Procurador pede 22 anos de prisão para Eduardo Azeredo pelo mensalão mineiro

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta sexta-feira, 7, que o Supremo Tribunal Federal (STF) condene o deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG) a uma pena de 22 anos de prisão e pagamento de multa de R$ 451 mil por participação em um esquema denominado mensalão mineiro, esquema de financiamento ilegal de sua campanha à reeleição para o governo de Minas em 1998, segundo denúncia do Ministério Público Federal.

O pedido foi encaminhado nesta semana ao Supremo Tribunal Federal (STF), que julgará o processo do mensalão mineiro. Nas alegações finais entregues ao STF, o chefe do Ministério Público Federal afirma que Azeredo cometeu os crimes de peculato e lavagem de dinheiro.

A Procuradoria-Geral da República apontou desvio de pelo menos R$ 3,5 milhões para a campanha de Azeredo em 1998, por meio da “retirada criminosa” de recursos públicos da empresas estaduais Copasa (R$ 1,5 milhão), Comig (R$ 1,5 milhão) e do antigo Banco Estadual do Estado, Bemge (R$ 500 mil). A ação penal contra Azeredo foi recebida pelo Supremo em dezembro de 2009.

O senador Clésio Andrade (PMDB-MG) é réu em outra ação penal na Corte. Outros acusados, entre eles Marcos Valério Fernandes de Souza – condenado e preso no mensalão -, respondem a ação na 9ª Vara Criminal de Belo Horizonte.

Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Magno Alexandre disse:

    e o mensalão tucano espero que tenha o mesmo fim do outro mensalão.

  2. TITICO disse:

    Confisca tudo que eles tem; inclusive os laranjas. Esse é o maior castigo que se aplica a um ladrão. O povo não é bobo.

  3. Rafael Vale disse:

    Não estou entendendo mais nada, o "Principe Sociólogo" FHC disse semana passada que o mensalão do PSDB era apenas caixa dois.
    Lembro que quando Lula disse isso só faltaram pedir a pena de morte para ele.
    E agora como iram reagir os indignados seletivos que tanto frequentam esse blog?

    Hojé não foi um dia muito bom para o indignados seletivos, em depoimento na PF um ex-diretor da SIEMES disse que só em um único contrato em 2000 no metrô de SP, reduto do PSDB, foi pago PROPINA DE R$ 141 MILHÕES (quantia que faz qualquer mensaleiro parecer ladrão de galinha).
    Isso mesmo R$ 141 milhões de propina em um único contrato, equivalente a 9% de um contrato superior a R$ 1 bilhão de reais, isso em 2000, e um dos nomes do PSDB envolvidos foi nada menos que o tesoreiro da campanha de FHC.

    Esses PTralhas tem muito ainda que aprender com esses TUCANALHAS.

COMENTE AQUI