Guerra civil: Brasil tem a maior taxa de homicídios desde 2004; veja números

O Brasil registrou em 2014 uma taxa de homicídios de 29,1 para cada 100 mil habitantes. É o pior resultado da série histórica, medida pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) em parceria com o FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública) desde 2004. Os dados estão no Atlas da Violência 2016. Eis as informações:

Homicidios-Brasil1

O número de mortes por homicídio foi de 59.627 em 2014. A pesquisa considera os óbitos causados por agressão e intervenção legal (ação policial).

O resultado coloca o Brasil com o maior número absoluto de homicídios do mundo, levando em conta dados do Observatório de Homicídios do Instituto Igarapé de 2013. Na comparação com a lista do Banco Mundial com 154 nações, o país estaria entre as 12 com as maiores taxas de homicídio.

PIOR ENTRE OS JOVENS

Homens de 15 a 19 anos são as principais vítimas de homicídios. Nesse grupo, mais da metade dos óbitos (53%) ocorrem por assassinato. Em seguida, aparece a faixa etária de 20 a 24 anos, também do sexo masculino, com 49%.

Para o Ipea, essa conjuntura prejudica “o processo de desenvolvimento econômico e social”. Os jovens respondem pela maior parte da população economicamente ativa.

EDUCAÇÃO, ETNIA E VIOLÊNCIA

A pesquisa indica ainda que aos 21 anos de idade o brasileiro está mais propenso a ser tornar uma vítima de homicídio.

Para aqueles com 21 anos e menos de 8 anos de estudo, a probabilidade é 5,4 vezes maior do que para quem tem a mesma idade com grau de instrução igual ou superior.

A situação fica mais dramática quando se comparam as chances de um indivíduo com até 7 anos de estudo e de alguém que ingressou no ensino superior. O primeiro tem 15,9 vezes mais probabilidade de ser assassinado.

Já os negros e pardos têm 147% a mais de chances de morrer vítimas de homicídios na comparação com brancos, amarelos e indígenas.

MORTES POR ARMAS DE FOGO CRESCE

Do total de homicídios cometidos em 2014, mais de 76% foram realizados com o uso de armas de fogo (44.861). De 2004 para cá a alta foi de 14,1%. Maranhão (+379,2%), Ceará (+324%) e Rio Grande do Norte (+296,5%).

NORDESTE LIDERA QUADRO DA VIOLÊNCIA

Os 5 Estados com maior variação na taxa de homicídios de 2004 a 2014 são da região Nordeste. Em 1º lugar aparece o Rio Grande do Norte, com alta de 308,1% na taxa para cada 100 mil habitantes. Em seguida vêm Maranhão (+209,40%) e Ceará (+166,50%).

De acordo com a pesquisa, o Estado de São Paulo foi o que mais reduziu a taxa de homicídios de 2004 a 2014: -52,40%. Logo depois aparecem Rio de Janeiro (-33,30%) e Pernambuco (-27,30%). Mas há controvérsia sobre essas estatísticas, como ser mostrado a seguir.

Eis o ranking:

homicidios-estados

DADOS OMITIDOS

O levantamento do Ipea indica ainda que as mortes causadas por ação policial continuam sendo omitidas por algumas instituições.

Segundo o instituto, o SIM (Sistema de Informações sobre Mortalidade) de 2014 apresenta 681 mortes por intervenções legais. Já o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que utiliza dados coletados por meio da Lei de Acesso à Informação, registra 3.009 mortes decorrentes de ação policial –uma diferença de 441,85%.

O Estado com maior discrepância na comparação é São Paulo. Governado pelo tucano Geraldo Alckmin desde 2011, a diferença de óbitos causados por ação policial registrados no SIM e no anuário em 2014 é de 731. Em seguida aparece o Rio de Janeiro, com 245 casos no sistema contra 584 obtido por meio da Lei de Acesso à Informação. Eis as comparações (clique para ampliar):

Mortes-por-intervencao-legalO instituto ressalta que “discutir o tema da letalidade na ação policial é condição necessária para aproximar as instituições policiais da comunidade e romper uma espiral de violência que naturaliza os homicídios em nossa sociedade”, pois somente assim será possível “analisar a legitimidade e eficácia de nosso padrão de policiamento”.

Blog Fernando Rodrigues, UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joao disse:

    Se o PT fez tanto pelo social, porque o indice de homicidios cresceram tanto?? tanta violencia nao teria diminuido com a bolsa voto??

Candidato de Arapiraca-AL propõem guerra civil municipal

Por Paulo Marcello

A frase “Criar Guerra Civil Municipal” causou uma verdadeira pandemia nas redes sociais no início desta tarde, em Arapiraca. Tudo por conta da matéria intitulada “Propostas de Rogério Teófilo para Segurança Pública” postada no site oficial do candidato.

A assessoria de imprensa do candidato tucano não prestou atenção na redação e, com isso, causou as mais diferentes reações nesta corrida eleitoral do município.

“Com toda certeza foi uma tremenda gafe mas, nessa altura do campeonato isso só pode demonstrar que tem gente batendo cabeça na coordenação da campanha”, comentou um dos coordenadores do candidato Alves Correia (PTdoB).

De imediato a matéria já foi clicada e compartilhada por outros sites e redes sociais ganhando notoriedade pela falta de revisão quando se trata de assunto de tamanha relevância como a segurança pública do município.

Até o fechamento desta matéria, às 14h14min, desta quinta-feira, 27 de setembro de 2012, a informação “truncada” ainda estava no site do candidato Rogério Teófilo (PSDB).

Leia a matéria na íntegra:

Propostas de Rogério Teófilo para Segurança Pública

Neste ponto iremos trabalhar para dar mais segurança e paz para os moradores da cidade. Com medidas firmes e objetivas vamos trabalhar para combater o tráfico de drogas e à criminalidade, com iluminação adequada, programas sociais para jovens e crianças e ocupação dos espaços públicos com parques e praças poliesportivas.

Propiciar um salto de qualidade do desempenho dos órgãos municipais ligados à segurança e à justiça;

Articular com a administração estadual a revisão da política de segurança pública de segurança para o município;

Viabilizar a implantação de sabes de polícia comunitárias da Política Nacional de Segurança;

*Criar a Guerra Civil Municipal;

Assegurar o funcionamento das quatro delegacias distritais e da delegacia da criança e do adolescente e a criação da delegacia anti-drogas;

Elaborar e implantar um plano de combate ao uso de drogas;

Promover a inserção dos egressos do sistema prisional no mercado de trabalho;

Envolver os jovens de áreas de risco em atividades construtivas;

Fortalecer o Gabinete de Gestão Integrada Municipal e o Conselho Municipal de Segurança;

Desenvolver e implantar programas que usem a cultura e o esporte como instrumento de inserção dos jovens;

Estruturar adequadamente o Conselho Tutelar para o cumprimento do estatuto da criança e do adolescente;

Adotar experiências exitosas de outros municípios no contexto da segurança pública.

*No final desta tarde o site do candidato corrigiu o erro mudando para: Criar a Guarda Civil Municipal