Rosalba começa a Governar quando?

A uma semana de completar seis meses, a administração da médica pediatra Rosalba Ciarlini já provou pelo menos uma coisa: a sua principal tese sobre o Rio Grande do Norte é não ter tese alguma.

Durante estes quase 180 dias, a atual administração, sempre de olho no retrovisor, já promoveu de tudo em matéria de contestação e de mudança de atitude e de opinião, sem ter saído do lugar.

Primeiro, apontou um rombo bilionário nas contas públicas que até hoje ainda sofre contestações e não tem seu valor – bem abaixo do inicialmente divulgado – definido. Na prestação de contas enviada à Assembleia Legislativa, apareceu até dívida do governo José Agripino e também convênio com o Governo Federal.

Depois, o governo anunciou nos quatro cantos que iria cancelar todos os convênios firmados pela administração anterior porque se tratava de “farra eleitoral”. Esqueceu de dizer que entre as 130 prefeituras beneficiadas, muitas delas eram e ainda são administradas por correligionários do atual governo e opositores do que saiu. E nem todos os convênios foram denunciados. Um exemplo? Os da saúde.

Em seguida, o governo começou a dizer que não havia dinheiro para pagar as contas. E o Portal da Transparência, onde o governo começou a publicar sua movimentação financeira com algum atraso, desmentiu a tese e provou que há recursos,  sim.

A divulgação de sucessivos recordes na arrecadação do ICMS ajudou a sepultar o discurso da falta de recursos.

Mais recentemente, o Governo do Estado resolveu questionar a legalidade dos Planos de Cargos e Salários dos Servidores. O chefe do Gabinete Civil, advogado Paulo de Tarso Fernandes, chegou a apontar, inúmeras vezes, a irresponsabilidade do governo anterior que propôs os planos e dos deputados que aprovaram os pleitos dos servidores. Diga-se de passagem, à unanimidade.

Mas o questionamento da legalidade está restrita aos discursos e entrevistas porque o Governo, enquanto ameaça ir à Justiça se a Assembleia não revisar os planos – está pagando parcela do acordo de implantação dos PCS, repetindo o que começou no governo anterior. E aí é preciso perguntar: se os planos de cargos e salários são ilegais por que o governo continua pagando e promete, no caso dos professores, implantar nova parcela para convencer os educadores a encerrar a greve?

Em meio a idas e vindas, marchas e contramarchas, greves e ameaças de paralisações, os gastos com o pagamento de diárias só fazem aumentar e já chegam a R$ 3 milhões.

E o governo continua fazendo suas trapalhadas. Anunciou que não liberaria dinheiro algum para as quadrilhas e arraiais juninos. Logo em seguida, liberou R$ 500 mil.

Agora, ameaça trocar o estádio Juvenal Lamartine por um hospital público na zona oeste. Isto sem ouvir os clubes interessados e nem e a Federação Norte-riograndense de Futebol. E cadê a garantia de que investimentos em outros locais para a prática esportiva, tão necessários pelos jovens e tão prometidos no ano passado, pela então candidata ao Governo?

A fuga de 15 presos de uma delegacia na Cidade da Esperança, enquanto o forró comia solto numa festa junina, ameaça se transformar no retrato bem acabado do atual governo: muita piroctecnia e nenhuma ação. Muito discurso e nenhum projeto concreto. Muita entrevista e muito twitter e nada de concreto para o desenvolvimento do RN.

Tudo isso somado mostra que se o governo Rosalba Ciarlini tem um projeto de desenvolvimento do Rio Grande do Norte deve estar escondido em alguma gaveta ou na cabeça de algum dos seus técnicos.
Porque, até agora, o Rio Grande do Norte desconhece completamente.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Assim como a prefeitura do Natal, o Rio Grande continua sem Norte, para nossa tristeza, pois são 4 anos perdidos, e por conseguinte alegria para dinastia rosado.

  2. Karl Leite disse:

    Bruno,parabens pelo artigos. Copia fiel de um governo sem rumo. Acefalo.
    Abs, Karl Leite

  3. Eleonora Santos disse:

    Por favor, ajude-me a denunciar aquela agência terrivelmente pequena onde é a agencia bancária do Banco do Brasil dos servidores públicos do Estado do RN, dentro do Centro administrativo. Sem acesso de entrada por causa da copa (Porque não a derrubam agora???) – pequena demais, funcionários de menos, tempo médio de atendimento de 3 horas pra um número imenso de servidores. Socorrrrooooooo!!!

  4. Marcelo Aranha disse:

    Bruno, publica ai o artigo dos aprovaods no concurso da policia civil: http://www.nominuto.com/blog/retrato-do-oeste/se-a-lei-permite-entao-por-que-rosalba-nao-nomeia-os-policiais-civis-concursados/24650/

    Abraço

    Marcelo Aranha
    Aprovado para o cargo de Delegado de Policia

COMENTE AQUI