Na Argentina, pobreza atinge 40,9% da população

Foto: Juan Ignacio Roncoroni/ EFE

A taxa de pobreza na Argentina subiu para 40,9% da população no primeiro semestre deste ano, com 10,5% de indigência, um dos piores registros da história do país, informou o Instituto de Estatística (Indec). No final de 2019, a taxa de pobreza era de 35,5% e a indigência, 8%.

Na comparação interanual, o número de pessoas abaixo da linha da pobreza aumentou 5,5 pontos porcentuais, e na indigência 2,8 pontos porcentuais.

“Aos poucos, chegamos perto de metade da população que não tem condições de comprar com sua renda uma cesta básica de consumo essencial. Isso é muito preocupante porque tem um porcentual muito alto de crianças e adolescentes”, disse à agência France Presse o economista Ricardo Aronskind.

No primeiro semestre deste ano, a renda familiar média mensal total das famílias pobres foi de 25.759 pesos (cerca de R$ 1,7 mil pelo câmbio oficial), mas a cesta básica atingiu 43.785 pesos (cerca de R$ 3 mil), uma diferença de 41,2%, segundo o Indec. Em termos de faixas etárias, 56,3% das pessoas de 0 a 14 anos são pobres.

A Argentina, com uma inflação anual de mais de 40%, está em recessão desde 2018. A pandemia de covid-19 atingiu fortemente sua economia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) estima que o país fechará este ano com uma contração de 9,9% do Produto Interno Bruto (PIB).

“Os números são alarmantes”, admitiu o ministro de Desenvolvimento Social, Daniel Arroyo, atribuindo parte da cifra a uma pobreza estrutural desencadeada por sucessivas crises econômicas que afetaram o país nas últimas décadas.

Em uma entrevista à TV a cabo Todos Noticias, Arroyo também disse que o “segundo trimestre foi o momento de maior fechamento das atividades” por causa da pandemia.

O ministro destacou que esse índice de pobreza seria ainda maior se o governo não tivesse desembolsado 420 bilhões de pesos (cerca de R$ 29,1 bilhões) em ajuda social durante a quarentena.

A pandemia começou na Argentina três meses depois de o presidente peronista Alberto Fernández assumir o poder com o desafio de reduzir a pobreza no país, afundado em uma profunda espiral inflacionária. Com a chegada do coronavírus, o governo optou por priorizar a saúde e em 20 de março instaurou uma rígida quarentena em todo o país. Nesse contexto de paralisação, o PIB caiu 19,1% no segundo trimestre e o desemprego subiu para 13,1% no mesmo período. A Argentina registrou até agora 736.609 casos de covid-19 e 16.519 mortes. / AFP, EFE e AP

Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rodrigo Duarte disse:

    Esquerdismo é a doença que mais mata no mundo. E ainda tem doente querendo que essa praga volte para o Brasil.

  2. Roberto Araújo disse:

    Argentina vai se transformando num Brasil! Onde até 100 mi de brasileiros viviam com menos de 400 reais

    • GCF disse:

      Essa estatística de 100 milhões ganhando menos de R$ 400,00 no Brasil não existe. O número mais próximo seria pouco mais de 50 milhões recebendo pouco mais que R$ 400,00.
      Vejo muitos comentários de pessoas que inserem dados que não existem. Talvez para distorcer fatos e convencer desinformados.
      Outra coisa, a população da Argentina em 2020 é de, aproximadamente, 44 milhões de habitantes.

  3. Pedro disse:

    Vixe, até havia elogiado Entregador De Pizza mais vou voltar atrás, essa doença esquizofrênica paranoide que acomete esse povo, é difícil de tratar pois tem um componente de ideia fixa,em Cuba onde curam vitiligo, talvez haja tratamento, na Venezuela não, já que Maduro tem uma Noia, já afirmou até que conversou com Chávez através de um pássaro, e continua matando o povo com suas sandices.

  4. Luiz disse:

    Lamentável. A No final da década de 1920, chegou a ser a sexta maior economia do mundo. Era uma potência agrícola e pecuária que abastecia a Europa. A imponência e elegância de Buenos Aires simbolizavam a prosperidade. Só para ficar no exemplo, enquanto aqui no Brasil andávamos de carroça, o Metrô de Buenos Aires foi inaugurado em 1913. A Argentina é a prova viva de como políticos incompetentes e corruptos podem destruir uma nação.

  5. Pixuleco disse:

    E o Papa Chico só sabe falar da Amazônia?

  6. Luciano disse:

    Resultado de políticas socialistas adotadas pelo atual governo, a Argentina está seguindo o mesmo caminho da Venezuela, enquanto o Brasil cresce, a Argentina desaba, o Brasil estaria no mesmo caminho se tivesse elegido Hadad, graças a Deus temos Bolsonaro como presidente.

  7. Entregador De Pizza 🍕 disse:

    Culpa dos anos de governo Macri, Robin Hood dos ricos.
    Aqui, com o miliciano e com o econoburro Paulo Jegues, caminhamos para o mesmo barco.
    Buenos Aires pelo menos tem umas boas empanadas 🥟

    • Manoel disse:

      Resultado do modelo Venezuelano do foro de São Paulo que a Argentina está adotando, uma catástrofe anunciada.

    • Juan Herrera disse:

      Não diga tonteiras. O congreeso, tomado de peronistas, não deixou Macri fazer nada.

    • Ricardo disse:

      A sua capacidade de escrever besteira é invejável.

    • Véi de Rui disse:

      Entregador de pizza não, entregador de rosca ! O seu partido de ladrões destruíram o Brasil e você vem com essa conversa de miliciano.

    • Eduardo Lemos disse:

      Estou na dúvida, é cegueira, burrice, falta de inteligência, ignorância ou mal caratismo?

    • Popo Carneiro disse:

      Eduardo lemos.
      Não tenha dúvidas, ou é tudo isso que vc fala, ou é doença.
      De todo modo, se conselho valer alguma coisa na cabeça desse sujeito, sugiro que procure um especialista o mais rápido possível.
      Isso não é normal.
      O dia todo dependurado no celular escrevendo asneiras.
      Até o nome que usa é esquisito.
      Entregador de pizzas.
      Isso tem cabimento??
      Coisa de desequilibrado.
      O que uma derrota não faz.
      E sem perspectiva.
      PT acabou!!
      Daqui a duzentos anos, não governa mais o Brasil.
      Quem for vivo, virá.
      Sem duvidas!!!!