Secretaria Municipal de Saúde esclarece que vacinas oferecidas no SUS às gestantes são seguras e eficazes

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal, seguindo a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), esclarece a população natalense a respeito de boatos associando vacinas para mulheres grávidas com o aumento do número de casos de microcefalia no Brasil.

A chefe do Setor da Vigilância Epidemiológica de Natal, Aline Bezerra, endossa o que a nota da OMS informa sobre as imunizações do calendário vacinal para gestantes. “As vacinas que a organização recomenda para as gestantes e que são oferecidas no Sistema Único de Saúde (SUS) são seguras e eficazes. A vacinação é um ato preventivo de promoção e proteção da saúde, considerado prioritário pela Organização por beneficiar a mãe e o bebê”.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o Programa Nacional de Imunizações brasileiro segue o conceito de vacinação segura da Organização Panamericana da Saúde (OPAS)/OMS, que envolve um conjunto diferenciado de aspectos relacionados ao processo de vacinação.

O esclarecimento vem depois de uma série de boatos sobre supostos casos de gestantes que tomaram vacinas vencidas ou vacina contra rubéola e tiveram bebês com a malformação. Na nota, a OMS esclarece que vacina contra a rubéola não está no calendário das grávidas e também que sua aplicação em mulheres que ainda desconheciam a gravidez não resultou em consequências negativas para o feto.

Atualmente compõe o Calendário Básico de Vacinação as seguintes vacinas:

unnamed