Diversos

“NOVOS ALIMENTOS”: União Europeia aprova primeiro produto derivado de insetos para consumo humano

Foto: © REUTERS/Juan Carlos Ulate/direitos reservados

A farinha produzida a partir de larvas de um escaravelho (besouro) foi aprovada para consumo humano pelos Estados-membros da União Europeia (UE), segundo recomendação da Comissão Europeia.

A farinha de Tenebrio (larva de farinha), um novo alimento, também conhecida como “farinha amarela” é a primeira autorização de comercialização na UE de produtos derivados de insetos, depois de a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos ter dado luz verde para o consumo.

A estratégia “Do Prado ao Prato” identifica os insetos como fonte alternativa de proteínas que pode apoiar a transição da UE para um sistema alimentar mais sustentável.

Os chamados “Novos Alimentos” são definidos como os que não tinham sido consumidos em grau significativo por pessoas na UE antes de 15 de maio de 1997, quando entrou em vigor o primeiro regulamento sobre a questão.

Os “Novos Alimentos” são inovadores ou produzidos utilizando novas tecnologias e processos de transformação, bem como produtos que são ou têm sido tradicionalmente consumidos fora da UE.

Exemplos de “Novos Alimentos” incluem novas fontes de vitamina K (menaquinona) ou extratos de alimentos existentes (óleo de Krill do Antártico rico em fosfolípidos de Euphausia superba), produtos agrícolas de outros países (sementes de chia, sumo de noni), ou alimentos derivados de novos processos de produção, como tratamento por ultravioletas.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Direita esclerosada, a Argentina é logo ali, vá tomar a vacina sputnik lá deixe de postar merda no blog

  2. A ANVISA não liberou a Sputnik V, mas liberou agrotóxico banido pela União Europeia, esse é o governo genocida.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Secretaria Municipal de Saúde em Natal intensifica distribuição de hipoclorito de sódio, utilizado para a purificação caseira da água para o consumo humano

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal pretende intensificar a partir desta quarta-feira (27) a distribuição de hipoclorito de sódio, utilizado para a purificação caseira da água para o consumo humano. Nessa terça-feira (26), o Setor de Vigilância Ambiental e Saúde do Trabalhador do Departamento de Vigilância em Saúde (VISAMT/DVS) recebeu 20 mil frascos de hipoclorito de sódio que serão distribuídos às unidades de saúde do município.

O objetivo da Prefeitura é diminuir o impacto de doenças causadas por vírus, parasitas e bactérias. A água purificada com hipoclorito de sódio serve para lavar louças, beber, tomar banho, cozinhar, lavar frutas, legumes e hortaliças. O hipoclorito de sódio, quando usados dentro das recomendações, é seguro para a saúde e a água tratada com ele pode ser oferecida a bebês e crianças.

Para cada botijão de 20 litros de água deve-se utilizar 40 gotas de hipoclorito de sódio. O produto serve para livrar a água de bactérias que causam doenças de transmissão hídrica, incluindo a diarreia. O hipoclorito também previne a transmissão da cólera.

O chefe do Setor de Vigilância Ambiental e Saúde do Trabalhador, Marcílio Xavier, explica que serão priorizados os bairros que apresentam o maior número de notificações de doenças diarreicas agudas (DDA). O primeiro quadrimestre de 2018 apresentou uma redução de 14% se comparado com o mesmo período do ano passado. Bairros como Pajuçara (com 1.205 casos notificados de DDA no primeiro quadrimestre), Nossa Senhora da Apresentação (1.171), Potengi (1.001), Lagoa Azul (981), Felipe Camarão (1.111), Planalto (886), Mãe Luiza (584), Alecrim (460) e Cidade da Esperança (517) terão prioridade no recebimento do hipoclorito de sódio.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *