"Vá posar para a Playboy, não trabalhar com futebol", diz dirigente do Cruzeiro para bandeirinha musa

 

10320575_10151835546718239_2937580035009059029_nO diretor de futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos, não mostrou papas na língua e reclamou da atuação da auxiliar de arbitragem Fernanda Colombo após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG neste domingo. O dirigente disse que a bandeirinha – que vem ficando famosa principalmente pela aparência – não aguenta a pressão de bandeirar em jogos importantes, como partidas de times grandes e clássicos, e “aconselha-a” a posar nua.

“Aí, a gente pega essa bandeira, bonitinha, que estava ali no canto. Os caras gritam no ouvido dela e como ela não tem preparo, levanta a bandeira, porque fica apavorada. Isso porque ela tinha errado na rodada passada. O São Paulo fez as reclamações e ela ganha de presente isso [o clássico]. Provavelmente ela vai ganhar um clássico de presente na próxima rodada do Brasileiro”, criticou Mattos, antes de começar a pegar mais pesado.

“Estão tentando promover ela porque ela é bonitinha e não é por ai. Ela tem que ser boa de serviço, profissional e competente. O erro dela foi muito, muito, muito anormal, coisa de quem está começando uma carreira. Se é bonitinha, que vá posar para a Playboy, não trabalhar com futebol”, finalizou o dirigente, sem restringir suas observações à parte técnica de Fernanda, que ficou famosa nacionalmente na partida entre São Paulo e CRB.

O Cruzeiro saiu da partida reclamando de um lance de impedimento mal marcado de Alisson no fim do jogo. Com o resultado, o Cruzeiro permanceu com sete pontos e caiu da quinta para a sétima colocação. Na próxima rodada, a equipe recebe o Coritiba – antes disso, a equipe enfrenta o San Lorenzo no jogo de volta das quartas de final da Libertadores (perdeu o jogo de ida por 1 a 0).

ESPN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Willamy Medeiros disse:

    Esse cidadão que se diz dirigente de futebol, mostra-se totalmente sem preparo para exercer o cargo que ocupa. É inadmissível ele proferir tais palavras com a assistente de arbitragem Fernanda Colombo.

    Faço essa defesa, não porque ela seja uma mulher bonita, mas sim, porque ela é uma profissional como qualquer outra(o), e por isso, merece todo o respeito. Esse comportamento preconceituoso, é típico e digno de pessoas pequenas…

    Para finalizar eu pergunto, por acaso, ela foi a única pessoa a erra a marcação de um impedimento????? Lógico que não, nem muito menos será a última com quem esse erro ocorreu.

    Afinal, não se pode perder de vista que errar é uma coisa inerente a natureza humana, e cometer erros, qualquer um de nós, seja homem ou mulher, pode incorrer.