Cerveja para o café da manhã? Fábrica traz novidade para o Brasil

Cervejas-MOALinha-CompletaCerveja para o café da manhã? Fábrica traz novidade para o BrasilElas têm vários sabores, como o de especiarias, caramelo, banana, mel, café e puro malte, e podem ser degustadas até no café da manhã. São os oito tipos de cervejas artesanais Moa, da Nova Zelândia, que estão chegando ao mercado brasileiro, com o objetivo de atender a todos os gostos do mais requintado ao mais simples.

Sem alarde, a cervejaria Moa Brewing Company da Nova Zelândia desembarcou no Brasil no ano passado, mas tem planos de em pouco tempo se tornar líder do mercado de cervejas artesanais no país, onde está investindo, de saída, US$ 8 milhões (R$ 24,1 milhões). E sonha alto:

— Nossa meta é sermos líderes do mercado de cervejas importadas no Brasil — diz Marconi Albuquerque, diretor Comercial do Oceania Group, responsável pela comercialização da cerveja no país.

Já foram investidos US$ 2 milhões para trazer as cervejas para o mercado brasileiro desde o ano passado. E agora o grupo pretende investir, no mínimo, mais US$ 6 milhões até 2017, o que soma US$ 8 milhões.

— Enxergamos oportunidades no Brasil porque são projetos de longo prazo e o mercado. O Brasil não vai parar de crescer, e o consumo de cervejas também não. Neste momento as empresas que sejam comprometidas e que tenham ações criativas vão sobreviver. O momento é agora — destacou Marconi.

As cervejas Moa começaram a ser vendidas desde abril do ano passado no mercado brasileiro em caráter experimental e neste ano começam efetivamente a entrar no mercado em várias capitais. No Rio de Janeiro estarão disponíveis para os consumidores a partir de junho próximo em uma rede de supermercados de grande porte.

Os preços vão variar entre R$ 23,90 e R$ 30,90 nas duas linhas da cerveja. A Moa Brewing Company, segundo o executivo, está trazendo para o Brasil oito rótulos que incluem desde cervejas suaves (as que podem ser tomadas no café da manhã, para os mais apaixonados) até as mais fortes e premiadas em campeonatos mundiais.

Marconi destacou que os planos são conseguir em quatro anos abocanhar 1% do mercado de cervejas artesanais no país, que por sua vez representa 5% do mercado de cervejas. Segundo o executivo, o planejamento considera um cenário “pessimista” para o mercado, e por isso os investimentos ainda poderão crescer.

Os planos de investimentos no país levaram em conta alguns números do mercado. Como o da agência Euromonitor que mostrou que em 2013 o Brasil era o 3º maior mercado de cervejas com volume total de consumo registrando mais de 13,3 bilhões de litros. Já dados da agência Nielsen mostraram que entre 2009 e 2013, a participação das cervejas premium no mercado brasileiro subiu de 7% para 10,5%.

A Moa Brewing Company foi criada em 2003 e produz cervejas artesanais populares da Nova Zelândia. Sua fábrica está localizada na região de Marlborough, famosa pela produção de vinhos. O seu fundador, Josh Scott, também era produtor de vinhos, mas se interessou em desenvolver cervejas artesanais.

Scott decidiu, então, incluir na produção de cervejas técnicas de produção de vinhos como o envelhecimento em barril e a segunda fermentação nas garrafas além do uso de leveduras utilizadas na fabricação dos vinhos.

A cervejaria leva o nome da maior ave que existiu na Nova Zelândia até o século XVI, a Moa. Acredita-se que sua carne era fonte de coragem e força para os guerreiros nativos.

O Globo