MEC exonera responsável por mudança em edital de livros didáticos que permitia compra de obras com erros e propagandas

O novo ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, e o ex-ministro Rossieli Soares, durante solenidade de transmissão de cargo Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, exonerou nesta sexta-feira o chefe de gabinete do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Rogério Fernando Lot, que havia sido responsável por autorizar as polêmicas alterações no edital do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD).

Lot, então presidente interino do FNDE, assinou o aviso de alteração de edital publicado no Diário Oficial da União de 2 de janeiro, que retirava a proibição da presença de publicidade nas obras didáticas. No novo texto, o órgão suprimiu ainda o trecho que exigia que as obras estivessem “isentas de erros” e a determinação de “incluir revisões bibliográficas”. O combate à violência contra a mulher e a promoção da cultura quilombola também não estavam mais no documento.

Após a polêmica causada pelas alterações, o MEC anulou as mudanças e as atribuiu à “gestão anterior”, o que foi negado pelo último ministro da educação do governo Temer, Rossieli Soares Silva. Vélez Rodríguez pediu, então, a abertura de uma sindicância para apurar as responsabilidades. Nesta sexta (11), a exoneração de Lot e de outras nove pessoas que ocupavam cargos comissionados no FNDE foi publicada no Diário Oficial da União.

Procurado para comentar as exonerações, o Ministério da Educação não havia respondido até a conclusão deste texto.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Araújo disse:

    Correto!!!! Põe esses e muitos outros que cometeram absurdos pra arrumarem uma lavagem de roupa. FAXINA GERAL, parabéns.