Geral

Argentina lança carteira de identidade não binária – para cidadãos que não se identificam como homem nem mulher‍

Foto: Reprodução

A Argentina lançou nesta quarta-feira, 21, carteiras de identidade para cidadãos não binários, que não se identificam como homem nem mulher‍, permitindo-lhes usar “x” no documento de identidade nacional e passaportes no campo correspondente a gênero.

O país sul-americano é o primeiro da região a viabilizar isso por meio de decreto, disse o governo, acrescentando que está se juntando a países como Nova Zelândia, Canadá e Austrália, que já fizeram a mudança.

“Existem outras identidades além da de homem e mulher, e elas devem ser respeitadas”, disse o presidente Alberto Fernández na apresentação do novo documento, acrescentando que existem “mil maneiras de amar, ser amado e ser feliz”.

O uso do “x” já foi aceito pela Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO) e inclui pessoas que se identificam fora das definições tradicionais de gênero.

Fernández, juntamente com o Ministro do Interior, Eduardo de Pedro, e a Ministra da Mulher, Gênero e Diversidade, Elizabeth Gómez Alcorta, entregaram as três primeiras carteiras de identidade no novo formato “x”.

O líder peronista tem defendido reformas sociais progressistas, aprovando leis para legalizar o aborto no ano passado e defendendo publicamente seu filho, Estanislao Fernandez, que é estudante de design e uma conhecida drag queen.

“O ideal será quando todos nós formos quem somos e ninguém se importar com o gênero das pessoas”, acrescentou Fernandez. “Este é um passo que estamos dando e espero que um dia cheguemos ao ponto em que as carteiras de identidade não digam se alguém é homem, mulher ou qualquer outra coisa.”

Veja

Opinião dos leitores

  1. Para quem não sabe esse faz parte ideologia comunista: o comunismo com uma nova roupagem. O comunismo do proletariado já passou faz tempo. Agora é a vez dos segmentos. Com o mesmo fim: destruir a família, destruir a fé em Cristo; destruir a economia com novas narrativas e desavenças entre os novos segmentos. Aguardemos atentos.

  2. Teoricamente Ambos os seres humanos são binarios tanto os do sexo masculino quanto a chamada mulher em que ambos possuem o falo,o falo da identitaria mulher é o clitóris e o do identitario homem é a sua cabeça vermelha peniana virgem chamada açefala.

  3. Com tanta coisa a se preocupar, querem inventar mais uma forma de impor ideologias contrárias à fisiologia natural! Será que é falta do que fazer? E a mídia ainda dá publicidade a algo assim! Impressionante no que se transformou o ser humano, se é que ainda podemos chamar assim ou inventaram outra denominação!

  4. Na impossibilidade de mudar para Cuba ou Venezuela, Coreia do Norte e China nem pensar, vai ficar bom para alguns doentes mudar para a Argentina, principalmente com mais essa facilidade, Vão lá qualquer coisa a bateira e garantida, pelo menos isso.

  5. Do jeito que estão indo as coisas vai chegar o dia que se declarar homem ou mulher será crime…

  6. A roda maior tendo que entrar na menor.
    O mundo tem que adaptar a todos os 0,000001% de pessoas que não sabem quem são.

  7. Agora a Argentina pode declarar Guerra à Inglaterra e retomar a ilha Malvinas.

  8. Então quem danado não é nem homem nem mulher, que será , inseto?, pense numa matéria sem futuro

  9. Pense numa decisão importante.
    Mas o povo vem perdendo o emprego e a fome avançando sobre todo povo argentino. Já são 58% dos argentinos na linha da pobreza, sem comida a mesa e sem emprego. Viva a esquerda, a esquerda é igualitária.
    A igualdade da esquerda já foi demonstrada em Cuba e na Venezuela, onde os líderes estão milionários e o povo todo igual, na miséria.
    Viva a esquerda e sua forma de governar!

  10. Resolveu a fome da metade da população. Será que vez do Brasil tá chegando pra “avançar” com a esquerda em 2022? Deus nos livre.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Neymar critica brasileiros que estão torcendo para a Argentina vencer a final da Copa América

Foto: Reprodução

Neymar usou as redes sociais para criticar os brasileiros que estão torcendo para a Argentina vencer a final da Copa América, neste sábado, contra a Seleção.

Em uma rede social, o camisa 10 afirmou que torcerá sempre para o Brasil em qualquer modalidade.

– Sou “brasileiro com muito orgulho e com muito amor”. Meu sonho sempre foi estar na seleção brasileira e ouvir a torcida cantando. Jamais torci ou torcerei se o Brasil estiver disputando alguma coisa, seja lá qual for o esporte, concurso de modelo, Oscar… – disse o atacante, que completou:

– Se tem Brasil, eu sou Brasil, e quem é brasileiro e faz diferente? Ok, vou respeitar, mas vai para o … – disse, o atacante, que usou um palavrão para terminar a frase e explicar:

– Só serve para quem está contra – concluiu.

Brasil e Argentina se enfrentam às 21h deste sábado, pela decisão da Copa América, no Maracanã. Se a partida terminar empatada, haverá prorrogação. Se a igualdade persistir, o confronto será decidido nos pênaltis.

Com Globo Esporte

Opinião dos leitores

  1. Sou brasileiro, vou torcer pela seleção brasileira e em 2022 , vou votar e torcer por Bolsonaro.

  2. todos tem que usar a bandeira do brasil, agora tem uns que gosta mesmo e de usa a da china, cuba, correia entre outras, o presidente só esta resgatando o que tentaram muda a alguns anos. Mito 2022

  3. São os mesmos que não queriam a copa América no Brasil a esquerda imunda e a rede Globolixo de TV.
    Brasil 3×1 Argentina.
    No governo do MITO o Brasil tá em outro nível.
    Chora Globolixo, chora esquerdopatas safados.

  4. Se a boiada imunda pode escolher vacinas, quem vai assistir a pelada, pode torcer para a seleção que quiser…
    Eu torço para que Messi faça uns 5.
    Saudades da época de usar a camisa da seleção e não ser confundido com um retardado..

    1. Brasileiro de m…..! Torcer contra o próprio país! Veja a q ponto chegou a ideologia política na cabeça de uma pessoa, coloca tudo abaixo disso ! Nem merece ser brasileiro, um louco desse

    2. Claro vc deve ser dependente de europeu assim como os argentinos e não dá selva como os brasileiros de verdade

    3. Esse cai cai bosta chamado Neymar é um peladeiro de bosta. Argentina no rabo dele

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Médicos se recusam a fazer abortos na Argentina

Protesto contra a legalização do aborto na Argentina, que reuniu milhares de pessoas no em 28 de novembro de 2020.| Foto: Reprodução / Radio FM 96.5 Power Station / Facebook

Metade dos médicos obstetras e ginecologistas do hospital argentino Alberto Antranik Eurnekian Zonal, um dos principais hospitais públicos da Grande Buenos Aires, recusa-se a realizar abortos em mulheres que solicitam o procedimento a partir da aprovação da lei que autoriza a interrupção da gravidez até a 14ª semana de gestação.

Para negar a intervenção, os profissionais de saúde alegam objeção de consciência, um conceito defendido no Código de Ética da Medicina que permite ao médico se ausentar de procedimentos que firam seus valores éticos desde que a saúde do paciente não seja negligenciada. “Entre os serviços de Ginecologia e Obstetrícia, que são os únicos envolvidos nestes casos, há 50% que se autodeclararam objetores de consciência”, declarou o Dr. Juan Ciruzzi, diretor do hospital, ao jornal argentino Clarín.

Desde o início do ano, o aborto até a 14ª semana de gestação faz parte do Programa Médico Obrigatório (PMO) do sistema de saúde público da Argentina. O procedimento deve ser feito de forma gratuita, sem mediação de autoridades ou necessidade de justificação. Em pesquisa realizada em dezembro de 2020 por professores de uma universidade argentina, 93% dos entrevistados se disseram contrários ao projeto de lei que flexibilizou o aborto no país.

Gazeta do Povo

Opinião dos leitores

  1. É o que? agora o papa se pronuncia exigindo que façam imediatamente os abortos, em nome da lei criada pelos cumpanêros dele na Argentina.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19: Argentina decreta toque de recolher após aumento de casos

FOTO: FLICKR

Depois de atingir pelo terceiro dia seguido a marca de mais de 13 mil novas pessoas infectadas pelo coronavírus, o chefe da Casa Civil argentina, Santiago Cafiero, anunciou nesta sexta-feira (8) algumas diretrizes gerais que terão como objetivo conter a disseminação do coronavírus no país.

A medida mais drástica é o toque de recolher, que começará a valer a partir da publicação no Diário Oficial, o que deve ocorrer ainda na tarde desta sexta-feira (8). A proposta é de que, entre as 23h e as 6h, a circulação de pessoas seja restrita somente a trabalhadores e a quem dependa de serviços essenciais.

O decreto publicado estabelecerá uma série de recomendações sobre o toque de recolher, mas cada cidade definirá como as medidas serão aplicadas aos seus cidadãos. A expectativa das autoridades da Argentina é de que as medidas se estendam ao longo de 14 dias.

A ideia do governo é reduzir a circulação de pessoas nas ruas no horário noturno, principalmente de jovens e restringir as reuniões a um número máximo de 10 pessoas.

Também faz parte da estratégia para conter o número de casos a diminuição de voos nacionais e internacionais. As autoridades também pretendem que um exame PCR seja realizado em cada passageiro que desembarcar no país.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Argentina aprova uso emergencial de vacina da AstraZeneca, segunda autorizada no país, diz jornal

Foto: Siphiwe Sibeko/Pool via AP

A agência reguladora de medicamentos e alimentos da Argentina, a Anmat, aprovou nesta quarta-feira o uso emergencial da vacina contra covid-19 produzida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford.

De acordo com informações do jornal argentino “La Nación”, a vacina foi registrada nos critérios de interesse sanitário em situações de emergência, a pedido da AstraZeneca, pelo período de um ano.

A agência reguladora do país aponta que o produto apresenta relação risco-benefício aceitável. Essa é a segunda vacina contra covid-19 autorizada na Argentina. Na última semana, a Anmat deu aval para o uso emergencial do imunizante da Pfizer.

Valor

Opinião dos leitores

  1. E por aqui se Depender do Competente Ministro da Saúde e sua mais Competente ainda equipe, que até agora não compraram nem as vacinas nem o material a ser usados na vascinação. Porém ainda tem quem elogie o Ministro e o Governo, até quando? Bem creio que até pouco tempo!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VÍDEO: “Essa é a sociedade Argentina pró-aborto. E a legenda é sua”, mostra deputada

A deputada federal pelo PSL, Bia Kicis, destacou em suas redes sociais como Instagram e Twitter, nesta quarta-feira(30), a comemoração de mulheres pró-aborto na Argentina, após aprovação no Senado sobre a legalização, durante a madrugada.

A pandemia, por sinal, foi esquecida, com uma aglomeração em destaque – com direito a DJ e música eletrônica. “Essa é a sociedade Argentina pró aborto. E a legenda é sua”, finalizou a parlamentar.

Opinião dos leitores

  1. A está uma "palhinha" do que é o inferno. Muitos estão indo até por achar normal tudo isso acontecer.

  2. Não vi ninguém usando religião para roubar pobres e ignorantes nos templos, como fazem os amigos dela.

  3. Essa deputada nunca reclamou que o Bozo vive sem máscara.

    Interessante é que os evangélicos de direita podem roubar, matar, ter armas, mentir e enganar oa fiéis pra lucrar em cima, fazem sinal de arminha pra eleger as ideais do Diabo do Bozo mas são contra o aborto e se dizem santos e seguidores da bíblia. __I__ pra vcs, bando de corruptos e corruptores safados travestidos de direita e de evangélicos.

    1. É a pior raça que tem, evangélicos de direita e agora bolsominions. Cadeia p/ estes pastores picaretas, corruptos e salafrários.

  4. O que bixiga essa deputada tem com isso? Por mais absurda que seja a lei, existe uma coisa chamada soberania. Essa deputada tem que se importar com as leis aqui do Brasil e não de outro país.

  5. Essa deputada não tem mais o que fazer além de ficar opinando não soberania dos outros países? Aqui no Brasil a gente tem muitos problemas também senhora deputada! Seria ótimo se fossem resolvidos!

  6. Aqui no Brasil, não é diferente não, os que defendem isso, e outras coisas. Bem esquerdopatas mesmo. Deveria ser o destino deles: ou Argentina ou Venezuela.

    1. Os que devem decidir são os santos: Flordelis, Marcelo Crivela, Pastor Everaldo…

      Esses sim são santos adorados pela igreja evangélica e pelo governo de direita, aqueles que ficam a direita do Diabo, se é que vc entende a relação de direita no sentido hierárquico da coisa.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Argentina começa vacinação contra Covid com Sputnik V

Foto: Reprodução/Twitter

A Argentina começou, nesta terça-feira (29), a vacinar a população contra a Covid-19. Os primeiros imunizados serão profissionais de saúde. O país vai usar a Sputnik V, vacina desenvolvida por cientistas russos contra a doença.

As primeiras 300 mil doses da vacina foram entregues ao país na semana passada. Do total, 123 mil, o equivalente a 41%, foram para a província de Buenos Aires. A capital recebeu 23,1 mil doses. As outras foram divididas entre Santa Fe (24,1 mil), Córdoba (21,9 mil), Tucumán (11,5 mil), Mendoza (11 mil), Entre Ríos (10,1 mil) e Salta (8,3 mil).

O acordo argentino com a Rússia prevê a entrega de 25 milhões de doses. A Sputnik V precisa ser aplicada em duas doses.

O México, o Chile e a Costa Rica são os outros países da América Latina que já começaram a vacinação.

Início em Belarus

Além da Argentina, Belarus também começou, nesta terça (29), a aplicar a Sputnik V na população. Os países estão entre os primeiros, fora a própria Rússia, a usarem a vacina para campanhas em massa.

A vacina foi a primeira a ser registrada no mundo contra a Covid-19, em agosto. Há cerca de duas semanas, a Rússia divulgou dados com o resultado final da eficácia da vacina, que ficou em cerca de 91%.

Na prática, se uma vacina tem 91% de eficácia, isso significa dizer que 91% das pessoas vacinadas ficam protegidas contra uma doença.

G1

Opinião dos leitores

  1. Se eu entendi, pela nota da Pfizer,não tinha como fazer o pedido à Anvisa pq a mesma exige uma documentação muito rígida, tipo, especificidade por região, do povo brasileiro, pode isso Arnaldo? Temos uma agência reguladora mais eficiente que a americana? do Reino Unido ?etc.isso eu , particularmente, não entendo.

  2. Pessoal não vamos discutir isso, fica assim:
    Quem é de direita toma a vacina da pfizer;
    Quem é de esquerda e não pode contrariar os dogmas de seus líderes, obedecendo as ordens deles, vão tomar, só e unicamente a coronavac da China.
    Assunto encerrado, sem discursão.

    1. "DiscuRsao"… antes de trazer soluções, vá estudar sua língua.

    2. Gostei da observação de Felipe, pena que ele não deve exigir isso de seus líderes político.
      Que tal você ajudar sua ex presidentA a conjugar corretamente as frases e formar linhas com 1% de raciocínio lógico.
      Você poderia dar palestras educativas aos professores de português do ensino básico, eles tem que melhorar 99% do conhecimento na língua portuguesa em 95% dos casos. Se não acredita, peça para eles uma redação e veja a qualidade que eles vão mostrar. Não se assuste se ficar perto do deplorável.
      Enfim, cuide primeiro dos seus, depois se preocupe com os outros.
      Só lembrando, depois do importante programa "pátria educadora" o Brasil ficou entre os 05 piores do ranking mundial, lá na rabeira.

  3. Quem quiser ser vacinado será vacinado e quem não quiser tem que ser marcado com ferro quente bem no meio da testa com a marca da ignorância e da inaptidão de viver em sociedade. O rebanho infectado tem que ser identificado e evitado.

  4. Por que não com a da China?
    O governo argentino não é comunista?
    Se nem a China usa, por que o calça colada faz tanta questão?

    1. A da Pfizer provocou já 6 casos de intoxicação mais um outro problema, sério, quem tem preenchimento facial não é aconselhável. Mas estudos mostram que as vacinas futuras serão nos moldes da vacina Pfizer, num tal RNA. Eu vou tomar a da Oxford que é com base no adenovírus,muito parecido com a coronavac. Minha família vai tomar a que aparecer, se Deus quiser, tem um gado entre eles , mas desses que confia na ciência.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Argentina autoriza uso emergencial da Sputnik-V e da vacina da Pfizer

Foto: Jacob King/Pool via Reuters (8.dez.2020)

A Administração Nacional de Medicamentos, Alimentos e Tecnologia Médica da Argentina (Anmat) autorizou o registro de uso emergencial da vacina da Pfizer contra a Covid-19 e da Sputnik-V, imunizante produzido pela Rússia.

A entidade de saúde indicou que esta vacina atende a “uma relação risco-benefício aceitável”, o que permitiu a concessão do registro. A autorização foi concedida pelo prazo de um ano e estará na condição de “venda sob prescrição”.

A Anmat comunicou que deve ser cumprido um plano de gestão de riscos, além de transmitir os relatórios de progresso ao Instituto Nacional de Medicamentos (Iname).

Na terça-feira, um voo da Aerolineas Argentinas decolou do Aeroporto Internacional de Ezeiza com destino a Moscou, onde coletará as primeiras doses da vacina russa Sputnik V.

O Ministério da Saúde do país informou que na terça-feira foi contabilizado um total de 1.555.279 casos de Covid-19 e 42.254 mortes pelo vírus.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Deputados da Argentina aprovam projeto de lei para legalizar o aborto

Foto: Reprodução/Twitter @florenciacanali

A Câmara dos Deputados da Argentina aprovou um projeto de lei para legalizar o aborto na manhã sexta-feira (11). Na véspera, manifestantes se reuniram em frente ao Congresso agitando lenços verdes, uma marca registrada de apoio à legislação que deve definir o tom para uma mudança mais ampla na América Latina.

O projeto de lei, que prevê a interrupção legal da gravidez até a 14ª semana, é apoiado pelo presidente Alberto Fernández.

“Estou convencido de que é responsabilidade do estado cuidar da vida e da saúde de quem decide interromper a gravidez”, disse Fernández em um vídeo postado no Twitter no mês passado, antes de enviar o projeto ao Congresso.

O texto foi aprovado pelos deputados com 131 favoráveis e 117 votos contrários após mais de 20 horas de debate. Agora, o projeto segue para o Senado, onde uma votação mais apertada é esperada.

“Estamos convencidos de que isso [a legalização] oferece uma resposta concreta a um problema urgente e estrutural de saúde pública”, disse Elizabeth Gómez Alcorta, ministra da Mulher, Gênero e Diversidade, ao abrir a sessão na Câmara, na quinta-feira (10).

Manifestantes que apoiam o projeto se reuniram do lado de fora do Congresso com lenços verdes na quinta-feira para aguardar a votação do projeto, depois de uma tentativa de legalização em 2018 ser derrotada por poucos votos.

A lei argentina atualmente só permite a interrupção voluntária da gravidez quando há um risco sério para a mãe ou em caso de estupro, embora os ativistas digam que muitas mulheres muitas vezes não recebem cuidados adequados.

Pelo menos 65 mulheres morreram entre 2016 e 2018 de complicações de abortos, de acordo com um relatório da Rede Argentina de Acesso ao Aborto Seguro. No mesmo período, 7.262 meninas entre 10 e 14 anos deram à luz.

Se o projeto for aprovado também no Senado, a Argentina se tornará apenas o quarto país – e o com a maior população – a legalizar o aborto na América Latina. Atualmente, apenas Cuba, Guiana e Uruguai possuem legislações que permitem a interrupção legal da gravidez.

CNN Brasil, com Reuters

Opinião dos leitores

  1. Quem REALMENTE é a favor da vida não apoia aborto, armas, drogas, modificação no código de trânsito , liberação dos jogos de azar, etc.

  2. O Espírito do anticristo vai ganhando cada vez mais força, vagando pelo mundo e ceifando a consciência dos homens. Acham que é coincidência que de uns anos pra cá esse tipo de agenda prospera? Mas essa guerra já tem vencedor.

  3. Para os hipócritas, cidadaos de bem e "cristãos", há dezenas de crianças abandonadas na ruas de Natal. Algum de vcs se habilita? Não, né?
    Se os "defensores" da vida se importassem mesmo com ela, saberiam que aborto existe aos montes no Brasil, feito de forma clandestina o que muitas vezes acaba matando a mãe e o bebê. Mas para essa turma é mesmo ficar assim mesmo. Hipócritas.

  4. Os Argentinos estão seguindo cada vez mais para o caos, pobres ermamos não aprendem nunca!! Só lamentos por eles!!

  5. É verdade Manoel, se no nosso país tivesse ela legalização tal vez você hoje nem existisse pra nos poupar de sua idiotice e teria sido arrancado e jogado no lixo.

  6. Se essas pessoas que defendem o aborto, soubessem das implicações espirituais que se envolvem em apoiar esse tipo de atrocidade, não defenderiam tal prática. Isso que ocorreu na Argentina é fruto do atraso, é assassinato, simples assim.

  7. Coisa de país moralmente decadente.
    A decadência moral precede a queda em outros campos.
    Sociedades cada vez mais hedonistas, famílias se extingindo e com pessoas sem responsabilidade por seus atos, cada vez mais clamando pelo estado-babá.
    A perfetia massa de manobra.
    O alvo perfeito para dominação. Dividir para conquistar.
    Como vc acham que vai estar a 'progressita' Europa daqui a 50 anos?
    A americanos entrando na furada.
    Sombrio.

  8. Os hermanos mais uma vez dando uma surra nos brazucas que só sabem fazer arminha com as mãos e gritar mmmuuuummmmm!

    1. Prefiro fazer arminha e fazer muuu do que matar bebês.
      Mas a Lei do Retorno não falha.

    2. É Ricardo, sua abordagem sentimentalista é típica de fascistas. No Brasil continuamos tendo aborto clandestinos, com morte de bebês e mães, hipócrita. Tá bom pra vc assim, né?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Pobreza na Argentina atinge mais de 44% da população

(Foto: AFP VIA BBC)

A pobreza na Argentina atingiu 44,2% da população no fim do terceiro trimestre de 2020, uma alta de 3,4% quando comparado ao mesmo período de 2019, informou nesta quinta-feira (03) o Observatório da Dívida Social da Universidade Católica Argentina (UCA). Quando considerado o número por famílias, o índice atinge 34,9% delas, uma elevação de 2,2%.

“Pelo efeito da crise da Covid-19, a capacidade monetária das famílias argentinas experimentaram uma piora brusca e elevada, com efeito regressivo sobre a pobreza e a indigência”, diz o relatório.

O documento ainda ressalta que “o novo cenário paralisou ainda mais os investimentos, o consumo e a disponibilidade de postos de trabalho na economia formal, freando qualquer iniciativa de reativação e danificando, especialmente, as pequenas e médias empresas e aprofundando a relação entre informalidade econômica, pobreza e exclusão social”.

Detalhando os números, a pesquisa mostrou que 7,3% das famílias e 10,1% dos argentinos estavam na faixa da “indigência”, nos maiores números da década. A UCA informou ainda que o desemprego entre julho e outubro ficou em 14,2%, o que equivale a 2,7 milhões de pessoas.

O diretor do Observatório, Agustín Salvia, afirmou ao apresentar o estudo que “sem o auxílio universal para filhos, sem a renda familiar de emergência, além das ajudas alimentares e outros subsídios” dados pelo governo argentino durante a crise sanitária do coronavírus Sars-CoV-2, “a indigência teria sido o dobro e a pobreza teria atingido 53%” da população.

“É necessário um crescimento econômico e um pacto econômico-social para criar empregos porque, de outra maneira, não haverá nenhuma possibilidade de sair da pobreza”, ressalta ainda Salvia.

Isto É, com ANSA

Opinião dos leitores

  1. Em seis meses os comunistas destroçaram a economia do pais jogando a população na pobreza, nesta velocidade com mais 1 ano teremos uma segunda Venezuela .
    Vale como experiência para aqueles esquerdopatas que possuem pelo menos 0,1% de neurônio acordarem para não querer a volta desta esquerda destruidora .
    Aos argentinos resta a luta, para retirar estes cupins de prosperidade.

  2. Parabéns esquerda. Foi uma festa dos membros do foro de São Paulo a eleição desse presidente Argentino. Onde a esquerdalha pisa é desastre

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Argentina, Chile, Peru entram na lista de países abertos para brasileiros

Foto: Diego Cupolo/Getty Images

Às vésperas do fim de ano, destinos queridinhos dos brasileiros, como Portugal e Estados Unidos, continuam fechados para o turismo. Contudo, as restrições vêm diminuindo aos poucos e há boas notícias, como a reabertura do Chile, Peru e Argentina.

A partir desta segunda-feira, 23, o Chile reabriu parcialmente suas fronteiras. Visitantes só podem entrar pelo Aeroporto Arturo Merino Benítez, em Pudahuel, perto de Santiago. Para embarcar em um avião com destino ao país, é preciso ter um teste PCR negativo feito 72 até horas antes, um seguro saúde que cubra condições relacionadas à Covid-19 e um documento chamado “Passaporte de Saúde”, disponível no site do governo.

Contudo, nas próximas próximas semanas – até o dia 7 de dezembro –, estrangeiros vindos de países de alto risco, segundo classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS), devem fazer quarentena de 14 dias ao chegar ao país. O Brasil faz parte da lista.

A Argentina também concretizou um comunicado emitido no dia 30 de outubro, dizendo que suas portas seriam reabertas ao Brasil, Bolívia, Chile e Paraguai – mas apenas com destino à Grande Buenos Aires. Só é permitido circular pela Região Metropolitana da capital e, para garantir a entrada, é preciso apresentar exame PCR negativo, realizado até 72h antes do embarque.

Além disso, antes da crise política e do impeachment, o presidente peruano, Martín Vízcarra, havia prometido no início de setembro a reabertura das fronteiras a estrangeiros. O processo se concretizou em duas fases: no início de outubro, alguns países da América Latina, como Colômbia, Paraguai e Chile, receberam aval do Peru. Depois, a partir do dia 1º de novembro, México, Brasil, Argentina, Espanha e Estados Unidos ganharam a permissão.

Um dos protocolos de biossegurança é a obrigatoriedade do teste de PCR negativo, realizado no máximo 72 horas antes da chegada, para entrar no país. Na falta do comprovante, o turista deverá voltar ao país de origem fazer quarentena de 14 dias. Viajantes também estão sujeitos a triagem médica em aeroportos.

Segundo uma lista publicada na página da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), existem cerca de 70 países e territórios que não têm restrições expressas a entradas de viajantes brasileiros a lazer, em voos que partem do Brasil. A maioria deles exige, no entanto, algum tipo de testagem negativa para Covid-19 ou quarentena na chegada.

Como já estava determinado desde o início do segundo semestre, países como México, Turquia e as Bahamas, no Caribe, recebem turistas brasileiros sem muitas restrições.

O governo mexicano só exige o preenchimento de um formulário de “Fatores de Risco”, enquanto a Turquia continua a realizar triagem médica nos aeroportos – caso os viajantes apresentem sintomas, podem ser submetidos a testes e, depois, tratamento médico. As Bahamas, assim como a República Dominicana e a maioria das ilhas caribenhas, só exigem teste ao embarcar.

A Ucrânia, Bósnia e Herzegovina, Equador e Colômbia aceitam receber turistas brasileiros, desde que apresentem o teste negativo para Covid-19. O Egito também reabriu suas fronteiras, mas exige o teste PCR negativo – realizado com, no máximo, 72 horas de antecedência – e seguro saúde. Além disso, o turismo está limitado a resorts em três províncias litorâneas.

Já alguns países europeus, como Reino Unido e Irlanda, apesar de nunca terem barrado viajantes brasileiros, exigem o cumprimento de uma quarentena de 14 dias, com ou sem sintomas da Covid-19 (às próprias custas). Mesmo assim, voos das aéreas British Airways e Latam seguem com regularidade para o aeroporto britânico de Heathrow.

Na fechada União Europeia, apenas a Croácia aceita brasileiros, desde que comprovem reserva de hotel e apresentem teste PCR negativo realizado em até 48 horas antes do embarque. Só quem chegar sem o teste, ou com sintomas, precisa ficar em isolamento por 14 dias. Sérvia, Kosovo, Albânia e Macedônia do Norte também estão abertos aos brasileiros e sem exigências de quarentena.

Se o turista brasileiro cumprir quarentena em um país do bloco ou no Reino Unido, pode seguir viagem para outros destinos no continente. O mesmo ocorre nos Estados Unidos: embora os americanos só permitam a entrada de viajantes com cidadania ou visto de residência permanente, é possível fazer uma quarentena no México, por exemplo, e seguir para destinos como Miami ou São Francisco.

Mesmo tendo que adaptar os planos devido à pandemia, viajar torna-se cada vez mais possível à medida que as duras restrições são revisadas. Até na troca de Orlando por Istambul é possível encontrar consolo para este duríssimo 2020.

Veja

Opinião dos leitores

  1. Agora que eles tem mais mortes por milhão de habitantes que o Brasil abrem a fronteira?
    E fazer o que nestes países, ficar trancado dentro de casa.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VÍDEO: A maior rivalidade do futebol argentino se rende ao luto por Maradona


A maior rivalidade do futebol argentino se rendeu ao luto pela morte de Diego Maradona, considerado um dos maiores jogadores da história. Maradona morreu ontem, aos 60 anos, após sofrer uma parada cardiorrespiratória.

No vídeo que circula nas redes sociais, é possível ver dois torcedores, um com uma camisa do River Plate e outro vestindo uma do Boca Juniors. Ele se abraçam, choram por terem que se despedir do ídolo.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

‘Você foi o maior de todos’, diz presidente da Argentina após morte de Maradona


O governo do presidente Alberto Fernández decretou luto nacional de três dias a partir desta quarta-feira após a morte da lenda do futebol argentino Diego Maradona, aos 60 anos, após uma parada cardíaca, informou a Presidência.

“Por ocasião da morte de Diego Armando Maradona, o Presidente da Nação vai decretar três dias de luto nacional a partir de hoje”, disse em nota.

A morte de Maradona gerou comoção na política, com membros do governo, ex-funcionários e líderes de diferentes partidos rendendo homenagens ao ex-jogador de futebol nas redes.

Fernández se referiu ao craque argentino no Twitter como “o maior de todos”. “Você nos levou ao topo do mundo. Você nos fez imensamente felizes. Você foi o maior de todos”, afirmou. “Obrigado por ter existido, Diego. Sentiremos sua falta para o resto da vida.”

Enquanto o ex-presidente Mauricio Macri disse que hoje é “um dia muito triste para todos os fãs de futebol do mundo, especialmente os argentinos. As enormes alegrias que Diego nos deu serão indeléveis”, tuitou.

A vice-presidente, Cristina Kirchner, também se manifestou. “Muita tristeza… Muita. Perdemos um grande [jogador]”, publicou no Twitter. “Adeus Diego, nós te amamos muito. Grande abraço aos seus parentes e entes queridos.”

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Argentina legaliza autocultivo de maconha para uso medicinal

O óleo de cannabis é usado para epilepsia e também como terapias paliativas para a dor em pessoas com câncer, fibromialgia e para aliviar os efeitos do Parkinson, entre outras doenças – iStockphoto/Getty Images

O governo da Argentina legalizou o autocultivo de maconha para uso medicinal e a venda de óleos terapêuticos nas farmácias, por meio de um decreto publicado nesta quinta-feira, 12, no Diário Oficial da União do país.

Trata-se de um novo regulamento que revisa uma lei aprovada em março de 2017 que autorizava o uso medicinal de óleos de cannabis, mas mantinha a proibição do cultivo da planta e da posse de sementes individualmente ou em grupos.

O decreto, que é assinado pelo presidente Alberto Fernández, visa permitir “o acesso oportuno, seguro, inclusivo e protetor para aqueles que precisam usar a cannabis como ferramenta terapêutica”, afirma o texto.

Com o decreto, é autorizada a venda em farmácias de óleos e cremes produzidos a partir da cannabis e do cultivo pessoal e em rede para usuários, pesquisadores e pacientes que se cadastrarem no Programa Nacional de Cannabis, criado pela lei mas que não estava operacional.

Pacientes e parentes de crianças com doenças graves que usam óleo de cannabis para melhorar sua qualidade de vida têm reivindicado o direito de cultivar para produzir seu próprio óleo específico, o que continuaram fazendo apesar de serem punidos por lei.

“Hoje choramos de alegria porque iniciamos essa luta pelos nossos filhos (…). Somos uma grande família lutando pelo mesmo direito, o direito à qualidade de vida. Vamos cultivar o nosso próprio remédio sem medo (…) Não somos criminosos”, comemorou o grupo “Mamá Cultiva” nas redes sociais.

O óleo de cannabis é usado para epilepsia e também como terapias paliativas para a dor em pessoas com câncer, fibromialgia e para aliviar os efeitos do Parkinson, entre outras doenças.

O novo regulamento autoriza não só a importação produtos medicinais de cannabis, o que já era permitido, embora apenas para epilepsias refratárias, mas também “adquirir especialidades medicinais elaboradas no país ou adquirir formulações magisteriais elaboradas em farmácias autorizadas”.

O Estado promoverá a produção pública de cannabis para uso medicinal e garantirá o acesso aos pacientes que não tenham cobertura para medicamentos pré-pagos ou ação social sindical.

O Uruguai foi o primeiro país em 2013 a aprovar uma lei que permite o cultivo de maconha para autoconsumo em casa, a formação de clubes de produtores para plantar em cooperativa e a compra em farmácias. Desde então, vários países latino-americanos avançaram em legislações semelhantes.

Veja, Com AFP

 

Opinião dos leitores

  1. A frente? De que ohm?da Venezuela? Seu nível intelectual é de praticante de vaquejada mesmo.

  2. Existem trocentas plantas medicinais.
    Só uma tem esses 'ideólogos' defendendo.
    Por que todo esse lobby?

    1. Simples. As outras não são proibidas nem são tão populares. Nas civilizações mais evoluídas já é ou está sendo liberada.

  3. Menos no futebol……kkkkk deixa de ser paiaço (assim mesmo) muda para lá Para curtir a verdinha. Para vc aqui só bananas mesmo.

    1. Vá morar lá e aproveita e leva todos os canhotos inúteis deste país !!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Argentina: a quarentena mais longa do mundo e seus 1,1 milhão de infectados

A Argentina vive a quarentena ininterrupta mais longa do mundo. Mas as medidas de isolamento, anunciadas logo nos primeiros casos confirmados, não conseguiram conter uma curva crescente de contágios pelo novo coronavírus. Após sete meses de restrições, o país é atualmente o sexto com o maior número de infecções no mundo, quase 30 mil mortes e enfrenta, além da crise sanitária, uma profunda crise econômica.

Neste episódio do E Tem Mais, Monalisa Perrone conversa com o repórter Diego Rezende, de Buenos Aires, sobre o número crescente de casos e os efeitos daquela que já é chamada de “quareterna”. Em seguida, um papo com o sanitarista Enio José Garcia, chefe do grupo que assessora o Ministério da Saúde argentino.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. A taxa de morte por covid na Argentina é menor que a Brasileira. Isso é o que importa.
    O resto é choro da turma da cloriquina, remédio contra lombriga e ozônio no fiofó. Talkei?

  2. A cambada está negando a desgraça na Argentina, a Venezuela encontrou a cura do corona vírus, quem vai ser o primeiro da cambada.

  3. O Macri ja pegou a Argentina quebrada pelo Desgoverno socialista,agora está a caminho para se tornar a "Venezuela do Sul" !!!!

  4. No início da pandemia, para criticar o Presidente Bolsonaro, os ESQUERDOPATAS citavam a Argentina como exemplo no combate a COVID. Enalteciam a quarentena argentina como solução para a doença.
    HOJE, a Argentina é a prova de que o o Presidente Bolsonaro sempre esteve certo, e que a quarentena só serve para quebrar a economia e destruir os governos.
    Hoje a Argentina está entre os piores números de mortes diárias por milhão do mundo, comprovando a falácia que é o Fique em Casa como solução para a doença.

  5. Eu sabia que a Argentona iria se lascar após a última eleição presidencial, só não imaginava que ia ser tão rápido.
    O socialismo destrói qualquer País, e pelo visto, mais rápido do que a gente imagina

    1. A Argentina já estava quebrada pelo governo de direita de Macri.
      Pronto, associaram o vírus ao socialismo….kkk
      Enquanto isso na Gadolandia temos 155 mil morto e dolar à 6 reais
      O gado contínua no: e o PT?

    2. O tal do esquerdista é uma praga mesmo. Macri pegou o Estado inchado, as contas em frangalhos e o povo Argentino achou ruim as medidas de austeridade e ajuste de contas. Voltaram pra o socialismo. A culpa é de Macri? kkkkk Vai se tratar Manoel

    3. E o mané não se cansa, não para de defender os restos da esquerda e a quadrilha de LULADRAO. Eita jerico

    4. Que medida "de direita" foi implantada por Macri?

      Estatizações, desregulamentações, cortes de gastos?
      Vcs vivem de mentir.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Na Argentina, pobreza atinge 40,9% da população

Foto: Juan Ignacio Roncoroni/ EFE

A taxa de pobreza na Argentina subiu para 40,9% da população no primeiro semestre deste ano, com 10,5% de indigência, um dos piores registros da história do país, informou o Instituto de Estatística (Indec). No final de 2019, a taxa de pobreza era de 35,5% e a indigência, 8%.

Na comparação interanual, o número de pessoas abaixo da linha da pobreza aumentou 5,5 pontos porcentuais, e na indigência 2,8 pontos porcentuais.

“Aos poucos, chegamos perto de metade da população que não tem condições de comprar com sua renda uma cesta básica de consumo essencial. Isso é muito preocupante porque tem um porcentual muito alto de crianças e adolescentes”, disse à agência France Presse o economista Ricardo Aronskind.

No primeiro semestre deste ano, a renda familiar média mensal total das famílias pobres foi de 25.759 pesos (cerca de R$ 1,7 mil pelo câmbio oficial), mas a cesta básica atingiu 43.785 pesos (cerca de R$ 3 mil), uma diferença de 41,2%, segundo o Indec. Em termos de faixas etárias, 56,3% das pessoas de 0 a 14 anos são pobres.

A Argentina, com uma inflação anual de mais de 40%, está em recessão desde 2018. A pandemia de covid-19 atingiu fortemente sua economia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) estima que o país fechará este ano com uma contração de 9,9% do Produto Interno Bruto (PIB).

“Os números são alarmantes”, admitiu o ministro de Desenvolvimento Social, Daniel Arroyo, atribuindo parte da cifra a uma pobreza estrutural desencadeada por sucessivas crises econômicas que afetaram o país nas últimas décadas.

Em uma entrevista à TV a cabo Todos Noticias, Arroyo também disse que o “segundo trimestre foi o momento de maior fechamento das atividades” por causa da pandemia.

O ministro destacou que esse índice de pobreza seria ainda maior se o governo não tivesse desembolsado 420 bilhões de pesos (cerca de R$ 29,1 bilhões) em ajuda social durante a quarentena.

A pandemia começou na Argentina três meses depois de o presidente peronista Alberto Fernández assumir o poder com o desafio de reduzir a pobreza no país, afundado em uma profunda espiral inflacionária. Com a chegada do coronavírus, o governo optou por priorizar a saúde e em 20 de março instaurou uma rígida quarentena em todo o país. Nesse contexto de paralisação, o PIB caiu 19,1% no segundo trimestre e o desemprego subiu para 13,1% no mesmo período. A Argentina registrou até agora 736.609 casos de covid-19 e 16.519 mortes. / AFP, EFE e AP

Estadão

Opinião dos leitores

  1. Esquerdismo é a doença que mais mata no mundo. E ainda tem doente querendo que essa praga volte para o Brasil.

  2. Argentina vai se transformando num Brasil! Onde até 100 mi de brasileiros viviam com menos de 400 reais

    1. Essa estatística de 100 milhões ganhando menos de R$ 400,00 no Brasil não existe. O número mais próximo seria pouco mais de 50 milhões recebendo pouco mais que R$ 400,00.
      Vejo muitos comentários de pessoas que inserem dados que não existem. Talvez para distorcer fatos e convencer desinformados.
      Outra coisa, a população da Argentina em 2020 é de, aproximadamente, 44 milhões de habitantes.

  3. Vixe, até havia elogiado Entregador De Pizza mais vou voltar atrás, essa doença esquizofrênica paranoide que acomete esse povo, é difícil de tratar pois tem um componente de ideia fixa,em Cuba onde curam vitiligo, talvez haja tratamento, na Venezuela não, já que Maduro tem uma Noia, já afirmou até que conversou com Chávez através de um pássaro, e continua matando o povo com suas sandices.

  4. Lamentável. A No final da década de 1920, chegou a ser a sexta maior economia do mundo. Era uma potência agrícola e pecuária que abastecia a Europa. A imponência e elegância de Buenos Aires simbolizavam a prosperidade. Só para ficar no exemplo, enquanto aqui no Brasil andávamos de carroça, o Metrô de Buenos Aires foi inaugurado em 1913. A Argentina é a prova viva de como políticos incompetentes e corruptos podem destruir uma nação.

  5. Resultado de políticas socialistas adotadas pelo atual governo, a Argentina está seguindo o mesmo caminho da Venezuela, enquanto o Brasil cresce, a Argentina desaba, o Brasil estaria no mesmo caminho se tivesse elegido Hadad, graças a Deus temos Bolsonaro como presidente.

  6. Culpa dos anos de governo Macri, Robin Hood dos ricos.
    Aqui, com o miliciano e com o econoburro Paulo Jegues, caminhamos para o mesmo barco.
    Buenos Aires pelo menos tem umas boas empanadas ?

    1. Resultado do modelo Venezuelano do foro de São Paulo que a Argentina está adotando, uma catástrofe anunciada.

    2. Não diga tonteiras. O congreeso, tomado de peronistas, não deixou Macri fazer nada.

    3. Entregador de pizza não, entregador de rosca ! O seu partido de ladrões destruíram o Brasil e você vem com essa conversa de miliciano.

    4. Estou na dúvida, é cegueira, burrice, falta de inteligência, ignorância ou mal caratismo?

    5. Eduardo lemos.
      Não tenha dúvidas, ou é tudo isso que vc fala, ou é doença.
      De todo modo, se conselho valer alguma coisa na cabeça desse sujeito, sugiro que procure um especialista o mais rápido possível.
      Isso não é normal.
      O dia todo dependurado no celular escrevendo asneiras.
      Até o nome que usa é esquisito.
      Entregador de pizzas.
      Isso tem cabimento??
      Coisa de desequilibrado.
      O que uma derrota não faz.
      E sem perspectiva.
      PT acabou!!
      Daqui a duzentos anos, não governa mais o Brasil.
      Quem for vivo, virá.
      Sem duvidas!!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *