Especialista em comportamento humano revela como descobrir uma traição pela linguagem corporal

Fotos: Shutterstock

Acredita que o parceiro não está sendo fiel? Conseguir interpretar a linguagem corporal ajuda a saber quando alguém não está falando a verdade

Já imaginou se, só de olhar para o parceiro, você soubesse se ele está sendo verdadeiro? Apesar da confiança e da lealdade serem pontos importantes para um relacionamento saudável, algumas atitudes do par podem indicar que há mentiras envolvidas. Para descobrir a verdade – e até uma possível traição – alguns sinais do dia a dia podem ajudar.

Apesar de muita gente ainda não saber, a linguagem corporal pode ajudar a identificar uma traição . Segundo Luciano Alves, neuropsicólogo e especialista em comportamento humano, nem tudo o que é dito está nas palavras – e os gestos, expressões e posições do corpo têm muito mais a revelar do que apenas a boca.

Entender o movimento dos braços, mãos, olhos, pés e até das sobrancelhas é fundamental para conseguir saber o que a pessoa realmente quer dizer. “Essa percepção é importante para o desenvolvimento pessoal, mas, também, para os relacionamentos interpessoais, em que muito do que está acontecendo não é dito e, sim, percebido”, diz o profissional.

Como saber se a pessoa está mentindo?

Alves afirma que há diversos detalhes mostrados pelo corpo que passam despercebidos pelas pessoas, que não sabem como fazer uma leitura correta. “Quando uma pessoa não está falando a verdade, ela costuma tapar a própria boca; ou passar a mãos nos lábios, tocar o queixo; ou até colocar objetos na frente da boca”, ressalta.

Outro ato que merece atenção e indica uma linguagem corporal negativa é quando o parceiro passa a comprimir os lábios. Isso demonstra que ele está tentando evitar dizer o que realmente pensa ou que não deseja responder alguma pergunta. Diante disso, vale a pena ficar de olho nesse sinal.

Além disso, alguns indícios ainda podem ser demonstrados nas palmas da mãos. “Quando a pessoa está sendo sincera, ela tende a expor as palmas das mãos para o outro. Quando mentimos, somos inclinados a nos fechar e esconder as mãos, seja no bolso, nas costas ou cruzando os braços”, explica Alves.

Outra dica de como saber se a pessoa está mentindo é, em uma conversa com o parceiro, observar, além dos gestos corporais, também o olhar. Isso porque, quando ele olha para baixo está dizendo “não” com o corpo para a outra pessoa ou, ainda, demonstrando que sente vergonha de como está a relação ou encontro naquele exato momento.

“Se uma pessoa coloca mão direita no ombro esquerdo da outra, durante a conversa, está gerando um movimento de não quero nada com você e eu não sinto mais nada por você. Quando está mentindo, ela apresenta movimentos rígidos, tensos, repetitivos com mãos, braços ou pernas. Esses membros também tendem a ficar encolhidos”, expõe o neuropsicólogo.

Mais sinais para prestar atenção

Outra linguagem corporal que pode caracterizar que está escondendo uma traição é o ato de coçar ou tocar nariz repetidamente. Isso mostra ansiedade ou, provavelmente, que a pessoa está contando uma mentira. O aumento na pressão arterial leva ao aumento do fluxo sanguíneo no nariz. As células, então, liberam histamina, o que faz com que ele coce.

Quando alguém está escondendo algo que não quer revelar, ela costuma “afundar” a cabeça dentro dos ombros ao conversar sobre o assunto em questão. “Além disso, os braços cruzados são sinais claros de que uma pessoa está na defensiva naquele assunto, com a necessidade de se auto proteger de uma situação, que pode ser uma traição”, aponta Alves.

O piscar diferente do normal também traz algumas informações. Piscar rapidamente dá sinais que há um desconforto ou angústia com a situação que está ocorrendo. Da mesma forma, realizar a ação muito raramente pode ser uma maneira de tentar esconder algo que está acontecendo.

Indo além, a traição pode ser descoberta não apenas por meio de gestos e expressões. Vale também prestar atenção tom de voz. Isso porque, quando há mentiras, ele costuma mudar, uma vez que o músculo das cordas vocais fica enrijecido quando se está sob pressão.

O olhar também é importante. “No ato de mentir que está tendo outra relação, por exemplo, a pessoa fica com dificuldade de manter o contato ocular com a outra. Além disso, ao ouvir uma pergunta qualquer, se olhar para o lado esquerdo é sinal que está criando uma resposta. Olhar para o direito, por outro lado, é sinal que busca a informação na memória”, destaca Alves.

Segundo o especialista, há muitos detalhes mostrados pelo corpo que acabam passando despercebidos por quem não sabe fazer uma leitura correta. “Ao entender melhor a linguagem corporal, as pessoas melhoraram a percepção das próprias emoções e passam a reconhecer em pequenos gestos o que os outros dizem”, afirma.

Além disso, consegue-se diferenciar pelas microexpressões do rosto as sete principais emoções (raiva, medo, surpresa, alegria, tristeza, nojo e desprezo). Também aprimoram a capacidade em prever o comportamento dos outros, melhorando as suas decisões pessoais e no campo profissional.

“Aprender a perceber sinais de emoções antes mesmo que a pessoa tenha consciência de que está com esse sentimento é algo que irá ajudar muito na vida e na convivência com os outros, tanto no aspecto pessoal, em um relacionamento, como também no ambiente de trabalho”, destaca o neuropsicólogo.

Ele reforça que esse conhecimento faz com que a pessoa tome atitudes mais assertivas, por exemplo, em uma conversa, seja ela de negócios, relacionamento afetivo ou familiar. “Ao ter esse entendimento pleno e amplamente trabalhado, ela tomará a decisão correta no que diz respeito à abordagem, pois fará a leitura correta do que está sendo sinalizado pela outra pessoa”, aponta.

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. jefferson disse:

    Isso é muito relativo. o que pode-se afirmar é que quando em ameaça o sistema "Luta-fuga" age e de fato muda o comportamento. porém, alguns gestos apontados no estudo podem ser desencadeados diante de outras situações. por exemplo: a mentira pode desencadear medo de ser descoberto no indivíduo e esse MEDO desencadear o gesto apontado como mentira. o Importante não é a Mentira, mas o sentimento desencadeado por ela. o que é certo é que com a convivência percebe-se como o seu interlocutor se comporta. não se pode padronizar gestos, pois um "falso positivo" pode ter consequências importantes ou até graves. prova do que estou falando é que quando as pessoas se conhecem, ate pelo Whats-up percebe-se quando algo está diferente. Tenho anos de Estudo em programação neurolinguística e posso afirmar com segurança o que lhes digo.

Como descobrir que a carne que você comprou faz parte do recall

Advogado do Idec diz que que o consumidor não conseguirá efetuar a troca de produto enquanto as empresas não abrirem o recall (//Reprodução)

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão vinculado ao Ministério da Justiça, determinou o recall de produtos fabricados por quatro unidades de frigoríficos: duas da Peccin – uma de Jaraguá do Sul (SC) e outra de Curitiba (PR) -, uma da Souza Ramos e outra da Transmeat. Todos os frigoríficos fazem parte dos 21 investigados pela Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, que apura um esquema de corrupção envolvendo fiscais e frigoríficos.

Diferentemente de outros recalls, a Senacon não informou os lotes de produtos que devem ser recolhidos pelas empresas, apenas o número do selo SIF (Serviço de Inspeção Federal) de cada uma: 825 (Peccin, de Jaraguá do Sul), 2155 (Peccin, de Curitiba), 4040 (Souza Ramos) e 4644 (Transmeat).

Segundo a Senacon, todos os produtos fabricados por essas unidades devem ser recolhidos. “A determinação de recall vale para todos os produtos provenientes dos estabelecimentos”, informa a secretaria.

Isso significa que o consumidor que tiver em casa um produto com um dos SIFs informados tem o direito de exigir a troca ou ressarcimento ao estabelecimento comercial que efetuou a venda.

Sobre o número dos lotes, a Senacon diz que “ainda não se sabe quais são os lotes afetados, já que essa é uma informação de responsabilidade das empresas no momento do início do recall”.

Em carta encaminhada ao Ministério da Justiça, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor pede que o consumidor seja informado sobre descrição das marcas, número dos lotes, locais da apreensão e outros dados que identifiquem as carnes que tenham sido adulteradas.

Na prática

O advogado Flavio Siqueira, do Idec, diz que o consumidor não conseguirá efetuar a troca de produto enquanto as empresas não abrirem o recall. “Não adianta ir agora.”

A Senacon deu um prazo de cinco dias para as empresas abrirem o recall. O consumidor não precisa ter a nota fiscal de aquisição do produto para ser reembolsado.

“O consumidor deve devolver o produto para receber o devido reembolso, independentemente de possuir Nota Fiscal”, diz a secretaria.

Mas o representante da Transmeat e Souza Ramos disse que recorreu da decisão. Ele questiona o fato de o recall envolver todos os produtos. “Precisa informar o número dos lotes.”

Como analisar a qualidade da carne

O Idec recomenda que o consumidor evite a compra de alimentos ultraprocessados.

“A partir da compra de carnes frescas, o consumidor é capaz de identificar se o produto está adequado para o consumo ou não, considerando as seguintes características: coloração avermelhada, textura não pegajosa e lisa, e a ausência de mau-cheiro”, informa o instituto.

Veja