

Veja mais – VÍDEOS: Bugueiros e banhistas tranquilizam e mostram praias limpas nos litorais norte e sul do RN

Em nota acima, a situação dos parrachos de Macacajaú, encontra-se em situação de normalidade, inclusive, com normalidade para passeios, banhos e mergulho. Conforme vídeo abaixo, mergulhadores constataram 100% de visibilidade das águas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcio disse:

    Conseguem postar de mais praias… estou com viagem marcada para 02/11/2019.

Parrachos de Maracajaú e Rio do Fogo: monitoramento paralisa atividades turísticas entre os dias 1 e 20 de junho

Parrachos da APARC têm atividades turísticas suspensas para monitoramento. Foto: Divulgação

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte – Idema comunica que, entre os dias 1 e 20 de junho, ocorrerá a paralisação anual da atividade turística nas áreas de visitação da Área de Proteção Ambiental Recifes de Corais. O hiato na localidade dos Parrachos de Maracajaú e Rio do Fogo acontece em cumprimento à recomendação feita pelo Plano de Manejo da Aparc (Portaria 136/2012).

O supervisor do Núcleo de Unidades de Conservação, Rafael Laia, explica que durante a paralisação será realizado intenso monitoramento ambiental: “Essa atenção é muito importante para registrar o comportamento do ecossistema recifal sem a interferência humana”, afirma.

O Idema conta com a compreensão e parceria de todos os operadores e turistas da região. Cuidar da saúde dos parrachos é garantir a manutenção da biodiversidade e do turismo no Rio Grande do Norte.

Maracajaú concorre para ser "8ª maravilha do mundo"

O site Virtual Tourist abriu votação até o próximo dia 30 de setembro para escolher a “8ª maravilha do mundo”. Estão concorrendo 200 destinos turísticos e um deles, o único do Brasil, é Maracajaú, com seus já famosos parrachos.

A votação é feita através do endereço http://www.virtualtourist.com/8thwonder. Para votar no representante potiguar e brasileiro, digite “Maracajaú” no campo de formulário “search”, na parte superior direita da página, e tecle ENTER. Quando o resultado da pesquisa aparecer, clique em “vote”. Você pode votar quantas vezes quiser, mas só uma vez por dia.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eliane Praça disse:

    Valeu Bruno, nós todos temos que entrar de cabeça nessa campanha. Não custa nada dar um voto e ao mesmo tempo, é um grande presente para o Estado. Infelizmente , as pessoas de fora ,dão mais valor os nossos destinos turísticos ,do que nós mesmos.Já coloquei na Barra de Favoritos e darei meu voto todos os dias. Espero que o Rio Grande do Norte e o Brasil, faça isso também.Parabéns pela sua sensibilidade.

MPF e Ibama discutem aperfeiçoamento de regras para visita aos Parrachos de Pirangi

O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) e o Ibama estão trabalhando no aperfeiçoamento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que regulamenta a atividade econômica de passeio turístico e as atividades de lazer nos recifes marinhos da Ponta de Pirangi, conhecidos como Parrachos de Pirangi.

O TAC proposto pelo MPF foi assinado em 2010 pelo Ibama, Idema, Secretaria do Patrimônio da União (SPU) e quatro empresas que promovem passeios até o local, além da ONG Oceânica e a Associação Náutica de Pirangi. O aprimoramento do termo contará agora com o apoio da Marinha, através da Capitania dos Portos, que se somará aos demais órgãos no sentido de definir as normas de controle das visitas aos parrachos.

“Nosso objetivo é encontrar a melhor forma de garantir a sustentabilidade da exploração comercial naquela área, conciliando defesa do meio ambiente com desenvolvimento sócio-econômico”, destacou a procuradora da República Caroline Maciel da Costa. O Termo de Ajustamento de Conduta prevê normas que devem ser mantidas até que sejam concluídos os estudos necessários à criação de uma unidade de conservação costeiro-marinha na área.