‘Renunciei porque Deus me disse’, revela Bento XVI

8753341-binary-6“Foi porque Deus me disse”. Assim, Bento XVI explicou a decisão de renunciar ao pontificado, em 11 de fevereiro, de acordo com a publicação católica “Zenit”. Apesar da vida de clausura, o Papa Emérito dá esporadicamente algumas entrevistas no convento Mater Ecclesiae onde vive atualmente, nos Jardins do Vaticano. Em uma dessas ocasiões, ele explicou pela primeira vez por que renunciou à liderança da Igreja Católica e acrescentou:

– Quanto mais vejo o carisma de Francisco, mais entendo a vontade divina – afirmou, de acordo com a publicação.

Na reportagem, Bento XVI conta que não houve qualquer tipo de aparição ou fenômenos semelhantes, mas sim uma “experiência mística”, na qual o Senhor teria demonstrado um “desejo absoluto” de permanecer a sós com ele. Uma experiência que poderia durar meses, como relatado por uma fonte que prefere permanecer em anonimato.

Como já havia antecipado na época em que decidiu deixar a liderança da Igreja Católica, o Papa Emérito reiterou que não era uma fuga do mundo, mas pretendia “refugiar-se em Deus”.

A entrevista foi realizada no último domingo, quando Bento XVI fez uma curta viagem até Castelgandolfo, acompanhado de quatro funcionários que trabalharam com ele durante os anos de pontificado e seguem em seus cargos após a renúncia. Mesmo durante a entrevista, o Papa Emérito manteve-se reservado, evitando reflexões que poderiam ser interpretadas como “declarações do outro Papa”.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Elves Alves disse:

    Depreende-se então, por analogia, que a (des)governadora Rosalba Ciarlini não renunciou ainda porque Santa Luzia (padroeira de Mossoró e de quem é devota) não teria 'dito', ou seja, lhe indicado o 'olho da rua'. E se ela ainda não começou efetivamente a governar, tal fato deve-se não à falta de vontade política, mas à 'vontade divina'…
    Então tá.

COMENTE AQUI