Posto de anti-Bolsonaro é disputado por quatro

A primeira pesquisa feita pelo Ibope depois que o TSE retirou Lula do baralho sucessório indica que 22% dos eleitores manifestam a intenção de impor a presença de Jair Bolsonaro no segundo turno. Mantendo-se essa tendência, a campanha será marcada nas próximas semanas por uma disputa pela única vaga à disposição no momento —a vaga de anti-Bolsonaro. Os dados revelam também que quatro candidatos guerreiam por esse posto: Marina Silva (12%), Ciro Gomes (12%) Geraldo Alckmin (9%) e Fernando Haddad (6%).

No grupo dos presidenciáveis ditos competitivos, todos oscilaram para cima, exceto Marina, que manteve o mesmo percentual que ostentava na pesquisa divulgada em 20 de agosto. Entre os que cresceram, todos escalaram dois pontos percentuais, à exceção de Ciro, que subiu três. Assim, o candidato que promete tirar 63 milhões de eleitores do SPC foi o único a ultrapassar os limites da margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos. Um indicativo de que, em tempos de crise, uma mensagem capaz de se comunicar com o bolso pode render dividendos.

O vínculo com Lula, outra fonte de votos na disputa de 2018, ainda não impulsionou o desempenho de Haddad. Ele continua frequentando o noticiário e o horário político no rádio e na TV como estepe do líder preso. O PT planeja formalizar a troca de Lula por Haddad apenas na próxima terça-feira (11). Com isso, o novo poste terá escassos 26 dias para reivindicar os votos do padrinho, hoje dispersos. O egoísmo deixa Lula em posição confortável. Se Haddad chegar ao segundo turno, deverá o feito à divindade presidiária. Eventual infortúnio será debitado à falta de carisma do candidato-laranja.

JOSIAS DE SOUZA

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Bosco disse:

    E agora, Jair?
    A festa acabou,
    a luz apagou,
    o povo sumiu,
    a noite esfriou,
    a máscara caiu
    o sérgio aceitou
    e o povo lembrou
    daquilo que no passado
    o sérgio falou

    e agora, Jair?
    o do semi aberto aceitou
    e condenado ministro virou
    e agora, você?
    você que é sem nome,
    que zomba dos outros
    e a ficha para outros
    começa a cair

  2. Carlos disse:

    Bolsonaro 2018.
    O senário já mostra isso.
    Faxina geral nesse país moribundo .

  3. Ceará-Mundão disse:

    Creio que é consenso entre os cidadãos de bem que o nosso Brasil não está bem em NADA e que precisamos de mudanças urgentes para por de volta o nosso país nos trilhos. Ai vemos um candidato atacado de forma implacável por TODA a grande mídia e por TODOS os demais candidatos. Alguém com um mínimo de raciocínio lógico, de inteligência, enxerga com clareza que esse candidato é o ÚNICO realmente diferente, aquele capaz de dar novo rumo à nossa pátria.

  4. Ed disse:

    O BRASIL AINDA É UMA CAPITÁNIA DOMINADA PSEUDOS CASTAS EM UM REGIME DE CAPITALISMO DE ESTADO,ONDE O CAPITALISMO DE ESTADO É O REGIME ONDE O DINHEIRO QUE CIRCULA PARA OS POLITICOS NÁO VEM DO VEREDADEIRO CAPITALISMO, PRIVADO,MAS DO ESTADO -UM EXEMPLO É O BNDS-PETROBRAS-CAIXA ECONOMICA E T C O DINHEIRO VAO PARA O ESTADO É UMA PARTE VOLTA PARA O POLITICO"CORRUPÇÃO'NO BRASIL NÁO EXISTE NEM DIREIRA NEM ESQUERDA EXISTE ESQUEMA DE CORRUPÇÃO-NA SEGUNDO TURNO A FAMOSA BASE ALIADA-PT PSDB-DEM-E OUTRAS FACÇOÉS VÁO SE ORGANIZAR-TUDO VOLTARA COMO ANTES-SOCIEDADE DE CORRUPTOS E CORRUPTORES-

  5. joão gomes disse:

    homi, bolsonaro já ganhou, melhor a mídia ficar logo do lado dele senão depois os cortes vão ser maiores pra vcs todos

COMENTE AQUI