Possibilidade de fazer política sem corromper a democracia é o maior trunfo de Bolsonaro

Foto: Sérgio Lima/Poder360 

OPINIÃO – Xico Graziano

Vivemos dias difíceis. Jair Bolsonaro dedica-se a enfrentar sua tropa digital, uma direita maluca que sonha em fechar o Congresso e o STF. Ideia fascista.

Prepotentes, esses bolsonaristas radicais segregam quem não compartilha suas teses infantis. Chega a ser engraçado: os novos salvadores da Pátria supõem pelo Twitter comandar um país. É muita “viajação”.

Ferinos, espalham discórdias entre generais, parlamentares e formadores de opinião. Agem na rede como se somente a eles Bolsonaro devesse sua vitória eleitoral. Esse é o ponto.

Vamos recapitular. É comum dizer que Jair Bolsonaro venceu contra tudo e contra todos. Faz certo sentido: ele não tinha estrutura partidária, nem dinheiro, nem tempo de TV, nem apoios políticos.

Ninguém, todavia, vence sozinho. Pelo menos 8 razões o levaram ao Planalto:

A falência do sistema político construído após 1988, desmoralizado pelo clientelismo e pela falsidade moral;

A Operação Lava Jato, que atacou o cerne da corrupção sistêmica, instalada no poder pela quadrilha da aliança PT/PMDB;

A rejeição ao PT e o temor do retorno de Lula e sua malandragem ao governo;

O sentimento de insegurança pública existente na sociedade, causada pelo despreparo do Estado no combate à criminalidade.

Segmentos religiosos, evangélicos especialmente, reagindo contra a desagregação da família e dos costumes cristãos;

Movimento do agronegócio no interior do país, em defesa da produção e da segurança jurídica no campo;

Estratégia de marketing digital, capaz de superar deficiências da campanha eleitoral via mídia tradicional;

O ativismo da militância de direita, incluindo desde liberais até grupos fascistas, contrapostos à “esquerdização” da sociedade;

Fica fácil perceber que esse último fator, embora importante, não prepondera sobre os demais. Uma coalizão de interesses e uma avalanche de emoções explicam a vitória de Bolsonaro.

Mas aqueles militantes digitais não pensam assim. E desataram a patrulhar o próprio Bolsonaro e sua equipe, tencionando impedir negociações com o Congresso a favor da reforma da Previdência. Negociar, para eles, significa capitular à podridão.

Não necessariamente e nem sempre. Essa possibilidade, de fazer política sem corromper a democracia, é exatamente o maior trunfo de Bolsonaro. É agora que ele precisa mostrar seu valor, revigorando a República, jamais aniquilando-a.
Por certo, haverá custos. Paciência. Fazem parte do jogo democrático. Importa que prevaleça a decência.

Xico Graziano

Xico Graziano, 65, é engenheiro agrônomo e doutor em Administração. Foi deputado federal pelo PSDB e integrou o governo de São Paulo. É professor de MBA da FGV e sócio-diretor da e-PoliticsGraziano. O articulista escreve para o Poder360 semanalmente, às quartas-feiras.

Poder 360

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. realmadriddepiumgenerico disse:

    8 mentiras:
    – O sistema político continua em pleno funcionamento, não foi movido uma vírgula para muda-lo;
    – A operação lava jato encaminhou-se, como o noticiário comprova, para enriquecimento de pessoas através da negociação de 2,6 bilhões e ainda mais de 6 bilhões da odebrecht;
    -a malandragem de Lula nos trouxe reservas de 1 trilhão e 200 bilhões de reais, 18 universidades, mais de 300 ifs, moradias para milhões de pessoas, milhões de vagas nas universidades e ifs, programa de energia para 15 milhões de pessoas, mais de 25 milhões de empregos, transposição do São Francisco (centenária), milhares de pessoas estudando fora do país, samu, farmácia para todos, crescimento da agricultura familiar, mais médicos para 50 milhões de pessoas…
    – Acrescentou a insegurança gerada pelo Estado (hoje governador voa para operação matar), pessoas passaram a ser alvos de forma discriminada;
    – Mostrou-se a hipocrisia de religiosos de forma escancarada;
    – O agronegócio passou a ter autorização para matar (com mais veneno e com o direito de matar quem eles acharem que invadiu sua propriedade;
    – O marketing digital é uma máquina de potencializar mentiras aos milhões (lembrando o Kit gay e a mamadeira de piroca);
    – o movimento de direita é sanguinário, cheio de ódio, hipócrita e mercenário.

  2. .José de Arimatea Lopes Fernandes disse:

    Vencer o vício da apropriação do Estado, em troca do apoio transitório a cada projeto do executivo, não vai ser fácil.
    Más não será impossível e vai demandar algum tempo, para isso vamos analisar com cuidado nossos candidatos nas próximas eleições.

    • Irany Gomes disse:

      É isso que temos de policiar, os congressistas corruptos, e na próxima eleição dar-mos o troco nesses canalha. O Brasil está acima desses bandidos!!!

COMENTE AQUI