Motoristas de Natal entram em greve na abertura da Copa e afetam 530 mil, destaca UOL

Usuários de ônibus em Natal enfrentam problemas para pegar transporte coletivo nesta quinta-feira (12), dia do início da Copa do Mundo no Brasil. Cerca de 530 mil pessoas estão prejudicadas com a greve dos rodoviários, iniciada hoje na capital potiguar, que é uma das cidades-sede do Mundial.

O eletricista Álvaro Barros da Silva, 37, reclamou da demora dos ônibus no bairro da Candelária, nesta manhã. Ele contou que chegou atrasado para um serviço que está prestando no bairro da Ribeira. “Passei quase uma hora no ponto do ônibus esperando um transporte. Avisei ao cliente que ia chegar atrasado e vou sacrificar meu horário de almoço para terminar o que tinha de fazer hoje aqui na Ribeira”, disse Silva.

A estudante universitária Riana Lins, 21, também reclamou da espera no ponto de ônibus e acabou conseguindo uma carona para a UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte). “Demorei 40 minutos e nada de o ônibus passar. A minha sorte foi que a mãe de uma amiga me deu carona e mesmo assim enfrentamos um trânsito terrível”, disse.

Reivindicações

O Sintro (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Rio Grande do Norte) pede 16% de reajuste nos salários dos motoristas e cobradores e o valor de R$ 450,00 para o tíquete-alimentação.

A categoria recusou a proposta do SET (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Natal) de 5,82% de reajuste, com base do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).

“Informamos aos empresários que o abono de 5,82% não foi aceito pela categoria e como não houve contraproposta vamos manter a greve por tempo indeterminado”, disse o presidente do Sintro, Nastagnan Batista, ao sair da reunião entre a rodoviários e a classe patronal, que foi intermediada pelo MPT (Ministério Público do Trabalho), nesta manhã.

Atualmente o valor da passagem de ônibus é de R$ 2,20. Durante a reunião com empresários e rodoviários, a Semob se comprometeu de estudar reajuste da tarifa.

Durante todo o dia, equipes da Semob estarão nas portas das empresas de ônibus para registrar o número de veículos que estão saindo às ruas. O controle do número de ônibus deverá ser informado ao TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 21ª região.

O desembargador José Rêgo Júnior determinou, nessa quarta-feira (11), que os rodoviários mantivessem pelo menos 70% da frota operando em horário de pico e 50% nos horários de pouca demanda de passageiros para que a greve não prejudique os usuários do transporte coletivo. O horário de pico compreende o intervalo entre 5h e 9h e 16h às 20h.

Em caso de descumprimento, foi determinada ainda a multa diária no valor de R$ 100 mil para ser aplicada ao Sintro.

O TRT determinou ainda que o Sintro não extrapole as ações sindicais nesta quinta-feira, como fechar vias públicas, impedir o acesso de trabalhadores às garagens, como também depredação de ônibus.

UOL